Artigos & Informações
PIC (Práticas Integrativas e Complementares)

Na natureza, todo organismo vivo, por mais minúsculo que seja, se esforça para resgatar o que é seu. O tronco de uma árvore cresce mais forte onde existe uma cicatriz. Após uma queimada, os novos brotos se alimentam dos nutrientes das cinzas do pasto anterior. A humanidade está em constante movimento. Movimento quese descreve como uma caminhada com ponto de partida, objetivo, mas sem ponto de chegada. Sempre em busca de respostas e inquieta.

Práticas Integrativas e Complementares são as técnicas que visam assistência e a saúde do indivíduo, seja na prevenção, tratamento ou cura, considerando-o como mente / corpo / espírito e não um conjunto de partes isoladas. Seu objetivo, portanto, é diferente daqueles da assistência alopática, também conhecida como medicina ocidental, ou em que a cura da doença deve ocorrer através da intervenção direta no órgão ou parte doente. O uso das (PIC) tem contribuído como ganho em qualidade de vida de seus usuários. E, embora essas práticas estejam sendo aplicadas em diversas cidades do Brasil, isso ainda é feito de maneira não-uniforme, pois dizem respeito ao contexto local, envolvendo diversos fatores. As PIC tem sido cada vez mais utilizadas por vários países, o que colocou em evidência uma série de problemas relacionados à sua segurança, eficácia e qualidade.

Em muitas partes do mundo as práticas tidas integrativas e complementares são aceitas sem reservas e permanecem como o principal veículo de tratamento médico. Contudo, apesar de alguns desses métodos – como a acupuntura, a homeopatia e a fitoterapia – terem recebido alguma aceitação das autoridades médicas ocidentais, a maioria ainda é marginalizada pela ciência.

A alopatia é um sistema terapêutico que busca tratar as doenças por meios contrários a elas, procurando conhecer suas causas e combatê-las. Os procedimentos, diagnósticos e medicamentos alopáticos, do grego allos (outro) e páthos (doença), resultam geralmente de estudos científicos. Os cientistas fazem hipóteses sobre o mecanismo do seu objeto de estudo e então conduzem experiências para testar a validade das suas idéias. Nos últimos tempos, a maioria dos avanços na medicina, e das outras ciências, resulta do uso deste método. Por causa desse conceito, para a maioria dos cientistas, a medicina alternativa e todas as suas práticas, são altamente questionáveis.

As PIC tem alcançado um desenvolvimento excepcional nas últimas décadas. Alheia à falta de comprovação científica de muitas práticas e às discussões entre médicos e outros profissionais da saúde sobre quais categorias são aptas para as utilizarem, uma grande parcela da população de muitos países vem aderindo a estas formas de tratamento. Segundo Astin(¹), entre 30% e 50% da população adulta de países industrializados utilizam alguma forma de PIC para prevenir ou tratar algum problema relacionado à saúde. Em uma pesquisa realizada entre os anos de 1997 e 2002 nos Estados Unidos(2) estima-se que 35% da população adulta (cerca de 72 milhões de pessoas) deste país utilizam algum tipo de PIC.

Estudos recentes afirmam uma tendência mundial de crescimento de práticas não convencionais no campo da saúde, e de legislação para sua integração nos sistemas nacionais de saúde. Assim, as PIC vem sendo gradativamente inseridas no Sistema Único de Saúde, como prevê a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS. Todavia, embora essa temática esteja também incluída na Agenda Nacional de Prioridades de Pesquisa em Saúde, há escassez de estudos publicados nessa área. A Organização Mundial da Saúde aponta como grandes desafios à realização de estudos de custo-efetividade, bem como de segurança, eficácia e qualidade de tais práticas, além de estabelecer as situações clínicas nas quais elas podem ser aplicadas.

Para ampliar o acesso seguro e de qualidade a práticas não convencionais, antes restritas à rede privada, o Ministério da Saúde aprovou, em 2006, a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no Sistema Único de Saúde. Inseridas nessa política estão também as práticas corporais, destinadas à promoção da saúde e prevenção de doenças.(3)

Essas práticas são acessíveis gratuitamente em diversos centros de saúde do país e destinadas a pessoas de diversas idades . A compreensão do panorama das PIC no mundo envolve o reconhecimento das dificuldades relativas às diferenças entre a medicina ortodoxa e as PIC.

Nas PIC e na medicina tradicional de maneira geral uma abordagem totalizante (holística) é realizada, de forma a abranger aspectos físicos, emocionais, mentais e ambientais relativos ao cliente, de forma simultânea. Assim, o ato de curar pode ser visto como guerraou como harmonização. Essa é a grande diferença entre os dois paradigmas.As práticas terapêuticas classificadas como integrativas e complementares em geral não consideram a doença como resultante da intrusão de um agente externo, mas como um conjunto de causas que culminam em desarmonia e desequilíbrio.

A grande maioria das pessoas procura um consultório do profissional da área de saúde por não se sentir bem com aqueles sinais e/ou sintomasque estão apresentando há muito ou pouco tempo.O mal-estar, a sensação do desconforto, a dor mobilizam o indivíduo a fazer algo para recuperar a harmonia, o bem-estar, o ficar curado; cura esta que, tanto para o profissional quanto para o cliente, seria não apresentar mais aqueles sinais ou sintomas de ordem física, mental ou emocional; isto significa, simplesmente, voltar ao estado anterior à doença: ficar assintomático.

De uma maneira geral, a saúde é encarada como se fosse um estado de não-doença, de não mal-estar ou dor, quando o indivíduo pode continuar a levar a sua vida sem grandes alterações ou questionamentos. É muito mais fácil tomar um medicamento para aliviar uma dor de cabeça, do que compreender a mensagem que o organismo está sinalizando.

As dificuldades relativas ao uso das PIC, entre elas se destaca a relativa insuficiência de dados baseados em pesquisas, as limitações do controle, o treinamento ainda pouco extensivo.

Um dos importantes contextos de serviços de saúde que podem abrigar as PIC trata-se da Estratégia da Saúde da Família como estruturante dos sistemas municipais de saúde e que tem provocado um importante movimento com o intuito de reordenar o modelo de atenção no SUS. Busca maior racionalidade na utilização dos demais níveis assistenciais e tem produzido resultados positivos nos principais indicadores de saúde das populações assistidas às equipes saúde da família.

O Ministério da Saúde tem trabalhado seriamente na incorporação e implementação das PIC no SUS com a finalidade de contribuir para resolubilidade do Sistema, o que possibilita a ampliação do acesso às PIC, promovendo a racionalização das ações de saúde e estimulando ações referentes ao controle social.

Destacam-se as diretrizes gerais para sua implementação e as diretrizes doutrinárias da Política com a inserção em todos os níveis de atenção, com ênfase na atenção básica; estabelecimento de mecanismos de financiamento; elaboração de normas técnicas e operacionais para implantação; e articulação com as demais políticas do Ministério da Saúde;desenvolvimento de estratégias de qualificação em PIC, em conformidade com os princípios da Educação Permanente; o incentivo a divulgação e a informação dos conhecimentos básicos das PIC para profissionais de saúde, gestores e usuários, comunicação e educação popular; elaboração de materiais de divulgação; apoio à informação e divulgação em diferentes linguagens culturais; e apoio a experiências de educação popular; estimula ações intersetoriais, buscando parcerias que propiciem o desenvolvimento integral; propõe o fortalecimento da participação social; o provimento do acesso e ampliação da produção pública de medicamentos homeopáticos e fitoterápicos, acesso aos demais insumos estratégicos das PIC, com qualidade e segurança das ações; incentivo à pesquisa em PIC com vistas ao aprimoramento da atenção à saúde;proposta de desenvolvimento de ações de acompanhamento e avaliação das PIC e promoção de cooperação nacional e internacional nos campos da atenção, educação e pesquisa.

Por: Marcos Esper

Publicado em: 03/09/2009

Fonte: http://www.webartigos.com/articles/24265/1/Praticas-Integrativas-e-Complementares-em-Saude/pagina1.html

Acupuntura retarda a evolução dos sintomas do Mal de Alzheimer - Técnica ajuda pacientes a lutar contra o avanço da doença

SÃO PAULO [ ABN NEWS ] - Doença diagnosticada pela primeira vez em 1906, o mal de Alzheimer costuma afetar pessoas com mais de 65 anos, apesar de haver casos em mais jovens. Até o momento, apesar do avanço da medicina é incurável. Os sintomas iniciais da doença são irritabilidade, agressividade, alterações de humor, dificuldade na fala, perda da memória a longo prazo e degeneração do cérebro.

O diagnóstico precoce é muito importante para reduzir a evolução da doença e preservar a qualidade de vida do paciente. Apesar de não haver cura, se descoberta no início, é possível retardar os sintomas do Alzheimer. A acupuntura tem se mostrado muito eficiente em pacientes com o mal, permitindo que muitas pessoas vivam melhor, apesar da doença.

O tratamento começa após um diagnóstico preciso da doença e da fase em que ela se encontra, através da anamnese, leitura de pulso e língua, a partir daí são decididos os pontos principais a ser estimulados, afirma a Dra. Aparecida Enomoto, acupunturista com formação em Beijing. A acupuntura aumenta o fluxo sanguíneo no sistema nervoso central e periférico, estimula as áreas da coordenação motora e da fala, e todo músculo esquelético. Além disso, a técnica reduz o estresse, melhora o humor, a respiração e movimentos corporais, ativa a circulação sanguínea, alivia a fadiga, reduz dores e tremores musculares.

Por:

Publicado em: 23/04/2010

Fonte: http://www.abn.com.br/editorias1.php?id=59363

Conhecendo a digitopuntura

Como a própria palavra sugere, é um tipo de tratamento que consiste em aplicar uma massagem digital sobre os “os pontos de acupuntura”. Esta é uma forma de massagem que permite a diagnose preventiva e, em alguns casos, obter o tratamento instantâneo do corpo.

Parte do principio que todas as nossas atividades sejam físicas ou mentais, são geradas por uma série de vibrações vindas do mundo exterior. Tais vibrações podem ser de origem finita e de origem infinita.

As vibrações de origem finita são captadas por todos, como por exemplo, as cores que nossos olhos captam, os diversos cheiros que podemos aspirar, os sons que ouvimos, a comida e seus sabores e, por fim, o sentir de vibrações que nossas mãos e as pontas dos pés sentem.

As vibrações de origem infinita não são captados de maneira igual por todos os seres humanos, mas sim apenas por quem mantém em perfeita condições a energia vital circulante em seu corpo. Usando este parâmetro podemos afirmar que o homem consegue sua energia e estímulo mental, cerca de 80% do meio ambiente e que este se encontra.

Quando o corpo está saudável apresenta uma circulação livre e contínua de energia distribuída. Aos órgãos através dos meridianos e suas coligações. Esta teoria dos meridianos e seus pontos de pressão é praticada pela medicina tradicional chinesa.

Conhecendo-se os pontos nos quais estimular o correto fluxo de energia, podemos restabelecer a correta circulação e desta forma o bom funcionamento dos órgãos internos correspondentes. Esse resultado pode ser alcançado com o uso profissional da digitopuntura.

Esta técnica é bastante simples, inofensiva, sobretudo para aqueles pacientes que são particularmente sensível ao uso de agulhas.

Apesar da digitopuntura ser mais uma integração ao tratamento, não podemos substituir à acupuntura ou tratamentos convencionais.

Além do tratamento preventivo ou cura principal em casos de ansiedade por desarmonia psícofísica, stress, cefaléia, depressão, insônia, transtorno do nosso cotidiano, associada a quiropraxa, ventosas, moxoterapias, outros como: a acupuntura traz benefícios a diversas outras patologias como Asma, Distúrbios Motores, Dores nos Membros, Impotência, Dores na Coluna, Hipertensão e Hipotensão Arterial e outros.

É um privilégio poder atender como Terapeuta Holístico e vivenciar aos benefícios sentidos, observando a ética e reconhecimento da profissão.

Por: Everson Reis - Terapeuta CRT. 33.896

Publicado em: 01/05/2010

Fonte: http://www.atribunamt.com.br/2010/05/conhecendo-a-digitopuntura/

Um milagre chamado Cromoterapia

A Cromoterapia é uma terapia natural que atribui às cores um significado que pode alterar problemas de saúde, promovendo o alívio sintomático através da cor absorvida pelo corpo. Isso se dá pelo eletromagnetismo, ou seja, o corpo recebe diferentes campos eletromagnéticos da luz e o corpo os absorve em um padrão de vibração interpretado pelo Cromoterapeuta, desenvolvendo o equilíbrio energético, tão imprescindível para a saúde física, mental, emocional e espiritual. É uma terapia que leva em conta todos os níveis do ser humano ( físico, mental, emocional, energético e espiritual), e não apenas os sintomas físicos, já que corpo e mente encontram-se intimamente interligados.

Em 3000 A.C. já se fazia uso das cores no Egito para curar doenças e desenvolver os dons espirituais, através do uso de pedras preciosas, cristais, cores, mantras, perfumes e doação de energia pelas mãos, além da já utilização da água solarizada (garrafas de água envolvidas em papel celofane na cor adequada ao caso). Ainda em 3000 A.C. na Índia, houve grande desenvolvimento dos princípios energéticos que propiciam a cura, fazendo a Cromoterapia parte da Medicina Ayurvédica, que se utiliza de cristais, sons, exercícios respiratórios, alimentos, massagem, mandalas e plantas medicinais que agem sobre as glândulas (aqui chamadas de chacras), e que são os centros de energia do corpo humano.Em 2700 A.C, a China já utilizava as cores na alimentação e no diagnóstico dos desequilíbrios internos.

Em 500 A.C. a Helioterapia (Terapia do Raios Solares) já era bastante utilizada na Grécia e receitada por médicos como Hipócrates ( O Pai da Medicina).Na metade do século XX, nos Estados Unidos, começaram a ser financiadas pesquisas sobre os efeitos das cores, e podemos dizer que o Raio Laser, usado inclusive em cirurgia, é um ótimo exemplo, assim como a medicina tradicional hoje faz uso dos raios infravermelho e ultravioleta. É importante também saber que a NASA realiza importantes pesquisas com as cores no espaço.

No Brasil, hospitais públicos como Lourenço Jorge e Miguel Couto (no Rio de Janeiro) mudaram a cor das paredes dos quartos para verde claro, pois é uma cor que acalma, equilibra a parte emocional e acelera a cicatrização. Muitas empresas contratam Cromoterapeutas para decorar o ambiente de trabalho com cores que atinjam determinados objetivos, como motivação, aumento de produção, concentração, equilíbrio, Raciocínio, reflexo, memória, redução de acidentes, melhor relacionamento entre os funcionários,...

Para conseguir entender melhor como uma luzinha colorida pode alterar o seu estado de saúde torna-se válida essa explicação de como a energia luminosa altera o estado da matéria. Vamos voltar para a escola?Matéria é tudo que tem massa e ocupa lugar no espaço. Toda matéria é composta de átomos, que são a menor porção da matéria. O átomo é composto por uma parte central (núcleo), onde são encontradas duas partículas: o próton (de carga elétrica positiva) e o nêutron ( de carga elétrica neutra). Ao redor do núcleo giram em altíssima velocidade as partículas chamadas elétrons (de carga elétrica negativa). Os átomos ligam-se uns aos outros até formarem uma matéria sólida.

A ciência descobriu que, assim como tudo que existe, os tecidos do nosso corpo são compostos por partícula de energia, sendo então energia. O átomo possui 7 níveis ou 7 camadas, onde os elétrons se encontram aprisionados. Porém, se o átomo for energizado, seja através de calor, luz, etc, os elétrons absorvem essa energia e “pulam” para níveis mais afastados do núcleo. Em um curto espaço de tempo, os elétrons retornam ao nível de onde saíram,mas aí já liberam ou devolvem a energia que absorveram em forma de luz. Esse facho de luz chama-se Fóton ou Quanta de Luz.

Por exemplo: Quando ligamos o interruptor de luz em nossa casa a mola existente dentro da lâmpada (em geral de tungstênio) é composta por átomos. Ao ligarmos o interruptor este energiza os elétrons, que absorvem a energia e pulam para níveis afastados e, ao retornarem, liberam a luz. A luz que você vê na lâmpada é composta por pequeninos fachos de luz liberados por cada elétron.

Albert Einstein descobriu a relação entre matéria e energia, definindo que “Matéria é energia em estado condensado, e energia é matéria em estado luminoso”. Onde queremos chegar? Bem, as células são compostas por átomos, também são matéria/energia e reagem às cores mediante a descarga de hormônios. Mas, por que essa explicação agora? Porque o nosso corpo é igualmente composto de átomos, células, e, ao utilizar as cores, estas iluminam os elétrons que absorvem a energia luminosa, ocorrendo alteração da matéria. A partir do momento em que os elétrons da luz colorida são absorvidos, os doentes são expulsos. Pense na Fotossíntese, em que células especiais nas folhas dos vegetais absorvem a energia luminosa do sol e a transformam em energia química, armazenada na molécula de glicose. O que acontece quando você come aquele vegetal? A energia contida na glicose passa para o nosso sistema de energia e nos serve de combustível para os movimentos, bom funcionamento dos órgãos... A luz solar corre por nossas veias e nervos, proporcionando o bom funcionamento do nosso corpo. Assim, acredito, fica mais fácil compreender a atuação das cores no nosso corpo através da Cromoterapia.

Um corpo não saudável emite vibrações desequilibradas e a cor, através da luz e do ambiente, às vezes na alimentação, atua por meio do sistema nervoso, estimulando a produção de hormônios que controlam o equilíbrio químico e energético do corpo. É uma terapia alternativa que promove um grande bem-estar e, aos poucos, através de entrevistas e acompanhamento, avalia-se os desequilíbrios energéticos existentes. Para tanto, o Cromoterapeuta necessita conhecer bem a história clínica, o estilo de vida, a alimentação do cliente, se concentrar nesses detalhes para captar o estado energético e localizar devidamente o desequilíbrio da cor.

O Cromoterapeuta, em um tratamento à distância, não tem como avaliar as vértebras do cliente, nem irradiar luzes utilizando a Lâmpada de Cromoterapia como em um consultório, onde são aplicadas infinitas técnicas de uso das cores. De qualquer forma, é um tratamento que funciona muito bem com recomendação à distância, quando o terapeuta sugere uso de cores nas roupas, na dieta, na decoração da casa ou do escritório, indicação de pedras curativas para aplicação caseira, músicas terapêuticas para relaxamento, água solarizada, exercícios de visualização e relaxamento físico, que podem ser feitos em casa sem qualquer risco para a saúde. As cores utilizadas na cromoterapia são as mesmas do arco-íris: Vermelho, Laranja, Amarelo, verde, azul, Índigo e violeta, acrescentando-se o Rosa que é excelente para as emoções.

O QUE PODE SER TRATADO COM A CROMOTERAPIA?

Resfriados

Bronquite

Anemia

Dores reumáticas

Diarréia

Prisão de ventre

Distúrbios da Menstruação

Perturbações Renais

Distúrbios Sexuais

Inchaço abdominal

Fígado cansado

Vesícula Biliar

Reumatismo

Eczemas

Indigestão

Enxaqueca

Cansaçofísico/mental

Depressão

Ansiedade

Pânico

Estresse

Angústia

Apatia

Tristeza

Fobias

Insônia

Irritabilidade

Hipertensão

Hemorróidas

Artrite

Artrose

Osteoporose

Dor de dente

Vômito

Tosse

Espasmos

Gripe

Febre

Úlceras

Gastrite

Apendicite

Sinusite

Nevralgias

Zumbidos

Perturbações da visão

Nefrite

Otites

Cistite

Dores ciáticas/lombares

Irritação da pele

Asma

Cólera

Emoções violentas

E muito mais!





Por: Marcia Sampaio

Publicado em: 06/11/2009

Fonte: http://www.webartigos.com/articles/27687/1/Um-milagre-chamado-Cromoterapia/pagina1.html

Nutrientes contidos no pólen das abelhas

Vit.A, Vit B1, Vit B2, Vit B3, Vit B5, Vit B6, Vit C, Vit E, Colina (encontrada também na gema do ovo, sendo um bom antidepressivo natural), Vit P. O pólen constitui-se ainda de: Ácidos graxos 23,6%, Ácido Linoléico 39,4%, Carboidratos 38,2% dos quais 31% é açúcar total e 7,2% celulose, Proteína de 10% a 35%.Sendo rico em hormônios vegetais, tem uma ação efetiva especialmente sobre a próstata. Outras várias substâncias são: o ácido pantatênico, ácido nicotínico, ácido fólico e cianocobalamina. Regula a flora intestinal. É excelente no tratamento de anemias, elevando rapidamente a taxa de hemoglobina no sangue, uma vez que regenera os glóbulos vermelhos.

Mais detalhes: www.corpoealimentos.tk

Por: Everton Sant Anna

Publicado em: 02/06/2010

Fonte: http://www.webartigos.com/articles/39487/1/Polen-das-abelhas/pagina1.html

O Poder das Ervas Chinesas

Os métodos de cura da tradicional medicina chinesa têm sido alvo de grande interesse de universidades e empresas de biotecnologia de países como os Estados Unidos. No centro das atenções estão as preparações à base de ervas, o principal componente de um sistema que inclui massagens, acupuntura e meditação entre seus recursos. Inicialmente, os pesquisadores querem identificar as substâncias medicinais presentes nessas plantas. O passo seguinte será copiar as moléculas em laboratório, sintetizandoas, para criar medicamentos.

Na semana passada, uma pesquisa da Universidade do Texas, nos EUA, revelou os mecanismos de ação de antigas fórmulas chinesas - muitas contendo até 25 ervas - ministradas a pessoas com doenças cardíacas. Após testá-las em animais, os especialistas descobriram a presença de compostos com capacidade de liberar óxido nítrico no organismo.A substância é importante para o relaxamento do tecido fino que reveste os vasos sanguíneos, aumentando seu calibre e facilitando o fluxo sanguíneo. O composto também combate a formação de coágulos e placas que podem entupir as artérias. "Estudos devem ser feitos em humanos, particularmente naqueles com indicações cardíacas", disse Yong-Jian Geng, coautor do trabalho.

O combate ao alcoolismo e aos sintomas da endometriose, doença ginecológica que causa fortes dores pélvicas e que pode levar à infertilidade, está entre as qualidades do herbário oriental recentemente comprovadas.

Contra a compulsão pela bebida, a estrela é a erva kudzu, trepadeira que dá uma bela flor arroxeada, conhecida como puerária. O extrato da planta induz a uma aversão ao álcool, sentido enquanto a pessoa bebe e também depois. Isso ajuda a prevenir as recaídas que acometem cerca de 80% dos pacientes no período de um ano.A daidzina, substância da planta responsável por esse efeito, foi avaliada em ratos. Agora passará por exames de toxicidade e será testada em humanos. "Se o composto for seguro, acredito que a maioria dos médicos não hesitará em prescrevê- lo", disse Ivan Diamond, autor do estudo e vice-presidente da Gilead, uma das maiores empresas de biotecnologia do mundo.

Uma revisão assinada pela organização internacional Cochrane, especializada na análise de pesquisas científicas, concluiu que as ervas chinesas causam menos efeitos colaterais no tratamento de endometriose. O trabalho analisou dois estudos envolvendo158 mulheres. As ervas aliviaram os sintomas da mesma forma que o hormônio gestrinona, usado no tratamento. Mas não desencadearam desconfortos associados ao remédio, como fogachos e aumento de peso.Também ficou demonstrada a ação das plantas até mais intensa do que outro hormônio utilizado, o danazol. "Os resultados sugerem que as plantas chinesas podem ser tão eficientes como alguns tratamentos convencionais para mulheres que sofrem de endometriose. Porém, mais estudos são necessários", afirma Andrew Flower, da Unidade de Pesquisa em Medicina Complementar da Universidade de Southampton, no Reino Unido.

Por: Daniel Machado

Publicado em: 06/11/2009

Fonte: http://www.webartigos.com/articles/27688/1/O-Poder-das-Ervas-Chinesas/pagina1.html

Acupuntura trata asma com sucesso

Asma é uma doença crônica dos pulmões que afeta cerca de 300 milhões de pessoas no mundo inteiro e tem fundo emocional. Embora seja considerada uma doença tratável, cerca de 3000 mortes são registradas por ano só nos Estados Unidos. É também uma das mais comuns doenças que pode ser tratada com acupuntura e fitoterapia. A acupuntura trata diretamente os canais de energia (Qi ou chi), invisíveis, que a Medicina Ocidental (alopática) não conhece. Quando esses canais estão bloqueados, por questões físicas e/ou emocionais, a doença se instala. Como todos os protocolos na Medicinal Oriental, na acupuntura é simples por natureza porque atua holisticamente, tratando o cliente como um todo, sem divisão ou separação entre o corpo, a mente e o espírito (alma e outros sinônimos que a Bíblia traz). Na Medicina Oriental, a asma é considerada apenas um desequilíbrio nos pulmões, rins e estômago porque esses órgãos trabalham em conjunto e dependem um do outro. Os pontos de acupuntura que correspondem ao tratamento da asma estão próximos aos que tratam rins e estômago. Acupuntura é também usada do mundo inteiro para a prevenção de doenças e é recomendável o tratamento nos primeiros sinais de qualquer manifestação dos pulmões, por exemplo. A Organização Mundial da Saúde aponta a acupuntura como tratamento eficaz e positivo para 40 tipos de doenças antes não comprovadas, entre elas a asma. O Departamento de Anestesia da Universidade de Viena conduziu um estudo e concluiu que 70% dos pacientes com asmas submetidos a intenso tratamento com acupuntura tiveram resultados positivos em 10 semanas. A Universidade de Henan, China, também registra estudos conclusivos e comprovativos da eficiência no tratamento de asma em 75% dos casos. Os estudos também apontam que a duração da inserção da agulha faz diferença, assim como o material empregado nas agulhas e o estilo de vida do paciente.

Por: José Joacir dos Santos

Publicado em: 04/06/2010

Fonte: http://www.joacir.com/acupuntura-trata-asma-com-sucesso

As "Essências Florais" induzem ao autoconhecimento

As essências florais contêm energia de alta potência vibratória, de pura luz, extraída de certas flores, que ajudam no desenvolvimento da consciência humana, harmonizam os campos mentais, emocionais e efetuam a conexão com o Eu Superior, a consciência maior.

As essências florais induzem ao autoconhecimento. Somente pelo autoconhecimento é que a consciência humana se transforma e se eleva. A energia do Fogo (raios), contida nas essências florais, tem o poder de elevar a vibração dos elétrons que estruturam os campos físico e suprafísico (mental, emocional e etéreo).

Estas altas energias/luz contidas em certas flores transmutam as energias estagnadas nos elétrons das pessoas causadas pelas posturas mentais ou emocionais negativas. Nesses níveis mais sutis, as essências florais ajudam a desenvolver a percepção de atitudes e de emoções errôneas, tornando a vida das pessoas mais fácil de ser vivida, com harmonia e equilíbrio.

Despertam nas pessoas dons adormecidos, a criatividade e o interesse pelo novo e passam a perceber o sentido da própria vida. Apontam a nova direção a seguir.Através do uso das flores divinamente energizadas, as pessoas passam a assumir a responsabilidade sobre seus próprios problemas, doenças e vida. Na terapia floral a cristalização do bloqueio energético no físico, que é caracterizada pela doença, é vista como oportunidade para o indivíduo se conscientizar do erro que a sua personalidade esta incorrendo. Certas flores atuam especificamente no campo energético para estabelecer e definir limites no nível energético, protegendo desta forma as pessoas de forcas psíquicas que vampirizam, como também protegem as pessoas dos estados de obsessão, da possessão, etc. Dr. Edward Bach, em seu livro “Cure-se sozinho”, publicado por C.W.Daniel Co – 1931, (Escritos selecionados de Dr. Edward Bach – Editora Ground 1991, pág. 60) demonstra que qualquer pessoa deve ter a liberdade de manipular as essências florais para harmonizar-se, harmonizar um animal ou uma planta, como também harmonizar ambientes através de spray. É importante que as essências florais possam ser acessadas por quantos queiram. Na terapia floral o espírito que deve imperar é o da liberdade tanto no uso como na manipulação, como tem se processado até hoje, tanto no Brasil quando em outros países.

O acompanhamento profissional terapêutico enfoca aos que estão sofrendo e aos que necessitam de ajuda para o seu desenvolvimento interno. Origem das essências florais Dr. Edward Bach (1886-1936), médico inglês, foi o descobridor e precursor do uso da modalidade terapêutica através das essências florais, que atuam harmonizando estados negativos emocionais e mentais pela expansão da consciência. Esta modalidade terapêutica atua equilibrando os campos energéticos sutis do ser humano, transmutando os bloqueios energéticos negativos que causam o sofrimento em compreensão, harmonia e proteção. O Dr. Bach constatou que o desequilíbrio mental e emocional gera desordens no campo físico. Desordens físicas estas chamadas de doenças. Dr. Bach descobriu e comprovou através de seus escritos que a doença física é o estágio final de um estado energético em desequilíbrio no campo das emoções (mágoa, raiva, ódio, depressão, pânico, medo, obsessão, etc) e no campo da mente (estresse, preocupação, pensamentos destrutivos, manipulação mental, sadismo, negativismo, etc). Na década de 30, Dr. John Clark, médico inglês e diretor do jornal “Homeopathic World”, publicou vários escritos do Dr. Edward Bach.

O artigo “Algumas considerações fundamentais sobre doença & cura” foi publicado pelo jornal em 1930. Dr. Bach nos demonstra em que campos atuam as essências florais como também nos ensina o correto procedimento da escolha das flores na sintonização das essências florais, para que realmente ocorra a harmonia e o equilíbrio energético nos campos emocional e mental para, a partir daí, resultara plena cura. “A doença serve para nos fazer parar de praticar ações erradas; é o método mais eficaz para harmonizar nossa personalidade com nossa alma. Se não fosse a dor, como poderíamos saber realmente que a crueldade fere? Se não tivéssemos tido qualquer perda, como poderíamos compreender o sofrimento caudado pela falta? Na verdade deveríamos aprender nossas lições no plano mental, salvando-nos do sofrimento físico, mas muitos não conseguem. E assim a doença é enviada para nos trazer ao caminho da compreensão”, Dr. Edward Bach, Journal Homeopathic World, 1930, Editor Dr. John Clark. “Como o meio médico se mostrou resistente em aceitar seu método terapêutico, começou a difundir os medicamentos na imprensa leiga, fr uma maneira simples, de modo que qualquer pessoa pudesse fazer uso dos remédios. A publicação de tal propaganda custou a Bach um processo ético no Conselho Britânico Médico de então e quase expulso dele.

O conselho o deixou em paz até 1936, quando o criticou novamente por estar usando auxiliares leigos em seus atendimentos. Apesar de tudo, o nome de Bach nunca foi retirado dos livros de registro”. Livro: Escritos Selecionados de Dr. Edward Bach – Editora Ground, pág.22. Dr. Adailton Salvatore Meira, médico homeopata, ginecologista e obstetra. A profissão de terapeuta floral A profissão do terapeuta floral prestigiará o indivíduo cuja consciência expressa o dom ou a vontade de ajudar os que sofrem. O terapeuta floral dever trabalhar o autoconhecimento e a intuição. Conhecer e aplicar a filosofia, os ensinamentos e a sistematização da terapia floral do Dr. Edward Bach. Ter conhecimento do processo de atuação das essências florais. Ter conhecimento da anatomia esotérica. Ter conhecimento da contraparte do corpo físico, os corpos sutis: emocional, mental e etérico. Ter conhecimento da atuação das essências florais nos centros de consciência. Estudar os sistemas florais que estejam de acordo com os ensinamentos do Dr. Bach. Apresentar estudo e acompanhamento de três casos clínicos após a especialização de um ou mais sistemas florais nacionais ou estrangeiros. Não é exigida habilidade técnica do terapeuta floral.

O que se exige é um profundo respeito e ética aos clientes. A chave-mestra do terapeuta floral é a intuição. A essência floral não tem contra-indicação. Não possui princípios ativos. O Dr. Edward Bach deixou, através de seus escritos, preciosos conhecimentos, bem como preciosas orientações, tanto aos sintonizadores que viriam após ele quanto aos terapeutas florais. Hoje, a garantia da pureza da terapia floral está sendo mantida através destes seus escritos, como também garantindo que estes conhecimentos cheguem sem distorções às futuras gerações. As Nações Unidas reconhecem a terapia floral A terapia floral foi reconhecida pela Organização Mundial da Saúde em 1956.


Por: José Joacir dos Santos

Publicado em: 12/12/2006

Fonte: http://www.joacir.com/categoria/terapia-floral/page/4/

Ameixa baixa açúcar no sangue

Um benefício positivo da sociedade competitiva dos Estados Unidos foi o desenvolvimento das pesquisas científicas. Enquanto que no Brasil as autoridades de saúde depositam o destino da saúde pública em velhos “conselhos”, nada democráticos, avessos ao que é novo, especialmente contrários ao conhecimento popular e holístico, além de não incentivarem as pesquisas científicas (seus julgamentos têm base no que os laboratórios farmacêuticos ditam) os norte-americanos, inclusive canadenses, pesquisam de tudo. A India também está avançada nas pesquisas científicas de todas as frutas tropicais para o uso na fitoterapia. O mais recente estudo foi divulgado pela Califórnia Prune Board (Algo como uma Sociedade da Ameixa), e publicado em 13/03/2010 pelo jornal indiano Delhi Times, intitulado “O projeto Ameixa”. Segundo esse estudo, a ameixa, já conhecida na fitoterapia (pesquisa ainda não publicada) como desintoxicante para viciados em maconha, além de ser deliciosa, combate colesterol, emagrece, é antioxidante, combate os riscos de doenças cardíacas, pulmonares e da velhice. Duas ameixas por dia proporcionam 4 por cento do ferro necessário ao corpo humano, além de facilitar a absorção do mesmo mineral. Ameixa contém fibras salubres e insalubres, as quais, juntas, baixam o nível do colesterol e da açúcar no sangue. Conhecida como um laxativo natural, a ingestão de ameixas diariamente regula o movimento do bolo fecal. Suas fibras e propriedades antioxidantes também são importantes no processo da menopausa. São já conhecidas como de vital importância nutritiva para adolescentes, mulheres grávidas e envelhecimento precoce. A ameixa também é tida, segundo o estudo, como um apoio à imunidade em geral. Vamos plantar mais ameixa no país inteiro? Por que a ameixa brasileira é tão pequena e cara? Que tal substituir gramados por pés de frutas? O Distrito Federal já planta, há anos, fruteiras nos canteiros da cidade. Até jaca dá nos canteiros e partes de Brasília e a população não depreda!

Por: José Joacir dos Santos

Publicado em: 13/03/2010

Fonte: http://www.joacir.com/categoria/fitoterapia/

Morango, uma poderosa fruta que emagrece

A revista Viva! publicou o que o MORANGO possui de benefícios.
Considerada por muitos como a fruta que possui maior quantidade de antioxidantes. Falar em antioxidante, é falar em desaceleração do envelhecimento e aceleração do metabolismo, com consequente perda da obesidade. Isso graças ao hormônio leptina, que estimula o metabolismo e diminui o apetite. É muito rico em fibras, que fazem absorver o colesterol do sangue da pessoa e eliminá-lo mais facilmente pelas fezes. Devido aos antioxidantes, previne o envelhecimento precoce ao combater os radicais livres, evitando assim o aparecimento de rugas.
O morango também possui:
a) grande quantidade de potássio, fator muito eficaz para reduzir o inchaço no indivíduo.
b) Vitamina C, prevenindo a obesidade e auxiliando na formação do colágeno, deixando a pele mais firme.
c) Rico em pectina, fibra que se mistura ao alimento digerido, regulando o intestino e diminuindo assim a barriga.
d) Possui ácido elágico, substância que impede formação de tumores no organismo.
e) Fibras, diminuindo o apetite.

Por: Everton Sant Anna

Publicado em: 18/06/2010

Fonte: http://www.webartigos.com/articles/40825/1/Morango-fruta-emagrecedora/pagina1.html

O que é Glúten?

Quando escolhemos o título desse artigo, algo soava estranho e era esse “Não” do início, porque a bem da verdade nos acostumamos a ver nas embalagens e rótulos a expressão “contém glúten” – um polêmico aditivo muito presente nas massas, pães e biscoitos que consumimos por estar presente no trigo.

O glúten é uma proteína que está presente em cereais como o trigo, as cevadas, a aveia e combinada com o amido o glúten representa 80% das proteínas do trigo. O glúten que dá a massa a elasticidade, permitindo a fermentação e também é responsável pela consistência elástica esponjosa dos pães e bolos.

Compreendendo melhor o glúten e como ele está presente no “pão nosso de cada dia”, vamos entender um pouco mais sobre o adjetivo polêmico que utilizamos. Comumente temos visto nutricionistas recomendarem dietas de emagrecimento ou por uma alimentação mais saudável que a utilização de pães, massas e biscoitos seja feita com produtos sem glúten.

Segundo especialistas, além da doença celíaca que se caracteriza pela intolerância ao glúten a preocupação está relacionada à absorção e à digestão, pois nosso organismo não metaboliza o glúten em nutrientes. Nesse caso, levamos para o organismo uma substância mal digerida, que vai circular no sangue e aumentar os radicais livres. Outro fator importante presente em estudos recentes é que se ingerido em excesso o glúten causa diminuição da produção da serotonina propiciando o aparecimento de um quadro de depressão.

Sabemos que uma dieta sem glúten no cardápio diário é um desafio. Além dos alimentos a base de farinha, há uma série de alimentos com glúten que nem imaginamos como sorvetes, achocolatados, e outros, pois o glúten é utilizado em diversas receitas para obter a consistência desejada.

Muitos fornecedores preocupados com a qualidade de sua alimentação e de atentos a esse novo grupo de consumidores vêm apresentando opções de produtos sem glúten e a oferta de massas, pães, e , principalmente biscoitos sem o aditivo vem crescendo no mercado. Mas na hora de escolher seus produtos é muito importante estar sempre atento as informações de “contem glúten” ou de “não contem glúten” nas embalagens dos produtos.

CONHEÇA A LEI

GLÚTEN EM ALIMENTOS INDUSTRIALIZADOS:

Lei 10.674 de 16/05/2003 sancionada pelo Presidente Luíz Inácio Lula da Silva, em vigor desde 16/05/2004 institui:

Art. 1º Todos os alimentos industrializados deverão conter em seu rótulo e bula, obrigatoriamente, as inscrições
"Contém Glúten" ou
"Não Contém Glúten",
conforme o caso.

§ 1º A advertência deve ser impressa nos rótulos e embalagens dos produtos respectivos assim como em cartazes e materiais de divulgação em caracteres com destaque, nítidos e de fácil leitura.

§ 2º As indústrias alimentícias ligadas ao setor terão o prazo de um ano, a contar da publicação desta Lei, para tomar as medidas necessárias ao seu cumprimento.


Por: Natural na Rede

Publicado em: 01/06/2010

Fonte: http://www.webartigos.com/articles/39353/1/O-que-e-Gluten-/pagina1.html#ixzz0rbRUKQm0

Stress, depressão, ansiedade, acupuntura e digitopuntrura

O tratamento do stress sem a utilização de medicamentos é uma proposta do método da Acupuntura e vem sendo, cada vez mais, disseminada por profissionais especializados da saúde.
O stress envolve, além da depressão, sintomas físicos e também ansiedade, e, quando em fase aguda, dificilmente a pessoa consegue controlá-lo sem ajuda de um profissional.
O estímulo estressante pode causar uma série de sintomas tanto orgânicos, como de alterações psíquico-comportamentais. Em condições crônicas causa desgaste físico-mental, chegando até gerar doenças degenerativos permanentes.
O tratamento de Acupuntura e a Digitoterapia para o stress e suas manifestações sistêmicas e psicológicas tem apresentado resultados bastantes satisfatórios, pois não há efeitos colaterais relevantes que sejam conhecidos. Em geral recomenda- se de uma a duas aplicações por semana e, em caso de dor muscular, o paciente já sente alívio logo após a primeira aplicação. Já as alterações emocionais e os distúrbios de sono podem levar mais de dez sessões para terem efeito consolidado.
Portanto, o efeito varia de caso pra caso, dependendo da duração de tempo de doença, da causa do stress, e da vulnerabilidade do paciente. Vale esclarecer que a Acupuntura, por meio de estímulo nos pontos pelas agulhas e outros instrumentos, produz uma série de reações locais e sistêmicas resultando alívio dos sintomas de forma imediata ou progressiva.
As ações da Acupuntura só pela via nervosa há liberação de substâncias como a endorfina, dopamina e serotomina em várias regiões do cérebro, resultando em efeito de analgesia, calmante, antidepressivo, relaxamento muscular, melhora das funções dos distúrbios dos órgãos internos e outros.
A medicina chinesa há séculos já mencionava a manter a homeostase do corpo; o indivíduo deve manter a mente calma, exercícios físicos adequados respiração suave e lenta e alimentação equilibrada.
O stress, geralmente, aumenta a pressão arterial e a freqüência cardíaca, contraindo os músculos, vasos sanguíneos, reação que pode ser extremamente prejudicial e dependendo da intensidade vulnerabilidade ao paciente.
Basicamente, afeta o sistema imunológico que é responsável pela defesa do corpo. Sistema nervoso que responde a capacidade de restaurar o reajuste do corpo e sistema endócrino, responsável pela produção hormonal. Por isso as manifestações de sintomas são diversos e individuais.
Sintomas Comuns:
Distúrbios Físicos: Dores de cabeça, indigestão, dores musculares, insônia e aumento má freqüência cardíaca, alergias, distúrbios de sono queda de cabelo, mudança de apetite, gastrite, síndrome do colo cistite, dermatoses, esgotamento físico e outros.
Distúrbios Psicológicos: apatia, menorréia, memória fraca, alteração comportamental, instabilidade emocional, ansiedade e outras doenças psicossomáticas como, psoríase, fibromialgia e outros, perca de prazer, instabilidade sexual (libido) sentimentos de culpa, pensamentos recorrentes sobre morte, suicídio e tantos mais.


Por: Everson Reis

Publicado em: 23/06/2010

Fonte: http://www.atribunamt.com.br/2010/06/stress-depressao-ansiedade-acupuntura-e-digitopuntrura/

Um toque contra a dor

Ao longo de nossas vidas, além de alegrias e tristezas, sentimos também muitas dores. E elas só aumentam com a idade... Na maioria das vezes, somos os principais responsáveis pelo aparecimento delas — como é o caso daquelas provocadas por problemas de coluna, doença crônica que mais afeta os brasileiros. Cerca de 36% da população sofre desse mal; sendo que apenas 68% procuram tratamento, de acordo com a Escola Nacional de Saúde Pública, da Fundação Oswaldo Cruz.

Já as estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS) são de que 80% das pessoas no mundo terão pelo menos algum episódio de dor nas costas durante a vida.

Alex Régis
A terapia com pedras quentes estimula os chacras, gerando um relaxamento mais profundoDores na coluna alteram o humor e prejudicam vários outros aspectos da vida. É também uma das principais causas de ausência no trabalho. O ortopedista Antônio Augusto Santiago Sobrinho comenta que com a evolução da vida moderna o problema tem se tornado até mais frequente, e inclui aí a rotina de trabalho e a má alimentação, já que “à medida em que as pessoas não se alimentam bem, aumentam de peso”.

Ele enumera também como origem das dores de coluna má postura no trabalho, provocada por falhas ergonômicas; e ainda quem trabalha na indústria com movimentos repetitivos. “Estresse também tem influência, pois na medida em que você tem mais ansiedade, a musculatura da coluna tende a somatizar e ficar mais contraturada. É uma região que sofre influência de vários fatores.”

E como tratar? Por ser um problema multifatorial, o tratamento também varia. Medicamentos, fisioterapia, correção postural, pilates; as opções são muitas. Porém, as massagens terapêuticas vêm se destacando. Classificadas como terapias complementares, elas auxiliam às formas convencionais de se tratar dores lombares, dorsais e cervicais. Entre as mais utilizadas estão o shiatsu, a reflexiologia, terapia das pedras quentes, tui-na, massagem ayurvérdica e anti-estresse. “A maior queixa na clínica é a dor de coluna. As pessoas chegam querendo relaxar da dor, mas o relaxamento é consequência do tratamento”, diz a fisioterapeuta Aline Pinheiro.

Massagem elimina a dor, faz relaxar e gera equilíbrio

Entre as principais massagens terapêuticas estão o shiatsu, a reflexologia, terapia das pedras quentes, tui-na, ayurvédica e a antiestresse. A escolha de qual técnica usar depende do problema apresentado pelo paciente, segundo a fisioterapeuta Aline Pinheiro. “O objetivo geral é melhorar o fluxo de energia do corpo, promovendo o reequilíbrio, pois a terapia holística trata o indivíduo como um todo, na parte emocional, física e mental.”

Aline comenta que muitas vezes o paciente já chega à clínica com a massagem previamente escolhida ou prescrita por algum médico. Mas é mais frequente a pessoa chegar com queixa de dor e o terapeuta indica qual tipo de massagem é mais indicada.

É feita também uma anamnese, espécie de investigação detalhada para identificar as causas e a origem do problema. De acordo com a fisioterapeuta, o tratamento com massagem serve para combater diversos problemas como depressão, enxaqueca, síndrome do pânico, além de dores musculares específicas e problemas da coluna, como hérnia de disco, por exemplo.

Mas as dores nas costas representam a maioria dos casos. “A queixa maior são dores lombares e do trapézio, na região entre os ombros e o pescoço, por ser regiões que acumulam mais tensão no dia a dia, provocada pelo próprio estresse diário”, relata Aline Pinheiro.

Ela, porém, ressalta, que as massagens fazem parte do grupo das terapias complementares, auxiliando os tratamentos convencionais e nunca substituindo-os.

Principais massagens

Como já foi citado anteriormente, para cada problema existe um tipo de massagem mais indicada. Porém, a maioria é eficaz para amenizar as dores de coluna. Na Reflexologia, trabalha-se a pressão dos dedos em pontos específicos no pé do paciente, denominados meridianos. Cada um deles corresponde a um órgão ou parte do organismo. Os mais doloridos correspondem ao local do corpo afetado por algum mal. “Se for por hipofunção, estimulamos; se for por hiperfunção, anestesiamos pela pressão”, comenta a fisioterapeuta, indicando ser necessária uma sessão por semana, num total de dez para a conclusão do tratamento. “Mas com seis sessões já aparecem os efeitos positivos.”

Shiatsu é outro tipo de massagem também baseada na pressão dos dedos do terapeuta sobre o paciente; além do peso do próprio corpo do profissional da área. Nesse tipo, são trabalhados todos os meridianos corporais. “Mas é uma pressão de acordo com a sensibilidade de cada um, suficiente para o paciente não reclamar. Não é uma sessão de tortura.”

Também agindo nos pontos meridianos e também nos chacras — canais por onde circula a energia vital pelo corpo humano, segundo a filosofia oriental —, a massagem Tui-Na tem como função primordial dissipar a tensão muscular. Aline Pinheiro comenta ser essa modalidade mais vigorosa que as outras, além de trabalhar mais o alongamento dos membros. De origem chinesa, ela se assemelha com a tradicional Ayurvédica, indiana, principalmente por agir por deslizamento pelo corpo com o auxílio de óleos vegetais e essenciais.

Ainda mais vigorosa e até mesmo dolorosa, a massagem Ayurvédica apresenta várias técnicas de abordagem, restabelecendo o fluxo de energia e libertando as toxinas presas aos músculos e tecidos, promovendo o equilíbrio corporal, como ensina a fisioterapeuta Aline Pinheiro.

Outra massagem de origem indiana também executada por Aline é a de Pedras Quentes. Aquecidas a uma temperatura média de 28 graus centígrados, elas são colocadas por sobre os chacras, estimulando esses pontos e as reações que eles regem. São pedras vulcânicas que retêm calor, podendo ser usadas fixas ou massageando o corpo. “Há pedras frias também; mas as quentes promovem um relaxamento mais profundo. Elas tratam até mesmo perda de peso”, diz a fisioterapeuta.

Médicos ainda resistem na hora de recomendar as massagens

A maioria das dores surgem por desequilíbrios causados por nós mesmos. Nós somos os principais responsáveis por elas, segundo Aline Pinheiro. E isso compromete vários outros aspectos de nossa vida. Não se consegue trabalhar direito, estudar ou até mesmo dormir. Em alguns casos, até parado dói. “Melhorando isso, melhora o resto. É bom até mesmo para a auto-estima”, comenta a fisioterapeuta.

Os primeiros toques do terapeuta no corpo do paciente podem ser dolorosos, devido à crise. Mas a dor desaparece com o desenrolar do tratamento, gerando benefícios cumulativos.

Mas enquanto não é tratado a origem do bloqueio de energia que está causando o desconforto, não é possível avançar rumo à cura. “Trabalhamos os pontos que incomodam mais. De acordo com a medicina oriental, há um bloqueio no fluxo de energia quando você adoece. A massagem melhora a canalização dessa energia para todo o corpo”, diz a profissional.

Apesar de estar cada vez mais difundida, a massagem como tratamento terapêutico alternativo ainda encontra alguma resistência. Apesar de seus resultados positivos, alguns médicos não a prescrevem, segundo Aline Pinheiro, por puro receio de perder os pacientes — já que muitos alegam ter procurado outras formas de tratar-se, tomado vários medicamentos e não ter obtido êxito.

As mulheres são maioria, mas os homens já estão procurando mais, como informa a terapeuta. “Mas há um certo pudor deles de tirar a roupa, embora nossa clínica seja divida em alas feminina e masculina.”



Por: Isaac Ribeiro

Publicado em: 27/06/2010

Fonte: http://tribunadonorte.com.br/noticia/um-toque-contra-a-dor/152535

Acupuntura pode ser uma boa aliada no combate ao calor da menopausa

É bastante comum que as mulheres na fase da menopausa se queixem das ondas de calor repentinas. Segundo estatísticas, o popular "fogacho", atinge 75% das mulheres nesta fase da vida.

Em um estudo recente apresentado na Sociedade Americana de Radiologia Terapêutica e Oncologia, pesquisadores apontaram a acupuntura como grande aliada na diminuição destes sintomas. Segundo eles, a terapia de origem oriental é tão eficaz quanto o medicamento Venlafaxina, antidepressivo indicado para as mulheres na menopausa. Ao contrário do medicamento, que apresenta alguns efeitos colaterais ruins como náuseas, dor de cabeça e aumento da pressão arterial, o tratamento por acupuntura não apresenta reações danosas às mulheres.

O estudo realizado em Detroit compreendeu o acompanhamento de 47 mulheres que sofriam com os sintomas da menopausa. Durante 12 semanas, algumas foram submetidas ao tratamento com a droga e outra com acupuntura. E o resultado segundo o líder da pesquisa, Dr. Eleanor Walker, concluiu que o tratamento com acupuntura foi tão eficaz quanto o com Venlafaxina no controle dos sintomas da menopausa, incluindo os afrontamentos e suores noturnos.

O presidente da Associação Brasileira de Acupuntura do Rio de Janeiro (ABA-RJ), Dr. Márcio de Luna, concordou com o estudo: "A contribuição da acupuntura na menopausa e nos fogachos é sensacional".

De acordo com Luna, o tratamento acupuntural deve ser realizado duas vezes por semana até acabar com os sintomas ou minimizá-los ao máximo. Os pontos utilizados no tratamento ficam na região compreendida entre o cotovelo e as mãos e entre os joelhos e os pés, com alguns poucos pontos também na orelha.


Por: O Dia on line – Caderno Ciência e Saúde

Publicado em: 30/06/2010

Fonte: http://odia.terra.com.br/portal/cienciaesaude/html/2010/6/acupuntura_pode_ser_uma_boa_aliada_no_combate_ao_calor_da_menopausa_92590.html

Acupuntura reduz vícios

Quem diria que a acupuntura, técnica chinesa criada há cerca de 5 mil anos, poderia ajudar pessoas com dependência ao cigarro e à bebida.

A Fisioterapeuta e Acupunturista Dra. Daniele Veiga - credenciada no Conselho de Fisioterapia e formada pela Associação Brasileira de Acupuntura (ABA) - tem obtido bastante êxito no tratamento de pacientes com estes vícios via acupuntura. A técnica milenar consiste em colocar agulhas em pontos específicos do corpo e do lóbulo da orelha (Auriculoterapia).

Primeiramente, a doutora realiza um minucioso diagnóstico do paciente, onde busca relacionar motivos físicos, orgânicos e emocionais que estão levando a pessoa ao vício. "Através do estímulo de pontos estratégicos, no corpo e na orelha, é possível controlar a ansiedade, regular o sono, a compulsão pelo cigarro e a bebida. Junto com a técnica para reduzir o vício, trabalho, fundamentalmente, com o equilíbrio do lado emocional do paciente", explica a especialista.

Após a sessão, que dura em média uma hora, e deve ser feita semanalmente, o paciente volta para casa com os pontos estimulados na orelha com pequenas agulhas auriculares ou sementes de mostarda cobertas por esparadrapo.

"É incrível, logo após a primeira sessão de acupuntura, a pessoa passa a não sentir tanto prazer ao fumar ou beber. Alguns relatam que sentem gosto muito desagradável ao fumar ou ingerir álcool. Dando continuidade semanal ao tratamento, o paciente pode reduzir ou até mesmo parar com o vício. Já temos muitos casos de sucesso.", afirma a acupunturista.

Por: Jornal O Serrano (Serra Negra/SP) - Seção Notícia Local

Publicado em: 15/06/2010

Fonte: http://www.oserrano.com.br/mais.asp?tipo=Local&id=16454

Climatério: Equilíbrio pode ser alcançado com terapia complementar "Florais de Bach"

O climatério é o período que antecede a menopausa, última menstruação da mulher. Trata-se de uma fase em que algumas mulheres apresentam sintomas físicos e emocionais que modificam – e até atrapalham, em alguns casos – suas atividades pessoais e profissionais. Informações foram passadas por meio de Assessoria de Imprensa.

Há tratamento alopático para o período, que varia conforme os sintomas apresentados, sempre prescrito por um médico especializado. Porém, é possível complementar o tratamento tradicional com o uso de Florais de Bach originais. A terapeuta floral e educadora Maria Aparecida das Neves comenta a questão: “é preciso entender e diagnosticar como a mulher está se sentindo neste momento, já que existe um conjunto de sensações que influenciam o momento. A variação hormonal e o período de transição da atual para a nova fase da vida podem sim trazer complicações emocionais tratadas pelos Florais de Bach”. Ela exemplifica:

- O climatério é o momento em que a palavra de ordem é alteração. E se trata se uma alteração em toda a vida, que exige muita adaptação. Por isso, a essência floral indicada é Walnut, que prepara cada ser para momentos de transição e adaptação. Em qualquer preparo com os Florais de Bach originais para climatério, o Walnut precisa fazer parte.

- Quando a sensação é o nervosismo que leva a mulher a temer os eventos do dia a dia, Mimulus é o floral indicado. Ele afastará o medo das atividades cotidianas.

- Se a agitação é o que faz a mulher no climatério perder o controle, o floral Cherry Plum promove o equilíbrio e restaura a paz.

- Quando o sono é sono agitado, perturbado pelas ondas de calor e irritação, Impatiens é o floral indicado, já que neutraliza a irritação e acalma.

- O floral Larch, por sua vez, ajuda mulheres que se sentem constrangidas, que não têm confiança em si mesmas e que sentem que todos os olhares estão sobre si. Se elas apresentam insegurança quanto à própria capacidade, Larch trará confiança e aumentará a auto-estima.

- O período também pode fazer com que a mulher sinta-se feia, inadequada, obsessiva e negativa com relação à própria aparência. Para elas, o floral Crab Apple é o indicado.

- Uma queixa bastante comum é a letargia e a fadiga. Mulheres cheias de vida que se sentem esmagadas por tais sintomas precisam da essência floral Hornbean, que dá energia vital extra.

Maria Aparecida das Neves explica que os Florais de Bach originais tratam os sentimentos que levam o corpo a emitir sintomas. Não se trata de medicamento, mas de uma terapia complementar que pode ser usada por adultos, crianças, animais e plantas, sem quaisquer restrições.

Mais sobre os Florais de Bach

O médico inglês Edward Bach, na década de 30, descobriu um sistema universal de cura: os chamados Florais de Bach. A cura, neste caso, não era física, mas sim emocional, afinal, para ele a desordem dos sentimentos e emoções se refletia em malefícios no corpo – uma constatação, atualmente, muito fácil de entender.

Os Florais de Bach são 38 essências feitas a partir de plantas e florais, ‘gotinhas’ que ajudam as pessoas a administrar as pressões emocionais do dia-a-dia e as que surgem motivadas por alguma situação específica – perdas, traumas, etc. Com as emoções em ordem, é possível ter um corpo saudável, livre de qualquer mal.

Bach identificou 38 estados negativos da mente como medo, incerteza, solidão e desalento, entre outros. Para cada estado de ânimo ele encontrou uma planta e criou uma essência floral para tratá-lo.

A chave para receitar as essências é justamente reconhecer como a pessoa está se sentindo e verificar qual essência corresponde com o estado de espírito descrito. É o passo mais importante para equilibrar as emoções. São muitos os relatos de pacientes que, ao tomarem floral, conseguiram controlar seus sentimentos e passaram a aproveitar melhor a vida.

O sistema criado por Bach tem ainda outras vantagens: é totalmente natural, não é algo caro e não têm contra-indicação. Esta forma de tratamento tem sido utilizada, cada vez mais, por terapeutas e pessoas comuns que buscam o equilíbrio com a ajuda de métodos naturais.


Por: Jornal de Vinhedo - Seção Comportamento

Publicado em: 22/06/2010

Fonte: http://www.jornaldevinhedo.com.br/interna.php?idc=1,0,3977

A dor na terapia oriental e suas múltiplas raízes

A dor é um dos mais importantes assuntos em qualquer medicina. Por isso, é extremamente importante que nós profissionais de qualquer terapêutica, compreendamos por completo o assunto da dor, assim como a conduta apropriada em relação a ela.

A 20 anos, mais de 6.000 profissionais de saúde de mais de 100 países se tornaram membros da International Association for the Study of Pain para explorar, compreender e examinar em profundidade o controle da dor , onde gerou-se fontes fiéis de tratamento e de certa forma até criou-se "jurisprudência" a nível mundial. Já se passaram 20 anos desde o início deste importante fato, porém o controle total controle da dor ainda é um desafio constante a qualquer prestador de cuidados primários e secundários da saúde.

Um célebre mestre em terapias chinesas Dr. Sun Peilin dedicou anos de sua vida ao estudo e a composição de toda a etiologia e diferenciação de síndromes dolorosas, no processo de conduzir tratamentos profundos e eficazes da dor por meio da TTC (Terapêutica Tradicional Chinesa), compilando trabalhos e experiências de milênios extraídas de manuscritos terapêuticos e práticas clínicas desde a era antiga até os dias de hoje.

Nos últimos 25 anos testemunhou-se um fenomenal crescimento do interesse pela TTC pelos países ocidentais em especial os Estados Unidos e França que despontaram como pioneiros da implantação destas terapias, fora dos limites asiáticos. Muitos fatores contribuíram para isso, mas um acontecimento em especial parece ter trazido a acupuntura de vez para o ocidente. Foi quando o presidente dos EUA Richard Nixon acompanhado pelo jornalista James Reston visitava à China. Reston escreveu um artigo no New York Times, na primeira página onde falava sobre a cirurgia de emergência que o presidente teria passado de apendicectomia e no controle pós-cirúrgico da dor onde foi utillizada a acupuntura, com uma melhora rápida e até então surpreendente e novo aos ocidentais. Intrigados pelo relato de Reston , os médicos de todo o mundo ocidental começaram a visitar os hospitais chineses para observar este e outros tratamentos orientais lá praticados. Este fato teria mostrado ao ocidente a capacidade da acupuntura para aliviar a dor. Por certo, este aspecto foi o que mais chamou a atenção para o seu estudo em profundidade por parte do ocidente. Talvez de forma não surpreendente tais fatores tenham contribuído para uma idéia errônea a respeito da técnica, a idéia que o tratamento da dor seria relativamente simples e empírico, já que a simples prática puntural local e com o uso da moderna teoria dos pontos–gatilhos parecia ser tudo que a terapêutica oriental chinesa milenar tinha a oferecer. Esqueceu-se porém, que esta prática tinha uma riqueza e profundidade tanto na teória quanto prática justamente pelo fator tempo, milênios de estudo e uso, comprovando sua eficácia, mas por motivos econômicos e políticos, apesar de ser uma das terapias de cura mais antigas do mundo,tenha ficado tanto tempo somente naquela região do mundo. A insersão das agulhas, ou o uso de determinadas ervas constitui um refinado processo de análise e diferenciação, sendo que o tratamento mais eficaz pode ser determinado apenas por meio desse processo. A base deste processo é a compreensão da teoria Ben Biao, ou seja ,( raiz, ramificação ou manifestação). Esta teoria ,aplicável inúmeras vezes na prática diz que a mesma manifestação (Biao) pode ter diferentes raízes( Ben), por exemplo uma lombalgia de acordo com este princípio,pode ser decorrente de Frio –Umidade, Estagnação, Excesso, Deficiência , fatores ambientais externos ou desequilíbrios internos. Caso o tratamento enfoque apenas o sintoma em si ou a causa aparente, seu efeito será reduzido, sendo menos eficaz e mais temporário, mesmo que se utilizem métodos cirúrgicos para a resolução da dor. Por meio de métodos de diferenciação de síndromes, se procura combinar o tratamento raiz com o tratamento dos sintomas aparentes, por meio do qual o tratamento será intensificado. Independente do quadro de dor, o objetivo sempre que possível é tratar distúrbios em todos os seus aspectos, para oferecer muito mais que um alívio. Há casos de dor que podem gerar até um desconforto psicoemocional ao passo que o contrário também é verdadeiro.

Atualmente estes métodos, antigos na sua natureza, mas modernos na sua atuação, tem beneficiado centenas de milhares de pessoas em todo o mundo no alívio da dor, em suas mais variadas manifestações. Este mal, um desafio contínuo para os meios que promovem a saúde que mostra-se em todo e qualquer ser humano em algum estágio da vida, seja ele rico ou pobre, culto e analfabeto, homem eu mulher.


Por: Lucas Fach - O Barriga Verde On Line - Seção Colunistas G. Hoffmann

Publicado em: 05/07/2010

Fonte: http://www.adjorisc.com.br/jornais/obarrigaverde/colunistas/g-hoffmann/a-dor-na-terapia-oriental-e-suas-multiplas-raizes-1.313209

Descubra qual é a hora certa para ingerir chás emagrecedores e calmantes

Uma simples xícara de chá proporciona manutenção da saúde, protege o corpo contra agressões de diversas doenças, tonifica o organismo, auxilia na digestão e reforça o fígado e o sistema endócrino.

Segundo as profissionais do Instituto Brasileiro de Naturologia, apesar de seus benefícios, a ingestão de chás não deve ultrapassar um litro por dia. Também não é recomendável abusar de determinadas ervas, pois o efeito benéfico poderá se perder.

“Os chás são importantes, quando tomados de acordo com a necessidade de cada indivíduo. É fundamental ressaltar também que não se deve fazer proveito de ervas sem o perfeito conhecimento de seus efeitos colaterais e da correta dosagem”, afirma Rosana Batestusso, diretora do Instituto.

Veja as funções e melhor horário para tomar os chás mais consumidos:

Chá verde é interessante quando consumido morno, após as principais refeições. Estudos mostram que sua utilização ajuda a emagrecer, pois acelera o metabolismo. Atenção: o chá verde não deverá ser tomado após as refeições em casos de anemia. Nessas situações, consuma nos intervalos das refeições e não depois delas;

Chá de hortelã, menta, camomila, orégano ou carqueja devem ser tomados próximo às refeições, pois ajudam quem tem problemas estomacais ou difícil digestão, além de ser um auxílio importante quando se exige tratamentos para diminuir a indesejável barriguinha;

Chás estimulantes do apetite precisam ser utilizados pelo menos 30 minutos antes das refeições. Mas somente se você deseja engordar;

Chá de gengibre aumenta a atividade celular e imunológica, o que é ótimo para perder peso. É também antibacteriano e fungicida. O chá deve ser feito com apenas 3 cm da raiz em 1 litro de água, fervido por 10 minutos e abafado por mais 10.

Por: Monique dos Anjos

Publicado em: 24/06/2010

Fonte: http://www.abril.com.br/blog/dieta-nunca-mais/2010/06/descubra-qual-e-a-hora-certa-para-ingerir-chas-emagrecedores-e-calmantes/

Cães "medrosos" fazem terapia para enfrentar fogos de artifício em jogos

Todo jogo do Brasil é dia de tormento para Mel. Com a explosão dos fogos de artifício, ela tentou o "suicídio" duas vezes. Só não morreu, tadinha, porque pulou da sacada do primeiro andar.

O medo de rojões da cadela vira-lata de 4 anos é tanto que, no jogo contra a Coreia do Norte, na terça, ela conseguiu abrir a porta e fugiu. Só foi achada tempos depois.

Para aliviar traumas como o de Mel, canis têm usado CDs de sons de fogos de artifício, acupuntura e homeopatia com florais de bach.

Entre os problemas enfrentados pelos cachorros estão fuga, enforcamento nas coleiras ou morte por torção de estômago e convulsões.

"Ela comeu a rede de proteção da varanda e pulou", diz a farmacêutica Tatiana Gaban, dona da Mel. A cachorra já tomou até dramin e maracujina, sem sucesso.

Outra medrosa em tratamento é Flora, uma golden retriever de 7 anos. "Quando passa perto de uma corneta ou qualquer coisa que remeta aos jogos, ela sai correndo. Tenho medo de ela ter um ataque do coração", diz Fábio Ribas Molinari, o dono.

O fisioterapeuta teve de comprar uma caixa de transporte, onde Flora se sente mais segura, para trancá-la nos dias de jogos no segundo subsolo da garagem.

Segundo os tratadores, o medo vem da maneira como os animais foram "sociabilizados" quando eram filhotes e nada tem a ver com a raça.

"Donos não podem mostrar preocupação e ansiedade nos jogos para não passar insegurança para os cães", diz Raquel Hama, dona do canil Dogwalker.

O tratamento contra o pânico, feito ao longo do ano, custa R$ 70 por sessão, e os florais são aplicados ao menos 15 dias antes dos jogos.

"Nesta época de Copa, recomendamos colocar algodões nos ouvidos e tocar música. Meu cão adora Rita Lee", afirma Marta Carmello, veterinária acupunturista.


Por: Mídia News - Seção Cotidiano

Publicado em: 19/06/2010

Fonte: http://www.midianews.com.br/?pg=noticias&cat=3&idnot=25445

"Cólicas menstruais" - Cólicas menstruais podem ser aliviadas com acupuntura, garante estudo coreano

Que a acupuntura – técnica criada na pré-história da China- é excelente para a saúde, por estimular pontos do organismo, isso já é sabido. O que se comprovou agora por estudiosos da Coréia, é que a terapia que usa agulhas é excelente também para aliviar cólicas menstruais. O distúrbio atinge cerca de 50 % das mulheres em idade reprodutiva em todo o mundo. Os 27 estudos com mais de 3 mil mulheres concluiram que as agulhadas podem ser mais eficazes do que analgésicos e suplementos naturais.

Segundo os cientistas coreanos, a acupuntura é ótima para tratar a dor por estimular a produção de endorfinas e serotonina no sistema nervoso central. No estudo que foi publicado no Journal of Obstetrics and Gynaecology, comprovou-se que a técnica oriental diminui a dor de forma mais eficaz do que os analgésicos convencionais. O órgão americano National Institutes of Health (NIH) recomenda a acupuntura como uma das formas de controlar a dor causada pelas cólicas.



Por: Equipe Bem Star

Publicado em: 09/07/2010

Fonte: http://bemstar.globo.com/index.php?modulo=corpoevida_mat&type=5&url_id=3350

Acupuntura é Excelente Tratamento da Insônia

A insônia é um problema que afeta a qualidade de vida de milhões de brasileiros e a primeira atitude que se deve ter é buscar a causa. Existem muitos fatores que podem desencadear a insônia como: preocupações, excesso de consumo de álcool, fumo ou cafeína, asma, obesidade, síndromes das pernas inquietas, maus hábitos diários entre outros. É muito importante procurar um médico assim que perceber algum sintoma do problema para realizar um diagnóstico correto e preciso.

A acupuntura, técnica milenar chinesa, tem se mostrado um tratamento eficiente na luta contra a insônia, notando-se melhora a partir da primeira sessão. Na opinião da Dra. Aparecida Enomoto, especialista no assunto, "a insônia é o início de várias doenças, pois ela causa irritação, inquietude, cansaço mental, além de vários problemas físicos, emocionais e sociais, causando síndromes e deixando a pessoa cansada, mal humorada e excessivamente preocupada com qualquer assunto".

Antes de iniciar o tratamento de acupuntura é necessário realizar vários exames para descartar patologias graves, para então realizar a primeira sessão, com duração de duas horas. Essa primeira sessão é muito importante para conhecer a história do paciente e fazer uma avaliação detalhada sobre os pontos a serem tratados. No restante do tratamento, a Dra. Aparecida indica 12 sessões, sendo que cada uma tem duração média de 40 minutos. A acupunturista ainda lembra que é necessário um controle e acompanhamento para que o problema não volte.


Por: José Bonamigo - Rádio Progresso - Seção Saúde

Publicado em: 08/07/2010

Fonte: http://radioprogresso.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=23012:acupuntura-e-excelente-tratamento-da-insonia-&catid=25&Itemid=50

"Acúmulo de funções aumenta o estresse entre as mulheres"

Felipe Torres
Jornal Hoje em Dia:

Estudo revela que 52,8% das entrevistadas têm rotina apertada entre trabalho, filhos e casa. Dormir bem, fazer exercícios e alimentar-se bem combate o estresse; atividades como YOGA e REIKI também são indicadas

O relógio marca 7h e Renata Gonçalves, 29 anos, já está de pé. Moradora do Bairro Havaí, Região Oeste de Belo Horizonte (Minas Gerais), ela não demora muito para se produzir, pois às 8h em ponto, com ou sem trânsito complicado, o trabalho a espera em uma concessionária de máquinas, localizada no Bairro Califórnia, Região Noroeste da capital. E assim que a jornada de negócios termina, às 17h30, Renata retorna apressada à sua residência. O tempo é calculado. Minutos depois, o destino será o curso universitário de Gestão Comercial.

Vou deitar quase meia-noite, exausta. É tanta pressão que o estresse me parece inevitável.

Renata é apenas mais uma das brasileiras que se revelam cada vez mais estressadas, segundo pesquisa da seguradora SulAmérica Saúde. O último levantamento mostra que o número de mulheres que sofrem com o estresse passou de 50,6%, em 2008, para 52,8% no ano seguinte. Isso significa que mais de 13 mil das 24.708 entrevistadas em 12 estados do Brasil, incluindo Minas, afirmaram viver uma rotina “apertada”, que acabou interferindo na saúde mental e física.

O acúmulo de funções, as cobranças e os desafios vividos pelas mulheres são apontados pelo professor de Psiquiatria da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), Maurício Viotti, como as principais causas dessa percentagem significativa. Viotti acrescenta que a mulher, além de lidar com as obrigações inerentes ao trabalho, muitas vezes ficam presas às responsabilidades do ambiente familiar.

Elas têm que cuidar da casa, dos filhos e dos maridos. Sem falar na disputa profissional e cotidiana, que envolve o trânsito, as contas e frustrações. Isso ocasiona uma sobrecarga, e a maioria não consegue suportar o excesso de informações e tarefas.

É preciso encontrar atividades que aliviam o estresse
Regina Borges, 60 anos, lamenta ter se conscientizado tarde, após testar todos os seus limites. Por mais de 25 anos acumulando o papel de mãe de três filhos e o desgaste do emprego em uma empresa mineradora, a aposentada lembra que nem ligava para a sua qualidade da vida.

Hoje, faço sessões de REIKI e YOGA. Consigo relaxar e aliviar a minha mente, o que vem me ajudando muito. Mas, nas últimas décadas, prejudiquei o meu lado social. Vivia estressada, irritada e de mau humor. Sentia também enxaquecas e um vazio constante dentro de mim, já que dormia pouco, era ansiosa e não tinha vontade de fazer nada.

E é para esses sintomas que o professor Maurício Viotti insiste em chamar a atenção. Segundo ele, tanto as mulheres quanto os homens altamente estressados correm o risco de desenvolver outros tipos de doença.

O estresse afeta as glândulas (produção de hormônios), desestabilizando o organismo e órgãos vitais. Portanto, a sensação de ‘esgotamento’ e nervosismo pode levar à falta de imunidade, úlceras, problemas cardíacos e de pressão arterial, entre outras enfermidades”, detalha Viotti.

Um estudo da bióloga Ana Cristina Magalhães, ex-doutoranda da UFMG, divulgado neste semestre pela Universidade de Ontário, no Canadá, reforça ainda que os comportamentos do estresse e de disfunções psíquicas – depressão e a ansiedade, por exemplo – possuem relação direta entre si.

Mas, então, diante das dificuldades do dia a dia, é possível prevenir e combater o estresse? Maria José Marinho traz a resposta na ponta da língua: “sim”. Professora de yoga e reiki, ela fala com a propriedade de quem recebe em sua clínica muitos adultos, jovens, crianças e idosos, de ambos os sexos, que buscam relaxamento e “um pouco de paz”.

A primeira coisa é saber dosar e absorver os obstáculos rotineiros, valorizando o convívio com os amigos, a família, ou seja, os momentos de lazer. Dormir bem, se exercitar, alimentar de forma saudável, evitar o fumo e bebidas alcoólicas também são lições fundamentais.

O professor de Psiquiatria Maurício Viotti avaliza as palavras de Maria José e aconselha, como complemento ao tratamento médico, as práticas terapêuticas alternativas. MASSAGENS, ENERGIZAÇÃO, YOGA e ESPORTES, segundo ele, “revigoram as pessoas e as estimulam a enfrentar as exigências cotidianas”.

O número de estressados também cresceu 5,6% em 2009 no universo masculino. Mais de 30% dos 41.500 entrevistados pela pesquisa (em 2008 foram 26.011) disseram sentir estresse. Segundo, isso causa nos homens, em geral, sintomas como cansaço, irritação, baixo apetite sexual, falta de concentração e resfriados consecutivos.

A diferença em relação às mulheres é que os homens não absorvem as requisições do lar.


Por: Portal R7 - Seção: Notícias/Saúde

Publicado em: 19/06/2010

Fonte: http://noticias.r7.com/saude/noticias/acumulo-de-funcoes-aumenta-o-estresse-entre-as-mulheres-20100619.html

Portimão(Portugal): Doentes com Cancro recorrem mais a Terapias Complementares

Os doentes com cancro recorrem cada vez mais às terapias complementares. Esta foi uma das principais conclusões do Seminário de Terapias Complementares em Oncologia, realizado no passado sábado, em Portimão.

O evento foi organizado pelo Núcleo de Psicologia da Associação Oncológica do Algarve (AOA) e, segundo os responsáveis, “foi um autêntico sucesso”, contando com presença de cerca de 130 participantes, entre técnicos de saúde, pacientes e familiares, vindos de todo o Algarve e não só.

“Algumas das conclusões mais significativas que foram retiradas no final do dia poderiam ser resumidas da seguinte maneira: os doentes com cancro recorrem cada vez mais às terapias complementares; os médicos convencionais deveriam aprofundar os seus conhecimentos sobre as terapias complementares e estarem mais abertos para as debater com os seus pacientes; a alimentação correcta, o exercício físico apropriado e a gestão correcta do stress diário e dos traumas emocionais do passado podem contribuir para a prevenção e tratamento do cancro; a medicina tradicional chinesa pode dar um contributo importante no tratamento e prevenção do cancro; o CHI KUNG, a MEDITAÇÃO e o REIKI são terapias simples e acessíveis que os doentes podem aprender e utilizar regularmente para manter ou melhorar a sua qualidade de vida”, resumem os responsáveis da AOA(Associação Oncológica do Algarve) .

O seminário contou com o apoio da Junta de Freguesia de Portimão, Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio e Teatro Municipal de Portimão.


Por: NCouto - Jornal do Algarve

Publicado em: 13/07/2010

Fonte: http://www.jornaldoalgarve.pt/2010/07/portimao-doentes-com-cancro-recorrem-mais-a-terapias-complementares/

Sucos para Desintoxicar e Revitalizar!

Desintoxicar, limpar o organismo: Sucos nos fins de semana e durante a semana uma dieta sólida a sua escolha.

Os sucos podem ser tomados a cada 2 ou 3 horas.

Se fôssemos citar todos os sucos existem ficaríamos eternamente aqui neste post, então escolhemos alguns mais citados no momento. Pela eficácia e benefícios ao nosso corpo. Escolha os que mais lhe convir, ou inove e crie outros.

Usar adoçantes ao invés de açúcar.

Suco Anti celulite: Poderoso diurético que elimina as toxinas do corpo

Ingredientes:
1 copo (200 ml) de água l
1/3 de abacaxi
1 maçã com casca
1 um pedaço pequeno de gengibre picado

Suco Emagrecedor: Sacia a fome e é rico em vitaminas
1 copo (200 ml) de água
1 maçã ou 1 banana (pode optar por uma das duas, ou metade de cada)
1 col. (sopa) de linhaça
1 col. (sopa) de gérmen de trigo

Suco diurético e moderador de apetite.
144 calorias

Ingredientes:
100 g de salsão
100 g de erva-doce
75 g de abacaxi

Suco energético e refrescante.
212 calorias

Ingredientes:
2 peras
250 g de abacaxi
½ lima sem casca

Suco de ameixas: para ajudar quem tem problemas de prisão de ventre.

Ingredientes:
5 ameixas-pretas secas
1 laranja com o bagaço
1 copo (200 ml) de água mineral
2 col. (sopa) de semente de linhaça
1 fatia média de mamão formosa

Suco de clorofila: elimina as toxinas do sangue e aliviar a irratabilidade,
diminui a ansiedade e o nervosismo

Ingredientes:
1 maçã
2 colheres de linhaça
3 folhas de, couve, espinafre, maxixe, chicória ou almeirão
1 legume de sua escolha, pode ser cenoura, abobrinha ou beterraba
folhas de hortelã
aipo e mel a go

Suco para desintoxicar e revitalizar o corpo, excelente para o brilho da pele

Ingredientes:
3 partes de cenoura
1 copo de água filtrada
½ colher de chá de gengibre
1/2 maçã

Suco para reduzir o colesterol e na prevenção do câncer.Além de ajudar no mal estomacal e dores de cabeça.

Ingredientes:
1 copo de água filtrada
1 xícara de chá de maçã
1 porção de salsão (a gosto)
1/3 de pepino

Suco para evitar o mal hálito e melhorar o aspecto da pele.

Ingredientes:
1 copo de água filtrada
1 xícara de chá de cenoura
1 xícara de chá de maçã
1/2 tomate

Suco excelente para os rins e a bexiga. Ajuda a eliminar o excesso de sal no corpo.

Ingredientes:
1 copo de água filtrada
1 xícara de chá de melancia
1 xícara de chá de maçã
1 xícara de chá de abacaxi

Suco vitaminado: rico em vitamina C, vitamina B2.

Ingredientes:
200 ml de leite
1 xícara de chá de uvas
1 colher de sopa de mel
1 xícara de chá de melancia

Suco digestivo que ajuda a regular o nível e açúcar no sangue.
Peras contra a constipação, úlceras, o trato urinário, febre e tosse.
Bananas para a pressão alta e retenção de líquidos, além de ajudar no bom humor.

Ingredientes:
1 copo de água filtrada
1 banana
1 pera

Suco anti-oxidante ajuda na pressão alta.

Ingredientes:
1 copo de água filtrada
1 xícara de chá de manga
1 xícara de chá de de maçã
1 xícara de chá de pera
1 xícara de chá de cenoura

Suco Antinflamatório, rico em ferro e digestivo.

Ingredientes:
1 copo de água filtrada
1 xícara de chá de abacaxi
1 xícara de chá de uvas escuras

Suco de maçã com cenoura, beterraba e aipo, aumentando o poder desintoxicante e ajuda no PH do sangue.

Suco de uva: também antioxidante. Diminui o colesterol, ajuda o sistema circulatório.

Suco de morango, misturado com melancia poderosa diurético, melhora a circulação.

Suco de abacaxi, figo e gengibre: diminuem o colesterol e favorecem o trabalho da vesícula biliar.

Suco de pêra e banana, associados com alface: Ploblemas de insônia.

Suco de maracujá: calmante.

Suco de mamão: bom funcionamento dos intestinos.

Suco de laranja com couve: Contra a anemia, rico ferro e vitamina C .

Suco de abacaxi, maçã, cenoura e gengibre: Contra à celulite.



Por: Espaço Criativo Sementes - Terapias Alternativas

Publicado em: 11/07/2010

Fonte: http://somostodosum.ig.com.br/clube/artigos.asp?id=22750

Massagem Indiana libera estresse através de pisões no corpo

Para quem não consegue liberar a tensão com banho quente ou sessões de quick massage, está se popularizando no país uma técnica que tem origem em tradições ligadas a artes marciais indianas, a massagem Kalari. O nome deriva do sânscrito e se refere a uma das tradições mais antigas do mundo.

A técnica é baseada nos ensinamentos da medicina ayurvédica e traz exercícios de ioga, respiratórios e de meditação. Em alguns momentos, o paciente é literalmente pisado pelo terapeuta, pois não só as mãos são usadas no tratamento revitalizante, que dura cerca de uma hora e meia.

Além de relaxante a massagem proporciona eliminação de líquidos e toxinas, ativa o metabolismo, aumenta a imunidade e contribui para o processo de rejuvenescimento conta Ceila Portilho Maciel, terapeuta indiana do Spa Posse do Corpo, no Rio de Janeiro.

Segundo a especialista na técnica, a massagem Kalari é indicada para manutenção geral da saúde corporal e psíquica, reduz tensões emocionais e musculares, estimula a circulação sanguínea e linfática, além de proporcionar o bom funcionamento dos órgãos.

Os movimentos não são padronizados e mudam de acordo com o paciente, pois idade, necessidades imediatas e eventuais problemas de saúde conduzem o tratamento.

A técnica é indicada para atletas, bailarinos, praticantes de artes marciais e, em geral, para todas as pessoas que precisam ter um corpo mais flexível, além de quem sofre de insônia e quer se livrar dos sintomas do estresse.

Por: Michelle Achkar - Terra - Seção: Vida e Saúde

Publicado em: 06/07/2010

Fonte: http://saude.terra.com.br/interna/0,,OI4546688-EI1497,00-Massagem+indiana+pisa+na+pessoa+para+liberar+estresse.html

Alimentação saudável desde cedo proporciona mais saúde e qualidade de vida

Manter uma alimentação saudável é fundamental para a saúde, além de evitar doenças na idade adulta.

A base para uma vida saudável consiste em uma alimentação correta e balanceada para garantir boa produção de energia e manutenção do metabolismo do organismo. Por isso, é preciso começar desde cedo a prestar atenção na dieta alimentar que, quando deixada de lado, pode causar doenças ainda na infância e que acompanharão a pessoa nas demais fases da vida.

Segundo Gisele Rocha, nutricionista da Lightsweet, empresa especializada no desenvolvimento de alimentos diet, light e zero açúcar, os carboidratos promovem energia suficiente para a realização de atividades no dia a dia e as proteínas trabalham na reestruturação de células e tecidos, crescimento e manutenção do esqueleto, além das enzimas e hormônios. Os lipídeos transportam as vitaminas lipossolúveis, A, D e K, que também fornecem energia para o organismo. As vitaminas e os minerais são essências reguladoras, que desempenham importante função no bom funcionamento de intestino, contribuindo também na formação de ossos, dentes e cartilagens.

Para cada fase da vida existe uma necessidade energética e nutricional que deve ser respeitada dentro das condições de cada organismo. Já nos períodos de enfermidades, a demanda nutricional se altera e requer cuidado redobrado e diferenciado durante a alimentação.

Adolescência - Essa é a fase mais complicada de se manter uma alimentação saudável, pois é quando os jovens consomem quantidades elevadas de doces, açúcares, refrigerantes e alimentos gordurosos. É importante que durante este período seja mantida uma dieta balanceada de acordo com as necessidades nutricionais dos jovens, que é maior devido às alterações hormonais.

Outros fatores em questão são a bulimia nervosa e anorexia nervosa, em que os jovens se submetem a diversas formas de perder peso e, com isso, acabam causando esses transtornos alimentares. É muito importante que os pais estimulem seus filhos a consumir cada vez mais alimentos saudáveis.

Dicas de alimentos para a adolescência.: Adoçante: Adoçante Lowçucar Blenda com Sucralose é o adoçante que possui o sabor mais próximo do açúcar, pois é feito com sucralose, oriundo da cana-de-açúcar.

Adoçante a base de Glicosídeos de Steviol: Sóstevia Lowçucar - 100% Natural – o Adoçante Sóstevia é composto pelos edulcorantes naturais extraído das folhas da Stevia rebaudiana. A Stevia é uma planta da América Latina, usada há séculos pelos índios Guaranis para adoçar suas bebidas.

Pastilhas: Drops Lowçucar - Zero Açúcar é isento de sacarose (açúcar de cana). É indicado para todas as pessoas.

Pó para Preparo de Sobremesa Sabor Leite Condensado – Zero Açúcar Não contém açúcar em sua composição e pode ser utilizada em diversas receitas.

Lightsweet - Fundada em 1990, a Lightsweet, empresa 100% brasileira, atua no segmento de alimentos light, diet e zero açúcar. É detentora das marcas Magro, Lowçucar, Stevia Plus, SóStevia, e Blenda com Sucralose e no mercado food service comercializa produtos das linhas Lowçucar e Sabor Max, totalizando 150 itens em seu portfólio global.


Por: Revista Fator

Publicado em: 15/07/2010

Fonte: http://www.revistafator.com.br/ver_noticia.php?not=124604

Açúcar adicionado está associado a aumento de pressão

Um novo estudo sugere que alimentos com alto teor de açúcar adicionado pode aumentar o risco de pressão alta. Pesquisadores analisaram dados para 4,538 adultos sem histórico de hipertensão que participaram da Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição, de 2003 a 2006. Aqueles que consumiram pelo menos 73,7g por dia de frutose na forma de açúcar de mesa ou xarope de milho com alto teor de frutose tiveram o dobro do risco de apresentar pressão sistólica mais alta que 160 (o número que fica acima na medição, que significa a pressão sanguínea quando o coração está bombeando, não deve ficar acima dos 120).

"A pressão sistólica é o que realmente interessa aos médicos, porque está relacionada a resultados, e seu aumento pode ser dramático, disse o Dr. Michel Chonchol, professor associado de medicina do Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Colorado, em Denver, e principal autor do artigo, publicado no The Journal of the American Society of Nephrology.

Mas Chonchol alertou que mais pesquisas são necessárias para provar que a frutose adicionada desempenhou um papel causal sobre a hipertensão. "Isso precisa ser provado com o próximo passo, que é um teste controlado randomizado", ele disse.

A Associação Americana do Coração recomenda limitar a quantidade de alimentos e bebidas com açúcar adicionado. Numa declaração do ano passado, a associação disse que "evidências emergentes, porém inconclusivas" sugerem que "o aumento da ingestão de açúcar adicionado possa aumentar a pressão sanguínea".

Por: The New York Times

Publicado em: 13/07/2010

Fonte: http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI4563413-EI8147,00-Acucar+adicionado+esta+associado+a+aumento+de+pressao.html

Dieta contra a gripe

Com o frio intenso chegado ao Rio Grande do Sul é hora de intensificar os cuidados para evitar gripes e resfriados tão comuns esta época.

Refeições balanceadas, ricas em vitaminas e minerais, são um santo remédio para fortalecer o sistema imunológico, aumentando a resistência às bactérias e vírus.

Uma dieta nutritiva, além de prevenir essas doenças, ainda ajuda a encurtar a duração delas quando contraídas, uma vez que as defesas orgânicas conseguem trabalhar de maneira mais eficaz contra esses agentes externos indesejados.

Confira, a seguir, como colocar em prática uma dieta contra a gripe. As orientações são de Jocelem Salgado, doutora em Nutrição e presidente da Sociedade Brasileira de Alimentos Funcionais (SBAF), da nutricionista Karine Oliveira Daud, coordenadora da Equilibrium Consultoria em Nutrição e Bem-Estar, de São Paulo, e Daniela Kappes, médica e nutróloga de Caxias do Sul.

Água
Beber muita água é essencial porque ela hidrata o organismo, faz o transporte de nutrientes para as células e a remoção de resíduos do metabolismo. Se, com o frio, é difícil engolir um copo d’água, opte por chás, chimarrão e sopas.

Alho
Contém uma substância chamada alicina que é antibacteriana e antiviral. Pode ser introduzido na alimentação como tempero ou, se bem tolerado, em forma de chá.

Brócolis
É fonte de ácido fólico, vitamina A e E. Fortalece a imunidade, protege o cérebro e previne o câncer, segundo um estudo da Universidade de Pittsburgh. Outros alimentos que possuem propriedade semelhantes são: espinafre, couve e feijão.

Carne vermelha
É fonte de proteína e vitaminas B6 e B12, importantes na formação de anticorpos. Também são boas fontes desses nutrientes: frango, ovos e leguminosas.

Castanha-do-pará
É fonte de vitamina E, selênio e zinco, que retardam o envelhecimento das células. Fortalece a imunidade. Um dos estudo da Universidade de Loma relaciona o seu consumo ao baixo índice de obesidade e doenças coronárias.

Cogumelo Shitake
Contém lentinana, que estimula a produção e a atividade dos glóbulos brancos, defensores do organismo.

Gengibre
Tem poderes antioxidantes, antiinflamatórios e atua como protetor do organismo. Iogurte Estudos científicos mostram que os lactobacilos presentes no iogurte recuperam a flora intestinal e fortalecem o sistema imunológico.

Laranja
A cor amarela indica que a fruta é rica em vitaminas A e C, antioxidantes naturais. Um estudo do Instituto Americano de Saúde mostrou que a vitamina C fortalece a imunidade e previne o câncer. Além da laranja, são boas fontes: cenoura, mamão, goiaba, damasco e beterraba.

Peixes
Peixes de águas profundas, como sardinha, salmão e atum, são ricos em ácidos graxos Ômega-3 e melhoram o sistema imunológico. Também reduzem o risco de doenças cardiovasculares e antiinflamatórias.


Por: Clic RBS - Seção: Vida Saudável

Publicado em: 14/07/2010

Fonte: http://wp.clicrbs.com.br/vidasaudavel/2010/07/14/dieta-contra-a-gripe/?topo=87,1,1,,,87

Melhores estratégias no enfrentamento do diabetes

Por enquanto, o diabetes não tem cura, uma vez detectado, ainda é para sempre. Entretanto, para nosso alento, essa não é mais uma fatalidade para aqueles grupos classificados como “de risco”, como pessoas obesas e aquelas descendentes de pais diabéticos.

“Diabetologistas de todo o mundo, reunidos na Flórida, EUA, em junho passado, durante o 70º Congresso da Associação Americana de Diabetes (ADA) puderam assistir a diversas apresentações, conferências, debates e palestras que reforçaram a possibilidade de prevenção do diabetes através de modificações no estilo de vida, os famosos Programas de Prevenção do Diabetes (PPD)”, afirma a endocrinologista Ellen Simone Paiva, diretora do Citen, Centro Integrado de Terapia Nutricional.

“Esses programas conseguem reduzir em até 58% a incidência do diabetes tipo 2, a forma mais comum da doença em populações altamente susceptíveis, aliando medicações sabidamente preventivas, como a metformina, dietas com o objetivo de alcançar pequena perda de peso (7% do peso corporal) e atividade física de 150 minutos por semana”, explica Ellen Paiva.

A detecção precoce

Nos países mais desenvolvidos que o nosso, as doenças são analisadas em relação ao custo financeiro que elas representam para o Estado. Isso não significa ser cruel ou insensível à dor causada a uns poucos por doenças raras. Significa ser responsável em relação à cobertura do sistema de saúde em relação ao diabetes, uma doença avassaladora que assusta pela progressão do acometimento à população e pelas seqüelas entre os que sobrevivem.

Por esta ótica, outro importante ponto discutido no congresso anual da Associação Americana de Diabetes (ADA), foi a apresentação dos dados de vários estudos que comprovaram que o rastreamento do diabetes em populações de risco economizaria recursos a curto prazo, mesmo levando em conta o custo da medicação e dos exames falsos positivos. “Os testes utilizados no rastreamento do diabetes podem ser variados, de acordo com as peculiaridades de cada paciente, indo desde a glicose medida no sangue em jejum até testes mais sofisticados como curvas glicêmicas e a chamada hemoglobina glicosilada. Nestes testes, a glicose é medida no sangue, após a exposição do paciente a uma quantidade padronizada de açúcar. Essa avaliação é sempre mais acurada e detecta o diabetes nas pessoas cuja glicemia de jejum pode ainda ser normal. Já a hemoglobina glicosilada tem a capacidade de medir a média da glicemia no sangue durante os últimos 3 meses”, explica a médica, Mestre na área de Nutrição e Diabetes pela USP.

Toda essa investigação é muito importante, uma vez que quanto mais cedo pudermos intervir no estado de saúde desses pacientes, mais eficientes e seguras serão as possibilidades de tratamento dos mesmos. “Tendo em vista o fato de que a perda da função do pâncreas é progressiva, quando fazemos o diagnóstico do diabetes por conta do aparecimento dos sintomas, a doença já estará avançada ao ponto do paciente haver perdido cerca de 80% da sua capacidade de produzir insulina”, alerta Ellen Paiva, diretora do Citen.

Isso reforça a necessidade de programas governamentais mais abrangentes no Brasil, visando a prevenção do diabetes nas pessoas de risco e a detecção precoce da doença, tendo em vista que nos países em desenvolvimento, o diabetes irá avançar com um grau de progressão maior do que nos países desenvolvidos.

CONTATO:

www.citen.com.br

http://twitter.com/Citensp





Por: Márcia Wirth - Segs Portal Nacional - Seção: Notícias / Saúde

Publicado em: 15/07/2010

Fonte: http://www.segs.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=14304:-melhores-estrategias-no-enfrentamento-do-diabetes&catid=47:cat-saude&Itemid=328

Doenças cardiovasculares tendem a aumentar no inverno

A mudança de estilo de vida com a chegada do inverno e as baixas temperaturas faz com que a população troque a academia e os exercícios físicos pelo sedentarismo à frente da televisão. Mas essa troca, nada saudável para o corpo humano, pode levar ao excesso de peso e ao aumento das doenças relacionadas ao coração.

“O frio aumenta a pressão sanguínea porque as artérias ficam mais estreitas, o que afeta o sistema circulatório. Isso explica porque nesta época do ano temos um maior número de doenças cardíacas que afetam a população”, explica André Langowiski, cardiologista da Secretaria de Estado da Saúde.

Doenças cardiovasculares, como o acidente vascular cerebral (AVC) e o infarto, estão entre as principais causas de morte no País, segundo dados do Ministério da Saúde. Com o inverno, a incidência de infarto – provocado pela obstrução das artérias que nutrem o coração – tende a aumentar o que faz do dele um grande fator de risco.

Além disso, a hipertensão é outro vilão. No inverno, as pessoas acabam se alimentando mais e ingerindo, principalmente, alimentos mais calóricos e ricos em gordura. “Por isso, é importante que a população que sofre de hipertensão mantenha uma alimentação saudável e consuma pouco sal. A prática de exercícios regulares, não apenas para os hipertensos, também ajuda em um melhor funcionamento do organismo”, afirma.

De acordo com Langowiski, os índices normais de pressão arterial de um adulto são de 12 por 8. “A partir de 14 por 9 já podemos considerar essa pessoa como hipertensa”, acrescenta Langowiski que recomenda cuidados redobrados com a pressão nesses meses de frio. Outros fatores como o tabagismo e o estresse também podem ser considerados como fatores de risco cardiovascular.

No Brasil são cerca de 33 milhões de hipertensos, a maioria idosos e adultos. “Não há um fator específico que explique o motivo de essas faixas etárias serem as mais atingidas, mas podemos verificar que uma alimentação de forma errada, a obesidade e a falta de exercícios durante a juventude são fatores que aumentam a probabilidade de crianças, quando adultas desenvolverem uma maior chance de terem a doença”, conclui.

Por: Agência de Notícias - Estado do Paraná

Publicado em: 15/07/2010

Fonte: http://www.aen.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=57881&tit=Doencas-cardiovasculares-tendem-a-aumentar-no-inverno

"Acupuntura e Reiki agora têm explicação científica"

Pesquisadores avaliam efeitos e mecanismo de terapias alternativas em animais de laboratório

Pesquisas recentes comprovam efeitos benéficos e até encontram explicações científicas para acupuntura e reiki. Estudos sobre o assunto, antes restritos às universidades orientais, ganharam espaço entre pesquisadores americanos, europeus e até brasileiros. Recentemente, a Organização Mundial de Saúde (OMS) criou uma denominação especial para esses métodos: são as terapias integrativas.

Um artigo exmecanismo da acupuntura contra a dor foi publicado por pesquisadores da Universidade de Rochester na revista Nature Neuroscience em 30 de maio. Criada há quatro mil anos, a prática consiste na aplicação de agulhas em pontos do corpo. Pela explicação tradicional, ela ativa determinadas correntes energéticas para equilibrar a energia do organismo.

Cientificamente, as agulhas teriam efeitos no sistema nervoso central (cérebro e espinha dorsal). As células cerebrais são ativadas e liberam endorfina, um neurotransmissor responsável pela sensação de relaxamento e bem-estar. O estudo dos nova-iorquinos descobriu uma novidade: a terapia, que atinge tecidos mais profundos da pele, teria efeitos no sistema nervoso periférico. As agulhas estimulam também a liberação de outro neurotransmissor, a adenosina, com poder antiinflamatório e analgésico.

No experimento com camundongos com dores nas patas, cientistas aplicavam as agulhas no joelho do animal. Eles constataram que o nível de adenosina na pele da região era 24 vezes maior do que o normal e que houve uma redução do desconforto em dois terços.

A equipe tentou potencializar a eficácia da terapia, colocou um medicamento usado para tratar câncer nas agulhas. A droga aprimorou o tratamento: o nível de adenosina e a duração dos efeitos no organismo dos aniamis praticamente tripliquase triplicou e o tempo de duração dos efeitos no organismo dos ratos também triplicou. Mas este método não poderia ser feito em humanos porque o medicamento ainda não é usado clinicamente. “O próximo passo é testar a droga em pessoas, para aperfeiçoá-la ou para encontrar outras drogas com o mesmo efeito”, diz Maiken Nedergaard, coordenadora do estudo.

Reiki

Seus praticantes acreditam nos efeitos benéficos da energia das mãos do terapeuta colocadas sobre o corpo do paciente contra doenças. Para entender as alterações biológicas do reiki, o psicobiólogo Ricardo Monezi testou o tratamento em camundongos com câncer. “O animal não tem elaboração psicológica, fé, crenças e a empatia pelo tratador. A partir da experimentação com eles, procuramos isolar o efeito placebo”, diz. Para a sua pesquisa na USP, Monezi escolheu o reiki entre todas as práticas de imposição de mãos por tratar-se da única sem conotação religiosa.

No experimento, a equipe de pesquisadores dividiu 60 camundongos com tumores em três grupos. O grupo controle não recebeu nenhum tipo de tratamento; o grupo “controle-luva” recebeu imposição com um par de luvas preso a cabos de madeira; e o grupo “impostação” teve o tratamento tradicional sempre pelas mãos da mesma pessoa.
Imposição de mãos nos grupos "Controle-Luva" e "Impostação", respectivamente (imagens retiradas do mestrado de Monezi)
Depois de sacrificados, os animais foram avaliados quanto a sua resposta imunológica, ou seja, a capacidade do organismo de destruir tumores. Os resultados mostraram que, nos animais do grupo “impostação”, os glóbulos brancos e células imunológicas tinham dobrado sua capacidade de reconhecer e destruir as células cancerígenas.

“Não sabemos ainda distinguir se a energia que o reiki trabalha é magnética, elétrica ou eletromagnética. Os artigos descrevem- na como ‘energia sutil’, de natureza não esclarecida pela física atual”, diz Monezi. Segundo ele, essa energia produz ondas físicas, que liberam alguns hormônios capazes de ativar as células de defesa do corpo. A conclusão do estudo foi que, como não houveram diferenças significativas nos os grupos que não receberam o reiki, as alterações fisiológicas do grupo que passou pelo tratamento não são decorrentes de efeito placebo.

A equipe de Monezi começou agora a analisar os efeitos do reiki em seres humanos. O estudo ainda não está completo, mas o psicobiólogo adianta que o primeiro grupo de 16 pessoas, apresenta resultados positivos. “Os resultados sugerem uma melhoria, por exemplo, na qualidade de vida e diminuição de sintomas de ansiedade e depressão”. O trabalho faz parte de sua tese de doutorado pela Universidade Federal do Estado de São Paulo (Unifesp).

E esses não são os únicos trabalhos desenvolvidos com as terapias complementares no Brasil. A psicobióloga Elisa Harumi, avalia o efeito do reiki em pacientes que passaram por quimioterapia; a doutora em acupuntura Flávia Freire constatou melhora de até 60% em pacientes com apnéia do sono tratados com as agulhas, ambas pela Unifesp. A quantidade pesquisas recentes sobre o assunto mostra que a ciência está cada vez mais interessada no mecanismo e efeitos das terapias alternativas.

Por: Bruna Bernacchio - Revista Galileu

Publicado em: 14/07/2010

Fonte: http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI152042-17770,00-ACUPUNTURA+E+REIKI+AGORA+TEM+EXPLICACAO+CIENTIFICA.html

Acupuntura ameniza os efeitos da TPM

O nervosismo aumenta, o mau humor é evidente e as crises de choro são para lá de comuns. A tensão pré-menstrual, mais conhecida como TPM, teima em aparecer todos os meses. Além da instabilidade emocional que incomoda (e muito!) quem está por perto, traz cólicas, retenção de líquidos, dores de cabeça. A boa notícia às mulheres e, claro, aos maridos, namorados e filhos, é que a acupuntura promete amenizar esses problemas.

A técnica acredita na existência de uma circulação de energia vital pelo corpo e seu excesso ou falta ocasiona os incômodos. "Quando há excesso, a mulher pode sentir cólicas superficiais e ficar mais explosiva, por exemplo. No caso de falta, as dores são mais profundas e a pessoa fica mais introspectiva", disse o terapeuta em acupuntura Almir de Carvalho, proprietário da Reabilita Terapias Naturais, de Santo André, em São Paulo.

Para equilibrar a situação, de maneira geral, as agulhas são espalhadas por pontos específicos da barriga próximos ao umbigo, do pé, da cabeça e da orelha. Assim, a acupuntura busca regular o sistema nervoso, o funcionamento do fígado e os hormônios.

Carvalho sugere um tratamento de oito a dez sessões, sendo uma por semana. Depois, seria interessante a manutenção mensal, na semana anterior à menstruação. "É interessante que haja mudanças em alguns hábitos alimentares. Vale evitar enlatados e bebidas geladas. Devem preferir alimentos mais próximos do natural possível."


Por: Patricia Zwipp - Saúde Terra - Seção: Vida e Saúde

Publicado em: 16/07/2010

Fonte: http://saude.terra.com.br/interna/0,,OI4568710-EI1497,00-Acupuntura+ameniza+os+chatos+efeitos+da+TPM.html

"Como neutralizar traumas psicológicos" - Acupuntura radiônica uma nova opção

Diante das correrias do dia a dia, e dos problemas normais, mas dolorosos que enfrentamos, como perdas, mortes, separações, mudanças rápidas de vida as quais todos estamos expostos e à mercê, muitos casos tem deixado cicatrizes em nosso interior, fica a pergunta: como neutralizar as más recordações e as conseqüências físicas e mentais dos traumas psicológicos? Como reduzir , ansiedade, preocupações, medos, depressão, mágoas e outros "fantasmas" que rondam nossas mentes em maior ou menor grau todos os dias.

Estas são questões que surgem diariamente nos consultórios dos profissionais de saúde. Psicólogos, médicos ,psiquiatras, terapeutas, e inúmeros outros profissionais muitas vezes mostram-se de mãos atadas frente à este crescente problema. No ramo da psiquiatria o arsenal terapêutico farmacológico em geral está na indicação de antidepressivos e calmantes que tem por objetivo corrigir dopaminas e serotoninas, mudando a química cerebral. Entretanto, muitas vezes as pessoas se adaptam ao medicamento e as doses precisam ser aumentadas e o pior, na grande maioria dos casos os problemas não foram enfrentados nem resolvidos. Para psicólogos e psicanalistas que são profissionais habilitados no tratamento da mente humana as sessões muitas vezes tem se mostrado eficientes em outras infelizmente isto não ocorre, persistindo certos traumas por anos e anos.

Para os acupunturista e auriculoterapeutas isto não é diferente, para haver qualquer mudança interna, é precisam ser equilibrados o Yin e o Yang. As pessoas precisavam passar por 10 a 20 sessões, muitas vezes associadas à Fitoterapia Sinobrasileira.

Agora, felizmente esta história começa a mudar, depois de vários anos de estudo, e pesquisas, surgiu um novo instrumento para ajudar na resolução destes problemas de modo não invasivo, indolor, rápido e eficiente. Foi descoberto recentemente que certos cristais tem a capacidade de guardar programação mental e radiônica. Engenheiros elétricos e renomados pesquisadores descobriram este feito à poucos anos e passaram a programar radionicamente esferas de cristal de quartzo para serem aplicados nos pontos de acupuntura do corpo e da orelha aumentando o seu efeito. Tais esferas, quando programadas, e feito um trabalho de condução mental específico tem a propriedade de neutralizar os traumas psicológicos! A chamada acupuntura radiônica apaga rapidamente lembranças e reações desagradáveis. Têm facilitado bastante os trabalhos dos acupunturistas e auriculoterapeutas, e beneficiado muitos pessoas, assim como auxiliado sobremaneira nas sessões de psicoterapia. Um cristal radiônico usado num ponto de acupuntura além do efeito fisiológico normal,induz nele uma freqüência igual ou superior a 800 angstron,isso quer dizer que há um aumento expressivo da potencialidade no uso dos pontos de acupuntura, seja em problemas físicos ou emocionais, diminuindo o número de sessões e levando à rápida resolução de problemas que antes demoravam anos.


Por: Raquel da Cruz - O Barriga Verde On Line

Publicado em: 19/07/2010

Fonte: http://www.adjorisc.com.br/jornais/obarrigaverde/colunistas/g-hoffmann/como-neutralizar-traumas-psicologicos-acupuntura-radionica-uma-nova-opc-o-1.317804

Acupuntura é técnica milenar que auxilia as pessoas a terem maior qualidade de vida

Todos os dias do ano deveriam ser usados para as pessoas cuidarem da saúde, mas nem sempre é isso que acontece. Com a correria do dia a dia isso é fácil esquecer e descuidar de problemas corriqueiros. O Dia Nacional da Saúde [05/08], surgiu com a idéia de incentivar todos os brasileiros a cuidarem da sua saúde, não somente indo ao médico quando doente, mas aprendendo a exercer a prevenção, a ter uma vida regrada com alimentação adequada à base de verduras, frutas, proteínas, evitar excesso de gordura e carboidrato e ingerir muita água, praticar atividades físicas, controlar a ansiedade e estresse, e sempre separar um tempo para o lazer.

Muitas vezes os tratamentos tradicionais provocam efeitos colaterais e ainda podem causar outros problemas para o paciente como irritações no estômago e alergias. A Acupuntura tem se mostrado muito eficiente para tratar distúrbios como: insônia, ansiedade, falta de libido, dores, síndrome do pânico, controle dos sintomas de Mal de Alzheimer, entre outros. O principal objetivo da técnica segundo a Dra. Aparecida Enomoto, especialista no assunto, é tratar o ser humano como um todo, como conseqüência existe uma melhora significativa nos problemas que o indivíduo possui. Cada paciente é diagnosticado individualmente através de uma avaliação detalhada para conhecer o histórico e evolução da doença e assim, determinar o melhor tratamento, tempo e pontos a serem escolhidos.

Perfil- A Dra Aparecida Enomoto, graduada em MTC – Medicina Tradicional Chinesa, com especialização em Acupuntura pela Universidade de Medicina Tradicional de Beijing e em fisioterapia, com especialização em UTI Respiratória no Brasil, coloca-se à disposição para colaborar em matérias e conceder entrevistas sobre suas especialidades. [www.acupunturaenomoto.com.br].

Por: Portal Fator Brasil - Seção: Notícias

Publicado em: 22/07/2010

Fonte: http://www.revistafator.com.br/ver_noticia.php?not=125504

Acupuntura ajuda quem passa por quimioterapia

Pesquisa desenvolvida pela USP há três anos trata efeitos colaterais de pacientes com câncer

O tratamento com acupuntura melhora a qualidade de vida de pacientes que estão passando por quimioterapia. O resultado faz parte de uma pesquisa da Escola de Enfermagem da USP-RP. A acupuntura funciona como terapia complementar e diminui os efeitos colaterais da quimioterapia, como náuseas, perda de apetite e dor no corpo, além de ajudar no equilíbrio emocional dos pacientes.

A pesquisa é realizada em pacientes do hospital Beneficência Portuguesa há três anos. A professora responsável pela pesquisa, Namie Okino Sawada, diz que a terapia complementar faz parte do avanço da medicina. “Antes a preocupação era prolongar a vida de um paciente, agora a medicina acha necessário também melhorar a vida desse paciente que passa por tratamento com efeitos muito significativos.”. Silvia Helena de Almeida Magalhães, 60 anos, participa da pesquisa há dois anos. Ela fez quimioterapia por um ano e meio para tratar de um câncer no mediastino (região torácica do corpo). “Os benefícios são tão evidentes que meu médico se surpreendia, pois eu era a única paciente que nunca reclamava.”

O estudo mostra que os pacientes que recebem a terapia complementar uma vez por semana são beneficiados com efeitos curativo e preventivo. “Aqueles pacientes que vêm uma vez por semana para a aplicação das agulhas têm o fim dos efeitos colaterais existentes e já estão se prevenindo de possíveis efeitos nas próximas sessões de quimioterapia”, disse a pesquisadora, Adriana Cristina Nicolussi.

A médica responsável pela aplicação das agulhas, Liyoko Okino, diz que a técnica busca o equilíbrio tratando dores agudas e crônicas, melhorando a imunidade do paciente e o emocional. “A acupuntura melhora o potencial de autocura do paciente e para isso é preciso que ele esteja em equilíbrio físico e emocional.” (Maria Carolina Freitas)

Atendimentos são no Gaceon

Os atendimentos aos pacientes com câncer são feitos no Grupo de apoio ao Centro Especializado de Oncologia da Beneficência Portuguesa (Gaceon). A entidade, sem fins lucrativos, existe há 15 anos e funciona ao lado do hospital. O Gaceon tem cerca de 30 voluntários e oferece serviços como fisioterapia e atendimento psicológico, além de cursos como costura e bordado. A entidade oferece também café da manhã e lanche no período da tarde. Joana D'arc de Sá, 40, procurou pelo tratamento indicada por uma amiga e está otimista com os resultados. “Vim com muita força de vontade, pois acabei de fazer uma sessão de quimioterapia e estou sentindo todos os efeitos colaterais, mas acredito que vai ser muito bom.” Todos os serviços realizados pelo Gaceon são mantidos por doações. “Quem puder ajudar nós agradecemos, porque oferecemos tudo gratuitamente”, disse a presidente da entidade, Rosângela Valim. O Gaceon fica na rua Bernadino de Campos, 118. (MCF)


Por: Gazeta de Ribeirão - Seção: Notícias

Publicado em: 25/07/2010

Fonte: http://www.gazetaderibeirao.com.br/conteudo/mostra_noticia.asp?noticia=1698227&area=92020&authent=0281EDAA892470BB38E631199DC9B0

Dez maneiras de controlar a pressão alta

A hipertensão arterial ou, simplesmente pressão alta, é gatilho certo para uma série de males - e não só aqueles que envolvem o sistema circulatório. “Normalmente, um paciente com pressão igual ou superior a 140/90mmHg é diagnosticado como hipertenso. São pessoas mais sujeitas a sofrer com falhas no coração, nos rins e até no cérebro” explica o cardiologista Enéas Rocco.

A doença é crônica (não tem cura, mas pode ser controlada) e, por isso, é importante fazer exames regulares para detectar como andam seus batimentos cardíacos. Mas atenção: ter pressão alta não é sinônimo de ser hipertenso.

“Para ser considerado hipertenso, o paciente tem de permanecer com a pressão mais alta do que o normal” , diz o médico. Isso porque, momentaneamente, qualquer pessoa está sujeita a uma variação na freqüência cardíaca. Um esforço físico mais intenso ou momentos de estresse, por exemplo, alteram esses números.
Algumas atitudes, no entanto, ajudam não só a prevenir o problema como controlam níveis já elevados de pressão. Confira a seguir uma lista delas e imprima uma marca saudável ao seu dia a dia. Fonte: Minha Vida

Manutenção do peso ideal - o sobrepeso aumenta dificulta o esforço do coração para conseguir bombear o sangue. Na prática, o músculo é exigido demais. “Como o bíceps de quem levanta peso, o coração de uma pessoa obesa acaba hipertrofiado” , explica o cardiologista. Com um risco: as lesões causadas pelo esforço excessivo podem se tornar irrecuperáveis.

Medicamentos se o médico recomendou, não deixe de tomar. Mas nada de sair por aí imitando a receita alheia. Vale lembrar que alguns medicamentos podem elevar a pressão, como os antiiflamatórios e anticoncepcionais, ressalta o cardiologista.

Prática de atividade física regulares, principalmente as aeróbias, contribuem para a melhora de todo o sistema circulatório e pulmonar. Só tome cuidado com os exageros: antes de começar qualquer treino, procure um especialista e faça uma avaliação geral.

Cigarro - o tabaco, em conjunto às outras substâncias tóxicas do cigarro, eleva a pressão imediatamente além de comprometer toda sua saúde. Parar de fumar imediatamente é fundamental , alerta o professor de Cardiologia da Santa Casa de São Paulo, Ronaldo Rosa.

Redução de sal - o excesso de sal na dieta leva à retenção de líquidos, acarretando a hipertensão. Por isso, maneire na hora de temperar a comida e diminua o consumo de enlatados e alimentos em conserva.

Estresse - ele aparece como resposta do organismo às sobrecargas físicas e emocionais, acarretando a hipertensão e doenças do coração. Controle suas emoções e procure incluir atividades relaxantes na sua rotina.

Evitar bebidas alcoólicas- o álcool em grande quantidade é inimigo feroz da pressão sob controle. Corte as bebidas da sua dieta ou consuma com muita moderação.

Exames médicos - avaliações regulares não só ajudam a identificar o problema no começo, facilitando o tratamento, como servem para adequar o uso de medicamentos de forma mais eficaz.

Dieta saudável - gorduras saudáveis e pouco sal são medidas indispensáveis na dieta de quem quer manter o coração saudável. Inclua ainda muitas frutas, verduras e legumes. Cortar a carne não é preciso, mas dê preferência aos cortes magros como filé mignon e músculo.

Medir a pressão - no mínimo uma vez por ano, todas as pessoas devem fazer isso. A recomendação é da Sociedade Brasileira de Hipertensão, que alerta para esse simples exame como uma forma de prevenir problemas mais sérios.


Por: Tribuna da Bahia

Publicado em: 26/07/2010

Fonte: http://portaldobeiru.com/noticias-e-dicas-de-saude/71-saude/2061-dez-maneiras-de-controlar-a-pressao-alta.html

Trigo integral é arma natural contra o diabetes

O combate ao diabetes tipo 2 pode estar ao alcance do seu prato. O consumo regular de grãos integrais reduz em 20% a 40% os riscos de se desenvolver a doença. Por conter fibras e magnésio, o trigo integral consegue baixar o nível de glicose no sangue e melhorar a produção de insulina pelo pâncreas.
O diabetes tipo 2 atinge aproximadamente 11 milhões de brasileiros, segundo dados do Ministério da Saúde. A doença é a quinta causa de hospitalização e está entre as dez maiores causas de mortalidade no Brasil. Um dos principais motivos do grande número de pessoas afetadas é o estilo de vida moderno.
— No pós-guerra, os alimentos passaram a ser industrializados. Fast food e comida instantânea se transformaram na principal refeição das pessoas que, com pressa, passaram a se alimentar de guloseimas — diz o médico Ivan Ferraz, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.
Ele explica que é preciso uma verdadeira mudança no estilo de vida para frear os casos de diabetes tipo 2:
— Um estudo americano comprovou que um grupo de pessoas tratado com reeducação alimentar e exercício físico regular teve incidência bem inferior da doença do que os que foram tratados com remédios — completa Ferraz.

Aprenda abaixo a fazer uma deliciosa receita utilizando o trigo integral.

Receita de Strudel de Maçã

Massa: 1 c.s. de óleo de canola; 1 c.s. de vinagre; 1 ovo pequeno; 1/2 xíc. de água; 1 pitada de sal; 1 xíc. de farinha de trigo integral; 1 xíc. de farinha de trigo comum; 2 c.s. de margarina light derretida; 4 c.s. de farinha de rosca.

Recheio: 6 maçãs médias; suco de 1/2 limão; 1/2 xíc. de adoçante em pó para forno; 1 c.s. de amido de milho; 4 c.s. de passa de uva preta.
Para polvilhar: 2 c.s. de leite em pó desnatado; 2 $.s. de adoçante em pó para forno; 1 c.c. de canela em pó.

Modo de preparo: numa tigela, misture o óleo, o vinagre, o ovo, a água, o sal. Adicione as farinhas aos poucos até ficar uma massa firme. Sove bem e deixe descansar numa tigela untada com óleo por 20 minutos. Descasque a maçã e corte em cubos pequenos. Misture com o suco de limão, o adoçante, o amido de milho e a $. Abra a massa numa superfície enfarinhada até que fique bem fina. Pincele com margarina derretida e polvilhe a farinha de rosca. Espalhe a mistura de maçã por cima e enrole como um rocambole. Transfira para uma assadeira e leve ao forno médio baixo (150º) e preaquecido por 30 minutos ou até dourar. Retire e polvilhe com a mistura do leite em pó, o adoçante e a canela.


Por: Caroline Barros

Publicado em: 25/07/2010

Fonte: http://extra.globo.com/saude/bemviver/posts/2010/07/25/trigo-integral-arma-natural-contra-diabetes-310656.asp

Auriculoterapia ajuda a emagrecer

O Ocidente já se curvou à sabedoria milenar da medicina tradicional chinesa. Considerada muito mais que uma prática médica, o Brasil já possui milhares de profissionais, inclusive brasileiros que se aprimoram em técnicas que trazem alívio à dor, previnem e auxiliam na cura de doenças.

A auriculoterapia, que é uma forma de tratamento por meio do estímulo de pontos na orelha, é uma delas e atua por reflexos ou massagem em pontos determinados. Entre outros benefícios, ela já é utilizada como terapia que auxilia no combate à obesidade.

O terapeuta em Medicina Alternativa Edvaldo Tengun aprendeu a técnica em Ossaka, no Japão, onde viveu durante 18 anos.

Há dois anos, trabalha em uma clínica na Vila Operária. A ansiedade é um dos sintomas que afeta a grande maioria das pessoas que 'briga' com a balança.

Ansiosas elas comem mais e o tempo todo. Se essas pessoas ainda tem metabolismo lento estão ainda mais sujeitas ao sobrepeso ou até mesmo obesidade.

Segundo ele, os aurículos ajudam a controlar e até mesmo a emagrecer, porque inibem a vontade de comer, especialmente alimentos calóricos como doces, por exemplo.

"Trabalha-se pontos muito próximos ao cérebro que atuam na ansiedade e também no nervosismo. Se a pessoa segue o tratamento corretamente, ela se sente mais calma e mais tranquila", afirma o terapeuta.

Ele reforça que o resultado é mais rápido quando essa terapia é feita junto com atividade física e uma dieta correta.

Os aurículos com sementes que são coladas com uma minifita adesiva podem durar até sete dias. Normalmente, elas caem durante o banho.

E para que surta o efeito esperado, é preciso estimulá-las pelo menos três vezes ao dia. Já as agulhas, segundo ele, são mais práticas. Elas já oferecem um efeito contínuo, mas precisam ser retiradas em três dias.

Além de auriculoterapia, o terapeuta também trabalha com outras técnicas de medicina natural como reflexologia podal e massagens terapêuticas, entre elas, o shiatsu e o quick massage.

Baseado na rotina clínica, Edvaldo acredita que as pessoas estão cada dia mais motivadas a buscar formas naturais de tratamentos não invasivos e sem efeitos colaterais indesejáveis.


Por: Josi Costa - O Diário

Publicado em: 01/08/2010

Fonte: http://www.odiario.com/moda-e-beleza/noticia/324407/auriculoterapia-ajuda-a-emagrecer.html

ACUPUNTURA - Coloque a toxina botulínica de lado

Cada vez mais a procura por tratamentos faciais e de rejuvenescimento aumenta na mesma proporção em que surgem novos tipos de procedimentos. Um alternativa à toxina botulínica, a acupuntura facial, método utilizado há milênios pelas imperatrizes das diversas dinastias da antiga China, garante aliviar marcas de expressão.

A acupuntura estética facial, tratamento indolor e sem efeitos colaterais, busca melhorar a oxigenação, circulação local, metabolismo, sustentação da pele, trabalhar os músculos faciais, diminuir a acne e excesso de oleosidade, além de ser recomendada na prevenção das rugas.

Rosto
Na acupuntura, a face é uma das principais partes do corpo e, por meio dela, é possível descobrir os desequilíbrios energéticos do organismo, que podem ser influenciar no surgimento precoce de rugas e linhas de expressão.

Os fatores ligados a esse processo são externos (alterações climáticas), internos (alterações emocionais e psicológicas) e constitucionais (genéticos). A duração e número de sessões devem ser definidos pelo profissional, mas os resultados já podem ser vistos nas primeiras semanas do tratamento, que custa entre R$ 80 a R$ 150 por procedimento.

Há contra-indicação em casos que apresentem feridas no local da aplicação das agulhas, marca-passo e tendência a formação de quelóide (marcas na pele causadas por lesões, formando tecido fibroso).


Por: BR Press - Yahoo - Notícias

Publicado em: 03/08/2010

Fonte: http://br.noticias.yahoo.com/s/03082010/11/saude-acupuntura-coloque-botox-lado.html

Cereais integrais reduzem risco de diabetes tipo 2

Devido a diferenças no processamento e nos nutrientes, o arroz integral e o arroz branco podem ter efeitos diferentes sobre o risco de diabetes mellitus tipo 2. Estudo publicado na Archives of Internal Medicine examinou o consumo de arroz branco e integral em relação ao risco do diabetes 2. 39.765 homens e 157.463 mulheres participaram do estudo.

Após ajuste para a idade, estilo de vida e outros fatores de risco alimentar, o maior consumo de arroz branco (cinco porções por semana versus <1 por mês) foi associado a um maior risco de diabetes tipo 2: (RR 1,17, IC 95% 1,02 a 1,36). Em contrapartida, alto consumo de arroz integral (duas porções por semana versus <1 por mês) foi associado a um menor risco de diabetes tipo 2 (RR 0,89 IC 95% 0,81 a 0,97). A substituição de 50 g de arroz branco pela mesma quantidade de arroz integral foi associada a uma redução de 16% (IC 95% 9% a 21%) do risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2, enquanto a mesma substituição por tipos variados de grãos foi associada a uma redução de 36% (30% a 42%) do risco de diabetes.

Os autores concluíram que a substituição de arroz branco por grãos integrais, incluindo arroz integral, pode reduzir o risco de diabetes tipo 2. Estes dados suportam a recomendação de que a ingestão de carboidrato deve vir de grãos integrais, ao invés de cereais refinados, para ajudar a prevenir diabetes tipo 2.


Por: Jornal da Manhã - On Line - Uberaba

Publicado em: 05/08/2010

Fonte: http://www.jmonline.com.br/novo/?noticias,7,SA%DADE,31991

Ficar de olho na balança diminui em 58% casos de diabetes

Diretora do Centro Integrado de Terapia Nutricional fala sobre a doença, sua prevenção, grupos de risco e diagnóstico

A melhor forma de prevenir a diabetes é um estilo de vida saudável. É o que afirma a endocrinologista Ellen Simone Paiva. Segundo ela, atividades físicas e o controle do peso corporal diminuem em até 58% os números de casos da doença.

Ellen é diretora do Centro Integrado de Terapia Nutricional (Citen) e no seu dia a dia profissional trata diretamente com pacientes diabéticos. Para ela, a doença deixou de ser uma sentença negativa e sinônimo de uma vida de privações. O avanço da medicina e da indústria de alimentos permitem aos pacientes levar uma vida normal e sem restrições.

Na entrevista abaixo, Ellen fala a prevenção e o diagnóstico da doença, além de identificar os grupos de risco e das complicações que o diagnóstico tardio podem trazer à saúde dos pacientes.

Bem-estar: Como prevenir o diabetes?

Ellen Simone Paiva: A melhor forma de prevenção do diabetes é através de um estilo de vida saudável. As duas atitudes mais contundentes nesse sentido são atividade física e peso corporal. As pesquisas indicam que temos a chance de reduzir em até 58% a incidência de diabetes em pessoas susceptíveis com essas medidas. Os Programas de Prevenção do Diabetes geralmente preconizam atividade física de no mínimo 150 minutos por semana e perdas de peso de pelo menos 7% do peso corporal. São atitudes que podem mudar a vida das pessoas e torná-las mais saudáveis, independentemente de evitar diabetes.

Bem-estar: De que forma o paciente diagnosticado com diabetes pode garantir uma vida com qualidade e sem privações?

Ellen: Todos nós temos de nos privar de alguma coisa. Desde crianças há coisas que podemos e não podemos fazer, coisas que podemos e não podemos comer. Não há como escapar disso. Mesmo assim, não é fácil lidar com as restrições. Talvez a maturidade possa nos ajudar um pouco a tolerar melhor isso. Quando não conseguimos, a vida se torna mesmo muito difícil. Para um diabético, o conhecimento abrangente de suas possibilidades nutricionais talvez seja uma das ferramentas mais importantes para uma vida prazerosa. Através desse conhecimento, o diabético saberá fazer trocas inteligentes e terá possibilidades de se engajar em uma dieta versátil e adequada ao seu perfil. Hoje, as possibilidades são enormes e a dieta do diabético se tornou muito mais fácil. Não há mais motivos para as antigas restrições.

Bem-estar: Quem está dentro do grupo de risco?

Ellen: Quando descrevemos as pessoas de risco, estamos sempre falando do Diabetes tipo 2 ou não insulino dependente, ou seja 90% das pessoas com diabetes. São de risco todos os descendentes diretos de diabéticos, uma vez que é bem conhecida a natureza hereditária da doença. Além disso, a obesidade por si só pode levar ao diabetes, mesmo sem a predisposição genética. Ainda há outros fatores como o sedentarismo e a ingestão de uma alimentação com excesso de carboidratos.

Bem-estar: Quais sintomas podem representar um sinal de alerta para que as pessoas busquem um médico para averiguarem se portam a doença?

Ellen: O quadro clínico consagrado de perda de peso, sede intensa, perda excessiva de urina e desidratação caracteriza um diabetes de longa data. Pelo menos a maior parte deles, aqueles que chamamos tipo 2 ou não dependentes de insulina, evoluem longos anos com glicemias de jejum falsamente normais, às custas de uma produção excessiva de insulina. Isso mesmo, são diabéticos com valores de insulina muito maiores do que aqueles das pessoas normais. Aqui, já podemos identificar o primeiro sinal de fumaça: a insulina elevada. Assim uma glicemia de jejum normal associada a uma insulina alta já indica a necessidade de se proceder uma investigação mais criteriosa da possibilidade de diabetes.

Filho de peixe, peixinho é... Assim um filho de um diabético, pode até se livrar da doença, mas será sempre um paciente de risco. Deverá receber atenção redobrada para a possibilidade de desenvolver a doença. Neles, uma glicemia de jejum de 80mg/dL não deve ser tranquilizadora, principalmente quando encontramos outros sinais de fogo.

Finalmente, um sinal que salta aos olhos: a obesidade. Uma obesidade com características próprias, caprichosamente depositada no tronco, deformando cinturas e expondo um risco do comprometimento visceral. Isso significa que, muitas vezes, um peso normal, principalmente com braços e pernas normais, pode esconder uma circunferência abdominal típica de obesidade central, onde a gordura se deposita no fígado e demais vísceras. Esse tipo tão especial de gordura corporal está intimamente ligado ao excesso de triglicérides e de insulina, fechando um ciclo patológico ou uma armadilha da qual dificilmente se escapa: o diabetes.



Por: Zero Hora - ClicRBS - Seção: Notícias

Publicado em: 04/08/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/bem-estar/19,0,2994117,Ficar-de-olho-na-balanca-diminui-em-58-casos-de-diabetes.html

Pimenta pode reduzir pressão alta

A pimenta é a mais nova aliada no tratamento contra hipertensão. Um estudo chinês descobriu que a substância que torna a pimenta picante é responsável também por aumentar a produção de óxido nítrico - molécula que protege os vasos sanguíneos contra inflamação e disfunção.

O cientista Zhiming Zhu, chefe da pesquisa feita pela Terceira Universidade Militar Médica da China, alimentou ratos hipertensos com uma dieta rica nessa substância, a capsaicina, e verificou a redução da pressão arterial com o passar do tempo. Pesquisas anteriores já haviam relacionado a capsaicina à redução do quadro de hipertensão, mas a diferença da abordagem chinesa foi a avaliação a longo prazo.

Conforme os pesquisadores, ainda é cedo para afirmar se o tratamento em humanos será tão satisfatório quanto se observou em roedores. Também não se pode determinar, ainda, a quantidade de pimenta de deveria ser ingerida para um resultado positivo.

No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, pelo menos 17 milhões de brasileiros apresentam sintomas de pressão alta. O estudo chinês foi publicado na edição do mês de agosto do periódico americano Cell Metabolism.



Por: Revista Veja - Seção: Saúde

Publicado em: 04/08/2010

Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/saude/pimenta-pode-reduzir-pressao-alta

Aromaterapia ajuda a diminuir dores físicas e combater o estresse

Massagens com fragrâncias especiais trazem benefícios à saúde

Todo mundo sabe que uma boa massagem pode ser um "santo remédio" para acabar com desconfortos físicos ou para simplesmente relaxar depois de um dia cansativo de trabalho. E o que dizer, então, de aliar a tradicional massagem aos benefícios de certos aromas especiais que não são apenas relaxantes, mas, também, estimulam o sistema nervoso central? A técnica, conhecida como aromaterapia, tem mais de cinco mil anos, mas só agora começa a se tornar conhecida do grande público.

A massoterapeuta Rosane Santos, que trabalha com a técnica, explica os benefícios do tratamento com os aromas.

- Aplico a aromaterapia sempre aliada à massagem. Assim, os óleos trabalham em duas frentes: quando friccionados ao corpo estimulam o sistema circulatório, transferindo suas propriedades benéficas para o organismo; quando inalados pelo paciente, estimulam o sistema nervoso central, que relaxa e atende aos comandos que aquele aroma ordena, como relaxar ou ficar menos nervoso, por exemplo.

A especialista esclarece ainda que há diversas maneiras de se trabalhar com a aromaterapia. Ela pode ser desenvolvida aliada com a massagem, pode ser simplesmente inalada ou ainda podem ser feitos tratamentos com aromatizadores ambientais ou com gargarejos.

Esses óleos, explica a massoterapeuta, são obtidos através de diversas plantas como a laranja, a hortelã, o manjericão e a camomila, cada uma delas com as suas propriedades. Essas essenciais não são aplicadas no corpo em seu estado bruto: precisam ser diluídas em um número e quantidade que variam de acordo com cada caso.

- Não há um aroma específico que utilizo para diversos, pacientes. Primeiro converso com ele e traço um mapa com seus problemas queixas e necessidades, tanto físicas quanto psicológicas. A partir daí monto o tratamento. Uso um óleo base, que é igual para todos os pacientes, e nele vou adicionando outros óleos que farão bem exclusivamente àquela pessoa. Não é como uma aspirina que é medicada de forma igual para todos - compara.

Para a massoterapeuta, na aromaterapia é importante que o profissional consiga entender o que leva uma pessoa a ter queixas constantes, como sempre relatar fadiga excessiva ou dor de cabeça, por exemplo. Segundo ela, através dessa técnica é possível identificar os fatores emocionais que são somatizados pelo paciente se transformando em dores ou doenças.

No entanto, segundo ela, muitos buscam a aromaterapia não para tratamento físico ou mental, mas por razões estéticas.

- É possível usar os aromas para diminuir a retenção de líquidos, por exemplo, diminuindo o acúmulo de água no organismo o que acaba com aquela sensação incômoda de inchaço - destaca.

Rosane relata que a aromaterapia, apesar de ser uma técnica antiga mas pouco conhecida, é uma opção que vem sendo cada vez mais procurada e aceita pelo público.
- Vejo que os pacientes ficam felizes com os resultados alcançados e que muitos passam a dar mais importância aos aromas que nos cercam, tendo significativas melhoras nos seus quadros clínicos e psicológicos - destaca.


Por: Vander Correa - ClicRBS

Publicado em: 19/07/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/sc/donnadc/19,0,2976165,Aromaterapia-ajuda-a-diminuir-dores-fisicas-e-combater-o-estresse.html

Reflexologia

Reflexologia auxilia o organismo através de estímulos nos pés e também traz benefícios para o bem-estar.

A reflexologia é muito mais do que um simples carinho nos pés. Ela é uma terapia que trabalha com estímulos sensoriais mais de 70 mil terminações nervosas que existem nos pés e que correspondem a todos os órgãos e glândulas do corpo. As plantas dos pés formam um imenso mapa do corpo humano em que cada área corresponde a um órgão e tem uma função de tratamento.

Através do estímulo dos dedos é possível dar um basta à tristeza, um gás na criatividade, na alegria, trabalhar o apego ou o desapego, o medo e a insegurança. Os próprios pés denunciam problemas tanto de saúde quanto emocionais.

Calosidades, joanetes e outras alterações podem ser indício de que algo não vai bem no organismo. Diferentemente da acupuntura, a reflexologia não trabalha um único ponto. Ela atua num âmbito mais geral. Com uma massagem em certos lugares, os órgãos são estimulados e eliminam toxinas. A técnica reduz a tensão e melhora a irrigação sanguínea, o que estimula o funcionamento do sistema nervoso.

A reflexologia abrange 37 pontos ligados ao organismo. Ela não tem função medicinal e não substitui remédios prescritos, mas ajuda nos momentos mais difíceis. Uma pressão profunda e lenta entre o dedão e o segundo dedo ao deitar, relaxa e espanta a insônia e ansiedade. Já de manhã, quem não dormiu bem deve pressionar o mesmo ponto de forma rápida e superficial, para estimular. Quando o problema é dor de cabeça, experimente uma pressão lenta e profunda sobre a unha do dedo mindinho.

Por: Globo.com - Seção: Equipe Bem Star

Publicado em: 27/07/2010

Fonte: http://bemstar.globo.com/index.php?modulo=corpoevida_mat&type=5&url_id=3376

Aromaterapia

O uso dos óleos essenciais puros promove maior calma e relaxamento de pacientes e acompanhantes. Produtos também são usados na higienização do ar e de alguns equipamentos e utensílios

Os óleos essenciais puros já têm sua eficácia reconhecida em diversos segmentos da Beleza, Estética e Saúde. Como método complementar e alternativo de obter saúde e harmonia, os óleos essenciais devem sempre ser indicados por aromaterapeutas que os conheçam profundamente.

Samia Maluf, psicóloga e aromatóloga, observa que os óleos essenciais estão ganhando destaque junto a profissionais da Medicina tradicional.
“Já existem hospitais, clínicas e consultórios médicos e dentários que utilizam a aromaterapia em benefício do paciente, de seu familiar e até dispõem dos óleos essenciais para higienizar ambientes e aparelhos e utensílios que não necessitam de autoclave, por exemplo”, comenta.

Os óleos essenciais, nestes ambientes, têm três funções:

- Acalmar e harmonizar ambientes de sala de cirurgia ou consultório. Os óleos que acalmam, como Lavanda, Laranja e Palmarosa, por exemplo, são usados para que o paciente sinta-se melhor, principalmente quando há tensão ou medo do desconhecido.

- Acalmar e harmonizar a sala de espera – Familiares que esperam por notícias de pessoas internadas, pais que aguardam o nascimento de seus bebês, pacientes que aguardam para serem atendidos, todos podem ser beneficiados com a aromaterapia.

- Higienizar o ambiente e equipamentos / utensílios – O óleo de Tea Tree, conhecido como poderoso anti-séptico e bactericida, já é usado em aromatizadores, para livrar o ambiente de bactérias, e também em equipamentos e utensílios que dispensam o uso da autoclave. Alguns profissionais da Saúde usam este óleo ou a Água de Tea Tree para desinfetar as mãos.

Por que a Aromaterapia funciona?

A Aromaterapia não remete apenas a um cheiro gostoso no ambiente ou um perfume durante o banho. Trata-se, sim, de um verdadeiro e natural tratamento que serve para inúmeras situações. Os aromas agem nos centros cerebrais e provocam reações emocionais ou físicas, tratando o organismo de uma forma integral, considerando a mente e o corpo como um todo.

As aplicações desta terapia caminham desde o relaxamento e técnicas para amenizar o estresse até meios para estimular o organismo e combater problemas estéticos - como a pele ressecada ou maltratada.
Suas principais ferramentas são os óleos essenciais, extraídos de flores, folhas, cascas, raízes, frutos e sementes das plantas, como das perfumadas flores do jasmim, de onde se retira um óleo antidepressivo e afrodisíaco ou ainda o óleo extraído da limette – mais conhecida como lima – que combate a fadiga mental, além de ser também utilizado em tratamentos para a celulite.

Para entender como os óleos funcionam, devemos imaginar o caminho pelo qual percorrem em nosso corpo. Quando se aspira, por exemplo, um desses produtos, sua fragrância é captada pelas narinas, onde sensores nervosos decodificarão esta informação, transportando para o cérebro que estimulará determinadas partes do organismo. Dessa forma, atuam por todo o corpo e, de quebra, nas emoções e sentimentos do indivíduo.

Em tempos de estresse, correria e de falta de tempo para cuidarmos de nós mesmos, devemos separar alguns momentos e olhar para o nosso interior. Afinal, a beleza externa reflete, como bem sabemos, a saúde e harmonia interna.

Uma forma vantajosa de se aplicar a Aromaterapia na estética dá-se pela utilização destes óleos em forma de banhos ou massagens. Para conduzir os óleos essenciais e facilitar a sua absorção, existem os chamados óleos carreadores, que potencializam a aplicação graças à sua estrutura molecular. Quando estes produtos entram em contato com o corpo, nutrem a pele e entram na corrente sangüínea, que leva as informações ao cérebro. Trata-se, portanto, de um tratamento completo: o cliente se beneficia das essências tanto ao senti-las quanto ao recebê-las em sua pele.

Por: Cristina Thomaz e Simone Valente

Publicado em: 27/07/2010

Fonte: http://bemstar.globo.com/index.php?modulo=terapias_mat&type=4

Acupuntura ajuda também na cura de doenças em animais

A acupuntura veterinária é reconhecida como especialidade médica pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária desde 1995. O tratamento com agulhas que os homens conhecem como alternativo para casos em que a medicina tradicional não resolve pode ser encarado como único ou como terapia adicional quando se trata de animais.

Segundo o presidente da Associação Brasileira de Acupuntura Veterinária (Abravet), professor titular do Departamento de Cirurgia e Anestesiologia Veterinária da Unesp/Botucatu, Stelio Pacca Loureiro Luna, a aplicação da acupuntura no tratamento de algumas doenças de cães e gatos tem apresentado melhor resultado terapêutico que o do tratamento convencional feito com medicamentos.

O tratamento consiste na estimulação de pontos específicos na pele ou mais profundos, denominados meridianos, por onde circula a energia chi. Esta energia responsável pela vida e saúde do organismo é composta de duas forças antagonistas mas complementares, denominadas In e Iang.

“Essas duas energias ocorrem em exatas proporções, uma predominando sobre a outra em cada meridiano. A saúde é o equilíbrio desta energia e a totalidade das manifestações vitais, físicas e psíquicas no organismo são produtos simultâneos de sua atividade In e Iang.”

A acupuntura atua por mecanismos nervosos e hormonais, por ativação de receptores localizados na região cutânea. “Os estímulos são transmitidos ao sistema nervoso central. Normalmente os animais não apresentam reação de dor durante as sessões e inclusive é comum a ocorrência de sonolência, não havendo necessidade do uso de tranquilizantes para introdução das agulhas.”

Luna explica que em 60% dos casos de doenças neuromusculares, como nas sequelas nervosas de cinomose – síndrome que pode causar paralisia nos membros do animal –, a acupuntura consegue reverter o processo e fazer com que os cães voltem a andar sem sentir dor. “Em casos como estes, os médicos veterinários alopatas geralmente indicam o sacrifício do animal.”

Nos animais, assim como no homem, a acupuntura pode ser utilizada para o tratamento de várias enfermidades, substituindo a terapêutica convencional ou ainda auxiliando a mesma de acordo com a situação.

“Dentre as enfermidades que apresentam bons resultados estão as doenças neuromusculares, problemas de coluna, distúrbios respiratórios, digestivos e sequelas de cinomose, entre outros. Ela é particularmente útil para analgesia em dores agudas e crônicas e tratamento de paralisias. Nas doenças dermatológicas e como substituição ou complemento a anestesia convencional temos obtido sucesso. No Hospital Veterinário da FMVZ, pesquisas tem sido realizadas para controle da dor pós-operatória em cães e gatos. Em problemas digestivos, tanto em diarreia, como em casos de constipação, acupuntura tem mostrado excelentes resultados, sem o uso de antibióticos.”

Para quem pensa que a acupuntura é usada somente em animais de pequeno porte, o professor lembra que o emprego dela tem apresentado bons resultados para melhorar o condicionamento de equinos submetidos a diferentes provas de competição.

Por: Rita de Cássia Cornélio - Jcnet - Jornal da Cidade de Bauru

Publicado em: 08/08/2010

Fonte: http://www.jcnet.com.br/detalhe_regional.php?codigo=189003

Acupuntura protege o fígado do efeito de medicamentos, diz estudo da USP

Trabalho investigou a influência da técnica milenar chinesa no controle de lesões hepáticas em ratos.

SÃO PAULO - A acupuntura é uma boa alternativa para controlar os danos ao fígado causados pelo uso contínuo de alguns medicamentos. A constatação é do médico veterinário e acupunturista Alexandro dos Santos Rodrigues em sua tese de doutorado pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da USP. O trabalho investigou a influência da técnica milenar chinesa no controle de lesões hepáticas em ratos.

“O fígado é responsável pelo processo de metabolização de medicações. Algumas pessoas tomam medicamentos continuamente [como os usados para combater o colesterol] e isso causa danos ao funcionamento do órgão. Esse trabalho comprovou que a acupuntura pode ser usada para reduzir os prejuízos causados pelo uso contínuo de remédios agressivos ao fígado”, afirma Rodrigues.

Os animais que passaram por sessões de eletroacupuntura no ponto E36 (localizado na perna, próximo ao joelho) ou no BP6 (próximo ao calcanhar) apresentaram diminuição de lesões hepáticas. Na comparação entre esses dois grupos, a progressão das lesões foi menor nos ratos que receberam estímulo no ponto E36. “Na eletroacupuntura, as agulhas são conectadas a fios, que são ligados a uma máquina que envia um estímulo padronizado e contínuo às agulhas”, explica o pesquisador.

O veterinário induziu as lesões hepáticas por meio da tioacetamida, substância já usada no passado como agrotóxico em lavouras. Atualmente, ela é empregada nas indústrias têxtil, de couro e papel. No meio acadêmico, a droga é utilizada por pesquisadores em modelos científicos de indução de lesões no fígado.


O experimento

O veterinário explica que existem vários graus de lesões hepáticas: inicialmente, após repetidas agressões, ocorre uma fibrose que, se não tratada, evolui até chegar à cirrose. Esta pode originar neoplasias (câncer). “Sabemos que o fígado tem grande capacidade de recuperação, mas somente até um certo grau das lesões”, afirma.

Rodrigues trabalhou com 70 ratos wistar. Antes de iniciar o experimento, o médico colheu amostras de sangue para avaliar oito marcadores sanguíneos ligados a lesões hepáticas. A dose de tioacetamina aplicada variou de acordo com o peso de cada animal.

Para poder aplicar as sessões de eletroacupuntura, o veterinário optou por usar o anestésico isofluorano, por via inalatória. “A maioria dos anestésicos comuns interfere de forma significativa na função hepática, e isso poderia prejudicar os resultados”, conta. A dose empregada foi a necessária para manter os animais em estado de semiconsciência.

“Quando a agulha da acupuntura é inserida na pele, ela causa um estímulo que percorre as vias nervosas do corpo e chega até a medula óssea. Por meio da medula, a informação vai para o cérebro, onde neurotransmissores se encarregam de emitir respostas que são transmitidas e agem em um determinado local do corpo. Se os animais ficassem totalmente sedados, esse fato também poderia interferir nos resultados”, explica.

Os animais foram divididos em sete grupos: sadios (que não passaram por nenhum tipo de intervenção); controle para tioacetamida (aplicação apenas dessa droga); controle para isofluorano (aplicação apenas desse anestésico); com aplicação de eletroacupuntura no ponto E36 e outro no BP6. Os dois grupos restantes, E36s e BP6s, receberam aplicações em pontos “falsos”, ou seja, em lugares próximos aos pontos verdadeiros (E36 e BP6), mas que não resultariam em nenhum efeito ligado à proteção hepática.

Após a pesagem e a aplicação da tioacetamida, os animais foram sedados e, em seguida, receberam as aplicações de eletroacupuntura por 20 minutos. Na quarta semana do experimento, o pesquisador aumentou todas as doses de tioacetamida em 10%. Ao final das sete semanas, o médico colheu novas amostras sanguíneas para avaliar os oito marcadores.


Resultados

Todos os animais que receberam doses de tioacetamida apresentaram lesões no fígado. Mas, nos grupos sem uso de eletroacupuntura, as lesões hepáticas foram muito maiores. “Percebemos que, no grupo controle para tioacetamida, ocorreram danos consideráveis no fígado. Também encontramos muitas alterações ligadas aos oito marcadores de lesões hepáticas”, conta Rodrigues. “Já no grupo controle para isofluorano, também constatamos que o fígado apresentava lesões, apesar de esse anestésico ser considerado seguro contra danos hepaticos”, diz.

O pesquisador lembra que a hepatite C atinge de 2,5% a 4,9% da população brasileira. Já a cirrose hepática está entre as 10 maiores causas de morte no mundo ocidental. Não existe tratamento para esses casos, e a única opção é fazer um transplante de fígado. “Pense em alguém que precise tomar, diariamente, um medicamento que cause uma reação muito forte no fígado. O órgão seria afetado mesmo se estivesse em condições normais. Agora imagine se essa pessoa já estiver com o fígado comprometido por causa da hepatite C ou da cirrose”, questiona. “A acupuntura poderia ser usada como uma maneira de barrar grande parte dos danos ao fígado provocados pelo medicamento.”

A pesquisa de Rodrigues, "A influência dos pontos de acupuntura zusanli (E36) e sanyinjiao (BP6) no desenvolvimento de lesões hepáticas induzidas por tioacetamida em ratos wistar", foi apresentada em dezembro de 2009. O professor Francisco Javier Blazquez, da FMVZ, orientou o trabalho, que teve como co-orientadora a professora Ângela Tabosa, do setor de Medicina Chinesa e Acupuntura do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).




Por: Agência USP - Estadão

Publicado em: 11/08/2010

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,acupuntura-protege-o-figado-do-efeito-de-medicamentos-diz-estudo-da-usp,593644,0.htm

Drenagem linfática e reflexologia diminuem a celulite

Para emagrecer e eliminar as celulites é preciso ter uma alimentação
saudável e manter uma rotina regular de exercícios. Porém, há também
aqueles tratamentos que aceleram a luta contra a celulite. A drenagem
linfática somada a reflexologia tem sido uma arma eficaz em seu
combate, além de aliviar o estresse.

O tratamento consiste em aplicar a drenagem linfática por meia hora em
todo o corpo, usando cremes à base de cafeína, cânfora e outros
princípios ativos que combatem a gordura localizada. Em seguida, é
feito um escalda-pés com sais relaxantes. A reflexologia favorece a
eliminação de toxinas, além de reduzir a tensão muscular e diminuir a
ansiedade.


Por: Carolina Abranches - Seção Bem Estar - globo.com

Publicado em: 09/08/2010

Fonte: http://bemstar.globo.com/index.php?modulo=corpoevida_mat&type=5&url_id=3392

Cromoterapia equilibra corpo e mente através das cores

A Cromoterapia utiliza a cor para estabelecer a harmonia do corpo, da mente e das emoções. Se houver desequilíbrio, as doenças vão se refletir no nosso corpo físico e adoeceremos. Atualmente, estudos revelam qual a cor mais adequada para ambientes de estudo, de trabalho, ou hospitais. Até nas propagandas o uso de cores é estudado. Dependendo do objetivo a que se quer chegar, o público alvo é o produto. Mas muitos se perguntam, é verdade? A terapeuta alternativa Nilda Valeriano responde que sim.

Na técnica de aplicação de luz com lâmpadas coloridas, a cor é estabelecida de acordo com o tratamento buscado. Mas Nilda destaca que este é um tratamento complementar. “Percebemos a utilidade das cores, mas é bom saber que não podemos desacreditar da medicina terrestre. Esta é apenas uma terapia complementar, que favorece a ação do tratamento médico convencional”, afirma.

A terapeuta alternativa revela que, com o uso correto, as cores atuam no funcionamento da saúde física e mental, assim como o uso inadequado pode ter efeito inverso. “Pessoas usam determinada cor em casa, com luzes, pintam a parede do quarto ou da sala, mas sem ter conhecimento, o que é um risco.

O vermelho, por exemplo, nem é usado na cromoterapia, pois é abortivo”, alerta Nilda.

Entre as cores utilizadas na cromoterapia, a luz azul é a que atua mais especificamente em problemas musculares e de articulações. O azul, verde e rosa atuam no sistema nervoso central. A aplicação de luz amarela é fundamental para o tratamento do fígado, enquanto a verde é ideal para combater os sintomas de infecções. “Atua em todas as doenças, desde o diabetes até varizes, câncer, emagrecimento. Também é utilizada no tratamento de dependentes químicos, álcool e drogas, mas há um processo”, explica.

Para Nilda Valeriano, as cores somente atuam de forma positiva no corpo se a alimentação for balanceada e natural. “Como coadjuvante do tratamento, a alimentação natural tem sua devida importância na harmonização do nosso sistema”, frisa a terapeuta alternativa. Para isso, devemos selecionar alimentos que têm a cor relacionada com o nosso tratamento cromoterápico. Se estivermos tratando com a cor amarela, por exemplo, é indicado ingerir mais alimentos com essa tonalidade.

Por: Jornal da Manhã (Jm Online) - Uberaba - Seção: Saúde

Publicado em: 03/08/2010

Fonte: http://www.jmonline.com.br/novo/?noticias,7,SA%DADE,31865

Acupuntura é alternativa na luta contra a tendinite

Na luta contra a tendinite, a acupuntura vem se apresentando como uma alternativa eficaz para o alívio das dores provocadas por esse processo inflamatório. De acordo com o Acupuncture: Review And Analysis Of Reports On Controlled Clinical Trials, estudo feito Organização Mundial de Saúde, a proporção de dor crônica aliviada pela técnica está entre 55%-95%, resultado mais favorável que drogas potentes, como a morfina, que ajuda em até 70% dos casos.Para a OMS, os efeitos colaterais de terapias medicamentosas (grande risco de dependência, por exemplo) tornam a analgesia pela acupuntura – que não tem efeito colateral- a escolha para o tratamento de várias condições dolorosas crônicas. Além disso, a técnica traz alívio logo nas primeiras sessões e tem mecanismo de ação bem definido.“A acupuntura trabalha com a energia do corpo, buscando equilibrá-la. Não é colocada nenhuma substância química nas agulhas, elas estimulam as fibras nervosas do organismo, essas por sua vez liberam os neurotransmissores que vão até o sistema nervoso atuando na diminuição das dores”, explica a médica especialista em acupuntura, Graça Gomes. Ainda segundo a especialista, existem vários pontos de pressão no nosso corpo — onde são colocadas as agulhas — e cada um deles atua melhor para uma determinada patologia. Esses pontos são divididos em locais e à distância. Geralmente, a primeira sessão é feita nos pontos à distância, evitando assim mexer na região da dor, pois está inflamada. No decorrer do tratamento, faz-se também nos pontos locais.“Quando o paciente está no processo inflamatório recomendamos uma sessão a cada três dias, depois uma vez por semana. Recomendamos um tratamento com o mínimo de dez sessões, mas nos casos mais agudos podem ser mais. A duração varia de acordo com cada paciente”, diz a médica. Outra vantagem é que praticamente não existem restrições quanto a quem pode fazer ou que tipo de enfermidades são tratadas. Mas alguns médicos, como é o caso da Drª Graça Gomes, optam por não realizar sessões com gestantes até o terceiro mês, pois alguns especialistas acreditam que existem alguns pontos abortivos — embora não haja nenhuma comprovação na literatura médica.



Por: Carla França - Jornal Tribuna do Norte

Publicado em: 15/08/2010

Fonte: http://tribunadonorte.com.br/noticia/refens-da-dor/156917

Agulhas que ajudam a estudar melhor

Ansiedade, stress, tensão muscular, preocupação excessiva, cansaço são alguns dos sintomas que muitos estudantes apresentam antes, durante ou depois das provas de vestibular. A cobrança sobre si mesmo e de familiares, as incertezas na escolha do curso. Tudo isso faz com que muitos estudantes sofram de desordens emocionais e dolorosas durante este período da vida.

Por isto, a tranquilidade é fundamental. O stress pode comprometer o desempenho durante os exames mesmo que o vestibulando tenha se dedicado intensamente aos estudos. E uma alternativa para contornar esses problemas é a acupuntura.

A inserção de finíssimas agulhas em pontos estratégicos do corpo estimula o organismo a produzir substâncias naturais ligadas à sensação de bem-estar. Possui efeito analgésico, antiinflamatório e antidepressivo combatendo dores, ansiedade e estresse. Desta forma, a energia do sistema nervoso é gradativamente recuperada e a tranqüilidade e o bem estar restabelecidos.

Segundo a medicina tradicional chinesa, o organismo humano possui uma rede de canais, os meridianos, nos quais circulam energia. Nestes meridianos encontram-se os pontos trabalhados pela acupuntura.

“A acupuntura trabalha com a energia do corpo, buscando equilibrá-la. Não é colocada nenhuma substância química nas agulhas, elas estimulam as fibras nervosas do organismo, essas por sua vez liberam os neurotransmissores que vão até o sistema nervoso atuando na diminuição das dores”, explica a médica especialista em acupuntura, Graça Gomes.

A Acupuntura é uma excelente forma de relaxar pois dispersa a ansiedade e as tensões, através do equilíbrio de Yin e Yang, aumentando os hormônios da alegria e do bem estar (serotonina e endorfina) sem agredir o corpo e a mente.

Com algumas aplicações já é possível sentir o resultado. O sucesso do tratamento depende da continuidade. O ideal é que as consultas sejam iniciadas, pelo menos, um mês antes das provas, com sessões semanais, até o dia que antecede ao vestibular.

Cada sessão dura em torno de 20 minutos. Depois é feita a reavaliação para estabelecer em que periodicidade se fará o controle. Os pontos de acupuntura também podem ser estimulados com laser, adesivos, aplicação de calor (moxabustão) e sementes de mostarda aplicadas na orelha, entre outros.

Vantagens da Acupuntura

Inúmeras possibilidades de aplicação:

é útil em qualquer doença, oferecendo auxilio de uma maneira ou de outra em todas as faixas etárias e independente do sexo, podendo ainda ser facilmente associada a outras modalidades terapêuticas.

Diminuição do uso de medicamentos:

o uso de drogas está se tornando abusivo, com freqüentes intoxicações. A acupuntura regula o equilíbrio do organismo, elhorando a circulação sangüínea, aumentando a resistência corpórea e sendo capaz de mudar a constituição corporal, por isso, reduz ao mínimo a necessidade de drogas e aumenta a eficácia terapêutica. Além disso, constitui-se num tratamento mais econômico.

Segurança no tratamento:

é uma pratica extremamente segura exigindo, no entanto, um nível técnico do terapeuta.

Complementa as lacunas da medicina moderna:

a medicina moderna ainda não conseguiu resolver muito dos problemas que atingem o ser humano. A acupuntura, isoladamente ou associada a drogas, obtém melhores resultados.

Em algumas doenças a acupuntura mostra-se muito eficaz:

ansiedade, depressão, enxaquecas, tensão pré-menstrual, osteoporose, joelhos, dor cervical, dorsalgia, ciáticas, tendinites, gastrites e outras tantas, tratamento da dor.





Por: Tribuna do Norte - On Line

Publicado em: 18/08/2010

Fonte: http://tribunadonorte.com.br/vestibular/agulhas-que-ajudam-a-estudar-melhor/157202

A Aromaterapia como agente de saúde e felicidade

Numa época em que o mundo exige cada vez mais do ser humano, tanto no âmbito profissional quanto no pessoal, a busca pelo equilíbrio e a qualidade de vida soa como um desejo utópico. Afinal, o mundo corporativo se torna cada vez mais competitivo. A cada dia, temos de enfrentar o trânsito engarrafado, atender aos compromissos pessoais e profissionais do dia-a-dia e estar prontos para resolver os problemas que surgem. Onde encontrar tempo para cuidar de nós mesmos? Como buscar o equilíbrio em meio a tantas atribulações?

Viver em harmonia parece um grande desafio. Mas uma forma de terapia, às vezes ainda desconhecida em alguns meios, é uma grande aliada na busca pelo bem-estar: a Aromaterapia ou terapia dos aromas. Trata-se de um processo terapêutico milenar que utiliza a suave energia perfumada dos óleos essenciais para tratar, curar e estimular não só o corpo, mas também o espírito. É simples e eficiente.

O perfume exalado pelo mundo das plantas (raiz, caule, semente, flor ou fruto) é chamado de óleo aromático ou óleo essencial, e sua extração é feita por diferentes métodos de destilação. Os óleos essenciais possuem ações terapêuticas comprovadas cientificamente - aliás, é importante observarmos a total diferença entre os óleos essenciais puros e as essências sintéticas, que são desenvolvidas em laboratório e não possuem efeito terapêutico.

O olfato é o único dos cinco sentidos ligado diretamente ao cérebro e o sistema límbico, que é o centro das emoções como amor, ódio, paixão, medo, alegria, tristeza, ansiedade, depressão etc. O sistema límbico é responsável também por importantes funções ligadas à memória, aos níveis hormonais, ao controle da pressão arterial etc.

Quando inalados, os óleos essenciais, com suas flagrâncias e estruturas moleculares próprias, agem profundamente, ativando diretamente o hipotálamo e o sistema límbico. E exercem uma profunda reação no corpo e na mente. Atualmente, existem diversos estudos científicos voltados à Aromaterapia, realizados ao redor do mundo. Os resultados desses estudos comprovam a ação dos óleos essenciais. Como exemplos de aromas que contribuem para o bem-estar, podemos citar o do óleo essencial da mentha piperita, que auxilia na perda de peso, e o do óleo essencial de gerânio, que, por conter estrógeno vegetal, é indicado para amenizar os efeitos da TPM e da menopausa, sendo o aroma ideal da mulher - oferece frescor, sensualidade e a sensação de um abraço envolvente.

Qual ser humano não deseja viver de forma saudável, feliz e inspiradora? E sem saúde não estaremos felizes nem inspirados. O equilíbrio ideal da saúde é atingido pela circulação e absorção dos nutrientes e pela eliminação das toxinas. Uma alimentação balanceada, natural e funcional proporciona o equilíbrio nutricional. Já a eliminação das toxinas pode ser estimulada com exercícios físicos, banhos e massagens. Quando utilizamos a Aromaterapia com substâncias cem por cento naturais, podemos potencializar esse equilíbrio.

A natureza nos doa o que tem de melhor, a “alma” das plantas, ou seja, seus óleos essenciais, que estão à disposição de todos que desejam resgatar seu essencial. O que falta, às vezes, é o conhecimento sobre essa terapia. Um tratamento milenar, como já citamos, que surgiu da Fitoterapia, utilizado para curar ou diminuir variadas enfermidades e desequilíbrios e trazer o tão desejado bem-estar.

*Andréa Estrella é aromaterapeuta e floraterapeuta formada na Itália, onde morou por oito anos, e dirige o BSpace Health Center




Por: Andréa Estrella - Jornal de Vinhedo - On Line

Publicado em: 17/08/2010

Fonte: http://www.jornaldevinhedo.com.br/interna.php?idc=5,0,4224

Conheça os benefícios das quiropraxia no combate a desconfortos musculares

Terapia ajuda jogadores do Esporte Clube Novo Hamburgo desde 2009

Não foram poucas as vezes, no último ano, que jogadores do Esporte Clube Novo Hamburgo prestes a desfalcar a equipe por causa de dor nas articulações acabaram entrando em campo cem por cento.

Eles não jogaram no sacrifício. É que o desconforto de horas antes sumiu com o trabalho de um reforço recente na comissão técnica: a Quiropraxia, que chegou por meio de uma parceria com a Universidade Feevale, única a oferecer esse curso de graduação no Estado.

— Ocorreu diversas vezes. O atleta estava com dor e não iria jogar. Aí, depois de uma sessão, levanta da maca, faz o movimento que antes não conseguia e diz não sentir nada — conta Marcelo Machado de Oliveira, professor do curso de Quiropraxia da Feevale e responsável pelo estágio dos alunos no Noia (como os torcedores chamam o Novo Hamburgo).

Ele alerta, entretanto, quem nem sempre é assim tão rápido o resultado. Dependendo do problema, são necessárias diversas manipulações (as sessões com o quiropraxista) para o resultado aparecer. Independente disso, o resultado da parceria entre a Feevale e o Novo Hamburgo tem motivado atletas e universitários. Não se tem notícia, no Brasil, de outro time que tenha integrado de forma definitiva a Quiropraxia. Os jogadores agradecem.

— No dia em que cheguei ao Esporte Clube Novo Hamburgo, acordei com desconforto e procurei esse atendimento, que está dentro do clube. Como trabalhamos com muito salto e impacto, os desconfortos musculares são comuns, e aí está a importância do quiropraxista, que vem auxiliando nessas funções — conta o atacante Rodrigo Mendes, 34 anos.

O professor explica que os movimentos que o profissional faz com as mãos sobre o paciente visam a reposicionar aquela vértebra que perdeu seu movimento natural. Ao fazer esse ajuste, a dor cessa. E se ajuda atletas, claro que pode melhorar a vida qualquer pessoa. A coordenadora do curso, professora Thiana Paula Schmidt dos Santos, avisa que o mercado está aberto, esperando mais quiropraxistas.

— São poucos os profissionais egressos no país inteiro. Temos somente duas instituições no Brasil que tem o curso, e a Feevale é uma delas. Empresas começam a procurar egressos para melhorar a saúde do trabalhador, por exemplo — explica Thiana.

Dúvidas comuns sobre a Quiropraxia:

Quais os principais problemas tratados pela Quiropraxia?

— Dores na coluna lombar

— Hérnia de disco e dor ciática

— Dores no pescoço

— Dores de cabeça

— Dores e tensão muscular

— Problemas nas articulações do ombro, cotovelo, punho, joelho, tornozelo

— Restrições à movimentações

Como é feito o diagnóstico?

Após uma entrevista e exame clínico que inclui análise postural, teste ortopédico e neurológico e palpação de articulações, músculos e outras estruturas afetadas. Caso sejam necessários, exames como raio-X, tomografia e ressonância magnética serão solicitados.

Como é o tratamento?

Existem técnicas desenvolvidas para restaurar a movimentação articular. O ajustamento, quando indicado, é específico e indolor. Com isto, observa-se diminuição da dor, relaxamento muscular, aumento da mobilidade e restauração da função articular.

Quanto tempo leva a recuperação?

Depende de fatores como idade, estilo de vida e duração do problema. O início do tratamento requer visitas mais frequentes, de uma a três vezes por semana. É comum os tratamentos durarem entre um a três meses.

Como surgiu a Quiropraxia?

Surgiu em 1895 nos Estados Unidos, quando o pesquisador Daniel David Palmer começou a tratar pessoas com manobras manuais, dando a profissão o seu nome atual. Está entre as três maiores profissões na área de saúde na América do Norte e Europa.






Por: Leandro Rodrigues - ClicRBS

Publicado em: 04/08/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/bem-estar/19,0,2993028,Conheca-os-beneficios-das-quiropraxia-no-combate-a-desconfortos-musculares.html

Dúvidas comuns sobre a Quiropraxia

Quais os principais problemas tratados pela Quiropraxia?

- Dores na coluna lombar
- Hérnia de disco e dor ciática
- Dores no pescoço
- Dores de cabeça
- Dores e tensão muscular
- Problemas nas articulações do ombro, cotovelo, punho, joelho, tornozelo
- Restrições a movimentações

Como é feito o diagnóstico?

Após uma entrevista e exame clínico que inclui análise postural, teste ortopédico e neurológico e palpação de articulações, músculos e outras estruturas afetadas. Caso sejam necessários, exames como Raio X, tomografia e ressonância magnética serão solicitados.

Como é o tratamento?

Existem técnicas desenvolvidas para restaurar a movimentação articular. O ajustamento, quando indicado, é específico e indolor. Com isto, observa-se diminuição da dor, relaxamento muscular, aumento da mobilidade e restauração da função articular.

Quanto tempo leva a recuperação?

Depende de fatores como idade, estilo de vida e duração do problema. O início do tratamento requer visitas mais frequentes, de uma a três vezes por semana. É comum os tratamentos durarem entre um a três meses.

Como surgiu a Quiropraxia?

Surgiu em 1895 nos Estados Unidos, quando o pesquisador Daniel David Palmer começou a tratar pessoas com manobras manuais, dando a profissão o seu nome atual. Está entre as três maiores profissões na área de saúde na América do Norte e Europa.

Por: ZeroHora - ClicRBS

Publicado em: 04/08/2010

Fonte: http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default2.jsp?uf=1&local=1&source=a2993136.xml&template=3898.dwt&edition=15226§ion=1043

Dores no pescoço: 7 (sete) dicas simples para atenuar o problema

Reclamação é a segunda mais frequente nos locais de trabalho.

A dor no pescoço é vice-campeã de reclamações nos locais de trabalho. A campeã é a dor nas costas. Nos Estados Unidos, por exemplo, pacientes crônicos têm direito a reduzir atividades que possam agravar o quadro e a acomodações apropriadas no ambiente profissional. De acordo com o ortopedista Gilberto Anauate, do Hospital Santa Paula (SP), a dor no pescoço não é causada apenas pela má postura, podendo ser um problema emocional.

— O estresse pode ser o grande vilão da cervicalgia em grande parte dos casos. Os músculos localizados atrás do pescoço têm de estar sempre tensos para suportar a parte de cima do corpo. Quando eles trabalham além da conta, sofrendo contrações constantes de fundo nervoso, a dor é inevitável. Inclusive, pode ser irradiada para os ombros ou ainda resultar em dor de cabeça — diz o médico.

O ortopedista afirma que, por apresentar grande mobilidade em relação ao restante da coluna, a região cervical está mais sujeita a dores e contraturas musculares devido à friagem e, principalmente, episódios de alta tensão psicológica. Uma vez diagnosticada a raiz do problema, Anauate orienta o paciente a buscar ajuda especializada.

— Cada vez mais surgem recursos terapêuticos que podem amenizar a dor no pescoço. O paciente pode ser orientado a seguir um tratamento à base de anti-inflamatórios e relaxantes musculares, ou mesmo a buscar terapias complementares, como a acupuntura. O ideal é que seja feita uma investigação personalizada.

O especialista alerta ainda para a importância de se levar o sintoma a sério e buscar imediatamente ajuda especializada.

— Ninguém pode se acostumar com a dor. Se ela começar a irradiar para os braços, ou se o paciente começar a sentir 'pinçadas' no pescoço, é necessário uma investigação diagnóstica mais detalhada.

Abaixo, Anauate aponta sete dicas para driblar a dor no pescoço:

1. Nos dias frios, agasalhe-se bem e evite tomar friagem;

2. Quem trabalha o dia inteiro diante do computador deve fazer pausas para movimentar ombros e pescoço lentamente, por alguns minutos, a cada duas horas. Esse hábito alivia a tensão que normalmente se acumula ao longo do dia;

3. Quem passa horas no trânsito não pode descuidar do pescoço. Além do cinto de segurança, é importante contar com um encosto de cabeça devidamente ajustado ao corpo, mantendo os braços esticados e as mãos firmes no volante. Não dirija se a dor estiver muito forte;

4. Massagens suaves com óleos aromáticos ou anti-inflamatórios em gel ou creme também contribuem para aliviar a dor;

5. Donas-de-casa devem se acostumar com novos hábitos na hora de se abaixar ou suspender objetos. É importante usar mais a força das pernas para abaixar ou se levantar.

6. É importante praticar regularmente atividades de relaxamento para a mente e o corpo. Isso inclui terapias alternativas, hobbies, ou simplesmente se dar ao luxo de descansar mais;

7. Usar travesseiro é indicado. Mas a escolha deve recair sobre um modelo que não seja nem muito fino, nem muito grosso. O ideal é dormir de lado e escolher um travesseiro que se encaixe muito bem entre a extremidade do ombro e o início do pescoço.


Por: ClicRBS - Seção: Notícias - Bem Estar

Publicado em: 17/08/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/bem-estar/19,0,3008546,Dores-no-pescoco-sete-dicas-simples-para-atenuar-o-problema.html

Tai Chi Chuan para melhorar a saúde e aumentar a autoestima

A sociedade moderna praticamente atingiu o ápice no que diz respeito aos recursos materiais. A cada dia novos e mais surpreendentes avanços tecnológicos são inseridos no convívio coletivo, de forma frenética e, muitas vezes, descontrolada. As comunicações, o transporte e a medicina estão em patamares inimagináveis de desenvolvimento. Lamentavelmente, a qualidade de vida no Ocidente – com raríssimas exceções – não acompanhou todo esse progresso.

No Brasil, por exemplo, o “fantasma” da falta de qualidade da saúde pública ainda ronda grande parte da população. Atualmente até mesmo o conceito de saúde resume-se apenas à ausência de sintomas patológicos. Difícil imaginar que a maioria de uma nação/con o americano Dean Ornish, no livro Amor & Sobrevivência (Editora Rocco), trata-se de uma doença que em muitos casos está diretamente relacionada à qualidade de vida, das relações sociais e da construção dos processos mentais de cada indivíduo.

Esses são apenas alguns problemas que podem desencadear uma série de outros ainda mais complicados, no decorrer da vida de uma pessoa que não vê importância na busca de práticas e terapias que ajudam o indivíduo a achar o seu centro, a viajar em seu mundo interior, a praticar regularmente a disciplina do autoconhecimento.

Tai Chi Chuan
Neste cenário de alerta, a busca por antigas tradições testadas e extremamente eficazes para inúmeras pessoas no decorrer de milhares de anos, é algo emergente. É neste contexto que está em franca expansão no Brasil – e agora em Palmas, através do Instituto Maitri – o Tai Chi Chuan Estilo Yang Tradicional.

Trata-se de uma arte marcial moldada no que há de mais clássico e ao mesmo tempo atualizado método de aperfeiçoamento de seus praticantes, também popularmente conhecida como “meditação em movimento”.

De origem que remonta há vários séculos – inclusive baseado numa filosofia que surgiu bem antes de Cristo –, o Tai Chi Chuan vem sendo aperfeiçoado no decorrer da história e, neste período, teve (e tem) suas entranhas permeadas por conceitos que hoje, nesta sociedade cada vez mais caótica, voltam a ser consultados. Trata-se da ética e da moral do Confucionismo, da ampla visão de mundo e da disciplina apurada do Budismo e do Taoísmo.

Mas, para praticar Tai Chi Chuan há necessidade de trocar de religião? De forma alguma! O estudante que o praticar com esmero, não só aprenderá a respeitar as várias formas de pensamento, como certamente irá ter uma postura ainda mais contemplativa e participativa em relação à sua religião de origem.

Benefícios
Esta arte marcial chinesa, que não desenvolve atividades competitivas, leva o estudante a trilhar um caminho de autoconhecimento e crescimento interior. Isso tudo, claro, resulta em estímulo à qualidade de vida, à manutenção de uma boa saúde e à constante disposição física em mental. Com o passar dos anos, o aluno observará – e poderá atuar no – seu próprio fluxo de energia, além de introjetar uma belíssima arte marcial que só pode ser usada em casos de legítima defesa.

Visão ampla
“O Tai Chi Chuan é uma arte que pode ser utilizada como exercício e sistema integral e saúde”, afirma a professora/mestre Ângela Soci, diretora da Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan e Cultura Oriental (SBTCC), de São Paulo, onde os instrutores do Instituto Maitri realizam seus processos de formação. Esta visão generosa da Família Yang possibilita o TCC ser trilhado tanto à luz da arte marcial propriamente dita, quanto à luz da terapia enquanto alternativa eficaz nos processos de recuperação da saúde e autocura.

Mas o professor/mestre Roque Severino – que também é lama do budismo dos Himalaias em São Paulo e diretor da SBTCC – alerta: “Meu mestre já me advertia que para um aluno aprender bem a forma [técnica que na Família Yang é dividida em 103 posturas contínuas] leva-se cinco anos, e para aprender a se defender, mais dez anos”. Isso sem falar que, no decorrer dos anos, o aluno pode aprender a utilizar as armas (sabre, espada e bastão), a emitir energia (fajin) e a perceber a energia de seu suposto oponente ou colega (tue shou = empurrar com as mãos).

Assim, o Tai Chi Chuan é uma arte para ser praticada por toda vida, e seu poder é tão grande que se um curioso apenas estudar os seus preceitos teóricos, relacionados à filosofia que permeia a China desde milhares de anos, provará de imensurável transformação em sua forma de encarar a vida. Imagina, então, colocar isso em prática, com ética e responsabilidade, devagar e sempre? Isso, sim, é o verdadeiro trilhar em busca das respostas que só poderão ser encontradas dentro de cada um que as procuram.

Instituto Maitri
A filosofia Oriental, de forma geral, ainda é pouco difundida, estudada e conhecida em Palmas. Apesar dos esforços de grupos – ou até mesmo de ações individuais, o estudo e prática sistemáticos de técnicas que envolvem a ética e a moral, a saúde e o bem-estar e as questões místicas, relacionadas à busca pelo Sagrado – temas recorrentes na cultura Oriental – encontram um vasto campo para se desenvolver no jovem estado brasileiro e sua capital.

O Instituto Maitri nasce para colaborar com a ampliação dos atuais canais de difusão local do imensurável conhecimento milenar do Oriente. E, a princípio, irá trabalhar em três vertentes: aulas regulares de Tai Chi Chuan (início da forma longa da Família Yang – veja mais no tópico "O que é Tai Chi Chuan?"), aulas regulares de Chi Kung e venda de livros com temática Oriental, sobretudo os que abordam a prática do Tai Chi Chuan e Chi Kung, além de livros de referência Budista, Confucionista e Taoísta, filosofias que dão sustentação à arte marcial.

Em médio prazo o Instituto pretende iniciar um canal de diálogo com os mestres da cultura Oriental que moram em São Paulo, através da realização em Palmas de palestras e Workshops.

Conheça os instrutores
Douglas Nery tempos atrás, ao ter acesso à literatura que aborda o Tai Chi Chuan, esta arte marcial milenar que harmoniza a vida e fortalece a saúde, resolveu iniciar sua caminhada rumo ao auto-conhecimento e dedicou parte do seu tempo a estudar e praticar a arte; paralelamente entrou no curso de formação de instrutores da Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan (SBTCC), e logo se afeiçoou pelos mestres Ângela Soci e Roque Severino, representantes da Família Yang no Brasil e América do Sul.

Sonielson Sousa, já no primeiro contato com a filosofia e mística Oriental, algum tempo atrás, fascinou-se pelos ensinamentos dos mestres da Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan, Roque Enrique Severino (Lama Zopa Norbu) e Ângela Soci. Impulsionado pelos mestres da SBTCC, percebeu que a milenar arte marcial/filosofia chinesa traz resultados imensuráveis, em todos os aspectos da vida.




Por: Jornal O Girassol - Seção: Últimas Notícias

Publicado em: 19/08/2010

Fonte: http://www.ogirassol.com.br/pagina.php?editoria=%C3%9Altimas%20Not%C3%ADcias&idnoticia=18397

O significado das cores

A nossa cor favorita, a cor com que nos gostamos de vestir em certas ocasiões, as cores com que decoramos a nossa casa ou até o facto de nos sentirmos mais atraídos por alguns alimentos não são fruto do acaso.

A simbologia das cores está estudada e a cromoterapia serve para tratar estados comportamentais. Muitas vezes é usada para tratar a agressividade, a depressão, a irritabilidade, etc.

Segundo o diagnóstico, os pacientes deverão ser expostos a diferentes cores: o vermelho é ideal para hipotensos e depressivos; o amarelo para pessoas com problemas de auto-estima, o azul para pessoas com palpitações cardíacas e inquietas.

Se pensarmos que grande parte das nossas vidas são passadas em espaços fechados devemos cuidar as cores das quais nos rodeamos. Em casa para termos uma sensação de paz deveremos sempre pintar as paredes de cores como o branco, o bege ou o rosa claro. Sobretudo nas divisões de descanso.

Nas roupas se há cores como o vermelho, o amarelo e o preto ideais para demonstrar poder e autoridade. Para quem quer passar despercebido os tons como o rosa claro ou o azul são os ideais, pela tranquilidade que despertam. Para quem quer demonstrar estabilidade o castanho é a melhor cor.



Por: Catarina Ferreira - Jornal de Notícias (PT) - Seção: Viva +

Publicado em: 23/08/2010

Fonte: http://jn.sapo.pt/VivaMais/Interior.aspx?content_id=1645822

Traumatismos e seus tratamentos pela fitoterapia chinesa

Existe uma infinidade de tipos de traumatismos que podem ocorrer em nosso cotidiano: do entorse à contusão, da luxação à fratura, cada qual com um tratamento específico.

De modo geral quando há um entorse ( uma lesão que ultrapassa o limite normal de movimento de uma articulação, onde , em geral ocasiona uma distensão dos ligamentos e da cápsula articular), a pessoa sente dor intensa ao redor da articulação e dificuldade de movimentação em graus variáveis, podendo inclusive haver sangramento interno. Nestes casos, como medida terapeutica de um primeiro socorro recomenda-se aplicar frio intenso no local, com gelo, compressas frias e outras formas que se tem em mãos no momento ,e não fazer pressões, massagens e aplicações quentes principalmente nas primeiras 24 horas após a lesão. Na contusão, outra forma de trauma, provocada por um forte impacto na superfície do corpo, onde ocorre lesão nos tecidos moles da superfície, nos músculos ou ligamentos, que varia de extensão e profundidade, a coloração de pele se torna roxa e existe muita dor local, os procedimentos indicados para que a pessoa adote são os mesmos do entorse. Já na luxação, que é o deslocamento de um osso da articulação , geralmente acompanhada de uma grave lesão de ligamentos e cápsulas articulares, ( que resulta no posicionamento anormal de dois ossos da articulação, provocando dor intensa, sangramento interno, deformação e movimento anormal da articulação), usa-se um outro procedimento.O procedimento de um primeiro socorro indicado é colocar com cuidado os dois ossos numa posição de conforto que permita imobilizar e transportar à unidade adequada com o mínimo de dor, procedimentos estes que só devem ser feitos por profissionais.

À parte estes tratamentos iniciais, importantes e necessários, a terapêutica chinesa "vê" e separa os danos traumáticos de 3 formas ou padrões principais, cada qual com variações clínicas que requerem uma estratégia de tratamento diferente também. Para que o tratamento seja verdadeiramente eficaz, é importante conciliar a estratégia de tratamento com o estado e manifestação da lesão.
É o estado do trauma que é a condição fundamental para a escolha das fórmulas fitoterápicas a usar. Obviamente, há mais padrões de manifestação do que estes 3 estados, em especial nas fraturas as quais aqui,não foram citadas.

O tratamento varia da seguinte forma: no primeiro estado do trauma, o mais distindo, onde ocorre dor, e apresentação de vermelhidão ou não,( mas um estado no qual a pessoa refere a sensação de calor o que algumas vezes este calor pode ser constatado ao toque). Estado em que os sintomas podem durar de horas à várias semanas dependendo do grau da lesão, as fórmulas herbárias tem um objetivo específico. O objetivo é dispersar o calor e drenar as toxinas , aliviando desta forma as dores, e ajudando na reparação do tecido afetado. São fórmulas extremamente frias.

Na sequencia , no segundo estado do trauma ocorre uma inflamação inicial proveniente do primeiro estado. Neste ponto, o que permanece é a estagnação de sangue e de outros líquidos, o que provoca dor e rigidez. O tecido danificado enfraquece as defesas contra agentes invasores externos e internos. O inchaço pode permanecer, especialmente se a lesão for severa e não for tratada no primeiro estágio. A Estratégia terapeutica aqui é similar a primeira, mas o objetivo de diminuir o calor, torna-se secundário. O que é prioritário neste estado é a promoção do correto movimento do sangue. São indicados fitoterápicos (plantas) que eliminam a umidade local excessiva para que não ocorra um processo crônico.

No terceiro estado do trauma, há necessidade de reconstruir o tecido e eliminar fatores externos, que se penetrarem no interior da lesão, poderão agravá-la. Aqui, resulta que seja inevitável sobrepor as fórmulas do 2º e 3º estado de trauma. Nas duas etapas anteriores dever-se-á mover o sangue, expelir os fatores que causam a cronicidade do processo e aliviar a dor. Mas enquanto que no 2º estado o calor poderá ser ainda fator menor, e as fórmulas serem feitas com plantas de natureza frias ou neutras, já no 3º estado de trauma as fórmulas são com as plantas mais quentes de todo o tratamento de trauma. Estas plantas contêm, um suplemento para estimular a regeneração dos ligamentos, da cartilagem e dos ossos.

A lesão traumática, qualquer que seja, deve ser sempre tratada pela sua manifestação atual, podendo o método ser mudado se esta manifestação modificar, pois desta foma o sucesso terapeutico será conseguido em profundidade.


Por: G. Hoffmann - O Barriga Verde - On line

Publicado em: 23/08/2010

Fonte: http://www.adjorisc.com.br/jornais/obarrigaverde/colunistas/g-hoffmann/traumatismos-e-seus-tratamentos-pela-fitoterapia-chinesa-1.331164

Reflexologia podal alivia as tensões

Uma das causas mais comuns das doenças é o estresse, efeito das pressões cotidianas associadas à poluição, má alimentação e falta de exercícios. Somos afetados em diferentes níveis. Alguns desenvolvem problemas como dor de cabeça e enxaqueca, tensão na nuca, dor nas costas, distúrbios digestórios, pressão alta, doenças na pele e constantes gripes e resfriados. Massagear os pés é uma das formas mais eficazes de relaxamento, mas há funções menos conhecidas, como a abordada pela reflexologia podal: aliviar estas tensões e atuar no melhor funcionamento do nosso corpo.

De acordo com o massoterapeuta Waldir Kikuichi, esta é uma das técnicas de massoterapia. “A reflexologia podal, como terapia complementar aos tratamentos convencionais, compreende o tratamento de vários distúrbios do corpo, através da aplicação de pressão nos pés. Neles existem pontos ligados a todos os órgãos”, explica. Estimulando cerca de 70 mil terminações nervosas presentes em cada pé, além do relaxamento, é possível tratar problemas musculares, circulatórios e emocionais, como ansiedade, depressão, distúrbios do sono, em rins, intestino, entre outros.

Sem caráter estético, a reflexologia podal revela que o pé tem um ponto específico para cada órgão do corpo e por isso, quando estimulados, é possível perceber alterações. “Quando há algum desequilíbrio no funcionamento do coração, por exemplo, o ponto correspondente ao coração no pé é mais sensível e detectamos o distúrbio. Através disso, podemos indicar que a pessoa procure um cardiologista e complemente o tratamento com a massagem”, afirma Kikuichi.

A reflexologia trata, ainda, dos pontos existentes nas mãos, mas, segundo o massoterapeuta, a técnica aplicada nos pés surte mais efeito, já que é região onde possuímos maior sensibilidade. Totalmente realizada com as mãos, essa massagem dura entre 30 e 40 minutos e não deve causar nenhuma dor. Mas o especialista destaca que a técnica não é indicada para mulheres grávidas e pessoas diabéticas, pois se torna arriscado lidar com os descontroles do metabolismo.

Por: JM - Jornal da Manhã - On Line

Publicado em: 18/08/2010

Fonte: http://www.jmonline.com.br/novo/?noticias,7,SA%DADE,32619

Estudo diz que yoga ajuda a melhorar humor e a diminuir ansiedade

Uma pesquisa da Faculdade de Medicina da Universidade de Boston, nos Estados Unidos, sugere que a ioga tem efeito positivo no humor e na diminuição da ansiedade. De acordo com a pesquisa, a prática estimula a produção de um neurotransmissor conhecido como GABA, que diminui os estímulos nervosos e relaxa as células do cérebro.

GABA é a sigla em inglês para ácido gama-aminobutírico, regulador de sinapses (conexões entre neurônios). Baixos níveis do ácido são associados com a depressão e outros transtornos de ansiedade.

Os pesquisadores acompanharam dois grupos aleatórios de pessoas saudáveis durante 12 semanas. Um deles praticou ioga três vezes por semana durante uma hora, enquanto os demais caminharam durante o mesmo período.

Usando imagens de ressonância magnética, os pesquisadores digitalizaram os cérebros dos voluntários antes do início do estudo. Na 12ª semana, os cientistas compararam os níveis de GABA de ambos os grupos antes e depois da última sessão de 60 minutos.

Cada pessoa também foi convidada para avaliar o seu estado psicológico ao longo do estudo. Aqueles que praticaram ioga mostraram uma diminuição mais significativa da ansiedade e mais melhorias no humor do que aqueles que andaram, segundo o autor do estudo e professor de psiquiatria e neurologia da Universidade, Chris Streeter.

- Com o tempo, mudanças positivas nestes relatórios foram associadas ao aumento dos níveis de GABA.

De acordo com Streeter, a prática da ioga pode ser considerada como uma terapia potencial para certos transtornos mentais.




Por: Expresso Mato Grosso - Fonte: R7

Publicado em: 23/08/2010

Fonte: http://www.expressomt.com.br/noticiaBusca.asp?cod=87313&codDep=3

Conheça os benefícios das farinhas de frutas, alimentos ricos em fibras

Elas protegem as artérias, reforçam as defesas do organismo e ajudam a prevenir o diabetes

Elas passam quase despercebidas, mas são tão importantes quanto as proteínas, os carboidratos e as gorduras na dieta. As fibras, encontradas em cereais, legumes, hortaliças e frutas, mantêm o equilíbrio da flora intestinal, protegem contra câncer, reduzem o colesterol e a glicose. E agora há uma maneira mais fácil e saborosa de consumi-las, nas farinhas de casca de maracujá, de banana verde, de laranja e de uva vermelha. Além de melhorar a saúde, elas ajudam a emagrecer sem remédio.

O consumo médio diário de fibras recomendado é de 25g e, nesse total, tem espaço para as farinhas. Elas vão bem com saladas de frutas, verduras, sucos, nas sopas, ou em receitas de bolos, biscoitos, tortas, massas de panquecas e mingaus substituindo a farinha de trigo, ensina a nutricionista Isabel Jereissati, do Núcleo Integrado de Atenção à Saúde da Mulher da Santa Casa de Misericórdia do Rio.

— As farinhas de frutas são ótimas para os intestinos, que também produzem células do sistema imune. E quando eles funcionam bem, nossas defesas se reforçam — diz.

A de casca de maracujá, por exemplo, é rica em pectina, fibra boa para o controle do diabetes, e que forma um gel que reduz a absorção de gordura no intestino, protegendo as artérias e o coração. E melhor, aumenta a saciedade. A de uva vermelha contém resveratrol (encontrado principalmente nas sementes, na película e no vinho), antioxidante que previne entupimento de vasos ao estimular a produção, pelo fígado, de HDL (colesterol bom) e reduzindo o LDL (o ruim). Sem falar que as farinhas evitam prisão de ventre.



Por: Agência Glogo - ClicRBS - Seção: Notícias

Publicado em: 18/08/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/donna/19,206,3009734,Conheca-os-beneficios-das-farinhas-de-frutas-alimentos-ricos-em-fibras.html

Medicina Tradicional Chinesa pode ajudar a reduzir efeitos secundários da quimioterapia

A medicina tradicional chinesa pode ajudar a reduzir os efeitos secundários da quimioterapia em doentes com cancro, de acordo com um estudo divulgado na quarta feira.

O estudo, publicado na Science Translational Medicine (do mesmo grupo da revista Science), sugere que o fármaco Huang Qin Tang (da medicina tradicional chinesa), fabricado a partir de flores de Peónias, Escutelária e seiva de árvores, para tratar desordens intestinais, como vómitos e diarreia, pode ajudar os doentes sujeitos a quimioterapia.

Os investigadores Yung-Chi Cheng e Wing Lam, da Faculdade de Medicina de Yale, em conjunto com a farmacêutica PhytoCeutica, criaram um fármaco, que ainda se encontra em fase de testes mas foi testado com sucesso em ratos.

O composto demonstra os efeitos curativos desta mistura de plantas em ratos com cancro sujeitos a quimioterapia.

De acordo com Young-Chi Cheng, o uso de plantas medicinais em conjunto com químicos mais modernos "poderá conduzir ao desenvolvimento dos medicamentos do futuro".

Após alguns dias de tratamento com o fármaco, os investigadores observaram que os danos que os ratos tinham no revestimento intestinal foram sarados.

Os investigadores descobriram que as moléculas de sinalização das células-tronco (conhecidas como Wnts) estavam presentes em níveis mais elevados do que o normal no intestino dos ratos tratados com o fármaco.

Os investigadores concluíram que o fármaco em si não simula a sinalização das Wnts, mas ao misturar-se com uma enzima bacteriana do intestino desencadeou uma reacção que regenera as células danificadas.

A sinalização das células faz parte do processo de actividade celular, que é fundamental para um correto funcionamento do organismo.

Os investigadores descobriram que, além de ajudar a repor as células intestinais, a medicina herbal evitou o movimento de células inflamatórias no intestino e reduziu a sua inflamação.

"A combinação da quimioterapia com as propriedades das plantas é uma simbiose entre as tentativas do Oriente e do Ocidente para tratar o cancro", assinalou Young-Chi Cheng.



Por: "DN" Diário de Notícias (Lisboa/Pt) - Seção: Notícias - Ciência - Saúde

Publicado em: 19/08/2010

Fonte: http://dn.sapo.pt/inicio/ciencia/interior.aspx?content_id=1644647&seccao=Sa%FAde

Eczema é tratada com ervas e florais

Conhecida como “dermatitis” ou como “dermatose inflamatória com formação de vesículas e crostas” pelo Dicionário Aurélio, eczema é uma doença que se manifesta na pele e atinge milhares de pessoas pelo mundo, muitas delas sem sequer saber que são portadoras. Nos EUA, onde há estatísticas mais confiáveis na área de saúde, é assustador o número de pessoas que se queixam da doença: dez milhões de pessoas, segundo estudos da “Pacific College of Oriental Medicine”, do estado de Nova Iorque, uma das mais conceituadas faculdades de Medicina Oriental fora do Oriente. O norte-americano é um povo que mais se medica sozinho. Os tratamentos da medicina alopática (remédios químicos cheios de contra-indicações) são efetivos imediatamente, isto é, o antibiótico funciona mas o que faz é recolher a doença (não cura), que a cada medicação, as vezes errada, só contribui para o fortalecimento das raízes da doença, que se manifesta na pele, através de coceira, comichão, as vezes racha a pele, sangra, cria bolhas (e é confundido com Herpes), camadas escamosas. Há vários tipos e variam de acordo com a história química da pessoa. Ainda não se sabe se é transmissível pelo contato sexual. A Eczema também afeta pessoas com asma (e vice-versa) ou com crises de alergia e em todos os casos são questões emocionais que se materializam em forma de psicossomatização, embora a medicina alopática ainda não consiga ver dessa forma. Nos EUA, a psicossomática é ainda uma medicina nova porque o “mercado” é dominado pelos laboratórios farmaceuticos que não querem ver ninguém curado. A fitoterapia não tem o efeito imediato como o antibiótico, mas, vai até a raiz da doença.

Quando o paciente for escolher um especialista para tratar o seu caso deve procurar aquele que além de especialista em pele seja também psicossomatista e ou homeopata para que possa olhar a doença como um todo e não um pedaço dela. Veja que os planos de saúde não escolhem especialistas que utilizam métodos naturais de cura, o que é contraditório da parte deles, por razões econômicas, isto é, eles gastam mais dinheiro com essa gente. Há bons fitoterapeutas pelo Brasil inteiro e a sugestão é que eles trabalhem em parceria com especialistas-médicos, farmácias fitoterápicas e homeopáticas.

Médicos viciados nas indicações dos laboratórios farmacêuticos, acomodados na renda farta do consultório, devem ser evitados. Há médicos felizes, dedicados e estudiosos que já sabem que precisam juntar e não separar, como também há médicos que mantém em suas clínicas Terapeutas Florais, Terapeutas Reiki, homeopatas (não-médicos) e acupunturistas (não-médicos) e encaminham clientes para fitoterapeutas, psicanalistas e psicólogos. Porque, afinal de contas, é preciso honrar a profissão e adquirir um Karma positivo nesta vida. A homeopatia também faz um trabalho de resgate profundo na raiz das doenças.

Há pessoas predispostas a sofrer de eczema? Sim. Essa doença pode passar de pais para filhos porque as doenças de ordem emocional são transmissíveis hereditariamente também. Sim, as pessoas mais sensíveis na família, aquelas que não conseguem trabalhar sua emoções e engolem todos os problemas familiares são as mais propensas a sofrerem de eczema e transmitirem para seus filhos que não fizerem terapia (para se livrarem das neuroses dos pais e avós). Geralmente são pessoas boas que preferem adoecer do que reagir às doenças emocionais dos membros da família, aceitam tudo calado, concordam mesmo que o assunto esteja mal-encaminhado ou moral e eticamente errado/equivocado, só para não contrariar e assim não expressam suas emoções, inclusive das religiões castradoras. Essas pessoas geralmente não fazem orações diárias e o anjo-da-guarda delas está afastado porque sabe que a pessoa não valoriza a vida na sua integralidade. Você examina a pele de quem você vai para a cama? e a babá que cuida do seu bebê?

Como tratar eczema? De acordo com a milenar Medicina Oriental, no Brasil a parte mais conhecida é a Medicina Tradicional Chinesa (MTC), a eczema se expressa na pele e tudo que se expressa na pele tem origem no fígado. Aí é que a MTC se encontra com a Psicossomática e, juntas, dizem que o fígado é diretamente afetado pelas emoções, sejam elas boas ou ruins. Pessoas com o fígado congestionado tendem a sofrer de mau-humor, inclusive ao acordar. Alcoólatras e viciados em drogas e maconha, por exemplo, depois de alguns anos, com a idade ou de acordo com a constituição física, começam a apresentar problemas de pele.

Quando as pessoas estão amando ou estão felizes consigo mesmo não usam drogas, a pele fica limpa, saudável e bonita. O viciado em drogas e as pessoas infelizes usam cremes para disfarçar os problemas e a secura da pele. A exceção é quando a pessoa mora em um lugar onde há secura natural como Brasília de maio a setembro. Quando as pessoas estão infelizes ou passando por pressões de trabalho, de família ou acumulando um sofrimento por algum tempo começam a apresentar problemas de pele. Como já disse, as questões emocionais são transmitidas de pais para filhos, as vezes por gerações seguidas, inclusive depressão. Você quer isso para os seus filhos e netos? As ervas medicinais da MTC mais indicadas contra eczema, são: fang feng, tian men dong, gan cao, shi gao, yi yi ren, ku shen, sheng di huang, zhi mu, and mu dan pi. O fitoterapeutas brasileiros têm dificuldade de importar as ervas chinesas, por várias razões: a Anvisa dificulta e o medo de comprar ervas contaminadas porque tudo na China está sendo contaminado pela explosão econômica sem controle que está acontecendo lá. Então, a solução é ir à China e trazer as sementes para plantar no Brasil!

Filhos de viciados em drogas e em maconha, por exemplo, tenderão a nascer com vários problemas, inclusive de fígado porque as drogas e a maconha secam o sistema linfático, o pulmão, sobrecarregam a digestão do fígado e aí o ambiente é perfeito para alergias. Viciados em maconha sofrem, também, muito de alergias porque o corpo perde a imunidade natural com o uso da erva tóxica. Vai levar muito tempo, ainda, para a ciência oficial chegar lá com suas medições. O problema que envolve o uso da maconha medicinalmente é o erro dos laboratórios em separar os princípios ativos dela. O estado da Califórnia, nos EUA, legalizou a maconha por razões econômicas (só para diminuir as gangues). Um erro técnico, em termos de saúde.

As famílias brasileiras conhecem bem as ervas medicinais ensinadas por gerações. Entre elas estão “a bardana, por exemplo, é um tônico hepático e quando o fígado funciona bem para filtrar as toxinas do sangue, geralmente a pele é mais saudável. Da mesma maneira, o trevo-dos-prados é um purificador muito eficiente. Outras ervas como o alcaçuz, chá das flores da calêndula (cravo-de-defunto) e especialmente o gingko biloba têm efeitos anti-inflamatórios potentes se usados topicamente” (http://saude.hsw.uol.com.br/como-tratar-a-dermatite5.htm) .

Os florais do Sistema Saint Germain que trabalham as emoções ligadas à eczema são: Aloe, Arnica Silvestre, Fórmula Leucantha.Veja também o link abaixo, que inclui o tratamento da eczema com homeopatia. Lembro que a automedicação, mesmo com ervas, é um risco grande. Não são as ervas medicinais que são perigosas. É a ignorância da medicina alopática que tem uma perfeita propaganda ao contrário, para que o povo se afaste de suas raízes naturais que incluem o uso de ervas medicinais. A questão é como utilizá-las, mas o fitoterapeuta experiente sabe e guarda consigo as receitas da vovó. Você misturaria limão com pimenta-do-reino na carne? Nunca! Esses dois não dão certos juntos!

É preciso ter o aval de um especialista para iniciar um tratamento com ervas porque a psoríase (como a homeopatia chama eczema) pode ser confundida com herpes. Uma das características da eczema é a coceira e os sintomas parecidos com alergia. Existe remédio para alergias? Não, quem quizer que se engane com as receitas médicas! O remédio está no consultório de um psicanalista, especialmente se ele utiliza florais, homeopatia e Reiki. A coceira é o corpo chamando a atenção do usuário pedindo providências para que o usuário faça a opção pela saúde e não pela doença, como muita gente prefere. As pessoas que preferem a doenças são fáceis de identificar: Elas sempre dizem “a minha dor-de-cabeça”, a “minha eczema”, “a minha alergia a isso e a aquilo”. É uma programação celular feita pela mente. A natureza do “vírus” da doença depende da imunidade e da constituição física de cada um (somos todos diferentes fisicamente), juntando aí a herança genética dos pais desta vida e as doenças das vidas passadas. Veja o link: http://www.forumnow.com.br/vip/topicos.asp?forum=107373&grupodiscussao=227620



Por: José Joacir dos Santos

Publicado em: 17/07/2010

Fonte: http://www.joacir.com/eczema-e-tratato-com-ervas-e-florais

Testes simples da reflexologia

Pegue um dente de alho e esfregue na sola dos pés, principalmente na região próxima ao calcanhar. Sentirá a sensação de ter ingerido alho, inclusive exalando aquele hálito “peculiar”. Nessa região, estão as zonas reflexas da boca e estômago;

Quando estiver com nariz “entupido”, experimente esfregar uma pomada expectorante, massageando a região da planta dos pés, próxima à região do encontro com os dedos. Essa região estimula, justamente, o pulmão e peito.

Por: JM - Jornal da Manhã - On Line - Seção: Variedades

Publicado em: 18/08/2010

Fonte: http://www.jmonline.com.br/novo/?noticias,3,VARIEDADES,32620

Fatores de Risco da Aterosclerose

Existem dois tipos de factores de risco de desenvolver aterosclerose.

O primeiro tipo, incluem-se os casos passíveis de mudança de estilo de vida:

* Stress - resultante do dia-a-dia extremamente agitado a que a sociedade obriga;
* Sedentarismo - quando se cai num ritmo de vida sedentário, deficiente em actividade física aumenta o risco de obesidade, diabetes tipo II, hipertensão e provoca a diminuição dos níveis de HDL. Devemos então aumentar o nível de actividade física, para diminuir o risco de desenvolvimento da doença.
* Obesidade - eleva a pressão sanguínea, os níveis de lípidos no sangue e o risco de contrair diabetes, além de ser um factor de risco independente;
* Diabetes de tipo II - o risco de desenvolvimento de doença coronária é duas vezes superior em homens e três vezes maior em mulheres diabéticas, sendo que a taxa de mortalidade devido à aterosclerose coronariana em mulheres diabéticas parece ser tão grande quanto a taxa para homens não diabéticos com a mesma idade;
* Hipertrigliceridemia e hipercolesterolemia secundárias - resultam quando é praticada uma alimentação desequilibrada, com excesso de gorduras;
* Hipertensão arterial - as alterações de pressão do fluxo sanguíneo prejudicam a parede interna das artérias;
* Tabagismo - os fumadores vêem a sua probabilidade de desenvolverem aterosclerose coronária aumentada em 70%. O número de anos em que se é fumador, bem como a profundidade com que o fumo é inalado aumentam o risco. Para isto contribui o facto do acto de fumar aumentar a aderência das plaquetas, provocando lesões no endotélio arterial. Contribui para o espessamento das artérias, aumenta os níveis de colesterol LDL e potencia o aumenta da pressão sanguínea. Estes perigos também se aplicam nos fumadores passivos, embora naturalmente, com uma percentagem menor.

No segundo tipo, encontram-se situações que não são passíveis de alteração:

* Sexo do indivíduo - o sexo mais afectado é o masculino, sofrendo também normalmente mais cedo. A mulher parece beneficiar da secreção hormonal específica dos ovários, nomeadamente dos estrogéneos, situação que, naturalmente, cessa após a menopausa;
* Predisposição hereditária - nestes doentes, a hipercolesterolemia surge logo à nascença, com taxas situadas no dobro do normal;
* Idade - com o aumento da idade, certas lesões vão desenvolvendo mais, sejam elas mais ou menos graves.



Por: "Doenças Cariovasculares - Medicinas Alternativas & Métodos Naturais"

Publicado em: 04/08/2010

Fonte: http://www.webartigos.com/articles/44045/1/Factores-de-Risco-da-Aterosclerose/pagina1.html

Estética e Saúde - "Acupuntura Estética"

Tratamento de beleza Técnica é utilizada especialmente para a redução de peso

Poucas pessoas sabem que a acupuntura porporciona mais que benefícios à saúde, é também aplicada com fim estético. Ela complementa tratamentos de beleza, com inúmeras vantagens: é mais acessível, praticamente indolor, é menos agressiva à pele e aos tecidos, em relação às cirurgias; promove homeostase orgânica, resultados duradouros, provoca lifting natural, não altera a expressão natural, não é necessário o uso de anestésicos, pode ser usada de forma corretiva e preventiva.

"Pode soar estranho para quem está acostumado a pensar em acupuntura como tratamento de dores e doenças, mas o lado estético da acupuntura, apesar de não muito difundido no Brasil, é utilizado há bastante tempo" , explica Fabiano Fiorin, acupunturista da Clínica Corporal.

O tratamento, indicado para obesidade, rugas, flacidez, olheiras, acne, celulites, gordura localizada, redução de medidas e cicatrizes, é feito da mesma maneira que as sessões de acupuntura para doenças. Com agulhas ou com laser, o especialista estimula pontos de energia do corpo que não estão em harmonia. "Como forma de complementação utiliza-se a acupuntura auricular, uma vez que nas orelhas temos um microssistema no qual o acupunturista pode potencializar os resultados estéticos" , conta Fiorin.

COMPARE. A principal diferença dos tratamentos comuns, além de não necessitar tempo de recuperação, é que a acupuntura considera o paciente como um todo. Os problemas estéticos normalmente têm ligação com o desequilíbrio da energia de órgãos internos

No caso da estética facial a acupuntura age diretamente sobre o aparelho circulatório, neurovegetativo e hormonal, de um corpo desgastado pelo tempo e pela idade, corrigindo, mantendo e prevenindo possíveis falhas estéticas. Segundo o especialista, isso exige um tratamento geral e um local para reequilibrar todo o organismo energeticamente, além de melhorar o tônus dos músculos faciais e ativar a circulação sanguínea, linfática e energética da pele, aprimorando sua nutrição e aparência.

A partir da 5ª ou 8ª sessão, os efeitos são marcantes, destacando-se por um repuxamento facial e bem-estar geral, melhorando em longo prazo a cor facial, o brilho, elasticidade, atenuando rugas, pés de galinha, diminuindo olheiras, firmando músculos e deixando a face mais serena. Na face as sessões devem ser administradas 1 a 3 vezes na semana, em um conjunto de cerca de 20 sessões iniciais corretivas, com mais duas sessões mensais, coma manutenção.

Na estética corporal a acupuntura é utilizada especialmente no tratamento para a redução de peso. "Os resultados são bem significativos, especialmente quanto a inibição do apetite" , diz Fiorin.

A eletroacupuntura complementa esta técnica com o auxílio na redução de medidas, o que na maioria das vezes é um drama para as pessoas que apresentam sobrepeso. "É importante destacar que, para os orientais, a beleza nasce do estado interior, não sendo a beleza apenas a qualidade do que é belo, mas um estado de beleza que transcende o que pode ser visto."



Por: Gazeta de Piracicaba - On Line

Publicado em: 27/08/2010

Fonte: http://www.gazetadepiracicaba.com.br/conteudo/mostra_noticia.asp?noticia=1703471&area=26050&authent=153361026716236472561674676253

Tai Chi e Chi Kung têm muitos efeitos benéficos para a saúde

Pesquisadores norte-americanos descobriram que os exercícios de Tai Chi e Chi Kung trazem benefícios significativos para a saúde física e mental.

Pesquisadores da Faculdade de Enfermagem e Inovação de Serviço de Saúde da Universidade Estadual do Arizona analisaram 77 testes sobre Tai Chi e Chi Kung realizados entre 1993 e 2007 com 6.410 pessoas.

O estudo fornece uma "base de dados mais forte" sobre os efeitos benéficos dessas práticas para a saúde óssea, a resistência cardio-respiratória, a função física, o equilíbrio, a qualidade de vida, a prevenção de quedas e a saúde mental, disseram os pesquisadores em nota à imprensa publicada quinta-feira no HealthDay News.

Por: "CRI" China Rádio Internácional - On line

Publicado em: 24/08/2010

Fonte: http://portuguese.cri.cn/721/2010/08/24/1s125872.htm

Ervas milenares chinesas invadem a medicina moderna

Usadas há 1.800 anos, podem ajudar a tratar doenças como câncer e diabetes

Com a ajuda de cientistas chineses, o Ocidente está descobrindo os segredos da cura por meio de ervas milenares. Duas pesquisas mostram que as plantas de origem chinesa podem reduzir os efeitos colaterais da quimioterapia, e até auxiliar no tratamento de câncer e diabetes. Os primeiros testes foram feitos em camundongos. Contudo, os pesquisadores estão confiantes de que os resultados irão ajudar a vida de milhões de pessoas em um futuro próximo.

Diabetes - Um estudo feito na China descobriu que a emodina - um composto natural que pode ser extraído de várias ervas chinesas incluindo Rheum palmatum e Polygonum cuspidatum - pode reduzir o impacto da diabetes tipo 2. Pessoas com esse tipo de doença têm resistência a insulina, hormônio responsável por regular a quantidade de glicose na corrente sanguínea. O tipo 1 da doença ocorre quando o indivíduo não consegue produzir quantidades suficientes da substância.

A pesquisa chinesa, publicada no periódico British Journal of Pharmacology, mostra que camundongos com obesidade induzida tiveram os níveis de glicose no sangue reduzidos e a resistência a insulina alterada ao receberem doses de emodina. Além disso, o tratamento proporcionou níveis saudáveis de lipídio na corrente sanguínea, diminuiu o peso dos animais e reduziu a quantidade geral de gordura.

Esse combo de efeitos benéficos seria perfeito para pacientes com diabetes do tipo 2. Pela primeira vez, foi revelado que a emodina é um potente inibidor seletivo de uma enzima chamada 11ß-HSD1. Essa enzima é a grande vilã da história - ela libera no sangue um hormônio chamado glicocorticoide, responsável por oferecer resistência a insulina. Por causa disso, os pacientes não conseguem retirar o açúcar do sangue, caracterizando o quadro da doença.

"Nosso trabalho mostrou que a extração natural de ervas chinesas pode apontar um caminho para uma nova forma de ajudar pessoas com diabetes tipo 2", disse Ying Leng, chefe da pesquisa e pesquisador da Academia de Ciências de Xangai (China). Agora, os pesquisadores precisam desenvolver substâncias que têm os mesmos efeitos da emodina e verificar se elas poderiam ser usadas como drogas terapêuticas.

Fórmula milenar - Outro estudo, feito nos EUA e conduzido pelo cientista chinês Wing Lam, da Universidade de Yale, utilizou uma combinação de ervas usadas há mais de 1.800 anos pelos chineses para tratar náuseas, vômitos e diarreia. Lam deu a mistura milenar a camundongos com câncer sob tratamento de quimioterapia. Seu trabalho foi publicado no periódico Science Translational Medicine.

A receita, conhecida na China por Huang Qin Tang e nos Estados Unidos por Scutellaria Decoction, conseguiu minimizar os efeitos gastrointestinais do forte coquetel de drogas quimioterápicas, sem diminuir a quantidade de células cancerígenas atacadas pelos compostos químicos da quimioterapia - façanha inédita no tratamento do câncer.

A quimioterapia causa vários efeitos colaterais tóxicos que são tratados com diversos remédios, cada um para um propósito específico, e a fórmula chinesa tem múltiplos compostos que agem sobre várias das causas desses problemas "de uma vez só", segundo o cientista Yung-Chi Cheng, autor sênior do artigo. Os camundongos que receberam a fórmula chinesa perderam menos peso e tiveram seus tumores mais combatidos em relação aos animais que não receberam as doses.

O preparo de ervas reduziu o nível tóxico da quimioterapia, diminuiu as inflamações e promoveu a criação de novas células do intestino. Esses resultados não são vistos com remédios atuais, que normalmente atacam apenas um mecanismo. "Essa combinação de quimioterapia e ervas representa o casamento das abordagens do Ocidente e do Oriente para tratar o câncer", disse Cheng.


Por: Veja (Ed.Abril) - Seção: Saúde

Publicado em: 18/08/2010

Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/saude/do-cancer-a-diabetes-ervas-milenares-da-china-abrem-caminho-para-cura

Asma e acupuntura

Tosse, falta de ar, sensação de aperto no peito. Quem sofre de asma ou convive com um portador dela sabe o quanto ela pode comprometer a qualidade de vida.

Dados do Ministério da Saúde estimam que 35% dos brasileiros sofrem de doenças alérgicas; entre elas a asma, que atinge quase 16 milhões de pessoas e é a quarta maior razão de internações no Sistema Único de Saúde (SUS). Pesquisadores brasileiros desvendam parte do mecanismo de ação da acupuntura no tratamento da asma; a eficácia do tratamento já vinha sendo comprovada na prática, à muito tempo,de poucas décadas para cá o constatou-se o que a terapias chinesa já defendia a milênios; que a acupuntura é um método eficaz para combater a enfermidade e uma alternativa aos medicamentos convencionais como os broncodilatadores.

No Brasil, a mais de 10 anos, em 1997, um estudo de dois anos, foi conduzido pela pediatra Elisabete Carneiro, no qual 54 crianças participaram deste grupo de acupuntura infantil, onde revelou que a freqüência, a intensidade e a duração das crises de asma diminuíram após algumas aplicações de acupuntura, além de reduzir o número de infecções de repetição como amigdalite, otite e sinusite. "Em suas palavras ela diz:" antes de serem tratadas com acupuntura, todas as crianças usavam broncodilatores. Depois da aplicação, apenas 5% delas precisavam recorrer a esses medicamentos.

Segundo afirma o ortopedista Ysao Yamamura, chefe do setor de Medicina Chinesa do Departamento de Ortopedia da Unifesp e orientador do trabalho, "a acupuntura é capaz de retardar a evolução da alergia e evitar que a asma se torne crônica."

Apesar de as crianças serem os principais beneficiados pelos resultados da pesquisa brasileira, isso não quer dizer que os adultos não sejam, pelo contrário, nos adultos ela também é muito eficaz,pois ajuda a atenuar os desconfortos da enfermidade.

"Afirma ainda esta pediatra:" as limitações foram superadas. As crianças voltaram a praticar atividades típicas da infância, como correr e andar de bicicleta. Também recuperaram peso e estatura"além disso, complementou" os broncodilatadores tratam os sintomas, mas não atacam as causas do problema.

Vários outros trabalhos foram feitos neste sentido, em especial aqueles que mostram os diferentes padrões de asma e como devem ser adequadamente tratado cada um, como: asma de início tardio, asma alérgica, asma relacionada a padrões do Fígado,asma relacionada a emoções e outros.

Não é a toa que a Asma tenha sido uma das enfermidades, mais difíceis de serem tratadas e erradicas de nossa sociedade, tendo em vista a complexidade e a quantidade de fatores causais da enfermidade, que muitas vezes são difíceis ( para não dizer impossível ) de serem controlados pelo clínico. Tais como os fatores relacionados a estresse, pressões de todos os tipos, comuns da atualidade, assim como a adição contínua e desenfreada de produtos artificiais em nossa dieta, nos quais constitui um dos fatores mais importantes na indução desta enfermidade.

Felizmente, sabemos que este problema pode ser sanado, desde que adotemos medidas preventivas adequadas e que ao mesmo tempo o tratamento seja direcionado à causa principal. A terapêutica chinesa é ampla, acupuntura, é a mais tradicional terapêutica para o tratamento desta enfermidade, porém, outras modalidades de tratamento, em especial a fitoterapia chinesa, também são adequadas, desde que o método e o padrão de tratamento obedeçam a princípios rígidos semelhantes, sempre adequando-se a cada caso em particular.



Por: G. Hoffmann - O Barriga Verde - On Line - Seção: Colunistas

Publicado em: 30/08/2010

Fonte: http://www.adjorisc.com.br/jornais/obarrigaverde/colunistas/g-hoffmann/asma-e-acupuntura-1.333750

Alívio que vem das mãos

Técnica baseada em movimentos precisos restaura a função articular e ajuda no tratamento da dor.

– Dores lombares, no pescoço, nas articulações e até enxaqueca. São muitas as razões que levam pacientes a procurar um quiropraxista.

A técnica, pouco conhecida no Brasil, mas muito comum nos Estados Unidos, atrai cada vez mais pessoas em busca de ajuda para problemas do sistema neuromusculoesquelético. No tratamento, o profissional manipula as articulações com um movimento rápido e preciso, que restaura a função articular e provoca relaxamento da tensão muscular.

Mas os benefícios não param por aí. Segundo o quiropraxista Roger Dunn, muitas pessoas chegam ao consultório para tratar dores pontuais e relatam melhoras em outras áreas da saúde:

– Quando começam os ajustes, o corpo funciona de forma mais harmônica. Muitos relatam que estão dormindo melhor, estão menos estressados, com mais energia e vitalidade. Também é comum as mulheres sentirem diminuição de cólicas menstruais e sintomas da TPM.

Para Dunn, isso ocorre porque, ao aliviar a pressão sobre os nervos comprimidos, é liberado um fluxo maior de sangue, que permite melhor irrigação dos órgãos.

A quiropraxista Janice Cavalcante explica que muitas situações podem gerar desvios na coluna, como má postura, esforços repetitivos, sedentarismo e tombos. Segundo ela, é muito importante procurar tratamento logo nos primeiros sintomas.

– A maioria convive muito tempo com a dor e demora para procurar ajuda de um especialista. Quando uma criança cai, a mãe pega no colo e fala: vai passar, não foi nada. E muita gente leva as dores achando que uma hora passa, quando o correto seria, além de tratar, sempre prevenir qualquer tipo de dor – pontua, ressaltando que, nesse sentido, a dor é positiva, é um sinal de que algo não vai bem.

O ciclista Rodrigo Mello conheceu a quiropraxia nos Jogos Pan-Americanos de 2002. Na ocasião, ele sentia fortes dores na lombar e nos joelhos.

– Procurei o Comitê Olímpico e eles tinham um quiropraxista na equipe. Nas primeiras sessões, percebi melhora. Fiquei impressionado e, desde então, nunca parei – conta Rodrigo, que faz manutenção uma vez por mês.

Quando o treino fica mais intenso, ou acontece alguma queda, ele agenda mais sessões:

– Além de prevenir os desvios, sinto que durmo melhor.


Por: Correio Braziliense - ClickRBS - Seção: Vida Saudável

Publicado em: 30/08/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/pioneiro/rs/impressa/11,3022351,157,15395,impressa.html

Consumo de folhas verdes reduz risco de diabetes, aponta estudo

Porção extra de vegetais verdes reduziria em 14% as chances da doença.

Consumir mais vegetais verdes, como espinafre e outras folhas, pode reduzir o risco de se desenvolver diabetes tipo 2, revelou um estudo publicado recentemente no British Medical Journal. Os autores alertam que é preciso mais estudos para confirmar as descobertas.

Uma equipe de cientistas chefiada por Patrice Carter, da Universidade de Leicester (Inglaterra), revisou seis estudos feitos com 200 mil pessoas que exploraram o vínculo entre o consumo de frutas e vegetais e o diabetes tipo 2, normalmente ativada na idade adulta. Comer uma ou meia porção extra de vegetais verdes reduziria em 14% o risco de desenvolver diabetes, mas ingerir mais frutas e vegetais combinados demonstrou ter um impacto desprezível.

O diabetes tipo 2, a forma mais comum da doença, se espalha rapidamente entre os países em desenvolvimento, à medida que suas populações adotam uma dieta rica em gorduras e açúcar e seguem um estilo de vida sedentário.

Mais de 220 milhões de pessoas de todo o mundo são afetadas pela doença, que mata mais de 1 milhão de pessoas por ano, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). À medida que aumenta a taxa de obesidade, o número de mortes poderá dobrar entre 2005 e 2020, acrescentou a OMS.

A alimentação e a prática de exercícios são formas de prevenção conhecidas, mas quais alimentos funcionam melhor e o porquê permanecem questões sem resposta, em face dos poucos estudos realizados sobre qualidade. A equipe de Carter sugere que os vegetais de folhas verdes são úteis porque são ricos em antioxidantes e magnésio.

Em um estudo separado, publicado na semana passada no British Journal of Pharmacology, cientista chineses informaram que um composto extraído de várias ervas orientais ajudaram a reduzir o impacto do diabetes tipo 2 em camundongos. O composto, conhecido como emodina, inibe a enzima chamada 11-Beta-HSD1, que desempenha um papel na resistência à insulina, hormônio que ajuda a remover o excesso de açúcar do sangue. Segundo o artigo, a emodina pode ser extraída das ervas chinesas ruibarbo (Rheum palmatum) e fallopia japônica (Polygonum cuspidatum), entre outros.

O diabetes é controlado com injeções de insulina e uma dieta de controle dos níveis de açúcar. Se não for controlada, a doença pode provocar problemas cardíacos, cegueira, amputações e falência renal.


Por: Pioneiro - ClicRBS - Seção: Notícias/Saúde

Publicado em: 30/08/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/sc/donnadc/19,0,3022849,Consumo-de-folhas-verdes-reduz-risco-de-diabetes-aponta-estudo.html

Técnica de meditação melhora conectividade do cérebro

Apenas 11 horas de treinamento em uma nova técnica de meditação gera modificações estruturais positivas na conectividade do cérebro.

E, o que é mais importante, as modificações aumentam a eficiência de uma parte do cérebro que ajuda a regular o comportamento de uma pessoa na busca da realização de seus objetivos pessoais.

Esta foi a conclusão de uma equipe de pesquisadores chineses liderados por Yi-Yuan Tang, da Universidade de Tecnologia de Dalian, em colaboração com Michael I. Posner, da Universidade de Oregon, nos Estados Unidos.

O estudo se junta a uma sequência de resultados que questionam cada vez mais o chamado "determinismo biológico", segundo o qual todo o comportamento humano seria resultado de seus genes e da estrutura biológica do seu cérebro.

Treinamento integrador corpo-mente

A técnica é chamada treinamento integrador corpo-mente, ou IBMT (Integrative Body-Mind Training), que foi adaptada da medicina tradicional chinesa na década de 1990. Naquele país ela é praticada por milhares de pessoas.

Agora, graças à colaboração entre o grupo chinês e os psicólogos norte-americanos, esta nova técnica de meditação está sendo ensinada a alunos de graduação na Universidade de Oregon.

O novo estudo - publicado no site da revista Proceedings of National Academy of Sciences - incluiu 45 alunos (28 homens e 17 mulheres) - 22 deles aprenderam e adotaram o IBMT (treinamento integrador corpo-mente) enquanto 23 participantes formaram um grupo de controle, que recebeu o mesmo tempo de um treinamento de relaxamento.

Durante os experimentos, os estudantes foram analisados por equipamentos de imageamento do cérebro. Um tipo de ressonância magnética, chamada imagens de difusão de tensão, permitiu que os cientistas analisassem as fibras de ligação entre as regiões do cérebro antes e depois da prática da meditação.

Controle das emoções

As mudanças foram mais fortes nas ligações envolvendo o cingulado anterior, uma área do cérebro relacionada com a capacidade de controlar emoções e comportamentos.

As mudanças na conectividade começaram depois de seis horas de meditação e ficaram totalmente claras após 11 horas de prática. Os pesquisadores afirmam que é possível que as alterações resultem de uma reorganização da matéria branca ou por um aumento da mielina que circunda as ligações.

As alterações foram observadas somente para aqueles que praticavam a meditação e não no grupo controle.

"A importância de nossos resultados diz respeito à capacidade de induzir mudanças estruturais em uma rede do cérebro relacionada com a autorregulação," afirma Posner, recentemente agraciado com a Medalha Nacional de Ciências dos Estados Unidos. "A rota que sofreu a maior variação induzida pela meditação é aquela que já havia sido demonstrado relacionar-se com as diferenças individuais na capacidade de regular conflitos."

Deficiências na ativação do córtex cingulado anterior têm sido associadas com transtornos de défice de atenção, demência, depressão, esquizofrenia, fobia social e muitos outros transtornos. "Acreditamos que esta nova descoberta é de interesse para as áreas da educação, saúde e neurociências, bem como para o público em geral," disse Tang.

Consciência mente-corpo

A técnica de meditação utilizada - o treinamento integrador corpo-mente - ainda não está disponível ao público, nem mesmo nos Estados Unidos, por ser relativamente recente no Ocidente.

A prática evita a luta para controlar o pensamento, preferindo um estado de repouso em alerta, permitindo um elevado grau de consciência da ligação mente-corpo. Um treinador dá instruções para o ajuste da respiração, imagens para visualização e outras técnicas, tudo acompanhado por uma suave música de fundo.

O controle do pensamento é alcançado gradualmente, através da postura, do relaxamento, da harmonia corpo-mente e da respiração equilibrada. Segundo Tang, um bom treinador é essencial nessa nova técnica.


Por: Redação Diário da Saúde

Publicado em: 19/08/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=tecnica-meditacao-melhora-conectividade-cerebro&id=5605

Meditação melhora respostas físicas e emocionais ao estresse

Meditação da compaixão

Dados de uma nova pesquisa sugerem que indivíduos que se engajam na meditação da compaixão podem se beneficiar de reduções nas respostas inflamatórias e comportamentais ao estresse, que estão ligadas à depressão e a um grande número de doenças. O estudo foi publicado no jornal médico Psychoneuroendocrinology.

"Embora se tenha dado muito atenção às práticas de meditação que enfatizam o processo de acalmar a mente, a melhoria da concentração da atenção ou o desenvolvimento da mente alerta, sabe-se pouco sobre as práticas de meditação desenvolvidas especificamente para incentivar a compaixão," diz Geshe Lobsang Tenzin Negi, que desenvolveu o aplicou o programa de meditação usado na pesquisa.

Efeitos da meditação

Este estudo concentrou-se nos efeitos da meditação da compaixão sobre as respostas inflamatórias, neuroendócrinas e comportamentais ao estresse psicológico, e avaliou o grau no qual o engajamento na prática da meditação influencia a reatividade ao estresse.

"Nossas descobertas sugerem que as práticas de meditação projetadas para aprimorar a compaixão podem impactar rotas fisiológicas que são moduladas pelo estresse e que são relevantes para doenças," explica o Dr. Charles L. Raison, diretor clínico do Programa Mente-Corpo da Universidade de Emory e coordenador da pesquisa.

Participaram da pesquisa 61 estudantes saudáveis com idades entre 17 e 19 anos. Metade dos participantes foram selecionados aleatoriamente para receber seis semanas de treinamento em meditação da compaixão e metade foi selecionada para participar de um grupo de controle de discussão sobre saúde.

Meditação Lojong

Embora secular em sua apresentação, o programa de meditação da compaixão foi baseada em uma prática milenar do Budismo Tibetano conhecida no Tibete como "Lojong".

A prática da Logonj utiliza um enfoque analítico e cognitivo para desafiar os pensamentos e emoções inexplorados de uma pessoa em relação a outra, com um objetivo de longo prazo de desenvolver emoções e comportamentos altruísticos com relação a todas as pessoas. Cada sessão de meditação combina aprendizado, discussão e prática da meditação.

O grupo de controle participou de aulas desenvolvidas pelos pesquisadores sobre tópicos relevantes para a saúde física e mental de estudantes, tais como gerenciamento do estresse, abuso de drogas e desordens de alimentação. Além disso, foi desenvolvida uma grande quantidade de atividades com a participação dos estudantes, tais como debates simulados e atividades lúdicas.

Testes de estresse

Depois que o período de estudos e práticas terminou, os estudantes participaram de um teste de estresse em laboratório para investigar como os sistemas endócrinos e inflamatórios respondiam ao estresse psicológico.

Não foram verificadas diferenças entre os estudantes do grupo de meditação da compaixão e do grupo de controle, mas, dentro do grupo de meditação, houve uma forte correlação entre o tempo despendido na prática da meditação e a redução nas respostas emocionais e inflamatórias em resposta aos fatores estressantes.

De forma consistente com esta descoberta, quando o grupo de meditação foi dividido em grupos de muita prática e pouca prática, os participantes no grupo de muita prática mostraram reduções nas respostas quando comparados com o grupo de pouca prática e com o grupo de controle.



Por: Kathi Baker - Diário da Saúde

Publicado em: 29/10/2008

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=meditacao-melhora-respostas-fisicas-e-emocionais-ao-estresse&id=3521

Meditação da mente alerta diminui progressão do HIV

Células CD4 T

As células CD4 T ou, mais tecnicamente, linfócitos CD4+ T, são os "cérebros" do sistema imunológico, coordenando sua atividade quando o corpo se encontra sob ataque. Elas são também as células que são atacadas pelo HIV, o devastador vírus que causa a AIDS e que já infectou perto de 40 milhões de pessoas ao redor do mundo. O vírus lentamente destrói as células CD4 T, enfraquecendo o sistema imunológico.

Estresse em doentes de AIDS

Mas o sistema imunológico dos pacientes portadores de HIV/AIDS se depara também com um outro inimigo - o estresse, que pode acelerar o declínio das células CD4 T.

Agora, pesquisadores da Universidade da Califórnia, Estados Unidos, anunciaram que a prática da meditação da mente alerta parou o declínio das células CD4 T em pacientes HIV-positivos sofrendo de estresse, diminuindo a progressão da doença. O estudo acaba de ser disponibilizado na edição online do jornal médico Brain, Behavior, and Immunity.

Meditação da mente alerta

A meditação da mente alerta é a prática de induzir uma consciência aberta e receptiva do momento presente, evitando pensar no passado ou se preocupar com o futuro. Acredita-se que ela reduza o estresse e melhore a saúde em pacientes sofrendo de diversas doenças.

"Este estudo oferece a primeira indicação de que lidar com o estresse por meio do treinamento da meditação da mente alerta pode ter um impacto direto em desacelerar a progressão do HIV," diz o coordenador do estudo, David Creswell. "O programa da mente alerta é um tratamento em grupo e de baixo custo, e se a descoberta inicial for replicada em amostras maiores, é possível que esses treinamentos possam ser utilizados como um poderoso tratamento complementar para os doentes pelo HIV, juntamente com as outras medicações."

Quanto mais meditação, melhores os resultados

Creswell ressalta também que os pesquisadores descobriram uma relação "dose-resposta" entre as sessões de meditação e as células CD4 T, significando que, segundo ele, "quanto maior o número de sessões de meditação que as pessoas participaram, maior é o nível das células CD4 T na conclusão da pesquisa."

Os pesquisadores também ficaram entusiasmados porque os efeitos globais das células CD4 T permaneceram mesmo depois do controle de vários fatores que poderiam ter influenciado nos resultados do estudo. Mais notavelmente, eles descobriram efeitos protetores equivalentes para os participantes estando eles sujeitos ou não a medicações anti-retrovirais para o HIV. Mesmo participantes tomando medicações contra o HIV apresentaram o efeito de manutenção das células CD4 T depois das sessões de meditação da mente alerta, diz Creswell.

Tratamento do estresse por meio da meditação

Há evidências vindas de outros estudos que mostram que programas comportamentais de tratamento do estresse podem estacionar o declínio do HIV em pessoas HIV-positivas, acrescenta Creswell. E, embora tenha havido um aumento exponencial no interesse pela prática da meditação da mente alerta no ocidente ao longo dos últimos 10 anos, disse ele, este é o primeiro estudo que demonstra um efeito protetor do treinamento da meditação da mente alerta contra o HIV.

A fim de entender os benefícios à saúde da meditação da mente alerta, Creswell e seus colegas estão agora examinando os mecanismos por meio dos quais a meditação da mente alerta reduz o estresse, utilizando imagens do cérebro, genética e medições do sistema imunológico.

"Dados os benefícios da meditação da mente alerta sobre a redução do estresse, estas descobertas indicam que ela pode ter um efeito protetor da saúde não apenas em pessoas com HIV, mas em sujeitos que sofrem de estresse diário," diz Creswell.



Por: Mark Wheeler - Diário da Saúde

Publicado em: 30/07/2008

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=meditacao-da-mente-alerta-diminui-progressao-do-hiv&id=010130080730

Beber água antes de refeição ajuda a perder peso

Dieta da água

Uma pesquisa feita por cientistas dos Estados Unidos afirma que beber água antes das refeições ajuda as pessoas a perderem peso.

Os cientistas afirmam que pessoas que estão em dieta podem perder cerca de 2kg a mais se beberem pelo menos dois ou três copos por dia antes das refeições.

A pesquisa foi apresentada em um congresso nacional da Sociedade Americana de Química, em Boston.

Dieta de baixas calorias

Todos os adultos que participaram da pesquisa tinham entre 55 e 75 anos de idade. A teoria dos cientistas foi testada em 48 adultos, divididos em dois grupos, ao longo de 12 semanas.

Ambos os grupos seguiram dietas de baixa caloria, mas um deles bebeu água antes das refeições.

Ao longo de 12 semanas, as pessoas que beberam água perderam cerca de 7kg, enquanto os demais perderam em média 5kg.

Um estudo anterior já havia mostrado que pessoas que bebem até dois copos de água antes de cada refeição ingerem de 75 a 90 calorias a menos.

Consumo de calorias

Uma das autoras da pesquisa, Brenda Davy, da universidade Virginia Tech, acredita que o fato de se encher o estômago com um líquido sem calorias antes das refeições faz com que menos calorias sejam consumidas.

"As pessoas deveriam beber mais água e menos bebidas adocicadas e com muita caloria. É uma forma simples de se facilitar o controle do peso", afirma Davy.

Segundo a cientista, bebidas dietéticas e com adoçantes artificiais também podem ajudar as pessoas a reduzir o consumo de calorias, ajudando a perder peso.

No entanto, ela disse que bebidas com muito açúcar precisam ser evitadas. Uma lata de refrigerante comum contém, em média, 10 colheres de chá de açúcar.

A pesquisa foi financiada pela entidade Institute for Public Health and Water Research, que realiza estudos sobre água e saúde pública.



Por: BBC - Diário da Saúde

Publicado em: 24/08/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=beber-agua-antes-refeicao-perder-peso&id=5654

Caminhada rápida pode ajudar a prevenir o câncer, sugere pesquisa

Cerca de 10.000 casos de câncer de mama e câncer de intestino poderiam ser evitados a cada ano no Reino Unido, caso as pessoas praticassem caminhada rápida com frequência, afirmam especialistas. A informação foi publicada no site da "BBC News" na terça-feira (31).

Cientistas do World Cancer Research Fund defendem que qualquer atividade física moderada que faz o coração bater mais rápido atinge o mesmo resultado.

Os dados sugerem que 45 minutos diários de exercícios moderados pode prevenir cerca de 5.500 casos de câncer de mama, por exemplo.

O exercício físico ainda ajuda a prevenir a obesidade, que é um dos fatores de risco de câncer.

A equipe do WCRF explica em seu relatório que o importante é o tempo total gasto na atividade. Não é preciso reservar meia hora por dia para o exercício. Atividades mais curtas são tão benéficas quanto, desde que somem o mesmo.

Além da caminhada, outras atividades como ciclismo, nadar em um ritmo calmo, dançar, jardinagem e passar o aspirador, combinados a outras tarefas domésticas, podem evitar o câncer, diz o WCRF.

A líder do estudo, Rachel Thompson, disse que, fazendo pequenas mudanças no cotidiano, as pessoas podem obter ganhos significativos para a saúde.

"Há agora evidências fortes de que ser fisicamente ativo é importante para a prevenção do câncer. Até mesmo o aumento relativamente modesto no nível de atividade poderia evitar milhares de casos de câncer no Reino Unido a cada ano."

"Tornar a caminhada um hobby, ou até ir a pé a lojas em vez de ir de ônibus ou de carro, pode fazer uma diferença real para a saúde", indica a pesquisadora.

Segundo Henry Scowcroft, da organização Cancer Research UK, "você não tem que ser um atleta para reduzir o risco de câncer".

"Há evidências sólidas de que certos tipos de câncer incluindo câncer de mama e câncer de intestino são menos comuns em pessoas que fazem exercícios moderados regularmente, como caminhada rápida."

Por: Folha On Line - ClickPB

Publicado em: 01/09/2010

Fonte: http://www.clickpb.com.br/artigo.php?id=20100901072127&cat=saude&keys=caminhada-rapida-pode-ajudar-prevenir-cancer-sugere-pesquisa

Acupuntura pode ajudar a combater a celulite e a gordura localizada

Em alguns casos, tratamento estético costuma ser sinônimo de sofrimento. Vermelhidão, descamação da pele, longos períodos de cicatrização e recuperação. O que poucas pessoas sabem é que a acupuntura estética pode fornecer o mesmo resultado que outros tratamentos de uma forma eficaz, praticamente indolor e livre de efeitos colaterais.

Técnica é uma das formas de tratamento da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) que vem se tornando forte aliada no tratamento de problemas como celulite, gordura localizada e até obesidade. A principal diferença dos tratamentos comuns, além de não necessitar de tempo de recuperação, é que a acupuntura trabalha com todo o corpo.

"Os problemas estéticos normalmente têm ligação com o desequilíbrio da energia de órgãos internos", afirma a dermatologista e acupunturista Miriam Sabino.

O tratamento contra a celulite e a gordura localizada consiste na aplicação de finíssimas e pequenas agulhas de metal em pontos específicos (chamados “acupontos”) na pele. Dessa forma é possível prevenir e tratar doenças, dores ou outras desordens do corpo atuando inclusive na causa e não somente nos sintomas do problema.

Existem outros recursos terapêuticos complementares no tratamento da acupuntura como: auriculoterapia (estimulação de pontos na orelha através de esferas, agulhas e sementes), laser, eletroacupuntura, talassoterapia (uso de algas), moxabustão (erva artemísia) e produtos naturais como pó de pérola e calêndula.

Os benefícios da acupuntura incluem melhora da circulação linfática e sanguínea, aumenta da oxigenação dos tecidos e diminuição da flacidez local. Os resultados são obtidos de um a dois meses e estão relacionados ao grau e extensão da celulite, sedentarismo, uso de medicamentos, obesidade, estresse e fatores hormonais.



Por: Abril On Line - Seção: Saúde

Publicado em: 31/08/2010

Fonte: http://www.abril.com.br/noticias/comportamento/acupuntura-pode-ajudar-combater-celulite-gordura-localizada-592560.shtml

Você quer parar de fumar?

Parar de fumar não é fácil, mas é cada dia menos difícil, se contarmos com a ajuda que a natureza tem a oferecer. Mas para sermos ajudados é necessário realmente querer!

O cigarro, que tradicionalmente foi associado ao glamour e à rebeldia adolescente, hoje está vinculado à doença, ao vício e à inadequação social. Se antes era possível ser fumante sem nunca questionar o hábito, hoje todo adepto do fumo se depara de tempos em tempos com o desafio de deixar de fumar. Por esse motivo, o processo de decisão de abandono do hábito é um fator muito importante para o sucesso ou insucesso da tentativa. Porque a decisão é, sim, resultado de um processo, mesmo quando aparenta ter sido tomada impulsivamente.

A decisão de parar de fumar tem que ser baseada nos motivos corretos! Não vai acontecer porque os pais, os filhos, o(a) namorado(a), o(a) esposo(a), os amigos ou quem quer que o rodeie deseje. Claro que o apoio das pessoas queridas é muito importante, mas não pode ser o motivo da decisão. Este motivo é muito pessoal e tem que ser forte! Para encontrá-lo pode ser interessante procurar responder a algumas questões:

Se esta ou aquela pessoa não se importasse com meu hábito de fumar, ainda assim eu desejaria parar?
Se não houvesse uma pressão no trabalho, mesmo assim eu tentaria?
Se eu tiver um jeito de fumar sem ninguém perceber, mesmo assim eu quero parar?

Respondendo sim a essas perguntas você está eliminando alguns motivos incorretos para abandonar o hábito. Agora busque também responder às questões afirmativas:

Eu percebo que o cigarro interfere negativamente na minha saúde, provocando sintomas desagradáveis, como pigarro, tosse e falta de fôlego?
Eu admiro quem conseguiu parar de fumar?
Eu me imagino uma pessoa melhor sem o hábito do cigarro?
Eu relaciono o abandono de hábito a uma vida mais saudável e feliz?

Se você respondeu mais alguns sins, então é possível que esteja no caminho certo de superar este vício. E sendo assim, veja algumas dicas do que a Naturologia tem a oferecer para ajudar você:

Florais de Bach: Essências florais são preparados vibracionais à base de flores que atuam em nosso emocional. O ideal é que seja formulado individualmente, de acordo com o momento e as características de cada um. Porém, podemos citar algumas essências do sistema de Florais de Bach que podem ser indicadas para apoio ao momento de parar de fumar. Impatiens, atenua a irritabilidade que pode estar associada à retirada da nicotina do organismo; Crab Aplle, auxilia os processos de limpeza e desintoxicação; Walnut, para constância na decisão e proteção de influências externas; Chestnut Bud, para os que já tentaram parar outras vezes e não alcançaram seu objetivo. Em outros sistemas também encontramos essências importantes, como a Nicotiana do sistema floral da Califórnia e Dandelion, com ação semelhante ao Impatiens de Bach.
Auriculoterapia: O estímulo de pontos específicos no pavilhão auricular contribui para a inibição da compulsão pelo cigarro, acalma e equilibra. Este estímulo pode ser feito por sementes ou micro esferas de diversos materiais. É preciso consultar um profissional para fazer as aplicações.
Aromaterapia: O uso de óleos essenciais, que são os óleos extraídos das partes aromáticas das plantas, pode ser um importante aliado no desafio de parar de fumar. Massagens com óleos preparados com estes aromas, aromatizadores elétricos ou em spray com sinergias (combinações de aromas) para o ambiente, cremes para a pele e para a inalação, são algumas das possibilidades de ajuda nos momentos mais difíceis de superação do hábito.
Automassagem, técnicas meditativas e respiratórias, arte integrativa: Essas técnicas ajudam muito a substituir os momentos prazerosos do cigarro por momentos de relaxamento, prazer e conforto sem o cigarro. Grande parte do apego que temos ao hábito está muitas vezes relacionado a esses momentos e é importante criar alternativas, como uma meditação rápida e simples dirigida por uma boa música, uma técnica de respiração relaxante, uma pintura de mandala, a leitura de um conto ou uma auto massagem em pontos específicos. Se você para seu trabalho no meio da tarde para fumar, é preciso substituir o hábito por algo prazeroso e saudável. Se você fuma quando fica sozinho em meio a uma rotina muito agitada, vai ser importante manter esses momentos de solidão, reflexão e relaxamento sem o cigarro.
Fitoterapia: Os fitoterápicos podem auxiliar em desconfortos físicos que surgem pela mudança de hábito e pela retirada de nicotina do organismo, como dificuldade na evacuação ou na conciliação do sono. Chás e tinturas bem indicadas podem ajudar seu organismo nesta fase de mudança.


Por: Katia Leite - MSN - Seção: Entretenimento

Publicado em: 29/08/2010

Fonte: http://entretenimento.br.msn.com/astrologia/artigo.aspx?cp-documentid=25362291

O que fazer para controlar a hipertensão arterial

A hipertensão arterial é fator de risco importante para os acidentes vasculares cerebrais e para os enfartes do miocárdio. Por isso, é recomendado para mulheres em idade fértil e hipertensas o tratamento com medicamentos que possam ser administrados de maneira segura durante a gravidez. Medidas simples e baratas como a aferição da pressão arterial ou a correta informação podem reduzir a mortalidade na gravidez.

Confira dez recomendações para controlar a hipertensão nas mulheres que sofrem com a doença.

1) Meça a pressão arterial pelo uma vez ao ano. Só assim serão diagnosticadas mulheres hipertensas que desconhecem a doença.

2) Para tratar a hipertensão, são fundamentais algumas medidas de apoio, como perder peso, reduzir o consumo de álcool, abandonar o fumo, diminuir o consumo de sal e de gorduras e fazer exercício físico.

3) Tomar religiosamente os medicamentos que lhe forem prescritos. Saiba que uma em cada quatro hipertensas nem sequer faz tratamento.

4) O objetivo é reduzir a pressão arterial para abaixo dos 140/90 mmHg. Com a ajuda do seu médico e com alguma dose de dedicação, acabará conseguindo. No diabetes e na doença renal, os valores a atingir deverão ficar abaixo dos 130/85 mmHg.

5) A medicação para a hipertensão arterial é para ser feita durante toda a vida. Se você parar, a pressão volta a subir, por vezes de maneira abrupta, atingindo valores muito elevados. Por isso é tão importante que você evite interromper o tratamento.

6) Não espere ter sempre valores tensionais iguais; a pressão arterial varia durante o dia, sendo mais elevada no período matinal. Também no verão a pressão arterial é habitualmente mais baixa que no inverno. O ideal é estar sempre controlando.

7) A causa mais frequente de hipertensão não controlada é a da hipertensão que toma irregularmente os comprimidos. É importante a utilização constante dos medicamentos e, em alguns casos, a associação de vários medicamentos, para se conseguir o efeito desejado.

8) Na doente medicada, algumas subidas bruscas de pressão arterial podem ser crises de ansiedade; tranquilizar a paciente e acertar a terapêutica são fundamentais. Tente evitar os momentos de crises nervosas ou discussões. Não utilize tratamentos sublinguais, sem orientações médicas.

9) Se baixar 5 ou 6 mmHg na sua pressão arterial mínima e, ou, 10 mmHg na sua pressão arterial máxima, poderá obter como prêmio uma redução do risco de morte por trombose de 42% e de morte por enfarte do miocárdio de 16%. Se conseguir, parabéns!

10) Se você é hipertensa e caso esteja grávida, saiba que alguns medicamentos utilizados no tratamento da hipertensão são prejudiciais à sua saúde e à do seu filho. Neste caso, oriente-se com seu médico e controle a pressão.


Por: Gabriel Miranda - Redação Saúde Plena

Publicado em: 01/09/2010

Fonte: http://www.divirta-se.uai.com.br/html/sessao_41/2010/09/01/ficha_saudeplena_dicas/id_sessao=41&id_noticia=28048/ficha_saudeplena_dicas.shtml

Dieta com pouca proteína reduz risco de agravar diabetes e doença renal

Reduzir pela metade a quantidade de proteína animal na dieta e incentivar a mudança de hábitos alimentares são a chave para melhorar o quadro clínico de pacientes diabéticos e com doenças renais crônicas. É o que aponta estudo realizado pelo Centro Estadual de Tratamento de Doenças Renais do Hospital Regional do Vale do Paraíba, ligado à Secretaria de Estado da Saúde, em Taubaté.

Foram acompanhados 93 pacientes da unidade, dos quais 38 diabéticos, que receberam dieta hipoproteica personalizada, com base na avaliação nutricional de cada participante. Durante o estudo, a equipe multiprofissional da unidade observou que a alimentação irregular era uma das maiores responsáveis pela piora no quadro dos pacientes.

“Logo no início, pudemos perceber que a maioria dos pacientes já chegava com várias dúvidas e mitos. O nosso maior desafio era conseguir que eles aderissem a uma dieta diferente, principalmente o paciente diabético, que trazia, além das orientações do médico, as famosas e preocupantes receitas caseiras”, comenta a nutricionista responsável pela pesquisa, Monise Ávila.

A dieta proposta utilizou 50% de proteína animal, com alto valor biológico, e resultou na redução de 24% de eliminação de proteinúria (proteína pela urina), que no caso de um paciente diabético é responsável por agravar a doença.

Os resultados foram significativos. Além da redução da proteinúria, houve menor consumo de calorias, refletindo no emagrecimento dos pacientes, e de proteína vegetal (com baixo teor biológico), além de diminuição das taxas de açúcar no sangue e da hemoglobina glicada, que mede com precisão o controle do Diabetes.



Por: Jornal de Barretos - On Line

Publicado em: 02/09/2010

Fonte: http://www.jornaldebarretos.com.br/novo/2010/09/14215

Emagrecimento alternativo

Já pensou em tentar tratamentos alternativos para emagrecer? Pode parecer estranho, mas muitas pessoas procuram massagens, acupuntura e até hipnose para dar uma força na perda de peso. As terapias alternativas trazidas do Oriente vêm conquistando mais adeptos a cada dia e, embora alguns especialistas questionem sua eficiência, muitos médicos já recomendam o seu uso, desde que aplicado por um profissional sério e experiente. É importante reforçar que nenhuma dessas técnicas é milagrosa e não excluem dieta e exercícios. Confira algumas opções que podem ajudá-lo a obter resultados mais eficazes quando nada mais parece funcionar:

Acupuntura – Consiste no estímulo de pontos energéticos associados com o processo digestivo. O estímulo é feito com agulhas muito finas durante alguns minutos e geralmente não se sente quase nada após a aplicação inicial. Essa técnica surgiu no Oriente há mais de cinco mil anos e é reconhecida pela Organização Mundial de Saúde. Os chineses acreditam que a acupuntura atua equilibrando as energias yin e yang, curando doenças.

Reflexologia podal – Uma massagem que, além de ser muito relaxante, também estimula as terminações nervosas presentes na planta dos pés e busca ativar o sistema imunológico atuando em problemas que desequilibram a saúde e dificultam a perda de peso. A ideia é que esses pontos nos pés se conectam a todos os órgãos do corpo através das ramificações nervosas e, com a massagem, seria possível identificar problemas em cada um deles e estimular o próprio corpo a agir em busca do equilíbrio.

Aromaterapia – Utiliza óleos essenciais de plantas para estimular o organismo na cura de doenças ou problemas de saúde como ansiedade, estresse e depressão. Os óleos podem ser inalados, aplicados no banho ou em massagens. Uma boa opção é usar um rechô para queimar o óleo e encher o ambiente. Lembre-se que os óleos devem ser puros e, por isso, podem ser um tanto caros.

Fitoterapia – Através de chás e comprimidos de extratos vegetais, os fitoterápicos ajudam a diminuir a absorção de gordura, regular o colesterol, ativar o funcionamento dos rins e do intestino além de ajudar a controlar a ansiedade, a depressão e compulsão por doces. O uso desses medicamentos foi regulamentado pelo Conselho Federal de Medicina e por isso precisam ser aprovados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Auriculoterapia – Similar à acupuntura, a auriculoterapia atua através do estímulo de pontos na orelha que ajudam a inibir a ansiedade, que, na maioria dos casos, leva as pessoas a comerem mais do que o necessário. O estímulo pode ser feito através de agulhas ou de sementes colocadas com uma “minifita adesiva” que duram até uma semana e geralmente caem durante o banho.

Hipnoterapia – É uma forma de terapia que usa a hipnose para diagnosticar causas e bloqueios que podem resultar no fracasso das dietas. Deve ser realizada por um médico ou psicólogo em conjunto com a terapia. O profissional busca desvendar o problema que leva o paciente ao não emagrecimento e solucioná-lo. O tratamento exige mais tempo para começar a fazer efeito, mas especialistas garantem que os resultados são efetivos e dá pra eliminar até três quilos por mês.

Terapia floral – Desenvolvida pelo médico Inglês Edward Bach na década de 1930, a terapia floral usa essências de flores para combater sentimentos negativos e auxiliar no abandono de maus hábitos. O terapeuta faz uma entrevista com o paciente, trazendo à tona problemas de saúde física e emocional. Depois, indica a essência que deve ser utilizada. Não tem contraindicação e não interfere no uso de medicamentos alopáticos.



Por: Arethusa Dias

Publicado em: 03/09/2010

Fonte: http://www.papodegordo.com.br/index.php/2010/09/03/emagrecimento-alternativo/

Duas dicas para ter uma mente tranquila

Uma qualidade essencial para desenvolver a nossa capacidade de práticar meditação é A Mente do Iniciante. É uma atitude de perceber as coisas como se fosse a primeira vez.

Com essa postura interna, você interpreta a vida não a partir de tudo que você já sabe, mas a partir de uma receptividade para aquilo que você não sabe e com uma atitude totalmente aberta. Essa qualidade é a chave da criatividade e da curiosidade na meditação e na vida.

Veja este poema:

“Um Dia da Verão” - por Mary Oliver

Quem criou o mundo?
Quem criou o cisne e o urso preto?
Quem criou o gafanhoto?
Este gafanhoto, eu falo:

Aquele que se lançou da grama,
Aquele que está comendo açúcar na minha mão,
Que está mexendo a sua mandíbula de um lado para outro em vez de pra cima e pra baixo
Que está observando tudo à volta com seus olhos enormes e complicados.
Agora ele levanta seus braços pálidos e lava o seu rosto inteiro.
Agora ele abre suas asas de repente e vai embora.

Eu não sei exatamente o que é rezar,
Não sei como prestar atenção, como cair a grama, ajoelhar nela,
Como ficar sem fazer nada e abençoado, como andar nos pastos sem preocupação,
Que é o que estava fazendo o dia inteiro.

Me disse, que mais que poderia ter feito?
Não é tudo que morre no final, e cedo demais?
Me disse, qual é o plano que tem para fazer com a sua única, selvagem e preciosa vida?

Essa poesia tem muitas qualidades ricas. Além da sinceridade e da contemplação, a poetisa mostra uma capacidade bonita de curiosidade sobre aquilo que a gente normalmente nem nota. Os movimentos do gafanhoto em sua mão, ela conta com tanta simplicidade e concentração. A gente quase sente aquele bichinho em sua mão. Você já ficou observando a natureza assim? Já parou para enxergar?

Temos essa capacidade. O objeto pode ser qualquer um. Porém, o processo é o mesmo. Se você já estiver praticando a meditação da consciência da respiração, talvez você já esteja descobrindo isso em relação à beleza da sua própria respiração.

Aos poucos podemos trazer essa qualidade para a natureza da nossa experiência inteira – dentro e fora de nós. O dinamismo de nossa experiência é impulsionado por forças muito profundas e muito complexas. O que somos vem daí: de nossas profundezas.

As forças inconscientes da mente são muito profundas e normalmente habituais. Para navegar melhor através dos altos e baixos da vida, necessitamos saber como influênciar essas forças de nosso ser, conscientes e inconscientes, de forma sábia e gentil. Claro, isso não é facil. Não adianta só mandar, como se fosse um comandante. Pior ainda, deixar a vida nos levar! Em primeiro lugar, temos que ter abertura para aquilo que acontece dentro de nós, seja o que for. Demora para conseguir cultivar uma consciência maior dos nossos impulsos internos. Porém, o corpo e a respiração são bons lugares para começar.

Um amigo me contou uma fato ocorrido no trabalho dele. Ele é um membro de uma equipe que ensina meditação nas prisões de máxima segurança na Inglaterra. Um dia, quando chegou à prisão para dar a aula, percebeu uma atmosfera diferente. Algo tinha acontecido.

O grupo de prisoneiros reuniu-se com ele e começou a contar sobre a semana que passou. Quando o maior prisoneiro (e mais perigoso) começou a falar, foi bem claro afirmando que alguma coisa realmente tinha acontecido.

Esse prisoneiro disse que durante a semana, fez a consciência da respiração todos os dias. No dia anterior a essa reunião, um outro prisoneiro começou a brigar com ele na sala de refeição. Então, pegou o cara pela camisa, levantou-o, e olhou-o nos olhos – mas, a experiênica de olhar nos olhos de um outro foi totalmente nova para ele. Alguma coisa ocorreu. Ele parou antes de bater no sujeito e fez algo novo. Ele colocou-o no chão, pegou sua comida, foi para a cadeira e comeu em silêncio.

Prática: não ação

O silêncio necessário para aprofundar a nossa presença pode ser prejudicado por causa de uma mente com tendência para à inquietação. Existe então uma outra qualidade que podemos cultivar na prática de meditação: a não ação.

“Sentado quieto, não fazendo nada. A primavera vem e a grama cresce por si mesma.”
- Tradução Zen

Essa poesia curta expressa uma sensibilidade para as experiências do presente. Não é preciso nascer no Japão para apreciar a qualidade da não ação descrita. O poeta norte-americano Henry David Thoreau descreveu em seu poema “Walden” essa qualidade como abertura para “O florescer do momento”:

“Só amanhece o dia para o qual estamos despertos.”

O psicólogo Oliver James definiu um tipo de doença social que aflige a classe média: affluenza - derivado da palavra em inglês para gripe, ‘influenza’. Ele diz que é o problema de se atribuir muita importância para o dinheiro, as posses, aparência física e social e a fama mais do que merecem. E ele afirma que como resultado, o povo em geral fica mais bravo e impaciente.

“O virus de affluenza cria um estado mental em que você não alimenta as suas necessidades psicológicas profundas”, explica. “A gente fica correndo atrás de tantas coisas sem noção do que está fazendo, tentando terminar de pagar a casa, trocar de carro, e sempre querendo algo novo. No fundo a frustração que a gente sente é por que não estamos alimentando as nossas necessidades. Nessa frustração reside o aumento da impaciência e da raiva”.

Certamente, a nossa cultura tem a tendência de incentivar o poder do “vencedor” sobre o “perdedor” que, infelizmente, supervaloriza o que você tem em vez de quem você é. A meditação oferece um intervalo para sentir a nossa existência e experimentar o alívio que, pelo menos durante a prática, você não precisa chegar a algum lugar, alcançar uma meta, nem manipular a sua experiência - seu dia a dia.

A capacidade de sentir o florescer do momento, com curiosidade, é uma postura de não ação. Isso não é só para as horas poéticas. Existe no valor do presente algo bem maior. A história do prisoneiro perpétuo mostra o benefício de sentir, com abertura, aquilo que surge dentro de nós, mesmo que seja desprazeroso.

Com uma prática diária de meditação, e com uma postura da “Mente do Iniciante” podemos, aos poucos, aprender como estarmos presentes em qualquer experiência mais consciêncintes daquilo que surge dentro de nós, em vez de ficarmos presos em uma roda de reações automáticas.


Por: Stephen Little/Vya Estelar/Uol - Seção: Viver Bem - Expresso MT

Publicado em: 03/09/2010

Fonte: http://www.expressomt.com.br/noticiaBusca.asp?cod=89356&codDep=3

Acupuntura e exercícios aliviam síndrome do ovário policístico

Síndrome do ovário policístico

A síndrome do ovário policístico, uma condição comum entre mulheres de várias idades, pode ser aliviada pelo uso da acupuntura e de exercícios físicos. A conclusão é de um estudo feito na Universidade de Gotemburgo, na Suécia.

Quase 10% das mulheres em idade reprodutiva apresentam a síndrome do ovário policístico. A síndrome se expressa por meio de um grande número de pequenos cistos imaturos nos ovários, causando distúrbios na produção hormonal e um aumento da secreção do hormônio masculino, a testosterona.

Isto significa que muitas mulheres com a síndrome do ovário policístico não ovulam normalmente. Além disso, a síndrome pode levar à infertilidade e eleva o risco de obesidade, de desenvolvimento do diabetes tipo 2 e do desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Causas da síndrome do ovário policístico

"Nós não sabemos ao certo o que causa essa condição, apesar dela ser tão comum. Tem sido observado que as mulheres com a síndrome frequentemente apresentam elevada atividade em uma parte do sistema nervoso que não controlamos conscientemente, conhecido como sistema nervoso simpático. Nós acreditamos que isso pode ser um importante fator por trás dessa síndrome," diz a Dra Elisabet Stener-Victorin, coordenadora do estudo.

Eletroacupuntura

Durante a pesquisa, um grupo de mulheres com síndrome do ovário policístico recebeu acupuntura regularmente por quatro meses. Elas receberam um tipo de acupuntura conhecida como eletroacupuntura, na qual as agulhas são estimuladas como uma fraca corrente elétrica de baixa frequência, similar à corrente gerada naturalmente no movimento muscular.

Um segundo grupo de mulheres recebeu monitores do ritmo cardíaco e foram instruídas a se exercitar ao menos três vezes por semana. Um grupo de controle foi informado sobre a importância dos exercícios e de uma dieta saudável, mas não recebeu nenhuma instrução específica.

Resultados simpáticos

O estudo mostrou que a atividade do sistema nervoso simpático foi mais baixo nas mulheres que receberam a eletroacupuntura. O ganho foi um pouco menor nas mulheres do grupo que se exercitou regularmente. E nenhuma alteração foi observada no grupo de controle.

"Aquelas que receberam a eletroacupuntura descobriram que sua menstruação se normalizou. Nós pudemos ver também que seus níveis de testosterona se tornaram significativamente mais baixos, e isso é uma observação importante porque níveis elevados de testosterona são fortemente ligados com um aumento na atividade do sistema nervoso simpático das mulheres," concluiu a pesquisadora.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 17/09/2009

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=acupuntura-exercicios-aliviam-sindrome-ovario-policistico&id=4534

Cientistas descobrem porque ervas chinesas protegem de fato o coração

Plantas medicinais que funcionam de fato

Uma pesquisa feita na Universidade do Texas (EUA) descobriu as razões pelas quais um conjunto de ervas medicinais usadas na medicina tradicional chinesa é tão eficaz para proteger contra doenças do coração.

Os cientistas fizeram testes laboratoriais com as plantas medicinais chinesas DanShen, GuaLou e várias outras ervas. As fórmulas com plantas medicinais chinesas indicadas para problemas cardiovasculares são compostos feitos com várias ervas que misturam de três até 25 plantas diferentes.

Óxido nítrico

A explicação para os bons resultados dessas plantas medicinais está no fornecimento de grandes quantidades do óxido nítrico, um composto que dilata as artérias.

O óxido nítrico é crucial para o sistema cardiovascular porque ele sinaliza para que as paredes internas dos vasos sanguíneos relaxem, o que facilita o fluxo de sangue através de todo o sistema sanguíneo e do coração. Essa molécula-mensageira também elimina perigosos aglomerados sanguíneos, baixa a pressão sanguínea e reduz a formação das placas que entopem as artérias.

Medicamentos derivados de plantas medicinais

Os resultados do estudo mostram que as plantas medicinais chinesas estudadas "têm profundo impacto na bioatividade do óxido nítrico primariamente por meio da ativação do óxido nítrico nas paredes internas dos vasos sanguíneos, mas também por meio de sua capacidade de converter o nitreto e o nitrato em óxido nítrico," explica o Dr. Nathan S. Bryan, um dos autores da pesquisa que será publicada no próximo exemplar do jornal médico Free Radical Biology & Medicine.

Os preparados de ervas medicinais estão entre os principais componentes da medicina tradicional chinesa, juntamente com a acupuntura e a massagem. "As ervas tradicionais chinesas têm levado à descoberta de medicamentos seguros contra o câncer, as doenças cardiovasculares e o diabetes," afirma Thomas Caskey, outro membro da equipe.

Princípios ativos

Os cientistas testaram também as formulações com ervas chinesas vendidas na forma de cápsulas e tabletes. "Cada uma das plantas medicinais chinesas testadas nos ensaios apresentaram efeitos de relaxamento dos vasos sanguíneos em alguma medida," diz o estudo.

Os cientistas agora planejam efetuar os mesmos estudos em pacientes que já desenvolveram problemas cardíacos, a fim de verificar o potencial de auxílio terapêutico dessas ervas tradicionais chinesas. A seguir eles pretendem identificar os componentes ativos das ervas, a fim de que eles possam ser sintetizados e disponibilizados em larga escala.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 14/09/2009

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=ervas-chinesas-protegem-fato-coracao&id=4529

Náuseas e vômitos no pós-operatório

Cerca de 80% dos pacientes que passam por cirurgias experimentam náuseas e vômitos no pós-operatório, um efeito colateral da anestesia.

Mas a estimulação de um único ponto de acupuntura no punho dos pacientes pode ajudar a reduzir essas reações indesejadas e debilitantes, de acordo uma nova pesquisa que acaba de ser publicada no jornal médico The Cochrane Library.

O tratamento para as náuseas e vômitos pós-operatórios e pós-anestésicos é tipicamente feito com medicamentos antináusea (antieméticos). Contudo, essas medicações têm seus próprios efeitos colaterais, o que, juntamente com seu custo, tem levado a um crescente interesse no desenvolvimento de alternativas mais simples e não-invasivas para atenuar ou prevenir as reações.

Acupuntura contra náuseas e vômitos

O objetivo da pesquisa atual foi fazer uma revisão sistemática de toda a literatura médica para determinar se a estimulação do ponto de acupuntura do punho é uma opção eficaz.

A conclusão dos pesquisadores é que a estimulação do ponto do Pericárdio (P6) no pulso previne as náuseas e vômitos decorrentes da anestesia.

A estimulação do ponto P6 pode ocorrer por diferentes técnicas, como acupuntura ou acupressão. A acupuntura é feita com a penetração de finíssimas agulhas metálicas na pele em pontos definidos. A acupressão pode ser feita de várias formas como, por exemplo, usando uma faixa ou pulseira que pressione o ponto P6.

Liberando neurotransmissores

"Sob a estimulação do ponto de acupuntura, o sistema nervoso é ativado e avisa o cérebro para liberar certos compostos conhecidos como neurotransmissores, como a serotonina, dopamina ou endorfina," explica Lixing Lao, diretor do Centro de Medicina Integrada da Universidade de Maryland (EUA).

"Os neurotransmissores então bloqueiam os outros químicos que causam o mal-estar, as náuseas e os vômitos, neste caso, no sistema nervoso central. Desta forma o paciente não se sentirá enjoado," diz o médico.

10 métodos diferentes de estimulação

Lixing Lao e sua colega Anna Lee analisaram 40 pesquisas anteriores sobre o assunto, envolvendo 4.858 pacientes. A maioria das pesquisas envolvia indivíduos saudáveis passando por cirurgias eletivas sob anestesia geral.

Os estudos compararam a estimulação do acuponto P6 com placebo ou com os medicamentos tradicionais contra enjôos e vômitos pós-cirúrgicos.

As pesquisas analisaram 10 métodos diferentes de estimulação do ponto P6, incluindo acupuntura com agulhas, estimulação a laser, estimulação nervosa transcutânea e acupressura. Foram ainda comparadas cinco diferentes medicamentos antieméticos.

"Em termos gerais, os médicos e pacientes não têm conhecimento desse tipo de tratamento para prevenir vômitos e náuseas pós-operatórias," diz Anna. "Transformar as evidências dessa revisão em prática clínica vai levar tempo."



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 13/05/2009

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=acupuntura-no-pulso-evita-nauseas-pos-cirurgicas&id=4079

Acupuntura controla náusea e vômitos decorrentes da quimioterapia

Técnica das agulhas

Sessões de acupuntura são uma boa alternativa para controlar a náusea e o vômito causados pelo tratamento quimioterápico do câncer de mama. Pesquisa realizada na Faculdade de Medicina (FM) da USP mostra que as pacientes que passaram por sessões da técnica tradicional (uso de agulhas) tiveram uma diminuição considerável desses efeitos colaterais indesejáveis.

O médico ortopedista Wu Tu Chung realizou o estudo com um grupo de 64 mulheres em tratamento quimioterápico no período de março de 2003 a fevereiro de 2007, no Hospital do Câncer - A.C. Camargo, em São Paulo. Segundo o pesquisador, cerca de 20% dos pacientes que fazem quimioterapia apresentam vômitos e náuseas. "Para esses casos, a acupuntura clássica (com agulha) pode representar um grande benefício", afirma Chung.

Mulheres tomando quimioterapia

O pesquisador explica que todas as mulheres selecionadas estavam fazendo um mesmo tipo de quimioterapia, ou seja, usavam as mesmas drogas. "Escolhemos um tipo de quimio que é uma das que mais causam vômitos e náuseas nos pacientes", explica o médico. Cada quimioterapia dura, no total, 21 dias. As sessões de acupuntura foram iniciadas no mesmo dia de início das de quimio.

Náuseas e vômitos

Chung conta que existem diversos tipos de medicações usadas nas quimioterapias e que cada uma delas pode provocar náuseas e vômitos em intensidades diferentes, dependendo do paciente. "Muitas vezes, antes mesmo de fazer o tratamento quimioterápico a pessoa já apresenta os efeitos colaterias, ao que damos o nome de crise antecipada. A crise tardia ocorre após 48 horas de aplicação e a aguda é entre 24 a 48 horas após a aplicação do medicamento", diz.

Acupuntura e auriculopuntura

As mulheres, com idades entre 26 e 66 anos, foram dividas em três grupos. A acupuntura clássica (com agulhas) foi usada em 20 delas, em sessões de meia-hora de duração, três vezes por semana, durante uma semana. A auriculopuntura (técnica auricular) foi aplicada em 23 pacientes.

Esse método consiste em fixar, com fita adesiva, sementes de mostarda em pontos específicos da orelha. As pacientes foram orientadas a massageá-los durante cinco minutos, quatro vezes ao dia, durante uma semana. O grupo controle, composto por 21 mulheres, não recebeu nenhum tratamento ligado à acupuntura.

Para as sessões de acupuntura clássica, Chung escolheu cinco pontos para uso das agulhas: três na face, um no braço, um na perna e um no estômago. Para a técnica auricular também foram usados cinco pontos, correspondentes ao do método clássico.

Resultados expressivos

"Os resultados mostraram que tanto a acupuntura clássica como a auricular podem ser consideradas bons auxiliares para evitar náuseas e vômitos decorrentes da quimioterapia. Porém a técnica tradicional (com agulhas) apresentou, estatisticamente, os resultados mais expressivos", afirma o médico.

De acordo com Chung, não se sabe ao certo como a acupuntura interfere na ocorrência de náuseas e vômitos. "Provavelmente os estímulos ou a pressão nos pontos libera substâncias neuroquímicas que tornam não-sensível a zona gatilho do quimioreceptor no cérebro, prevenindo esses efeitos colaterais", esclarece o pesquisador.



Por: Valéria Dias - Agência USP

Publicado em: 23/11/2007

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=acupuntura-controla-nausea-e-vomitos-decorrentes-da-quimioterapia&id=3089

Site facilita controle e pesquisa sobre diabetes

Quem tem diabetes sabe o quanto é importante controlar diariamente a variação da glicemia (concentração de açúcar no sangue), o que nem sempre é uma tarefa simples. Para facilitar a vida do paciente nesse sentido, está disponível na internet, desde março deste ano, o site Glicemias Online (www.glicemiasonline.com.br).

DIÁRIO VIRTUAL

O sistema on line é totalmente gratuito e permite que o diabético mantenha uma espécie de diário para acompanhar a doença. Lá, ele pode anotar todas as suas medições de glicemia, administrações de insulina ou hipoglicemiante oral, exames de hemoglobina glicada, entre outros. As informações podem ser visualizadas na forma tabelas, gráficos e estatísticas.

A ideia de criar a ferramenta, única no Brasil, partiu das necessidades sentidas na pele por um de seus fundadores, diabético tipo 1 há 10 anos. "Antes, precisava anotar tudo no papel para levar às consultas médicas. Vivia esquecendo, perdendo ou sujando as anotações", relata o idealizador do site, Rafael Apocalypse.

Para tornar o processo ainda mais fácil, o programa permite que as anotações sejam feitas através do próprio sistema on line, pelo navegador web de smartphones ou ainda por SMS, no qual basta o paciente enviar uma mensagem de seu celular com o valor de sua glicemia ou com a quantidade de medicamento para um dos números do Glicemias Online, e a anotação será cadastrada automaticamente.

No início deste mês, o site ganhou sua versão final e, com ela, algumas novidades. Ele passou a contar com um novo sistema de estatísticas e gráficos melhores, além de uma nova funcionalidade. "Agora existe também a possibilidade de o paciente cadastrar o consumo de carboidrato", explica Apocalypse.

Segundo o criador da proposta, além do armazenamento de informações, o sistema é uma forma de facilitar o entendimento do paciente sobre a doença e as reações do organismo através do material gráfico elaborado. No entanto, isso não significa que a ajuda especializada deva ser descartada. "A intenção não é que o paciente tenha autonomia sobre seu tratamento, ele não deve dispensar o médico", ressalva Apocalypse. "O que acontece é que, com o site, a pessoa dispõe de mais informações para fazer questionamentos na hora da consulta."

Hoje, estima-se que cerca de 170 pessoas estejam cadastradas no serviço. Os médicos ainda não contam com um acesso exclusivo, mas podem compartilhar a senha dos pacientes ou apenas visualizar as informações, tanto impressas como em arquivos PDFs enviados por e-mail.

De acordo com Apocalypse, os profissionais da saúde têm apoiado a iniciativa. "Temos conversado com alguns médicos, e o retorno é sempre positivo. Eles gostam e passam a usar e indicar o site", assegura.



Por: Marilia Montich - Diário do Grande ABC

Publicado em: 05/09/2010

Fonte: http://www.dgabc.com.br/News/5829303/site-facilita-controle-e-pesquisa-sobre-diabetes.aspx

Especialistas ensinam como identificar sinais que alertam para um AVC

Os sinais quase sempre enganam. Difíceis de decifrar, confundem quem os sente e quem os vê. É muito comum que, enquanto o cérebro perde a circulação e a oxigenação, ninguém note o que está ocorrendo. Enquanto isso, 2 milhões de células morrem a cada minuto e o corpo perde, aos poucos, funções básicas. A fala some, os braços pesam, a face treme e a força desaparece. Esse mal traiçoeiro é o acidente vascular cerebral (AVC), conhecido popularmente como derrame, a doença que mais mata no Brasil. É possível, porém, aprender a reconhecer os sintomas (veja infografia). Agir rápido é uma das formas de salvar vidas e limitar suas duras consequências.

Qualquer perda de função motora, fraqueza, visão dupla ou dificuldade de comunicação pode servir como alerta e deve ser levada a sério. “Um AVC é caracterizado por uma mudança súbita de comportamento e quadros de confusão mental ou motora. Ainda mais se o paciente apresenta fatores de risco, como diabetes e pressão alta. As pessoas precisam aprender a reconhecer esses sinais precocemente, porque eles são confundidos com dezenas de outras coisas. E sempre é necessário correr para uma emergência”, afirma Hudson Mourão Mesquita, neurologista da Amil.

Em 2008, 97.881 pessoas morreram no Brasil por causa de doenças cerebrovasculares, segundo o Ministério da Saúde. De acordo com especialistas, o desconhecimento da população agrava a situação do derrame entre a população brasileira. “Muita gente não sabe o que quer dizer, confunde com o aneurisma, acha que está ligado à dor de cabeça. Para o leigo, o derrame é qualquer coisa que sangra. Precisamos de um programa educativo, de linguagem fácil, para alertar a população. Afinal, a simples ida à emergência para saber o que há de errado é essencial para salvar vidas”, comenta Mesquita.

Uma pesquisa feita pelo Hospital Albert Einstein com 800 pessoas mostrou realmente um quadro preocupante: um grande desconhecimento sobre os sintomas do AVC. “As pessoas não sabem nem o que significa, conhecem apenas o nome popular, derrame. Não sabem quais são os fatores de risco ou como identificar os sinais da doença. Mais de 30% não conhecem o 192, o número da emergência, e esse é um quadro muito preocupante”, analisa Gisele Sampaio, gerente da área de neurologia do hospital.

Contra as sequelas
O rápido atendimento é importante para reduzir o dano cerebral e, em alguns casos, consegue evitar qualquer tipo de sequelas. “Na neurologia, costumamos dizer que o tempo é o cérebro. A região acometida pela lesão do AVC é determinante no tipo de sequelas e na gravidade delas. Pode-se dizer que, quanto mais nobre a função da área cerebral atingida, pior é o resultado. E quanto antes for o tratamento imediato, melhores as chances”, comenta Gylse-anne Souza Lima, neurologista do Hospital Santa Luzia de Luziânia (GO).

Para Gisele, quanto mais conhecimento a população tiver sobre o AVC, as opções de tratamento serão mais desenvolvidas. “Uma pessoa pode ter um derrame e conseguir reverter o quadro, se receber a medicação até quatro horas e meia depois da fase aguda. O que acontece é que os sintomas se confundem, o atendimento demora e as sequelas são piores, podendo acorrer até paralisia total”, comenta a neurologista do Albert Einstein.

O acidente vascular cerebral é causado pela falta de circulação ou por uma hemorragia no tecido encefálico. Cerca de 80% dos casos de AVC são do tipo isquêmico — os outros 20% são hemorrágicos. Para que esse processo aconteça, existem alguns fatores de risco. As chances aumentam com o envelhecimento, principalmente a partir dos 60 anos, mas os jovens também podem ter um derrame. “A hipertensão arterial acarreta um aumento superior a três vezes da incidência do AVC . Diabetes é fator de risco bem documentado, assim como o tabagismo, que aumenta o risco relativo em 50%. Outros fatores identificados são o sedentarismo, o estresse e a obesidade”, diz Gylse-anne.

Como, para os idosos, os riscos são maiores, os familiares precisam ficar atentos a qualquer mudança de comportamento. Eles podem sofrer pequenas crises, que, no entanto, podem deixar sequelas graves. “A idade do cérebro influencia no prognóstico. Quanto mais velhos ficamos, menor a capacidade de regeneração. As reservais cerebrais vão desaparecendo. E é mais comum que eles tenham outras doenças em conjunto com o AVC, o que torna tudo mais preocupante. A atenção deve ser constante”, analisa Gisele.

Aprisionado no próprio corpo
Em 1995, quando tinha 48 anos, o editor da revista Elle francesa Jean-Dominic Bauby sofreu um derrame cerebral. O AVC foi grave e ele perdeu todos os movimentos. A mente funcionava normalmente, mas o corpo não respondia de forma nenhuma. Ele passou, então, a se comunicar exclusivamente com os olhos. Piscar uma vez queria dizer sim e duas não, por exemplo. O jornalista francês conseguiu ditar um livro inteiro dessa forma. A obra O escafandro e a borboleta foi publicada em 1997, mesmo ano da morte do escritor, e adaptada para o cinema em 2007.


Por: Tatiana Sabadini - Correio Brazilense

Publicado em: 05/09/2010

Fonte: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia182/2010/09/05/cienciaesaude,i=211575/ESPECIALISTAS+ENSINAM+COMO+IDENTIFICAR+SINAIS+QUE+ALERTAM+PARA+UM+AVC.shtml

Acupuntura pode aliviar cólicas menstruais de forma mais eficaz

Técnica milenar pode acabar com as dores mais rápido do que analgésicos.

Acupuntura é uma técnica criada na pré-história da China, excelente para a saúde por estimular pontos do organismo. O que se comprovou agora por estudiosos da Coréia é que a terapia que usa agulhas também é ótima para aliviar cólicas menstruais.

As dores no período menstrual atingem cerca de 50% das mulheres em idade reprodutiva em todo o mundo. Os 27 estudos com mais de três mil mulheres concluíram que as agulhadas podem ser mais eficazes do que analgésicos e suplementos naturais.

Segundo os cientistas coreanos, a acupuntura é boa para tratar a dor por estimular a produção de endorfinas e serotonina no sistema nervoso central. No estudo que foi publicado no Journal of Obstetrics and Gynaecology, comprovou-se que a técnica oriental diminui a dor de forma mais eficaz do que os analgésicos convencionais. O órgão americano National Institutes of Health (NIH) oficializou a recomendação da acupuntura como uma das formas de controlar a dor causada pelas cólicas.

Por: Abril On line - Seção: Mulher/Saúde

Publicado em: 08/09/2010

Fonte: http://www.abril.com.br/noticias/comportamento/acupuntura-pode-aliviar-colicas-menstruais-forma-mais-eficaz-594566.shtml

Aprenda a voltar sua atenção para o seu interior

Reduzir a prática do yoga simplesmente aos exercícios do corpo significa perder uma dimensão extraordinária, como também, esvaziar o yoga de tudo que constitui sua riqueza, limitando-o a uma ginástica sem sabor.

O grande mote do yoga que faz a diferença com a ginástica é: “Não se separa o corpo do espírito!”

Patanjali, sábio e codificador do yoga, propõe nos o Yoga Sutra um componente chamado pratyahara (retrair os sentidos), que é o mediador entre o trabalho puramente corporal e os estados definidos como “espirituais”.
O sentido do tato é a base de todos os sentidos físicos.

Como assim?

O universo externo é percebido através da captação de frequências: visuais, quando se trata dos olhos; auditivas, quando se trata dos ouvidos e táteis, quando se trata da pele. Esse universo está em permanente movimento: os sentidos captam essas variações com a finalidade de adaptar nossa fisiologia ao mundo externo e proteger nossa existência. Todo o corpo participa dessa percepção. O trabalho corporal do yoga físico é essencial para a conscientização de nossa relação com o mundo, e também para conseguir, por contraste, a abstração do “externo” para voltar ao “interno”.

Manas, a mente reúne o conjunto: espírito e pensamentos

Manas é o mestre do conjunto das possibilidades psíquicas e físicas. Os pensamentos fluem frequentemente. As “impressões”, no sentido de imprimir uma marca, estão modificando permanentemente nossas experiências.

Pratyahara reverte a experiência com o mundo externo, que constantemente modifica nossos estados internos, barra a entrada, e faz-nos voltar da personalidade externa para a natureza essencial: o deslocamento da atenção permitirá mudar o centro da personalidade à individualidade. A personalidade será absorvida pela individualidade, assim o ser físico, com sua personalidade transitória envolvida pelos diferentes eventos do mundo externo, vai encontrar seu centro e modificar seu ponto de visão.

Essa etapa da realização do yoga representa a passagem entre a personalidade externa e sua verdadeira natureza.

Mergulhados nos pensamentos rápidos e fugitivos, nossa capacidade de consciência fica dispersa e enfraquecida. As solicitações externas diminuem nossas possibilidades de discernimento, convencendo-nos que somos apenas seres frágeis, perturbados pelos eventos múltiplos do dia a dia. Com o tempo, essa tendência fica ainda mais aguçada constituindo um obstáculo à meditação. Trata-se de um obstáculo que bloqueia o caminho para se ligar à natureza essencial (klesha em sânscrito).

O antídoto para esse “mal” será centrar as faculdades de concentração juntando toda a nossa capacidade de atenção e de expressão.

Para realizar essa operação, será imprescindível juntar novamente o fluxo de nossa atenção (que no cotidiano fica espalhado entre as milhares de solicitações) para o “enviar” ou “atirar” numa só direção, recuperando, assim, força e energia.


Indriyas

Para obter essa unidade da atenção é preciso controlar os Indriyas, a capacidade sutil de percepção e de ação. Esse controle pode ser realizado dentro de uma postura de yoga: a atenção será alerta, o corpo imobilizado, a mente voltada para o espaço interno.

A respiração, o sopro será o caminho para dentro, como “seguir as setas”. Para o principiante, a respiração consciente é o melhor meio para aquietar a agitação interna.

Vamos praticar juntos

Primeiro passo

O praticante pode deitar-se no chão, com as pernas dobradas, as plantas dos pés perto do quadril. Os olhos fechados e a atenção voltada para o volume interno do peito. Sem nenhum esforço para respirar, a consciência será “atrelada” ao vai e vem da respiração, gostosa e tranquila, como um balanço suave que propicia a calma interior.

Gradativamente, vai encontrar um ritmo mais tranquilo, um aprofundamento ainda mais gostoso.


Segundo passo

Continuar observando a respiração, quando a inspiração tornar-se espontânea, o praticante poderá instalar uma pequena pausa, com os pulmões cheios, e alongar a expiração para que seja um pouco mais comprida. Proceder assim ajuda a eliminar as tensões físicas e psíquicas. Gradativamente o praticante dará um ritmo, contando os tempos, passando de 2 a 3 e 4 tempos, até 5 ou mais tempos, se não houver tensão nem esforço. O tempo todo, a atenção será constante.


Terceiro passo

O praticante fará uma pausa para perceber a qualidade do momento e como a calma se instalou. Durante alguns segundos, ele poderá curtir esse estado. Depois, voltará para o primeiro passo, para fazer todo o procedimento novamente.

Após outra pausa, o praticante fará mais um ciclo do primeiro até o terceiro passo para finalmente abandonar-se ao relaxamento. Nesse estado de atenção voltada totalmente para dentro, poderá experimentar o pratyahara, onde se unem a personalidade e a natureza essencial.

Quais são os benefícios de uma prática regular?

– A diminuição da dispersão da mente e das perdas de energias decorrentes;

– A mente completamente atenta, porém num estado de recepção, ajuda ao repouso do corpo e a energização dos diferentes níveis do ser;

– O estado de recepção passiva da mente ajuda a afinar as percepções internas que se tornam mais sutis ao longo do tempo: sons que vêm das atividades dos órgãos internos, fluxos sanguíneos, nervosos... Um conjunto de percepções que ajudam a incentivar as forças de autocura;

– O treino de estabilidade e neutralidade da mente que permite a aproximação de um estado luminoso interno, difícil de descrever com palavras, que pode ser chamado de serenidade;

– O treino da atenção dos sentidos ajuda a desenvolver a vigilância, permitindo assim, usufruir melhor da vida;

– O pensamento adquire foco e força;

– O discernimento melhora;

– A melhora da escuta para com os outros e para com seus pensamentos, sentimentos e emoções;

– Com o controle dos sentidos e as faculdades de percepção centradas pode-se ascender a estados mais sutis, mais refinados de consciência interna.

Fácil, gostoso e eficiente...



Por: Nicole Witek - Vya Estealr - Uol - Expresso MT - On Line

Publicado em: 07/09/2010

Fonte: http://www.expressomt.com.br/noticiaBusca.asp?cod=90069&codDep=3

Terapias alternativas são seguras e eficazes para crianças

"Cada vez mais as crianças estão sendo tratadas com terapias complementares e alternativas."

Terapias complementares e alternativas

Hoje, mais do que nunca, as crianças estão sendo tratadas com terapias complementares e terapias alternativas. Estudos recentes indicam que cerca de 30% das crianças saudáveis e até 50% das crianças com doenças crônicas estão usando algum tipo de terapia alternativa.

"Há um espaço gigantesco para as medicinas alternativa e complementar na pediatria," diz a Dra. Dolores Mendelow, da Escola de Medicina da Universidade de Michigan (Estados Unidos).

Se as pessoas seguirem as instruções dos seus médicos, esses tratamentos são uma forma segura e eficaz de ficar saudável e de se manter com saúde, diz Mendelow. É por isto que as terapias complementares e alternativas estão se tornando o principal meio de tratamento para as crianças.

Terapias alternativas para crianças

Porém, enquanto determinados tipos de tratamentos alternativos são seguros, existem muitas terapias que podem ser perigosas para as crianças. Por exemplo, o mel pode ser usado contra a tosse relacionada ao resfriado comum, mas não para crianças menores de um ano de idade.

Mendelow acentua que os pais devem sempre consultar o pediatra antes de começar qualquer novo tratamento alternativo.

As terapias alternativas podem ser eficazes contra várias doenças - como resfriados e brotoejas, por exemplo - para as quais os medicamentos comuns não produzem resultados imediatos.

"Em termos de medicina complementar, nós estamos usando acupuntura, suplementação alimentar e terapias botânicas ou com ervas," afirma a pediatra.

Ela destaca algumas das terapias alternativas que podem ser benéficas para crianças:

Yoga

Os especialistas sugerem que pacientes pediátricos participem de aulas de yoga como uma forma de terapia. A yoga, quando combinada com medicamentos prescritos por um médico, pode ser utilizada para ajudar pacientes asmáticos a aprenderem a praticar e usar a respiração profunda e manterem-se calmos quando sofrem ataques. A yoga também ajuda a reduzir o estresse em adolescentes e jovens.

Tai chi

As pesquisas mostram que os adolescentes se deparam com muito estresse, o que os coloca em risco de sofrer depressão e outras desordens de comportamento. Terapias do corpo e da mente, como o tai chi, ajudam a reduzir o risco de depressão e de ansiedade.

O tai chi e a yoga ajudam a diminuir a pressão sanguínea e a atividade simpática (atividade que mantém o funcionamento do sistema cardiovascular) em crianças, dando-lhes uma sensação de relaxamento e de calma.

Probiótica

As bactérias vivas, semelhantes às encontradas no estômago humano, podem ser encontradas em suplementos alimentares ou em comidas como o iogurte. Estudos demonstraram que elas são seguras para as crianças quando usadas para tratar diarreias associadas com a ação de antibióticos.

O uso de probióticos pode reduz a diarreia em um ou dois dias, permitindo que as crianças voltem à escola mais cedo depois de se submeterem ao tratamento.

Os probióticos não são recomendados para crianças tomando imunosupressivos ou com qualquer comprometimento do sistema imunológico. Sempre consulte o médico antes, no caso de dúvida.

Terapias não recomendadas para crianças

Enquanto existem fortes evidências dos benefícios e da segurança da aplicação das terapias acima às crianças, Mendelow alerta os pais de que outras práticas complementares e alternativas têm mostrado sérias consequências para crianças e adolescentes.

Veja abaixo as terapias alternativas que podem ser perigosas para crianças.

Ma Haung

Ma Haung, um medicamento chinês usado para controlar a asma, é um estimulante, frequentemente utilizado para melhorar o desempenho de atletas. Usar esse tipo de estimulante em crianças pode levar a palpitações do coração e outros eventos cardíacos, todos extremamente perigosos para uma criança.

Creatina

A creatina é outro suplemento que não deve ser acrescentado à dieta de uma criança. "A creatina é usada para modelagem corporal e nós sabemos que ela pode ter sérios efeitos colaterais para os rins," diz Mendelow.

Outros suplementos alimentares

Crianças que estejam tomando anticoagulantes devem evitar determinados suplementos, como ginkgo biloba ou altas doses de óleo de peixe.

Os anticoagulantes aumentam o tempo de sangramento, o mesmo efeito que apresentam esses dois suplementos, o que deixa a criança mais suscetível a hemorragias.

Antes de ministrar qualquer suplemento alimentar a uma criança, verifique com o pediatra se ele não conflita com algum outro medicamentos que esteja sendo ingerido.

Quiropraxia

A Dra. Mendelow alerta contra a manipulação rápida da espinha em crianças. "A coluna vertebral das crianças provavelmente não estará totalmente desenvolvida até os 18 ou 20 anos de idade e você pode de fato estar fazendo mais mal do que bem," afirma ela.


Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 07/04/2009

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=terapias-alternativas-sao-seguras-e-eficazes-para-criancas&id=4017

Dieta amiga dos ossos ajuda a evitar a osteoporose

Prevenir é sempre o melhor remédio. A frase da sabedoria popular cabe bem em se tratando de osteoporose, uma doença que afeta os ossos e pode provocar fraturas e causar dores fortes. Nada melhor para não ficar doente do que levar uma vida saudável, com boa alimentação.

O Brasil já tem mais de 10 milhões de pessoas com a doença, que é caracterizada pelo enfraquecimento dos ossos. A tendência é de que o número de pacientes aumente, porque a doença atinge principalmente idosos e a população maior de 60 anos, que representa mais de 10% da população brasileira, tem previsão de aumentar bastante nos próximos anos, segundo o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Muita gente acredita que faz uma alimentação adequada porque se sente bem, mas será que está ingerindo quantidade de cálcio diária suficiente para o organismo se manter saudável? Está com todas as vitaminas em ordem no corpo? A quantidade ideal de cálcio que as pessoas acima de 50 anos precisam diariamente é de 1.500 miligramas; só que a maioria das pessoas no Brasil (cerca de 90%) ingere apenas 400 miligramas. A necessidade de cálcio do ser humano varia de acordo com a idade. O recomendável é que a gestante ingira de 1.500 a 2.000 mg, a mulher na fase do aleitamento 1.200 a 1.500, bebês 400 a 600, crianças 800, pré-adolescentes e adolecentes 1.200 a 1.500, adultos 1.200. Um copo de leite por dia é pouco, porque tem cerca de 300 mg de cálcio.

Mas não é simples no dia a dia saber o que comer para obter estas quantidades não é? Pedi ajuda a Juliana Strambi Barcellos, nutricionista clínica do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, formada pela Unesp (Universidade Estadual Paulista), para montar um cardápio que serve de inspiração para saber a quantidade de alimentos necessária e pensar em variações de alimentos de modo a conseguir a quantidade recomendada de cálcio, sem esquecer dos demais nutrientes. Nesta sugestão, a quantidade de cálcio é de 1280,9 mg.

Café da manhã:

1 pão francês

1 fatia de queijo branco

1 copo de leite desnatado com meio mamão papaia

Lanche da manhã:

1 copo de suco de laranja

Almoço:

4 colheres de sopa de arroz

1 concha de feijão

3 colheres de carne moída

2 colheres de brócolis refogado

2 colheres de cenoura ralada

1 fatia média de abacaxi

Lanche da tarde:

1 pote de iogurte desnatado

1 banana

1 colher de chá de aveia

Jantar:

4 colheres de sopa de arroz

1 concha de feijão

1 filé de peito de frango

3 colheres de abobrinha refogada

1 prato de sobremesa de agrião e 3 fatias médias de tomate

1 cacho pequeno de uva

Lanche da noite:

1 copo de leite desnatado com uma colher de sobremesa de achocolatado

Para fazer uma dieta amiga dos ossos, é importante tomar leite e seus derivados, preferindo sempre o leite desnatado e os queijos brancos. Coma sementes de gergelim e girassol. Lentilha, soja, amêndoa e uva-passa também têm cálcio. Um copo de suco de laranja tem a mesma quantidade de cálcio que um de leite. Vegetais são fonte de cálcio, portanto, coma verduras (alface, repolho, couve-flor, rúcula, couve-manteiga e espinafre) e frutas (ameixa e figo). Não exagerar no sal, óleo ou azeite quando temperar a salada.

Além da alimentação rica em cálcio, tome pelo menos 15 minutos de sol todos os dias. Ele é o responsável pela produção de vitamina D, importante para o metabolismo absorver o cálcio no organismo. Há alimentos que são fonte de vitamina D, como salmão, atum, sardinha, cogumelo, gema de ovo e fígado.

Convém evitar o açúcar refinado e refrigerante, porque o ácido fosfórico ajuda a eliminar o cálcio pela urina. O açúcar refinado pode ser substituido pelo melaço de cana. Bebidas alcoólicas destroem as células ósseas, causando osteoporose. Também não convém exceder na quantidade de café: cinco xícaras por dia é muito porque o café interfere na absorção do cálcio. Sua ação oxidante, contudo, ajuda a combater o colesterol. O consumo de uma xícara por dia pode ser bom para muita gente. Atenção com a carne vermelha: por causa do fósforo, pode aumentar a eliminação de cálcio. O ideal é se limitar a porções pequenas. Um dos segredos da alimentação saudável está no prato colorido, ou seja, na escolha de alimentos de cores diferentes para uma mesma refeição você provavelmente conseguirá obter o equilíbrio de nutrientes necessários para seu organismo. Deve-se também evitar o álcool e o cigarro.

Para que os nossos ossos permaneçam sempre fortes, é preciso que tenhamos uma alimentação saudável, balanceada e rica em cálcio. Há também outros nutrientes importantes para a formação e manutenção óssea: magnésio, zinco, Omega 3 e vitaminas do complexo B. Pelo cardápio dá para perceber o quanto é fácil ter uma alimentação rica em cálcio. Beba água. Pratique atividade física regularmente, principalmente as aeróbicas e musculação orientada. A caminhada ao ar livre é ótima como exercício aeróbico e também para tomar sol. Nunca tome suplemento de cálcio sem a orientação de médico.

A adoção de suplementos de cálcio costuma ser regra entre os idosos com osteoporose para prevenir fraturas. Porém, uma pesquisa recente realizada na universidade de Ackland, na Nova Zelândia, concluiu que o suplemento de cálcio provoca o aumento moderado do risco cardíaco, independente da idade, do sexo e do tipo de suplemento. De acordo com análise que envolveu 12 mil pacientes, a ingestão de comprimidos de cálcio está associada a um aumento de risco cardíaco de 25% a 30%. Uma alternativa poderia ser o consumo da casca do ovo. O pó de casca de ovo (também conhecido como farinha de casca de ovo) seria um complemento alimentar natural. Rico em cálcio, ele pode ser adicionado a sopas, massas, mingaus, feijão, salada ou leite. É fácil de preparar em casa. Reserve as cascas dos ovos e lave bem com um pouquinho de vinagre ou água sanitária para eliminar os germes. Coloque em uma assadeira e leve-as ao forno para torrar. Triture-as. Peneire para tirar os pedaços maiores. Guarde o pó em um vidro. O indicado é uma colher de chá por dia. Sempre consulte seu médico para saber qual é a recomendação para o seu caso.

Gostaria de citar também a importância da mastigação para a alimentação correta. A digestão começa na boca com a mastigação, ação que tritura os alimentos e os mistura com a saliva. O alimento aquecido na boca estimula o relaxamento da musculatura do estômago. Uma digestão incompleta pode levar a um crescimento bacteriano. Os benefícios da mastigação extrapolam a boa digestão: o ato de mastigar tranquiliza e faz com que o alimento seja melhor aproveitado pelo organismo e seja apreciado pelo paladar.

A doença

A osteoporose é mais comum nas mulheres porque na menopausa diminui a quantidade de estrogênio, hormônio feminino que atua também na absorção do cálcio. Ao contrário do que muitos pensam, a osteoporose acomete também homens na terceira idade. A questão é que os homens em geral desconhecem o problema, até porque o trabalho de sensibilização do público masculino para a prevenção da osteoporose ainda é muito incipiente no Brasil e, talvez até, no resto do mundo. No público masculino a osteoporose chega um pouco mais tarde, a partir dos 60 anos.

A osteoporose – doença que leva ao enfraquecimento dos ossos, tornando-os vulneráveis aos pequenos traumas —, é uma patologia assintomática, ou seja, sem sintomas, lenta e progressiva. Esse caráter silencioso faz com que não seja diagnosticada até que ocorram as fraturas, principalmente nos ossos do punho, colo de úmero, quadril e coluna vertebral. Entre os principais indícios da osteoporose destacam-se a dor prolongada na coluna vertebral, associada à diminuição da altura do paciente devido a microfraturas em vértebras, e o desenvolvimento de uma cifose, ou seja, corcunda.

A osteoporose é também uma doença complexa, cujas causas não são totalmente conhecidas. Certos fatores estão associados a um maior risco para essa doença, entre eles, ser mulher, envelhecer, ter um corpo pequeno, ser branco ou asiático e ter histórico familiar da doença. As mulheres têm um risco quatro vezes maior de desenvolver osteoporose do que os homens. Mas os homens também podem desenvolver osteoporose — embora menos frequentemente — em decorrência de distúrbios hormonais ou do uso de alguns medicamentos. Cabe citar que fatores como o sedentarismo e o tabagismo influem significativamente em quadro de osteoporose.

A doença

A osteoporose é mais comum nas mulheres porque na menopausa diminui a quantidade de estrogênio, hormônio feminino que atua também na absorção do cálcio. Ao contrário do que muitos pensam, a osteoporose acomete também homens na terceira idade. A questão é que os homens em geral desconhecem o problema, até porque o trabalho de sensibilização do público masculino para a prevenção da osteoporose ainda é muito incipiente no Brasil e, talvez até, no resto do mundo. No público masculino a osteoporose chega um pouco mais tarde, a partir dos 60 anos.

A osteoporose – doença que leva ao enfraquecimento dos ossos, tornando-os vulneráveis aos pequenos traumas —, é uma patologia assintomática, ou seja, sem sintomas, lenta e progressiva. Esse caráter silencioso faz com que não seja diagnosticada até que ocorram as fraturas, principalmente nos ossos do punho, colo de úmero, quadril e coluna vertebral. Entre os principais indícios da osteoporose destacam-se a dor prolongada na coluna vertebral, associada à diminuição da altura do paciente devido a microfraturas em vértebras, e o desenvolvimento de uma cifose, ou seja, corcunda.

A osteoporose é também uma doença complexa, cujas causas não são totalmente conhecidas. Certos fatores estão associados a um maior risco para essa doença, entre eles, ser mulher, envelhecer, ter um corpo pequeno, ser branco ou asiático e ter histórico familiar da doença. As mulheres têm um risco quatro vezes maior de desenvolver osteoporose do que os homens. Mas os homens também podem desenvolver osteoporose — embora menos frequentemente — em decorrência de distúrbios hormonais ou do uso de alguns medicamentos. Cabe citar que fatores como o sedentarismo e o tabagismo influem significativamente em quadro de osteoporose.


Fabio Ravaglia

Médico ortopedista e presidente, desde 2005, do Instituto Ortopedia & Saúde (IOS) – organização não governamental que tem a missão de difundir informações sobre saúde e prevenção a doenças, principalmente aquelas associadas à terceira idade, e que organiza o Projeto Cidadania – Caminhadas com Segurança, evento mensal que incentiva a atividade física e conta com uma feira de saúde aberta à população para a realização de exames gratuitos. O dr. Fabio Ravaglia é membro do corpo clínico externo dos hospitais Albert Einstein, Oswaldo Cruz, Sírio Libanês e Santa Catarina; membro emérito da Academia de Medicina de São Paulo (cadeira 118, patrono Ernesto de Souza Campos) membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT; e diretor-presidente da Arthros Clínica Ortopédica.

O dr. Fabio Ravaglia é graduado pela Escola Paulista de Medicina (Unifesp) com residência médica no Hospital do Servidor Público Estadual, especialização em coluna vertebral pelo Instituto Arnaldo Vieira de Carvalho (Santa Casa de Misericórdia de São Paulo) e mestre em cirurgia pela Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp. Foi o primeiro brasileiro aceito pelo programa do Royal College of Surgeons of England. Atuou como cirurgião ortopédico em hospitais ligados à Universidade de Bristol e fez especialização em cirurgia na Alemanha.





















Por: Vanessa Godoy - Seção: Notícias/Saúde

Publicado em: 22/08/2010

Fonte: http://www.segs.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=17464:-dieta-amiga-dos-ossos-ajuda-a-evitar-a-osteoporose&catid=47:cat-saude&Itemid=328

Hipertensão infantil - O coração do seu filho pede socorro.

Nunca foi tão comum os riscos que antes alcançavam uma vida adulta, atuarem tranquilamente entre o universo das crianças e adolescentes. Um perigo que começa pela boca, doce sedução, impossível para elas, resistir. Hambúrguer, cachorro-quente, refrigerante, doce. Então tudo pode, nada é restrito, mas o perigo logo os cerca.
Criança nessa fase, quer só comer isso, guloseimas mesmo. Cabe aos pais, cuidar da alimentação de seus filhos, e desde cedo, fazer um acompanhamento pediátrico devido.
Em uma reportagem do Globo Repórter, atualizada em 21/06/2010, falava sobre uma menina de 6 anos que já havia convencido a mãe, “Não sou muito chegada à fruta, e eu não como legume, porque eu não gosto”, conta a menina. Ela come basicamente o que quer, conquista a vontade da mãe que acaba virando a sua vontade. “É difícil, porque ela quer comer pizza, quer comer hambúrguer, quer comer cachorro-quente, refrigerante. Eu deixo, eu acabo cedendo”, reconhece a mãe, a comerciante Márcia Regina Ribeiro.
E o produto desse “ceder”, são os dez quilos que ela tem acima do peso normal. A Cardiologista afirmou que a pressão da menina está alta para a idade dela.
Enfim, essa é a realidade que infelizmente tem precocemente sido experimentada pelos pequenos.
A explicação também, pode ser encontrada em tanto sedentarismo que existe entre as crianças hoje em dia. Com tanta violência, a medida tomada acaba sendo, privar os pequenos dentro de casa, ficando assim, mais perto do computador, do videogame, na televisão. Deixando-os mais perto também da falta da prática de exercícios físicos saudáveis, vivendo um estilo de vida totalmente inadequado.
Uma ilusão também é pensar que como crianças e adolescentes, são então, inatingíveis, que não correm riscos de sofrer qualquer tipo de doença, porque podem comer qualquer coisa, que não altera em nada. Um ledo engano, porque é sim nessa fase em que o coraçãozinho dos pequenos pode alarmar sim, e de uma forma assustadora.
A hipertensão arterial pode assim, ser considerada como um “mal silencioso”, age devagar, e sem fazer muito alarde. E segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), estima- se que haja 3,5 milhões de crianças e jovens hipertensos no Brasil e sua incidência varia de 2% a 13% entre elas. Sem deixar que os pais percebam logo, como um xixi feito na cama, pode a princípio não parecer ser no máximo um mal costume a ser tirado, mas pode ser sinal de pressão alta, assim como outros sintomas não tão visíveis.
Os pais então, chegam a não acreditar nos números que vêem. “A gente tem encontrado muitas crianças com pressão no limite ou acima, e a gente coloca essas crianças com uma etiquetinha ‘em observação’”, diz a cardiologista Rosa Célia Barbosa, da Pró Criança Cardíaca.
E nem sempre a doença vem acompanhada da obesidade, no entanto, quando o peso é controlado, existe um equilíbrio e evitar com certeza é melhor que remediar mais tarde. Sem falar que mesmo não ocorrendo obesidade com tanta pressa, não se descarta a possibilidade de que ela venha a tardar e aparecer na vida adulta causando uma série de complicações desnecessárias, que poderiam ter sido evitadas desde a infância ou até mesmo na gestação, porque antes mesmo de nascer, muitas crianças já tem a promessa de doenças cardiovasculares e renais. Por isso que é tão importante que a mãe cuide da saúde de seu filho mesmo não tendo vindo ao mundo, pois uma alimentação correta é o primeiro passo para um futuro tranquilo.
E com a obesidade infantil antecedem de muitos outros problemas de saúde, como distúrbios psicossociais, desordens ortopédicas, disfunções respiratórias e diabetes. Mas algumas delas já vem logo na infância, nem esperam muito para atacar.
Próximo alerta: o coraçãozinho do seu filho pode estar correndo um grave risco.
“O coração é uma bomba que impulsiona o sangue oxigenado através da aorta, a artéria que dá ramos pra irrigar o organismo inteiro. Na pessoa hipertensa, o coração encontra mais resistência para fazer a corrente sanguínea progredir através do sistema. Por isso é obrigado a fazer mais força. Faz tanta força que empurra a aorta pra cima e pra trás.” Explica o dr. Dráuzio Varella.
O importante mesmo, é sempre que levar no pediatra, pedir para medir a pressão, porque é difícil de se diagnosticar por nem sempre ter seus sintomas explícitos. Que quanto mais cedo se descobre, mais fácil fica de tratar.
E tem a questão da má alimentação que é quase inevitável entre eles por causa da falta de controle que hoje se tem com tanta coisa industrializada, temperos prontos, salgadinhos empacotados e as doces guloseimas... são os mais comuns e os mais complicados de limitar, fica quase impossível negar. Mas pode ser sim possível evitar. Por isso que uma das saídas mais apropriadas, não seria bem criar uma dieta particular, para a criança, seria sim, criar bons hábitos em toda a família. Os pais tem que ser modelos para eles, reflexos. Se tantos maus hábitos fazem parte, não tem como o filho copiar e ter sucesso.
E as dietas nem sempre fazem efeito, não se segura dieta a vida toda, o segredo é aprender a comer, ter limites pra não sofrer futuramente. Comecem o dia comendo corretamente, cuide de uma merenda escolar para eles mais saudável e pratiquem exercícios, é essencial.
Afastando assim com tanta pressa, problemas tão desnecessários, dos pequeninos.



Por: Luana da Silva Cãmara

Publicado em: 26/08/2010

Fonte: http://www.webartigos.com/articles/45690/1/Hipertensao-infantil--o-coracao-do-seu-filho-pede-socorro/pagina1.html

As 10 Regras de Dietas que são para quebrar!

Eis 10 exemplos! O que é uma regra se não for incumprida?

Será grave quebrar algumas regras de dietas? Segundo descobertas recentes, muitas das regras de dietas que existimos não fazem sentido de existir. Quase de certeza que já se deparou com uma revista ou um site onde constavam algumas destas regras tolas. Sabemos também que após análise, especialistas em nutrição e controlo de peso concluíram que na sua grande maioria muitas regras de dietas não ajudam ao controlo de peso.

Certamente que pode violar estas 10 Regras de Dietas:

1. Comer durante a noite fá-lo ganhar mais quilos. Deve-se contabilizar as calorias ingeridas durante todo o tempo não apenas a noite. Quando são ingeridas, não é muito importante.

2. A sua refeição deverá ser todos os dias àquela hora. Coma quando tiver fome, não quando o relógio diz que são horas de comer.

3. É mais fácil perder peso com um amigo do que sozinho. É mais fácil atingir objectivos com um grupo que sozinho, no entanto perder peso é um objectivo de cada pessoa.

4. Comer alimentos com mais gordura aumenta a sensação de saciado por um período de tempo maior. Mesmo demorando mais tempo a digerir a gordura, ingeri-la não ajuda a controlar a fome. Nada melhor para saciar o apetite que as Proteínas, em segundo lugar temos os Hidratos de Carbono e só depois as Gorduras.

5. Caso tenha incumprido a sua dieta, não tem problema esse dia, volte ao rumo no dia seguinte. Não corresponde em nada á realidade. Tente sempre voltar ao seu objectivo na próxima refeição.

6. Numa festa, ou sempre que visitamos alguém, devemos comer e aceitar a comida, caso contrário, seria uma falta de educação. Ao dizer que não a um alimento que possa estragar a sua dieta, ou que não seja tão saudável, esta a fazer algo que é plenamente aceite pela sociedade.

7. Ao não comer, vai perder mais peso. Saltar refeições e boa ideia. Ficará muito mais esganado para comer, caso salte uma refeição. Uma refeição em branco desregula o funcionamento do seu metabolismo.

8. Deve-se evitar as pastas, o pão e a massa, pois engordam. Tudo o que se ingere, contem calorias, essas sim engordam, estes alimentos devem ser considerados pelo seu valor nutricional, assim como pelas calorias que contem, além disso são excelentes fontes de nutrientes.

9. Todas as calorias são calorias, logo tratadas da mesma forma! Em parte é verdade, esta afirmação, contudo 100 calorias de uma mação são mais proveitosas para o organismo que 100 calorias de massa. É a selecção de alimentos certos que ajuda á perca de peso e melhora a nutrição.

10.O prato deve ser todo ingerido. De outra forma, a refeição não estará completa. O prato não tem que ser cheio totalmente, adicione apenas os alimentos que pretende comer. Ao reduzir a dose de comida que pões no prato, vai fazer com que não coma demasiado.



Por: Carlos Gil

Publicado em: 06/09/2010

Fonte: http://www.webartigos.com/articles/46584/1/Podera-incumprir-com-algumas-regras-de-dietas/pagina1.html

Terapias do Biocampo: Mais verdades do que mitos, concluem cientistas

"Depois de analisar dezenas de estudos científicos sobre as terapias do biocampo, pesquisadores concluíram que há fortes evidências de que as terapias do biocampo de fato têm vários benefícios para os pacientes."

Energia sutil do corpo

Pesquisadores da Universidade da Califórnia, uma das mais respeitadas dos Estados Unidos, decidiram fazer uma revisão geral dos inúmeros estudos científicos que estudaram a eficácia das chamadas terapias do biocampo, incluindo Reiki, terapia do toque, toque terapêutico, biomassagem e outras.

As terapias do biocampo geralmente oferecem resultados muito além dos prometidos pelos tratamentos convencionais, baseados em psicoterapia e em medicamentos. Essas modalidades de terapia complementar afirmam utilizar a energia sutil do corpo - o biocampo - para ativar os processos de cura do próprio organismo.

As terapias do biocampo se oferecem como tratamentos complementares, entre outros, para redução da dor em vários tipos de doenças, redução da ansiedade em pacientes hospitalizados e redução de comportamentos agitados em quadros de demência.

Pesquisas científicas sobre biocampo

Os doutores Shamini Jain, especialista em prevenção de câncer, e Paul Mills, psiquiatra, decidiram então fazer uma análise detalhada e isenta das várias pesquisas publicadas por outros cientistas sobre as diversas formas de terapias do biocampo.

Os resultados acabam de ser publicados no periódico médico Journal of Behavioral Medicine.

Terapias do biocampo

Um número cada vez maior de pessoas utiliza as terapias do biocampo em tratamentos e como medidas preventivas, apesar do pequeno número de pesquisas científicas envolvendo o tema e, principalmente, de evidências mais concretas de que elas funcionam de fato.

Essas técnicas vêm sendo utilizados por milênios em várias culturas, para curar problemas físicos e mentais. Somente muito recentemente elas passaram a ser analisadas com os métodos científicos da medicina ocidental.

Em uma revisão detalhadas de 66 estudos clínicos que estudaram as terapias do biocampo em diferentes populações de pacientes, sofrendo de uma grande variedade de condições médicas, os dois cientistas decidiram examinar a integridade dos argumentos e das evidências científicas colhidas para mostrar a eficácia dessas terapias complementares.

Evidências fortes e moderadas

Os dois cientistas concluíram que, no geral, os trabalhos científicos publicados nesta área têm uma qualidade média em termos científicos, destacando-se igualmente estudos de excelente qualidade e estudos cujas metodologias apresentam algum tipo de falha.

Quanto aos resultados dos estudos, os dois cientistas encontraram fortes evidências de que as terapias do biocampo reduzem a intensidade da dor em populações não-hospitalizadas.

Para os pacientes hospitalizados e para os pacientes com câncer, as evidências de que as terapias do biocampo reduzem a intensidade da dor foram catalogadas como moderadas.

Os cientistas também encontraram evidências moderadas de que essas terapias acalmam comportamentos agitados em pacientes com vários tipos de demência. Os resultados são similares quando o tratamento complementar é voltado para reduzir a ansiedade em pacientes hospitalizados.

Novas pesquisas científicas

As evidências coletadas pelos diversos estudos não são conclusivas quanto ao uso das terapias do biocampo para o tratamento de sintomas de fadiga e para a melhoria da qualidade de vida de pacientes com câncer, assim como para a redução da dor e da ansiedade em pacientes especificamente com problemas cardiovasculares.

Os autores concluem que há uma grande necessidade de mais estudos de alta qualidade sobre o tema e sugerem áreas específicas para a realização de novas pesquisas científicas.

Médicos devem conhecer as terapias do biocampo

A principal conclusão dos dois cientistas, contudo, é no sentido de que os médicos passem a conhecer as terapias do biocampo.

"A fim de informar melhor os pacientes dos benefícios potenciais, ou dos não-benefícios, dessas intervenções baseadas no biocampo, os médicos e os cientistas na área da medicina comportamental devem se familiarizar com a teoria e com a prática dessas terapias, assim como das pesquisas feitas na área," concluem os especialistas.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 06/11/2009

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=terapias-biocampo-mais-verdades-mitos-concluem-cientistas&id=4680

Acupuntura é eficaz contra dores crônicas no pescoço

Cervicalgia crônica

Estudo realizado por uma pesquisadora da Unicamp em um serviço público de saúde no município espanhol de Dos Hermanas, na província de Sevilha, atesta a eficácia da acupuntura para o tratamento da cervicalgia crônica, uma queixa comum na população de adultos em todo o mundo, caracterizada pelas dores no pescoço.

A pesquisa feita pela cirurgiã-dentista Camila da Silva Gonçalo investigou a história clínica de cem pacientes e conclui que a acupuntura pode ser uma opção válida também no Brasil, aonde esta terapia vem ganhando espaço no serviço público de saúde.

Segundo Camila, trata-se de um recurso adicional ao tratamento convencional, pois no estudo foi constatada uma redução significativa da intensidade da dor, do consumo de analgésicos, e das desordens do sono, entre outros fatores.

"São poucos os trabalhos realizados na área odontológica, relacionando práticas integrativas e complementares em saúde pública e, por isso, quis investigar o assunto. Pelos resultados, acredito que a prática poderia reduzir os custos do sistema público de saúde", destaca a cirurgiã-dentista.

Acupuntura contra dores crônicas

Camila passou seis meses na Espanha, com acompanhamento do professor Jorge Vas, da Universidade de Málaga, para desenvolver a pesquisa de mestrado apresentada na Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP), sob orientação do professor Antonio Carlos Pereira.

A experiência, segundo ela, foi única, uma vez que o serviço de saúde onde estagiou tem como foco central o tratamento de dores crônicas.

"É uma unidade de saúde onde se aplicam a acupuntura e outros recursos da medicina tradicional chinesa", explica. Todos os voluntários fizeram, em média, oito sessões de acupuntura e apresentavam quadro de dor por mais de três meses.

Pontos de acupuntura

A pesquisa de Camila traz também dois estudos de revisão. Um deles trata de uma compilação sistemática de acupontos - pontos onde são aplicadas a agulhas da acupuntura - localizados em áreas do corpo que podem ser puncionadas durante o atendimento clínico odontológico.

O outro traz uma revisão das observações clínicas sobre a eficácia do uso da acupuntura e auriculoterapia aplicadas à odontologia.

Segundo ela, vários achados interessantes resultaram deste levantamento. Por exemplo, no estímulo da produção de saliva em pacientes que realizam radioterapia e sofrem com a boca seca; na melhora do reflexo faríngeo ao diminuir náusea dos pacientes que precisam fazer a moldagem de próteses; e, até mesmo, na redução da ansiedade para melhor qualidade no atendimento odontológico.



Por: Raquel do Carmo Santos - Jornal da Unicamp

Publicado em: 08/09/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=acupuntura-eficaz-contra-dores-cronicas-pescoco&id=5671

Aromaterapia funciona: descobertos efeitos fisiológicos dos aromas

"Cientistas descobriram as primeiras evidências científicas de que determinadas fragrâncias alteram a atividade genética e a química sanguínea de forma a reduzir os níveis de estresse."

Aromas que fazem bem à saúde

Está se sentindo estressado? Então tente desfrutar o aroma de limão, manga, lavanda ou alguma outra planta que emita fragrâncias agradáveis.

Cientistas no Japão divulgaram a primeira evidência científica de que a inalação de determinadas fragrâncias alteram a atividade genética e a química sanguínea de forma a reduzir os níveis de estresse.

Ciência reconhece saber popular

Na pesquisa, Akio Nakamura e seus colegas ressaltam que as pessoas usam o cheiro de determinadas plantas desde a mais remota antiguidade para reduzir as tensões emocionais, para reduzir inflamações, combater a depressão e também para induzir ao sono.

A aromaterapia, o uso de óleos de plantas aromáticas para melhorar o humor e a saúde, transformou-se em uma forma de medicina alternativa bastante popular também na atualidade.

O linalol é uma das substâncias mais utilizadas em todo o mundo para reduzir a tensão emocional e o estresse. Mas, até agora, os efeitos exatos do linalol sobre o organismo humano permanecia como um mistério.

Bases científicas da aromaterapia

Para tentar descobrir as bases fisiológicas do funcionamento da aromaterapia, os cientistas expuseram ratos de laboratório a condições estressantes. Um grupo dos animais foi submetido a essas situações inalando o linalol, enquanto outro grupo passou pelas mesmas experiências sem o aroma.

O estresse eleva os níveis dos neutrófilos e linfócitos, partes essenciais do sistema imunológico. O linalol fez com que esses neutrófilos e linfócitos retornassem a níveis praticamente normais.

A inalação do linalol também reduziu a atividade de mais de 100 genes cuja atividade é incrementada em situações estressantes.

As descobertas estabelecem a base para a criação de novos testes sanguíneos que ajudem a identificar os aromas que produzem os melhores resultados para cada tipo de tratamento, sobretudo para o tratamento do estresse e de outros distúrbios emocionais, como depressão e problemas de sono, dando uma dimensão definitivamente científica para a aromaterapia.


Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 27/07/2009

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=aromaterapia-funciona-descobertos-efeitos-fisiologicas-aromas&id=4355

Pacientes com fibromialgia desconhecem a doença e não buscam tratamento

Fibromialgia

Dores musculares difusas (pelo corpo todo) e crônicas (recorrente há mais de três meses), distúrbios do sono, fadiga, ansiedade, depressão e problemas gastrointestinais. Esses são alguns sintomas de uma doença que é pouco conhecida da população mas que pode acarretar graves conseqüências para a qualidade de vida do paciente: a fibromialgia.

Estudo da Faculdade de Medicina (FM), da USP realizado no município de Embu das Artes, em São Paulo, revelou que 24% da população estava propensa a desenvolver a fibromialgia mas nenhum paciente tinha conhecimento sobre a doença. "Essas pessoas vivem mal e existem em uma quantidade consideravelmente grande, sem saber procurar tratamento adequado", comenta uma das autoras da pesquisa, a fisioterapeuta Cristina Capela.

Dores difusas e crônicas

A pesquisadora ressalta que os "fibromiálgicos" e "pré-fibromiálgicos" (que podem desenvolver a doença) muitas vezes vêem seu quadro se agravar por falta de informação, ocasionando uma vida cada vez mais difícil devido às dores difusas e crônicas e ao freqüente quadro depressivo que normalmente é tratado com terapia medicamentosa. Apesar de ser uma doença cujas causas ainda são desconhecidas, é possível amenizar os sintomas com exercícios aeróbicos, alongamentos, massoterapia, acunpuntura, hidroterapia, laserterapia, entre outros recursos.

No entanto, o primeiro passo é identificar o problema. "As pessoas tendem a tratar cada problema de maneira isolada. Por exemplo, vão ao ortopedista dizer que têm dor na perna. Aí vão ao psicólogo tratar a depressão. Depois passam pelo cardiologista para falar que o coração não está bom. Cada queixa será tratada com um remédio diferente, sendo que todos esses sintomas juntos são facilmente identificados pelo reumatologista como um quadro de Síndrome da Fibromialgia e, dessa forma, o paciente poderia ser encaminhado para tratamentos que amenizem os sintomas", enfatiza Cristina.

A pesquisa

O estudo abordou nove Unidades Básicas de Saúde (UBS) +3 da cidade de Embu das Artes. Foram entrevistadas 768 pessoas cadastradas nos postos no ano de 2003. Os entrevistados foram questionados quanto à presença ou não de dor e à qualidade do sono. Todos foram convidados a participar de uma avaliação na UBS mais próxima de sua residência.

Destes, 304 compareceram ao exame físico e responderam também a um questionário para avaliar os sintomas que freqüentemente estão associados a esta síndrome. Foi então que chegou-se ao resultado de que 4,4% da população de Embu já tinha fibromialgia, mas 20% pode desenvolver a doença por apresentar dores difusas e crônicas e forte correlação com os sintomas associados.

Na primeira etapa da pesquisa, por telefone, os pacientes diziam onde sentiam dor, há quanto tempo isso os incomodava e respondiam sobre a presença dos sintomas da doença. Depois, no exame físico, foram testados os 18 "pontos dolorosos", ou seja, foi aplicada uma certa pressão sobre as regiões "com dor". Se existissem pelo menos 11 pontos específicos em que a pressão não fosse suportável e, além disso, se apresentassem fadiga, distúrbio do sono, ansiedade e depressão, então ele era diagnosticado como fibromiálgico.

Ansiedade e depressão

A dissertação Avaliação da dor, qualidade de vida e sintomas secundários da fibromialgia na população de Embu: ansiedade e depressão, de Cristina faz parte de um projeto chamado Prevalência de fibromialgia e sintomas associados na população de Embu, município da Grande São Paulo, de autoria da professora Amelia Pasqual Marques, que contou, ao todo, com duas dissertações e três iniciações científicas para ser concluído. É apenas o segundo grande estudo sobre esta síndrome no Brasil, o que remete à pouca popularidade da fibromialgia embora seja bastante incidente, especialmente em mulheres entre 45 e 60 anos.


Por: Naila Okita - Agência USP

Publicado em: 18/09/2008

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=pacientes-com-fibromialgia-desconhecem-a-doenca-e-nao-buscam-tratamento&id=3441

"Ração humana" emagrece, mas especialistas pedem cuidados no uso

Alimentos ricos em fibras

O composto alimentar conhecido como ração humana vem ganhando espaço entre pessoas que querem emagrecer ou que esperam regular o sistema digestivo.

Segundo fabricantes, a mistura, que conta com ingredientes ricos em fibra como linhaça, trigo, aveia, soja, entre outros, permite perder até 8 quilos em um mês, além de ajudar a controlar o colesterol, aumentar a resistência orgânica e regular o intestino.

Mas especialistas, embora destaquem os benefícios que a mistura pode trazer à saúde, alertam que é preciso cautela.

Cuidado com as alergias

De acordo com a nutricionista clínica e fiscal do Conselho Regional de Nutrição do Rio de Janeiro, Edna Garambone, o composto, facilmente encontrado em lojas de produtos naturais, especialmente nas grandes cidades, até gera a perda de peso, porque as fibras aumentam a saciedade e leva o organismo a reduzir a absorção de gordura.

Ela enfatiza, no entanto, que pessoas com alergia a algum de seus componentes podem ter efeitos colaterais nocivos à saúde.

"Quem tem alergia à linhaça ou síndrome do intestino irritado pode sofrer com os efeitos colaterais, como a dor de cabeça e o aumento das idas ao banheiro. Além disso, como o produto muitas vezes é consumido por conta própria, as pessoas ficam sem saber que é preciso beber muita água para evitar o fecalomas, ou endurecimento das fezes", disse a nutricionista,

Complemento, e não substituto

Segundo Edna, a mistura pode ser utilizada, com recomendação clínica, como complemento, adicionada a saladas, iogurtes e frutas, mas nunca em substituição às refeições.

Essa é a prática, no entanto, da maioria das pessoas que consomem o produto, como a podóloga carioca Vera Lúcia Ribeiro, que há cerca de três meses trocou o pão com manteiga e o café com leite por uma vitamina à base da mistura logo que acorda. "Sinto que a minha pele está mais bonita, o meu intestino funciona melhor e até a minha taxa de colesterol reduziu um pouco", afirmou.

Força dos grãos

Para a naturalista Renata Moura, integrante do grupo Terapia da Fundação Oswaldo Cruz, que promove a alimentação com base em sementes não germinadas e hortaliças orgânicas, o segredo da ração humana está na força dos grãos.

"É um remédio natural, que leva a energia da terra ao organismo. Quem toma melhora até o humor, ganha mais vitalidade e disposição", garante.

Com tantas promessas, a procura pelo produto tem sido cada vez maior. A mistura é dispensada de registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Não existem milagres

A professora do departamento de Nutrição e Dietética da Universidade Federal Fluminense (UFF), Vilma Blondet, lembra que sempre que o mercado lança novidades, há uma corrida dos consumidores. Ela argumenta, no entanto, que não há milagres para quem deseja emagrecer ou ter uma vida mais saudável.

"O preparo pode auxiliar a perda de peso e o equilíbrio das funções orgânicas, mas não se trata de um pó milagroso. Ele também é rico em óleos vegetais, que são altamente calóricos, por isso seu uso deve ser limitado. Para emagrecer é preciso inseri-lo, com cautela, em um programa alimentar balanceado aliado à prática de exercícios físicos", alertou.


Por: Thais Leitão - Agência Brasil

Publicado em: 09/02/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=racao-humana-emagrece-mas-especialistas-pedem-cuidados-uso&id=5001

Doenças mentais podem ser evitadas com ações para crianças e adolescentes

Psiquiatria do desenvolvimento

Prevenir o aparecimento de doenças mentais em adultos a partir de ações dirigidas à infância e adolescência. É com este objetivo que está sendo criado o Instituto Nacional de Psiquiatria do Desenvolvimento para Crianças e Adolescentes, coordenado pelo professor Eurípedes Constantino Miguel, da Faculdade de Medicina (FMUSP) da USP.

De acordo com o professor, trata-se de uma iniciativa pioneira, pois traz uma nova abordagem para a área: a psiquiatria do desenvolvimento. "Várias pesquisas apontam que a origem de grande parte dos transtornos mentais que se manifestam na idade adulta está na infância. Então, nosso objetivo é desenvolver uma série de estudos enfocando a detecção precoce e o tratamento de crianças e adolescentes com risco para o desenvolvimento de transtornos psiquiátricos, mas antes de a doença se manifestar", explica.

Transtornos mentais

Entre os transtorno mentais envolvidos no projeto estão: transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), transtorno de conduta, transtorno de ansiedade, transtorno obsessivo-compulsivo, transtorno do humor bipolar, autismo e transtorno de aprendizagem, entre outras.

Além do Instituto de Psiquiatria (IPq) da FMUSP, também estão envolvidas as Universidades Federais: de São Paulo (UNIFESP), do Rio Grande do Sul (UFRGS), da Bahia (UFBA), de Pernambuco (UFPE), do Rio de Janeiro (UFRJ), a Universidade Presbiteriana Mackenzie, a Federal de Santa Maria, a Universidade Metodista (Rio Grande do Sul), e a Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp).

Importantes centros de pesquisa internacionais, como as universidades de Yale, Harvard, Duke, de Nova Iorque, do Texas, John Hopkins, da Califórnia em San Diego (UCSD), da Califórnia em Los Angeles (UCLA) e o Instituto de Psiquiatria de Londres, também irão colaborar com os pesquisadores brasileiros.

A iniciativa integra o Programa Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia, do Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT), que reúne 101 institutos nacionais e que visam o desenvolvimento de tecnologia e pesquisa de ponta em várias áreas do conhecimento.

Treinamento dos pais e Yoga

O professor destaca que um dos pioneirismos do Instituto será o uso de intervenções já bem estabelecidas como a terapia cognitivo-comportamental, destacando-se a ênfase no treinamento dos pais.

O projeto também prevê a investigação de terapias alternativas e não invasivas, como a Kundalini Yoga. "Há estudos sugerindo a eficácia dessa técnica no tratamento de transtornos mentais. Pelo seu caráter não invasivo, acreditamos que valeria a pena testá-la utilizando métodos adequados", afirma.

Desde antes de nascer

Outro enfoque será um estudo de coorte (acompanhamento) que analisará 600 novas crianças por ano. Este estudo começará investigando gestantes na décima semana de gravidez, até o nascimento de cada criança. Estas serão acompanhadas com avaliações sucessivas que procurarão descrever características clínicas que possam ser preditivas para um futuro desenvolvimento de transtornos psiquiátricos.

"Acreditamos que este estudo poderá identificar fatores genéticos e ambientais que conferem risco para o desenvolvimento desses transtornos. De posse, por exemplo, das informações genéticas, será possível desenvolver intervenções ambientais específicas para aquelas pessoas que possuem um risco aumentado, de modo a reduzir as chances de expressão da doença", informa o pesquisador.

Disseminação do conhecimento via Internet

O Instituto Nacional de Psiquiatria do Desenvolvimento para Crianças e Adolescentes estará ligado à Rede Nacional de Telemedicina (Rede Nutes). "A idéia é criar vários pontos de acesso a web, onde poderemos levar educação a distância e formação continuada para os novos psiquiatras sob o paradigma da Psiquiatria do Desenvolvimento. Já existem 900 pontos espalhados pelo Brasil. Em cerca de dois anos, haverá aproximadamente 9 mil pontos."

Prontuário médico eletrônico

Outro destaque é a implantação de um prontuário médico eletrônico em colaboração com a Universidade Duke. Com a adaptação do prontuário para a realidade brasileira, será possível criar um banco de dados nacional sobre transtornos mentais, facilitando a implantação de políticas públicas, bem como a comparação entre os diversos tipos de tratamento, entre outras possibilidades.

"O Instituto Nacional de Psiquiatria do Desenvolvimento inova ao enfatizar a promoção da saúde mental ao invés do clássico foco na pessoa doente. A partir de um conjunto coeso e sólido de iniciativas e projetos de pesquisa, procura atingir dois grandes objetivos jamais alcançados na área de saúde mental no Brasil: introduzir ferramentas e métodos para promover o desenvolvimento saudável da criança e do adolescente, além de colocar a Psiquiatria Brasileira em concordância com o mais moderno referencial de trabalho dos mais avançados centros internacionais de saúde mental. Todas estas ações deverão diminuir estigma associado à doença psiquiátrica", aponta o professor.



Por: Valéria Dias - Agência USP

Publicado em: 06/01/2009

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=doencas-mentais-acoes-para-criancas-e-adolescentes&id=3679

Meditação melhora o raciocínio em apenas quatro dias

Trocando o cafezinho pela meditação

Ao longo do dia, a maioria das pessoas toma um cafezinho, um chimarrão, ou alguma outra bebida que ajuda a "acordar" e fazer o cérebro funcionar melhor.

Mas uma nova pesquisa, publicada na revista científica Consciousness and Cognition, sugere que uma pequena pausa para meditação pode fazer o mesmo efeito, deixando-nos mais "cognitivamente afiados" sem colocar o estômago em risco.

Meditar sem virar monge

Embora várias pesquisas anteriores, utilizando neuroimagens cerebrais, tenham demonstrado que as técnicas de meditação podem promover mudanças significativas nas áreas do cérebro associadas com a concentração, é comum assumir que a meditação exige um treinamento contínuo e uma dedicação intensiva para alcançar esses efeitos.

Isso faz a maioria das pessoas desistirem antes de começar. Apesar de todos quererem aumentar suas capacidades cognitivas, acredita-se que a meditação exige uma disciplina monástica ou o tempo e o dinheiro que a maioria das pessoas não dispõe.

Surpreendentemente, todos os benefícios da meditação poderão ser alcançados sem essa trabalheira toda.

Mudando a mente pela meditação

Estudando uma técnica de meditação conhecida como meditação da mente alerta, os cientistas descobriram que os participantes no treinamento de meditação apresentaram uma melhoria significativa nas suas habilidades cognitivas críticas depois de apenas 4 dias de treinamento, em sessões diárias de 20 minutos.

Embora isso soe quase como um anúncio de algum produto "milagroso" para perder peso, a pesquisa realizada na Escola de Medicina da Universidade Wake Forest, nos Estados Unidos, sugere que a mente pode ser treinada no aspecto cognitivo de forma mais fácil do que a maioria das pessoas assume.

"Nos resultados dos testes comportamentais, nós estamos verificando algo que é comparável aos resultados que foram documentados depois de treinamentos muito mais longos," disse Fadel Zeidan, coordenador da pesquisa.

"Falando sinceramente, as melhorias profundas que nós verificamos depois de apenas 4 dias de treinamento de meditação são realmente surpreendentes," disse Zeidan. "Isso parece mostrar que a mente é, na verdade, muito fácil de mudar e facilmente influenciável, especialmente pela meditação."



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 20/05/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=meditacao-melhora-raciocinio&id=5220

Ioga é mais eficaz para ansiedade que outros exercícios

Ioga versus caminhada

Pesquisadores da Universidade de Boston, nos Estados Unidos, verificaram que o ioga pode ser superior a outras formas de exercício quanto aos efeitos positivos sobre o humor e a ansiedade.

Os cientistas compararam os níveis de uma substância conhecida como GABA (gama-aminobutírico cerebral) dos praticantes de ioga com os níveis de outro conjunto de pacientes que praticavam caminhada.

Baixos níveis de GABA são associados com a depressão e outros transtornos de ansiedade generalizada.

Estado psicológico

Os pesquisadores acompanharam dois grupos de indivíduos saudáveis durante um período de 12 semanas. Um grupo praticava ioga três vezes por semana durante uma hora, enquanto os demais indivíduos caminhavam durante o mesmo período de tempo.

Usando espectroscopia por ressonância magnética (MRS), imagens dos cérebros dos participantes foram digitalizadas antes do início do estudo. Na semana 12, os pesquisadores compararam os níveis de GABA de ambos os grupos antes e após a sua última sessão de 60 minutos.

Foi pedido a cada participante que avaliasse seu próprio estado psicológico em vários momentos ao longo do estudo.

Aqueles que praticaram ioga relataram uma diminuição mais significativa da ansiedade e uma melhoria no humor mais intensa do que aqueles que caminharam.

Ioga-terapia

"Com o tempo, as mudanças positivas nesses relatos foram associadas com os níveis crescentes de GABA," conta o Dr. Chris Streeter, coautor da pesquisa.

Segundo ele, os resultados justificam pesquisas mais aprofundadas sobre a relação entre o ioga e o humor.

O pesquisador sugere ainda que a prática do ioga seja considerada como uma potencial terapia para alguns transtornos mentais.





Por: Jenny Eriksen - Diário da Saúde

Publicado em: 27/08/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=ioga-mais-eficaz-outros-exercicios&id=5638

O Poder da Mente

Pesquisas mostram que a meditação é uma alternativa para combater o estresse, além de poderosa arma para enfrentar diversos males
Cobranças pessoais, pressões profissionais, expectativas não atendidas, anseios sufocados, horas demais dedicadas aos afazeres, tempo de menos para si próprio. É assim que a vida contemporânea tende a se apresentar para a maioria das pessoas. A conta do caos chega em algum momento, e ninguém está livre dos efeitos gerados por um cotidiano frenético. O desequilíbrio causa exaustão física e mental, compromete a atenção e a concentração, coloca a imunidade à prova e nos deixa vulneráveis a males. O presente passa despercebido. Corpo e mente, sempre a mil com frustrações do passado e projeções para o futuro, padecem.

A meditação, técnica usada há milênios pelos védicos(civilização formada pelo povo que compôs os textos religiosos conhecidos como Vedas, no subcontinente indiano), vem ganhando cada dia mais espaço no Ocidente como um meio eficaz de prevenir e até mesmo remediar males físicos e emocionais. A ciência tem produzido estudos comprovando os benefícios da prática.

O que é meditação, afinal? Meditar não é privar a mente de todo e qualquer pensamento, mas aprender a cultivar ideias e emoções positivas. De acordo com a instrutora de meditação transcendental Teresa Castilho, trata-se de uma técnica simples, que pode ser adotada independentemente de fé ou religião. A prática aprimora o pensar de maneira tão intensa que é possível alcançar o repouso mental, no qual o corpo responde aos impulsos da mente com um relaxamento profundo.

Teresa sustenta que, quando se medita, a mente refina o pensamento, produz ordem cerebral. Durante a meditação, diferentes partes do cérebro funcionam, comunicam-se e ativam regiões menos utilizadas e ociosas dessa estrutura. Os efeitos são variados. “Conseguimos reduzir o cortisol, hormônio relacionado ao estresse, e aumentamos a serotonina, substância relacionada ao bem-estar. A pressão arterial sistólica diminui. A meditação também influencia na qualidade do sono e na imunidade”, alega.

O servidor público Eliézer Ávila, 47 anos, confessa que tinha uma vida para lá de agitada. O caos do dia a dia o transformou em uma pessoa inquieta e agressiva. “A meditação me trouxe paz interior, autoconhecimento”, diz.

Vítima de uma arritmia cardíaca rara, Eliézer passou por cirurgias que não resolveram o problema. Além do coração, a coluna cervical sofria. “Passei a ter um sono de qualidade, minha arritmia desapareceu. Não sinto mais dores nas costas e me tornei mais centrado”, garante.

O bem-estar sentido por Eliézer é comprovado por trabalhos científicos. Instigados com os benefícios da meditação, pesquisadores dedicados a estudar o cérebro já produziram mais de 1,6 mil publicações sobre os efeitos da técnica. Um estudo recentemente divulgado pela Universidade de Manchester, no Reino Unido, revela que meditantes regulares suportam melhor a dor, já que o método treina o cérebro para focar no presente.

“Assim, a pessoa não perde tempo em antecipar eventos negativos e sensações desagradáveis. A meditação se tornou um caminho complementar no tratamento de dor crônica”, especifica Christopher Brown, pesquisador que conduziu o trabalho.

A bióloga e pesquisadora do departamento de psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo, Elisa Harumi Kozasa, explica que a meditação promove coordenação e equilíbrio do sistema nervoso central. A prática reduz o estresse, incrementa o potencial mental e é uma ferramenta para a conquista da qualidade de vida. “Meditar reduz a atividade do sistema nervoso simpático e aumenta a do parassimpático, o que implica relaxamento do corpo e da mente, que passa a buscar melhores meios para enfrentar as dificuldades físicas e emocionais”, diz Elisa.

Tipos de meditação

DINÂMICA

Criada pelo mestre Osho, na Índia, é praticada mediante movimentos, danças, sons específicos e posições imóveis, como meio para deixar a mente serena, evitando pensamentos negativos.

CCRISTÃ

Baseada nos ensinamentos do monge beneditino John Main. Essa meditação tem seu eixo central na repetição da palavra “maranatha”, que significa “vem, Senhor”.

YOGA(raja)

Originada dos ensinamentos de Patanjali (sábio da antiga Índia), que propôs o uso da mente como instrumento para alcançar a espiritualidade mediante um método exigente quanto à meditação e à concentração.

TRANSCENDENTAL

Descrita como um processo simples, natural e sem esforço. A técnica permite um mergulho interior, a fim de experimentar o reservatório silencioso de energia, criatividade e inteligência encontrado dentro de cada pessoa – um estado natural de alerta em repouso.


Por: Márcia Neri - Correio Braziliense / ClicRBS

Publicado em: 13/09/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/anoticia/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a3037364.xml&template=4187.dwt&edition=15486§ion=1210

Pré-diabetes: ignorar estágio inicial da doença dificulta tratamento no futuro

Índices de colesterol ou triglicério altos são sinais de que algo pode estar errado
O diabetes tipo 2, é uma variante comum da doença sendo responsável por até 92% dos casos da patologia. Em alguns casos, ele pode se manifestar mais dez anos antes de aparecerem os primeiros sintomas. Chamado de estágio pré-diabetes, esse período, apesar de ideal para começar o tratamento da doença, é geralmente subestimado e ignorado por falta de informação.

De acordo com o presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, Saulo Cavalcanti da Silva, 50% dos diabéticos não sabem que têm a doença e 20% nega que tenha e discorda dos médicos por falta de sintomas aparentes. O endocrinologista explica que ignorar essa fase é prejudicial para o tratamento.

— Eu não gosto do termo pré-diabetes porque ele subentende que a pessoa ainda não tem a doença, mas não é verdade. No pré-diabetes a pessoa já começa a desenvolver lesões no endotério (parte interna das artérias) — diz o endocrinologista.

As lesões causam a obstrução das artérias, aumentando as chances de se desenvolver derrames, úlceras no cérebro, infarto, disfunção sexual, entre outras complicações. Por isso, o diagnóstico e o tratamento precoce são essenciais.

— É muito mais fácil e barato evitar as complicações da doença nesse estágio do que tratá-las o problema depois — alerta Cavalcanti.

As pessoas com maior risco de serem portadoras da doença são aquelas que estão acima do peso ou obesas, as que têm parentes próximos com a doença e também os idosos. É preciso estar atento ainda a algumas problemas de saúde que geralmente estão ligados ao diabetes, como colesterol e triglicério altos e a hipertensão. Crianças e adolescentes obesos também devem fazer exames para monitorar a possibilidade de desenvolver o problema.

O médico orienta que, além de buscar fazer exames e seguir corretamente os tratamentos, as pessoas procurem criar hábitos alimentares saudáveis, controlar o peso e fazer exercícios por pelo menos 30 minutos por dia.


Entenda

O que é o pré-diabetes?

É a fase inicial da doença, quando os sintomas são inexistentes ou escassos.

Quem está no grupo de risco?

:: pessoas acima do peso ou obesas, inclusive crianças;

:: quem têm parentes próximos com a doença;

:: idosos;

:: que sofrem de colesterol ou triglicério alto ou é hipertenso

Porque é importante diagnosticar e tratar de forma precoce?

Na fase inicial, é possível evitar as complicações que o diabetes trás com o tempo, como derrames, úlceras no cérebro, infarto, disfunção sexual.



Por: ClicRBS - Seção: Bem Estar

Publicado em: 12/09/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/bem-estar/19,0,3035913,Pre-diabetes-ignorar-estagio-inicial-da-doenca-dificulta-tratamento-no-futuro.html

Obesidade aumenta em 19% casos de câncer no Brasil

Comer bem e exercitar-se

No Dia Mundial de Combate ao Câncer, uma publicação do Instituto Nacional do Câncer (Inca), ligado ao Ministério da Saúde, revela que 19% dos casos da doença no país poderiam ser evitados com a redução da obesidade.

De acordo com o estudo, a alimentação saudável, combinada com exercícios físicos, podem reduzir em 63% os tumores de boca, faringe e laringe. Nos casos de câncer de esôfago, 60% podem ser evitados. Para o câncer de mama, a redução da obesidade pode reduzir em 30% a incidência da doença.

Nem sal demais e nem doce demais

As recomendações do estudo para diminuir a incidência do câncer no Brasil indicam a necessidade de se evitar alimentos processados, ricos em sal e gordura e também bebidas açucaradas.

Outra proposta é incentivar os hábitos alimentares saudáveis desde a infância, evitando esses tipos de alimentos e bebidas nas cantinas e refeitórios das escolas.

O consumo de água potável, a conservação adequada de produtos alimentícios e a higiene também estão na lista.

Doença devastadora

Dados das Nações Unidas (ONU) revelam que 70% das mortes por câncer ocorrem nos países em desenvolvimento. A doença mata três vezes mais nos países pobres em comparação aos ricos - são 655 pessoas por hora nas nações pobres, segundo informações das Nações Unidas. Alguns países sequer têm aparelhos para diagnóstico da doença.

Já a Organização Mundial de Saúde (OMS) contabiliza que 12 milhões de pessoas são diagnosticadas com câncer a cada ano. De cada cinco casos registrados, dois poderiam ter sido evitados.

O câncer mata mais do que a Aids, a malária e a tuberculose juntas. A previsão da OMS é que as mortes aumentem 45% até 2030, passando dos atuais 7,9 milhões para 11,5 milhões.



Por: Carolina Pimentel - Agência Brasil

Publicado em: 04/02/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=obesidade-aumenta-19-casos-cancer-brasil&id=4991

Cranioacupuntura de Yamamoto - Nova técnica de acupuntura diminui dores de pacientes com problemas crônicos

Um estudo feito em São Paulo revelou que uma nova técnica de acupuntura diminui o uso de antiinflamatórios em pacientes que sofrem com dores lombares, na região das costas.

A técnica é chamada de Cranioacupuntura de Yamamoto, que é o nome do medico japonês que a desenvolveu, e já é aplicada para curar a dor de diversas partes do corpo. Algumas agulhas são colocadas em pontos da cabeça que estão associados a órgãos do corpo humano. Segundo os médicos, a ação sobre terminações nervosas libera o fluxo de substâncias que aliviam a dor.

Por causa de uma dor de cotovelo, a artista plástica Carla Sartori chegou a realizar 40 sessões de fisioterapia e seis sessões de infiltração, além do uso de alguns medicamentos. Mas foi somente com a acupuntura que o problema começou a se resolver.

- No primeiro dia já melhorou 80%.

O tratamento já está disponível em alguns postos do SUS (Sistema Único de Saúde).

Por: Portal R7 - Seção: Notícias/Saúde

Publicado em: 14/09/2010

Fonte: http://noticias.r7.com/saude/noticias/nova-tecnica-de-acupuntura-reduz-uso-de-antiinflamatorios-em-pacientes-com-dores-20100914.html

Menopausa masculina afeta mais de 5 milhões de homens

Menopausa do homem

"Meu corpo estava me dizendo que algo não estava certo. Eu estava sempre cansado, não importava o quanto eu dormisse, eu constantemente queria tirar uma soneca," conta Michael Andruzzi, um homem de 40 anos diagnosticado com hipogonadismo masculino, a tão mistificada menopausa do homem.

Especialistas do hospital onde Michael foi atendido estimam que mais de 5 milhões de homens são afetados pelo problema. No entanto, o número pode ser consideravelmente maior, já que os sintomas são frequentemente ignorados.

O dado questiona uma outra pesquisa recente, que afirma que a menopausa masculina não é mito, mas é rara.

"Esta é uma desordem altamente prevalente," disse Robert Brannigan, urologista no Northwestern Memorial Hospital, nos Estados Unidos. "Infelizmente, nós estimamos que 95 por cento dos casos não são diagnosticados e, portanto, não são tratados. Quando ignorados, os sintomas podem perturbar gravemente a qualidade de vida do homem."

Hipogonadismo masculino

Embora mais frequentemente associados com a saúde da mulher, alterações hormonais relacionadas com a idade - a conhecida menopausa - também podem ocorrer em homens.

Essa menopausa masculina também causa sintomas como fadiga, alterações de humor, diminuição do desejo sexual, perda de cabelo, falta de concentração e ganho de peso.

O hipogonadismo masculino, como é conhecida a menopausa masculina na comunidade médica, ocorre quando os testículos não produzem testosterona suficiente, o hormônio que desempenha um papel fundamental no crescimento e desenvolvimento masculino.

Quando os níveis hormonais caem, os homens podem experimentar mudanças mentais e físicas significativas.

"Nas mulheres, a ovulação chega ao fim e diminui a produção de hormônios em um período relativamente rápido de tempo, enquanto os homens experimentam mudanças hormonais mais lentamente, com os níveis de testosterona caindo cerca de um por cento ao ano a partir dos quarenta anos," explica o Dr. Brannigan.

Por volta dos setenta anos de idade, a produção de testosterona de um homem pode ser equivalente a 50% ou menos do nível verificado aos 40 anos.

Reposição hormonal

As opções de tratamento para o hipogonadismo masculino incluem a terapia de reposição hormonal, através de implantes absorvíveis, géis para aplicação tópica e injeções.

Através da reposição hormonal, os médicos podem restaurar a função sexual e a força muscular. Além disso, com o tratamento, os homens muitas vezes experimentam um aumento na energia e uma melhor sensação geral de bem-estar.

"Quando comecei o tratamento, eu me senti melhor muito rapidamente", disse o paciente do início da reportagem. "Meu nível de energia subiu novamente, eu recuperei força e senti que podia me concentrar muito mais."

"Nós estamos vendo mais homens afetados pelo hipogonadismo masculino do que víamos há dez anos," disse Brannigan. "No entanto, muitos homens continuam a sofrer em silêncio, devido à falta de conscientização em torno da doença. Como o hipogonadismo masculino pode ter um impacto significativo na qualidade da vida, é importante que os homens prestem atenção a seu corpo e discutam abertamente os sintomas com seu médico, evitando perder a oportunidade para adotar a terapia apropriada."



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 03/09/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=menopausa-masculina&id=5637

A musicoterapia como aliada

Quem lembra das cantigas da infância? Dos sons da adolescência? De uma música que embalou um romance inesquecível? Quem não tem uma trilha sonora preferida? O estilo preferido pode variar, mas não conheço nenhuma pessoa que não goste de música.

Se fosse escolher uma música para trilhar para a minha vida até agora, seria a do Zeca Pagodinho: “Deixa a vida me levar, vida leva eu. Sou feliz e agradeço por tudo que Deus me deu”.

Há algum tempo, a música vem sendo usada como aliada no tratamento de diversos tipos de problemas psicológicos e físicos. É a chamada musicoterapia, que utiliza sons, ritmos, melodias e harmonias para ajudar os pacientes.

Em Santa Maria, um músico está começando uma experiência com gestantes e bebês. Marcelo Schmidt iniciou o trabalho com os dois filhos, Artur de três anos e Rodolfo de dois meses. Atualmente ele atende uma gestante que está na vigésima semana de gravidez.

A paciente não precisa saber nada de música, mas relata os tipos de sons que mais gosta e rememora a sua vivência musical. As sessões consistem em interagir com diferentes tipos de instrumentos, como chocalhos, metalofone, tambores, piano, violão e flauta. O objetivo é ajudar no relaxamento da mãe, aumentar o vínculo entre a mãe e o bebê, estimular a audição do feto (se desenvolve a partir da vigésima semana de gestação), reduzir a ansiedade e aliviar possíveis dores da futura mamãe.

- Procuro trabalhar um vínculo com toda a família - conta Schmidt, que aplicou com sucesso técnicas semelhantes em dependentes de álcool e drogas.

No fim do tratamento, a mãe faz uma canção para o bebê. Schmidt conta que os dois filhos tem as suas músicas. Artur foi o primeiro a ganhar um som especial (na foto que abre este texto). O refrão é assim: Artur, menino esperado e muito amado. Uma luz na vida de teus pais. Uma alegria na vida dos avós. Te esperamos com muito amor e felicidade.”

- Não pude acompanhar o parto e quando me trouxeram ele chorava muito. Na hora que o peguei, cantei a música dele e o choro cessou imediatamente.

Quando estava grávida, ganhei da obstetra um CD com cantigas tradicionais de ninar e infantis. Até hoje coloco para a Antonela ouvi-las. É só a música começar e imediatamente um clima de tranqüilidade reina no ambiente. A pediatra também me aconselhou a colocar músicas clássicas para estimular o desenvolvimento cerebral da pequena.

Para crianças:

- É importante para o desenvolvimento dos bebês, crianças e adolescentes. Os sons despertam emoções, resgatam bons sentimentos. Ajuda no desenvolvimento neurológico, afetivo, motor e lingüístico. Ensina os pequenos a ultrapassar o medo, a assumir riscos e controlar a ansiedade.

- Até um ano: ajuda na coordenação dos movimentos - escuta e dança.

- A partir dos seis anos: a criança tem vontade de ter ou tocar instrumentos. Ajuda a desenvolver sentidos como tato, audição, fala e visão.

- A partir dos 11 anos: ajuda a aceitar limites e enfrentar novas situações seja individual ou em grupo

Coluna “Em nome do filho”, publicada por Fabiana Sparremberger e Ticiana Fontana todas as segundas nos Jornal Diário de Santa Maria. Texto de hoje é de autoria de Ticiana Fontana.




Por: Ticiana Fontana - Coluna: Em nome do filho - ClicRBS

Publicado em: 06/09/2010

Fonte: http://wp.clicrbs.com.br/meufilho/2010/09/06/a-musicoteparia-como-aliada/?topo=52,2,18,,170,77

Dicas alimentares para combater a enxaqueca

Popularmente conhecida como dor de cabeça, cefaleia é o termo médico utilizado para definir esse problema que pode afetar a maioria da população. Estudos mostram que 90% a 100% das pessoas têm ou terão crises de dor de cabeça ao longo da vida.

A cefaleia pode ser dividida em primária e secundária. Quando é o sintoma de alguma doença, é chamada secundária, como em casos de infecções, aneurismas, tumores cerebrais, entre outras situações. Quando a dor é por si só a manifestação principal da doença, é chamada cefaleia primária, como no caso da enxaqueca.

A enxaqueca é uma doença comum, incapacitante, caracterizada por crises de dor pulsátil e latejante em um lado ou em ambos os lados da cabeça. Uma crise pode durar de três horas a três dias, podendo ser precedida por alteração de humor, irritabilidade e depressão, alteração do apetite, alterações na visão com sensibilidade à luz, sensibilidade ao barulho, náuseas, vômitos, fraqueza, tontura e diarreia. A enxaqueca é uma das principais causas de incapacidade e perda produtiva no trabalho.

A interação entre enxaqueca e nutrição é um tema amplo e polêmico e existem muitos mitos e verdades sobre o assunto, que serão elucidados a seguir.

Fatores nutricionais desencadeantes da enxaqueca

Os alimentos mais citados pela literatura como desencadeantes da enxaqueca são: doces (açúcar), álcool, adoçantes, glutamato monossódico, nitritos, cafeína e alimentos que contêm tiramina. O jejum prolongado é considerado um comportamento alimentar que também pode desencadear o problema.

A suscetibilidade a determinado alimento depende de cada indivíduo, por isso é importante que o paciente preste atenção na alimentação e qual o alimento ocasiona uma crise de enxaqueca. Vários são os fatores alimentares desencadeantes de crises de enxaqueca, mas muito mais frequentes são os mitos relacionados a eles.

Os alimentos capazes de desencadear a enxaqueca possuem em sua composição substâncias capazes de provocar alterações no calibre dos vasos sanguíneos do encéfalo, primeiramente diminuindo-os e em seguida aumentado-os. São estas alterações do diâmetro das veias que provocam mudanças na visão e dores de cabeça, ou a enxaqueca clássica.

Doces, açúcar e álcool – Quando há um aumento do consumo desses alimentos, pode acontecer hipoglicemia. O organismo reconhece a carência de energia no cérebro para o funcionamento normal e utiliza outros mecanismos para manter os níveis de glicose cerebral. Um dos mecanismos é o aumento da produção de catecolaminas – gerando vasoconstrição (dos vasos sanguíneos) –, que tem como consequência o aumento da frequência cardíaca, da temperatura, irritabilidade e a produção de prostaglandinas, que causam vasodilatação e, por conseqüência, a enxaqueca.

Adoçantes – Segundo estudos da literatura, o consumo de 30 mg de aspartame por dia pode aumentar em até 9% o risco de enxaqueca em indivíduos predispostos.

Glutamato monossódico – Tempero muito utilizado nas cozinhas orientais, pode inibir a absorção de glicose por parte das células cerebrais, desencadeando o problema.

Nitritos – Utilizados para realçar a coloração e o aspecto dos alimentos, é utilizado em embutidos. Possuem ação vasodilatadora, ocasionando a cefaleia.

Cafeína – Está presente no café, chá mate, guaraná, cacau e chocolate. Tem ação vasodilatadora nos vasos sanguíneos do corpo e ação vasoconstritora dos vasos sanguíneos do cérebro.

Tiramina – Está presente em queijos amarelos, chocolates, vinagre, bebidas alcoólicas, iogurtes, lentilha, amendoim e sementes, que devem ser evitados por quem tem predisposição à enxaqueca.

Dicas alimentares para evitar episódios de enxaqueca

1) Adequar o consumo de carboidratos, especialmente os carboidratos complexos (cereais, massas, pães, farináceos, entre outros), já que o cérebro utiliza os nutrientes provenientes destes alimentos como fonte de energia em todas as suas funções.

2) É importante acrescentar frutas na dieta, pela maior quantidade de vitaminas, minerais e fibras que possuem, sendo esses nutrientes que atuam no bom funcionamento do organismo.

3) O selênio, um mineral envolvido no funcionamento do sistema nervoso central, também pode ser eficiente no controle do problema. O consumo de apenas uma unidade de castanha-do-pará é suficiente para se alcançar às quantidades recomendadas diariamente.

4) O fracionamento da dieta deve acontecer com a ingestão de seis pequenas refeições ao dia, evitando os jejuns prolongados, que são considerados causadores de crises de enxaqueca.

5) Todas as bebidas alcoólicas podem causar enxaqueca, porém os vinhos tintos são mais prováveis de provocar a dor devido ao seu conteúdo de taninos. Evitar o consumo de várias doses, pois pode aumentar a possibilidade de uma crise de enxaqueca.

6) Estudos sugerem que baixos níveis de magnésio facilitariam o desenvolvimento da vasoconstrição, que acarretaria a enxaqueca. Portanto é importante ingerir alimentos fontes desse mineral, como as folhas verdes escuras, soja, leguminosas, castanhas, cereais como aveia, arroz integral, pães integrais, carnes, peixes (salmão) e ovos.

7) Assim como o magnésio, a vitamina B2 seria eficaz na prevenção e tratamento da enxaqueca. O mecanismo pelo qual estes nutrientes agem na enxaqueca é incerto, mas é possível que ocorra estabilização de membrana celular e melhora da função mitocondrial. As principais fontes de vitamina B2 são leite, queijos (especialmente ricota e requeijão), iogurtes, carnes magras, ovos e vegetais verdes.


Por: Gabriel Miranda - Redação Saúde Plena

Publicado em: 20/08/2010

Fonte: http://www.divirta-se.uai.com.br/html/sessao_41/2010/08/20/ficha_saudeplena_dicas/id_sessao=41&id_noticia=27599/ficha_saudeplena_dicas.shtml

Dicas para a prevenção e o alívio das dores nas costas

Uma grande parcela da população nos dias de hoje, convive com dor nas costas, resultado de má postura, inatividade física, posições incorretas no ambiente de trabalho, nos afazeres domésticos entre outros fatores associados incluindo, a execução errada de exercícios. Por “dor nas costas”, entende-se a dor nas regiões cervical, torácica e lombar que não está relacionada a infecções, tumores, doenças sistêmicas ou fraturas.

Conheça alguns truques que ajudam a prevenir a tensão dos músculos e aprenda a fazer uma massagem que relaxa e diminui a dor nas costas.

Acabe já com a tensão nos músculos

- Donas de casa

1) Passe roupa sem dor: deixe a coluna ereta e mantenha a tábua de passar na altura dos cotovelos para que você não se incline demais sobre ela.

2) Não se curve, agache: ao pegar crianças no colo, dobre as duas pernas, agachando com a coluna ereta. Nunca curve a lombar para levantar peso!

3) Use vassoura longa: não se incline demais ao usar rodo e vassoura. Para isso, escolha modelos de cabo longo.

- Grávidas

1) Faça exercícios: se não houver restrições médicas, caminhar durante a gestação é um hábito que dribla a tensão.

2) Controle seu peso: engordar mais do que dez quilos pode causar um problema na coluna. Evite isso!

3) Não force os ombros: o crescimento dos seios força os ombros, tencionando a nuca. Evite o incômodo praticando a massagem contra tensão.

- Terceira idade

1) Caminhe diariamente: de acordo com os médicos, a coluna precisa se mover para os músculos serem alongados. Com uma vida sem exercício físico, mais cedo ou mais tarde, a dor vai chegar. Previna-se!

2) Troque o colchão mole demais: colchões molengos não dão apoio à coluna, causando dor. Perceba se você sente pontadas na região lombar ao acordar. Se isso acontece, é sinal de que o seu colchão precisa ser trocado.

3) Controle sua alimentação: o excesso de peso ocasiona mais problemas nas costas, como artrose, hérnia de disco e desvio na coluna. Além disso, alimentos como café, açúcar e álcool aumentam o hormônio que causa o estresse, facilitando o surgimento de inflamações.

Exercícios e alongamentos

- Dica: Não abaixe e nem se levante muito rápido. Com a idade, acontece um desgaste natural das estruturas da coluna.

- Pescoço: Gire a cabeça no sentido horário e dê cinco voltas. Em seguida, vire no sentido anti-horário e dê mais cinco voltas.

- Ombros: Sentada, coloque as mãos nos ombros, deixando os cotovelos apontados para fora. Empurre cinco vezes os cotovelos para trás e para frente, o máximo que conseguir sem sentir dor.

- Peito: Com os braços esticados para frente, abaixe a cabeça e encoste o queixo no peito. Nessa posição, levante levemente os ombros e mantenha-os assim por cinco segundos. Volte à posição normal. Pratique essa sequência de movimentos toda vez que sentir tensão ou tiver forçado as costas.


Por: Gabriel Miranda - Redação Saúde Plena

Publicado em: 09/07/2010

Fonte: http://www.divirta-se.uai.com.br/html/sessao_41/2010/07/09/ficha_saudeplena_dicas/id_sessao=41&id_noticia=26049/ficha_saudeplena_dicas.shtml

Cresce a Procura por Medicina Alternativa

A medicina Chinesa se baseia no conceito de equilíbrio para compreender e tratar a saúde. A acupuntura é um dos componentes da medicina tradicional chinesa, que trabalha a força vital através de pontos específicos denominados meridianos.

Esta arte milenar consiste na inserção de agulhas em pontos de energia dos canais meridianos a fim de estimular o próprio organismo a promover e equilibrar suas funções e melhorar seu funcionamento.

MÉTODO INDOLOR
A terapeuta oriental Bibiana Machado, diz que a acupuntura é uma terapia indolor e que geralmente são aplicadas de 5 a 20 agulhas dependendo do problema do paciente. Essas agulhas são inseridas em pontos determinados da pele, que criam um fluxo de energia desbloqueando os canais meridianos e estabelecendo o equilíbrio do corpo.

Dentro da concepção chinesa, a doença é uma manifestação de desiquilíbrio do corpo, e a acupuntura seria uma forma de readquirir a harmonia perdida. Portanto, Bibiana ressalta que a acupuntura é um tratamento e tem que estar associado a novos hábitos do paciente para adquirir uma melhora total. E não existem efeitos colaterais, somente o bem estar enfatiza a terapeuta.

EXPERIÊNCIAS
A empresária do ramo de confecções, Juliane Barroso, faz uso do método há quatro anos. Ela diz que procurou essa técnica por problemas de saúde, os quais foram sanados através da acupuntura. Atualmente, Juliane continua utilizando a técnica como prevenção a doenças e para manter o bem estar.

De acordo com especialistas uma sessão de acupuntura varia entre R$ 50,00 a R$ 60,00 e tratamento recomendado é de, pelo menos, 10 sessões.

A especialista, Bibiana Machado, que atende cerca de 90 pacientes por mês, revela que a procura pela conhecida "medicina alternativa" vem crescendo nos últimos anos. Não só pela acupuntura, mas também por outras técnicas como shiatsu(massagem terapêutica) e a de cones chineses(tratamento dos ouvidos através de fumaças).


Por: Vilhena - Diário da Amazônia

Publicado em: 16/09/2010

Fonte: http://www.diariodaamazonia.com.br/diariodaamazonia/index2.php?sec=News&id=5346

Dicas de Saúde - 25 dúvidas sobre o consumo de sal

- Sódio é sinônimo de sal?
Não. 6 g de sal equivalem a 2,4 g de sódio. Fique atento na hora de ler o rótulo dos alimentos: eles trazem a quantidade de sódio, e não de sal, que eles contêm.

2 - Quanto deve ser consumido por dia?
A recomendação da OMS é 2g/dia de Sódio.

A recomendação do Ministério da Saúde é de 4-6 g/dia de SAL

3 - Qual a importância do sal para a saúde?
O sal está diretamente ligado ao volume de fluidos fora das células. Tudo que modifica a quantidade de sal afeta a retenção de líqüidos no corpo. Ele ajuda a regular as passagens de líqüido e de substâncias pela membrana das células, mantendo a pressão osmótica delas. Além disso, é importante para a transmissão de impulsos nervosos.

4 - Há recomendações específicas para crianças e idosos?
Ambos devem consumir menos sal. Aconselha-se que os pais não adicionem a substância à comida das crianças até os dois anos de idade. Além de o leite materno e o sódio já presente nos alimentos suprirem suas necessidades, evita-se, com isso, que elas se acostumem a uma alimentação muito salgada, já que é nessa fase que se forma o padrão gustativo.

Já os idosos devem comer menos sal (o ideal seria cerca de 5 g por dia) porque tendem a reter mais sódio e também porque, com o envelhecimento, os vasos vão perdendo naturalmente a capacidade de distensão, sendo mais provável que desenvolvam hipertensão.

5 - Em média, quanto sal os brasileiros comem por dia?
Não há estudos populacionais que determinem um valor médio para todo o país. Mas pesquisas realizadas em alguns Estados mostraram que o consumo é de aproximadamente 12 g, valor muito acima do recomendado.

6 - Quem não acrescenta sal à comida come pouco sal?
Não necessariamente. Estima-se que 75% do sal que consumimos seja proveniente de alimentos processados industrialmente. Molhos, como o ketchup, produtos em conserva e embutidos são as opções mais ricas em sal. Os outros 30% vêm dos alimentos naturais e do sal que adicionamos aos alimentos.

7 - Doces estão liberados?
Não necessariamente. Quem tem hipertensão deve evitar produtos adoçados com ciclamato de sódio. Assim como o sal, esse adoçante tem sódio, que afeta a pressão.

8 - Posso suprir minha necessidade diária de sal só com alimentos naturais?
Sim. O sódio está presente na maioria dos alimentos, embora em quantidade pequena. Alimentos como carne, peixes e ovos podem suprir essa necessidade. O problema é que nossa alimentação é pobre em iodo, e o sal de cozinha é, por lei, enriquecido com essa substância. O iodo é importante para a saúde (gestantes que têm um consumo insuficiente de iodo, por exemplo, podem ter filhos com distúrbios cognitivos).

9 - O que acontece a quem ingere uma quantidade insuficiente de sal?
Problemas causados por ingestão insuficiente de sal são raros, mas acredita-se que uma dieta muito restritiva de sal (menos de um grama por dia para adultos) altera o perfil lipídico do organismo, aumentando os índices de colesterol ruim. Ainda não se sabe qual o mecanismo que leva a essa alteração.

10 - O excesso de sal leva à hipertensão?
Sim. Em populações que consomem muito sal, os índices de hipertensão são mais altos à medida que as pessoas envelhecem.

11 - O efeito do sal é o mesmo em todas as pessoas?
Não, os graus da sensibilidade ao sal variam de pessoa para pessoa. Acredita-se que algumas pessoas, por determinação genética, tenham rins que não manipulam bem o excesso de sal no organismo. Por isso, elas seriam mais sensíveis ao sal. Essa característica também está ligada a grupos étnicos: entre negros, por exemplo, a prevalência de pessoas mais sensíveis ao sal é maior. Homens e mulheres também apresentam resistência diferente ao sal. As mulheres, de modo geral, são mais "protegidas" contra os efeitos do sal até a menopausa. Depois disso, o risco de ter hipertensão é mais acentuado nelas do que neles.

12 - Como é possível saber se alguém é hipersensível a sal?
Existem testes que permitem averiguar a sensibilidade ao sal, entretanto, eles são utilizados apenas em pesquisas. Esses exames não são usados na prática clínica porque a recomendação para todas as pessoas, independentemente de elas serem sensíveis ou não, é comer pouco sal.

13 - Quem tem pressão baixa precisa comer mais sal?
Não, pois o fato de a pessoa ter pressão baixa não significa que ela não possa ter hipertensão no futuro. Além disso, sabe-se que os riscos de problemas cardiovasculares são maiores entre pessoas que comem muito sal mesmo quando elas não apresentam hipertensão arterial. O mesmo vale para problemas renais e digestivos. Estudos também mostram que o excesso de sal pode causar broncoespasmos, piorando quadros de asma.

14 - O excedente de sal é liberado pelos rins? Então por que se preocupar com a quantidade?
O rim tem uma capacidade limitada para filtrar e excretar o sal. Quando o consumo é muito alto, o rim trabalha sob uma pressão maior e pode ter seu funcionamento comprometido. A hipertensão é uma das principais causas de doença renal crônica. Além disso, ingerir muito sal aumenta os riscos de cálculo renal --formação de pequenas "pedras" nos rins.

15 - Em quanto tempo o organismo consegue expelir o excesso após uma alimentação sobrecarregada de sal?
Pessoas normais demoram de um a dois dias para reequilibrar o organismo. Em pessoas com hipertensão, o processo de eliminação do excesso de sal demora de cinco a sete dias.

16 - Consumir sal em excesso dá celulite?
Não. A retenção de água que o sal promove é intravascular, e não na pele. Isso pode causar inchaços nas pernas ou nos dedos da mão, mas não celulite.

17 - O sal causa problemas na tireóide?
Sim e não. O cloreto de sódio não afeta a tireóide. Entretanto, no Brasil, o sal é enriquecido com iodo. Se consumido em excesso, o iodo pode levar à tireoidite de Hashimoto em pessoas com predisposição genética a doenças auto-imunes. Em 2003, a Anvisa reduziu os níveis de iodo no sal para evitar esse tipo de problema.

18 - O que é o sal light e quais seus benefícios?
O sal light é formado por uma mistura de cloreto de sódio e cloreto de potássio. Embora os dois possam ser chamados de sal, eles afetam o organismo de formas diferentes. Enquanto o potássio regula a retenção de líquidos dentro das células, o sódio age fora das células. Embora seja recomendado a pessoas com hipertensão, o sal light não é indicado para pessoas com problemas renais. Embora o potássio não leve a doenças renais, problemas nos rins levam a um acúmulo de potássio no corpo, o que aumenta os riscos de problemas cardíacos.

19 - Quais as diferenças entre o sal marinho e o sal mineral?
Embora sejam extraídos de formas diferentes (o mineral de minas subterrâneas e o marinho, da evaporação da água do mar), os dois apresentam a mesma composição e causam os mesmos efeitos no corpo.

20 - Qual a diferença do sal para o glutamato monossódico?
Além do cloreto de sódio, esse tempero tem outras substâncias que realçam o sabor de alguns alimentos. Como é rico em sódio, ele não pode ser considerado uma alternativa saudável ao sal.

21 - Faz diferença colocar o sal durante o cozimento ou adicioná-lo depois, quando a comida já está pronta?
Sim e não. Os efeitos do sal são os mesmos, independentemente do momento em que ele foi adicionado à comida. Mas os médicos recomendam que as pessoas tirem o saleiro da mesa porque elas tendem a colocar mais sal quando a comida já está pronta do que quando temperam na hora do cozimento.

22 - Posso substituir o sal por outra substância?
Embora não exista um substituto para salgar os alimentos, o sal pode ser trocado, nas receitas, por ervas e condimentos que acentuem o sabor dos alimentos.

23 - Grávidas devem seguir alguma orientação específica?
As regras são as mesmas, de 4g a 6g/dia de sal. Como a mulher já tem uma tendência a reter líquidos durante a gravidez, o consumo excessivo de sal pode levá-la a um aumento de pressão, o que pode causar pré-eclampsia. Entretanto, a dieta também não pode ser muito restritiva em relação a sal, já que, nos primeiros meses, a gestante tende a ter uma pressão mais baixa, e a falta de sódio pode diminuir o fluxo de sangue que chega até a placenta.

24 - Como deve ser o consumo de sódio para esportistas?
O sódio, assim como outros sais minerais, é liberado pelo corpo junto com o suor. Por isso, pessoas que se exercitam intensamente podem perder mais sódio. Mas isso só se torna um problema se o exercício for praticado por muito tempo (a partir de uma hora, uma hora e meia), principalmente em ambientes quentes e úmidos. Nesses casos, a reposição deve ser feita por meio de bebidas isotônicas, e não pelo acréscimo de sal na comida.

25 - Quais são as regras para a utilização de sal nos alimentos processados?
A legislação brasileira não impõe limites para a quantidade de sal adicionada aos alimentos industrializados nem obriga as empresas a colocar alertas nas embalagens. Mas os fabricantes são obrigados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) a informar no rótulo o teor de sódio no alimento.



Por: Dr. Clodoal Pacheco - Centro Havid

Publicado em: 10/09/2010

Fonte: http://www.havid.com.br/conteudo.php?mnu=dicasdesaude_mostra&dica=dicas_consumo_sal

Uma única sessão de massagem é capaz de melhorar a imunidade, mostra estudo

Pesquisadores do Departamento de Psiquiatria e Neurociências do Centro Médico Cedars-Sinai, em Los Angeles(EUA, descobriram que uma simples sessão de massagem é capaz de melhorar a imunidade de uma pessoa.

Segundo os pesquisadores, cerca de 9% dos adultos que residem nos EUA passaram por ao menos, uma sessão de massagem no último ano. "As pessoas buscaram a massagem como parte de uma vida saudável, mas até agora não havia provas de que a terapia pudesse melhorar a resposta imunológica", explica Mark Rapaport, médico responsável pelo departamento.

A pesquisa avaliou dois grupos: um deles, com 29 pessoas, foi submetido a 45 minutos de massagem sueca (parecida com a massagem clássica ou relaxante que conhecemos no Brasil) e o outro, de 24 pessoas, recebeu apenas toques leves no corpo. Todos os participantes tiveram amostras de sangue coletado cinco minutos antes da sessão, e 5, 10, 15, 30 e 60 minutos após a massagem.

O grupo que recebeu a massagem sueca apresentou, entre outras alterações, mudanças significativas no nível de leucócitos (glóbulos brancos do sangue) e uma redução nos níveis de cortisol, o hormônio do estresse.

O estudo será publicado na edição de outubro do Journal of Alternative and Complementary Medicine.


Por: Expresso MT(Mato Grosso) - Fonte: UOL

Publicado em: 10/09/2010

Fonte: http://www.expressomt.com.br/noticiaBusca.asp?cod=90691&codDep=3

Drenagem linfática é arma eficaz no combate à celulite

Massagem melhora a nutrição e oxigenação das células, amenizando o aspecto dos furinhos, mas tem contraindicações.

Imagine um tratamento capaz de eliminar ou neutralizar os temidos furinhos mais conhecidos como celulite? A drenagem linfática vem acumulando resultados expressivos no combate e prevenção deste mal que é um verdadeiro pesadelo para as mulheres.

O objetivo principal dessa massagem é ajudar o organismo a eliminar o excesso de líquido intersticial também chamado de linfa que se acumula em algumas partes do corpo. Com a drenagem, os líquidos entre os tecidos são devolvidos ao sangue através da circulação linfática.

A drenagem é bastante usada por especialistas principalmente na redução da retenção de líquidos e do inchaço causada por procedimentos cirúrgicos.

No entanto, o principal chamariz da drenagem é mesmo sua capacidade de atenuar a odiada celulite. O benefício, aliás, faz com que muita gente se submeta a profissionais sem treinamento formal na técnica, o que pode trazer prejuízos para a saúde e para o bolso.

Como ajuda na circulação da linfa, a drenagem melhora a nutrição e a oxigenação das células, ajuda na redução de inchaços, atenua a celulite, melhora a função intestinal e colabora com a circulação sanguínea.

A técnica não é indicada para pessoas com qualquer tipo de infecção, neoplasia, trombose venosa profunda, erisipela, hipertensão e asma. A drenagem linfática deve ser totalmente indolor, promovendo um relaxamento muscular e a sensação de bem-estar.


Por: Abril On Line - Seção: Mulher/Beleza - Da Redação, com Agência Estado

Publicado em: 16/09/2010

Fonte: http://www.abril.com.br/noticias/comportamento/drenagem-linfatica-arma-eficaz-combate-celulite-596836.shtml

Para que serve a drenagem linfática?

''O objetivo da drenagem linfática é agir como coadjuvante para outros tratamentos, diminuir a retenção de líquidos através da massagem fazendo com que voltem a circular melhor''

A principal finalidade da drenagem linfática é esvaziar os líquidos e resíduos metabólicos e estimular a circulação linfática através de massagem nas vias linfáticas e nos linfonodos, também conhecidos como gânglios linfáticos.

Assim como a circulação sanguínea, a circulação linfática precisa de uma harmonia para poder exercer sua função. Na circulação sanguínea, o sangue circula livremente irrigando tecidos e vísceras, e quando tem alguma interrupção nos vasos (entupimentos por gorduras acumuladas nas paredes dos vasos sanguíneos) a circulação é prejudicada gerando uma série de complicações, como por exemplo, o infarto.

A circulação linfática caminha paralelamente aos vasos sanguíneos, servindo como um coletor das impurezas do sangue, tendo como sua função a eliminação das toxinas liberadas pelo organismo auxiliando o corpo na formação das fezes e urina.

Quando esse sistema falha, os gânglios linfáticos ou linfonodos (responsáveis pelo armazenamento e distribuição da linfa), que funcionam como ductos coletores dessas substâncias tóxicas, "infartam" prejudicando a circulação normal da linfa, impedindo que o corpo excrete principalmente o líquido orgânico ruim, isso é responsável por inchaços e edemas generalizados (anasarca).

Com a drenagem linfática, os líquidos entre os tecidos são devolvidos ao sangue através da circulação linfática.

A drenagem linfática é um tratamento através de massagens específicas com óleos essenciais, usado principalmente como auxiliar na redução de medidas do corpo, como por exemplo da cintura. Auxilia também tratamentos para má circulação sanguínea, pós-parto, tensão pré-menstrual e pós-operatório. A sessão de drenagem pode ser realizada com mãos ou aparelhos específicos e duram em torno de 50 minutos.

Drenagem linfática e tratamento de celulite

Os movimentos da drenagem linfática são suaves e precisos, em forma circular e espiralada. Eles estimulam a regeneração dos tecidos tendo aplicação no tratamento de celulite pela eliminação de líquidos.

A drenagem linfática tem ação relaxante e tranquilizante e também pode melhorar o sistema imunológico ao estimular a produção de linfócitos na zona cortical dos gânglios linfáticos.

O objetivo da drenagem linfática é agir como coadjuvante para outros tratamentos, diminuir a retenção de líquidos através da massagem, fazendo com que voltem a circular melhor e como consequência, obter a redução de medidas.

É recomendada também para pré e pós-cirurgia plástica e revitalização facial, auxilia toda a circulação de retorno do organismo e a eliminação de toxinas e líquidos que se acumulam entre os tecidos. Por isso ela é uma aliada importante em casos de inchaços, edemas, má circulação, problemas no sistema linfático, casos pré e pós cirúrgicos (gerais) e processos de emagrecimento.


Por: Expresso MT(Mato Grosso) - Fonte: Juliana Prestes Mancuso/Uol

Publicado em: 25/08/2010

Fonte: http://www.expressomt.com.br/noticiaBusca.asp?cod=87732&codDep=3

Modulação terapêutica é chave para o sucesso dos tratamentos contra queda capilar

Cada paciente que chega para consulta médica em tricologia é diferente do outro. Mesmo que o diagnóstico seja o mesmo, cada paciente tem suas peculiaridades e deverá ser conduzido de forma personalizada para que o sucesso do tratamento aconteça.

Atualmente temos trabalhado dentro de um conceito que chamamos de Modulação Terapêutica. Este, envolve a observação do paciente como um todo, fazendo-se necessário um estudo amplo e complexo de cada um deles para que, no momento de iniciar um tratamento, possamos ter como objetivo o sucesso, alem do acompanhamento rigoroso do tratamento após começado.

E, para a nossa felicidade e a de tantos pacientes que acabam tendo a oportunidade de seguir este tipo de tratamento, os resultados tem sido bastante animadores.

A vantagem desta metodologia envolve conhecer amplamente o paciente através de uma histórica clínica muito apurada, onde são verificados todos os motivos que podem contribuir como causas de queda capilar.

Após a história clínica, é realizada uma avaliação física minuciosa dos fios, couro cabeludo e das áreas de rarefação dos cabelos. Tudo de forma a procurar qualquer sinal clínico que possa nos ajudar a entender o quadro do paciente.

Tenho ainda a oportunidade de usufruir de alguns exames como o Videodermoscópio, o Tricograma e o TrichoscanÒ que são valiosas ferramentas que ajudam em muito a tirar conclusões mais significativas sobre as quedas capilares.

Não raro, ainda pesquisamos o sangue do paciente, que pode sinalizar informações importantes, sobre deficiências ou excessos de elementos importantes como células, hormônios, minerais, proteínas e outras tantas substâncias que colaboram com uma visão ainda mais amplificada do problema em questão.

Após todo este processo de diagnóstico, e situando o paciente no mundo onde ele vive (problemas, estresses, alimentação, alergias, padrão de sono, estilo de vida, hábitos e vícios, vida familiar e fora de casa, entre outros), podemos ter uma ideia global do que ele realmente precisa para obter sucesso em seu tratamento.

Analisando todos estes critérios, elaboramos um projeto de tratamento baseado em estratégias medicamentosas com ou sem a inclusão de procedimentos (terapias capilares, uso de laser capilar, massagem etc.), que serão utilizados/realizados, e cujo acompanhamento deverá ser minucioso.

Este critério terá metas que deverão ser alcançadas, e se não alcançadas a reestruturação do tratamento deverá ser feita. A isto chamamos de Modulação Terapêutica.

Sabemos que dias ou períodos de alimentação inadequada, sono ruim, estresses, doenças, cirurgias, entre tantos outros fatores, poderão interferir na sequência do projeto. É nessas horas que devemos estar atentos para continuar promovendo a modulação adequada do tratamento e alterar através da inclusão ou retirada de medicamentos os cuidados que cada paciente vem mantendo para tratar sua queda de cabelos.

Modular uma terapêutica é algo que exige cuidados intensos e contato direto do paciente com o médico. Além do que, o paciente deverá entender o que realmente é importante para ele e avaliar tudo aquilo que modifica para pior ou para melhor sua queda capilar.

Olhar o paciente como um todo e não querer simplificar a compreensão do diagnóstico permite uma percepção amplificada do paciente e, consequentemente, mais sucesso na medida que a terapêutica avança.

Perfil- Dr. Ademir Jr. (CRM 92.693) é médico dermatologista especialista em tricologia (medicina capilar) pela Internacional Association of Trichologists. Membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia, da Sociedade Brasileira de Termalismo, e da Sociedade Brasileira de Medicina Estética. Presidente do Grupo de Assistência a Problemas Capilares – GAPCA e Presidente do Grupo de Apoio a Portadoras de Síndrome dos Ovários Policísticos - GAPSOP. Professor de Anatomia e Fisiologia da pele no curso de Pós-Graduação em Cosmetologia das Faculdades Oswaldo Cruz – SP/SP. Autor dos Livros: “Socorro, Estou ficando careca”, publicado pela Editora MG em 2005, “Tem alguma coisa errada comigo – Como entender, diagnosticar e tratar a Síndrome dos ovários Policísticos”, publicado pela Editora MG em 2004 e “É outono para meus cabelos – Histórias de mulheres que enfrentam a queda capilar” – Editado pela Editora Summus. | www.ademirjr.com.br



Por: Portal Fator Brasil

Publicado em: 10/09/2010

Fonte: http://www.revistafator.com.br/ver_noticia.php?not=130966

Alimentação correta e atividade física podem reduzir os sintomas da TPM

Azeite, banana e maçã têm propriedades que ajudam a aliviar aqueles sintomas chatos da TPM.

TPM, qual mulher nunca teve? “Eu sinto raiva de deus e o mundo. Não quero conversar com ninguém, não me provoca”, diz a mulher.

Segundo os médicos, os sintomas da TPM podem aparecer 15 dias antes da menstruação, mas o mais comum é uma semana antes.

A TPM tem a ver com as alterações hormonais. A produção de estrogênio diminui, levando à irritações, alterações de humor e à depressão. Nessa fase também a mulher começa a produzir progesterona, hormônio que pode provocar retenção de líquidos. Aparecem os inchaços, dores nos seios e na cabeça.

Até 80% das mulheres vão ter em algum momento, algum tipo de sintoma, mas sintomas mais graves, chegando a afetar a vida dela, o relacionamento dela na família, em torno de 10% das mulheres.

“É muito claro na literatura médica que o exercício físico ajuda demais a melhorar os sintomas de TPM, porque libera mais endorfina. A pessoa tendo atividade física regular, ela costuma ter uma tensão pré-menstrual muito mais branda, ou passa muito melhor por esse período”, explica Juraci Ghiarone, ginecologista.

Os nutricionais dizem que alguns alimentos podem aliviar esses sintomas: algumas frutas, cereais e grãos como a lentilha, a linhaça e a quinua podem ser poderosos contra a TPM. Para dar certo a dieta tem que começar pelo menos dez dias antes da menstruação.

Nesse período a nutricionista Carolina recomenda comer diariamente uma colher de sopa cheia de cereais e grãos e abusar do tofu, o queijo de soja. Alimentos que podem ajudar a diminuir a ansiedade e os sintomas da depressão.

Já o azeite é bom para combater os inchaços. O ideal é comer uma colher de sobremesa em cada refeição. O chá de cavalinha também evita a retenção de líquido. São três xícaras: de manhã, de tarde e de noite.

Duas bananas por dia podem ser um santo remédio para controlar aquela vontade de chorar sem motivo e duas maças podem tirar o desejo quase irresistível de comer doces. Mal que também atinge as mulheres com TPM. “Com certeza comendo direitinho, a gente vai ter menos mau humor e os homens vão ficar mais felizes com a gente também”, garante Carolina Ribeiro, nutricionista.



Por: Portal MS - Fonte: Jornal Hoje

Publicado em: 15/09/2010

Fonte: http://www.portalms.com.br/noticias/detalhe.asp?cod=959589826

Reflexologia ajuda a tratar de problemas emocionais e da saúde

Estímulos em pontos específicos dos pés podem aliviar tensões e estimular o organismo todo.

A reflexologia é muito mais do que um simples carinho nos pés. Ela é uma terapia que trabalha com estímulos sensoriais mais de 70 mil terminações nervosas que existem nos pés e que correspondem a todos os órgãos e glândulas do corpo. As plantas dos pés formam um imenso mapa do corpo humano em que cada área corresponde a um órgão e tem uma função de tratamento.

Calosidades, joanetes e outras alterações podem ser indício de que algo não vai bem no organismo. Diferentemente da acupuntura, a reflexologia não trabalha um único ponto. Ela atua num âmbito mais geral. Com uma massagem em certos lugares, os órgãos são estimulados e eliminam toxinas. A técnica reduz a tensão e melhora a irrigação sanguínea, o que estimula o funcionamento do sistema nervoso.

A reflexologia abrange 37 pontos ligados ao organismo. Ela não tem função medicinal e não substitui remédios prescritos, mas ajuda nos momentos mais difíceis. Uma pressão profunda e lenta entre o dedão e o segundo dedo ao deitar, relaxa e espanta a insônia e ansiedade. Já de manhã, quem não dormiu bem deve pressionar o mesmo ponto de forma rápida e superficial, para estimular. Quando o problema é dor de cabeça, experimente uma pressão lenta e profunda sobre a unha do dedo mindinho.

Através do estímulo dos dedos é possível dar um basta à tristeza, um gás na criatividade, na alegria, trabalhar o apego ou o desapego, o medo e a insegurança. Os próprios pés denunciam problemas tanto de saúde quanto emocionais.


Por: Redação com Agência Estado - Abril On Line

Publicado em: 24/09/2010

Fonte: http://www.abril.com.br/noticias/comportamento/reflexologia-ajuda-tratar-problemas-emocionais-saude-599186.shtml

Conheça algumas maneiras de meditar

Quem disse que para meditar precisa ficar sentado por horas? De pé ou sentada, com música, mantra ou em silêncio, descubra a maneira que melhor se adapta a você

É um equívoco comum pensar que a meditação consiste em ficar sentado no chão ou em uma almofada especial por horas. Na verdade, existem muitas maneiras diferentes de meditar, em períodos que duram desde cinco minutinhos de folga na sua cadeira do escritório, até um retiro longo e silencioso no fim-de-semana. Qualquer um que tenha interesse em meditar pode encontrar um estilo que sirva as suas necessidades, horários e orçamento.

ENTRANDO EM CONTATO COM O SOLO
Não importa o estilo da meditação que você escolher, o contato com o chão faz parte dele, mas você pode também do senti-lo isoladamente. Retire seus sapatos e meias. Sente em uma posição relaxante e confortável, que permita que todo o comprimento de seu pé esteja em contato com o chão. Posicione suas mãos em seu colo. Feche os olhos e visualize a base da sua espinha se entendendo – como as raízes de uma árvore – para o centro da terra. Inale e alongue a base da sua espinha para baixo. Faça isso e, ao mesmo tempo, sinta o topo de sua cabeça se alongando para cima. Exale e relaxe seus músculos, deixando a energia negativa aflorar para fora de sua espinha e através da raiz da árvore. Você pode fazer esse exercício por alguns minutos ou pelo tempo que desejar.

MEDITAÇÃO SENTADA
A mais popular técnica de meditação continua sendo a meditação sentada. Dentro desta prática existem algumas variações. Algumas pessoas sentam na posição de lótus, enquanto outras sentam em uma almofada ou em um pequeno banquinho para prevenir a cãibra. Alguns dos praticantes fecham os olhos. Outros preferem ficar de com as pálpebras abertas, para prevenir o sono, uma vez que a meditação demanda uma mente alerta. Inale e exale, usando a técnica do contato com o solo para focar a mente. Ao invés de resistir à entrada de pensamentos externos e preocupações em sua mente, acolha-os. Permita que eles saiam rápido. Se sessões longas de meditação sentada são desconfortáveis, tente intercalá-las com intervalos de dois minutos em pé.

MEDITAÇÃO DE CADEIRA RECLINÁVEL
Para aqueles que acham a tradicional meditação sentada desconfortável, esse método é uma alternativa aceitável. Ajuste uma cadeira no nível médio de reclinação. Tire os seus sapatos e meias. Pressione as solas de seus pés uma contra a outra. Coloque as mãos no colo ou contra o peito. Relaxe, respire e aprecie o momento presente. Permita que os pensamentos passem por sua mente, mas não converse com eles internamente.

MEDITAÇÃO MANTRA
Cantar mantras é uma técnica de meditação clássica. Ela pode ser tão simples quanto poderosa, com a entoação de “om” ou “shanti”, ou com a utilização de uma frase de auto-realização ou focalização que prefira usar. Você pode dizer mantras em voz alta, silenciosamente, ou como um “hum”. Enquanto você repete o mantra, preste atenção no fluxo de energia e na respiração. Você pode cantar mantras com qualquer forma de meditação: em pé ou sentada.

MEDITAÇÃO COM MÚSICAS PURIFICADORAS
Uma das mais criativas e energéticas técnicas de meditação é a dança purificadora, um estilo visto mais frequentemente em redemoinhos Sufi ou rituais shamanicos. Você começa ficando em pé descalça, respirando e sentindo o solo. Essa é uma oportunidade excelente para definir um objetivo para o seu ritual ou para fazer interiormente perguntas para as quais você procura respostas. A transição para o segundo estágio da dança é feita normalmente com música instrumental. Ela pode ser acompanhada de gritos, cantos ou expressões emocionais. Essa transição pode durar de 20 minutos à uma hora, sendo intercaladas por fases de dança mais lenta. Para finalizar a meditação, você deve ficar dez minutos deitada no chão.







Por: Fonte: Raquel Beer/ModernMom/Terra - Expresso MT

Publicado em: 22/09/2010

Fonte: http://www.expressomt.com.br/noticiaBusca.asp?cod=92966&codDep=3

Especialista fala sobre os benefícios da Acupuntura na terceira idade

Método não tem contra-indicações e tem efeitos benéficos na redução da dor, ansiedade e sintomas da depressão

A cada dia que passa os tratamentos alternativos estão se tornando uma boa e benéfica opção para o ser humano. A Acupuntura é uma delas e vem sendo indicada com freqüência para o tratamento de várias doenças.

Para saber mais sobre esta técnica milenar da medicina tradicional chinesa e os seus benefícios para a comunidade da terceira idade, a reportagem do Jornal Araxá conversou com Ana Flávia Ferreira Pezzuti, especialista da clínica de estética Mabel Sayegh.

Neste bate papo com nossa reportagem, a especialista explicou os benefícios da acupuntura em idosos.

Ela inicia esclarecendo que devido ao fato do idoso apresentar múltiplas queixas relacionadas a vários órgãos e com freqüência, ter mais de uma doença, o profissional da saúde tende a prescrever maior número de medicamentos. “Assim, há maior probabilidade de incidência de reações adversas provenientes de cada uma das drogas, bem como da interação entre elas. Essa é uma das razões pela qual a Acupuntura potencialmente tem um papel importante no tratamento do idoso. Como ela praticamente não tem contra-indicação e tem efeitos benéficos na redução da dor, na ansiedade, no sono, nos sintomas de depressão, entre outros, possibilita ao idoso reduzir a quantidade de medicação, diminuindo também os seus vários efeitos colaterais”, disse.

Ela destaca três áreas de atuação da Acupuntura em geriatria: dor, reabilitação de AVC e terapia adjuvante em doenças diversas, como depressão leve, câncer e doenças respiratórias.

“Entretanto, sempre é bom ressaltar que é fundamental procurar o diagnóstico ou os diversos diagnósticos pela medicina ocidental e tratá-los devidamente para otimizar os resultados e não mascarar doenças severas, ou seja, a Acupuntura busca tratar todas as disfunções fisiológicas provenientes da idade, trazendo qualidade de vida, bem estar e uma velhice muito mais feliz e relativamente mais ativa”, concluiu.



Por: Jornal Araxá - On line

Publicado em: 17/09/2010

Fonte: http://www.jornalaraxa.com.br/jornaltemp/noticias.asp?cod_materia=4510&$pub=saude

Alimentação pode tanto salvar quanto colocar o coração em risco

Dieta inadequada é a principal causa das doenças cardiovasculares.

A herança genética influencia na saúde cardiovascular, mas os principais fatores de risco são consequências da má alimentação, como colesterol alto e excesso de peso. De acordo com o Ministério da Saúde esse tipo de doença é responsável por 30% das causas de morte no Brasil e já configura um problema de saúde pública.

O diretor do Instituto de Metabolismo e Nutrição (IMEN), Daniel Magnoni, explica que os problemas mais comuns são enfarte do miocárdio, angina no peito, aterosclerose, AVC (Acidente Vascular Cerebral) e elevado índice de colesterol.

Segundo o especialista, uma dieta equilibrada, aliada aos exercícios físicos, protege o coração e evita o uso de medicamentos.

— Muitos nutrientes, como fitoesterol e ômega 3, encontrados em alimentos, protegem o coração e evitam o agravamento do quadro. Mesmo quando o uso de remédio é indicado, seguir uma dieta adequada é imprescindível para controlar a doença. Em casos menos graves, só com a reeducação alimentar já se obtém resultados positivos — destaca.

A ingestão excessiva de gorduras maléficas ao organismo, como as saturadas, pode ser o maior incentivador da doença cardiovascular. Por outro lado, a ingestão de gordura monoisaturada e poliinsaturada são maneiras eficientes de prevenir esse quadro.

— A gordura monoinsaturada reduz os níveis do colesterol ruim (LDL) e pode estar presente no abacate, nas nozes e sementes oleaginosas, como girassol, gergelim e linhaça. A poliinsaturada, porém, é composta pelos ácidos graxos que diminuem de forma ainda mais efetiva o colesterol ruim (LDL) e pode ser encontrada nos peixes, em óleos vegetais e seus derivados, como margarinas e maioneses.

As escolhas certas:

:: Gorduras Poliinsaturadas (Omega 3 e Ômega 6)

Diminuem o risco de eventos cardiovasculares.

Onde encontrar

Em nozes, castanhas, óleos vegetais, creme vegetal, maioneses e peixes.

:: Fitoesterol

Auxilia na redução da absorção do colesterol dietético.

Onde encontrar

Frutas, legumes, verduras, margarinas enriquecidas, arroz integral, semente de gergelim e de soja.

:: Fibras

Reduzem colesterol do sangue, aumenta saciedade contribuindo para evitar o diabete e a obesidade.

Onde encontrar

Cereais integrais, linhaça, aveia, quinoa, amaranto, hortaliças e frutas.

:: Flavonóide

Permite o fluxo constante de oxigênio, dióxido de carbono e de nutrientes essenciais, evita a formação de coágulos e contribui na redução da pressão arterial.

Onde encontrar

Suco de uva, amora, jabuticaba, mirtilo, cranberry, blueberry, frutas cítricas, chá verde, cacau, alho, cebola, brócolis, orégano, semente de girassol.

:: Carotenóides

Possui ação preventiva nos estágios iniciais da formação de placas de gordura.

Onde encontrar

Tomate maduro, melancia, mamão, manga, goiaba, cenoura, abóbora, açafrão, páprica, pimenta vermelha.

LEIA MAIS SOBRE O ASSUNTO:

Cardiologista aponta sete sinais de alerta
para o coração das mulheres aos 50 anos

Boas doses de risada podem ajudar a prevenir doenças cardíacas



Por: ClicRBS - Seção: Saúde/Bem estar

Publicado em: 26/09/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/bem-estar/19,0,3051597,Alimentacao-pode-tanto-salvar-quanto-colocar-o-coracao-em-risco.html

Estresse materno durante a gestação pode prejudicar a qualidade de vida do bebê no futuro

Dicas para relaxar e encontrar mais tranquilidade durante sua gravidez.

Enquanto aguarda a chegada de Pietra, Juliana Galego, 28 anos, se prepara com meditação, ioga e exercícios físicos específicos para gestantes. O objetivo é manter o estresse controlado para que, antes e depois do nascimento, Pietra seja um bebê calmo e saudável.

— Acredito que meu bem-estar vai influenciar a qualidade de vida dela. A ioga e a meditação são fundamentais para dialogar com o bebê. Quero que ela sinta todo o carinho e amor que tenho — explica.

A mãe está certa. De acordo com a psicóloga Helena Morais, especialista em neonatologia, o estresse já faz parte da rotina de grande parte das mulheres modernas, mas, em excesso, afeta também a qualidade de vida do bebê antes mesmo que ele nasça.

— É normal estar ansiosa. O estresse vai ocorrer, principalmente porque a maioria das mulheres mantém uma rotina de trabalho e afazeres pesada. No entanto, quando a angústia é grande e a mãe não se sente feliz, esse sentimento negativo pode ser prejudicial para o bebê — diz a profissional.

Depressão, problemas familiares, gestação indesejada ou na adolescência são os principais casos de estresse grave que afetam as mulheres. A comunicação entre mãe e feto ocorre durante todo o período gestacional e, assim como as substâncias ingeridas por ela entram em contato com o bebê pelo cordão umbilical e pela corrente sanguínea, os impulsos psíquicos e químicos causados pelo estresse serão sentidos pelo bebê. Isso ocorre porque a instabilidade emocional provoca alterações neuro-hormonais e na pressão arterial.

Em quadros assim, o sistema nervoso da mãe passa a liberar em maior quantidade as chamadas substâncias catecolaminas, das quais a adrenalina é um exemplo. Essas substâncias passam pela corrente sanguínea até o bebê, provocando perturbação semelhante àquela vivida pela mãe.

— O feto entra em contato com sentimentos de temor e angústia. A tristeza profunda também faz com que a mãe se isole, mostrando-se pouco disponível. A comunicação entre ela e filho se perde, e o pequeno pode sentir-se sozinho e inseguro — explica a psicóloga.

Em casos extremos, o hormônio cortisol, também liberado durante períodos de longo e forte estresse, ao chegar ao cérebro do feto, pode causar mudanças funcionais e estruturais.

— Tirar alguns momentos do dia para conversar com o bebê, fazer atividades físicas, relaxar, ouvir música, interagir afetivamente com a criança são coisas aparentemente simples, mas que influenciam diretamente na felicidade da mãe, e consequentemente, na do bebê — explica a especialista.

Faça o teste

:: Escolha um ambiente onde se sinta à vontade
:: Sente-se em uma posição confortável, procure relaxar e esquecer os problemas
:: Mantenha os olhos fechados enquanto respira pelo nariz, deixando que apenas o abdome se contraia, evitando forçar a respiração pelo tórax
:: Inspire e expire lentamente, aumentando o tempo da respiração
:: Com as duas mãos, envolva a barriga e visualize o bebê, dizendo a ele mentalmente o que sente. Leve sentimentos de calma e proteção ao seu bebê
:: Permaneça no exercício por pelo menos cinco minutos

Pós-parto
Maria Isabel Tafuri, psicóloga e membro da Sociedade Brasileira de Estudos sobre o Bebê (Abebê), explica que o ambiente em que o filho cresce também determina a qualidade de vida.
:: Ela afirma que se a mãe passa por um momento difícil, o ambiente onde essa criança se desenvolverá propiciará maior estresse também para ela. O bebê não sentirá uma relação de proteção da mãe.
:: A psicóloga ressalta que é importante estabelecer um ambiente de harmonia para a chegada de uma nova criança e que um bebê com estresse pode desenvolver distúrbios alimentares e de sono. As marcas deixadas se transformarão em memórias negativas. Dependendo do grau de estresse, algumas características podem determinar a personalidade do filho na infância.



Por: Correio Braziliense - ClicRBS - Seção: Notícias

Publicado em: 28/09/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/sc/donnadc/19,0,3054460,Estresse-materno-durante-a-gestacao-pode-prejudicar-a-qualidade-de-vida-do-bebe-no-futuro.html

Dicas de Saúde - O que comer antes de dormir?

Durante o sono, vários órgãos têm seu funcionamento alterado, ficando mais lentos. O sistema digestivo praticamente para de funcionar. Portanto, é necessário tomar cuidado com o que se come antes de dormir. Os cuidados com a alimentação devem estar presentes em todas as refeições, devendo ser redobrados à noite.

No período noturno, nosso metabolismo é mais lento. Portanto, ao ingerirmos alimentos como carnes gordurosas, frituras, massas e doces, as calorias são armazenadas no organismo sob a forma de gordura. Além disso, escolhas inadequadas antes de dormir, como bebidas estimulantes, podem atrapalhar o sono e se refletir no dia seguinte em sonolência, cansaço e até irritação.

Truques
Um copo de leite quentinho, servido antes de dormir, ajuda a ter uma noite tranquila. Este recurso usado por mães e avós é comprovado cientificamente: o leite é rico em triptofano, substância que naturalmente induz ao sono, além de aumentar a quantidade de serotonina - neurotransmissor que, entre outras atribuições, funciona como sedativo no cérebro e, portanto, também colabora para uma noite de sono tranquila e relaxante.

Antes de ir para a cama
Quando se trata de fazer uma refeição antes de dormir, o mais indicado é comer pelo menos duas horas antes de ir para cama. Após esse período, o processo digestivo estará completo e serão evitadas complicações como sono agitado e pesadelos.

Processo digestivo
É bom lembrar que a digestão começa na boca. Para evitar aquele peso no estômago logo após a refeição, o ideal é comer lentamente e mastigar bastante os alimentos. O trabalho da digestão do estômago será facilitado.

Além disso, a mastigação estimula o hipotálamo (glândula de secreção hormonal interna localizada na base do cérebro), que avisa o organismo quando a comida está entrando. Normalmente, o corpo humano leva 20 minutos para “reconhecer” que foi alimentado.

Você sabia que:
O organismo leva, em média, quatro horas para concluir a digestão de uma refeição completa e rica em diversidade de alimentos.
Pessoas que sofrem de apnéia do sono - outra condição agravada pelo ‘comer noturno’- podem apresentar um sono agitado, roncos e até mesmo paradas respiratórias.
Além disso, pessoas que apresentam refluxo gastroesofágico (retorno do alimento do estômago para o esôfago) não devem comer e dormir antes que a digestão tenha terminado, evitando assim o mal-estar proporcionado pelas náuseas e pela popular “azia”.
Em alguns casos, comer à noite pode estar relacionado à ansiedade e à depressão, situações que agravam o ato de comer compulsivamente.
Ingerir alimentos leves, como a maioria dos legumes, saladas, carnes brancas como peixes e frango, gelatina, além de beber bastante líquido, matam a fome, não prejudicam o sono e são alimentos com baixos índices calóricos.
Alguns legumes, como pepino, berinjela e pimentão, são de difícil digestão e não devem entrar no cardápio noturno, assim como a pele que recobre o frango, que é muito gordurosa.

O que espanta o sono
Pelo menos quatro horas antes de dormir, evite tomar chocolate, café, chá preto ou mate, guaraná e refrigerantes à base de cola. Estas bebidas são fontes de xantina e cafeína, substâncias que estimulam o sistema nervoso central.
Ingerir à noite alimentos ricos em gordura, assim como molhos condimentados, atrapalha a digestão e, consequentemente, o sono.
Ao contrário do que se pensa, as bebidas alcoólicas não propiciam o sono. Altas doses podem ser prejudiciais porque estimulam o sistema nervoso.



Por: Dr. Clodoaldo Pacheco

Publicado em: 22/09/2010

Fonte: http://www.havid.com.br/conteudo.php?mnu=dicasdesaude_mostra&dica=dicas_comer_antes_dormir

Hipertensão: mal que avança entre as crianças

Doença, geralmente associada ao envelhecimento, atinge cada vez mais os pequenos e também adultos com até 34 anos no Brasil.

Cerca de 30 milhões de brasileiros são hipertensos. Desses, 19% são crianças, adolescentes e adultos com menos de 34 anos. A doença, antes associada ao envelhecimento, está atingindo faixas etárias cada vez mais jovens — estima-se que cerca de 5% das crianças sofram do mal.

Segundo especialistas, o problema dessa ‘precocidade’ é o aumento do tempo de convivência com a doença. Em média, o brasileiro convive por 24 anos com a hipertensão. Em 2030, essa duração pode chegar a 35 anos.

“Quanto mais cedo a hipertensão se desenvolve, mais tempo a pessoa fica exposta às alterações no organismo, se tornando propenso a complicações em órgãos como rins, cérebro, coração e vasos sanguíneos”, explica Andrea Brandão, membro do Conselho de Administração da Sociedade Brasileira de Hipertensão.

Brandão afirma que a migração da doença para os jovens acontece, principalmente, pelos maus hábitos de vida. “A criança de hoje se alimenta mal, não pratica atividades físicas, fica muito tempo no computador ou na TV e come muito sal, principalmente em alimentos prontos. Logo, não só hipertensão, mas também a obesidade, começa a aparecer mais cedo”, destaca a profissional, ressaltando que crianças devem começar a aferir a pressão arterial aos 3 anos de idade, ao menos uma vez por ano.

O alerta foi feito pelo laboratório Novartis em um evento sobre cardiologia.

Livre seu filho do problema

Não é tão difícil evitar a hipertensão. De acordo com Brandão, o primeiro passo é controlar como a criança gasta o tempo de lazer. “Elas não devem ficar por mais de duas horas usando computador, vendo televisão e jogando videogame”, explica.

Segundo a médica, também é importante evitar o excesso de sal nos alimentos e fazer com que elas pratiquem atividades físicas diárias, por pelo menos 30 minutos. “Isso também vale para os adultos”, diz, ressaltando que toda a família deve se alimentar de frutas, verduras e legumes todos os dias.


Por: Clarissa Mello - O Dia On Line - Seção: Ciência e Saúde

Publicado em: 29/09/2010

Fonte: http://odia.terra.com.br/portal/cienciaesaude/html/2010/9/hipertensao_mal_que_avanca_entre_as_criancas_113166.html

De olho na balança? Opte por alimentos que aumentam a sensação de saciedade

Alimentos ricos em fibras devem ser priorizados na dieta diária de quem quer garantir uma boa qualidade de vida
O verão está chegando e você já está malhando e controlando a alimentação para ficar com o corpo e a saúde em dia? Então, inclua na sua dieta alimentos que naturalmente aumentam a sensação de saciedade e fazem com que você necessite comer quantidades menores para que fique satisfeito. Segundo a diretora da Associação Gaúcha de Nutrição (Agan), Jussara Maria dos Santos, a substituição de alguns produtos por outros pode fazer uma diferença significativa para quem quer perder peso sem deixar de comer bem.

— Na hora de fazer compras, devemos substituir os alimentos brancos pelos integrais. Ele têm mais ou menos o mesmo teor calórico, mas os integrais não passaram por um processo industrial forte e garantem uma sensação de saciedade com porções menores, além de serem mais saudáveis — explica.

Jussara destaca que, ao optar por este tipo de alimento, há benefícios na hora de controlar o peso, mas também ganhos em qualidade de vida. Nesse sentido, para quem é do Rio Grande do Sul e adoro a culinária típica, à base de pães e massas, não é preciso abandonar seus hábitos alimentares e sim adaptá-los.

— Nossa cultura alimentar é baseada nos carboidratos e fica difícil evitá-los seja em casa ou em refeições feitas na rua, mas, com algumas adaptações, é possível conciliar as duas coisas — argumenta.

Abaixo, Jussara lista os alimentos que garantem maior saciedade e a forma correta de consumí-los.

:: Pães
Os pães são alimentos que naturalmente garantem uma sensação de saciedade. Opte pelos pães integrais, ricos em fibra, em detrimento dos pães brancos. Segundo Jussara, os pães com sete, 12 ou 14 grãos são os mais indicados.

:: Arroz
O arroz branco é o mais comum na mesa dos brasileiros. No entanto, ele é o menos indicado para a alimentação diária por ter passado por um processo maior de industrialização e, assim, perdido alguns de seus nutrientes nesse período.

Por este motivo, para quem dispões de um tempo maior para prepara os alimentos, o arroz integral é o mais indicado, já que leva uns 40 minutos para ficar pronto. Para quem precisa preparar os alimentos de forma mais rápida, o arroz parbolizado é uma boa opção. Os dois produtos são mais ricos em fibras, vitaminas e sais minerais do que o produto tradicional.

:: Massas
Para quem é fã de massas, a recomendação de Jussara é que, na hora da compra, opte-se pelas integrais, também ricas em fibras.

:: Frutas associadas a grãos e iogurtes
A nutricionista destaca que as frutas, que devem ser ingeridas, no mínimo, três vezes ao dia, são ótimas fontes de saciedade e de saúde. A dica para quem quer trazer esses alimentos para a sua dieta é ingerí-los com grãos como a linhaça, a aveia, o amaranto ou a quinoa, misturados com iogurte.

No entanto, segundo a especialista, o iogurte deve ser diet ou light e natural, sem sabor. Principalmente as bebidas com sabor de morango levam em sua composição substâncias que não são boas para a saúde e devem ser evitados.

:: Saladas cruas
Como entrada das refeições principais, segundo Jussara, devemos ter o hábito de nos servirmos com saladas cruas, especialmente de vegetais com folhas verdes escuras, como a couve e o brócolis. O brócolis, aliás, é essencial na dieta de quem não toma leite e precisa garantir bons níveis de cálcio no organismo.

:: Sucos naturais
A presença dos sucos naturais à mesa, nunca os artificiais ou os refrigerantes, também garantem uma maior saciedade.

Como para prepará-los é necessário ter tempo disponível, segundo a nutricionista, uma boa opção é comprar no mercado o suco integral de uva tinto, sem adição de açúcar. Além de saboroso e naturalmente adocicado, esse suco é um alimento funcional que auxilia o bom funcionamento do metabolismo.

Os sucos à base de soja também são uma boa opção, embora menos indicados que o suco de uva.



Por: Vânder Correa - ClicRBS - Seção: Notícias/Bem-estar

Publicado em: 28/09/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/bem-estar/19,0,3055652,De-olho-na-balanca-Opte-por-alimentos-que-aumentam-a-sensacao-de-saciedade.html

Beber líquido durante a refeição pode dar barriga?

Já ouviu a história de que se você beber enquanto come faz com que a barriga aumente? Mas será que é mesmo verdade que ingerir líquido durante as refeições aumenta o tamanho da medida da cintura?

“Quando bebemos muito líquido o estômago pode dilatar. Com isso, a pessoa tende a comer um pouco mais, o que consequentemente trará um certo ganho de peso”, afirma Liliane Oppermann, nutróloga e médica ortomolecular. “No entanto, não há relação direta entre o consumo de líquido e o aumento de gordura na região abdominal”, diz a doutora.

O mais indicado e saudável é não ingerir líquidos durante a refeição, pois dessa forma os nutrientes são mais bem absorvidos. Ao ingerir uma refeição sólida e junto com alguma bebida, a absorção dos nutrientes é prejudicada, pois pode comprometer a acidez gástrica e diminuir a absorção de nutrientes como minerais e vitaminas. Além disso, ocorre fermentação de carboidratos, aumenta e acelera assim a formação de gases, com isso dando a sensação de uma barriga maior.

Para prevenir o aumento das medidas abdominais, a nutróloga preparou cinco dicas para não ganhar peso e viver livre da barriguinha.

Mantenha seu intestino funcionando direito
Para uma atividade intestinal regular, aumente o teor de fibras na alimentação, beba mais água e pratique exercícios físicos. Se tiver intestino preguiçoso, tome no mínimo oito copos de água por dia. Ingerir bastante fibras contidas nas frutas e legumes, cereais e grãos integrais, pois facilita a passagem do bolo fecal pelos intestinos.

Coma peixes
Salmão, atum, bacalhau e sardinhas dentre outros são ricos em ômega 3 , que protegem de obstruções coronárias e de acúmulo de gorduras no abdômen.

Evite pizzas e frituras
Petiscos, bifes à milanesa, combinação arroz- feijão-carne - batata-farofa, empadão de carne e pizzas calabresas ou portuguesas são grandes produtores de gordura e de barriga. Fuja deles!

Faça abdominais
Eles não queimam a gordura, mas tonificam os músculos que estão embaixo dela. Isto irá melhorar a aparência de sua cintura. Exercícios aeróbicos são também muito importantes, portanto faça no mínimo 30 minutos por dia.

Coma saladas cruas
As fibras das hortaliças ajudam no controle do colesterol e na manutenção do peso adequado, sem acúmulo de gorduras na barriga.



Por: Abril - On Line

Publicado em: 29/09/2010

Fonte: http://www.abril.com.br/blog/dieta-nunca-mais/2010/09/beber-liquido-durante-a-refeicao-pode-dar-barriga/

Mudanças alimentares ajudam a combater a celulite: confira as dicas

Nutricionista Michelle Ferreira De Simone dá onze dicas para evitar a celulite
A maioria das mulheres têm, e todas odeiam. Os efeitos da celulite na pele são indesejáveis, mas poucas pessoas realmente evitam os hábitos que causam esses incômodos furinhos na pele.

Para a nutricionista Michelle Ferreira De Simone, pequenas mudanças na alimentação diária podem ajudar a diminuir as chances de aparecimento da celulite. Redução de açúcares, sal e gorduras, maior ingestão de água e alimentos ricos em fibra estão entre as orientações da especialista.

Confira as dicas:

:: Consuma alimentos isentos de açúcar refinado, ou seja, pão integral, arroz integral, batatas e frutas.

:: Devem ser consumidos alimentos fontes de proteínas magras, como clara de ovo , aves, peixes e carnes vermelhas magras.

:: A alta ingestão de água, no mínimo dois litros por dia, impede a retenção de líquidos na gordura localizada.

:: Evite alimentos ou preparações gordurosas, como feijoada, pizzas, molhos, queijos, pães, bolachas recheados, chantilly, biscoitos amanteigados, etc.

:: Evite colocar muito óleo durante a preparação dos alimentos.

:: Alimentos integrais são boas fontes de fibras e ajudam a diminuir a absorção das gorduras, além de contribuir para a regulação dos intestinos.

:: Prefira alimentos que não contêm sal como, margarina sem sal, vegetais em geral e temperos naturais. O sal ajuda a reter líquidos no seu organismo e consequentemente na gordura localizada.

:: Não adicione muito sal durante a preparação dos alimentos ou quando prontos. Uma dica é não colocar o saleiro na mesa.

:: Evite refrigerantes e bebidas alcoólicas, pois estes fornecem somente calorias e não possuem nenhum valor nutritivo. Prefira sucos naturais ou água.

:: Dê preferência aos alimentos assados, cozidos ou grelhados e evite as frituras e preparações à milanesa.

:: Faça exercício físico do tipo aeróbico para favorecer a queima de gorduras, como caminhadas, bicicleta, natação, etc.



Por: ClicRBS - Seção: Bem-estar

Publicado em: 27/09/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/bem-estar/19,0,3054279,Mudancas-alimentares-ajudam-a-combater-a-celulite-confira-as-dicas.html

Fibra de laranja ajuda a perder até 2,5 kg por mês

A proximidade do verão desperta o desejo de um corpo com tudo no lugar e as academias ficam lotadas de pessoas com o mesmo objetivo: eliminar os quilinhos extras. Também é a época de tirar da gaveta aquela dieta milagrosa ensinada por alguma amiga. Na maioria das vezes, de tão restritiva, até faz efeito num primeiro momento, mas depois a briga com a balança continua – podendo até piorar. Por este motivo, muitas pessoas têm recorrido a emagrecedores naturais.

Um dos mais populares dos últimos tempos é o alimento encapsulado à base de fibra de laranja, composto por fibras e óleos essências da fruta. Tire algumas dúvidas com Kali Nardino, consultor farmacêutico da Divine Shen, sobre essa pílula supostamente “mágica”.

Como é a ação da fibra da laranja no organismo?
A laranja possui um tipo de fibra solúvel chamada pectina, que é capaz de absorver água e outros líquidos, tornando-se uma espécie de gel, que promove saciedade e impede a absorção e acúmulo de açúcares e gorduras. Além disso, o produto possui alguns óleos essenciais presentes na casca da laranja, o citral e o limoleno, que promovem o equilíbrio da energia corporal e aceleram o metabolismo.

É possível emagrecer apenas tomando a fibra?
As cápsulas de fibra de laranja ajudam a eliminar peso e reduzir medidas de forma saudável, porém aconselhamos uma mudança de hábitos. Uma alimentação equilibrada e a prática regular de algum tipo de atividade física são fundamentais não só para a boa forma, como para manter a saúde em dia.

Quantos quilos eu vou perder por mês?
Não há uma regra, pois cada organismo apresenta uma resposta diferente. De maneira geral, há uma redução entre 1,5 e 2,5 quilos ao mês, de um jeito totalmente natural e saudável. É importante ressaltar que o uso do produto deve estar associado à correta ingestão de líquidos, a uma dieta equilibrada e hábitos de vida saudável.

Durante quanto tempo é aconselhado ingerir a cápsula?
Aconselhamos que consumi-las por um período de um a três meses. Depois disso, é interessante que seja feita uma pausa de um mês. Essa indicação é válida para qualquer alimento encapsulado e/ou fitoterápico. A explicação é simples: após o uso consecutivo por três meses, há uma redução natural do efeito do produto no organismo.



Por: Abril - On Line

Publicado em: 17/09/2010

Fonte: http://www.abril.com.br/blog/dieta-nunca-mais/2010/09/fibra-de-laranja-ajuda-a-perder-ate-25-kg-por-mes/

Idoso deve ter cuidado específico com alimentação, diz nutricionista

Idosos devem ter cuidados específicos em relação à alimentação, de acordo com Lillian de Carla Sant´Anna Macedo, nutricionista do Hospital do Coração (HCor). Para ela, a alimentação é um dos fatores que ajudam no controle do organismo no que diz respeito a índices de hipertensão, diabetes, colesterol, entre outros.

“Um cardápio composto de fibras, vitaminas e minerais ajudam a manter a força e o equilíbrio do idoso. Uma pessoa adulta deve ingerir em média 1000 mg por dia de cálcio, mineral encontrado em leites, iogurtes, feijão branco, queijos, entre outros. Já acima dos 60 anos de idade, a recomendação aumenta para 1200 mg por dia”, explica.

Lillian afirma que as mudanças fisiológicas naturais decorrentes do envelhecimento interferem no apetite, consumo e absorção de nutrientes. "A associação de doenças, fatores psicossociais, condições socioeconômicas, interação entre nutrientes e medicamentos, isolamento familiar e social também estão diretamente ligadas à alimentação do público idoso. Nesses casos, o consumo de alimentos saudáveis irá auxiliar na redução das comorbidades e contribuir para o ritmo favorável de envelhecimento."


Por: Abril - On line: Agência Estado

Publicado em: 23/09/2010

Fonte: http://www.abril.com.br/noticias/ciencia-saude/idoso-deve-ter-cuidado-especifico-alimentacao-diz-nutricionista-1279614.shtml

Música para curar os males

Os exercícios da musicoterapia liberam as emoções e melhoram a estima.

Durante uma sessão de musicoterapia a música toca a pessoa de uma forma expressiva, atingindo lugares que as palavras não alcançam. Essa é a definição da professora Rosiane Aparecida Papa Segura, que recebeu alta após dois anos de tratamento.

Ela procurou a musicoterapia, por indicação, para seu filho mais velho, que na época estava com três anos, mas resolveu experimentar primeiro. "É mais prazerosa que a terapia convencional", afirma Rosiane que já fez sete anos de outras terapias.

A musicoterapeuta Suzana Brunhara explica que há duas técnicas para se trabalhar com a musicoterapia. A receptiva, desenvolvida com os adultos e trabalha mais com a audição musical, por meio de músicas eruditas. "Contribui para melhorar o aspecto emocional,comoa auto-estima e também a concentração", detalha Suzana. No caso de Rosiane uma mesa de vibração sonora foi utilizada nas sessões para proporcionar relaxamento.

Já a musicoterapia ativa é indicada para crianças, como Bernardo. Elas produzem as músicas junto com a musicoterapeuta. Nesse caso, trabalha-se com a improvisação, a composição, utilizando-se vários instrumentos.

De acordo com Suzana é comum os pais procurarem a musicoterapia quando os filhos são introspectivos e que necessitam melhorar o comportamento em relação à disciplina e concentração. Depois de ter feito as sessões de musicoterapia Rosiane reestabeleceu a confiança em si mesma e também ficou feliz com os resultados obtidos por seu filho Bernardo. Para ela, “a música traz à tona os nossos sentimentos mais nobres”.

50 minutos é o tempo de duração para cada sessão;

Benefícios
Os recursos dos sons são utilizados também para a prevenção de doenças físicas, sentimentais ou mentais; Melhora a atenção, a auto-estima, a expressão e a comunicação.

Sinapses
A musicoterapia estimula os dois hemisférios cerebrais, aumentando as sinapses (a comunicação entre as células nervosas, os neurônios);

Durante a gestação
A musicoterapeuta Suzana Brunhara afirma que nos quatro meses de gestação o aprelho auditivo do bebê já está formado. Ele já ouve e sente as vibrações, graças ao líquido amniótico



Por: Fernanda Ikedo - Agência Bom dia

Publicado em: 29/09/2010

Fonte: http://www.redebomdia.com.br/Noticias/Viva/32160/Indicada+para+criancas+e+adultos,+musicoterapia+libera+as+emocoes+e+melhora+a+estima

Má escovação dos dentes aumenta chances de doenças cardíacas em 70%

Um sorriso bem cuidado pode ser sinônimo de coração saudável. Essa relação é pesquisada há mais de 20 anos, mas só agora foi possível medir os efeitos da escovação diária. Um estudo populacional feito na Escócia mostrou uma forte associação entre a pouca frequência da escovação e o aparecimento de doenças cardiovasculares. As pessoas que escovam os dentes menos de duas vezes por dia apresentam 70% mais chances de sofrer infarto do miocárdio, segundo pesquisadores da University College London (UCL), que analisaram o estilo de vida de mais de 11 mil pessoas — monitorando fatores como higiene, hábitos de
consumo (como tabagismo) e a prática ou não de exercícios físicos. A média de idade dos entrevistados era de 50 anos. A análise foi baseada na quantidade de visitas ao dentista, no número de escovações por dia, em detalhes sobre pressão arterial e sobre o histórico de doenças cardíacas nas famílias.

Com o cruzamento dos dados, descobriu-se que somente seis em cada 10 pessoas visitavam o dentista a cada seis meses e que apenas 71% escovavam os dentes ao menos duas vezes por dia. Em um período de oito anos, 555 participantes que mantinham piores hábitos de higiene bucal tiveram sérias doenças cardiovasculares. Desses, 170 morreram. O principal diagnóstico, em 74% dos casos, era de doença coronariana. Foi isso que fez os investigadores identificarem a associação entre a falta de escovação com os problemas cardíacos.

Um dos pesquisadores é o brasileiro César de Oliveira, que mora em Londres desde 1996. Lá, ele cursou mestrado, doutorado e pós-doutorado na University College London, onde realizou o estudo com Richard Watt e Mark Hammer. Em entrevista ao Correio, Oliveira explicou como a má escovação influencia no aparecimento de doenças do coração. “As pessoas que escovam os dentes com menos frequência apresentaram mais inflamação gengival, devido ao acúmulo de placa bacteriana, e, consequentemente, o desenvolvimento da doenca periodontal (infecção oral crônica)”, conta Oliveira.

O problema é que esse quadro inflamatório bucal crônico e prolongado muitas vezes não é tratado. Isso, então, contribui para um aumento da inflamação sistêmica e afeta a condição cardiovascular. De acordo com Oliveira, existem duas teorias sobre como uma inflamação localizada — no caso, a doença periodontal — afetaria a saude sistêmica. A primeira é “a entrada na corrente sanguínea das bactérias causadoras da doença periodontal e de seus produtos tóxicos através de áreas de ulceração do epitélio gengival”. O resultado é uma resposta do sistema imunológico que produz inflamação.

“A segunda teoria de como uma inflamação pode afetar a saúde sistêmica se trata da entrada na corrente sanguínea dos mediadores inflamatórios produzidos na bolsa periodontal (o espaço entre a gengiva e os dentes)”, afirma Oliveira.

O dentista Emílio Barbosa ressalta a importância da associação feita pelos pesquisadores. “O corpo é integrado, não dá para pensar que, se ocorrer algo na boca, isso vai ficar só lá. É necessário parar de agirmos setorialmente”, apregoa Barbosa. “A gente realmente tem que considerar a questão do fumo, do stress, da diabetes e da obesidade. Tudo está relacionado, com a saúde bucal de alguma forma.”

Para o médico cardiologista do Hospital do Coração do Brasil André Medina, porém, é importante que se leve em conta outros fatores, além da escovação dos dentes. “A gente também tem que considerar a pressão, o diabetes, o tabagismo, o nível de atividade física e o colesterol”, alerta.

Exemplo familiar
A saúde foi prioridade na criação do filho da dona de casa Mara Queiroz. “Sempre tive a preocupação com higiene e em levar uma vida saudável, fazer exercícios e comer algo mais natural”, diz. O estudante Flávio Silva, 22 anos, filho de Mara, acredita que aprendeu a levar uma vida saudável com o que via dentro de casa. “Estou acostumado a prestar atenção no cuidado com os dentes. Foi algo que meus pais passaram para mim e por isso criei a mania de escovar e de visitar o dentista regularmente”, destaca Flávio. Os cuidados redobraram quando ele descobriu a primeira e única cárie: “Foi quando comecei a faculdade e dei uma relaxada. Agora presto ainda mais atenção nisso”. Toda a família tem o costume de ir ao dentista pelo menos uma vez ao ano, além de praticar exercícios e caprichar na alimentação.

O médico André Medina avalia que ainda é cedo para confirmar o resultado da pesquisa e que mais estudos são necessários. “Apesar disso, pode-se olhar com mais carinho para essa nova descoberta e cuidar mais do paciente.”

O pesquisador brasileiro César Oliveira defende a realização de mais estudos. “A minha pesquisa foi capaz de consolidar uma associação. Ainda existe a necessidade de procedimentos como testes clínicos para se estabelecer definitivamente a causalidade: higiene oral precária/inflamação gengival e doença cardíaca. Entretanto, a associação é bastante forte e estudos anteriores confirmam os meus resultados.”

Por: Correio Braziliense - Seção: Ciência e Saúde

Publicado em: 28/09/2010

Fonte: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia182/2010/09/28/cienciaesaude,i=215147/MA+ESCOVACAO+DOS+DENTES+AUMENTA+CHANCES+DE+DOENCAS+CARDIACAS+EM+70.shtml

Aprender a meditar perto de casa

Estreou esta semana o filme “Comer, Orar, Amar”, baseado no livro homónimo de Elizabeth Gilbert. A obra conta a vida da escritora norte-americana durante um ano, quando decidiu deixar tudo para trás e embarcar numa viagem por Itália, Índia e Indonésia. No livro, que vendeu mais de quatro milhões de cópias em todo o Mundo, um dos momentos mais marcantes é a passagem de Elizabeth por um ashram, na Índia, onde aprofunda a meditação.

Com a difusão do livro e filme por todo o Mundo, a prática da meditação tem vindo a crescer e também. Portugal também tem espaços onde pode aprender a meditar.

O Spaso Zen (www.spasozen.com), no Porto, tem sessões ou aulas de meditação à quarta-feira e relaxamento e meditação guiada à terça-feira. O Spaso Zen vai ter também um workshop de iniciação à prática Budista intitulado “Domar o Tigre Interior”, que começa a 9 de Outubro.

A União Budista Portuguesa (UBP) organiza cursos, seminários e retiros. Na meditação refere que “a maior parte do tempo a mente está dispersa, galopando para todos os lados. Saber centrá-la e descontraí-la constitui um verdadeiro trunfo”.

Mas não pense que a meditação é só para adultos. A UBP (www.uniaobudista.pt) tem inscrições para crianças dos seis aos 10 anos: “Pretende-se fornecer instrumentos de aplicabilidade no quotidiano, que favoreçam o auto-conhecimento e o relacionamento com os outros.

No Porto, a União Budista promove actividades que podem também ser consultadas no blogue http://gotadeorvalho.wordpress.com. Na Maia, a Brahma Kumaris Academia propõe actividades para os que desejam aprofundar “conhecimento e valores espirituais e descobrir novos métodos para alcançar paz e harmonia na vida”. Aos terceiros domingos de cada mês, os centros dedicam uma hora de meditação pela paz mundial. A Brahma Kumaris (www.bkwsu.org/portugal) sugere também uma passagem pelo site Just-A-Minute (http://www.just-a-minute.org) lançado para promover a prática da meditação no quotidiano.

A Vipassana Portugal (www.pt.dhamma.org) sugere a meditação Vipassana. “É um processo de auto-purificação através da auto-observação. Embora tendo sido ensinada na Índia há 2500 anos por Gautama o Buda, não está vinculada ao budismo ou a qualquer outra religião, podendo ser praticada por todos independentemente de crenças religiosas já existentes.



Por: Susana Ribeiro - Ontem - Jornal de Notícias

Publicado em: 04/10/2010

Fonte: http://jn.sapo.pt/VivaMais/Interior.aspx?content_id=1676842

Óleo de peixe melhora tolerância à glicose

A inclusão de óleo de peixe na alimentação (uma fonte de ômega 3) melhora o nível de tolerância do organismo à glicose.

A conclusão é de um estudo realizado pela nutricionista Gabriela Salim Ferreira de Castro na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP.

As cobaias avaliadas sofriam de esteatose hepática não alcoólica induzida por frutose. A esteatose hepática não alcoólica leva ao acúmulo de lipídios (gorduras) no fígado o que pode gerar inflamação no órgão, perda das funções hepáticas, aumento do estresse oxidativo e do número de radicais livres.

A doença está associada à obesidade, sendo que a maioria dos seus portadores são obesos com Síndrome Metabólica (alterações nos níveis de colesterol e triglicérides (dislipidemias), resistência a insulina e diabetes tipo 2.

A esteatose hepática não alcoólica pode progredir para a esteatohepatite não alcoólica, doença que pode causar cirrose e chegar até a falência hepática.

Frutose

"Nas últimas décadas, houve um aumento da incidência de esteatose hepática na população mundial. Várias pesquisas associam a doença com o aumento do consumo de frutose", conta Gabriela.

A frutose é encontrada naturalmente em frutas e vegetais, mas a indústria alimentícia utiliza esse carboidrato simples, sob a forma de xarope de milho, como adoçante em alimentos, como por exemplo refrigerantes.

"Quando consumida apenas por meio de frutas e verduras, sua ingestão é baixa. A partir da década de 1970, houve um grande crescimento do consumo de frutose pela população mundial. Os números indicam que o consumo, na época, era de 37 gramas (g) diárias para a população dos Estados Unidos da América. Em 1994, esse número aumentou para 55g diárias. Atualmente, a população adolescente consome cerca de 72,8g ao dia e isso está ligado diretamente ao consumo de refrigerantes", alerta a pesquisadora.

Efeitos do óleo de peixe

Para estudar os efeitos que o óleo de peixe teria na esteatose hepática leve, a pesquisadora utilizou 5 grupos de ratos Wistar, que iniciaram os experimentos em condições normais de saúde.

Eles receberam a seguinte dieta, durante 45 dias: grupo 1 (controle), dieta a base de amido, caseína e óleo de soja com adição de minerais, vitaminas e fibras. Os outros grupos receberam esta mesma ração, com a adição de outras substâncias: no grupo 2, foi usado óleo de peixe no lugar do óleo de soja. No grupo 3, a pesquisadora substituiu o amido e a sacarose por 60% de frutose. No grupo 4, foi adicionado 70% de frutose além de óleo de peixe no lugar de óleo de soja. No grupo 5 foi adicionada a frutose durante 30 dias e, nos 15 dias restantes, frutose e óleo de peixe. No final do experimento, eles apresentavam esteatose hepática não alcoólica leve.

De acordo com a pesquisadora, os animais do grupo que recebeu frutose mais óleo de peixe, durante os 45 dias do experimento, apresentaram maior lesão ao material genético dos hepatócitos, ao contrário do grupo que recebeu essa mesma dieta durante 15 dias, e que tiveram uma melhor tolerância à glicose.

"O óleo de peixe consumido por 45 dias levou à incorporação de ácidos graxos poli-insaturados de cadeia longa ômega 3, mas as membranas da célula ficaram mais suscetíveis à peroxidação lipídica. A oferta de frutose causou um aumento dos radicais livres que acabam por "atacar" os ácidos graxos poli-insaturados", explica. "No grupo que consumiu o óleo de peixe durante 15 dias, não houve aumento dessa peroxidação", completa. No grupo que houve apenas a adição de frutose na dieta, a nutricionista constatou um aumento dos níveis de colesterol e de triglicérides séricos.

Consumo de refrigerantes

A nutricionista atua no Ambulatório de Nutrição de Doenças Hepáticas Metabólicas, onde pôde acompanhar pacientes com esteatose hepática não alcoólica. Segundo ela, é possível observar que existe uma relação direta entre o consumo de refrigerantes e a ocorrência da doença.

A pesquisadora ressalta que o consumo de alimentos fontes de ômega 3 são fundamentais para a saúde e também para o tratamento da esteatose hepática não alcoólica. "Os resultados negativos do consumo de óleo de peixe por ratos Wistar são decorrentes da grande quantidade que foi ofertada aos animais. Pessoas com a doença devem ser orientadas quanto a aquisição de hábitos alimentares saudáveis e consumo regular de peixes e de outras fontes de ômega 3", destaca.

Outra pesquisa recente mostrou que o óleo de peixe pode prevenir esquizofrenia.



Por: Valéria Dias - Agência USP - Diário da Saúde

Publicado em: 22/09/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=oleo-peixe-tolerancia-glicose&id=5766

Ômega-3 e ômega-9 protegem contra obesidade

Gorduras insaturadas

Pesquisa realizada na Unicamp revelou que os ácidos graxos insaturados ômega-3 e ômega-9 não apenas interrompem, mas também revertem o processo inflamatório causado por dietas ricas em gorduras saturadas numa região do cérebro chamada hipotálamo.

O hipotálamo é responsável pelo controle da fome e do gasto energético. O processo inflamatório ocasiona a perda deste controle neural e abre espaço para o desenvolvimento da obesidade.

Os ácidos graxos insaturados ômega-3 e ômega-9 estão presentes, respectivamente, na semente de linhaça e no azeite de oliva.

O estudo revelou ainda, em descrição inédita na literatura, que o ômega-9, ao contrário do que se sabia até o momento, é mais potente em reverter essas condições do que o ômega-3, reconhecido como um clássico anti-inflamatório.

A pesquisa, que acaba de ganhar o primeiro lugar no Prêmio Henri Nestlé, certame nacional de grande impacto na área da nutrição, foi realizada por Dennys Esper Cintra, da Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA) da Unicamp em Limeira, e por Lício Velloso, da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp.

Gorduras saturadas

Estudos recentes mostram que dietas ricas em gorduras saturadas - como as presentes nas carnes bovina e suína, e em seus derivados como leite, queijos e manteiga - lesionam o hipotálamo ao darem início a um tipo de inflamação local que acaba influenciando em seu funcionamento.

Esse processo inflamatório, quando prolongado, pode causar a morte de neurônios e, consequentemente, a perda deste controle neural. Uma vez inflamado, o hipotálamo perde parte de suas funções, ao ter reduzida a sua capacidade de "percepção" entre o momento de sinalizar para o organismo a estocagem ou a queima de energia.

Pesquisas anteriores do grupo haviam revelado que tal inflamação é desencadeada por um receptor do sistema imune denominado Toll-Like Receptor 4 (TLR4). Este receptor é capaz de reconhecer uma substância presente na parede celular de bactérias, e, quando ativado, produz citocinas que causam inflamação.

Demonstrou-se que essa substância presente na parede de bactérias também está presente nos alimentos ricos em gorduras saturadas. Quando consumidas em larga escala, como é o caso das dietas ocidentais, essas grandes quantidades de gordura são capazes de sensibilizar esses receptores, simulando uma infecção.

"Isso ocorre por todo o organismo, mas quando essas gorduras encontram esses receptores no hipotálamo, o estrago pode ser maior, pois é ali que se encontra a caixa-preta do nosso balanço energético" diz o pesquisador. Logo, algumas pessoas, quando expostas a dietas hipercalóricas, perdem gradativamente o controle da fome e passam a consumir mais calorias do que gastam, tornando-se obesas com o decorrer do tempo.

Ômega-3 e ômega-9

Os ensaios nutrigenômicos realizados por Cintra em modelos experimentais compararam a ação dos ácidos graxos insaturados ômega-3 e ômega-9 no hipotálamo de camundongos obesos e diabéticos e demonstrou que essas substâncias são capazes não apenas de atenuar a inflamação e restabelecer o processo de sinalização celular que controla o apetite como também de interromper os sinais de morte celular que vinham se instaurando.

Durante o tratamento com os ômegas, a sinalização da insulina e leptina (hormônios que indicam ao cérebro que há a presença de nutrientes e que está na hora de parar de comer) perdida em animais obesos e diabéticos foi restabelecida. Houve restauração de todo o perfil metabólico dos animais, culminando em perda de peso.

A pesquisa mostrou, no entanto, que para que os resultados sejam efetivamente alcançados é preciso uma ingestão contínua desses nutrientes, somada à descontinuidade da ingestão elevada de alimentos ricos em gordura saturada, ou seja, é preciso que haja uma reeducação alimentar, pois, uma vez interrompido o tratamento, os neurônios voltam a sofrer o processo de apoptose (morte celular).

Hipotálamo

No estudo, inicialmente, induziu-se a obesidade e diabetes nos animais, por meio da ingestão de uma dieta altamente calórica, rica em gorduras saturadas, bastante semelhante à consumida atualmente por populações ocidentais.

Numa segunda etapa, quando do início do tratamento, os animais foram distribuídos em grupos que receberam dietas acrescidas de ômega-3 ou ômega-9, em concentrações crescentes.

É sabido que a simples redução no consumo de gorduras saturadas já é o suficiente para a melhora no perfil metabólico em diversas espécies, inclusive em humanos.

Contudo, quando tais ácidos são ainda agregados à alimentação, os processos negativos gerados no hipotálamo pelo consumo crônico da gordura saturada melhoraram de forma exuberante. Houve recuperação do comportamento alimentar adequado, devido principalmente ao aumento na expressão de proteínas anti-inflamatórias e antiapoptóticas, além da redução significativa na expressão de marcadores pró-inflamatórios e pró-apoptóticos no hipotálamo dos camundongos.

Para confirmar a ação específica dos ácidos graxos ômega-3 e 9, os pesquisadores infundiram as substâncias diretamente no hipotálamo de animais obesos, e observaram redução imediata no consumo de alimentos. Após uma semana de infusão direta no hipotálamo, os animais já tinham perdido mais de 10% do seu peso corporal.

Gasto energético

Somado a estes fatores, ambos os experimentos demonstraram que a perda de peso não se deveu apenas à recuperação do controle nervoso da fome, mas também porque tais substâncias aumentaram o gasto energético dos animais.

Quando infundido diretamente no hipotálamo, ou mesmo quando consumidos por via oral, ambos, ômega 3 e 9, aumentam no tecido adiposo marrom a expressão de uma proteína chamada UCP-1, que é responsável pelo aumento do gasto energético. Com isso, a atividade das proteínas da via da insulina e da leptina foi restaurada. Os animais se tornaram muito mais tolerantes à glicose e também mais sensíveis às ações da insulina, antes prejudicada pela obesidade.

Outro fato surpreendente foi demonstrado nesse estudo. "Como dito anteriormente, os ômegas foram suplementados nas dietas em várias concentrações. A resposta mais interessante se demonstrou nos grupos que receberam as menores concentrações na dieta, tanto de ômega-3 quanto de ômega-9. Embora os animais diabéticos não tenham deixado de ser diabéticos, a glicemia foi reduzida de forma expressiva e se tornou controlável através apenas da alimentação nesses grupos", revelou Cintra.

O impacto da substituição dos ácidos graxos na variação do peso corporal foi dependente da composição, mas não do tipo de ácido graxo. "Observamos que quando os animais consumiam esses ácidos graxos, ou quando aplicávamos diretamente no hipotálamo, a inflamação era finalizada. Os sinais de insulina e leptina enviados pela periferia chegavam até o hipotálamo e cumpriam a obrigação deles informando ao organismo que já havia nutrientes em quantidade suficientes, e que a fome deveria desaparecer", explicou Cintra.

As concentrações testadas nas dietas correspondentes aos melhores resultados são quantidades passíveis de consumo no dia a dia, por meio de um acréscimo natural desses alimentos em nossas refeições diárias, sem a necessidade de suplementos alimentares. Alimentos como semente de linhaça marrom, óleo de soja, sardinha e canola apresentam custos razoáveis e também excelentes fontes de ômega-3. Da mesma forma, o azeite de oliva, óleo de soja, abacate e amendoim são fontes saudáveis de ômega-9.

Criação de novos neurônios

Além de mostrar que os ácidos graxos ômega-3 e ômega-9 são capazes de interromper os sinais de morte celular, inibir a inflamação e restabelecer a sinalização celular das vias da leptina e da insulina, o trabalho trouxe evidências de que esses ácidos podem desencadear também um estímulo à gênese de novos neurônios, num processo chamado de neurogênese.

A próxima empreitada será investigar a possibilidade dessa síntese de novos neurônios, e verificar se tais ácidos graxos possuem a capacidade de exercer plasticidade sobre os neurônios afetados de indivíduos obesos, revertendo assim o processo de morte instaurado pelos ácidos graxos saturados.

"Precisamos descobrir se essa plasticidade ocorre no local onde os neurônios foram mortos pelo excesso de gordura saturada. Ainda não sabemos até que ponto, e nem por que razão, mas o ômega-3 é capaz de estimular a multiplicação de neurônios.

O estudo indicou que o ômega-3 pode ter sido o responsável pela regeneração daqueles neurônios que já haviam morrido naquela região do hipotálamo. O próximo passo será descobrir se o ômega-3 é mesmo capaz de restabelecer os neurônios controladores da fome, e assim devolver ao indivíduo a capacidade perdida de controlar sua fome após ele ter-se tornado obeso", concluiu Cintra.

Morte dos neurônios

Isto torna o assunto em questão ainda mais delicado: como a morte dos neurônios pode ser irreversível - os estudos na área ainda são muito incipientes - a possibilidade de o vício ou a compulsão por comidas gordurosas e altamente calóricas acontecer pode ser ainda mais grave.

De acordo com Cintra, é preciso que cada vez mais políticas públicas de prevenção à obesidade sejam implantadas, e que haja todo um esforço de reeducação alimentar entre a população, desde a infância.

"Uma vez que a pessoa se torna obesa, fica difícil reverter o processo de obesidade, ou, ao menos, de devolvê-la o controle da fome. Mesmo com o enorme avanço da ciência, esta ainda se encontra de mãos atadas em relação à obesidade. Ainda não temos nenhuma saída satisfatória para a doença, por isso é tão importante a prevenção. O indivíduo não pode se tornar obeso, porque a partir desse momento ele pode estar entrando em um caminho sem volta", afirma Cintra.

Por esta razão, a melhor saída continua sendo, de acordo com cientistas e especialistas, investir em programas de conscientização, reeducação alimentar, e de estímulos às práticas de atividades físicas, para assim, tentar evitar que a obesidade atinja um patamar irreversível.



Por: Cristiane Paião - Jornal da Unicamp - Diário da Saúde

Publicado em: 17/09/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=omega-3-omega-9-obesidade&id=5741

Brócolis protege contra artrite

Sulforafano

Cientistas da Universidade de East Anglia, na Inglaterra, descobriram que um composto no brócolis, chamado sulforafano, bloqueia as enzimas que causam a destruição articular na osteoartrite - a forma mais comum de artrite.

O brócolis tem sido associado com a redução do risco de câncer e até da asma e rinite, mas este é o primeiro grande estudo em se estudou seus efeitos sobre a saúde das articulações.

O sulforafano é um composto bioativo encontrado em vegetais crucíferos, especialmente no brócolis.

Comer brócolis eleva o nível de sulforafano no sangue, mas os cientistas ainda não sabem se o sulforafano fica nas articulações em quantidades suficientes para ser eficaz.

Osteoartrite

A osteoartrite é uma doença degenerativa que destrói progressivamente a cartilagem das articulações, principalmente nas mãos, pés, coluna, quadris e joelhos das pessoas idosas.

Não há atualmente nenhum tratamento efetivo, além dos analgésicos contra a dor ou a substituição da articulação.

"A população está envelhecendo, e o desenvolvimento de novas estratégias para combater as doenças relacionadas à idade, tais como osteoartrite é vital - para melhorar a qualidade de vida dos doentes mas também para reduzir os encargos econômicos para a sociedade," diz o coordenador da pesquisa, Dr. Ian Clark.

Como parte de um projeto de três anos, a equipe também vai investigar os efeitos de outros componentes da dieta no tratamento da osteoartrite, incluindo o dissulfeto dialil, que é encontrado em quantidades elevadas no alho e também se mostrou capaz de retardar a destruição da cartilagem em animais de laboratório.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 16/09/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=brocolis-artrite&id=5738

Shiatsu - Massagem para o seu bem -estar


Se dissermos à muitas pessoas que com a simples pressão das mãos e algumas massagens, pode-se prevenir e até amenizar determinadas enfermidades, a reação à princípio pode ser um pouco céptica, porém, isso é o que é constatado todos os dias por pessoas que utilizam de sessões de massagens com frequencia. A função principal do Shiatsu, uma massagem que ao mesmo tempo é relaxante e terapêutica, é justamente esta: manter o organismo saudável e com grande bem–estar.

O Shiatsu é uma massagem japonesa que permite recuperar o equilíbrio orgânico em muitos níveis: corrige certas disfunções orgânicas, liberta tensões acumuladas e atua até na melhoria da postura.

Esta massagem tem se mostrado muito boa contra o estresse e em muitos casos de dores, pois além de trabalhar a musculatura ela age também em outros sistemas; como o respiratório, o reprodutivo e o sistema nervoso, além de ajudar na manutenção apropriada das articulações e na circulação do sangue.

A função do Shiatsu é preventiva , estimula a força vital reorientando-a para que o organismo tenha uma melhor resposta na manutenção de seu estado saudável .

Esta massagem foi fundada no Japão e enriquecida por fundamentos da milenar medicina tracional Chinesa, o que proporciona à ela um alcance duplo e completo, sendo ao mesmo tempo relaxante e terapêutica. A harmonização gerada pela massagem proporciona uma sensação de equilíbrio interno, leveza e bem –estar, trazendo equilíbrio para o corpo.



Por: G. Hoffmann - O Barriga Verde On Line - Seção Colunistas

Publicado em: 05/10/2010

Fonte: http://www.adjorisc.com.br/jornais/obarrigaverde/colunistas/g-hoffmann/massagem-para-o-seu-bem-estar-1.353344

Neurociência atesta que o yoga ajuda a conquistar o autocontrole

Nos últimos dias, dois casos de professores que tiveram ataque de fúria em sala de aula foram destaque nos noticiários. Ao perderem o controle de suas emoções, eles gritaram, xingaram, agrediram pessoas e, certamente, serão punidos por isso. Casos como esses acontecem todos os dias com profissionais das mais diversas áreas e em outras tantas situações, como a pessoa que se descontrola no trânsito ou a esposa que perde a paciência com o marido pelo atraso para o jantar.

As consequências desses impulsos podem ser catastróficas. Um profissional que não tem comando sobre seus sentimentos é mal visto pelos superiores e pode perder oportunidades de promoção, uma discussão no trânsito pode acabar em agressões graves e os bate-bocas desgastam o relacionamento. Mas é possível reverter esse quadro e controlar os sentimentos. O psicofisiologista e coach ontológico Marcello Árias Dias Danucalov explica que as emoções são causadas por substâncias químicas cerebrais, mas práticas como o yoga e a meditação ajudam a conquistar o autocontrole.

“Nos últimos anos, as descobertas das áreas relacionadas às neurociências tem atestado que os nossos pensamentos racionais, conscientes, são meros moduladores de nossas forças biologicamente mais primitivas, que emergem das profundezas de nosso cérebro mais primitivo. Lá, habita o nosso submundo inconsciente. Mas segundo algumas tradições filosóficas orientais, o que você é num determinado momento, é fruto de como você interpreta a situação. Desta maneira, a raiva não é você, é uma parte de você. Assim como não é você que está presente nos momentos de alegria, e sim uma pequena parte de um todo muito mais complexo. Os maiores responsáveis por tais comportamentos são as tais substâncias químicas, que em última análise, as técnicas advindas da prática do yoga e da meditação tentam entender, dominar, e por que não dizer, de certa forma, transcender”, esclarece o psicofisiologista.

Nos últimos anos a ciência começou a se interessar pelo yoga e pela meditação enquanto técnica de desenvolvimento e aprimoramento cérebro/mental. Inúmeros hospitais e centros de pesquisa têm estudo tais técnicas com grande rigor. Danucalov explica que um dos pressupostos do yoga é o desenvolvimento da concentração, pois, uma vez focado em um só objeto pelo maior tempo possível, o yogue (pessoa que pratica o yoga) diminuiria seus estímulos sensoriais, reduzindo assim seu bombardeamento químico cerebral. Assim, o praticante de yoga entra em contato com um estado cerebral onde clareza perceptiva e racionalidade ponderada subjugam pulsões e instintos mais primitivos. Isso faz com que o indivíduo tenha um maior grau de controle das situações ao seu redor, não se deixando dominar inteiramente pela neuroquímica das emoções.

Isso se explica, pois quando se fala de emoções se fala de medo, aversão, pânico, culpa, amor, ódio, raiva, entre outras tantas. Mas tais sentimentos não são percebidos somente na estrutura cerebral-mental. Essas emoções são somatizadas, ou seja, percebidas em nosso próprio corpo. “As emoções humanas se expressam também em nosso corpo, gerando tensões musculares, dores de cabeça, hipertensão, quando negativas, ou prazer, leveza e bem estar, quando positivas. Estes reflexos corporais indicam que somos portadores de curiosas vias que conectam as emoções geradas no cérebro, com todas as células corporais”, ressalta Danucalov.

Uma das hipóteses do hatha-yoga, o yoga do corpo, hoje compreendida pela ciência contemporânea, é que as emoções interferem nas sensações corporais da mesma forma que as sensações corporais também podem influenciar as emoções. “Esta escola afirma que o desenvolvimento de nossas percepções pode ser melhorado na medida em que focamos nossa atenção em nosso próprio corpo. As séries de posturas físicas conhecidas como ásanas devem ser realizadas com a máxima concentração, com a maior calma possível, assim como com o menor dispêndio energético. Segundo o hatha-yoga, as sensações corporais de relaxamento e tranquilidade retroalimentariam nossas complexas estruturas neuronais, informando-as de que tudo vai bem, criando assim um ambiente favorável ao aparecimento de emoções positivas”, esclarece o psicofisiologista.

Além do yoga e da meditação, técnicas mais cognitivas, como o coaching de abordagem ontológica e as terapias cognitivo comportamentais são outras atividades que exigem atenção, interiorização e percepção de pensamentos automáticos disfuncionais e podem ajudar quem almeja comandar, ao menos parcialmente, os próprios impulsos.

Sobre Marcello Árias Dias Danucalov
Psicofisiologista com experiência em Técnicas de Integração Cérebro, Mente e Corpo e Biofeedback, Coach Ontológico, Marcello também é especialista em Fisiologia, mestre em Farmacologia, doutorando em Psicobiologia UNIFESP. Professor universitário com experiência de 24 anos de docência, Marcello ministrou mais de 600 cursos de pós-graduação e palestras pelo Brasil. Acadêmico de Filosofia, ele também é autor de diversos livros e artigos científicos. Marcello é sócio-diretor da empresa Appana Mind – Desenvolvimento Humano e Psicofisiologia Aplicada.

Sobre Káritas de Toledo Ribas
Bacharel em Administração de Empresas pela UERJ/RJ, Káritas tem formação em Coaching Ontológico, é especialista em Medicina Comportamental, em Hipnose Clínica - PUC/SP, é acadêmica em Filosofia, pós-graduanda em Dinâmica dos Grupos – SBDG. Ela tem mais de 20 anos de experiência como consultora e professora nas áreas de tecnologia e finanças, atuando com comportamento humano e é sócio-diretora das empresas Appana Mind – Desenvolvimento Humano e Psicofisiologia Aplicada e Perffato Soluções em Tecnologia.

Sobre Appana Mind
A Appana Mind é uma empresa voltada a aplicação de técnicas pautadas na medicina comportamental que atua nas seguintes áreas: coaching, biofeedback, gerenciamento e controle do estresse e ansiedade, técnicas de reestruturação da linguagem e cursos de formação e capacitação. A Appana tem como foco proporcionar aos seus clientes e alunos, uma melhoria em sua consciência tanto corporal quanto mental, que promoverá a conquista de uma vida plena, equilibrada e feliz, melhorando seus relacionamentos interpessoais, seu desenvolvimento afetivo e emocional e solidificando seu autoconhecimento.


Por: Lorrayne França - Seção: Notícias - Segs Portal Nacional

Publicado em: 06/10/2010

Fonte: http://www.segs.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=21167:neurociencia-atesta-que-o-yoga-ajuda-a-conquistar-o-autocontrole&catid=47:cat-saude&Itemid=328

Conheça os perigos dos lanches feitos fora de hora

Os famosos lanches fora de hora, aqueles petiscos que todo mundo quer quando bate aquela fome, pode trazer danos à saúde.

O tédio e a ansiedade são dois fatores que levam as pessoas a comer descontroladamente. E, na maioria das vezes, as comidas possuem excesso de açúcar e gordura.

De acordo com o nutrólogo João César Soares, a ansiedade faz com que as pessoas comam compulsivamente, sem perceber a quantidade que está sendo ingerida.

Uma das principais tentações para deixar a alimentação consciente de lado, é a mesinha do bar.

A cerveja, os refrigerantes, as comidas gordurosas, segundo especialistas, podem trazer sérias complicações cardiovasculares.

A equipe da Record convidou o nutrólogo para ir ao mercado e fazer uma lista de alimentos saudáveis. Dentre os alimentos estão: sucos, iogurtes, frutas, castanha, além de bolacha integral e queijo light.

Com essas dicas, é possível ter uma vida mais saudável, mas o essencial é uma mudança de hábito alimentar.

Assista ao vídeo e acompanhe a matéria completa:

Por: Portal R7 - Fala Brasil

Publicado em: 06/10/2010

Fonte: http://entretenimento.r7.com/receitas-e-dietas/noticias/livre-se-dos-perigos-dos-lanches-feitos-fora-de-hora-20101006.html

Curitiba recebe o 1.º Congresso de Saúde Integral

Curitiba recebe, entre os dias 13 e 16 de outubro, o 1.º Congresso de Saúde Integral. O evento vai reunir palestras, minicursos, debates, mesas-redondas e exposições de trabalhos científicos em torno de 14 temas relacionados à área da saúde.

Serão abordados: nutrição, atividade física e saúde; automedicação; saúde preventiva do trabalhador; yogaterapia; atividades laborais de saúde; terapias complementares no SUS; fitoterapia; suplementação esportiva; cardiopatias associadas à obesidade; alimentação e câncer; cuidados essenciais aos diabéticos; terapêuticas na atenção à saúde da criança e do adolescente; saúde ambiental e qualidade de vida.

A abertura será no dia 13 de outubro, a partir das 18h30, no Teatro Fernanda Montenegro (Shopping Novo Batel, piso A), enquanto as demais atividades ocorrem nas Faculdades Integradas “Espírita”, responsável pela promoção do evento.

As inscrições e a programação estão disponíveis no www.1csi.com.br. Mais informações pelo telefone (41) 3111-1745.

Por: Paranashop - Seção Bem estar

Publicado em: 05/10/2010

Fonte: http://www.paranashop.com.br/colunas/colunas_n.php?op=saude&id=22110

Alimentação no trabalho deve acompanhar atitudes saudáveis

Hábitos alimentares geralmente se perdem durante a correria do dia a dia

Atualmente, a correria e o estresse da vida atribulada que muitos trabalhadores levam fazem com que seja cada vez mais difícil adotar e manter hábitos alimentares saudáveis. Logo, é comum encontrar pessoas que não têm horários fixos para se alimentar e acabam por substituir as principais refeições por lanches rápidos do tipo fast food, ricos em calorias e gorduras, ou pelo consumo de guloseimas, refrigerantes e petiscos, durante todo o dia.

A glicose, que é formada a partir da digestão dos carboidratos, é utilizada como "alimento" para o cérebro. Quando os trabalhadores permanecem várias horas sem comer ocorre uma redução da taxa de glicose sanguínea (hipoglicemia), que pode causar perda ou diminuição da concentração e da atenção. Além disso, pode ocasionar irritabilidade, sonolência, sensação de fraqueza e tonturas.

É importante ainda ter cuidado com o consumo de café, pois em grande quantidade a cafeína pode tornar-se prejudicial e o açúcar que é adicionado aumenta bastante as calorias ingeridas.

O rendimento profissional está diretamente relacionado com a qualidade de vida. Uma alimentação equilibrada e uma boa noite de sono, associados à prática de exercícios físicos podem ajudar a melhorar a performance no trabalho. Os hábitos alimentares são de extrema importância, já que se a saúde não está bem, o desempenho no trabalho pode ser prejudicado.

Algumas orientações que podem auxiliar na busca por uma alimentação equilibrada na rotina de trabalho:

Fique atento já no café da manhã: Procure incluir alimentos como: pão integral, granola e mel que fornecem energia ao organismo e aumentam a disposição para realizar as atividades diárias. Inclua também frutas, pois são importantes fontes de fibras, vitaminas e minerais.

Leve pequenos lanches saudáveis para seu trabalho: Boas opções são: barras de cereais de sabores variados, biscoitos integrais doces ou salgados, sementes oleaginosas (nozes, castanha de cajú, castanha do Brasil, amêndoas, avelãs, amendoim e pistache) e frutas secas. Se tiver geladeira no seu local de trabalho, outras opções são: iogurtes de soja ou desnatados, frutas in natura, sucos, chás e sanduíches naturais.

Na hora do almoço: Procure evitar as frituras e alimentos gordurosos, prefira as preparações cozidas, assadas, grelhadas ou refogadas. Inicie as suas refeições por uma salada crua, temperada com azeite de oliva extra virgem, limão e uma erva de sua preferência, evitando os molhos à base de maionese que são mais calóricos.

Cuidado com a gordura: Comer grande quantidade de alimentos gordurosos torna o processo digestivo mais lento e pode prejudicar o desempenho no trabalho, especialmente se ficar muitas horas sentado em frente ao computador. Por isso, procure realizar refeições em pequenos volumes a cada três horas.

Pegue leve: Caso deseje perder peso, opte pela versão light dos alimentos, pois são reduzidos em calorias.

Coma com calma: Procure ter tempo para saborear a comida e mastigar bem os alimentos. Comer em frente ao computador enquanto trabalha, dificulta o estímulo à saciedade e faz com que você coma mais sem perceber.

Beba bastante líquido: Seja na forma de água, sucos e chás naturais para manter-se sempre hidratado. Busque uma melhor qualidade de vida, assim trabalhará com mais saúde e energia!


Por: Thais Souza - Nutricionista da Rede Mundo Verde

Publicado em: 05/10/2010

Fonte: http://www.zwelangola.com/ler.php?id=3414

Óleo de alho protege diabéticos contra doenças do coração

O alho tem um potencial "significativo" para a prevenção da cardiomiopatia, uma forma de doença cardíaca que é a principal causa de morte em pessoas com diabetes.

O estudo, publicado no Journal of Agricultural and Food Chemistry, também explica por que as pessoas com diabetes têm um risco mais elevado para a cardiomiopatia.

Wei-Wen Kuo e seus colegas afirmam que as pessoas com diabetes têm pelo menos duas vezes o risco de morrer por doenças do coração do que a população em geral, com as doenças cardíacas respondendo por 80 por cento de todas as mortes relacionadas ao diabetes.

Cardiomiopatia diabética

Os diabéticos são especialmente vulneráveis a uma forma de doença cardíaca chamada cardiomiopatia diabética, que inflama e enfraquece os tecidos do músculo do coração.

O grupo de Kuo usou resultados de estudos anteriores que mostraram que o alho pode proteger contra doenças cardíacas em geral e também ajuda a controlar os níveis anormalmente elevados de açúcar no sangue, que ocorrem no diabetes.

Mas os cientistas perceberam que poucos estudos analisaram especificamente os efeitos do alho na cardiomiopatia diabética.

Benefícios do óleo de alho

Para o estudo, animais de laboratório foram alimentados com óleo de alho ou com óleo de milho.

Os animais que receberam óleo de alho apresentaram mudanças fisiológicas benéficas associadas à proteção contra os danos cardíacos.

Segundo os cientistas, as alterações parecem estar associadas com as propriedades antioxidantes do óleo de alho, afirma os cientistas.

O grupo identificou mais de 20 substâncias presentes no óleo de alho que podem contribuir para o efeito.

"Em conclusão, o óleo de alho possui um potencial significativo para proteger o coração da cardiomiopatia induzida pela diabetes", conclui o artigo científico.



Por: Redação Diário da Saúde

Publicado em: 06/10/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=oleo-de-alho-protege-diabeticos-doencas-coracao&id=5803

Descobertas novas evidências dos efeitos da Homeopatia

Prática científica contestável

Dois novos estudos concluíram que existem falhas sérias em uma revisão das pesquisas anteriores publicada recentemente no jornal científico The Lancet, e que concluía que a homeopatia teria o mesmo efeito que o placebo.

George Lewith, da Universidade de Southampton, na Inglaterra, comenta: "A revisão não dá indicações de quais testes foram analisados e nem das várias suposições vitais feitas sobre os dados. Esta não é uma prática científica normal. Se nós presumimos que a homeopatia funciona para alguns casos, mas não para outros, ou mudamos a definição do que seja um 'teste em larga escala', então as conclusões mudam. Isto indica uma fraqueza fundamental nas conclusões: elas não são confiáveis."

Homeopatia versus placebo

Para entender o debate, é necessário conhecer um pouco do seu histórico.

Em Agosto de 2005, o jornal The Lancet publicou um editorial intitulado O Fim da Homeopatia, estimulado por um estudo de revisão de pesquisas anteriores que comparou testes clínicos de homeopatia com testes clínicos de medicamentos convencionais.

A afirmação de que os medicamentos homeopáticos são exatamente iguais ao placebo foi baseada nos testes clínicos de medicamentos alopáticos e 8 estudos de homeopatia - mas o estudo não revelava quais foram esses estudos. A revisão foi criticada por sua falta de transparência na medida que ela não dava indicações de quais testes foram analisados e nem das várias pressuposições feitas sobre os dados.

Detalhes suficientes para permitir a reconstrução da pesquisa foram eventualmente publicados.

Revisão da revisão

Agora, dois artigos científicos que acabam de ser publicados, aceitaram o desafio de reconstruir aquele estudo e chegaram a conclusões que contestam seus resultados, demonstrando que:

a análise de todos os testes de alta qualidade da homeopatia sustentam conclusões positivas;
os 8 grandes testes de alta qualidade da homeopatia foram todos para diferentes condições; se a homeopatia funciona para alguma dessas condições, mas não para outras, os resultados mudam, demonstrando que ela não é como o placebo;
a comparação com os medicamentos convencionais foi insignificante e sem sentido;
ainda restam dúvidas sobre os critérios não-transparentes e não publicados, utilizados na revisão, incluindo a definição de 'alta qualidade'.
Medicamentos homeopáticos versus convencionais

A revisão publicada no The Lancet, coordenada pelo professor Matthias Egger, da Universidade de Berna, na Suíça, começou com 110 testes clínicos equivalentes de medicamentos homeopáticos e convencionais, reduzidos estes a 'testes de alta qualidade' e então, para 8 e 6, respectivamente, 'testes de muito alta qualidade.'

Baseando-se nesses 14 estudos, a revisão concluiu que há "uma fraca evidência para um efeito específico dos medicamentos homeopáticos, mas fortes evidências para efeitos específicos das intervenções convencionais."

Manipulação dos dados

Há um número muito limitado de estudos homeopáticos, de forma que é perfeitamente possível interpretar esses dados seletivamente e de forma desfavorável, o que parece ter sido feito na pesquisa do The Lancet.

Se nós assumimos que a homeopatia não funciona para apenas uma condição (Arnica para rigidez muscular pós-exercício), ou alteramos a definição de 'grandes testes,' os resultados são positivos.

Julgamentos ocultos

A comparação com medicamentos convencionais foi sem sentido: os 110 testes originais foram compatibilizados, mas a compatibilidade foi perdida depois que eles foram reduzidos para 8 e 6. Mas a qualidade dos testes homeopáticos foi melhor do que os testes com medicamentos convencionais.

Esta reconstrução lança sérias dúvidas sobre a revisão, mostrando que ela foi baseada em uma série de julgamentos ocultos, desfavoráveis à homeopatia. Uma avaliação aberta das atuais evidências sugere que a homeopatia é provavelmente efetiva para um determinado número de condições, como alergias, infecções do trato respiratório superior e gripes, mas mais pesquisas são urgentemente necessárias.

O professor Egger não quis comentar as descobertas dos dois novos estudos.



Por: Peter W. Gold - Diário da Saúde

Publicado em: 24/11/2008

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=descobertas-novas-evidencias-dos-efeitos-da-homeopatia&id=3578

Medicamentos homeopáticos aliviam efeitos colaterais das terapias contra o câncer

Terapias complementares

Os medicamentos e as sessões de radioterapia usados no tratamento do câncer têm efeitos colaterais desagradáveis, incluindo náuseas, vômitos, aftas, dermatites, sintomas da menopausa, quedas de cabelos e uma série de outros.

Cerca de um terço dos pacientes de câncer usa terapias complementares, incluindo medicamentos homeopáticos, para tentar reduzir esses efeitos colaterais.

Para tentar descobrir os reais efeitos desses tratamentos homeopáticos, um grupo de pesquisadores vasculhou a biblioteca médica Cochrane para fazer uma revisão sistemática das pesquisas científicas que estudam diretamente as evidências sobre a segurança e a eficácia dos medicamentos homeopáticos utilizados com o fim específico de minimizar os efeitos colaterais dos tratamentos contra o câncer.

Calêndula e traumeel S

A revisão incluiu 8 estudos envolvendo um total de 664 participantes. Um estudo com 256 participantes descobriu que as irritações de pele causadas pela radioterapia foram menores em pacientes utilizando pomada de calêndula, quando comparados com um grupo que usou o medicamento alopático trolamina.

Em outro estudo que incluiu 32 participantes, aqueles que tomaram Traumeel S, uma combinação de 14 medicamentos homeopáticos, tiveram menos aftas causadas pela quimioterapia do que aqueles que tomaram placebo.

Dois pequenos estudos sobre os efeitos adversos da radioterapia foram positivos mas tinham problemas de metodologia, e dois pequenos estudos sobre os efeitos adversos da quimioterapia não mostraram quaisquer efeitos positivos.

Benefícios da homeopatia

"Nós encontramos dados preliminares que sugerem que há benefícios associados com dois medicamentos homeopáticos em circunstâncias específicas, embora esses resultados precisem ser replicados em estudos posteriores," diz a Dra. Sosie Kassab, coordenadora do estudo.

"Os efeitos da calêndula também podem depender da formulação, já que ela pode ser preparada utilizando-se uma grande variedade de técnicas," diz a médica.

Dois outros estudos testaram medicamentos homeopáticos para alívio de sintomas da menopausa causados por terapias para combate ao câncer de mama. Entretanto, os pesquisadores não encontraram evidências nesses estudos de qualquer benefício em relação ao uso do placebo.

Alternativa sem efeitos colaterais

Nenhum dos medicamentos homeopáticos estudados apresentou efeitos colaterais ou interações com os tratamentos convencionais.

"Até o momento, não há evidências convincentes para apoiar o uso de medicamentos homeopáticos para outros efeitos adversos dos tratamentos do câncer," diz Kassab. "Mas se fez muito pouca pesquisa [nessa área] e é necessário pesquisar mais."



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 29/04/2009

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=medicamentos-homeopaticos-aliviam-efeitos-colaterais-terapias-cancer&id=4051

Homeopatia deve permanecer independente da medicina tradicional

Homeopatia e medicina tradicional

A homeopatia corre o risco de ser incorporada pela medicina tradicional, alertou uma historiadora da ciência, que apresentou suas preocupações em uma palestra durante a reunião anual da Sociedade Britânica para a História da Ciência, no último fim de semana.

Isso não significaria apenas que os heróis da homeopatia se tornariam meras notas de rodapé na história, mas isto também poderia limitar o potencial da homeopatia para contribuir para o tratamento dos problemas médicos mais importantes da atualidade.

Heróis da homeopatia

Lyn Brierley-Jones, da Universidade de Durham, na Inglaterra, e especialista em história da Medicina, alerta para o quase esquecimento dos grandes responsáveis pela criação da homeopatia, incluindo o médico alemão Samuel Hahnemann, que fundou esse novo campo de pesquisas, e o prático inglês James Compton Burnett, que desenvolveu uma cura para a tuberculose em 1880.

Como resultado da contribuição desses personagens, a homeopatia se tornou proeminente, particularmente nos Estados Unidos. Lá, por volta do final do século 19, os homeopatas tinham suas próprias escolas de medicina, sociedades, revistas científicas, bibliotecas, hospitais e farmácias, publicando regularmente estatísticas demonstrando a superioridade das suas práticas sobre a medicina tradicional.

Incorporação da homeopatia pela medicina tradicional

Ironicamente, entretanto, a tradução das principais ideias homeopáticas para a literatura da medicina tradicional teve o efeito de minar a profissão, afirma Brierley-Jones. "No final dos anos 1920, a homeopatia entrou em declínio, um estado da qual só recentemente ela começou a se recuperar."

Segundo a pesquisadora, há benefícios significativos na manutenção da homeopatia como um campo de pesquisas separado da medicina tradicional.

"Ela tem o potencial para criar novos medicamentos e para resolver muitos problemas contemporâneos na medicina, como a individualização dos medicamentos, a redução dos seus efeitos colaterais e o tratamento de doenças crônicas. Qualquer futura integração da homeopatia com a medicina tradicional deve ser feita cuidadosamente para garantir a sobrevivência da homeopatia," conclui a pesquisadora.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 08/07/2009

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=homeopatia-deve-permanecer-independente-medicina-tradicional&id=4285

Composto homeopático previne e combate a dengue

Homeopatia contra a dengue

Um composto homeopático com princípios ativos que combatem febre, dores no corpo, mal-estar e inflamação pode ajudar evitar a dengue e a curar os sintomas da doença provocada pelo Aedes aegypti.

Segundo a farmacêutica homeopata Danyelle Perez, o composto não tem contra-indicação e "o tratamento preventivo deve ser feito durante todo o período de chuvas, quando o risco de epidemia é maior".

A fórmula do composto foi desenvolvida pela médica homeopata Ana Teresa Doria Dreux, do Rio de Janeiro, que divulgou-a na internet no ano passado por causa do surto de dengue na capital carioca.

Remédio manipulado

De acordo com Danyelle Perez, que atua em uma farmácia de manipulação em Brasília, o medicamento não garante que a pessoa nunca irá ter dengue, pois "há casos que, mesmo quando a pessoa utiliza a medicação, a doença é contraída, mas com sintomas mais leves".

A dosagem e a freqüência da medicação devem ser definidas por um médico de acordo com o estágio da doença. O tempo de recuperação também varia de acordo com o avanço do problema e o organismo do paciente.

Fortalecimento do sistema imunológico

O remédio pode ser adquirido em qualquer farmácia que trabalha com homeopatia. Cada embalagem do medicamento, que pode ser produzido na forma líquida, de cápsulas, ou de tabletes, custa em torno de R$ 14,00 e é suficiente, em média, para um mês de uso, no caso de prevenção, e para dez dias, para quem já está com a doença e precisa utilizar uma dosagem maior do composto.

O efeito preventivo e de tratamento se dá porque a substância fortalece o sistema imunológico. Como toda homeopatia, o medicamento é elaborado a partir de recursos naturais e "trata a doença pela lei dos semelhantes, estimulando o organismo a reagir contra a enfermidade", explica a farmacêutica.

Ela adverte, no entanto, que o remédio não é válido para a dengue hemorrágica, que exige internação e tratamento específico.



Por: Redação do Diário da Saúde, com informações da Agência Brasil

Publicado em: 26/11/2008

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=composto-homeopatico-previne-e-combate-a-dengue&id=3590

Gotas homeopáticas

Tratamento de toxoplasmose Médicos garantem que dois pacientes tiveram melhora com uso da homeopatia.

O tratamento homeopático tem se mostrado uma esperança para pacientes que buscam a solução ou o alívio a diversos problemas de saúde. Dois portadores de toxoplasmose, acompanhados por médicos oftalmologistas, apresentaram recuperação da visão, um dos órgãos mais afetados pela doença, depois do uso constante de homeopatia por dois anos.

A melhora foi apontada nos resultados do acompanhamento e dos exames feitos pelos oftalmologistas Amélia Gusikuda Murayama e Antonio Carlos Salgado e pelos homeopatas Carlos Eduardo Malagutti, Maurício Freire e Walter Osvaldo Salgado, que integram o Centro de Estudos Avançados em Homeopatia (Cesaho), em Piracicaba. Por questões médicas, os pacientes não podem ser identificados.

O primeiro caso, uma mulher de 31 anos, moradora em São Paulo, procurou tratamento homeopático para a ansiedade e teve resultado em outras áreas. Passou a enxergar com menos dificuldade, usando os dois olhos, após dois anos de uso desse tipo de medicamento. "Na primeira consulta, ela reclamava de baixa visão no olho esquerdo desde os sete anos de idade, devido à toxoplasmose ocular. Também tinha problemas de estrabismo, depressão, epilepsia, hipertensão arterial. Dois anos depois, além de melhorar a ansiedade, ela também recuperou a visão parcial do olho esquerdo, se livrou de problemas ginecológicos, a pressão arterial estabilizou e não teve mais crises convulsivas", comemora o diretor do Cesaho, Antonio de Oliveira Lobão.

O segundo paciente, de 20 anos, morador em Limeira (SP), estava perdendo totalmente a visão devido à toxoplasmose. Após dois anos de tratamento, o jovem apresentou, segundo os médicos, uma melhora de 80% da visão. "Fui promovido de cargo, vou tirar carta de motorista, minha autoestima está bem melhor", relatou o rapaz.

SINTOMAS. A toxoplasmose é uma doença causada de diversas formas em pessoas por animais, como pelo consumo de carne e derivados de animais que estejam contaminados ou pelo protozoário coccídio intracelular, próprio dos gatos.

Geralmente assintomática, nos quadros agudos pode apresentar febre, linfocitose e dores musculares que persistem durante dias a semanas, de acordo com Lobão. Nas grávidas, ocorre transmissão transplacentária, o feto apresentará lesão cerebral, deformidades físicas e convulsões.

Tratamento preventivo e curativo

Segundo Lobão, a homeopatia trata a pessoa como um todo, pois defende que o adoecimento e o surgimento de sintomas fisiológicos ocorrem por desequilíbrios emocionais. "O tratamento homeopático é como uma vacina preventiva e curativa. O medicamento é único, feito individualmente e estimula seu organismo a combater a doença."

Embora tenham apresentado melhora, o tratamento homeopático dos dois pacientes de toxoplasmose continua mantido. "A homeopatia não tem efeitos colaterais e complementa os tratamentos convencionais, que devem ser sempre acompanhados pelos especialistas em cada área", falou o diretor do Cesaho.

Lobão afirma que a finalidade de divulgar o tratamento é apresentar uma alternativa às pessoas que possuem deficiência visual causada pela toxoplasmose.

Outra finalidade importante é despertar o interesse de estudiosos para o tema, fornecendo subsídios para o desenvolvimento de pesquisas na área.

Lobão é médico veterinário, atua com homeopatia em animais e afirma que o Cesaho é um centro integrado, que conta com três equipes de especialistas nas áreas médica, veterinária e a agronômica.


Por: Daniele Ricci - Gazeta de Piracicaba

Publicado em: 26/09/2010

Fonte: http://www.gazetadepiracicaba.com.br/conteudo/mostra_noticia.asp?noticia=1708182&area=26050&authent=EF22702FE425139E63473BF75452A9

Dor de cabeça pode revelar doença grave na articulação da face

O problema é decorre do estresse e atinge mais as mulheres.

Sabe aquela dor de cabeça e no pescoço insistente? Ela pode ser sintoma de um problema sério que acomete a articulação temporomandibular (ATM) - região da mandíbula e crânio. Conhecida como Disfunção Temporomandibular (DTM), a patologia decorre, muitas vezes, do alto nível de estresse e de hábitos como bruxismo e má-postura.

"A pessoa sofre com dores de cabeça, pescoço, musculares, zumbidos no ouvido, limitação na abertura da boca, desgaste dos dentes e dificuldades na mastigação", explica o coordenador da Residência em Odontologia na área de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial do Hospital Meridional, Carlos Alberto Timóteo.

Segundo ele, o problema pode ser diagnosticado por meio de uma boa coleta de informação, exame físico-clínico e com auxílio de diagnóstico de imagem como radiografia ou ressonância magnética.

O tratamento vai desde uma simples orientação ao paciente, passando pela intervenção terapêutica medicamentosa, acupuntura, hipnose e, em casos mais graves, cirurgia para reconstrução total da articulação.

Entre as novidades para realização da cirurgia da articulação temporomandibular (ATM), o Hospital Meridional disponibiliza equipamento de última geração, como o vídeo-artroscópio específico. O equipamento permite visualização da articulação temporomandibular e auxilia tanto o diagnóstico quanto em intervenções.

Por: Redação Multimídia ES Hoje

Publicado em: 05/10/2010

Fonte: http://www.eshoje.com.br/portal/leitura-noticia,inoticia,6373,dor+de+cabeca+pode+revelar+doenca+grave+na+articulacao+da+face.aspx

Fruta do lobo pode ajudar a controlar a diabete

Nutróloga destaca as propriedades recém descobertas da fruta
Popularmente conhecida como fruta do lobo, a lobeira apresenta diversos benefícios à saúde. Encontrada no cerrado brasileiro, seu arbusto pode chegar a até 5 metros de copa e sua fruta aromática, muito apreciada pelo lobo guará. Segundo a nutróloga Sylvana Braga, a fruta possui propriedades calmantes, diuréticas e atiespasmódicas, auxiliando nas cólicas abdominais, renais e na excitação nervosa.

— Seu principal uso medicinal é no tratamento da diabetes. O polvilho extraído dos frutos verdes auxilia na regeneração das células beta do pâncreas, isto é, nas células responsáveis pela produção de insulina — explica.

Segundo uma pesquisa realizada pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ), a fruta demonstrou sua eficácia na regeneração pancreática de camundongos diabéticos. Constatou-se um aumento significativo das células beta do pâncreas do animal.

— Além disso, ela pode ser útil na redução de triglicérides, colesterol, no excesso de peso e no controle da pressão arterial — ressalta a nutróloga.

A especialista explica que, associada a uma dieta alimentar saudável, a fruta ajuda a reduzir os níveis de glicose.

Por: ClicRBS - Seção: Bem estar - Notícias

Publicado em: 04/10/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/bem-estar/19,0,3063061,Fruta-do-lobo-pode-ajudar-a-controlar-a-diabete.html

Nutrição & Saúde - Benefícios do Alecrim

O uso de plantas aromáticas é tão antigo quanto à história da humanidade, sendo empregadas na medicina, na cosmética e em cerimônias religiosas. Os relatos mais antigos encontram-se no sânscrito dos Ayurvedas (há mais de 2.000 a.C.), onde há descrições de técnicas rudimentares que os hindus utilizavam para a obtenção de produtos destilados, provavelmente alcoóis aromáticos de diferentes espécies de capins e mirra.

O alecrim (Rosmarinus officinalis L.) é um arbusto comum da região do Mediterrâneo que, devido ao seu aroma característico foi designado pelos romanos como "rosmarinus", que em latim significa orvalho do mar. Como toda erva aromática, o alecrim chegou no Brasil na época da colonização e recebeu diversos nomes populares como: rosmarinho, rosmaninho, alecrim comum, alecrim de cheiro, alecrim de jardim e alecrim de horta.

Apesar de seu aspecto rudimentar o seu cultivo requer muito cuidado. Ele prefere solos pedregosos e sol pleno. A sua colheita é uma arte, deve ser iniciada antes ou no início do estágio de floração intensa, no período da manhã, com tempo encoberto, a partir do segundo ou terceiro ano de vida da planta. Recomenda-se fazer a colheita antes do ápice solar, preferencialmente entre 6 e 10 horas da manhã.

Todos esses cuidados são fundamentais para preservar a qualidade do alecrim e principalmente de seus compostos bioativos como o ácido rosmarínico, ácido caféico, limoneno, pineno e a cânfora.

As folhas secas ou frescas do alecrim são utilizadas para a preparação de chás (infusos) e tinturas (extratos alcoólicos). As partes floridas são empregadas na produção de óleo essencial.

O uso popular do alecrim para o tratamento de diversas doenças despertou o interesse da comunidade científica para o estudo das substâncias bioativas.

De acordo com inúmeros estudos, o alecrim é um excelente fitoterápico, sendo indicado para controle da tosse e da gripe, combate das crises de asma e alivio de dores causadas por contusões. Esse arbusto também equilibra a pressão arterial, pode auxiliar no tratamento de dores reumáticas e gota, além de ser diurético e acelerar a digestão, ainda facilita a menstruação, combate a icterícia e tem ação sedativa.

Segundo a medicina popular do nordeste o consumo de doses de 5 a 10 ml, duas vezes ao dia, da tintura de alecrim misturada com água e açúcar em partes iguais é benéfico à saúde devido a sua ação carminativa. Para o tratamento via oral de hemorróidas inflamadas, o consumo das mesmas doses indicadas acima, por dez dias é eficaz. A tintura diluída em água (proporção de um para um) serve para bochechos contra o mau hálito, aftas, estomatites e gengivites.

Externamente, emprega-se a tintura ou óleo essencial de alecrim diluído em álcool a 70% na forma de compressas ou fricções no tratamento de entorses e contusões. Compressas frias com algumas gotas de óleo essencial também são empregadas para o alívio de enxaquecas na forma de compressas sob a testa. Por ter propriedades cicatrizantes, antimicrobianas e estimulantes, o óleo essencial do alecrim é incorporado na formulação de cremes e loções para o tratamento do couro cabeludo. A tintura do alecrim também é utilizada para a produção de loções que combatem a alopécia. Para sarna, usa-se uma infusão bem forte e aplica-se na pele. Como cicatrizante de feridas e tumores: usam-se folhas secas reduzidas a pó ou suco.

AROMATERAPIA. Na aromaterapia o alecrim é utilizado para estimular a memória. A pesquisa de Angioni e colaboradores (2004) comprovaram que o óleo essencial de alecrim aumenta o desempenho cognitivo de indivíduos. O estudo concluiu que o impacto olfatório causado pelo óleo essencial de alecrim realça significativamente a qualidade da memória. De acordo com alguns especialistas ramos de alecrim devem ser dependurados em oficinas e áreas onde crianças fazem tarefas escolares para aumentar o desempenho.

Segundo algumas pesquisas a inalação com óleo essencial de alecrim é indicada para o combate da depressão e a ansiedade por ter ação relaxante.

A pesquisa de Zeng e colaboradores (2001) demonstraram que o carnosol, rosmanol e epirorosmanol presentes no alecrim inibem a oxidação dos lipídeos da membrana celular e do LDL. Esses resultados indicam que o consumo dessa planta pode contribuir para a prevenção de doenças cardiovasculares.

O óleo essencial de alecrim também tem uma ação antiviral potente. Segundo estudos o óleo essencial de alecrim pode contribuir para o controle do vírus do herpes simples que é responsável por uma grande variedade de doenças que pode levar a morte.

O alecrim também pode ser consumido de várias formas não somente como infusões ou óleos. Segue abaixo algumas dicas para incluí-lo diariamente em sua alimentação.

O alecrim fresco, misturado às massas caseiras de pão, dá um gosto saboroso e exótico à massa, além de deixar o pão digestivo e energético. Ele também pode ser adicionado às manteigas e patês.

Você também pode fazer em casa uma conserva de alecrim para saladas: Em vidro esterilizado, coloque um galho de alecrim fresco, manjericão, alguns grãos de coentro e um grão de pimenta da Jamaica. Coloque ¼ de vinagre de maçã, água filtrada e sal. Deixe macerar durante 8 dias. A conserva deve ser usada como tempero junto com azeite.

O vinho de alecrim também é uma opção simples: coloque alguns galhinhos de alecrim fresco em um bom vinho tinto e deixe macerar durante 21 dias bem fechado com parafina na rolha. Guarde em lugar escuro, de preferência deitado. Quando passar esse tempo, coe e acrescente mel puro à gosto.Tome antes do jantar. É usado para a digestão, memória e tônico geral.

Apesar dos diversos benefícios do alecrim, seu consumo não deve ser exagerado, pois o uso excessivo pode causar gastroenterites e nefrites. O consumo de alecrim não é indicado para gestantes e indivíduos que apresentam quadro de eplepsia.

Drª Jocelem Salgado é profª. Titular de Nutrição - LAN/ESALQ/USP; autora dos livros: ‘Faça do Alimento o seu Medicamento’; ‘Pharmacia de Alimentos’; ‘Alimentos Inteligentes’ e ‘Guia dos Funcionais’.


Por: Jocelem Mastrodi Salgado - Gazeta de Piracicaba - On Line

Publicado em: 10/10/2010

Fonte: http://www.gazetadepiracicaba.com.br/conteudo/mostra_noticia.asp?noticia=1710469&area=26050&authent=041052B8CE9EA3755165ACDDEFE242

Ajuda na cura

O registro da vida moderna é trabalho excessivo, sobre carga de funções, estresse, mau humor, tensão muscular e dores pelo corpo ao final do dia. E para se ‘livrar’ desses problemas, cada vez mais pessoas têm recorrido às terapias holísticas. É bom lembrar que essas terapias têm o objetivo de complementar e não substituir os tratamentos tradicionais já existentes.

Dentro desta visão, busca equilibrar todos os aspectos do ser humano por estímulos naturais para promover a auto-harmonização e a ampliação da consciência.

A Reflexologia dos Pés é dos vários tipos de terapias complementares, que vem sendo bastante utilizada. A técnica consiste na aplicação de uma pressão específica nos chamados pontos reflexos do corpo, que estão localizados nos pés e que possuem ligações com os órgãos e por esse motivo, geram resultados, melhoras e prevenções de doenças que estão relacionadas a eles.

“A técnica trabalha com a restauração das energias daquelas pessoas que recebem as massagens”, explica a professora gaúcha Sônia Faillace, que está em Natal para ministrar um curso de Reflexologia para profissionais de saúde e estética de Natal.

Outro método que já está bastante difundido no exterior é o chamado ‘Check-up do Eu’. É uma espécie de acupuntura sem agulhas – procedimento que consiste no estímulo de determinados pontos (meridianos) a fim de equilibrar as energias do corpo e mantê-lo saudável.

A técnica foi descoberta pelo psicólogo e acupunturista americano Roger Callagan. O brasileiro Iswara-Eneas Guerriero aplica do ‘Check-up do Eu’ , que é um pouco mais simples do que a desenvolvida pelo psicólogo.

“Essa técnica busca o equilíbrio do corpo físico, da mente e do espírito. Isso porque muitas vezes nós trabalhamos mais um ponto do que outros e isso causa o desequilíbrio da nossa ‘casa’ e entrar em harmonia conosco”, diz Iswara-Eneas Guerriero.

Vale lembrar que esses métodos não promovem a cura de doenças físicas ou espirituais. Segundo os terapeutas, as técnicas ajudam no bem estar das pessoas e, consequentemente, na qualidade de vida daqueles que se submetem as terapias complementares.

Reflexologia estimula a energia vital

Os profissionais da reflexologia acreditam que está nos pés o equilíbrio do organismo. “Os nossos pés são considerados o microrganismo dentro do macro, que é o nosso corpo. Ou seja, todos os órgãos, glândulas e outras partes do organismo estão refletidos na extremidade do corpo. E através desses reflexos que fica possível “bombear” energia vital, fazendo com que os órgãos recebam informações e restabeleçam a energia”, explica a especialista em reflexologia podal Sônia Faillace.

A Reflexologia Podal, ou popularmente falando, massagem no pé com finalidades terapêuticas, nasceu na medicina chinesa há aproximadamente 5.000 anos, mas tornou-se mais conhecida no Ocidente, a partir desse século.

A técnica consiste na aplicação de uma pressão específica nos chamados pontos reflexos do corpo. Esses pontos possuem ligações com os nossos órgãos e por esse motivo, geram melhoras e prevenções de doenças que estão relacionadas a eles.

“Vários problemas podem ser tratados através da reflexologia. Já tive experiência com pacientes terminais de câncer, que depois de submeter à técnica passou a sentir menos dores, dormir melhor. Teve realmente uma melhora nas condições físicas. Além disso, qualquer pessoa pode ser submetida a reflexologia, pois não possui contra-indicação”, diz a especialista.

Como isso acontece? É que a medicina chinesa acredita estar todo o nosso organismo interligado através dos “chis”, canais de circulação da energia vital do organismo. Logo, uma massagem no ponto certo do pé, ligado ao canal que reflete a pressão no rim, por exemplo, faz com que o resultado seja o mesmo do que o de uma intervenção no órgão.

A massagem provoca algumas reações no organismo, e essas reações se manifestam nas doenças. A pressão exercida no ponto correto do pé relaxa o corpo, descontrai músculos, vasos sanguíneos, melhora a circulação e facilita o transporte do oxigênio no sangue, além de estimular a produção de endorfina e serotonina, que são uma espécie de analgésico que o próprio corpo produz contra sensações de dor.

Para difundir ainda mais a técnica ela estará ministrando um curso para capacitar profissionais da saúde e estética para aplicação da terapia por pressão nos reflexos dos pés. Serão aulas teóricas e práticas, que trabalharão desde a origem, evolução e técnicas modernas da Reflexologia. São aulas teóricas e práticas. Informações: 3641 1241/9981 4880.

Check-up do EU reúne várias outras técnicas

A terapia Check-up do EU reúne práticas de yoga, meditação, coaching espiritual e Técnicas de Libertação Emocional. Foi criada para pessoas que querem aprender melhor como reativar a vida, crescendo material e espiritualmente e vencendo obstáculos como indecisões, traumas, fobias, estresse e outros problemas.

O procedimento faz parte da medicina tradicional chinesa e consiste no estímulo de determinados pontos (ver infográfico) com o objetivo de equilibrar as energias do corpo e mantê-lo saudável.

“Estimulando certos pontos energéticos a pessoa se conecta com seu problema. Isso permite que a pessoa libere as emoções negativas ou a dor que esta sentindo. Em outras palavras este toque produz uma harmonização da energia corporal”, explica o criador do Check up do EU, Íswara Eneas Guerriero.

Segundo ele, a acupuntura sem dor pode ser utilizada em pessoas com problemas de obesidade, vícios, alergias, depressões, abuso emocional e físico, dores, entre outros problemas. Além de melhorar a concentração, segurança em si mesmo, auto-estima e relaxamento.

O grande diferencial é que os bloqueios emocionais são trazidos a tona durante a aplicação através das lembranças e memórias que são estimuladas pela conversa, para que sejam eliminados e desbloqueados de forma permanente, através das batidas nos terminais dos canais energéticos. O método combina sempre falar e pensar em questões emocionais, ao mesmo tempo em que se desbloqueia os meridianos.

Os resultados da aplicação desta técnica é a resolução de problemas emocionais, normalmente de forma rápida. Alguns exigem persistência e habilidade para que se atinja o objetivo desejado. Ainda assim, costuma se obter resultados bem mais rápidos quando comparamos a outras técnicas.

“Trabalhando as nossas emoções, podemos encontrar os benefícios para o nosso lado emocional e também o físico. A melhora dos problemas é apenas uma consequência do nosso equilíbrio”, diz Guerriero.

A artista plástica Jya experimentou a técnica e tem sentido bons resultados. “Quando comecei estava bastante tensa. No final do atendimento percebi um alívio e bons sentimentos”, conta.

Atualmente Íswara Guerriero mora na Alemanha. Ele explica que acupuntura sem dor pode ser auto aplicada, basta conhecer os pontos que devem ser estimulado. Mas quem quiser conhecer mais sobre o método pode entrar em contato com ele através do e-mail: eneasguerriero@ gmail. com.



Por: TN - Tribuna do Norte - Seção: Família - Carlos França

Publicado em: 07/11/2010

Fonte: http://tribunadonorte.com.br/noticia/ajuda-na-cura/164466

Conheça os tipos de criança de acordo com sua natureza!

No Ayurveda, na Astrologia ou na Medicina Chinesa, os elementos da natureza são o ponto de partida para entender a constituição mental, emocional, física e comportamental de adultos e crianças. A medicina Ayurveda indiana ajuda a conhecer cada tipo de criança, baseada na predominância de elementos fogo, ar, terra ou ar que cada uma possui. Essa filosofia pode ajudar você a descobrir as características mais marcantes de seu pequeno, além de conhecer as tendências para sua vida.

Conheça os quatro tipos de crianças, de acordo com a filosofia Ayurveda, e veja qual deles combina melhor com seu filho:

FOGO/PITHA - Se a sua criança é cheia de energia, animada, sorridente e não para quieta, você está diante de um tipo que possui predominância de fogo, também conhecido como Pitta. Como no Ayurveda o elemento fogo não pode existir sozinho, sempre trabalhamos com um par de informações da natureza, formando o que chamamos de Dosha.

Uma criança Pitta é originária da combinação entre fogo e água. Esse pequeno terá emoções quentes e úmidas, ou seja, pode gostar de fazer drama ao ser repreendido por suas peraltices e até apresentar algumas doses de exagero na sua forma de se expressar.

A criança Pitta precisa comer bem e nos horários certos, senão fica irritadiça, nervosa e até agressiva. O ideal é que ela consuma muito suco, água e sorvete. A prática de esportes ou atividades ao ar livre também é recomendada. Afinal, se você tem uma ferinha de fogo em casa, precisa dar um jeito de estar sempre junto à natureza com ele!

Esse tipo de criança ainda pode ter tendência a inflamações, febre e dor de cabeça. Desde novinho já apresenta uma estrutura corporal muscular bem formada, mesmo sem fazer muitos exercícios.

TERRA - Crianças desse tipo são atentas, centradas e organizadas desde cedo. É comum ouvir os responsáveis por esse pequeno dizerem que os papéis se invertem na educação, já que a criança parece ser o adulto da casa. Esse tipo de criança costuma ter a mochila e a roupa da escola arrumadas, é apegado com seus brinquedos e já demonstra uma tendência em saber poupar o dinheiro da mesada.

As crianças que possuem predominância de terra podem sofrer de congestionamento nasal, sinusite e prisão de ventre. Além disso, esses pequenos costumam continuar com formas arredondadas, como as bochechas de bebê, mesmo depois de crescidos.Pequenos que possuem muito ar ou éther em sua constituição pessoal são curiosos, sabem conversar, falam muito e aprendem com rapidez. Por esse motivo, alguns podem não gostar de estudar para as provas e mesmo assim tirarem notas boas.

AR/VATA - A criança que tem ar e éther também pode ser conhecida como Vata, de acordo com o Ayurveda. Essa combinação propicia talentos intelectuais, intuitivos e que dão capacidade de percepção acima da média, inteligência afiada e sensibilidade artística.

Seu pequeno é leve, versátil, dinâmico e tem o dom de transcender as coisas banais do cotidiano. Caso sua criança tenha talento para dar asas à imaginação, não faça críticas ao seu jeito distraído. Ao invés disso, incentive-a a tocar instrumentos musicais, como flauta ou violão. Quem vive no mundo da lua, em geral também vive no mundo da sensibilidade.

Crianças Vatas são bem magras e por mais que possuam uma alimentação reforçada, a tendência é manter o corpo sempre fininho e esguio. Por esse motivo, não deixe que seu pequeno substitua as refeições por lanches rápidos. É importante que ele coma sempre na hora certa e nunca saia da mesa com fome, afinal ar e éther precisam de energias para se manter firme ao longo do dia.

Como é disperso, deve ser incentivado a ir até o fim nas atividades que começa. É interesse estimular essa criança a descobrir desde cedo seu talento artístico. Ao tomar conhecimento de seu dom, ela poderá se dedicar profundamente e com mais persistência a alguma atividade na vida.

KAPHA - Se a sua criança é amorosa, doce, apegada a você e muito organizada, ela é do tipo Kapha, segundo a filosofia Ayurveda. Esse pequeno precisa de variações na rotina e que você seja firme em cultivar hábitos econômicos com ele e afirme sempre seu amor e carinho, independente da distância.

Além disso, essa criança deve ser levada a atividades culturais e estimulada a ler. Apesar de demorar um pouco mais para aprender, quando é devidamente incentivada, ela vai fundo no que faz. É fundamental que os responsáveis pela educação desses pequenos evitem comidas artificiais em seu cardápio, como balas, refrigerantes, cachorro-quente, pirulitos e chicletes.



Por: Correio do Estado - On line - Seção:Notícias

Publicado em: 12/10/2010

Fonte: http://www.correiodoestado.com.br/noticias/conheca-os-tipos-de-crianca-de-acordo-com-sua-natureza_79268/

Ame a si mesmo para ficar saudável

Benefícios da auto-estima

Ter uma auto-estima elevada não gera só uma sensação de bem-estar - esse estado emocional também gera benefícios físicos.

Parece que pensar bem sobre nós mesmos pode oferecer uma proteção efetiva sobre o coração e o sistema imunológico.

Uma alta auto-estima nos faz sentir mais seguros quando nos confrontamos com ameaças. Ainda que, na sociedade moderna, essas ameaças tendam a ser relacionados mais ao status social do que a perigos físicos.

A conclusão é da equipe do psicólogo Andy Martens, da Universidade de Canterbury, na Nova Zelândia.

Da mente para o corpo
Os pesquisadores queriam saber se os efeitos benéficos da auto-estima vão além do nível emocional, e se seriam capazes de interferir com nossas respostas fisiológicas.

Para descobrir, eles realizaram uma série de experimentos envolvendo um total de 184 participantes.

Em um estudo, os participantes receberam feedbacks falsos sobre sua inteligência ou sua personalidade, feedbacks esses que foi estruturados para aumentar ou diminuir sua auto-estima.

Em outro estudo, foi-lhes pedido para dar notas aos seus níveis naturais de auto-estima. Isso foi repetido todos os dias durante duas semanas.

Para monitorar as respostas fisiológicas, os cientistas analisaram a atividade do tônus vagal cardíaco dos participantes - uma medida de quão fortemente o sistema nervoso parassimpático influencia o coração.

O sistema nervoso parassimpático age para acalmar o coração, enquanto o sistema nervoso simpático prepara o corpo para a ação - seja a ação de lutar ou de correr.

Como o parassimpático ameniza o estresse e diminui as inflamações, quando ele fica deficiente o corpo pode sofrer com problemas cardiovasculares ou com doenças autoimunes.

Auto-estima e saúde
Os resultados mostraram uma correlação entre uma auto-estima elevada e um tônus vagal mais elevado.

O efeito foi relativamente pequeno, mas Martens e seus colegas afirmam que este é o primeiro estudo a mostrar como uma mudança na auto-estima pode levar a uma mudança imediata na fisiologia - um passo importante no sentido de "preencher a lacuna" entre a auto-estima e a saúde.

Como aumentar sua auto-estima? Martens sugere cercar-se de amigos e familiares que o apoiem. Segundo o psicólogo, o suporte de pessoas que deem feedbacks positivos convincentes tem um efeito muito maior do que simplesmente ficar tentando pensar positivamente.



Por: Da New Scientist - Diário da Saúde

Publicado em: 14/10/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=ame-si-mesmo-ficar-saudavel&id=5845

Religião dá autocontrole necessário ao atingimento de objetivos

Autocontrole e sucesso na vida
O autocontrole é um elemento crítico para que uma pessoa seja bem-sucedida na vida. E uma nova pesquisa demonstrou que as pessoas religiosas têm mais autocontrole do que as pessoas que não professam nenhuma religião.

Foi o que descobriu a equipe do professor Michael McCullough, da Universidade de Miami (Estados Unidos).

Segundo os pesquisadores, a descoberta implica que as pessoas religiosas podem ter maior sucesso em atingir seus objetivos de longo prazo, tanto aqueles que são importantes para elas pessoalmente quanto aqueles que são importantes para seu grupo religioso.

Benefícios de ser religioso
A descoberta também pode ajudar a explicar porque as pessoas religiosas têm menores índices de abuso de substâncias químicas, melhor aproveitamento escolar, menores níveis de delinqüência, comportamentos mais saudáveis, menos depressão e maior longevidade.

Pesquisas científicas sobre a religião
No estudo, McCullough e seus colegas analisaram 8 décadas de pesquisas científicas sobre a religião, conduzidas em diversas amostras de pessoas ao redor do mundo. As pesquisas revisadas foram feitas em uma grande variedade de domínios do conhecimento no campo das ciências sociais e médicas, incluindo as neurociências, economia, psicologia e sociologia.

Eles descobriram evidências convincentes de que os comportamentos religiosos são capazes de encorajar as pessoas a exercitar o autocontrole e regular de forma mais eficaz suas emoções e seus comportamentos, o que abre caminho para que elas persigam objetivos mais valorosos para si mesmas.

Os resultados do estudo foram publicados no exemplar de Janeiro de 2009 da revista científica Psychological Bulletin.

Objetivos sagrados
Segundo os pesquisadores, os rituais religiosos, como a prece e a meditação, afetam as partes do cérebro humano que são essenciais ao autocontrole e ao domínio de si próprio. Quando as pessoas vêem seus objetivos como "sagrados" eles dedicam mais esforço e energia para atingir esses objetivos, o que torna mais provável que elas os atinjam.

Os estilos de vida religiosos também contribuem para o autocontrole fornecendo padrões claros de comportamento às pessoas, fazendo com que cada uma monitore seu próprio comportamento ao sentir que Deus as está monitorando.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 08/01/2009

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=religiao-autocontrole-atingimento-de-objetivos&id=3693

Medicina chinesa e reiki na cura da depressão

O Dia Europeu da Depressão foi assinalado no início do mês de Outubro. São várias as abordagens de uma doença que, segundo vários estudos, afecta cada vez mais pessoas.

Denis Alves é técnico de medicina chinesa e especializado em tratamentos de "distúrbios do foro psicológico". No seu trabalho com medicina chinesa encontra "seis em cada dez pacientes" em estados depressivos.

O terapeuta dá a conhecer os resultados obtidos da "combinação da medicina chinesa e reiki no tratamento da depressão sem ser necessário recorrer à medicação".

"Neste tratamento da depressão, que combina a medicina chinesa e o reiki, é apenas necessária uma sessão por semana", revela. Na primeira sessão o paciente "passa por um diagnóstico feito à luz da medicina chinesa e recebe tratamento de acupunctura, reiki e auriculoterapia".

Segundo o especialista "o nome dessa sessão terapêutica é Satori, termo do budismo japonês para iluminação". Uma sessão que engloba a medicina chinesa (acupunctura) e a medicina japonesa (reiki).

"O maior benefício obtido por associar o reiki à medicina chinesa é conseguir actuar com sucesso sobre o plano espiritual que está profundamente abalado, principalmente nos casos em que existe desejo de suicídio", explica Denis Alves referindo que "é um sinal de que a parte espiritual foi atingida e só com a acupunctura e auriculoterapia não se conseguem resultados".

"Genericamente, a depressão é causada pelo desequilíbrio de certas hormonas e neurotransmissores tais como a serotonina, a noradrenalina e a dopamina. A acupunctura estimula a produção de endorfinas, que são neurotransmissores responsáveis pela melhoria da memória e do humor, aumentam a resistência do organismo, aumentam a disposição física e mental e melhoram o sistema imunitário", indica o terapeuta.

"Através da acupunctura e da aurículoterapia, e sem recorrer a medicamentos, é possível recuperar a força de vontade, eliminar o medo, recuperar a energia, tratar a insónia, eliminar o pensamento negativo e a irritabilidade", frisa.

"Os pacientes melhoram sessão a sessão e a partir da primeira sentem melhorias significativas", refere. O objectivo é fazer com que se sintam, dia após dia, "mais tranquilos e comecem a encarar a vida a partir de um ponto de vista mais positivo. Passam a gostar mais de si próprios e recuperam a auto-estima".



Por: Susana Ribeiro - Jornal de Notícias - Portugal

Publicado em: 17/10/2010

Fonte: http://jn.sapo.pt/VivaMais/Interior.aspx?content_id=1687726

Tratamentos Individuais de Reiki - Lisboa

Uma dorzinha de cabeça, um mal-estar de barriga, um apertar no peito, uma mente confusa… Porque não?

O Reiki é entendido como uma Terapia Energética reconhecida pela Organização Mundial de Saúde.

Está provado que são as nossas desarmonias vibratórias (tudo é energia em vibração) que provocam as doenças físicas e psíquicas. Estando com uma boa condição vibratória estaremos certamente mais saudáveis em todos os sentidos.
A energia despertada será absorvida onde for mais necessária naquele exacto momento, por exemplo: pelo corpo, pelas emoções, pelo sentimento, pelo intelecto, pela criatividade, pela intuição.

Muito eficaz em pessoas com ansiedade ou depressão.

Por: Joana Vicente - Lisboa: Portugal - Seção: Saúde/Medicina

Publicado em: 24/09/2010

Fonte: http://classificados.destak.pt/anuncios/emprego/detalhe.php?cls_id=6617

Descubra se sua dor na coluna é passageira ou se é hora de buscar ajuda

Lombalgias agudas são muito comuns e possuem como causas movimentos realizados de forma errada.

Dor nas costas. Com a vida moderna nas grandes cidades, tempo gasto no trânsito e o dia todo dentro de um escritório, quem nunca reclamou? Difícil, pois de acordo com o neurocirurgião e especialista em cirurgia de coluna vertebral do Hospital 9 de Julho, Alexandre José Reis Elias, 90% da população terá pelo menos um episódio ou crise de dor na coluna ou lombalgia no decorrer da vida. E os motivos para isso estão cada vez mais frequentes.

Podemos dizer que o número de pessoas que sofrem de dor nas costas tem aumentado principalmente em função do sedentarismo, do sobrepeso e do estresse afirma o médico.

Mas, como definir quando a dor nas costas é passageira ou pode indicar um problema mais grave? Alexandre explica que o problema mais comum é a lombalgia aguda, com duração da dor menor que 12 semanas. Trata-se de uma dor que aparece na coluna lombar (entre a última costela e as nádegas), que piora muito ao fazer qualquer movimento com o corpo. Por isso, o paciente "anda com o corpo duro".

A causa mais comum da lombalgia aguda é algum movimento errado que o paciente fez como carregar peso em excesso ou de forma errada; abaixar o tronco para pegar algum objeto, com as pernas esticadas; fazer rotação do corpo mantendo os pés parados no chão ao invés de rodar todo o corpo; ou, ainda, pegar algum objeto em uma estante alta inclinando o corpo para trás.

Quando a dor nas costas dura mais que 12 semanas é caracterizada como lombalgia crônica e, por ter causa multifatorial, é bem mais difícil de ser tratada, requerendo a procura de um centro especializado em dor, com equipe multidisciplinar formada por neurocirurgião, reumatologista, fisiatra, ortopedista etc.

Independentemente da duração da dor, o indicado é, ao surgimento dos sintomas, que a pessoa procure um especialista para avaliar a gravidade do problema e iniciar o tratamento.

Apesar de rara, a causa da dor pode ser a presença de fraturas, tumores ou até mesmo uma infecção da coluna. Somente com uma avaliação médica podemos saber se é alguma doença mais grave ou não,completa.

Lombalgia aguda
Os casos de lombalgia aguda são, normalmente, quadros benignos e autolimitantes, ou seja, o paciente melhora da dor utilizando medicações ou não. É muito importante deixar claro para o paciente que a dor não vai desaparecer em alguns dias mas em algumas semanas. O tratamento pode ser avaliado pelo próprio paciente: se a cada semana ele estiver melhor que na semana anterior, é porque o tratamento está indo bem.

Os pacientes não orientados desta forma ficam preocupados, pois a dor não desaparece em poucos dias e eles ficam perambulando pelos pronto-socorros e consultórios, afirma o especialista.

No entanto, para aliviar o sofrimento do paciente, o médico pode indicar medicações analgésicas, anti-inflamatórias e relaxantes musculares que, associadas à "fisioterapia" e à "acupuntura", proporcionam alívio importante da dor. Outro fator importante é encorajar o paciente a não ficar em repouso e reassumir suas atividades assim que a dor apresentar uma melhora inicial. Mesmo em casos de dor lombar de forte intensidade, o paciente deve evitar o repouso prolongado.

— Após o tratamento da crise, inicia-se o tratamento de prevenção de novas ocorrências com RPG - Reeducação Postural Global, controle do peso, combate ao sedentarismo etc. — explica o médico.

Lombalgia crônica
No caso das lombalgias crônicas, o diagnóstico preciso é de fundamental importância para o tratamento correto. Isto nem sempre é fácil e, muitas vezes, o especialista em coluna necessita do auxílio de outros profissionais para o diagnóstico. Daí, a importância do tratamento multiprofissional.

Por exemplo, pacientes com dor lombar mecânica, que piora com movimentação e melhora com o repouso, são a maioria e devem ser avaliados para os possíveis diagnósticos envolvendo este tipo de dor. Por outro lado, pacientes com dor lombar de padrão inflamatório, que piora ao repouso e melhora com a movimentação, devem ser sempre avaliados pelo reumatologista.

Para a lombalgia crônica, também são indicados tratamentos com outros profissionais, quando necessário. Pessoas com depressão devem ter acompanhamento psiquiátrico e psicoterápico; obesos devem fazer avaliação com endocrinologista e nutricionista.

Cirurgias
As cirurgias de coluna evoluíram muito nos últimos anos e há diferentes tipos para diferentes patologias. É possível fazer desde uma lesão de uma raiz nervosa dolorosa com agulha através da pele, até reconstruir a coluna utilizando parafusos e barras, de forma que o paciente pode sair da cama no dia seguinte como, por exemplo, nos casos de tumores na coluna. Quanto à recuperação, a maioria dos pacientes é estimulada a deambular no primeiro ou segundo dia após a cirurgia, diferentemente do que ocorria no passado, quando se preconizavam longos períodos de repouso na cama.

Uma pequena parcela dos pacientes são tratados com cirúrgica. Os candidatos ao tratamento cirúrgico são aqueles que fizeram o tratamento clínico e não obtiveram melhora da sua dor; aqueles em que foram diagnosticadas outras patologias, por exemplo, tumores na coluna; e os que desenvolveram alteração do exame neurológico, como fraqueza nos braços, fraqueza nas pernas ou dificuldade para urinar ou evacuar.

É sempre bom lembrar que, assim como todos os tratamentos da medicina, estes também envolvem riscos, que devem ser avaliados pelo cirurgião e pelo paciente, ressalta o neurocirurgião.

Dicas para evitar a sobrecarga na coluna e a dor

Melhor posição para dormir
Não durma de bruços, mas de lado e com um travesseiro entre os joelhos; ou de barriga para cima, com um travesseiro atrás do joelho.

Tipo de colchão
A peça não deve ser muito mole, nem muito duro. Os semiortopédicos são uma boa opção, porém não existe regra e a escolha é individual.

Melhor forma de levantar da cama
Vire o corpo para o lado e comece a levantar-se de lado. Não levantar-se para frente.

Transporte de objetos pesados que estão no chão
Agache-se dobrando os joelhos, próximo ao objeto, e pegá-lo sem inclinar a coluna. Não carregar peso excessivo.

No trabalho em escritórios
Utilize cadeiras que não reclinem para trás, com apoio para os braços. Sente-se usando todo o encosto. Os pés deve tocar totalmente o chão. A tela do computador deve ficar na altura dos olhos para a coluna cervical ficar confortável.

Carregando mochilas
Utilize mochilas nas costas usando alças dos dois lados e cuidado com excesso de peso, principalmente para as crianças.

Usando salto alto
O salto pode acarretar dor na coluna lombar. Deve-se ter bom senso de usar eventualmente e, caso provoque dor, evitar o uso.

Ao dirigir
Fique sempre com as costas apoiadas no banco e os braços parcialmente fletidos, ou seja, não esticados totalmente.

Gestantes
Mantenha atividades físicas supervisionadas e permaneça dentro do peso recomendado. Lembre que as dores lombares em gestantes são comuns e, na maioria das vezes, não representam nenhum problema sério de coluna. Deve-se procurar um especialista em coluna para fazer o diagnóstico correto, tratamento e prevenção de novas crises.

Massagem e outros tratamentos alternativos
Terapias locais como a massagem, por exemplo, podem trazer alívio para o paciente. Muitas vezes não cessam a dor propriamente dita, mas causam bem-estar e só isso já justificaria o seu uso, sempre com a indicação de um médico especialista.

RPG e Pilates
Para os pacientes com forte dor aguda é indicada a fisioterapia analgésica junto com RPG. Para os pacientes que melhoraram, a indicação é RPG ou Pilates para tentar prevenir novas crises de dor.


Por: ClicRBS - Seção: Bem-estar

Publicado em: 18/10/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/bem-estar/19,0,3076109,Descubra-se-sua-dor-na-coluna-e-passageira-ou-se-e-hora-de-buscar-ajuda.html

Melancia é eficaz contra a pressão alta

Não importa em quantas fatias você a divida, a melancia ainda manterá uma série de benefícios - o agradável saber adocicado, baixas calorias, alto nível de fibras e muitos nutrientes.

E agora há mais um item nessa lista: um novo estudo concluiu que a melancia pode ser uma arma natural eficaz contra a pré-hipertensão, um precursor das doenças cardiovasculares.

A pesquisa, a primeira desse tipo realizada em humanos, foi feita por Arturo Figueroa e Bahram H. Arjmandi, cientistas da Universidade do Estado da Flórida, nos Estados Unidos, e publicada na revista científica American Journal of Hypertension.

Efeito vasodilatador da melancia

Os pesquisadores descobriram que a ingestão diária de seis gramas do aminoácido L-citrulina/L-arginina, retirados do extrato da melancia, durante seis semanas, resultou em uma melhoria da função arterial.

"Essa descoberta sugere que este 'alimento funcional' tem um efeito vasodilatador, que pode impedir que a pré-hipertensão progrida para a hipertensão total, um importante fator de risco para ataques cardíacos e derrames," afirma Figueroa.

O efeito imediato foi uma redução da pressão arterial aórtica em todos os nove participantes pré-hipertensivos - quatro homens e cinco mulheres na pós-menopausa, com idades entre 51 e 57 anos.

"Dadas as evidências encorajadoras geradas por este estudo preliminar, vamos continuar a pesquisa e incluir um grupo muito maior de participantes na próxima rodada," acrescentou o pesquisador.

Por que a melancia?

"A melancia é a mais rica fonte natural comestível de L-citrulina, a qual está intimamente relacionada com a L-arginina, um aminoácido necessário para a formação do óxido nítrico essencial para a regulação do tônus vascular e para a manutenção de uma pressão arterial saudável", explica Figueroa.

Uma vez no corpo, a L-citrulina é convertida em L-arginina. Simplesmente consumir a L-arginina como suplemento dietético não é uma opção para muitos adultos hipertensos porque ela pode causar náuseas, desconforto gastrointestinal e diarreia.

Por outro lado, a melancia é bem tolerada por praticamente todos os pacientes. Os participantes no estudo-piloto não relataram nenhum efeito adverso.

E, além dos benefícios vasculares da citrulina, a melancia é uma fonte abundante de vitamina A, B6, C, potássio, fibras e licopeno, um antioxidante poderoso.

De acordo com Arjmandi, a melancia pode até mesmo ajudar a reduzir os níveis de glicose no sangue.

Alimentos funcionais

Segundo o Dr. Arjmandi, os alimentos funcionais, como a melancia, podem ajudar a combater condições de saúde que atingiram níveis epidêmicos, como os elevados níveis de colesterol.

"Por alimentos funcionais queremos dizer aqueles alimentos que já foi demonstrado cientificamente que são capazes de promover a saúde ou de prevenir doenças, acima e além dos outros nutrientes intrinsecamente saudáveis que eles também contêm," explica ele.

Figueroa acrescenta que a suplementação de L-citrulina oral pode permitir a redução na dosagem de anti-hipertensivos necessários para controlar a pressão arterial.

"Melhor ainda, pode impedir a progressão da pré-hipertensão para a hipertensão," conclui ele.


Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 18/10/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=melancia-contra-hipertensao&id=5869

Amor tem efeito analgésico similar a medicamento

Amor cura a dor

A pergunta era bem direta: Será que o amor pode servir como remédio contra a dor?

Em busca da resposta, cientistas das universidades de Stanford e do estado de Nova Iorque, ambas nos Estados Unidos, recrutaram 15 casais de estudantes apaixonados, que estavam namorando há 9 meses ou menos.

Os namorados tinham que colocar as mãos sobre um pequeno bloco aquecido eletricamente. O aquecimento podia gerar dores que variavam entre nenhuma, moderada e dor severa.

A cada vez, os participantes recebiam uma dentre três tarefas: olhar para uma foto de seu parceiro, olhar para uma foto de um conhecido igualmente atraente, ou realizar uma tarefa de distração, como pensar sobre esportes.

Sistema de recompensa

Ver o rosto do amante ou fazer a tarefa de distração diminuiu a intensidade da dor praticamente no mesmo nível - 12% e 13% para a dor intensa, 36% e 45% para a dor moderada, respectivamente.

Mas houve uma diferença crucial, que chamou a atenção dos cientistas: embora o objetivo fosse o mesmo - tentar reduzir a intensidade da dor - as duas tarefas ativaram partes diferentes do cérebro.

Durante os testes, os participantes eram submetidos a um exame de ressonância magnética funcional, ou fMRI.

Ao contrário da distração, olhar para a foto do amante ativou as seções de recompensa do cérebro, tais como a amígdala e o nucleus accumbens (destacado em vermelho na imagem).

Analgésico emocional

O resultado é importante porque a ativação farmacológica desses mesmos sistemas de recompensa do cérebro pode reduzir substancialmente a dor.

Ou seja, é possível que amor - ou outra emoção que ative os centros de recompensa - funcione como um analgésico.

"A maior analgesia, ao visualizar imagens do parceiro romântico, foi associada com um aumento da atividade em diversas regiões de processamento de recompensas, incluindo o núcleo accumbens, o córtex órbito-frontal lateral, a amígdala e o córtex pré-frontal dorso-lateral - regiões não associadas à analgesia induzida por distração," afirmam os pesquisadores em seu artigo, publicado no último exemplar da revista PLoS One.

"Os resultados sugerem que a ativação dos sistemas de recompensa neurais através de meios não-farmacológicos pode reduzir a experiência da dor," concluem eles.


Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 19/10/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=amor-combate-a-dor&id=5870

Acupuntura é promissora para mulheres com distúrbios hormonais

Síndrome do ovário policístico

Ficar grávida pela primeira vez foi difícil, mas quando Rebecca Killmeyer, de Charlottesville (Estado de Vancouver, Estados Unidos), sofreu um aborto durante sua segunda gravidez, ela não tinha mais certeza de que teria ter outra criança.

Quando ela decidiu participar de uma pesquisa que analisa o impacto da acupuntura em mulheres com síndrome do ovário policístico (PCOS), na Universidade da Virgínia, ela se viu às voltas com um verdadeiro milagre.

"Para nossa imensa surpresa, nós fomos abençoados com uma terceira gravidez durante a pesquisa da PCOS," disse Killmeyers. "Eu estou absolutamente certa de que os tratamentos com acupuntura me ajudaram a ovular regularmente, o que permitiu que eu ficasse grávida."

Acupuntura para aumentar fertilidade

Lisa Pastore, professora de ginecologia e obstetrícia e principal pesquisadora desse estudo, estava esperando por resultados como este. Seu objetivo tem sido ajudar mulheres com síndrome do ovário policístico a terem ciclos menstruais regulares.

A PCOS causa um desbalanceamento hormonal, interferindo com a ovulação e, em última instância, com a fertilidade. Com várias mulheres no estudo relatando terem engravidado, a Dra. Lisa acredita que a acupuntura possa ser uma terapia alternativa importante, sem medicamentos, para as mulheres que sofrem dessa disfunção.

"Ao longo do último ano nós temos visto mulheres que nunca tiveram um ciclo menstrual regular começarem a ter períodos regulares. Nós podemos também comemorar várias gravidezes desde que o estudo começou," diz ela. "Agora nós queremos recrutar mais mulheres para o estudo a fim de completar a pesquisa. É importante para o estudo ter participantes suficientes para garantir que os resultados são cientificamente críveis, e não devidos ao mero acaso."

Acupuntura pode ser eficiente na regulação dos hormônios

Cinco por cento das mulheres em idade reprodutiva são afetadas pela síndrome do ovário policístico. Os sintomas da PCOS podem incluir pequenos cistos nos ovários, sangramentos vaginais irregulares e não muito freqüentes, crescimento de pêlos tipicamente masculinos e acne. Também podem se desenvolver a resistência à insulina e o pré-diabetes.

Embora haja muitos medicamentos tradicionais e terapias para o tratamento dessa síndrome, esta pesquisa está avaliando se a acupuntura pode ser eficiente na regulação hormonal e na cura dos sintomas da síndrome do ovário policístico.



Por: Abena Foreman-Trice - Diário da Saúde

Publicado em: 02/10/2008

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=acupuntura-e-promissora-para-mulheres-com-disturbios-hormonais&id=3466

Consumo de soja previne a volta do câncer de mama

Mulheres na pós-menopausa são as mais beneficiadas.

Uma dieta rica em compostos de soja, chamado isoflavonas, pode reduzir o risco de recorrência do câncer de mama entre mulheres que já sofreram da doença, segundo uma pesquisa da Universidade de Medicina de Harbin, na China.

Pesquisadores descobriram que sobreviventes de câncer de mama na pós-menopausa que consumiam até 42,3 miligramas por dia de isoflavonas da soja, tinham uma considerável diminuição no risco de voltar a ter a doença, se comparadas com aquelas que consumiam menos, em torno de 15,2 miligramas por dia.

O novo estudo começou em 2002 com 524 pacientes, com idades de 29 a 72 anos, que tinham sido diagnosticadas com câncer de mama em estágio inicial ou avançado e que receberam terapia hormonal depois da cirurgia.

Os pesquisadores mostraram que compostos da planta podem afetar os níveis de estrogênio no corpo. Mas o resultado conflita com trabalhos divulgados anteriormente. Algumas pesquisas mostram o efeito protetor contra o câncer de mama, enquanto outros mostram que os compostos podem aumentar o risco da doença em algumas mulheres.

Na pesquisa chinesa, entre todas as mulheres que tiveram câncer de mama, o resultado foi positivo para receptores de estrogênio (ou seja, os tumores que cresciam em resposta ao estrogênio), receptores de progesterona (as células cancerosas que foram alimentados pela progesterona) ou ambos, de acordo com pesquisadores.

As pacientes estavam sendo tratadas com tamoxifeno ou anastrozol, duas drogas destinadas para travar o crescimento do tumor, afetando o estrogênio.

Elas também foram convidadas a preencher um questionário que incluía perguntas sobre seu consumo de produtos de soja, incluindo soja, tofu, brotos de soja e farinha de soja.

Os pesquisadores descobriram que a taxa de recorrência foi 12,9% menor entre as pacientes cujas dietas continham mais isoflavonas de soja do que aquelas cujas dietas tinham menos. Entre as mulheres na pós-menopausa que tomaram o anastrozol, o efeito foi mais acentuado - a taxa de recorrência foi 18,7% menor em mulheres que consumiam mais soja, em comparação com aquelas que consumiam menos.

Em comparação com a população asiática, para que a proteína de soja faz parte da dieta, apenas 37% dos americanos comem alimentos ou bebidas de soja, pelo menos uma vez por mês ou mais, de acordo com o relatório 2010 Atitudes do Consumidor Sobre Nutrição, divulgado nos Estados Unidos.

Mais de 12% das mulheres nascidas hoje serão diagnosticados com câncer de mama em algum momento de suas vidas, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer.

Os estudos precedentes examinaram a influência do consumo de isoflavonas de soja em pacientes com câncer de mama, no entanto, pouco se sabe sobre seus efeitos sobre essas terapias, tendo a base de hormônios, afirmam os pesquisadores.


Por: R7 - Seção: Notícias/Saúde

Publicado em: 19/10/2010

Fonte: http://noticias.r7.com/saude/noticias/consumo-de-soja-previne-a-volta-do-cancer-de-mama-20101019.html

Argilas - Um Leque De Oportunidades que Voltam Poderosos Nos Tratamentos de Beleza

Apesar de antigo, volta a ser muito comentado hoje em dia nas clínicas de estética, os maravilhosos efeitos das Argilas, tanto para o rosto quanto para o corpo.

Antigamente nós só escutávamos falar de dois tipos: a Argila Verde e a Amarela. Agora temos um leque de opções que tratam: rugas, flacidez, excesso de oleosidade, controle da acne, celulite, gordura localizada, desintoxicação e muitas outras coisas.

Saiba como usar e quando usar cada tipo de argila.

Como usar as argilas:
Dilua a argila em água filtrada até atingir uma consistência pastosa; aplique-a sobre o rosto e/ou o corpo massageando suavemente; aguarde 20 minutos para secagem e retire com água fria ou morna.

Argila Amarela - Efeito hidratante- Aumenta a elasticidade e reduz inflamações

Informação:
Uso: Corporal, Facial e Capilar; Ideal para todos os tipos de pele.

A Argila Amarela é rica em Dióxido de Silício e Silício que é o elemento catalisador para formação da base de colágeno da pele, por isso é indicada para rejuvenescimento e tratamentos cosméticos. Tem alta capacidade de troca de cátions e ânions.

Mais Informações:
Combate e retarda o envelhecimento cutâneo, nutre com seus sais minerais necessários para um tecido mais rígido e saudável sem deixá-lo ressecado. Tem ótimo efeito tensor e melhora a circulação sanguínea. Rica em Dióxido de Silício que tem papel fundamental na reconstituição dos tecidos cutâneos e na defesa do tecido conjuntivo.

Argila Branca – Purificante, Adstringente, Anti-séptico e Cicatrizante

Informação:
Uso: Corporal, Facial e Capilar; Ideal para peles sensíveis.

A Argila Branca ou Caulim é uma argila primária composta de silicato de alumínio hidratado resultante da alteração de rochas lavadas pela chuva. Possui um PH muito próximo da pele e seus principais benefícios são: clarear, absorver oleosidade sem desidratar, suavizar, cicatrizar e catalisar reações metabólicas do organismo. É indicado para tratamento de manchas, peles sensíveis e delicadas.

Porque vai gostar:
Ótima para clareamento cutâneo. Pode ser utilizada em peles oleosas, pois não desidrata.

Tem ação purificante, adstringente e remineralizante. Reduz as inflamações, possui efeito anti-séptico e cicatrizante.

Mais Informações:
É a mais leve de todas, possui propriedades cicatrizantes, devido à elevada porcentagem de alumínio presente em sua composição. É a menos absorvente sendo indicada para peles sensíveis e também usados em máscaras faciais, loções e xampus para cabelos secos.

Argila Marrom – Purificante Adstringente e Cicatrizante

Informação:
Uso: Corporal, Facial e Capilar; Ideal para peles oleosas.

A Argila Marrom é uma argila rara, devido sua pureza. É eficaz contra a acne e espinha e tem efeito rejuvenescedor do tecido. Possui um efeito ativador da circulação, além de contribuir, com efeito, equilibrador e revitalizador celular.

Porque vai gostar:
Tem ação hemostática, purificante, adstringente, remineralizante, cicatrizante.

Ativa a circulação.

Mais Informações:
O Alumínio atua contra a falta de tonicidade, tem ação cicatrizante e inibe o desenvolvimento de stafilococos aureus em cultura.

O Silício tem papel fundamental na reconstituição dos tecidos cutâneos e na defesa do tecido conjuntivo.

Argila Preta - Estimulante, Nutriente, Redutor e Antioxidante

Informação:
Uso: Corporal e Capilar. Especial desintoxicação.

Argila Preta ou Lama Negra é considerada um material muito nobre. Raramente encontrada tão pura. Este material é retirado de uma profundidade maior que 4 metros. Devido ao alto teor de Alumínio e Silício e baixo percentual de ferro, pode ser usado tanto para cosmética como para tratamento de doenças.

Porque vai gostar:
Excelente agente rejuvenescedor. Argila de composição rica e diferenciada em sais minerais e oligoelementos muito importantes para o metabolismo da pele.

Mais Informações:
Seu teor de Titânio agrupado com elevados percentuais de Alumínio e Silício indica um material com excelente agente rejuvenescedor.

Tem ação antiinflamatória, anti-artrósica, absorvente, antitumoral e anti-stress. Melhora a circulação sanguínea periférica favorecendo a reprodução celular.

Argila Rain Forest – Hidratante, Antioxidante, Regenerador e Combate os Radicais Livres

Uso: Corporal, Facial e Capilar. Especial regeneração celular.

Argila nativa da Amazônia, de coloração branca acinzentada. Rica em nutrientes e sais minerais que ajudam a eliminar as toxinas da superfície da pele e ativam a regeneração celular. Possui nutrientes que combatem os radicais livres e canalizam energia positiva, além de possuir um alto grau de hidratação.

Porque vai gostar:
Possui com alto grau de hidratação, ação antioxidante, regeneração celular, ajudando a eliminar toxinas.

Mais Informações:
Ativa a regeneração celular. Formada nas ribanceiras dos rios após as inundações provocadas em época de chuva, a argila tem propriedades capazes de fortalecer o tônus da pele, reduzir as rugas e eliminar gorduras localizadas e celulite. Age de forma direta no combate aos radicais livres.

Créditos:
O Instituto Blanch Marie é uma clínica de estética e bem estar, para todos aqueles que procuram qualidade de vida, beleza e rejuvenescimento. Liderado pela esteticista e especialista em estética corporal e facial, formada em Medicina Chinesa e massoterapia, pós-graduada em Yoga pela FMU com especialização na Índia, Blanch Marie, o oferece em sua clinica, atendimento voltado para cuidados especiais com o cliente, objetivando os melhores equipamentos faciais, corporais e profissionais especializados. Blanch Marie também ministra em seu Instituto diversos cursos como: Iridologia, Florais de Bach, Oligoelementos, Auriculoterapia, Cromoterapia entre outros.


Por: Instituto Blanch Marie - Segs - Seção: Notícias/Saúde

Publicado em: 19/10/2010

Fonte: http://www.segs.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=21945:argilas-um-leque-de-oportunidades-que-voltam-poderosos-nos-tratamentos-de-beleza&catid=47:cat-saude&Itemid=328

Planta medicinal chinesa poderá substituir coquetel contra a AIDS

Da mesma forma que outros tipos de células, as células do sistema imunológico perdem a capacidade de se dividir à medida que envelhecem. Isto acontece porque uma parte dos seus cromossomos, conhecida como telômero, fica cada vez mais curto com contínuas divisões celulares. Como resultado, as células se alteram de muitas formas, e sua capacidade de lutar contra as doenças é comprometida.

Mas um novo estudo, feito no Instituto de AIDS da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, descobriu que um composto químicos encontrado na raiz Astragalus, freqüentemente utilizada na fitoterapia chinesa, pode evitar ou retardar esse encurtamento progressivos dos telômeros, o que pode transformá-la numa arma chave na luta contra o HIV.

Erva chinesa no lugar de anti-retroviral

"Esta raiz tem o potencial tanto para ser adicionada ou possivelmente até mesmo para substituir a terapia anti-retroviral, que não é bem tolerada por alguns pacientes e também é muito cara," explica Rita Effros, co-autora do estudo.

O estudo será publicado na edição de 15 de Novembro do Journal of Immunology.

Telômeros e telomerase

Um telômero é uma região no final de cada cromossomo que contém seqüencias repetidas de DNA, mas não tem genes. Eles protegem as extremidades dos cromossomos e evitam que eles se fundam. Cada vez que uma célula se divide, os telômeros tornam-se mais curtos, eventualmente fazendo a células atingirem uma estágio chamado senescência replicativa, quando ela não consegue mais se dividir.

Isto parece indicar que a célula tenha alcançado um estágio final, mas, de fato, a célula se transformou em outro tipo, como novas características genéticas e funcionais.

Geralmente os telômeros são longos o suficiente para se dividirem muitas vezes sem problemas. Além disso, quando estão combatendo infecções, as células-T podem ativar uma enzima chamada telomerase, que impede que os telômeros se encurtem.

Terapia genética

"O problema é que, quando nós estamos lidando com um vírus que não pode ser totalmente eliminado do corpo, como o HIV, as células-T que estão combatendo aquele vírus não conseguem manter suas telomerase ligadas para sempre," diz Effros. "Elas são desligadas, e os telômeros se encurtam e elas entram nesse estágio de senescência replicativa."

Pesquisas anteriores mostraram que a injeção do gene telomerase nas células-T pode evitar que os telômeros se encurtem, permitindo que eles mantenham sua capacidade de combate ao HIV por mais tempo. Essa abordagem de terapia genética, entretanto, não é uma forma prática de tratar os milhões de pessoas que vivem com o HIV.

Fitoterapia contra a AIDS

No presente estudo, em vez de usar a terapia genética, os pesquisadores usaram um composto químico chamado TAT2, que foi originalmente identificado nos plantas utilizados na medicina tradicional chinesa e que melhora a atividade da telomerase em outros tipos de células.

Eles testaram o TAT2 de diversas formas. Primeiro, eles expuseram as células-T CD8 de pessoas infectadas com HIV ao TAT2, e descobriram que o composto não apenas retarda o encurtamento dos telômeros, mas também melhora a produção de fatores solúveis da célula chamados quemoquinas e citoquinas, que outros estudos já comprovaram ter a capacidade para inibir a replicação do HIV.

Eles então pegaram amostras de sangue de indivíduos portadores do HIV e separaram as células-T CD8 e CD4 - estas infectadas com o HIV. Eles trataram as células-T CD8 com o TAT2 e combinaram-nas com as células-T CD4 em laboratório - e descobriram que as células CD8 tratadas inibiram a produção do HIV pelas células CD4.

Doenças crônicas e envelhecimento

"A capacidade para melhorar a atividade telomerase e as funções antivirais dos linfócitos-T CD8 sugere que esta estratégia poderá ser útil no tratamento do HIV, assim como a imunodeficiência e a maior suscetibilidade a outras infecções virais associadas com doenças crônicas ou com o envelhecimento," afirmam os pesquisadores em seu estudo.



Por: Enrique Rivero - Diário da Saúde

Publicado em: 12/11/2008

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=planta-medicinal-chinesa-podera-substituir-coquetel-contra-a-aids&id=3566

Ioga é eficaz contra a fibromialgia

Dor crônica

Exercícios de ioga combatem a fibromialgia, uma desordem médica caracterizada por uma dor crônica generalizada.

A conclusão é de uma pesquisa realizada por cientistas da Universidade de Oregon, nos Estados Unidos, e que acaba de ser publicada na revista Pain.

"Pesquisas anteriores sugerem que o tratamento mais bem-sucedido para a fibromialgia envolve uma combinação de medicamentos, exercícios físicos e desenvolvimento de habilidades de enfrentamento," explica o Dr. James Carson. "Aqui, nós nos voltamos especificamente para a ioga para determinar se ela deve ser considerada como um tratamento e em que medida ela pode ser bem-sucedida."

Ioga contra a fibromialgia

Neste estudo, os pesquisadores acompanharam 53 mulheres previamente diagnosticadas com fibromialgia.

As mulheres foram divididas aleatoriamente em dois grupos. O primeiro grupo participou de um programa de ioga de oito semanas, que incluía posições suaves, meditação, exercícios respiratórios e discussões em grupo. O segundo grupo - o grupo de controle - recebeu a medicação padrão usada nos tratamentos da fibromialgia.

A comparação dos dados dos dois grupos revelou que a ioga ajuda a combater vários sintomas da fibromialgia mais grave, incluindo dor, fadiga, rigidez, problemas de sono, depressão, memória fraca, ansiedade e falta de equilíbrio.

Todas essas melhorias se mostraram não apenas estatisticamente importantes, mas também clinicamente significativas, ou seja, as mudanças foram grandes o suficiente para terem um impacto prático sobre o bem-estar diário.

Por exemplo, no grupo da ioga, a dor foi reduzida por uma média de 24 por cento, a fadiga em 30 por cento e a depressão em 42 por cento.

"Uma provável razão para o aparente sucesso dessa terapia foi o forte empenho demonstrado pelas participantes. Não apenas a presenças nas aulas foi boa, como também a vontade de praticar ioga em casa," acrescenta Carson.

Sobre a fibromialgia

Fibromialgia é uma síndrome caracterizada predominantemente por dor muscular e fadiga.

A condição pode causar problemas de sono, cansaço e estresse psicológico. Outros sintomas incluem frequentemente:

rigidez matinal
formigamento ou dormência nas extremidades
dores de cabeça
problemas de memória


Por: Jim Newman - Diário da Saúde

Publicado em: 21/10/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=ioga-contra-fibromialgia&id=5868

Meditação melhora o raciocínio em apenas quatro dias

Trocando o cafezinho pela meditação

Ao longo do dia, a maioria das pessoas toma um cafezinho, um chimarrão, ou alguma outra bebida que ajuda a "acordar" e fazer o cérebro funcionar melhor.

Mas uma nova pesquisa, publicada na revista científica Consciousness and Cognition, sugere que uma pequena pausa para meditação pode fazer o mesmo efeito, deixando-nos mais "cognitivamente afiados" sem colocar o estômago em risco.

Meditar sem virar monge

Embora várias pesquisas anteriores, utilizando neuroimagens cerebrais, tenham demonstrado que as técnicas de meditação podem promover mudanças significativas nas áreas do cérebro associadas com a concentração, é comum assumir que a meditação exige um treinamento contínuo e uma dedicação intensiva para alcançar esses efeitos.

Isso faz a maioria das pessoas desistirem antes de começar. Apesar de todos quererem aumentar suas capacidades cognitivas, acredita-se que a meditação exige uma disciplina monástica ou o tempo e o dinheiro que a maioria das pessoas não dispõe.

Surpreendentemente, todos os benefícios da meditação poderão ser alcançados sem essa trabalheira toda.

Mudando a mente pela meditação

Estudando uma técnica de meditação conhecida como meditação da mente alerta, os cientistas descobriram que os participantes no treinamento de meditação apresentaram uma melhoria significativa nas suas habilidades cognitivas críticas depois de apenas 4 dias de treinamento, em sessões diárias de 20 minutos.

Embora isso soe quase como um anúncio de algum produto "milagroso" para perder peso, a pesquisa realizada na Escola de Medicina da Universidade Wake Forest, nos Estados Unidos, sugere que a mente pode ser treinada no aspecto cognitivo de forma mais fácil do que a maioria das pessoas assume.

"Nos resultados dos testes comportamentais, nós estamos verificando algo que é comparável aos resultados que foram documentados depois de treinamentos muito mais longos," disse Fadel Zeidan, coordenador da pesquisa.

"Falando sinceramente, as melhorias profundas que nós verificamos depois de apenas 4 dias de treinamento de meditação são realmente surpreendentes," disse Zeidan. "Isso parece mostrar que a mente é, na verdade, muito fácil de mudar e facilmente influenciável, especialmente pela meditação."



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 20/05/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=meditacao-melhora-raciocinio&id=5220

Meditação é eficaz contra défice de atenção e hiperatividade

Meditação transcendental

A técnica de meditação transcendental pode se transformar em uma forma segura e eficaz para o tratamento da síndrome de défice de atenção entre estudantes.

Segundo uma pesquisa publicada no jornal científico Current Issues in Education, a meditação transcendental, uma prática inspirada nas tradições religiosas orientais, pode ser mais eficaz do que os tratamentos baseados em medicamentos.

Transtorno do Défice de Atenção e Hiperatividade

O estudo foi feito com estudantes do ensino médio nos Estados Unidos, todos diagnosticados com Transtorno do Défice de Atenção e Hiperatividade, ou ADHD na sigla em inglês (Attention-deficit hyperactivity disorder).

Depois de três meses, nos quais os estudantes praticaram a meditação duas vezes por dia na escola, os pesquisadores registraram uma redução de 50% no estresse e na ansiedade e melhoria nas avaliações dos sintomas da hiperatividade.

"O efeito foi muito maior do que esperávamos," afirma Sarina J. Grosswald, da Universidade George Washington. "As crianças também apresentaram melhoras na atenção, na memória funcional, na organização e no controle do comportamento."

Visão dos professores

O estudo também entrevistou os professores dos alunos que participaram das sessões de meditação transcendental. Os professores relataram uma maior facilidade para dar as aulas, a transmissão de um maior volume de informações e afirmaram que os estudantes estavam aprendendo mais porque se apresentavam menos ansiosos e menos estressados.

Estudos anteriores demonstraram que crianças com transtorno do défice de atenção e hiperatividade apresentam um desenvolvimento cerebral mais lento e uma capacidade reduzida para lidar com o estresse. "O estresse interfere com a capacidade de aprendizado - é como se ele desativasse o cérebro," explica William Stixrud, outro participante da pesquisa.

Medicamentos contra a hiperatividade

Remédios contra a hiperatividade são muito eficazes para algumas crianças, mas não produzem praticamente nenhum efeito em outras. Há situações em que os medicamentos chegam a piorar os sintomas de algumas crianças. Doses maiores não fazem efeito ou trazem efeitos colaterais sérios, que incluem problemas no crescimento e problemas cardíacos.

Os pesquisadores escolheram a meditação transcendental porque ela tem se comprovado eficiente em inúmeros outros estudos com adultos. E como ela não exige grande treinamento, ou altos índices de concentração e controle da mente, a meditação transcendental está se mostrando valiosa também para aplicação em crianças, mesmo naquelas que se apresentam as mais dispersas de todas.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 12/01/2009

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=meditacao-defice-de-atencao-e-hiperatividade&id=3692

Curso rápido de meditação ajuda a lidar com a dor

Meditação contra a dor

Viver com dores constantes é algo extremamente estressante. Mas um "investimento" de tempo surpreendentemente pequeno, envolvendo o treinamento mental, pode ajudar as pessoas que estejam passando por problemas de saúde ou mesmo aquelas que têm dores crônicas.

Um estudo realizado na Universidade da Carolina do Norte (EUA), examinou a percepção da dor e os efeitos de várias técnicas de treinamento mental e descobriu que um treinamento rápido e simples de uma técnica chamada meditação da mente aberta tem efeitos positivos significativos sobre a sensação de dor.

Benefícios da meditação

Esta mesma técnica, de origem budista e frequentemente utilizada pela ioga, já mostrou resultados positivos para ampliar as habilidades visoespaciais e até mesmo para diminuir a progressão dos efeitos da infecção pelo HIV.

Ao longo dos últimos dez anos, pesquisas relacionadas à dor têm mostrado extensivamente que a meditação pode ter efeitos positivos na redução da percepção e da sensibilidade das pessoas à dor.

Curso rápido de meditação

Mas nem todas as pessoas têm o tempo, os recursos financeiros ou mesmo o acesso a professores ou escolas de meditação.

Agora, este novo estudo demonstrou que uma única hora de treinamento, subdividida em três períodos de 20 minutos em três dias consecutivos, pode ter o mesmo efeito analgésico oferecido pela meditação mais intensiva.

"Este é o primeiro estudo a demonstrar a eficácia de uma intervenção tão breve na percepção da dor," afirma o Dr. Fadel Zeidan, um dos participantes da pesquisa. "Os participantes não apenas sentiram menos dores do que o grupo de controle durante a meditação, mas também durante os períodos nos quais eles não estavam mais meditando."

Efeitos da meditação sobre o cérebro

"Nós já sabíamos que a meditação tem efeitos significativos sobre a percepção da dor entre as pessoas que a praticam há muito tempo - o cérebro dessas pessoas revela alterações radicais. O que nós não sabíamos é que um excelente resultado poderia ser alcançado em apenas três dias, com apenas 20 minutos de treino por dia," diz Zeidan.

Os pesquisadores montaram seus experimentos de forma a eliminar os efeitos da distração, outro fenômeno que tem conhecidos efeitos sobre a sensação de dor. Mas não restaram dúvidas sobre os efeitos da meditação quando a diminuição da sensação da dor se estendeu por períodos fora do treinamento.

"Isto foi uma surpresa total, porque a mudança na sensibilidade geral à dor nem mesmo fazia parte de nossas hipóteses iniciais," diz o pesquisador.

Só na sensação de dor

Para tirar qualquer dúvida, os pesquisadores idealizaram dois outros experimentos, de forma a eliminar qualquer outra possibilidade de indução sobre os resultados.

Mas a conclusão - o treinamento de meditação de 20 minutos durante três dias diminui as sensações de dor - permaneceram consistentes em todos os experimentos.

Os pesquisadores destacam em seu artigo que a meditação causou uma diminuição na sensação de dor, mas não nas sensações em geral. No experimento envolvendo choques elétricos, por exemplo, todos os participantes do grupo que fez meditação reportou igualmente a sensação da eletricidade em seu corpo, mas a intensidade do choque registrada em seus cérebros foi muito inferior.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 17/11/2009

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=curso-rapido-meditacao-contra-a-dor&id=4707

Reflexologia

Reflexologia nos pés promove relaxamento e bem-estar do corpo todo.

Prática surgida entre os povos milenares como os egípcios, incas e
monges budistas indianos, a reflexologia podal vem sendo cada vez mais
difundida nos dias de hoje. Ela considera que todo o corpo está
relacionado com os pés. Para isso, eles são massageados para ativar
pontos específicos ligados a cada um dos órgãos.

Segundo os terapeutas que a executam, a reflexologia podal ativa os
pontos energéticos e limpa o corpo das toxinas. Ela também melhora a
circulação e traz equilibro físico, mental, fisiológico e espiritual.
A reflexologia também ajuda os órgãos a entrarem em sintonia e a
trabalharem em conjunto, garantem especialistas.

A técnica baseia-se em massagens com as mãos, pressionando cada um dos
muitos pontos encontrados no pé e listados em um mapa. A maior parte
dos órgãos está representada nos pés. Sendo que os pontos do fígado e
da vesícula biliar estão no pé direito e no esquerdo, está o baço. A
reflexologia plantar alivia dores de cabeça, de coluna, diminui a acne
e ajuda no tratamento da depressão.

Por: Carolina Abranches - Globo.com - Seção: Bem Estar

Publicado em: 17/10/2010

Fonte: http://bemstar.globo.com/index.php?modulo=corpoevida_mat&type=5&url_id=3469

Cura pelo olfacto

Aromaterapia ajuda a melhorar estados de ânimo depressivos.

A memória olfactiva pode influenciar muito o nosso comportamento. Há cheiros que não suportamos, nos provocam dores de cabeça, ou nos causam repulsa, enquanto outras situações nos trazem uma série de memórias olfactivas agradáveis .

Os cientistas afirmam que a maioria dos odores são registados na infância, onde vamos associando várias memórias aos mesmos.

A aromaterapia aproveita para curar certos estados físicos e mentais através das propriedades terapêuticas das plantas e dos frutos. Ainda que o seu uso esteja tipificado recentemente, há muitos anos que este tipo de terapia se utiliza. Já noutras civilizações, como no Antigo Egipto, se faziam preparados para utilizar na medicina, na cosmética e também em cerimónias de cariz religioso.

Há vários óleos essenciais sendo que cada um tem uma propriedade terapêutica específica (ver ao lado). As utilizações mais comuns são os banhos, as massagens e também perfumar os espaços que habitamos.

Ao comprar óleos essenciais tente que venham em garrafas de vidro fosco, pois dada a sua volatilidade, as essências tendem a evaporar facilmente. Escolha numa loja especializada os seus aromas preferidos e utilize-os em sua casa e também para massajar e usar.



Por: Catarina Ferreira - Jornal de Notícias (Portugal)

Publicado em: 24/10/2010

Fonte: http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Media/Interior.aspx?content_id=1693556

Efeito anticâncer do brócolis pode ser ampliado

Brócolis e bactérias

Um estudo realizado na Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, mostrou pela primeira vez que o sulforafano, o poderoso agente contra o câncer presente no brócolis, é liberado do seu composto original por bactérias que vivem no intestino grosso, sendo então absorvido pelo organismo.

"Esta descoberta abre a possibilidade de sermos capazes de aumentar a atividade dessas bactérias no cólon, aumentando o poder que o brócolis tem na prevenção do câncer," disse Elizabeth Jeffery, uma das autoras da pesquisa.

"Também é reconfortante, porque muitas pessoas cozinham demais o brócolis, destruindo sem querer a enzima vegetal que nos fornece o sulforafano. Nós agora sabemos que a microbiota do nosso trato digestivo pode salvar uma parte desse importante agente de prevenção do câncer mesmo que isso aconteça," disse ela.

Glucorafanina e sulforafano

Embora os cientistas tenham teorizado há muito tempo que a microbiota intestinal poderia executar esse papel, o processo nunca havia sido verificado diretamente e não se sabia quais seriam os agentes de sua realização.

Agora, Jeffery e seus colegas Michael Miller e Ren-Hau Lai comprovaram a teoria.

Eles injetaram glucorafanina, o composto pai do sulforafano, no intestino inferior de ratos e demonstraram que o sulforafano estava presente no sangue da veia mesentérica, que flui do intestino para o fígado.

"A presença do sulforafano em quantidades mensuráveis mostra que ele está sendo convertido na parte inferior do intestino e está disponível para absorção no organismo," explica Jeffery.

O ceco, a parte inferior do intestino dos ratos nos quais os cientistas inocularam a glucorafanina, abriga bactérias que ajudam na digestão e no metabolismo, de forma semelhante ao que acontece no cólon humano.

Anticâncer e anti-inflamatório

De acordo com Jeffery, o sulforafano é um agente extremamente potente contra o câncer: "A quantidade que você obtém em 3 a 5 porções por semana, que é menos do que um ramo diário de brócolis, é o suficiente para ter um efeito anticâncer. Com muitos dos outros alimentos bioativos dos quais você ouve falar, são necessárias quantidades muito maiores para se ter um resultado mensurável."

O sulforafano também tem propriedades anti-inflamatórias, que são vistas com interesse pelos cientistas por sua capacidade de combater os efeitos de muitas doenças crônicas que acompanham a obesidade e o envelhecimento.

Miller sugere duas formas pelas quais as bactérias no intestino poderiam ser manipuladas para se obter um poder extra do brócolis ingerido.

"Uma forma seria a de alimentar as bactérias desejáveis com probióticos para incentivar sua proliferação. Outra forma seria a utilização de uma abordagem combinada, por exemplo, brócolis com molho de iogurte, que contém as bactérias hidrolisadoras, dessa forma aumentando a sua proteção contra o câncer," explica a cientista.

Cuide das suas bactérias

Se alimentar bactérias não soa particularmente atraente, a cientista destaca que as bactérias não trazem sempre más notícias. "Uma das coisas sobre o que não pensamos muito é a enorme quantidade de benefícios que experimentamos quando uma comunidade saudável de bactérias coloniza nosso intestino grosso," diz ela.

"Nós, seres humanos, temos uma relação simbiótica com inúmeros micróbios famintos, que metabolizam vitaminas e outros componentes bioativos dos alimentos. Agora podemos ver outro exemplo interessante da sua atividade, com o papel que desempenham na captura do sulforafano do brócolis," conclui ela.

Veja também "Bactérias do bem" mantêm o sistema imunológico pronto para combater infecções.



Por: Phyllis Picklesimer - Diário da Saúde

Publicado em: 26/10/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=efeito-anticancer-brocolis&id=5884

Fumar aumenta risco de Alzheimer

Destruindo o cérebro

Fumar pesadamente na meia-idade pode aumentar o risco de desenvolver a doença de Alzheimer em até 157%.

Segundo ma nova pesquisa, realizada por um grupo internacional de pesquisadores, o risco de uma outra forma de demência, a demência vascular, pode chegar a 172%.

Este é o primeiro estudo de longo prazo a analisar as consequências do tabagismo intenso sobre a demência mais tarde na vida.

Os cientistas analisaram dados de 21.123 homens e mulheres, com idade média de 23 anos, que participaram de um levantamento entre 1978 e 1985. Eles foram acompanhados durante 23 anos.

Foram considerados os participantes que, nesse período, haviam fumado dois maços de cigarro por dia ou mais.

Demência

Diagnósticos de demência, incluindo Alzheimer (o tipo mais comum de demência) e demência vascular (a segunda forma mais comum), foram registrados de 1º de janeiro de 1994, quando a idade média dos participantes do estudo era de 71,6 anos, até 31 de julho de 2008.

Um total de 5.367 participantes (25,4%) foi diagnosticado com demência, com 1.136 deles com Alzheimer e 416 com demência vascular.

Os pesquisadores observaram que, em comparação com os não fumantes, aqueles que fumaram mais de dois maços de cigarro por dia durante o período analisado tiveram um aumento de 157% no risco de desenvolvimento de Alzheimer e de 172% no de demência vascular.

Ex-fumantes e pessoas que fumaram menos de meio maço por dia não apresentaram aumento significativo no risco de desenvolvimento das doenças.

Neurodegeneração

A associação entre fumo e demência não variou de acordo com a raça ou o sexo dos participantes. Segundo os autores do estudo, sabe-se que o fumo é um fator de risco para acidente vascular cerebral e o hábito pode contribuir para o risco de demência por meio de mecanismos semelhantes.

Fumar também contribui com o estresse oxidativo e com inflamações, que se estima serem importantes para o desenvolvimento da doença de Alzheimer. "É possível que fumar afete o desenvolvimento de demência por meio de caminhos vasculares e neurodegenerativos", sugeriram os autores.

O estudo, coordenado pelo finlandês Minna Rusanen, do Hospital Universitário Kuopio, foi publicado nesta segunda-feira no site do Archives of Internal Medicine.



Por: Agência Fapesp - Diário da Saúde

Publicado em: 26/10/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=fumar-aumenta-risco-alzheimer&id=5901

Comportamento autoritário dos pais gera filhos inseguros

Auto-estima dos filhos

Pesquisadores da Universidade de Valência, na Espanha, identificaram o impacto que a forma como os pais criam seus filhos tem sobre as habilidades sociais desses filhos.

Suas conclusões mostram que a punição, o castigo e regras muito rígidas impactam fortemente sobre a auto-estima dos filhos.

O estudo foi publicado na última edição da revista Infancia y Aprendizaje.

"O objetivo era analisar qual o estilo de socialização parental é ideal através da medição do ajustamento psicossocial das crianças," explica Fernando Garcia, coautor do estudo.

Disciplina

O estudo incluiu 948 crianças e adolescentes com idades entre 10 e 14 anos (52% das quais eram meninas), descrevendo as práticas de socialização de seus pais.

Com base nas respostas, as famílias foram classificadas em quatro tipos clássicos de socialização parental - autoritativo, autoritário, indulgente e negligente.

Os resultados mostraram que o estilo ideal da família, na Espanha, é o indulgente. "As pontuações para as crianças de famílias indulgentes foram as mesmas, ou melhor, do que aquelas de famílias autoritárias," ressalta o pesquisador.

Segundo o especialista, sistemas de imposição de disciplina, tais como castigos, privações e regras estritas, que tentam forçar as crianças a fazer as coisas, têm um efeito devastador sobre a auto-estima da família.

Aspectos esquecidos da educação

A imposição da disciplina também está associada com um desenvolvimento emocional incompleto e um certo nível de ressentimento para com a família, mesmo se for aplicada por pais que têm relações muito cordiais com seus filhos, "pelo menos em culturas como a Espanha, onde se dá pouco valor às relações hierárquicas".

Os pesquisadores destacam a necessidade dos pais trabalharem duro "em aspectos que muitas vezes não são suficientemente abordados", tais como comunicação, relações educadas, mostrar interesse pelos problemas das crianças e dar explicações bem fundamentadas sobre as consequências das ações das crianças.

"São atividades que, acima de tudo, exigem envolvimento, dedicação e cuidado," diz García, com o objetivo de possibilitar que todas [as crianças] tornem-se maduras, responsáveis e capazes de fazer coisas por si mesmas.

Tipos de famílias

A classificação das famílias é obtida pela combinação de comportamentos que envolvem diferentes níveis de exigências feitas e a responsabilidade dada.

Em primeiro lugar, o modelo autoritativo descreve as famílias que "estabelecem regras claras, explicando as razões dessas regras para seus filhos de maneira afetuosa e flexível e, ao mesmo tempo, esperando que estas regras sejam seguidas".

O modelo autoritário é semelhante ao autoritativo, na medida que é exigente ou controlador, mas ele difere em que os pais são menos afetuosos.

Por outro lado, há pais que se enquadram dentro dos modelos de negligente e indulgente, que se caracterizam pela aplicação de baixos níveis de repressão.

No entanto, os do primeiro grupo são "não muito afetuosos", enquanto os do segundo grupo são "muito afetuosos".



Por: SINC - Diário Saúde

Publicado em: 25/10/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=pais-autoritarios-filhos-inseguros&id=5882

Composto de própolis pode inibir radicais livres ligados à obesidade

CAPE da própolis

O CAPE, substância extraída da própolis e testada em pesquisa da Escola de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da USP em Piracicaba (SP), apresenta potencial antioxidante.

Isolado da própolis produzida pelas abelhas, o CAPE é um composto fenólico que possui várias atividades biológicas, como por exemplo o efeito anti-inflamatório e antimicrobiano. A sigla vem do inglês Caffeic Acid Phenethyl Ester.

Os resultados, obtidos pela pesquisadora Aline Camila Caetano em experimentos com camundongos, revelam que o CAPE pode combater a formação de radicais livres associados à obesidade e a doenças como diabetes tipo 2 e a hipertensão.

"O estudo verificou a propriedade antioxidante em modelo experimental de obesidade e estresse oxidativo em camundongos", conta a pesquisadora, formada em Ciências dos Alimentos.

Estresse oxidativo

Durante a pesquisa, grupos de camundongos tiveram obesidade induzida por uma dieta à base de gordura de porco, por um período de 8 semanas.

Em seguida, parte deles recebeu o CAPE por via oral, nas dosagens de 13 e 30 miligramas (mg) por quilo de peso, em período de 15 e 22 dias.

Depois desse período, foi verificada a atividade de enzimas associadas ao estresse oxidativo nos tecidos adiposo e hepático.

Nos camundongos que receberam a dosagem de 13 mg, verificou-se no tecido hepático que as enzimas tiveram um comportamento semelhante ao grupo controle, composto por animais não submetidos ao estresse oxidativo gerado pela obesidade.

"Não houve aumento da atividade das enzimas, o que evidencia um possível efeito antioxidante do CAPE", destaca Aline. "Também foi registrado uma redução da produção de peróxido de hidrogênio e da peroxidação lipídica, outro indício do efeito protetor do composto."

Radicais livres

De acordo com Aline, a obesidade, devido ao maior consumo de nutrientes na dieta, leva a um aumento da glicose e de ácidos graxos circulantes no organismo, aumentando a produção de Espécies Reativas de Oxigênio (ERO) e radicais livres.

"Essas espécies estão associadas a doenças como resistência à insulina, diabetes tipo 2, esteatose hepática, hipertensão e risco de problemas cardiovasculares", ressalta. "O processo é conhecido como síndrome plurimetábolica."

O fígado, por ser um órgão com alta taxa metabólica, permitiu que o efeito antioxidante do CAPE estivesse mais presente e pudesse ser mais facilmente observado. No tecido adiposo, foram observadas poucas mudanças na atividade das enzimas, inclusive devido a dificuldade em se fazer análises na gordura dos animais", diz Aline.

A pesquisadora aponta que devido ao peso dos camundongos, a dosagem testada é muito pequena, o que leva a necessidade de novos experimentos com animais antes da utilização do CAPE ser tentada em seres humanos. "É um processo que deve levar alguns anos", observa. "Também será preciso estudar de que forma o composto seria administrado em humanos."



Por: Júlio Bernardes - Agência USP

Publicado em: 13/10/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=propolis-radicais-livres-obesidade&id=5834

Descoberta triplica efeitos da acupuntura contra a dor

Acupuntura turbinada

Cientistas deram mais um passo importante para compreenderem como o simples espetar de algumas agulhas no corpo é capaz de aliviar a dor.

Em um artigo publicado na revista Nature Neuroscience, a equipe da Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, identificou a molécula adenosina como um elemento central na ativação no corpo de alguns dos efeitos da acupuntura.

Partindo desse novo conhecimento, os cientistas foram capazes de triplicar os efeitos benéficos da acupuntura em camundongos por meio da adição de um medicamento aprovado para tratar a leucemia.

Adenosina

A adenosina é um composto natural conhecido por seu papel na regulação do sono, por seus efeitos sobre o coração, e pelas suas propriedades anti-inflamatórias.

Mas a adenosina também atua como um analgésico natural, tornando-se ativa na pele após um ferimento para inibir os sinais nervosos e aliviar a dor de uma forma semelhante ao que faz a lidocaína.

No estudo, os cientistas descobriram que esta substância química é também muito ativa nos tecidos mais profundos afetados pela acupuntura.

Os pesquisadores analisaram os efeitos da acupuntura no sistema nervoso periférico - os nervos do nosso corpo que não são parte do cérebro e da medula espinhal.

Base científica da acupuntura

Segundo Maiken Nedergaard, as novas descobertas vêm adicionar ainda mais suporte científico à acupuntura.

"A acupuntura tem sido um pilar do tratamento médico em algumas partes do mundo por 4.000 anos, mas, como ela ainda não foi compreendida completamente, muitas pessoas se mantiveram céticas", afirma Nedergaard.

A pesquisa complementa um rico corpo de trabalhos que mostram que, no sistema nervoso central, a acupuntura cria sinais que levam o cérebro a produzir as endorfinas, analgésicos naturais.

"Neste trabalho, nós fornecemos informações sobre um mecanismo físico pelo qual a acupuntura reduz a dor no corpo," acrescenta a pesquisadora.

Acupuntura três vezes melhor

Assim que reconheceram o papel da adenosina, os cientistas começaram a explorar os efeitos de uma droga contra o câncer, chamado deoxicoformicina, que dificulta a remoção da adenosina pelos tecidos.

O composto aumentou dramaticamente os efeitos do tratamento com acupuntura, quase triplicando o acúmulo de adenosina nos músculos e mais do que triplicando o tempo de eficácia do tratamento.

"É claro que a acupuntura pode ativar uma série de mecanismos diferentes," acrescenta Josephine P. Briggs, coautora do estudo. "Este estudo extremamente cuidadoso identificou a adenosina como um novo participante nesse processo. É uma contribuição interessante para a nossa crescente compreensão da complexa intervenção que é a acupuntura."



Por: Tom Rickey - Diário Da Saúde

Publicado em: 23/06/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=acupuntura-contra-dor&id=5383

Conselhos úteis para reduzir o Colesterol

A presença do colesterol no organismo humano é extremamente benéfica, mas apenas nas quantidades certas. Embora seja altamente recomendado possuir níveis de colesterol moderados, há uma condição fundamental: o controlo daquele tem de ser efectuado com rigor, pois caso contrário, ao invés de uma situação aconselhável passa a existir um cenário negro a evitar por todos os meios. O resultado da falta de cuidado com os níveis de colesterol é um dos factores que mais “ajuda” à obstrução das veias sanguíneas, cuja derradeira consequência é o temido e fatal Acidente Vascular Cerebral (AVC), a principal causa de morte em Portugal. De resto, o indicador de vítimas mortais provocadas por AVC revela algo “verdadeiramente assustador”, classifica a Ordem dos Médicos, segundo a qual morrem, em território luso, duas pessoas por hora. Se estes dados foram suficientes para alarmá-lo quanto aos efeitos nefastos do colesterol elevado, ficam agora algumas dicas que ajudam a prevenir esse cenário e manter o seu corpo saudável. Leia os próximos conselhos atentamente e fixe-os com o rigor que estes exigem, pois somente dessa forma poderá garantir estar cá para contar a história da sua vida aos seus entes queridos. 1. Coma peixe e carnes brancas em maiores quantidades do que a carne de suíno. Estas últimas, também denominadas de “carnes vermelhas” , são substancialmente mais prejudiciais para o organismo quando ingeridas regularmente, o que não acontece, por exemplo, com a carne de aves, bastante mais nutritiva e menos rica em gordura; 2. Prefira o assado ou cozido ao frito e fique a ganhar muito com essa troca. Ao serem confeccionados os alimentos daquela última forma, a concentração de gorduras saturadas será maior e aumentará (ainda) mais devido aos condimentos que se adicionam para cozinhar. Por isso, reduza ao mínimo o consumo de produtos fritos e diga não ao colesterol! 3. Limite a utilização de óleo na comida e sempre que for possível eliminá-lo por completo, faça-o, porque isso é uma mais-valia em prol da sua saúde. Se a receita que deseja cozinhar sugere óleo em abundância, não caia nesse erro e corrija-o, colocando apenas o necessário para lhe dar o gosto, mas sem abusar. Não comprometerá assim o sabor, ao mesmo tempo que assegura um prato bom e “limpo” para o organismo; 4. Evite os molhos e cremes, substituindo-os por opções bem mais saudáveis como os compostos de tomate, cebola, alho, aipo, soja e até mesmo iogurte, preferencialmente magro, nunca os rotulados de (falsos) light. Verá que a comida se torna bastante mais leve e mantém um sabor único, sem que tenha de lhe adicionar produtos altamente calóricos, e por isso, nocivos para o combate ao mau colesterol; 5. Beba leite e coma os seus derivados com contenção, uma vez que alimentos como o queijo ou a manteiga podem tornar-se em verdadeiras bombas-relógio para o descontrolo dos níveis de colesterol. Quem gosta destes produtos deve consumi-los regradamente e dar predilecção ao queijo fresco e alimentos menos ricos em gordura, tais como os criados a partir do leite de cabra. As cinco dicas enumeradas são apenas uma pequena parte das linhas de acção que devem ser seguidas para evitar o risco de colesterol elevado. É certo que são as mais importantes nessa luta para travar a ocorrência de um AVC, mas nunca é demais lembrar que outros conselhos devem ser considerados e respeitados.



Por: Nuno Ribeiro

Publicado em: 19/10/2010

Fonte: http://www.webartigos.com/articles/49876/1/Conselhos-uteis-para-reduzir-o-Colesterol/pagina1.html

Alimentos que emagrecem

Alimentos que emagrecem

-Agrião: o agrião contem iodo, este que estimula a glândula da tiróide e faz com que a gordura acumulada seja queimada.

-Salmão: rico em ácidos gordos que aumentam a capacidade das células queimarem calorias.

-Pepino: o pepino e difícil de ser digerido, desta forma o organismo gasta mais calorias a digeri-lo do que as que ele fornece.

-Abacaxi: controla o apetite, combate a retenção de líquidos.

-Aipo: antioxidante e diurético, elimina as toxinas do corpo através da expulsão de líquidos.

-Feijão: contem uma proteína inibidora do apetite.

-amendoim: acelera o metabolismo.

-Cereais integrais: fazem com que se sinta saciada, e acelera o metabolismo.
-Aveia: rica em fibras que ajudam a regular o transito intestinal, melhora a digestão.

-Arroz integral: rico em minerais e fibras auxilia na digestão.



Fonte: http://www.webartigos.com/articles/48415/1/Alimentos-que-emagrecem/pagina1.html#ixzz13ePatGxY

Por: Tânia Correia

Publicado em: 29/09/2010

Fonte: http://www.webartigos.com/articles/48415/1/Alimentos-que-emagrecem/pagina1.html

Yoga contra o Câncer de Mama

As duas frases que mais escuto quando digo que dou aulas de yoga são: “Preciso muito me alongar, e tenho que começar suas aulas!” ou “Yoga faz bem para “X” problema, e minhas respostas são sempre as mesmas: Sim!
Quando comecei a ensinar, vi e senti efeitos super bacanas em meu corpo e mente, e decidi compartilhar meus conhecimentos e experiências.

Antes de qualquer coisa, gostaria de esclarecer que o Yoga não é somente uma prática fisica, mas um estilo de vida que envolve práticas físicas, mentais e a partir do momento em que se entra no ritmo, uma reeducação alimentar. Com todo este conjunto, e sabendo que os passos iniciais devem ser dados em doses pequenas, pouco a pouco notamos a melhoria dentro de nós e em nossa volta: desde o estado físico, através de posições combinadas com a respiração, até a capacidade de focarmos melhor em metas, ao adquirirmos técnicas para acalmarmos a mente.

Sabendo-se esta básica e aproveitando o mês “rosa” de prevenção ao Câncer de mama, vamos aos benefícios do Yoga em relação a este problema.

Benefícios psicólogicos
Joanna Colwell em seu livro “The Yoga of Breast Health”, afirma que segundo pesquisas americanas, 80% de todos os tipos de câncer estão ligados ao meio ambiente.

Segundo minha experiência com pacientes de câncer, o Yoga os ajudou acima de tudo, a aumentar a capacidade de administrar o stress. A prática regular nos proporciona um contato maior com nossos recursos internos e sensações, e nos proporciona presença de espírito, fatores essenciais em períodos difíceis.

Benefícios físicos
Um dos importantes componentes de nosso sistema imunológico, é o sistema linfático, responsável por colaborar com nossos glóbulos brancos e combater bactérias e vírus. Os exercícios do Yoga aumentam a circulação dos fluídos linfáticos, contribuindo para que a linfa (líquido formado pelo plasma sanguíneo, proteínas e glóbulos brancos) flua pelo corpo estimulando os nódulos linfáticos (glândulas que filtram resíduos indesejáveis), que em sua maioria localizam-se nas axilas, perto dos seios.

Duas asanas (posições) indicadas para estes casos são:

PRASARITA PADOTTANASANA - mantendo uma distância média de 5 palmos entre os pés (paralelos), traga as mãos à cintura, inspire e ao expirar desça em direção ao chão, com a coluna reta e sem sentir desconforto, somente alongando. Relaxe o pescoço e, se sentir a lombar, dobre levemente os joelhos. Relaxe os braços. Fique por 5 respirações nasais.

UTTHITA TRIKONASANA - com a mesma distância entre os pés, inicie com o lado direito ao girar o pé direito 90 graus para fora, abrindo os braços paralelos ao chão e descendo lateralmente sem deslocar o quadril como se quisesse tocar o chão com os dedos direitos das mãos. Caso não toque os dedos no chão, os descanse sobre a perna direita, e mantenha o braço esquerdo estendido apontando para o teto, com o dedão esquerdo apontando para a cabeça. Mantenha a coluna alongada, peito aberto e tente olhar para cima, em direção aos dedos esquerdos, ou se sentir desconforto no pescoço, olhe para a frente. Caso sinta desconforto no joelho direito, dobre-o levemente. Fique por 5 respirações nasais, e repita o mesmo do outro lado.



Por: Eliane Carotta - Gazeta Brazilian News - Seção: Arte/Cultura

Publicado em: 26/10/2010

Fonte: http://www.gazetanews.com/arte_cultura.php?cd_noticia=10248&mes_ano=&ini=10

Quer relaxar? Conheça técnicas e saiba qual é a ideal para você

O reiki, a meditação e a massoterapia são opções para quem quer adotar um novo estilo de vida.

Ouvir música, tomar um banho e, por que não, até mesmo beber uma taça de vinho. Vale tudo e todo mundo tem uma receita particular para relaxar após um dia intenso de trabalho. As técnicas de massagem e relaxamento, claro, estão entre as preferidas de quem busca diminuir o estresse e elevar a qualidade de vida.

Segundo o mestre em reiki Amaury Palma, da Alquimia Interior, de Porto Alegre, a busca por técnicas como o reiki, a massoterapia e a meditação vem aumentando, graças ao entendimento do público de que bem-estar vai muito além da saúde física.

— Essas técnicas trabalham, além do físico, o emocional e o mental. Ou seja, elas promovem o bem-estar do ser humano como um todo. Não é a toa que dizemos que esses "exercícios" promovem o auto-conhecimento pois, através deles nos vemos como um todo e não como um ser fragmentado — explica.

O massoterapeuta da Alquimia Interior, Noé Antônio Carvalho, explica que as pessoas que começam a praticar esses "exercícios" costumam apreciá-los pelos momentos de relaxamento que eles proporcionam.

— Muitas vezes, as pessoas chegam ao consultório em busca de um momento de tranquilidade e encontram isso dentro delas mesmo. É muito gratificante observar esse progresso — destaca.

Palma explica que a opção por uma dessas técnicas, algumas vezes, é feita exclusivamente por quem procura tal serviço. No entanto, ele considera adequado que, antes de tomar qualquer decisão, seja ouvido um especialista.

— Fazemos no consultório, em parceria com o paciente, uma avaliação do que ele traz, de quais são as suas expectativas e do que ele procura. Nós chamamos esse processo de anamnese. E é através dele que conseguimos chegar ao tratamento ideal para cada pessoa — afirma Palma.

Abaixo, os especialistas explicam quais os benefícios e como funcionam o reiki, a massoterapia e a meditação:

Reiki

Palma explica que o reiki é uma técnica de relaxamento na qual o especialista toca as mãos sobre o corpo da pessoa, trabalhado o fluxo de energia da pessoa. Conforme as necessidades de cada um, pontos específicos do corpo são estimulados.

— Por exemplo, quem afirma a mim que tem problemas emocionais passrá por um trabalho mais intensivo nas costas — afirma.

Todo o procedimento é feito com a pessoa deitada em uma maca, usando as próprias roupas. Para promover um ambiente mais agradável, aromas específicos são usados durante a sessão. O reiki é usado geralmente por quem relata estar enfrentando dificuldades emocionais para relaxar.

Massoterapia

A massoterapia é usada, na maioria das vezes, por quem encontra dificuldades físicas para relaxar, que impedem que a pessoa consiga criar um ambiente confortável no trabalho ou em casa.

— A massoterapia restabelece o equilíbrio entre o corpo e a energia da pessoa através do relaxamento — destaca Carvalho.

Durante a sessão, são identificados nódulos de tensão que impedem a pessoa de relaxar. Através da massagem, esses pontos são levados ao relaxamento restabelecendo o equilíbrio perdido.

O procedimento também não necessita de roupas especiais e se utiliza de música ambiente. Os olhos são vendados para proporcionar maior relaxamento. O uso de aromas específicos para cada caso também é comum.

— Para quem relata raivas, por exemplo, estimulamos bastante a área do pescoço. Já para quem tem dificuldades em lidar com perdas, a base da coluna é um dos pontos mais estimulados nos encontros — explica.

Meditação

Palma explica que a meditação é um processo bastante antigo através do qual as pessoas buscam relaxar e se conhecer melhor. Ela é muito utilizada por pessoas com quadros de ansiedade acentuada.

— O objetivo desses encontros é limpar a mente, relaxar e encontrar, com a sucessão do encontros, um estado de paz interior que trará maior conforto e tranquilidade à pessoa — explica.

Durante uma sessão de meditação, há um condutor que vai conversando com o grupo, estimulando a todos a relaxarem e diminuírem o ritmo, criando um clima propício para que todos possam parar e refletir sobre suas próprias escolhas e seus estilos de vida.

Por: ClickRBS - Seção: Notícias/Bem Estar

Publicado em: 03/11/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/bem-estar/19,0,3096949,Quer-relaxar-Conheca-tecnicas-e-saiba-qual-e-a-ideal-para-voce.html

Acupuntura ajuda a melhorar a libido

Muitas são as causas da perda da libido como, por exemplo, os desequilíbrios hormonais, nódulos, infecções genitais, uso de algumas medicações que causam efeitos colaterais (tanto no homem quanto na mulher) e 10% das causas são psicológicas tais como desgaste da relação, stress, etc.

Quando existe um desequilíbrio entre o Yin (frio) e o Yang (calor) mesmo sem ter uma patologia, perde-se o interesse pelo sexo e as pessoas ficam tristes, deprimidas, depressivas, irritadas, impacientes e perdem o sono. "A Acupuntura preconiza que a saúde mental está intimamente ligada à saúde sexual. Para a Acupuntura o sexo é tão importante quanto a alimentação, o sono, a sede e as necessidades fisiológicas, já que a atividade nos torna mais felizes, pacientes, saudáveis e com muito menor índice de doenças", declara a especialista no assunto, Aparecida Enomoto.

O tratamento para trazer de volta a libido através da Acupuntura, promove o aumento da produção dos hormônios do prazer como a endorfina que relaxa, acalma e nos faz feliz, a serotonina que tem ação profunda no efeito do humor e da ansiedade e a noradrenalina que induz a excitação física e mental ativando o centro do prazer, além de aumentar o estrógeno e a testosterona, hormônios importantes para a libido.

As aplicações são feitas com agulhas finíssimas (descartáveis), sendo quase indolor. O ideal é fazer uma sessão por semana com duração de uma hora entre a sessão e a anamnese da semana. Em casos mais críticos, a fitoterapia chinesa OBS age em conjunto com a Acupuntura. Os resultados são impressionantes (com noticiaexpressa.com.br).

Por: BondNews- Seção: Saúde/Corpo&Mente

Publicado em: 04/11/2010

Fonte: http://www.bonde.com.br/bonde.php?id_bonde=1-27--20-20101104&tit=acupuntura+ajuda+a+melhorar+a+libido

Acupuntura ativa os hormônios do crescimento (GH)

Técnica milenar apresenta resultados surpreendentes no crescimento

Diversos fatores contribuem para nossa estatura adulta. A partir de uma célula, resultado da fusão de um espermatozóide com um óvulo, desenvolve-se um organismo extremamente complexo e infinitamente maior. Para este desenvolvimento vários aspectos são importantes tais como nossa carga genética, aspectos nutricionais, hormonais, emocionais e comportamentais.

Filhos de pais com determinada estatura terão sua altura muito próxima do pai correspondente do mesmo sexo, ou seja, um filho terá uma altura próximo a de seu pai, e uma filha, próxima a da sua mãe. Para um cálculo aproximado, costuma-se usar a seguinte fórmula: soma da altura dos pais mais 13 centímetros para os meninos (ou menos 13 centímetros para as meninas) dividido por dois. Temos assim o que chamamos de "altura-alvo" de uma pessoa. A altura é considerada normal se for seis centímetros acima ou abaixo do valor calculado. Neste contexto, tem-se a expectativa de que pais baixos terão filhos baixos e pais altos terão filhos mais altos.

Outros fatores também são importantes no processo de crescimento como a alimentação, que deve ser adequada desde a vida no útero materno. Uma mãe que tem pressão alta, que fuma ou que é desnutrida poderá ter um recém-nascido com baixo peso e estatura comprometida que irá determinar um comprometimento da altura na vida adulta dessa criança. O uso de medicamentos, principalmente os que contêm cortisona, pode afetar o crescimento das crianças.

A Acupuntura, método terapêutico milenar de origem chinesa, baseado num mapa de pontos do corpo humano, estimulados pelas agulhas a produzir e liberar substâncias que atuam no sistema nervoso central é hoje, o único método natural, eficaz e sem contra indicações – já que é inóquo - que ativa o hormônio do crescimento (GH) em crianças que estão entrando na puberdade (entre 8 e 13 anos para as meninas, e entre 9 e 14 anos para os meninos). O tratamento com acupuntura, quando iniciado nesse período, propicia resultados excelentes, superando as expectativas dos pais. Quanto mais cedo for diagnosticado o baixo crescimento, melhores serão os resultados da terapia com acupuntura.
O hormônio do crescimento, também conhecido como GH (do inglês, growth hormone), é produzido naturalmente pelo nosso organismo. O tratamento com acupuntura é indicado quando é constatado que o próprio organismo não fabrica a quantidade suficiente dessa substância, o que leva a criança a crescer menos do que deveria. E isso pode acontecer por algumas razões, como falha na glândula hipófise, localizada no cérebro e responsável pela produção do GH; doenças pré-existentes, tumores cerebrais, tratamentos com radioterapia e cirurgias cerebrais podem afetar o bom funcionamento dessa glândula. Também, se houver algum problema no hipotálamo, a região do cérebro que regula a secreção do hormônio pela hipófise, o crescimento da criança fica comprometido.
No momento em que o pediatra perceber que houve uma diminuição ou parada no ritmo de crescimento da criança que está entrando na puberdade, o tratamento poderá ser iniciado com sessões semanais.

Aparecida Enomoto, graduada em MTC – Medicina Tradicional Chinesa, com especialização em Acupuntura pela Universidade de Medicina Tradicional de Beijing e em fisioterapia, é uma das pouquíssimas especialistas do tratamento da Acupuntura para crescimento no Brasil. “Além do tratamento com as agulhas, é importante também uma série de fatores comportamentais para o crescimento ideal da criança. Meninas e meninos com boa estrutura familiar, sem carências afetivas, respondem melhor ao tratamento”, declara a especialista.
Dra. S., mãe de R., hoje com 15 anos (que preferem não se identificar), procurou o tratamento com acupuntura, pois seu filho na época com 13 anos, se achava baixo em relação aos amigos da mesma idade na escola e isso o incomodava. “Procurei uma endocrinologista, fizemos todos os exames e ela apenas disse que estava tudo dentro da normalidade. Mas quando tomei conhecimento da terapia com acupuntura, conversei com meu filho e ele aceitou realizar o tratamento, já que somos contra o uso de hormônios, que tem tantos efeitos colaterais e não queríamos correr esse risco. Quando iniciamos o tratamento em 2005, ele tinha 13 anos e 1m61. O resultado foi muito rápido e vi a auto-estima do meu filho se elevar de uma maneira inacreditável”. Com 15 anos a altura passou a 1m81, ou seja, cresceu 20 cm nesses dois anos. “Lógico que confiei nesse tratamento por ter sido feito pela maior especialista desse tratamento no Brasil, que cursou universidade na China e que além de tudo, sabe lidar com crianças e adolescentes de maneira única”, declara a Dra. S.
Nos dias atuais, os hábitos inadequados também interferem no crescimento da criança, tais como o sedentarismo, o sono irregular, alimentação ruim, etc.

Existem também situações específicas onde a terapia com acupuntura é indicada. Entre elas, os casos de Síndrome de Turner (alteração cromossômica que afeta as meninas e provoca, entre outros problemas, baixa estatura), Síndrome de Silver-Russell (retardo no crescimento intra-uterino, que persiste após o nascimento) e doenças renais crônicas (quando há uma alteração no metabolismo do GH). O uso da acupuntura é recomendado, ainda, quando a criança tem Síndrome de Prader-Willy, doença genética que também compromete a altura e é caracterizada pela obesidade.

Saiba mais através do site www.acupunturaenomoto.com.br


Por: Notícia Expressa / Aparecida Enomoto

Publicado em: 08/09/2010

Fonte: www.noticiaexpressa.com.br

Reflexologia podal alivia estresse, segundo especialista

Uma das causas mais comuns das doenças é o estresse, efeito das pressões cotidianas associadas à poluição, má alimentação e falta de exercícios. Somos afetados em diferentes níveis. Alguns desenvolvem problemas, como dor de cabeça e enxaqueca, tensão na nuca, dor nas costas, distúrbios digestórios, pressão alta, doenças na pele e constantes gripes e resfriados. Massagear os pés é uma das formas mais eficazes de relaxamento, mas há funções menos conhecidas como a abordada pela reflexologia podal: aliviar essas tensões e atuar no melhor funcionamento do nosso corpo.
De acordo com o massoterapeuta Waldir Kikuichi, essa é uma das técnicas de massoterapia. “A reflexologia podal, como terapia complementar aos tratamentos convencionais, compreende o tratamento de vários distúrbios do corpo através da aplicação de pressão nos pés. Neles existem pontos ligados a todos os órgãos”, explica. Estimulando cerca de 70 mil terminações nervosas presentes em cada pé, além do relaxamento, é possível tratar problemas musculares, circulatórios e emocionais, como ansiedade, depressão, distúrbios do sono, em rins, intestino, entre outros.
Sem caráter estético, a reflexologia podal revela que o pé tem pontos específicos e correspondentes a cada órgão do corpo humano. Por isso, quando são estimulados, permitem que alterações sejam percebidas. “Quando há algum desequilíbrio no funcionamento do coração, por exemplo, o ponto que responde pelo coração no pé é mais sensível e detectamos o distúrbio. Através disso, podemos indicar que a pessoa procure um cardiologista e complementar o tratamento com a massagem”, afirma Kikuichi.
A reflexologia trata ainda dos pontos existentes nas mãos, mas, segundo o massoterapeuta, a técnica aplicada nos pés surte mais efeito, uma vez que é na região plantar que possuímos maior sensibilidade. Totalmente realizada com as mãos, essa massagem dura entre 30 e 40 minutos e não deve causar nenhuma dor.
O especialista destaca, porém, que a técnica não é indicada para mulheres grávidas e pessoas diabéticas, pois se torna arriscada ao lidar com os descontroles do metabolismo.


Por: JM - Jornal da Manhã - On line - Seção: Saúde

Publicado em: 04/11/2010

Fonte: http://www.jmonline.com.br/novo/?noticias,7,SA%DADE,36560

Meditação ajuda a fortalecer o sistema imunológico

Técnica milenar oriental, a meditação é conhecida por aumentar a concentração e proporcionar relaxamento. De acordo com estudo da Universidade da Califórnia, durante a meditação, a enzima telomerase (ligada ao sistema imunológico) tem sua ação intensificada. Resultado: quem medita, tem suas defesas ampliadas e passa a lidar melhor com o stress.

Estudo da Universidade da Califórnia prova que a prática intensifica a atividade da enzima telomerase, que atua na defesa do organismo.

Mas a meditação sozinha não resolve. "Por si só, ela não aumenta a atividade da telomerase", diz Clifford Saron, líder do estudo. Segundo ele, a meditação é apenas um dos mecanismos usados pelo corpo para aumentar o bem-estar psicológico do indivíduo. E é esse estado – e não o ato de meditar em si – que age diretamente sobre a atividade da telomerase nas células do sistema imunológico, que são as reais responsáveis por promover a longevidade nas células. "Atividades que aumentam a qualidade de vida podem ter efeitos profundos no organismo de uma pessoa", diz Saron.

Para chegar aos resultados, a equipe de cientistas analisou sessenta pacientes durante três meses: metade praticou a meditação; os outros trinta, não, atuando apenas como grupo de controle da pesquisa. As taxas da telomerase se mostraram cerca de 30% mais elevadas nas células do sistema imunológico dos voluntários que meditavam. Foram esses pacientes que apresentaram, ainda, um aumento nas capacidades psíquicas, como melhora na percepção de controle (sobre a própria vida e arredores), atenção e nos propósitos da vida (sentido de vida e metas a longo prazo). Além disso, eles experimentaram diminuição da neurose ou das emoções negativas.

Nobel - Co-autora do estudo, o primeiro a relacionar telomerase e meditação, Elizabeth Blackburn ganhou o prêmio Nobel de Medicina em 2009 pela descoberta da telomerase e dos telômeros, sequências do DNA que ficam no final dos cromossomos e tendem a se encurtar toda vez que uma célula se divide. Mas, sempre que a medida dos telômeros fica baixa, a célula tende a não se dividir mais e pode, eventualmente, morrer. É aí que entra a telomerase. A enzima é capaz de reconstruir o tamanho de um telômero, impedindo que ele entre em colapso. Estudos anteriores já apontavam a telomerase como o elo entre o stress psicológico e a saúde física.



Por: Veja - On Line - Seção: Bem estar

Publicado em: 04/11/2010

Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/saude/ciencia-prova-que-meditacao-fortalece-o-sistema-imonologico

No poupar pode estar uma boa alimentação

“No contexto actual de crise, será que está em risco a possibilidade de se ter uma alimentação saudável?”

A nutricionista Vanda Cristóvão responde sem qualquer hesitação: Não necessariamente. Podemos gastar muito dinheiro em comida e comer mal e isso infelizmente acontece muitas vezes e até pelas pessoas que menos podem..
Hoje, Dia Europeu da Alimentação e da Cozinha Saudáveis, esta profissional aproveita para sublinhar que a crise até pode ser um motivo para que as pessoas comecem a alimentar-se melhor.

Por isso deixa algumas recomendações.
A fruta ao natural é por norma mais económica e mais rica nutricionalmente. Para além disso,não polui o ambiente pois a melhor embalagem para qualquer fruta é a sua própria casca, refere Vanda Cristõvão. Esta profissional da área da nutrição recorda que todas as frutas são boas e são todas diferentes.
Por isso, poupa se não dispensar nenhuma, até mesmo as pitangas e os araçais que pode ter no seu quintal. Variar é ganhar. Fornecem vitaminas e outras substâncias que protegem e defendem o organismo de doenças. Ricas em fibras, regulam a função do intestino.

No que toca aos hortícolas, para poupar, a nutricionista recomenda que se opte pelos da época e que se aproveite as promoções comparando os preços entre as várias superfícies comerciais. Vanda Cristóvão realça também a necessidade de se verificar o estado de conservação dos hortícolas no acto de compra para evitar desperdícios (não adquirir os murchos, amarelados, com manchas ou com sinais de putrefacção ou de bolores).

Talos, caules e folhas normalmente metidas no caixote do lixo são muito ricas em fibras e sais minerais que podem ser aproveitadas,após serem trituradas, para enriquecer sopas», aconselha aquela profissional de Saúde.
Já no campo dos cereais e derivados (arroz e massa) utilizados normalmente não apresentam grandes variações de preços.

Ao contrário, verifica-se nos tipos de pão, cujos valores, em alguns, por norma, superam largamente as anunciadas virtudes. Ter em casa nozes, sementes e frutos secos e acrescentá-los (em pequena quantidade) a um simples pão de mistura ou escuro pode transformá-lo em estrela a um preço mais justo, considera a nutricionista numa altura em que muitas famílias portugueses estão cada vez mais aflitas para conseguir pôr à mesa o essencial para a alimentação dos seus.

Leite sem chocolate é o ideal

A nutricionista é de opinião de que as pessoas vão poupar se optarem por produtos da linha branca e fizerem comparações entre superfícies comerciais.

No caso concreto do leite e dos iogurtes, sai mais barato escolher um litro daquela bebida em detrimento destes últimos. A nutricionista explica que um litro de leite equivale e 8 iogurtes naturais.
Ainda no que se refere ao leite e aproveitando os comentários que têm sido feitos recentemente sobre o valor do achocolatado, esta especialista até diz que os portugueses não se deviam importar.

É que a adição de chocolate e açúcar ao leite em nada tem contribuído para a saúde das crianças.O mesmo se diz em relação ao açúcar adicionado aos iogurtes.
Passando ao peixe e à carne, a nutricionista Vanda Cristóvão realça que as pessoas devem “afastar-se” de determinadas coisas. Por exemplo, optar pelo peixe mais barato, em vez do peixe fino, que não acrescenta nada nutricionalmente. As carnes de bovino devem também ser evitadas. O peixe e a carne ultracongelados apresentam boa qualidade e têm preços aceitáveis, sublinha.

Poupe na água bebendo da torneira

A melhor forma de poupar na água é bebê-la da torneira, aconselha Vanda Cristóvão, a qual sugere que, como alternativa de sabores, aquele líquido seja aromatizado com rodelas de limão, ervas aromáticas ou outros.

Os alimentos constantes na Roda dos Alimentos devem ser a base da alimentação diária.
Muitas famílias gastam muito na alimentação e comem muito mal. Curiosamente por vezes são as que precisariam de gastar menos», adverte a nutricionista.
Açucares e alimentos açucarados, alguns cereais de pequeno almoço, salsichas, bebidas estimulantes, molhos e bebidas alcoólicas não precisam de ser consumidas ou então basta que existam só em épocas festivas.
A leitura dos rótulos dos produtos pode desencorajar à compra dos mesmos, afirma ainda a nutricionista Vanda Cristóvão, a qual defende que para as famílias pouparem e terem uma refeição saudável, devem planificar as refeições semanalmente.

Ultra-congelados são boa opção

Os legumes ultracongelados são, para além de práticos, uma possibilidade em especial se pretender consumir hortícolas fora da época de produção, conforme admite a nutricionista madeirense.
No entanto, a mesma não deixa de considerar que os hortícolas da época, comprados em bom estado de frescura são nutricionalmente mais ricos.
Quanto aos ultra-congelados, os preços variam entre marcas o que nem sempre corresponde a diferenças significativas de qualidade, mesmo assim são de um modo geral acessíveis»
São injustamente considerados de menor qualidade mas de facto podem ser mais ricos nutricionalmente do que alguns comprados como “frescos”, admite Vanda Cristóvão.

IASAÚDE insiste ainda este ano na restauração saudável

O Instituto de Administração da Saúde e Assuntos Sociais (IASAÚDE) vai fazer uma nova “pressão” para concluir com a iniciativa restauração saudável 2010-2011.
A garantia foi deixada ao nosso jornal pela vice-presidente daquele instituto. Ana Clara admitiu que o IASAÚDE queria o projecto no terreno no último trimestre do corrente ano. Assim, e em parceria com a Associação Comércio e Serviços da Região e ACIF, aquele instituto vai tentar que os restaurantes organizem a sua iniciativa do modelo saudável.

O que se pretende, segundo Ana Clara, é propiciar à população activa que recorre à restauração para a refeição do almoço, uma alimentação saudável.
Não temos ainda adesão completa. As pessoas receberam a matriz da iniciativa mas ainda não sabemos quantos restaurantes vão participar, explica Ana Clara.
Segundo o guia da alimentação saudável, o tema “comer fora de casa” tem despontado um especial interesse entre os profissionais da alimentação e nutrição pelas consequências que pode ter para a saúde individual e populacional.

Para além do guia da alimentação saudável, que o Instituto de Administração da Saúde lançou, há manuais subordinados ao tema “comer com saber...”. Manuais esses destinados a várias faixas etárias. O mais recente está vocacionado para o adulto.
É o último de oito manuais criados pelo IASAÚDE e Assuntos Sociais que completam o que foi feito na área da Educação para a Saúde, através da alimentação. Foram abrangidas todas as fases do ciclo vital, desde a gravidez até ao envelhecer. O manual “Comer com saber na vida adulta” responde a perguntas como “Os cereais de pequeno-almoço, as bolachas e as tostas são equivalentes ao pão?”. Já agora, e para quem desconhece, todos estes alimentos são equivalentes do pão mas com quantidades superiores de gordura e açúcar.

E já que estamos numa altura de crise, aqui fica outro alerta. O azeite, embora mais caro que outro tipo de gordura, rende mais porque o seu sabor e aroma são mais intensos. Por isso, pode ser utilizado em menor quantidade para temperar ou cozinhar. Este resiste a temperaturas mais elevadas o que o torna na gordura mais adequada para fritar.

O Instituto de Administração da Saúde e Assuntos Sociais quer sensibilizar a restauração para um cada vez maior e melhor menú saudável. Por isso está a fazer “pressão” por forma a que sejam cumpridas as recomendação emanadas pelo Conselho Nacional de Alimentação e Nutrição. O tema “comer fora de casa” tem despontado interesse junto dos profissionais.


Por: Jornal da Madeira - On Line - (Portugal)

Publicado em: 08/11/2010

Fonte: http://www.jornaldamadeira.pt/not2008.php?Seccao=14&id=166814&sdata=2010-11-08

Acupuntura ajuda no emagrecimento

A acupuntura é uma técnica tradicional da medicina chinesa e tem como base identificar as doenças pelo corpo humano. Seu principal diferencial é que ela investiga a origem do problema e não apenas ameniza o sintoma. A técnica está em ascensão no mercado, e depende exclusivamente de muita precisão.

Com as agulhas é possível, por exemplo, aumentar a resistência do organismo e fortalecer a capacidade de defesa imunológica de cada indivíduo. Além do mais o tratamento pode proporcionar o alívio de cólicas, gastrites, constipação, dores de cabeça, tendinites, lombalgias.

O tratamento por intermédio da acupuntura ainda abrange o fortalecimento do sistema imunológico, como o cabelo, unha, pele e articulação. Sem contar na melhoria da circulação sanguínea, como no caso de problemas de pressão, inchaço e retenção de líquidos. Controle do stress, insônia, depressão, ansiedade também podem ser amenizados por meio dessa técnica.

Regulação dos intestinos e apetite, alinhamento da coluna, ativação da memória, da circulação energética, com aumento da disposição e a prevenção de doenças respiratórias e neurológicas, estão como benefícios de quem recebe o método.

Por: Segs - Portal Nacional de Seguros

Publicado em: 10/11/2010

Fonte: http://www.segs.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=23624:acupuntura-ajuda-no-emagrecimento&catid=47:cat-saude&Itemid=328

Meditação pode ser benéfica para a saúde das células

A meditação pode trazer benefícios não apenas para a saúde psicológica dos praticantes, mas também pode afectar as pessoas a nível celular, segundo um estudo da Universidade da Califórnia, nos EUA.

Em testes com 60 pessoas, os investigadores observaram uma associação entre as mudanças psicológicas ocorridas durante a meditação e uma maior actividade de uma enzima importante para a saúde celular, chamada telomerase.

De acordo com os especialistas, essa enzima age sobre os telómeros - sequências de DNA no final dos cromossomas, que encurtam cada vez que uma célula se divide. Quando essas estruturas se reduzem demasaido, a célula não se divide adequadamente e morre - processo associado ao envelhecimento humano. E o papel da telomerase é justamente reduzir esse processo, ajudando a reconstruir e a aumentar os telómeros.

Publicados na revista científica Psychoneuroendocrinology, os resultados indicaram que aqueles que participaram de um retiro de três meses - quando meditavam 6 horas por dia - apresentaram maiores benefícios em vários aspectos psicológicos, além de maiores níveis de telomerase.

De acordo com os autores, a meditação foi associada à redução do stress e do neuroticismo - o que estaria ligado à maior longevidade das células de defesa do organismo.

«A mensagem desse trabalho não é que a meditação aumenta directamente a actividade da telomerase e, então, a saúde e a longevidade das pessoas», escreveu Clifford Saron. «Pelo contrário, a meditação pode melhorar o bem-estar e, por sua vez, essas mudanças estão relacionadas com a actividade da telomerase em células imunológicas, que tem o potencial de promover a longevidade dessas células. As actividades que aumentam o bem-estar de uma pessoa podem ter um profundo efeito sobre a maioria dos aspectos fundamentais da sua fisiologia», explicou o especialista.



Por: Diário Digital - Portugal

Publicado em: 09/11/2010

Fonte: http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=62&id_news=477760

Auxiliares no emagrecimento

Antes de qualquer coisa, é importante salientar que a fórmula ideal para o emagrecimento saudável é a que muitos de nós conhece e houve falar constantemente: dieta balanceada aliada à queima calórica por meio de exercícios físicos. Porém, também se sabe que aspectos emocionais contribuem para o sucesso ou o fracasso de uma dieta. As emoções em especial a ansiedade e a tristeza, afetam diretamente o controle de outros sentimentos que nos levam, muitas vezes, a nos refugiar na comida. Por isso para que se obtenha resultado satisfatório no processo de emagrecimento é fundamental encontrar o equilíbrio emocional. Muitos recursos podem ser empregados como auxiliares deste processo. Dentre eles tem se destacado a terapia floral e o uso da acupuntura radiônica que visam controlar o desejo excessivo aos alimentos. Os florais, quando aliados em uma fórmula específica para cada pessoa, ajudam de diferentes formas, sendo as principais, na aceitação das imperfeições, no controle dos ataques à geladeira e no aprendizado do que é ou não bom para sua dieta. As essências florais não são medicamento, mas sim elementos capazes de agir sobre as emoções e sentimentos que nos levam a transtornos, doenças, culpas e muitos outros males. Os florais, em especial os de Bach não têm contra-indicação, podendo ser aplicados a pessoas de todas as faixas etárias, para inúmeras causas, principalmente nas que se referem às emoções. Eis alguns florais e como podem agir nas emoções relativas ao fator emagrecimento: Crab Apple – Trata-se de um floral indicado para a auto-aceitação. Quando a pessoa tem problema em aceitar-se, podendo desenvolver repugnância por sua aparência se acha visualmente desagradável e perde a auto-estima por não aceitar suas imperfeições, dificilmente encontra forças para mudar. É aí que o floral Crab Apple, que é um floral conhecido pela capacidade de "limpeza", ajuda a limpar qualquer elementos relativos ao aspecto– físico ou mental, já que ajuda no processo de aceitação das imperfeições. Cherry Plum – Quando você sente medo de perder o controle e causar danos a você mesmo, que perdeu o controle de sua dieta, ao simples fato de ser contrariado(a), em geral vai para a compensação. O floral Cherry Plum o ajuda a pensar e agir racionalmente. É a típica cena: você sabe que um pedaço de pizza tem o mesmo gosto que a terceira ou quarta fatia. E sabe que não precisa de uma grande quantidade de alimento. Porém, algo o faz atacar o prato, totalmente sem controle. O floral Cherry Plum permite retomar o controle sobre seus pensamentos e ações, ajudando-o a entender o processo de emagrecimento e a agir em prol de sua dieta.
A acupuntura radiônia, verdadeira revolução dentro da acupuntura, técnica em que se usa de pequenas esferas de sílica de alta potência, nas orelhas, além de produzir alterações visíveis e imediatas na auto-estima, proporciona resultados notáveis na diminuição na ingestão de alimentos, diminuição da vontade de doces e alteração de outros fatores emocionais, o que proporciona diretamente a redução do peso, principalmente nos casos mais complexos. Os auxiliares, podem e devem ser usados para potencializar o processo terapêutico , principalmente no tocante ao emagrecimento já que a obesidade mostra-se de forma complexa e multidisciplinar, na grande maioria dos casos.


Por: G. Hoffmann - O Barriga Verde - On line

Publicado em: 06/11/2010

Fonte: http://www.adjorisc.com.br/jornais/obarrigaverde/colunistas/g-hoffmann/auxiliares-no-emagrecimento-1.366890

Dieta saudável ajuda a controlar o diabetes

Patologia é uma das principais responsáveis por complicações cardiovasculares
O Diabetes é considerada a doença que mais mata no Brasil e uma das principais responsáveis por complicações cardiovasculares. Neste domingo, é comorado o dia mundial do Diabetes. Quando não controlada adequadamente, a doença pode levar à cegueira, amputações e insuficiência renal. Segundo especialistas, as causas gerais de seu aparecimento continuam sendo excesso de calorias consumidas, obesidade, sedentarismo, estresse e, principalmente, a má alimentação.

Para prevenir o aparecimento da doença, as nutricionistas da Rede Mundo Verde, Natalia Lautherbach e Thais Souza, sugerem o consumo de alimentos fontes de fibras, como os grãos integrais (quinua, aveia, amaranto) e a farinha de banana verde, que retardam a absorção de glicose pelo organismo.

Além disso, elas lembram que é preciso evitar o consumo de açúcar em excesso. Para os diabéticos é necessário substituir o açúcar pelos adoçantes. Para aqueles que apresentam glicemia controlada outra opção é o agave, extraído de uma planta originária do México.

— Por ser orgânico, de baixo valor calórico e com poder adoçante superior ao açúcar (branco e mascavo), o agave é uma opção 100% natural e nutritiva para incluir em sua alimentação. Outro ponto importante é que, por possuir baixo índice glicêmico, não altera a glicemia bruscamente — explicam.

As nutricionistas da Mundo Verde alertam ainda para a importância de cultivar hábitos saudáveis de vida.

— Além de uma alimentação correta e equilibrada, é fundamental a prática regular e orientada de atividade física, bem como consultas periódicas com nutricionistas e médicos — ressaltam.

ALIMENTOS QUE AUXILIAM NO CONTROLE DO DIABETES

:: Cereais integrais
As fibras presentes nestes alimentos retardam a absorção de glicose, facilitando o controle da glicemia. Substitua os cereais refinados pelos integrais, consuma: arroz integral, pão integral, biscoitos integrais, quinua, amaranto e massas integrais. O farelo de aveia e a semente de linhaça também devem ser utilizados, podendo incrementar sucos, vitaminas, iogurtes, dentre outras preparações

:: Farinha de Banana Verde
Fonte de amido resistente retarda os processos de digestão e absorção. Assim, a glicose é absorvida mais lentamente, evitando picos glicêmicos e mantendo a glicemia controlada. Pode ser acrescida em sucos, vitaminas e iogurtes ou utilizada na preparação de receitas de pães, bolos e cookies.

:: Adoçantes
São utilizados em substituição ao açúcar, que deve ser excluído da dieta do diabético. Opções são a estévia e a sucralose, que podem ser utilizadas para adoçar sucos, chás, vitaminas e cafés. Para preparo de receitas de bolos, pães, biscoitos que necessitam de aquecimento, deve-se utilizar aqueles que são para uso em forno e fogão.

:: Hortaliças Orgânicas
São fontes de fibras, vitaminas e minerais, importantes para o adequado funcionamento do organismo. Devem ser incluídos nas principais refeições visando auxiliar o controle das taxas de glicose. Recomenda-se iniciar as principais refeições pelo consumo de uma salada de vegetais crus.



Por: Zero Hora - On line - Seção: Bem-estar

Publicado em: 13/11/2010

Fonte: http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1§ion=Segundo%20Caderno&newsID=a3107241.xml

Exercícios de Tai Chi reduzem dores artríticas (estudo)

WASHINGTON — Os famosos exercícios de Tai Chi, de origem chinesa, ajudam a reduzir a fadiga e as dores artríticas, segundo estudo realizado nos Estados Unidos.

"Nossa pesquisa mostra que os cursos de Tai Chi proporcionam benefícios significativos a indivíduos com todo o tipo de artrite, incluindo fibromialgia, artrite reumática e osteoartrite", disse Leigh Callahan, professor da Faculdade de Medicina da Universidade da Carolina do Norte (sudeste) e principal autor do estudo.

Para a pesquisa, os cientistas recrutaram 354 participantes de áreas rurais e urbanas de 20 cidades dos estados de Carolina do Norte (sudeste) e Nova Jersey (leste).

Os pacientes foram divididos em dois grupos. Um deles seguiu um curso de Tai Chi de oito semanas, duas vezes por semana e obtiveram alívio; o outro grupo começou mais tarde para efeitos de comparação.

Ao final de oito semanas, o primeiro grupo que concluía o curso de Tai Chi registrava melhora moderada em termos de dor, fadiga e rigidez, além de um aumento no sentimento de bem-estar, com resultados satisfatórios em seu sentido de equilíbrio, precisou o médico.

O Tai Chi fica no meio do caminho entre o método de relaxamento e a arte marcial, sendo um dos exercícios de luta mais praticados do mundo.

Por: AFP

Publicado em: 08/11/2010

Fonte: http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5jmZqqeIpg_rY74fglp9Yw2hnZ7Ig?docId=CNG.089c3211d0df3b704e403dd84a488ad2.3a1

Diabetes e qualidade de vida

Dia 14 de novembro é o dia mundial do diabetes. Não se pode negar que a notícia de que alguém é portador de diabetes pode assustar, já que traz com ela a necessidade de mudanças importantes em hábitos e estilo de vida. Mas também é igualmente verdade que é plenamente possível conviver com a doença com qualidade e com alegria de viver, usando a diabetes com ponto de partida para mudanças que já se faziam necessárias e que só trazem ganhos à rotina e à saúde.

Como a diabetes é uma falha no transporte da glicose para dentro das células, podemos pensar em duas maneiras de ajudar o corpo: a primeira é controlar a oferta de glicose no sangue e a segunda é receber ou produzir mais insulina para executar o transporte da glicose necessária à sobrevivência para dentro de nossas células. A segunda forma vai depender de medicamentos, naturais ou sintéticos, de acordo com a necessidade individual de cada um, receitados e acompanhados pelo médico endocrinologista. Mas a primeira forma de auxiliar nosso corpo a conviver bem com a diabetes depende exclusivamente da aquisição de hábitos saudáveis de vida e nesse campo as terapias naturais podem auxiliar bastante. Coisas simples como respirar livremente, se alimentar adequadamente, dormir, beber água, movimentar-se e ter pensamentos saudáveis são tão fundamentais para equilibrar nosso corpo e nosso espírito quanto a dosagem correta de insulina necessária ao funcionamento adequado do organismo.

Observe-se
O controle da oferta de glicose deve ser feito, obviamente, pelo controle da dieta. Todo diabético sabe que tem que reduzir o consumo de doces e massas, alimentos ricos em glicose e em carboidratos que também se transformam em glicose dentro do corpo. Mas o que é importante observar é de que maneira lidar com a ansiedade, o medo, a tolerância à frustração e os limites impostos por uma dieta.

Muitas vezes a gente escuta que basta que uma coisa seja proibida para que tenhamos muito mais vontade de fazer, não é mesmo? Isso é natural ao ser humano, mas nem por isso temos que aceitar sem buscar soluções pra este sentimento de ansiedade e frustração. No amplo leque das terapias naturais vale lembrar o uso de florais, de aromas, de técnicas respiratórias e meditativas, de práticas corporais, de reflexologia, técnicas que auxiliam a diminuição da compulsividade - aquele impulso de comer rapidamente e sem discriminação - e ajudam a estabelecer uma rotina diária saudável e equilibrada.

"Terapia floral" - Vários são os florais que auxiliam na redução de um comportamento compulsivo e no aumento da tolerância à frustração. Podemos citar o Chestnut Bud, que ajuda a quebrar círculos repetitivos, viciosos, facilitando o aprendizado de novos hábitos; Walnut, um floral importante para proteção e adaptação às fases de mudanças; Mimulus, para o medo da doença e Larch, para ter segurança de que se é capaz de seguir a dieta.

"Aromaterapia" - Muito importante num momento que temos que lidar com a dieta é se concentrar nos aromas naturais dos alimentos e perceber que eles também nos saciam. Além disso, o óleo essencial de lavanda com laranja ou bergamota (1 gota de cada) em um aromatizador no ambiente das refeições ou em um aromatizador pessoal ajuda a relaxar e diminuir a compulsividade.

"Práticas corporais, exercícios respiratórios e meditativos" - Muito se pode conseguir em equilíbrio incluindo-se duas ou três vezes na semana uma prática corporal, como yoga ou tai chi chuan. Mas também se pode alcançar excelentes benefícios corporais se apenas incluímos momentos de alongamento e respiração ao longo do dia. Uma das chaves para uma mudança de hábitos é a consciência. E estas práticas, muitas vezes bem breves, proporcionam momentos de clareza mental que ajudam nesta tomada de consciência da necessidade e dos benefícios de mudar.

"Reflexologia" - Massagem ou automassagem nos pés é por si só uma ação relaxante. Além disso, estimula os órgãos digestivos e também o pâncreas, responsável pela produção de insulina. Já a auriculoterapia (colocação de sementes ou esferas em pontos da orelha) contribui para uma boa circulação energética e o desbloqueio de pontos de tensão ajuda a conquista de um equilíbrio geral do corpo.

"Dicas indispensáveis" - Atenção à ingestão diária de água, mastigar bem e comer pausadamente evitando assuntos que aborreçam durante as refeições. Descanso e preparo para uma boa noite de sono, estabelecer um horário para uma reflexão diária ou uma leitura, ouvir ou tocar música, pintar, dançar e manter ativa sua vida social, além de participar de algum trabalho social, são atividades que redimensionam os desafios do dia a dia.

Enfim, podemos considerar que o diabetes é uma mensagem importante que o corpo emite pedindo a manutenção de hábitos mais saudáveis! E que temos aliados naturais para nós auxiliar na conquista de uma vida mais equilibrada e feliz!


Por: MSN - Katia Leite - Seção: Canal Astrologia

Publicado em: 14/11/2010

Fonte: http://entretenimento.br.msn.com/astrologia/artigo.aspx?cp-documentid=26309192

Acupuntura é uma alternativa no tratamento de dores crônicas, diz estudo

Método da medicina tradicional chinesa já é reconhecido pela ciência.

AGÊNCIA NOTISA – A acupuntura é uma técnica terapêutica de origem chinesa e a cada dia ganha mais o aval da ciência, que vem comprovando sua eficácia. No estudo “Efeito da craniopuntura na qualidade de vida e melhora da dor crônica”, pesquisadores da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP) e do Instituto Brasileiro de Terapias e Ensino (IBRATE), explicam que os efeitos benéficos da terapia incluem: melhora da oxigenação celular e das trocas metabólicas pelo aumento do aporte sanguíneo local; ativação do sistema imunológico; aumento do fluxo linfático local e analgesia e relaxamento muscular, por liberação de serotonina e opiáceos (endorfina, encefalina, dinorfina).

O estudo, publicado nos Arquivos de Ciências da Saúde, em agosto de 2009, mostra também que a técnica traz efeitos neurobiológicos, atuando, por exemplo, nos neurotransmissores relacionados à dor e à depressão. “Esse fato qualifica o método como útil e adequado na terapêutica da dor crônica, uma vez que a sensação de dor é desencadeada pelo bloqueio da circulação fisiológica de substâncias essenciais, pelos meridianos de acupuntura”, explicam Fernanda Bollini e Silva e colegas.
A dor crônica, caracterizada por ter uma duração maior que a dor aguda, se ocorrer somente devido a alguma doença orgânica, pode ser efetivamente curada ao se tratar a doença. Porém, o estudo mostra que a dor crônica pode estar envolvida a fatores psicossociais, que interferem no mecanismo de ativação do sistema morfínico. “Por esse motivo, diversas técnicas alternativas de tratamento têm sido reconhecidas nos últimos anos, entre elas, a craniopuntura”, explicam os autores.

Segundo a técnica, a cabeça é dividida por uma linha vertical que passa pelo ápice da orelha. A parte anterior é Yin e a posterior é Yang, sendo que para problemas Yang (dor), procuram-se pontos na região Yin; e para problemas Yin (paralisia), procuram-se pontos na região Yang. Os pontos podem ser localizados por palpação, detecção eletrônica, teste neuromuscular ou radiestesia. Os pesquisadores dizem que, quando os pontos são estimulados, espera-se ocorrer melhora mínima de 80%.

O presente estudo aplicou a técnica em oito pessoas com lesões por esforços repetitivos (LER) e distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (DORT). Esses problemas são caracterizados por sinais e sintomas de inflamações dos músculos, tendões, fáscias e nervos, principalmente dos membros superiores, cintura escapular e pescoço.

A avaliação dos voluntários foi feita durante e após dez sessões de terapia. As agulhas foram inseridas na cabeça, no lado em que o indivíduo relatasse mais dor após a palpação dos pontos. “Pontos doloridos da cabeça servem de indicadores diagnósticos e também como pontos de tratamento. Quando tais pontos são estimulados, deverá ocorrer alívio imediato da dor”, mostra o estudo.

Eles observaram que as primeiras sessões contribuíram de forma acentuada na melhora dos indivíduos e que as sessões seguintes contribuíram de maneira mais lenta, caminhando para manutenção do quadro. “Os voluntários sentiam dores de cabeça, região lombar, nos ombros, no punho, entre outros locais. Com o tratamento, todos eles relataram melhora em sua condição clínica geral”, aponta o estudo.

Melhoras também foram observadas em relação ao humor e bem-estar das pessoas. “Devido ao fato de a acupuntura ver o indivíduo como um todo e não separar o corpo humano por segmentos, tal técnica tem sido muito utilizada não somente na amenização de dores crônicas, mas também para relaxamento e diminuição de tensão”, esclarecem os autores.


Por: Agência Notisa - Jornal Dia dia - On Line

Publicado em: 17/11/2010

Fonte: http://www.jornaldiadia.com.br/jdd/cs/45223--acupuntura-e-uma-alternativa-no-tratamento-de-dores-cronicas-diz-estudo

Brasileiros desconhecem sintomas do AVC, alertam especialistas

Acidente vascular cerebral

A cada cinco minutos, um brasileiro morre por causa de um acidente vascular cerebral (AVC), segundo dados da Academia Brasileira de Neurologia (ABN), com base em informações do Ministério da Saúde. São quase 100 mil mortes por ano no Brasil.

Durante o Dia Mundial de Combate ao AVC, especialistas alertaram que a maioria dos brasileiros desconhece os sintomas da doença e não procura o médico.

Na maioria dos casos, o AVC, popularmente chamado de derrame, é causado pelo entupimento de uma artéria cerebral por um coágulo, impedindo o sangue de chegar a outras áreas do cérebro.

"As pessoas esperam se vão melhorar e não procuram a emergência", alerta a integrante do Departamento de Doenças Cerebrovasculares da ABN, Sheila Martins.

Sintomas do derrame

Em 2008, uma pesquisa do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo (USP), perguntou a 800 pessoas nas ruas das cidades de Ribeirão Preto, São Paulo, Salvador e Fortaleza quais os sintomas do AVC.

Somente 15,6% dos entrevistados sabiam o significado da sigla.

Ainda segundo a pesquisa, a maioria dos entrevistados confundiu a doença com paralisia, congestão, trombose ou nervosismo.

Os sintomas de um AVC são fraqueza ou dormência súbita em um lado do corpo, dificuldade para falar, entender ou enxergar, tontura repentina e dor de cabeça muito forte sem motivo aparente.

Para o neurologista e coordenador da pesquisa, Octávio Marques Pontes, o brasileiro não encara o AVC como uma doença que necessita de imediato atendimento médico, porque acha que não existe tratamento.

"A doença está presente na vida das pessoas, mas a maioria vê como sem tratamento", disse.

Pontes informou que, desde 2001, está disponível na rede pública e privada o tratamento trombolítico, que consiste na aplicação de remédios para desobstruir a artéria e restabelecer o fluxo sanguíneo, considerado o método mais eficaz.

Atendimento pós-derrame

A recomendação é que o paciente inicie o tratamento cinco horas após o aparecimento dos primeiros sintomas. O atendimento rápido aumenta em 30% as chances de sobrevivência, segundo Pontes.

Um levantamento da Associção Internacional de AVC (ISS,em inglês) constatou que 15% dos pacientes que tiveram um acidente vascular cerebral podem morrer ou sofrer novo problema no prazo de um ano.

Os especialistas alertam ainda que é possível prevenir o acidente vascular, desde que sejam adotados cuidados no decorrer da vida - entre eles praticar exercícios físicos, ter alimentação saudável e evitar o fumo, o consumo de álcool, além de ficar em alerta com as taxas de pressão e do colesterol.

A doença incide na população com mais de 65 anos, mas pode ocorrer em jovens e até recém-nascidos.

Tratamento para o AVC

Além da prevenção, os médicos apontam a necessidade de ampliar a rede com tratamento específico para o AVC. Atualmente, 62 hospitais públicos e privados oferecem o tratamento adequado, contra 35 em 2008, segundo a neurologista Sheila Martins. "Temos ainda muito a fazer", alertou.

Em um ranking nacional feito pela neurologista, o Rio Grande do Sul aparece com a maior taxa de mortalidade por AVC no país - 75 mortes por 100 mil habitantes. Em segundo lugar está o Rio de Janeiro, com 68 mortes por 100 mil habitantes, seguido pelo Piauí, por Pernambuco e pelo Paraná. O cálculo é baseado em estatísticas do Ministério da Saúde de 2007.

A Organização Mundial de AVC estima que uma em cada seis pessoas no mundo terá um acidente vascular cerebral na vida.


Por: Carolina Pimentel - Agência Brasil - Diário da Saúde

Publicado em: 05/11/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=sintomas-avc-derrame&id=5907

Dicas: alimentos ricos em vitamina E combatem "calorões" na menopausa

Dietas ricas em proteínas e sal acidificam o sangue e aumentam a perda de cálcio pelo organismo.

Pesquisa inédita feita pelo Hospital das Clínicas, de São Paulo, afirmou que as brasileiras na fase da menopausa estão acima do peso. O Hospital avaliou 6 mil mulheres com mais de 40 anos ao longo de mais de uma década, mais da metade das mulheres têm excesso de peso e dois terços delas têm sintomas vasomotores, como as famosas ""ondas de calor". Os resultados mostram que as brasileiras entram na menopausa, em média aos 48 anos, o que reforça dados de pesquisas anteriores.

A menopausa é caracterizada pela ausência de menstruação por um período de 12 meses consecutivos, ocorre geralmente por volta dos 50 anos, e as consequências a longo prazo, da deficiência de estrogênio que propiciam sintomas desagradáveis e, em alguns casos, podem dar origem a patologias. Nesta fase, há um declínio dos níveis do hormônio estrógeno estradiol, responsável pelos sintomas da menopausa.

De acordo com a pesquisa, ondas de calor, palpitações e melancolias tem mais chance de aparecer em mulheres que entram na menopausa mais cedo, enquanto o aumento do peso nesse período eleva o risco de sintomas como calores e dores nas articulações e nos músculos.

Segundo a nutricionista Flávia Morais, da Rede Mundo Verde, a diminuição na produção do hormônio chamado estrogênio causa alterações no corpo da mulher como o aumento do peso, variações de humor e diminuição da libido. De acordo com a especialista mais do que pensar apenas na alimentação, a que se obedecer algumas regras para evitar o ganho de peso nessa fase.

Flávia defende a inclusão de alimentos fontes de vitaminas, principalmente a E, que possui papel fundamental nessa fase.

— Com a diminuição dos níveis de estrógeno diminui a energia, disposição e tônus muscular. Para amenizar esses sintomas devem-se priorizar alimentos frescos ricos em nutrientes como frutas, verduras, legumes e brotos. As oleaginosas, nozes, castanhas, amêndoas, sementes de gergelim, girassol e os óleos vegetais são boas fontes de vitaminas E, que ajudam a diminuir as ondas de calor — afirma.

O consumo regular de óleos insaturados, principalmente o óleo de linhaça rica em ácidos graxos Omega 3, fibras, minerais e vitaminas ajuda a diminuir a redução da lubrificação vaginal, que auxilia no bom funcionamento do intestino e tem ação antiflamatória e lubrificante de mucosa.

— A inclusão no cardápio de alimentos como a soja, fonte de isoflavonas que imitam a ação do hormônio estrógeno também ajuda a aliviar os sintomas da menopausa. E a ingestão de alimentos crus, como frutas e verduras diminuem a acidez do sangue, o que é importante para a prevenção de osteoporose — aconselha.

Flávia alerta ainda que alimentos ricos em gorduras saturadas, alimentos refinados e muito industrializados devem ser evitados pelas mulheres principalmente na fase de menopausa. O excesso de açúcar também é prejudicial, que podem piorar as alterações de humor.

— As dietas ricas em proteínas e sal acidificam o sangue e aumentam a perda de cálcio, o que contribui para a osteoporose. As dietas ricas em proteínas e sal acidificam o sangue e aumentam a perda de cálcio, o que contribui para a osteoporose de menopausa e por isso devem ser evitados — alerta.


O QUE FAZER PARA TER MAIOR QUALIDADE DE VIDA:
:: consuma alimentos ricos em vitamina E como as oleaginosas, nozes, castanhas, amêndoas, sementes de gergelim, girassol e os óleos vegetais. Elas ajudam a diminuir as ondas de calor;

:: óleos insaturados, principalmente o óleo de linhaça rica em ácidos graxos Omega 3, fibras, minerais e vitaminas ajuda a diminuir a redução da lubrifocação vaginal;

:: por ser fonte de isoflavonas, que imitam a ação do hormônio estrógeno, a soja é altamente recomendada para as mulheres;

:: alimentos crus, como frutas e verduras, diminuem a acidez do sangue, prevenindo de osteoporose;

:: tempere as saladas com azeite de oliva extra virgem, vinagre ou molhos à base de mostarda;

:: use condimentos naturais, frescos ou secos, como cebola, alho, orégano, salsa, cebolinha;

:: no café da manhã troque o pão branco pelo integral;

:: no almoço e jantar, incremente as saladas com quinoa ou amaranto;

:: fracione mais a dieta. Faça lanches entre as refeições. Isso estimulará seu metabolismo, aumentando o gasto energético.


O QUE EVITAR:
:: alimentos ricos em gorduras saturadas, alimentos refinados e muito industrializados;

:: açúcar em excesso, pois ele contribui para as alterações de humor;

:: dietas ricas em proteínas e sal acidificam o sangue e aumentam a perda de cálcio, o que contribui para a osteoporose;

:: evite temperos como a maionese, molhos prontos e o sal nas saladas.



Por: Zero Hora - On Line - Seção: Bem estar

Publicado em: 18/11/2010

Fonte: http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1§ion=Segundo%20Caderno&newsID=a3113168.xml

Problemas cardiovasculares acompanham diabéticos em idades mais avançadas, diz estudo

Má circulação causada pelo aumento da glicose no sangue eleva risco de hipertensão.

Estudo feito com mais de 10 mil diabéticos identificou que 31% das pessoas que apresentam a doença também sofrem de problemas cardíacos. A diabetes é caracterizada pelo aumento dos índices de glicose no organismo. Como consequência, ocorre a má circulação, que obstrui os vasos sanguíneos e aumenta a chance do paciente desenvolver hipertensão arterial e doenças cardíacas.

Também foi identificado que, entre os diabéticos, dois dos principais fatores de risco estão entre os agravantes da doença: o sedentarismo, presente em 33% dos casos, e o índice de massa corpórea (IMC), que, neste grupo, é considerado inadequado para 71% dos participantes, sendo 39% com sobrepeso e 31% obesos.

— Os dados são preocupantes. É essencial que as pessoas com diabetes realizem algumas mudanças no hábito de vida. Os exercícios físicos podem melhorar a circulação sanguínea, ajudando a evitar as complicações decorrentes da doença, como problemas — explica o diretor de Prestadores e Serviços Médicos da SulAmérica, Roberto Galfi.

Os dados do estudo, realizado pela SulAmérica Saúde, foram analisados com base em um grupo de 65.700 que participaram do Saúde Ativa, programa de medicina preventiva e monitoramento da saúde.

Por: Zero Hora - On Line - Seção: Bem estar

Publicado em: 18/11/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1§ion=Segundo%20Caderno&newsID=a3113158.xml

Estudo associa excesso de refrigerantes e sucos ao risco de diabetes

Quem consumia de uma ou duas porções por dia (cerca de 340g) tinha 26% mais chances de desenvolver a doença.

O consumo excessivo de refrigerantes, sucos e outras bebidas adoçadas com açúcar, aliado ao ganho de peso, pode contribuir para o desenvolvimento de diabetes tipo 2, segundo estudo publicado na edição de novembro da revista científica Diabetes Care. De acordo com os especialistas, a ingestão dessas bebidas assim como outros alimentos açucarados deve ser limitada, para reduzir a obesidade e as doenças associadas ao excesso de peso.

Avaliando dados de diversos estudos sobre o assunto realizados até maio deste ano, incluindo um total de 310 mil participantes e 15 mil casos de diabetes, os pesquisadores da Universidade de Harvard, nos EUA, descobriram que aqueles que ingeriam mais bebidas açucaradas - uma ou duas porções por dia (cerca de 340g) - tinham 26% mais chances de desenvolver o diabetes do que aqueles que consumiam essas bebidas em menor quantidade - menos de uma porção por mês. Além disso, o consumo excessivo de bebidas açucaradas foi associado a 20% maior risco de síndrome metabólica - conjunto de fatores de risco para doença cardíaca.

“O consumo de bebidas açucaradas, incluindo refrigerantes, sucos de fruta, chá gelado e bebidas energéticas, tem crescido em todo o mundo. E o consumo regular dessas bebidas tem sido associado com ganho de peso e com o risco de sobrepeso e obesidade”, escreveram os autores. “Aliado ao ganho de peso, o maior consumo de bebidas açucaradas está associado ao desenvolvimento de síndrome metabólica e diabetes tipo 2”, acrescentaram.

Dados do Ministério da Saúde indicam que aproximadamente 11 milhões de brasileiros são diabéticos. E, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o diabetes está se tornando a epidemia do século, afetando cerca de 246 milhões de pessoas em todo o mundo, porém cerca da metade das pessoas que têm diabetes desconhece ser portadora da doença. Por isso, segundo os especialistas a prevenção é tão importante, com alimentação equilibrada, a prática regular de atividades físicas e o controle do peso.

Por: Gazeta de Alagoas - Seção: Saúde

Publicado em: 16/11/2010

Fonte: http://gazetaweb.globo.com/v2/noticias/texto_completo.php?c=216735

Alho pode ser bom contra pressão alta, revela estudo com 50 pessoas

Voluntários que tomaram extrato envelhecido tinham pressão em torno de 10 mmHg menor.

SYDNEY - Um estudo feito por cientistas australianos e publicado na revista científica Maturitas revela que alho pode ser bom contra pressão alta.

Em um levantamento de 12 semanas, envolvendo 50 pacientes, Karen Reid e colegas da Universidade de Adelaide descobriram que aqueles que tomavam quatro cápsulas por dia de um suplemento chamado "extrato de alho envelhecido" tinham pressão arterial em torno de 10 mmHg inferior ao grupo que recebeu placebo.

Karen disse que o alho, ingerido de qualquer forma (cru, fresco ou em pó) não tem o mesmo efeito. "Quando você cozinha o alho fresco, o ingrediente responsável pela redução da pressão arterial desaparece", explicou.

"O que realmente interessa é saber que o extrato de alho envelhecido é um suplemento alimentar que funciona como uma arma secreta contra a pressão sanguínea", completa.

Há muito tempo o alho tem sido considerado bom para o coração, e praticantes da medicina tradicional indiana Ayurveda têm promovido há séculos os benefícios desse bulbo como preventivo de pressão alta.

Mas Karen afirmou que sua pesquisa foi a primeira a avaliar o impacto do extrato de alho envelhecido sobre o fluxo sanguíneo. O tratamento foi pensado para ser uma alternativa a outros medicamentos.

A pressão arterial elevada é um importante fator de risco para doenças cardíacas, derrames, insuficiência cardíaca, doença vascular periférica e insuficiência renal. O risco de problemas aumenta à medida que sobe o nível da pressão. Cerca de 1 bilhão de pessoas no mundo sofrem de hipertensão.


Por: Reuters - Estadão - On line - Seção: Notícias/Saúde

Publicado em: 18/11/2010

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,alho-pode-ser-bom-contra-pressao-alta-revela-estudo-com-50-pessoas,641941,0.htm

Meditar alivia a sensação de dor

Sente muita dor? A meditação é um famoso analgésico, que diminui a percepção da dor nas pessoas, mesmo após breves sessões. Agora, um estudo revela por que: a meditação muda a forma como o cérebro processa os sinais de dor.

A prática conhecida como meditação envolve sentar-se calma e confortavelmente, e respirar uniformemente. O principal objetivo é limpar a mente, e concentrar a atenção no presente.

Estudos anteriores sugeriram que a meditação reduz a ansiedade, promove o relaxamento e ajuda a regular as emoções. Agora, a nova pesquisa descobriu que a prática de uma consciência atenta do corpo, por apenas quatro dias, afeta as respostas de dor no cérebro.

Depois de meditar, a atividade cerebral diminui em áreas dedicadas à dor e em áreas responsáveis pela transmissão de informações sensoriais. Enquanto isso, as regiões que modulam a dor ficar ocupadas e, consequentemente, a dor é menos intensa e menos desagradável.

O psicológico também interfere: a meditação pode reduzir a dor tornando as sensações físicas menos angustiantes. Todo o contexto da situação e do meio ambiente colaboram; a meditação parece atenuar esse tipo de resposta.

Além disso, não é necessário gastar muito tempo meditando para alcançar o benefício: meia hora de treino por dia durante três dias já alivia significativamente a dor, mesmo quando as pessoas não estão realmente meditando.

Para descobrir como a meditação altera a resposta do cérebro a dor, os pesquisadores reuniram 15 voluntários que passaram 30 minutos por dia, durante quatro dias, aprendendo a meditar. Antes e após o treinamento, os pesquisadores mapearam os cérebros dos voluntários usando ressonância magnética.

Durante, antes e depois de cada mapeamento, os voluntários experimentaram sensações alternativas de calor (49° C) e temperatura neutra (35° C) na panturrilha. Depois de 12 segundos, os voluntários classificaram a sua dor ao pressionar uma alavanca para a direita (se sentiram mais dor) ou para a esquerda (se sentiram menos dor). A posição da alavanca correspondia a uma escala de 1 a 10, com 10 representando a maior dor.

A meditação reduziu a percepção de dor nas pessoas em 57%. Os voluntários também relataram que a dor foi 40% menos intensa. Os cérebros dos voluntários espelharam suas percepções alteradas. A atividade caiu no tálamo, uma área profunda do cérebro que retransmite a informação sensorial do corpo para o córtex somatosensorial. O córtex somatosensorial, localizado acima da orelha, é especialista em áreas dedicadas a processamento de sinais a partir de partes específicas do corpo. Nos voluntários que praticaram a meditação, a área do córtex somatosensorial ligada a panturrilha estava “inativa”.

Enquanto isso, áreas associadas com a modulação da dor se tornaram mais ativas. Essas áreas incluíam o córtex orbitofrontal e o córtex cingulado anterior profundo, na região frontal do cérebro. O putâmen, uma estrutura enterrada no centro do cérebro, e a ínsula também mostraram mais atividade. Ambas as estruturas têm muitas funções, incluindo o controle de movimentos de sensibilização e auto-percepção.

Segundo os pesquisadores, a boa notícia é que os estudos têm mostrado que os benefícios da meditação ocorrem rapidamente. Ou seja, você não precisa ser um monge para aliviar sua dor, de forma que a meditação se torna uma opção realista para pessoas que passam por cirurgia ou têm lesões.


Por: Natasha Romanzoti - Hype Science

Publicado em: 21/11/2010

Fonte: http://hypescience.com/meditar-alivia-a-sensacao-de-dor/

5 Exercícios para reduzir as dores de quem trabalha em escritório

Um treinamento simples ajuda a reduzir a dor e melhorar o funcionamento do músculo trapézio, que vai da parte de trás do pescoço até a parte superior das costas. Os exercícios foram criados a partir de um estudo dinamarquês que tem como objetivo diminuir as lesões causadas por movimentos repetitivos no ambiente de trabalho – conhecida como LER.

Os autores do estudo citam duas pesquisas realizadas recentemente na Dinamarca, que descobriram que mais da metade das mulheres que trabalham em escritórios têm dores freqüentes no pescoço. O outro estudo mostrou que mais de dois terços das trabalhadoras que têm este tipo de dor sofrem com dor muscular no trapézio.

A equipe de pesquisadores conseguiu encontrar cinco exercícios de força podem reduzir muito a dor no pescoço. Ao perceber os motivos que levam à dor no músculo e como melhorar o problema com os exercícios, os cientistas desenvolveram uma espécie de reabilitação para os músculos danificados.

Cinco exercícios fáceis que acabam com as dores

O estudo foi realizado com 42 mulheres que trabalhavam em escritórios, realizando tarefas repetitivas no computador, por exemplo, e que afirmavam ter dores fortes na área do pescoço, além de rigidez muscular. Os pesquisadores dividiram as mulheres em três grupos, aleatoriamente.

Um grupo de 18 mulheres realizou cinco exercícios com halteres – as imagens dos exercícios podem ser encontradas aqui, onde você também pode encontrar vídeos de cada exercício, em ângulos diferentes. Os exercícios fortalecem a musculatura do ombro, e foram realizados em três séries, três vezes por semana. O peso dos halteres foi adequado à força de cada uma das participantes e foi aumentado no decorrer das dez semanas em que o estudo foi realizado.

Outro grupo de 16 mulheres realizaram exercícios na bicicleta ergométrica, com base em outros estudos, que afirmam que a melhora da condição física geral ajuda no alívio de dores musculares. Com estes exercícios, os pesquisadores dinamarqueses queriam verificar se a força e rapidez ao mover os músculos melhoraria. As mulheres deste grupo realizaram três sessões de exercícios 20 minutos por semana.

O terceiro grupo, composto por oito mulheres, recebeu conselhos individuais e em grupo sobre ergonomia no ambiente de trabalho, alimentação, saúde e relaxamento, além de dicas para controlar o stress. As sessões eram realizadas durante uma hora todas as semanas. Elas não receberam nenhum tipo de treinamento físico.

Antes e depois do fim do estudo, os participantes tiveram a força e rapidez de movimento no trapézio testadas. Além disso, os cientistas analisaram amostras dos músculos das mulheres, para observar como o treinamento afetaria as fibras musculares e os níveis de dor a cada sessão.

Segundo a pesquisa, o exercício na bicicleta ergométrica não teve efeitos significativos sobre a força e rapidez do músculo estudado. Já o treinamento com os halteres diminuiu a dor em 50%, além de aumentar a rapidez de ativação do músculo e aumentou o número de fibras musculares ligadas à força.

Para a realização de exercícios físicos, é sempre importante a orientação de pessoas especializadas, que possam ajudar para que os resultados sejam benéficos e permitam que a dor muscular melhore — e não seja substituída por outra!

Por: Alessandra Nogueira - Hype Science

Publicado em: 23/11/2009

Fonte: http://hypescience.com/24794-exercicios-reduzir-dores-de-quem-trabalha-em-escritorio/

Meditação aumenta a capacidade de atenção

Se você achava que os benefícios da meditação estavam limitados a encontrar a paz interior, um novo estudo da Universidade da Califórnia está aí para mostrar o contrário. Os pesquisadores iniciaram a pesquisa com a ideia de tirar do imaginário da população a ideia de que meditação é coisa para monges budistas isolados do mundo, e descobrir afinal o que há de positivo em fazer uma pessoa comum, que vive nas cidades, aderir à meditação.

Para tanto, recrutaram 30 voluntários que se isolaram em um retiro para meditação no estado do Colorado (EUA) enquanto outros 30 participantes seguiram vivendo normalmente no mesmo período, esperando sua vez, tendo suas vidas comparadas com as daqueles que meditavam. Três meses depois que o primeiro grupo terminou seu retiro, o segundo grupo passou pela mesma experiência. Os participantes chamados não eram exatamente iniciantes no assunto. Todos já haviam passado por pelo menos cinco sessões de meditação na vida, e a média de idade dos voluntários era de 49 anos.

Durante o retiro, que durou três meses, os participantes eram periodicamente levados a fazer um teste de concentração e raciocínio. O teste que pretendia medir a atenção era o seguinte: durante meia hora, os voluntários ficavam em frente a uma tela de computador onde apareciam linhas, que corriam através da tela na horizontal. As linhas tinham o mesmo tamanho, exceto por algumas menores. A missão dos participantes era apertar um botão o mais rapidamente quando vissem uma linha menor.

Conforme as semanas de meditação foram avançando, os participantes foram melhorando o desempenho no teste. Depois de sair do retiro, eles continuaram a ser testados com a mesma periodicidade. Até cinco meses depois do início do retiro, o desempenho seguiu aumentando, especialmente naqueles que conservaram o hábito de meditar mesmo depois de sair do isolamento.

Segundo um dos idealizadores do projeto, essa melhora foi observada porque a meditação nos ajuda a manter o foco em coisas das quais o cérebro normalmente quer se afastar. Nesse caso, foi aplicado um teste entediante, segundo as palavras do pesquisador (e vamos concordar: ficar observando linhas passarem por uma tela de computador deve ser realmente chato), e a meditação foi capaz de ajudá-los a manter a atenção.


Por: Rafael Alves - Hype Science

Publicado em: 27/07/2010

Fonte: http://hypescience.com/meditacao-aumenta-a-capacidade-de-atencao/

Gengibre pode diminuir dor muscular

Abusou do futebol no final de semana? A solução pode ser o folclórico gengibre, comumente associado a remédios populares. Pesquisadores descobriram que o consumo diário de gengibre reduz as dores musculares causadas por exercícios físicos.

O efeito do condimento como anti-inflamatório já foi comprovado em roedores. “Mas seu efeito como relaxante muscular nos humanos foi bem pouco explorado”, diz o pesquisador da Universidade de Geórgia, Patrick O’Connor.

O’Connor conduziu dois experimentos para a pesquisa. Os participantes do estudo consumiram cápsulas contendo dois gramas de gengibre (tanto crus quanto cozidos) ou um placebo durante onze dias consecutivos. No oitavo dia eles realizaram pesados exercícios físicos com carga alta para induzir lesão muscular moderada para o braço.

Os estudos mostraram que o suplemento diário de gengibre reduziu a dor induzida pelo exercício em 25%. O efeito não foi reforçado pelo aquecimento do gengibre. O estudo envolveu um pequeno número de indivíduos, no entanto, mais estudos seriam necessários para confirmar os resultados.

“A dor muscular induzida pelo exercício é um tipo comum de lesões relacionadas com esportes ou lazer”, lembra O’Connor. “Qualquer coisa que possa aliviar este tipo de dor será muito bem acolhida por muitas pessoas que passam por isso”, completa.

Por: Rafel Alves - Hype Science

Publicado em: 20/05/2010

Fonte: http://hypescience.com/gengibre-pode-diminuir-dor-muscular/

Escola iogue usa princípios indianos na educação infantil

Sentadas no chão, com as pernas cruzadas em oposição às coxas e as mãos sobre o ventre, muitas pessoas conseguem esvaziar a mente e livrar-se do estresse do cotidiano, na tentativa de chegar mais perto da sua própria espiritualidade. A meditação, que costuma ser vista como uma atividade para adultos, também pode ser realizada por crianças e fazer parte do ambiente escolar.

É o caso da Escola de Ensino Fundamental Ananda Marga, na Restinga, bairro de classe baixa em Porto Alegre. O nome parece feminino, porém significa "o caminho da boa aventurança" em sânscrito, língua indiana usada para fins religiosos. Ou seja, se você seguir a filosofia, achará o caminho do bem. E é esse o objetivo do colégio, que surgiu há 13 anos: apresentar bons rumos de vida para os seus alunos.

A Ananda Marga é mantida por uma associação beneficente indiana, chamada Amurt-Amurtel. Ela ocupa-se da educação infantil e das primeiras séries do Ensino Fundamental. O colégio segue a educação neo humanista, cujo objetivo é o desenvolvimento integrado das potencialidades do ser humano. Assim, além do currículo oficial de acordo com o Ministério da Educação (MEC), há períodos semanais de ioga e de meditação. "É quando se educa o espiritual e não apenas, o intelectual", explica a coordenadora pedagógica do local, Letícia Gomes.

A yoga está relacionada às posturas, e cada uma trabalha uma parte do corpo. Já a meditação deve provocar uma viagem ao ser interior. Quando esta é realizada por crianças, o processo é um pouco diferente da dos adultos. "Porque a realidade da criança é diferente", conta Letícia.

Assim, elas cantam um mantra em vez de ficarem em silêncio. Depois de cantarem, ficam no máximo três minutos sem falar. O mantra entoado na aula chama-se Baba Nam Kevalam, que significa "tudo é amor". "A gente diz pra eles que se poderia cantar que tudo é amor, mas em sânscrito cada som vibra um chacra", lembra. Chacras seriam canais dentro do corpo humano por onde circula energia.

Além de ser cantada, a meditação na escola é coletiva e procura ter a ajuda dos próprios alunos para ser organizada. Cada turma fica responsável por prepará-la uma vez por semana. Os grupos costumam levar uma música ou uma história para refletirem juntos.

Letícia garante que a atividade faz efeito nas crianças. No seu trabalho de pós-graduação, a coordenadora focou uma turma de 2ª série que apresentava casos de brigas frequentes. "No dia em que meditavam, eles rendiam mais na aula e havia menos conflitos", orgulha-se sobre o resultado na concentração dos pequenos. "Mas mesmo sem a pesquisa, a gente nota no dia a dia que a própria resolução dos problemas do cotidiano costuma ser feita de maneira pacífica, na conversa".



Por: Terra - On Line - Seção: Notícias

Publicado em: 23/11/2010

Fonte: http://noticias.terra.com.br/educacao/noticias/0,,OI4806719-EI8266,00-Escola+iogue+usa+principios+indianos+na+educacao+infantil.html

Massagem pode ajudar a recuperar o equilíbrio

A drenagem linfática já faz parte do dia-a-dia de muitas mulheres e é ajuda indispensável na hora de manter o corpo enxuto. Para quem quer experimentar a técnica, a primeira providência é contratar profissionais qualificados, formados em cursos técnicos (sérios) ou de bacharelado, em faculdades ou instituições reconhecidas pelo Ministério da Educação.
A prática auxilia o organismo a drenar “toxinas” da corrente sanguínea, melhorando a circulação e oxigenação dos tecidos; alivia dores e inchaço; diminui a sensação de peso nas pernas e oferece conforto. Para garantir resultados mais satisfatórios, a combinação da drenagem linfática com outros tratamentos estéticos (aparelhos, cremes) traz retorno mais rápido e eficaz na luta contra a flacidez e as terríveis celulites.
Por outro lado, para quem prefere apenas relaxar com o toque das mãos no corpo, há várias opções. Uma delas é a massagem ayurvédica, que busca o equilíbrio do organismo por meio da ativação de pontos de energia no corpo.
A técnica também estimula o sistema linfático, acelerando a eliminação de líquidos e toxinas pela urina e ajuda a reduzir a celulite. A massagem trabalha com pressão e fricção nos pontos chamados marmas, usando óleos aromáticos e ervas. Através de toques profundos com as mãos, cotovelos e pés, proporciona alinhamento postural, alívio das tensões e tem efeito antiestresse. “É indicada para recuperar o equilíbrio energético nas situações de desgaste psicofísico”, ressaltam os fisioterapeutas.
Outras técnicas para relaxar são: massagem californiana, massagem tailandesa, relaxamento coreano e shiatsu.

Por: Jornal da Manhã - On line - Seção: Saúde

Publicado em: 18/11/2010

Fonte: http://www.jmonline.com.br/novo/?noticias,7,SA%DADE,37325

Extrato fitoterápico de sucupira é analgésico e anticâncer

Cientistas brasileiros já haviam descoberto que a fava de sucupira é eficaz contra o câncer.

Agora eles descobriram que dois outros compostos também extraídos da sucupira - vouacapano e geranilgeraniol - têm efeitos analgésicos e anticâncer, ou antitumoral.

Os experimentos foram feitos pelo farmacêutico Humberto Moreira Spíndola, do Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas (CPQBA), da Unicamp.

Analgésico fitoterápico

Os primeiros resultados positivos os efeitos dos extratos de sucupira foram confirmados em roedores. Trata-se ainda de uma pesquisa básica, mas que traz a possibilidade, em alguns anos, de resultar em um novo produto fitoterápico para o tratamento da dor.

Os cientistas já cogitam de aplicações tópicas como pomadas ou creme de massagem, para aliviar as dores reumáticas, além de um produto de uso oral também indicado para essas dores.

Além do desenvolvimento de um fitoterápico produzido com o extrato bruto ou uma fração enriquecida com os princípios ativos, existe a possibilidade de desenvolvimento de um medicamento somente com o uso de uma substância ativa. "Pode ser um medicamento para tratamento inclusive da dor do câncer", relata o pesquisador.

Sementes e folhas de sucupira

O trabalho desenvolvido por meio de modelos in vitro e in vivo fez a avaliação de extratos, frações e compostos obtidos da sucupira (Pterodon pubescens Benth).

A sucupira é uma árvore alta, que atinge cerca de 40 metros, sendo encontrada no Cerrado dos Estados de Minas Gerais, Goiás, São Paulo e Mato Grosso do Sul e região Nordeste.

Mary Ann Foglio, que coordena as pesquisas, relembra que a literatura também atribui à sucupira uma ação anti-inflamatória - como tônico depurativo -, analgésica e, pelo uso popular, antirreumática. Da semente, se extrai um óleo viscoso e cada parte da planta acumula diferentes tipos de substâncias.

As sementes são facilmente achadas no mercado popular de plantas e, por terem passado por um processo de secagem, têm uma boa preservação, o que tem gerado grande interesse comercial por elas. Desta forma, como a procura é intensa, mais do que nunca hoje existe a necessidade de comprovar a segurança de seu uso pela população.

As folhas de sucupira já foram igualmente analisadas, relata Spindola, "não tendo a mesma atividade que os extratos das sementes, provavelmente por não conterem os mesmos princípios ativos". Um dos pontos favoráveis da semente é que se trata de um material renovável e que fornece o produto com atividade analgésica e anticâncer, não exigindo derrubada de árvores."


A sucupira é uma árvore alta, que atinge cerca de 40 metros, sendo encontrada no Cerrado dos Estados de Minas Gerais, Goiás, São Paulo e Mato Grosso do Sul e região Nordeste. [Imagem: UNB]
Dor e nocicepção

Em um estudo anterior desenvolvido no CPQBA, averiguou-se a variabilidade de sementes de diferentes origens, notando-se que todas elas tinham as mesmas classes de compostos, contudo com algumas variedades.

Também foi avaliada a potência destas sementes e observou-se que todas elas acabaram por acumular um composto bastante estável, um vouacapano (vouacapano é uma família de compostos; portanto pode-se falar genericamente um vouacapano ou chamá-lo por seu nome, que é "éster 6α,7β- diidroxivouacapano-17β oato de metila"), envolvido tanto na atividade analgésica como na atividade anticâncer.

Spindola primeiramente fez o fracionamento e a padronização do material que seria testado, partindo, a seguir, para a avaliação da atividade em diversas linhagens tumorais humanas. Constatada a atividade in vitro, o próximo passo foi realizar o ensaio in vivo, mediante padronização de um modelo experimental utilizando camundongos.

Foram feitos experimentos da atividade antinociceptiva (contra a excitação nervosa que provoca uma sensação dolorosa ou sua reação) e depois a determinação de possíveis mecanismos de ação que possam estar envolvidos na atividade dos compostos com maior potencial de atividade analgésica. A principal conclusão foi que ela funciona.

Foglio explica a diferença entre a atividade nociceptiva e a dor: o último termo é relacionado mais ao ser humano, pois envolve componentes ligados ao sofrimento, ocasionados pelo estímulo. A dor envolve inclusive a reação psicológica do indivíduo. Com o animal, não há condições de mensurar isso. Na verdade, o que se mensura é a resposta a um impulso dolorido. Logo, isso está ligado à nocicepção, que pode ser avaliada experimentalmente.

Analgésico sem efeitos colaterais

Diferente dos mecanismos de ação da morfina, por exemplo, as substâncias estudadas demonstraram potencial para inibir a dor, sendo que os estudos de toxicidade determinarão se os efeitos adversos serão menores do que os produzidos pelos produtos disponíveis no mercado. "Interessa-nos encontrar substâncias que, além da atividade analgésica, tenham menos efeitos adversos", expõe a orientadora.

Foram reproduzidos alguns ensaios para comparar a morfina com as substâncias isoladas do extrato. Quando se avalia a ação analgésica, exemplifica Foglio, diversos mecanismos podem estar envolvidos. E ele avaliou alguns destes mecanismos, que envolvem oito vias. Dentre elas, foram identificadas duas vias principais: a serotonina e os receptores imidazólicos.

Spindola pontua que ainda há muito a se fazer na etapa de mecanismos de ação, porém o que se pôde apurar foi a possibilidade de descartar outras vias e, descartando-as, consegue-se determinar estas duas como as principais, pelas quais estes compostos atuam modificando a atividade fisiológica.

Da planta ao medicamento

Contudo, para chegar a um novo medicamento a partir desta planta, avisa Foglio, é preciso comprovar três parâmetros.

O primeiro é se ele é eficaz: se tem atividade analgésica e/ou contra o câncer. O pesquisador conseguiu comprovar que funcionava e agora está tentando esclarecer de que maneira funciona.

O segundo é a reprodutibilidade deste produto, que está relacionada com sua constância. Quando se trabalha com extratos e, portanto com uma mistura de muitas substâncias, é preciso garantir que isso seja reprodutível. O trabalho de Spindola conseguiu contemplar o parâmetro de eficácia enquanto a aluna Leila Servat, na sua dissertação de mestrado, os parâmetros de reprodutibilidade.

O terceiro parâmetro, o de segurança, está envolvido com a toxicidade. Como são os efeitos sistêmicos dos produtos dessa planta? Muitos falam de uso crônico ou uso continuado. A pessoa pode usar este produto todos os dias sem nenhum problema?

Estas indagações poderão em parte ser respondidas pelos estudos de toxicidade não clínica. Esta etapa deverá ser iniciada em breve. Se o produto não apresentar toxicidade, a outra parte da comprovação virá com os estudos clínicos em pacientes. "Mas será um longo estudo", adianta o pesquisador.

Medicamento fitoterápico

Entre o saber popular que funciona, até chegar a um medicamento, passam-se anos. Isso ocorre porque é necessário comprovar que o princípio ativo funciona, que se consegue fazer um produto reprodutível e que ele é seguro.

Spindola enfatiza que estes estudos ainda estão numa etapa inicial em que se comprovou que os extratos da planta funcionam.

Muitos fatores têm que ser considerados, mas de que forma? "Quando se fala em forma, estão sendo inclusive consideradas as formulações: fazer um produto de uso oral ou tópico?", ensina Foglio. "Há um leque muito abrangente de perspectivas. Se for tópico, pela legislação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), é necessário fazer todos os estudos de toxicidade que incluem os de irritação da pele e de toxicidade oral, de doses repetidas. Basicamente esses estudos avaliam se o uso continuado de uma substância pode apresentar efeitos adversos graves que inviabilizem sua utilização em humanos."

Caso não sejam observados efeitos adversos graves, prossegue ela, os estudos clínicos podem ter início e compreendem várias etapas. Para avaliação da atividade analgésica, na primeira etapa o produto é avaliado em voluntários sadios, quando podem ser observados efeitos adversos e realizados estudos de farmacocinética (absorção, distribuição, metabolismo e eliminação da substância do organismo).

Aprovado nessa etapa, na segunda o produto será avaliado em um grupo reduzido de pacientes, agora avaliando a eficácia e também os possíveis efeitos adversos. Na terceira etapa, envolvendo um grupo com número elevado de pacientes, sua eficácia será comparada com outros produtos já existentes para a mesma indicação.

Para avaliação da atividade anticancerígena, os estudos clínicos têm início com pacientes cuja doença esteja em estado avançado. Passando por essa primeira fase, é possível avaliar a atividade em pacientes com a doença em estágios iniciais. "É um trabalho que irá consumir pelo menos dez anos até conseguir colocar o produto no mercado", estima Foglio. "Enquanto não forem realizadas todas as etapas, não se pode, de maneira alguma, recomendar o produto."

Fitoterápicos e Anvisa

Infelizmente muitas pessoas, ao saberem dessa pesquisa, ficam sobremodo empolgadas e já querem ver resultados. "É necessário tomar cuidado, pois sabemos que ela funciona em animais, conhecemos as substâncias envolvidas, mas ainda não temos dados suficientes de segurança e eficácia clínica", salienta Spindola.

Conforme a orientadora do estudo, o órgão que regulamenta o uso de medicamentos fitoterápicos é a Anvisa. Os resultados de todos esses estudos são avaliados por esta Agência que poderá, ou não, registrar o produto. Com o registro, a empresa pode iniciar a comercialização do produto. Isso significa que na embalagem e no rótulo de cada medicamento deve existir um número de registro fornecido pela Anvisa.

Muitas "empresas", de forma ilegal, comercializam produtos sem essa autorização, expondo a população a sérios riscos. Deve-se portanto sempre adquirir os produtos em farmácias e drogarias, e verificar se o número de registro consta no produto. Produtos comercializados pela Internet geralmente não possuem o registro, adverte João Ernesto. Na dúvida, o paciente deve consultar a Anvisa através de sua página na Internet: www.anvisa.gov.br.

Isso também está acontecendo com as sementes de sucupira. Algumas "empresas" estão comercializando produtos à base dessas sementes, inclusive utilizando dados desses estudos da Unicamp. "Podemos afirmar que até o momento não existem medicamentos fitoterápicos à base de sucupira autorizados (registrados) pela Anvisa", informa João Ernesto.

A pesquisa de Spindola contou com o amparo de uma equipe formada por botânicos, agrônomos, farmacêuticos, químicos e médicos. Outras pesquisas estão sendo realizadas para a padronização e estabilidade do extrato. Também estão sendo desenvolvidos processos de microencapsulação para viabilizar a proposição de novos produtos.




Por: Isabel Gardenal - Jornal da Unicamp - Diário da Saúde

Publicado em: 25/11/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=extrato-fitoterapico-sucupira-analgesico-anticancer&id=5978

Erva daninha pode ser esperança contra o câncer

Erva benéfica

Pesquisadores da Universidade do Vale do Itajaí (Univali) descobriram um princípio ativo em uma planta comum no Brasil, frequentemente descrita como erva daninha, que poderá se transformar em uma nova arma contra o câncer.

A erva-de-são-simão (Vernonia Scorpiodes) é uma espécie endêmica e pode ser encontrada em pastagens, terrenos baldios e beira de estradas.

Agentes antitumorais

Os pesquisadores da Univali descobriram que compostos químicos presentes na planta têm a capacidade de destruir células de melanoma e adenocarcioma.

"Os resultados são importantes na busca por agentes antitumorais que, somados ao estímulo ao sistema imune, auxiliam no combate à doença", afirma Tania Mari Belle Bresolin, coordenadora do Mestrado em Ciências Farmacêuticas da Univali.

Atividade seletiva

Os extratos e frações da planta demonstraram possuir atividade seletiva, sendo cicotóxicos apenas para células tumorais, apresentando, inclusive, efeito estimulador sobre as células de defesa do organismo. Os testes foram realizados em modelos animais.

Os pesquisadores, contudo, não recomendam o uso direto da planta, já que ela contém também compostos nocivos. "Alguns compostos isolados da planta afetam também as células não-tumorais. Os estudos são preliminares e ainda são necessários testes complementares para garantir a efetividade e segurança do uso da planta", diz Tania.

Próximos passos

Ainda não há previsão de testes em humanos. Os pesquisadores esperam que a divulgação dos resultados preliminares desperte o interesse na pesquisa por parte da indústria farmacêutica. "A planta estava sendo pesquisada há seis anos. É a continuidade dos estudos que permitirá a identificação dos agentes imunoestimuladores e quimioterápicos", completa a pesquisadora.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 26/03/2009

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=erva-daninha-pode-ser-esperanca-contra-o-cancer&id=3980

Técnicas de Massagens Relaxantes

A correria do dia a dia vai nos proporcionando um desgaste emocional e se aliado ao descuido vão deixando no nosso corpo sinais de stress como dores fortes de cabeça, enrijecimento de nervos e músculos, queda de cabelos e até mesmo acelera o aparecimento de rugas e linhas de expressão. Para amenizar os efeitos colaterais da vida diária é aconselhável ter sessões de massagens periodicamente.

“Para se gozar de boa saúde, é preciso tomar um banho perfumado e fazer uma massagem com óleos todos os dias." já dizia Hipocrates, pai da medicina há mais de 3000 anos atrás. Contudo a massagem não deve ser encarada como um tratamento convencional, e sim como uma terapia complementar. Mesmo com o avanço da ciência atual e o surgimento de novos tratamentos, a massagem continua com grande procura, por ser ela uma alternativa barata, rápida e menos agressiva do que os tratamentos convencionais.

No que se diz respeito ao corpo, a massagem melhora os sistemas circulatório, muscular e nervoso, agudando também o corpo a assimilar os alimentos e a eliminar os produtos residuais. Nos parâmetros psicológicos e emocionais ela tem efeitos calmantes e tranquilizantes contribuindo decisivamente para a melhoria do bem estar. E ela não possui contra-indicação, podendo ser realizada tanto em gestantes como em bebês, aliás, elas ajudam a aumentar o laço afetivo dos pequenos com as mamães.

Hoje em dia com a popularização dessa terapia, cinco tipos de massagens relaxantes se destacam como as mais procuradas pelo público.

A Massagem Ayurvédica, uma das mais tradicionais com sua origem datada a mais de 5 mil anos é a terapia complementar associada à Medicina Ayurvédica (corporificada nos Vedas), de raízes milenares na Índia e que engloba todos os aspectos da saúde física, mental e espiritual das pessoas.

Uma técnica de massagem que atinge profundamente o corpo, ela alia movimentações vigorosas em toda a massa muscular conjuntamente com manobras de tração e alongamento, além da estimulação de pontos e órgãos vitais (energizando se estiverem bloqueados e controlando se estiverem muito ativos).

Nessa massagem são usados óleos naturais especiais, aquecidos à temperatura ambiente ou um pouco superior, escolhidos especificamente para cada pessoa de acordo as características psicológicas e físicas dela. Após uma sessão da massagem Ayurvédica o paciente sente-se com uma sensação de frescura, leveza e tranquilidade.

Drenagem Linfática Manual

A Massagem de Drenagem Linfática Manual é uma técnica específica de massagem realizada com as mãos, ela se caracteriza por movimentos circulares, curtos e leves de compressão e bombeamento e em espiral, suaves e precisos, trabalhando intensamente nos centros dos gânglios linfáticos.

Deve-se tomar cuidado ao escolher essa terapia, é aconselhável procurar um profissional, pois qualquer pressão em excesso pode ser muito dolorosa e provocar sensações de desconforto.

Indicada para situações de retenção de líquidos, pernas pesadas e cansadas, alterações de pele como úlceras e acne, perturbações articulares, pós-cirurgia plástica, pós-lipoaspiração, edemas de gravidez e celulite.

Shiatsu

Shiatsu significa, "pressão com os dedos". É uma técnica que combina a massagem com a pressão nos pontos de acupuntura chinesa. E este método de terapia visa à recuperação e manutenção da saúde através do alinhamento energético do corpo.

A massagem Shiatsu implica o conhecimento dos meridianos (linhas energéticas) do corpo, cujo fluxo harmonioso leva ao equilíbrio integral da pessoa. Ela é praticada exercendo pressão controlada sobre os fluxos energéticos através dos meridianos, em pontos específicos, para desbloquear e estimular a energia.

Massagem Sueca

A Massagem Sueca deriva das [b]massagens[b] aplicadas na Grécia Antiga, essa técnica utiliza cinco estilos básicos de manobras: o deslizamento, a pressão, a percussão, a fricção e a vibração. A mesma tem-se revelado muito útil na redução da dor e na redução da rigidez articular.

Nesse tipo de massagem costumam serem aplicados determinados óleos de ou pó de talco, para reduzir a sensação de fricção. É curioso, pois na Suécia essa terapia é conhecida como “Massagem Clássica” e não com a expressão "Massagem Sueca".

Também conhecida por Massagem Thai-Yoga ou Nuad Bo Ran, é tradicional na Tailândia onde é praticada há cerca de 2.500 anos. Esse tipo de terapia é muito conhecido por utilizar certos alongamentos que são bastante semelhantes a certas posturas de Yoga.

O objetivo dessa massagem é desbloquear os canais e permitir que o fluxo de energia corra livremente. Essa terapia utiliza o corpo inteiro é feita no chão e abrange movimentos rítmicos, pressão palmar e pressão polegar em pontos específicos ao longo dos meridianos energéticos, estiramentos suaves e utilização consciente da respiração.

O terapeuta desse tipo de massagem utiliza as suas mãos, pés, braços e pernas para guiar o paciente em várias posições de Yoga e "trabalhar as linhas de energia" que circulam no corpo humano. É, contudo, pelo uso das manipulações que esse tipo de massagem adquiriu maior fama. É uma técnica bastante vigorosa, porém agradável.

Com o corpo e, sobretudo, a mente relaxada, tudo se torna mais fácil, pois conseguimos ver o que está por trás dos problemas e encará-los de forma menos hostil e agressiva. A massagem é uma ótima aliada para uma vida mais longa e saudável.


Por: Eloísa Alves Micuinha - Redação Portais da Moda

Publicado em: 30/11/2010

Fonte: http://www.portaisdamoda.com.br/noticiaInt~id~22677~n~tecnicas+de+massagens+relaxantes.htm

Homeopatia: alternativa à frustração

Pacientes desiludidos e cansados dos tratamentos convencionais compõem o perfil da maioria que opta por recursos mais naturais.

Mayze dos Santos, 46 anos, sofria de uma dor na coluna chata, insistente. Cansada da quantidade de medicamentos que era obrigada a tomar na tentativa de eliminar o sintoma, a fonoaudióloga deu início a um tratamento homeopático. Assim como Mayze, esse é o principal perfil da maioria das pessoas que decidem colocar os pés, pela primeira vez, em um consultório de um médico homeopata.

Entre elas estão, principalmente, portadores de doenças crônicas. Frustrados com o baixo retorno dos tratamentos convencionais se comparado à grande agressão que os medicamentos alopáticos tradicionais – como antibióticos, antialérgicos e corticóides - submetem o organismo, esses pacientes têm encontrado na homeopatia uma forma de atingir o resultado que procuram.

“A utilização crônica de medicamentos convencionais assusta os pacientes que têm medo de reações colaterais e também tem dependência deles. Quem procura a homeopatia costuma ser também aquelas pessoas descontentes com atendimento médico tradicional, muito rápido e sem individualização ou personalização do doente”, avalia o homeopata Sérgio Furuta, diretor da Associação Paulista de Homeopatia.

A individualização do paciente e o seu tratamento como um todo, e não apenas dos sintomas, estão entre os principais princípios norteadores da homeopatia, que procura tratar os indivíduos levando em conta suas características emocionais, psicológicas e físicas.

Sistematizada em 1796 pelo médico alemão Samuel Christian Hahnemann, a homeopatia considera que o homem é portador de uma energia vital, responsável pelo funcionamento saudável do corpo, coordenando suas defesas naturais contra as doenças.

Por meio de preparações bastante diluídas de substâncias naturais, normalmente de origem vegetal e mineral, destinadas a aumentar as capacidades curativas que o organismo possui, a homeopatia trata a pessoa dentro da sua globalidade.

Dentro dessa visão, a doença é concebida como um desequilíbrio interno e os homeopatas se esforçam para resolver os problemas subjacentes sem atacar unicamente os sintomas. “Trata-se de um tratamento realizado de dentro para fora, que procura eliminar aquilo que desequilibrou a energia vital do indivíduo”, explica o homeopata Admir Franzolin.


O tratamento

Segundo os especialistas, quanto mais os efeitos de uma substância se aproximam dos sintomas do paciente, mais suas virtudes terapêuticas são importantes na cura do paciente. Diferentemente da medicina tradicional, que atua pela “ação dos contrários”, a homeopatia é pautada pela lei dos semelhantes, que pressupõe que a chamada energia do medicamento deve ser igual a da doença. Ao mesmo tempo, quanto mais uma substância é diluída, maior será sua eficácia.

“O medicamento homeopático é resultado da transformação de uma matéria em energia e a energia que eu coloco em contato com o indivíduo simula a enfermidade que ele possui; é como se eu colocasse a doença dentro da doença. Na verdade, eu estou estimulando todo o sistema imunológico a combater a doença”, pontua o homeopata Celso Felício de Carvalho.

Segundo explica o médico, para que o medicamento gere resultados, além de semelhar-se ao comportamento da doença, precisa ser mais forte do que ela em potência. “À medida que eu diluo o medicamento, eu estou aumentando-o em potência, energia. Por ser mais forte que a doença, o remédio a elimina”, afirma.


A busca pelo medicamento adequado

Uma avaliação criteriosa que considere de sintomas físicos a emocionais, até características biológicas referentes ao temperamento e preferências alimentares, assim como reações ao clima ou acontecimentos, é primordial na busca pelos medicamentos mais adequados a cada pessoa que opte por um tratamento homeopático.

“Os médicos têm de saber fazer as perguntas corretas para conseguir saber do paciente o sintoma que ele precisa para fazer a leitura do remédio. E essa investigação inclui até, por exemplo, descobrir em que posição a pessoa dorme”, explica o homeopata Celso Felício de Carvalho. “Além dos sinais físicos, cores de cabelo, pele e olhos têm muito a dizer ao homeopata. Uma pessoa baixinha, gordinha e de dedos curtos, por exemplo, tem remédios que são mais frequentes para ela”, completa.

Embora existam espécies de “guias” onde médicos e leigos encontram sistematizados os principais medicamentos, suas características e o tipo de pessoas a eles relacionadas , a farmacêutica homeopata Tânia Negrão destaca a importância do acompanhamento médico.

“Conhecer as características dos medicamentos é importante para que as pessoas compreendam melhor como a homeopatia age. Mas muitos fatores são considerados para que o paciente seja diagnosticado e um remédio prescrito”, alerta.

“Nada de tomar o remédio receitado para o vizinho. Cada pessoa é única e uma mesma dor de cabeça pode ser tratada de diferentes maneiras, dependendo do paciente. Isso porque a homeopatia não trata, por exemplo, uma dor de cabeça, mas um indivíduo com dor de cabeça”, esclarece.

Por: Karla Beraldo - Redação: Jornal da Cidade Baurú

Publicado em: 28/11/2010

Fonte: http://www.jcnet.com.br/detalhe_geral.php?codigo=196818

Acupuntura é eficaz no alívio da dor

Tratamento milenar oriental acalma células cerebrais, constata estudo.

Uma nova pesquisa acaba de comprovar a eficácia da acupuntura. Cientistas da Universidade Hospital de Essen, na Alemanha, constatou que a técnica chinesa milenar acalma as células cerebrais responsáveis pela percepção de dor, ajudando a diminuir a sensibilidade do paciente na região atingida.

No experimento, 18 voluntários foram submetidos a choques elétricos enquanto seus cérebros eram examinados. Depois, passaram pela mesma experiência, mas, dessa vez, com as agulhas da acupuntura colocadas entre os dedos das mãos, abaixo do joelho e próximo ao dedão do pé. "A ativação de áreas do cérebro envolvidas na percepção da dor foi significativamente reduzida ou modulada com a acupuntura", conta a pesquisadora Nina Theysohn.

Um estudo similar já havia indicado, recentemente, que o simples ato de colocar agulhas na pele e retorcê-las produz uma série de analgésicos naturais. Porém, os especialistas de nenhum dos dois estudos parecem dispostos a concordar que o efeito acontece porque as agulhas “balanceiam as forças vitais”, nem confirmar os demais benefícios clamados pela acupuntura, como o combate a alergias e ao hábito de fumar.

Por: Veja - On line - Seção: Saúde

Publicado em: 30/11/2010

Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/saude/pesquisadores-confirmam-beneficios-da-acupuntura

Para que serve a Acupuntura?

Especialista garante que tratamento é uma forma eficaz de readquirir a harmonia perdida.

Além dos casos de dor, várias doenças funcionais podem ser tratadas pela acupuntura. Dentro da concepção chinesa, a doença é uma manifestação de desequilíbrio, e a acupuntura seria uma forma de readquirir a harmonia perdida.

A acupuntura é um ramo da Medicina Tradicional Chinesa e um método de tratamento considerado complementar de acordo com a nova terminologia da OMS - Organização Mundial de Saúde.

Para a especialista Ana Flávia Ferreira Pezzuti da Clínica Mabel Sayegh, entre as doenças tratáveis pela acupuntura estão: dores em geral, especialmente do aparelho músculo-esquelético, gastrite, stress, distúrbios hormonais, insônia, asma, distúrbios menstruais, paralisia facial, sinusite, incontinência urinária.

Por: Jornal Araxá - Seção: Saúde

Publicado em: 02/12/2010

Fonte: http://www.jornalaraxa.com.br/noticias/?SESSION=noticias&PAGE=noticia&ID=413

Meditação ganha seguidores interessados em saúde e alívio para estresse

Prática nos faz entender fatores do sofrimento, em vez tentar supri-lo ou evitá-lo.

O ímpeto de buscar a felicidade, atrelando-a a prazeres, cria expectativas desproporcionais. Se eu comprar um carro novo, serei feliz, ou se eu passar no vestibular, minha felicidade estará garantida, pensamos.

— Isso gera um constante estado de perturbação mental. Sempre estamos jogando para o futuro situações que não dependem só de nós. Dependem de eventos, de outras pessoas, gerando uma condição de estresse, já que não temos controle sobre esse tipo de acontecimento — afirma o engenheiro Régis Guimarães.

Aos 71 anos, ele é um dos criadores da Sociedade Vipassana de Meditação, grupo não religioso e sem fins lucrativos que se dedica à prática e aos ensinamentos dessa técnica de meditação de matriz budista. Segundo ele, todos podem, por meio do conhecimento de si mesmos, mitigar a dor e a frustração.

— A meditação nos faz entender os fatores do sofrimento, em vez tentar supri-lo ou evitá-lo. Um resumo seria: "Não tente ser feliz. Pare de sofrer". A felicidade é decorrente, surge quando você elimina o sofrimento — explica Régis, praticante da vipassana desde 1985.

Apesar dos seus milhares de anos de história, a meditação ainda padece, em grande parte do Ocidente, de uma aura de misticismo que impede muitos de a conhecerem mais profundamente. Entretanto, os benefícios visíveis já despertam a atenção da comunidade científica brasileira. Mais ainda, membros dela, que já colocam a meditação como prática constante, se valem dos seus conhecimentos acadêmicos para "legitimar" a prática fora do âmbito religioso.

— A razão de eu ter me interessado pela meditação é que, como médico, procuro o melhor para os meus pacientes. Nesses 43 anos de profissão, garanto: nada é mais poderoso no sentido de recuperar e de manter a saúde do que a meditação — diz o médico Carlos Eduardo Tosta da Silva, professor da Universidade de Brasília (UnB).

Prática sob análise científica

Ele foi orientador da primeira dissertação de mestrado que pôs a meditação prânica sob análise científica no mundo, apresentada mês passado na universidade pelo biólogo César Augustus Fernandes da Silva.

— Como vimos que ela trazia benefícios para os praticantes, resolvemos submeter a meditação prânica à metodologia científica para entender esses efeitos e os mecanismos envolvidos — lembra César.

A análise, que durou 10 semanas, envolveu voluntários saudáveis em um curso de meditação prânica, com aulas semanais de três horas de duração e prática diária em casa. Orientador e aluno avaliaram o nível das células do sistema imunológico que participam da regulação e da manutenção da saúde, assim como o comportamento de hormônios envolvidos em situações de estresse.

— Os resultados mostraram que a meditação prânica foi capaz de aumentar a atividade dos fagócitos, células que captam agentes infecciosos, ingerem-nos e os digerem, produzindo radicais microbicidas. Além disso, os hormônios estudados, abundantes no estresse, tiveram seus níveis reduzidos — completa o médico.

Fortalecendo o cérebro

Régis Guimarães, da Sociedade Vipassana, relaciona a decisão de se iniciar uma experiência meditativa com a entrada em uma academia. Quando alguém percebe que o físico necessita melhorar, se vale de exercícios para fortalecê-lo. A meditação faz isso com o cérebro, fazendo com que ele possa se antecipar aos impulsos ao garantir uma melhor observação da realidade.

— A meditação tem a função básica de trazer o indivíduo para um estado de tranquilidade. Você tem que baixar o nível de seu sistema hormonal. A partir desse estado, abre uma janelinha do seu interior.

Antever os acontecimentos não tem nada a ver com previsão de futuro. Régis explica que o cérebro é dividido em três partes: o córtex, que controla o lado mais racional do ser humano; o límbico, mais voltado para o emocional; e o reptiliano, que tem controle sobre as ações involuntárias. Essas últimas, tais como o batimento cardíaco ou o piscar dos olhos, são as mais primitivas e também podem ser relacionadas ao estado de vigília constante contra os perigos.

— Todo nosso processo de sobrevivência é comandado pelo reptiliano, que tem que ser rápido. E, por sermos seres reativos, mesmo as decisões conscientes serão reações aos nossos valores, quando defendemos nosso próprio eu.

O engenheiro afirma que a meditação exerce poder sobre o consciente para que ele possa perceber essas reações antes de serem postas em prática — dessa forma, ninguém toma decisões impensadas.

— Essa é a beleza da meditação: criar as condições para que você perceba, cada vez mais cedo, a origem do sinal.



Por: ClicRBS - Seção: Notícias - Fonte: Correio Braziliense

Publicado em: 29/11/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/sc/donnadc/19,0,3121111,A-pratica-da-meditacao-ganha-seguidores-interessados-em-saude-e-alivio-para-o-estresse.html

Comida natural nem sempre é melhor

É preciso comer 425 tomates por dia para conseguir uma quantidade significativa de fitoesterois, substância que ajuda a controlar o colesterol. Ou então, duas colheres de creme vegetal enriquecido com a substância.
A comparação é do pesquisador Gert W. Meijer, que não por acaso é o vice-presidente de Nutrição e Saúde da Unilever. Segundo ele, comida industrializada pode ser melhor do que natural.
"Alimentos processados mantêm um padrão de qualidade e têm rótulos com informações sobre seus ingredientes e nutrientes", disse.
Outra vantagem, de acordo com Meijer, é a segurança e a conservação. "O alimento in natura pode estar contaminado por bactérias e fungos. Além disso, logo após a colheita, eles começam a perder qualidade nutricional."
Não é só a indústria que vê vantagens nos processados. Para a nutricionista Cynthia Antonaccio, da Equilibrium Consultoria, natural também não é sinônimo de saudável.
"É preciso esquecer a ideia de que todo alimento natural é saudável e todo industrializado é ruim. O açúcar da cana faz mal a diabéticos e o leite integral e os queijos caseiros têm gordura saturada."
Alguns processados concentram nutrientes presentes em pouca quantidade em frutas, verduras e legumes. Há cereais com adição de vitaminas e cremes vegetais com fitoesterois e ômega 3.
"Às vezes, a industrialização deixa o produto mais palatável. É o caso de alguns cereais e bebidas à base de soja", diz Antonaccio.
Segundo o médico nutrólogo José Alves Lara Neto, membro da Associação Brasileira de Nutrologia, é muito mais fácil pensar em boa alimentação com produtos industrializados saudáveis.
"Poucas pessoas conseguem planejar o cardápio e ingerir porções ideais de proteínas, carboidratos, frutas, legumes e verduras."

SÓ NOS NATURAIS
"Só precisamos de alimentos enriquecidos com nutrientes porque existem os industrializados sem nenhum valor nutricional", diz George Guimarães, nutricionista especialista em dietas vegetarianas da Nutriveg.
Para ele, apesar de terem nutrientes, produtos processados são limitados. "Eles não têm uma variedade de vitaminas e uma quantidade proporcional de fibras. Sempre sobrevivemos sem alimentos com fitoesterol."
Além disso, muitos industrializados ainda têm sal demais. "A embalagem pode dizer que o produto tem mais fibras ou menos sódio, mas dificilmente uma bolacha tem mais fibras do que uma concha de feijão ou uma xícara de cenoura ralada", afirma a nutricionista Fernanda Pisciolaro, da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica).


Por: Umurama Ilustrado - On line - Seção: Saúde

Publicado em: 03/01/2011

Fonte: http://www.ilustrado.com.br/?mod=not&id_not=5340

Tamanho do dedo indicador aponta risco de câncer de próstata

Uma nova pesquisa médica afirma que o comprimento dos dedos de um homem pode indicar qual o risco de desenvolvimento de câncer de próstata.

O estudo, publicado na revista especializada British Journal of Cancer, descobriu que homens cujo dedo indicador era mais longo do que o dedo anular tinham uma probabilidade significativamente menor de desenvolver a doença.

Os pesquisadores fizeram a descoberta depois de comparar as mãos de 1,5 mil pacientes com câncer de próstata com as mãos de 3 mil homens saudáveis.

O comprimento dos dedos é determinado durante a gestação e estaria ligado aos níveis de hormônios sexuais no útero da mãe.

De acordo com os cientistas do Instituto de Pesquisa do Câncer da Universidade de Warwick, a criança terá um dedo indicador mais longo se for exposta a níveis menores de testosterona antes do nascimento, o que poderá ser uma proteção contra o câncer de próstata na fase adulta.

Risco pelo dedo

Uma das autoras da pesquisa, a professora Ros Eeles, afirmou que ainda serão necessários mais estudos nesta área, mas, se esta descoberta for confirmada, poderia ser usada para um exame simples que poderia detectar o risco de um homem desenvolver o câncer de próstata.

"Esta descoberta significa que o padrão dos dedos pode, potencialmente, ser usado para selecionar homens que tem o risco (de desenvolver a doença) para os exames, talvez uma combinação com outros fatores como histórico familiar ou testes genéticos", afirmou.

A pesquisa da Universidade de Warwick foi financiada por instituições de caridade britânicas voltadas para a pesquisa e assistência a pacientes de câncer, como a Prostate Action e a Cancer Research UK.

Um dedo à frente

Emma Halls, diretora-executiva da Prostate Action, afirmou que a pesquisa "nos coloca um passo a frente para ajudar a determinar os fatores de risco para câncer de próstata".

"No entanto, ainda estamos muito longe de reduzir o número de homens que morrem de câncer de próstata todos os anos e precisamos de mais pesquisa e educação em todas as áreas para conseguir isto", acrescentou.

Para a médica Helen Rippon, chefe do setor de pesquisa da instituição de caridade The Prostate Cancer Charity, a pesquisa é mais uma das provas de que o equilíbrio dos hormônios aos quais somos expostos antes do nascimento influencia o resto de nossas vidas.

Mas, Rippon acrescentou que homens cujos dedos indicadores são mais curtos não devem ficar "desnecessariamente preocupados".

"Eles dividem este traço com mais de metade de todos os homens e isto não significa que eles vão, definitivamente, desenvolver câncer de próstata."



Por: Diário da Saúde - Fonte: Fergus Walsh - BBC

Publicado em: 01/12/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=tamanho-dedo-indicador-risco-cancer-prostata&id=6004

Aids e terapias alternativas

É celebrado, nessa quarta-feira (01/12), o Dia Mundial de Combate à Aids. Segundo o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids), atualmente existem cerca de 33 milhões de pessoas infectadas no mundo. Como a Aids ataca principalmente o sistema imunológico, as terapias alternativas podem ser importantes aliadas no tratamento da doença. Além de ajudar a fortalecer as defesas do organismo, podem recuperar a vitalidade e até combater o sentimento de medo e rejeição, algumas vezes despertados nos portadores.

De acordo com a terapeuta holística Solange Lima, as técnicas mais indicadas para pessoas soropositivas são as vibracionais, ou seja, aquelas que exigem o mínimo de interferência fisiológica. Alguns exemplos de métodos que podem ser utilizados são a Cromoterapia, que utiliza a aplicação terapêutica das cores, a Aromaterapia, que trabalha com óleos essenciais, ou o Reiki, que energiza o corpo por meio do toque das mãos. "Uma sessão de Reiki pode ser aliada ao poder das cores, trazendo equilíbrio físico, mental e emocional", explica.

No entanto, a naturóloga Kátia Leite acredita que o uso de métodos alternativos em pacientes soropositivos deve levar em consideração o grau de manifestação da doença. O portador de HIV pode se beneficiar de todas as terapias, desde que receba os devidos cuidados. "Antes de fazer um tratamento com medicamentos fitoterápicos, por exemplo, é preciso ter certeza de que não haverá nenhuma interação negativa com os remédios tradicionais que a pessoa ingere. Já aplicação da massoterapia pode ficar mais restrita para quem apresenta problemas de pele", ensina.

Além disso, exercícios respiratórios, meditativos e práticas corporais também auxiliam a pessoa a viver de modo mais equilibrado e saudável. "Hoje é possível conviver com a Aids sem uma expectativa de dor e sofrimento, mas sim de respeito aos limites, dedicação e cuidado. É possível ser um soropositivo equilibrado e feliz, da mesma forma que tantos diabéticos que convivem saudavelmente com a doença", compara Kátia.

Terapia na prática

Para fortalecer o sistema imunológico e aumentar as defesas do organismo, faça uma combinação com os óleos essências Tea Tree, Pau Rosa e Lavanda. "Misture 2 gotas de cada essência com 30 ml de óleo vegetal de semente de uva. Utilize essa sinergia após o banho ou faça uma massagem nos pés antes de dormir", ensina Solange.
Para combater a depressão, basta substituir os óleos por Bergamota, Lavanda e Gerânio. O modo de preparo é o mesmo. "A Bergamota ajuda principalmente nas depressões causadas pelo emocional, renovando a energia das pessoas e fazendo com que elas compreendam o momento atual de vida. O óleo essencial de Lavanda acalma e combate a ansiedade. Já o Gerânio trabalha os medos em geral, dá coragem, vontade de viver e enfrentar os desafios", lista a terapeuta.
Para equilibrar a energia, a Cromoterapia pode ser uma ótima opção. "Faça um exercício de visualização e mentalização com a cor verde, que traz equilíbrio e saúde, e em seguida a cor violeta, que ajuda a energizar e fortalecer o sistema imunológico. Imagine essas cores, uma de cada vez entrando pelo topo da cabeça e descendo para todas as partes do corpo", explica Solange. Os portadores de HIV que precisam de mais ânimo para enfrentar a doença podem fazer a mesma visualização, mas com a cor laranja ou vermelho.


Por: Equipe Personare - MSN

Publicado em: 01/12/2010

Fonte: http://entretenimento.br.msn.com/astrologia/artigo.aspx?cp-documentid=26549115

"A Yoga Da Alimentação"

Tão importante quanto os ingredientes que você usa para cozinhar é a sua consciência

Nutrir o corpo é uma necessidade básica de qualquer entidade viva. Segundo a milenar sabedoria da ayurveda, a ciência da longa vida, para cada tipo de corpo existem alimentos mais adequados conforme o biotipo (dosha). Além disso, é possível transformar uma rotina diária em uma experiência bem aventurada e iluminante. Tudo é uma questão de consciência.

Uma nutrição eficiente requer auto-conhecimento. Muitas vezes o próprio corpo indicará de forma natural quais alimentos lhe são benéficos e quais lhe causam mal-estar. A mente também é afetada e, em decorrência disso, o estado psico-emocional é influenciado pela dieta. Basta perceber os sinais de aprovação ou reprovação que são manifestados. Cada ser tem uma constituição única e particular, resultado da combinação de 5 elementos básicos que compõem tudo o que existe no universo material: terra, água, fogo, ar e éter (espaço). Nossos óssos, sangue, tecidos, tudo é fruto desta combinação. Os alimentos que ingerimos também. Mas além deles, temos a mente, inteligência e ego.
Unidade na diversidade.

Segundo este princípio, todos têm a mesma base constitucional e a variedade de combinações dá origem a uma diversidade infinita. Por isso somos tão iguais e diferentes ao mesmo tempo. Descobrir nossas peculiaridades, reconhecer nossos detalhes, faz parte de um autêntico sistema de yoga. Por isso a prática de yoga vai além da execução de posturas físicas, técnicas de respiração e meditação. Estas são apenas ferramentas para a meta final: auto-conhecimento, auto-realização. 'E o que minha comida tem a ver com isso?'
Até mesmo as máquinas usam combustíveis específicos para funcionar. Neste sentido, podemos ser comparados a naves destinadas a explorar um universo sem fim de sensações e emoções. Tudo em busca de prazer.

O prazer Supremo
O mais elevado sistema de yoga e meditação descri¬to na literatura védica apresenta o ato de prepa¬rar alimento vegetariano, que não acarreta karma - reações (positivas/negativas) de nossas atividades. No clássico Bhagavad-gita a Suprema Personalidade de Deus, Senhor Krsna, afirma: "Se alguém Me ofe¬recer, com amor e devoção, uma folha, uma flor, frutas ou água, Eu as aceitarei". A pessoa que prepara alimento vegetariano puro e natural e o oferece a Deus sentirá o despertar do sublime prazer espiritual. Deus é descrito nos Vedas como o reservató¬rio de todo o prazer. Ao prepararmos alimento para o prazer de Deus experimentamos gozo transcendental. É fácil perceber. Como disse o ex-beatle George Harrison em uma entrevista: "Quando você sabe que alguém cozinhou algo com relutância, isso não tem um sabor tão agradável quanto o alimento que, feito para atrair e agradar a Deus, é oferecido à Ele primeiramente. Basta isto para que o alimento fique muito mais saboroso". Isso quer dizer, "um gosto superior".

O Centro de Cultura Védica e Bhakti-yoga de Miguel Pereira (Rua Áurea Pinheiro, 207) está promovendo o curso 'Gosto Superior - a culinária lacto-vegetariana pelos princípios da Bhakti-Yoga', dia 19 de dezembro, das 14h às 19h. No programa receitas clássicas da culinária indiana, refeições completas, nutritivas e saborosas com a riqueza de cores, aromas e sabores da Índia. Uma alimentação mais saudável, prazerosa, sem violência e livre de karma! E que cultiva além da saúde física, uma mente mais clara, equilibrada e tranquila.

Mais informações e inscrições pelo e-mail shari-to@hotmail.com ou pelo telefone (24)24838170, com Radharani. As vagas são limitadas


Por: Panorama Regional

Publicado em: 11/12/2010

Fonte: http://www.panoramaregional.com.br/genews/index.php?conteudo=noticias_view&cod=7049

Meditação ajuda idosos a tratar doenças crônicas e a transformar suas vidas

Pesquisa da Unifesp mostra melhoras também na postura, disposição, sono, entre outros

Primeiro passo: recuperar a percepção sensorial. Não sinta apenas os pés sobre o chão, mas, sim, sinta os pés, perceba-os separadamente. Segundo passo: respirar profundamente. Leve o ar até o baixo-ventre, movimentando o músculo do diafragma. Valorize as pausas após a inspiração e a expiração, fazendo uma respiração em quatro tempos.

Essa receita fez com que idosos da periferia de São Paulo melhorassem a qualidade do sono e se curassem de problemas como hipertensão, diabetes, depressão, dores físicas, entre outras doenças crônicas. A prática da meditação interferiu não apenas na saúde, mas transformou a vida dessas pessoas, trazendo outro benefício: qualidade de vida.

Um projeto desenvolvido pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) no Hospital Geral de São Mateus, na zona leste da capital paulista, está acompanhando 140 idosos que adotaram técnicas de meditação para alterar o estilo de vida. Após dois meses de acompanhamento em um primeiro grupo de 70 pessoas, 59 deles (84%) afirmaram praticar meditação ao menos uma vez por dia. Os 11 restantes disseram meditar ao menos uma vez por semana.

Nesse grupo que manteve o hábito diário, resultados preliminares mostram que 71% melhoraram a postura e o humor (42 pessoas), 64% a respiração (38), 62% a disposição (37), 57% o sono e a alimentação (34) e 45% acusaram melhora em relação a suas doenças crônicas (27). Uma parte deles melhorou ainda o hábito intestinal, dores físicas e a memória.

Já no grupo que afirmou fazer meditação apenas uma vez por semana, houve melhora em relação à postura, alimentação, respiração, hábito intestinal, respiração, sono e humor – porém, em percentual mais baixo. Não houve alteração em relação a disposição, memória, dores físicas e doenças crônicas.

De acordo com os pesquisadores, coordenados por Fernando Bignardi, médico homeopata, geriatra, gerontólogo e coordenador do Centro de Estudos do Envelhecimento da Unifesp, “a meditação tem se mostrado um importante recurso de promoção de saúde e transformação de vida". Bignardi conta que, "com a prática da meditação, observou-se um resgate do sentido da vida e da libido, acarretando saúde e bem-estar”.

Quarto nível
Segundo Bignardi, a meditação é um recurso que permite ao ser humano atingir um quarto estágio de consciência, reconhecido pela neurociência. Os três primeiros níveis são: a vigília, o sono e o REM (sigla em inglês que significa movimento rápido dos olhos; é o sono dos sonhos).

Além da percepção sensorial e da respiração profunda, quem medita tem mais outros dois passos. O primeiro é reconhecer sua verticalidade. Ou seja, a prática é feita na postura vertical: sentado, em pé ou até andando, só não deitado (existem exceções). E, por último, diz Bignardi, a formação de uma âncora: toda vez que um pensamento roubar sua concentração, é preciso trazê-la de volta para o ato meditativo.

- Na meditação, o cérebro está funcionando em ondas cerebrais mais lentas, que normalmente se apresentam em sono profundo. Só que, na meditação, as pessoas têm essas ondas cerebrais em estado de alerta.

Nilda Maria de Jesus, de 64 anos, é uma das participantes do projeto no Hospital Geral de São Mateus. Ela pratica meditação uma vez por dia, pelas manhãs, desde abril deste ano. Nilda conta que o hábito fez com que ela diminuísse a quantidade de remédios que precisa. Ela continua tomando diariamente um remédio para diabetes, mas diminuiu de cinco para quatro o número de comprimidos para hipertensão, e de dois para um o recomendado para as dores.

- Eu fiquei mais ativa, mais disciplinada e mais criativa. Não tenho mais dores nas costas e nas pernas. Não sinto mais falta de ar por causa do diabetes. Hoje faço tudo com mais tranquilidade, sou mais firme nas minhas decisões.

Segundo Bignardi, a partir da meditação (que foi a única intervenção nos participantes), observou-se mudanças na atitude mental.

- Isso era seguido de alinhamento postural, mesmo sem prática de fisioterapia. Essas pessoas passaram a respirar conscientemente ao longo do dia. Passaram a ter um sono reparador. Houve grande resposta no ritmo da vida.

Nilda conta que a meditação também provocou mudanças nos hábitos alimentares. Sua dieta hoje se compõe de leite desnatado, arroz integral, frango, lentilha, grão de bico e frutas. Antes da meditação, ela já vinha fazendo uma dieta alimentar, mas, com a prática, ela conta que ficou mais rigorosa. Resultado: dona Nilda emagreceu oito quilos em dois anos.

- Agora tenho mais responsabilidade comigo mesma. Se não fizer direito, eu acabo doente.

Missão de vida
A explicação para o potencial da meditação, segundo o professor da Unifesp, tem a ver com a missão que cada um tem na vida. Desviar desse caminho, diz o médico, é abrir as portas para as doenças.

- Todos nós temos uma razão para nossa vida, uma razão essencial. E, muitas vezes, as intempéries do cotidiano nos desviam disso. Nesse processo, o organismo reage com uma doença, que é um mecanismo para alertar a pessoa que ela precisa voltar para seu caminho original. A meditação possibilita a reconexão com a sua dimensão essencial.

Bignardi explica que, ao se trabalhar o homem num modelo quântico, e não mecânico, o humano é compreendido em cinco dimensões: física (em que se manifestam as doenças crônicas e dores físicas); metabólica (alimentação); vital (hábito intestinal, respiração, sono e disposição); mental (memória e humor, além da postura, que está na transição com a dimensão vital); e a supra-mental (em que age a meditação).

O que o hábito meditativo faz, diz o médico, é agir na última dimensão, a supra-mental, e, com isso, passa a agir nas outras dimensões por efeito cascata, interferindo, portanto, na memória, humor, postura, respiração, sono, disposição e assim por diante, até chegar ao começo, onde se encontram as dores físicas e doenças crônicas.

É por esse motivo que, no projeto na zona leste de São Paulo, aqueles que praticaram meditação todos os dias conseguiram modificações nas doenças crônicas, enquanto que os que só praticaram uma vez na semana não foram tão longe. O efeito cascata não alcançou as doenças crônicas.

Dona Nilda diz que 2010 foi o ano de mudança em sua vida, quando aconteceu “muita coisa boa”.

- Antes eu era a coitadinha, queria que meus filhos tivessem dó de mim. Não de propósito, mas lá dentro, sabe?

A razão da mudança, diz, é a sua calma e tranquilidade para resolver os problemas. Ela afirma até que voltou a realizar atividades que antes não fazia. Há quatro meses, ela foi à praia e voltou com muitas conchinhas. Mas, ao chegar em casa, não sabia o que fazer com aquilo.

- Fazia dois anos que eu não trabalhava com artesanato. E, quando vi as conchinhas, comecei a pintar dentro delas. Já até comprei mais tinta. É uma criatividade que estava se apagando e que agora está florescendo. São coisas simples que estão reativando. Vontade de viver e coragem.


Por: Expresso MT - On line - Seção: Bem Estar

Publicado em: 12/06/2010

Fonte: http://www.expressomt.com.br/noticiaBusca.asp?cod=106501&codDep=3

Quiropraxia: tratar sem sentir dor

A técnica consiste no tratamento feito apenas com mãos, e pode evitar até mesmo cirurgias para curar problemas de coluna

Já pensou em se livrar daquelas incômodas dores no corpo, sem medicamento? A solução pode ser a Quiropraxia. O termo vem de duas raízes gregas: Quiro - mãos - e Práxis - praticar: praticar com as mãos. A categoria lida com o diagnóstico, tratamento e a prevenção das desordens do sistema neuro-músculo-esquelético e dos efeitos destas desordens na saúde em geral sem uso de medicamentos e cirurgias.

No Espírito Santo, o município de Vila Velha é o único local em que os capixabas podem encontrar este tipo de tratamento. Quem o trouxe para o Estado foi o casal Adam Ficher e Solange Ferreira da Cunha, proprietários da Clínica Quiropraxia Espírito Santo. "Eu sou brasileira, mas morava na Europa com meu esposo Adam. Trouxemos esse tratamento para o Espírito Santo devido à carência do local. Eu liguei para a Associação Brasileira de Quiropraxia e eles me deram todo apoio possível para abrir a clínica. Aqui no Estado só tem o Adam de profissional. Ele já é quiropraxista há 15 anos", contou Regina.

O tratamento é feito com dois objetivos: corrigir e prevenir problemas articulares. Com o diagnóstico pronto, é definido um plano de tratamento apropriado a cada condição. Existe diversas técnicas que foram desenvolvidas para restaurar a movimentação articular. O ajustamento, quando indicado, é muito específico e indolor. Com isto, normalmente, observa-se uma diminuição da dor, relaxamento muscular, aumento da mobilidade e restauração da função articular.

O diagnóstico deve ser feito após uma entrevista e exame clínico minucioso, que inclui análise postural, realização de testes ortopédicos e neurológicos e palpação cuidadosa de articulações, músculos e outras estruturas afetadas. Caso sejam necessários exames complementares como Raio-X, Tomografia e Ressonância Magnética, são solicitados.

O aposentado João Evangelista Souza, 63 anos, recomenda o tratamento. "Tinha dores na coluna e estava com crise lombar. Vi o panfleto e marquei no mesmo dia. Na consulta já tive uma demonstração do trabalho e minha dor diminuiu naquele instante. Em algumas seções estava ótimo. Agora eu continuo em um número reduzido até não precisar mais. Já está acabando", contou.

Tratamento é específico e individual
Para o tratamento, não há restrição de idade, pois ele pode beneficiar desde um recém-nascido até pessoas de idade bastante avançada. Porém, é preciso a cada paciente, técnicas específicas para a idade.
Os principais problemas tratados pela Quiropraxia são os de dores na coluna lombar, na hérnia de disco e dor ciática, no pescoço, na cabeça, tensão muscular e problemas nas articulações do ombro, cotovelo, punho, joelho e tornozelo.

Em relação a riscos, como todo método terapêutico, os tratamentos realizados pelos quiropraxistas têm indicações e contra-indicações precisas. Ao procurar um quiropraxista certifique-se que ele/ela possua uma formação compatível com os padrões preconizados internacionalmente.

Os interessados podem ligar para clínica no telefone (27)3033-4545 ou ir até o loca. Fica na Rua Henrique Laranja, 230, Centro de Vila Velha.



Por: ESHoje - Dayana Souza - Seção: Saúde

Publicado em: 03/12/2010

Fonte: http://www.eshoje.com.br/portal/leitura-noticia,inoticia,8025,quiropraxia_+tratar+sem+sentir+dor.aspx

Hipertensão sistêmica: uma grande vilã

Este Artigo conclui a revisão sobre Hipertensão Arterial Sistêmica revendo sumariamente mais alguns tratamentos alternativos. Atenção para o fato de que são todos naturais, e quem os indica sempre orienta quanto aos cuidados gerais com o corpo, principalmente no que tange à atividade física e à alimentação, pelo que alguns quiseram atribuir seus efeitos tão somente à perda ponderal o que não deixa de ter valor, de vez que bem se sabe que perda de peso moderada (de aproximadamente 10%) pode chegar a normalizar a TA. Uma análise de 11 estudos mostrou que a redução média de pressão arterial foi de 1,6mm na sistólica e 1,1 na diastólica.

Tocando na Homeopatia, o próprio diagnóstico do paciente já leva em conta todas dimensões da doença (físicas, gerais e psíquicas), tornando-o um modo de ver a pessoa como um todo. O tratamento, portanto, levará a um equilíbrio geral do indivíduo e não apenas tratará sua doença. Entre outros locais de estudo, no London Royal Homeopathic Hospital tem-se buscado investigar cientificamente o efeito dos medicamentos preparados hahnemannianamente, mas ainda se carece de dados mais conclusivos. Não obstante continua-se a prescrição clínica, dita de sucesso significativo. Alguns dos medicamentos usados em pacientes incluem: Nux vomica, Sulphur, Avena sativa, Crataegus, Tabacum, Veratrum viride, Viscum album, Aurum metallicum, Baryta muriatica. Não vale a pena adentrar detalhes das indicações respectivas, já que fazem-se merecedoras de indicação por profissional.

O campo dos medicamentos Florais é, quiçá, ainda mais movediço e, ele sim, tem-se mostrado particularmente impermeável a investigações científicas mais profundas. Originalmente seriam de considerar os remédios clássicos ingleses, do Dr. Bach (aliás, nome a ser corretamente pronunciado “béc”, à feição inglesa, e não, como se usa fazer, “bar”, à alemã!), tendo-se, com o tempo, seguido os Florais Californianos, os Australianos, os Espanhóis, os Franceses, os Argentinos (de Raff), os de SaintGermain, isto sem falar nos bem nacionais, de Minas, do Cerrado, da Amazônia, de Aleixo, e inúmeros mais. Falar neles em associação com doenças “físicas” seria duplamente temerário, de vez que tais medicamentos não só ainda não foram pesquisados em termos mais precisos como orientam-se preponderantemente por e para estados psíquicos. Não obstante, ao mesmo tempo tem-se que a relação estreita entre condições anímicas e a HAS sugere serem indicáveis em casos da mesma.

Com relação à Musicoterapia as coisas têm sido melhor estudadas. Recentes estudos demonstraram bem que contribui para melhorar a qualidade de vida (QV) e o controle da pressão arterial, sinalizando que pode vir a representar um reforço na abordagem terapêutica do hipertenso. Um ensaio clínico que avaliou pacientes de ambos os sexos, com mais que 50 anos, portadores de HAS leve, em uso de medicação, dividiu-os em grupos experimental e controle. Ao primeiro, além do tratamento convencional, ofereceram-se sessões musicoterápicas semanais durante três meses, tendo-se observado melhora significativa na QV e no controle da TA, sinalizando que essa atividade pode representar um reforço na abordagem terapêutica em programas de atendimento multidisciplinar ao paciente hipertenso.

No que diz respeito à Acupuntura, em que pese muitos detratores referirem-na por “acientífica” e mesmo muitos de seus praticantes acharem que não se presta a pesquisas precisas, os trabalhos que mostram seus efeito na HAS contam-se já por milhares. Grosso modo são oriundos da China, que já desponta como detentora de grande potencial no campo da investigação científica, secundando-se a ela a Rússia. Em um experimento publicado em 1997, 50 pessoas não tratadas com medicamentos anti-hipertensivos receberam Acupuntura e, em 30 minutos, tiveram uma queda na pressão arterial média de 169/107mmHg para 151/96, com uma diminuição da frequência cardíaca de 77 para 72 batimentos por minuto. Os níveis sanguíneos de renina (um hormônio relacionado à regulação da pressão arterial) também sofreram uma queda significativa. Outros estudos demonstraram que a técnica pode melhorar a função do lado esquerdo do coração, além de ser eficaz em pessoas em quem os medicamentos anti-hipertensivos não surtiram efeito. Pesquisadores da Califórnia também provaram que pode aliviar o aumento da TA causado pelo stress, pois naqueles que a receberam houve aumento de apenas 2,9mmHg durante os períodos estressantes, em vez dos 5,4 daqueles que não a receberam.

Por: Tribuna do Norte - Dr. Jorge Boucinhas - médico e professor da UFRN - Seção: Artigos

Publicado em: 12/12/2010

Fonte: http://tribunadonorte.com.br/noticia/hipertensao-sistemica-uma-grande-vila/167321

Sal light pode ser opção de tempero para quem sofre de hipertensão

Excesso de sódio no organismo prejudica não só pessoas que sofrem da doença
O uso de sal light no lugar do sal de cozinha ou a substituição do saleiro na mesa por temperos à base de ervas podem ser boas alternativas para quem sofre de pressão alta. No entanto, não são apenas os hipertensos que se beneficiam com essas mudanças.

Segundo especialistas, o excesso de sódio no organismo — a substância é um dos principais componentes do sal refinado — aumenta a pressão arterial. Portanto, o consumo exagerado de sal aumenta os riscos de pessoas saudáveis desenvolverem hipertensão.

— Apesar de ser uma doença de base genética, a hipertensão está associada a alguns fatores de risco, como o consumo exagerado de sal e de álcool e a obesidade — afirma a cardiologista Maria Teresa Nogueira Bombig, destacando que os hipertensos têm mais chances de ter acidente vascular cerebral (AVC) ou infarto.

Sobre outros tipos de sal, a nutricionista Vera Lúcia Novaes alerta:

:: O sal light é uma opção para os hipertensos, pois substitui parte do sódio por potássio. Já o sal marinho e o sal grosso não podem ser substitutos, pois possuem quantidade de sódio similar à do sal refinado.

Saiba mais

:: Brasileiros costumam colocar muito sal na comida. Enquanto o índice diário tolerável de sal para pessoas saudáveis é de cinco a seis gramas, costumamos ingerir 12 gramas.

:: O crescimento do consumo de produtos industrializados também traz mais sódio à dieta. Embutidos e enlatados devem ser evitados.

:: Diminua o uso de sal optando por temperos como manjericão, orégano e cebola.

Por: ClicRBS - Seção: Bem Estar - Caderno Vida - Zero Hora

Publicado em: 06/12/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/bem-estar/19,0,3130149,Sal-light-pode-ser-opcao-de-tempero-para-quem-sofre-de-hipertensao.html

Meditação é tão eficaz quanto antidepressivos contra recaída da depressão

Cientistas do Centro de Dependência e Saúde Mental (CAMH), no Canadá, constataram que a terapia cognitiva baseada na meditação da mente alerta oferece o mesmo nível de proteção contra a recaída da depressão que a medicação antidepressiva tradicional.

O estudo, publicado na edição atual do Archives of General Psychiatry, comparou a eficácia da farmacoterapia com a meditação da mente alerta, estudando pessoas que foram inicialmente tratadas com antidepressivos e, em seguida, ou pararam de tomar a medicação a fim de praticar a meditação, ou continuaram a tomar medicação por 18 meses.

"Os dados disponíveis sugerem que muitos pacientes deprimidos param com a medicação antidepressiva muito cedo, seja por causa dos efeitos colaterais, seja por não quererem ficar tomando o medicamento durante anos," diz o Dr. Zindel Segal, coordenador do estudo.

Controle das emoções

A terapia cognitiva baseada na meditação é uma abordagem não-farmacológica que ensina habilidades no controle das emoções, de forma que os pacientes possam monitorar possíveis desencadeadores das recaídas, bem como adotar mudanças no estilo de vida que ajudem a manter um humor mais equilibrado.

Os participantes do estudo que foram diagnosticados com transtorno depressivo grave foram todos tratados com antidepressivos até a diminuição dos sintomas.

Eles foram então aleatoriamente designados para deixar a medicação e começar a aprender a técnica de meditação, deixar a medicação e receber um placebo, ou continuar com a medicação.

Essa proposta inovadora de pesquisa permite comparar a eficácia de prosseguir o tratamento farmacológico com um tratamento psicológico, em relação à manutenção do mesmo tratamento - antidepressivos - ao longo do tempo.

Os participantes escalados para a terapia com meditação participaram de 8 sessões semanais em grupo e se comprometiam a praticar diariamente em casa - uma espécie de dever de casa.

Foram realizadas avaliações clínicas a intervalos regulares em todos os participantes durante um período de 18 meses.

Recaída da depressão

As taxas de recaída para os pacientes no grupo da meditação foram as mesmas registradas entre os pacientes que continuaram recebendo antidepressivos - ambos na faixa de 30%.

Mas os pacientes que receberam placebo recaíram em uma taxa significativamente mais elevada - 70%.

"As implicações reais destes resultados é que eles confrontam diretamente a linha de frente dos tratamentos atuais da depressão. Para esse grupo considerável de pacientes que estão relutantes ou incapazes de tolerar o tratamento antidepressivo de manutenção, a meditação oferece o mesmo nível de proteção contra a recaída," disse o Dr. Segal.


Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 13/12/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=meditacao-antidepressivos-recaida-depressao&id=6023

Acupuntura pode ser utlizada no tratamento do colesterol

Com a estimulação periférica, a técnica ajuda o organismo a eliminar o colesterol ruim e a produzir o colesterol bom.

Depois de constatados níveis altos de colesterol no sangue, a principal atenção deve ser dada à alimentação, pois os hábitos alimentares ruins são os principais responsáveis pelo excesso do LDL (conhecido como colesterol ruim) no sangue. Além da redução de alimentos de origem animal, o paciente com colesterol alto precisa adicionar na sua dieta uma combinação adequada de frutas, vegetais, cereais integrais e oleaginosas. Neste novo estilo de vida que precisa ser adotado, a acupuntura pode ser uma grande aliada, pois promove o equilíbrio do sistema endócrino e melhora a circulação sanguínea.

Com a estimulação periférica, a técnica ajuda o organismo a eliminar o colesterol ruim e a produzir o colesterol bom. O próprio corpo, quando estimulado, promove o equilíbrio das substâncias. Os pacientes que já tomam remédios para tratamento de problemas com colesterol não têm contra-indicação para o uso da acupuntura, muito pelo contrário. A técnica ajuda na absorção de diversas substâncias, inclusive de medicamentos, potencializando os seus efeitos. Para os que têm medo de agulha, uma boa notícia: a acupuntura é apenas um dos ramos da medicina tradicional chinesa. A fitoterapia, a auriculoterapia, tui-ná, eletroacupuntura e outras técnicas também apresentam benefícios semelhantes e não envolvem as picadas.

Por: Bond News - Saúde Folha de Londrina

Publicado em: 13/12/2010

Fonte: http://www.bonde.com.br/?id_bonde=1-27--67-20101213&tit=acupuntura+pode+ser+utlizada+no+tratamento+do+colesterol

Troca de roupa por sessão de Reiki

A Associação Portuguesa de Reiki está a promover uma acção de solidariedade muito original. A iniciativa propõe recolher roupa para os mais carenciados e desalojados fazerem frente ao frio e oferecem em troca... a terapia Reiki.

A campanha Projecto Reiki Solidário decorre de 10 a 23 de Dezembro, com a ajuda de terapeutas voluntários que trocam a terapia por pela roupa entregue. Quem estiver interessado em ajudar pode contactar um dos espaços envolvidos na iniciativa, seja para oferecer a terapia gratuitamente ou para entregar as roupas.

Os espaços envolvidos: Spaso Zen e Arte e Simplicidade, no Porto, Sakura, em Penafiel e Vila Nova de Gaia e o Espaço de Emilia Ribeiro, em Santo Tirso. A prioridade é dada a roupas quentes como cobertores, camisolas de lã, casacos, sacos-cama e meias, entre outros.

Em Lisboa, no domingo, a Fundação Gulbenkian vai ter ateliês e concertos. Tudo com entrada livre. Neste dia vai promover a angariação de instrumentos musicais usados, para enviar para crianças e jovens de Moçambique.

Até dia 23 de Dezembro, o Paço dos Duques de Bragança promove uma campanha de recolha de roupas, brinquedos e alimentos, para distribuir por famílias carenciadas do concelho de Guimarães. Quem quiser colaborar pode entregar as ofertas no Paço, de terça a domingo, das 10 às 18 horas.

Em Paredes, a autarquia vai promover uma recolha de alimentos, em algumas superfícies comerciais, de sexta-feira a domingo. Os alimentos são para distribuir em cabazes a famílias carenciadas do concelho.



Por: Jornal de Notícias - Susana Ribeiro

Publicado em: 09/12/2010

Fonte: http://jn.sapo.pt/VivaMais/Interior.aspx?content_id=1730054

Os florais de Bach e suas aplicações

Todos sabem que diante dos inúmeros acontecimentos da vida e das pressões do dia a dia, manter o equilíbrio e lidar com as emoções nem sempre é uma tarefa fácil. Sentimentos dos mais diversos, como mágoa, ciúmes, ansiedade e tristeza, quando mal administrados, podem acarretar graves problemas na saúde, e em conseqüência, má qualidade de vida. Isso porque o bem-estar físico está em muitos níveis diretamente relacionado com o controle das emoções. Os sentimentos que foram reprimidos constantemente podem emergir primeiro como conflitos mentais e depois em diversas desarmonias psicossomáticas.

Terapia floral

Atualmente, existem diversos tipos de florais que tratam inúmeros distúrbios emocionais assim como interagem em diferentes funções do corpo. Alguns dos mais utilizados são os florais da Austrália, os Florais da Califórnia e os Florais de Minas. Entre todos estes e os demais tipos de florais, o mais conhecido e usado em todo o mundo são os Florais de Bach. Os florais de Bach surgiram na Inglaterra em 1930, sendo descobertos e padronizados pelo Dr. Edward Bach. Estes florais contam com 38 essências, cada uma delas destinada a um estado mental específico, como medo, ansiedade, tristeza. Essas essências são extratos líquidos naturais e altamente diluídos de flores, plantas e arbustos, que se destinam ao equilíbrio dos problemas emocionais, harmonizando a pessoa no meio em que ela vive.

Quando usar a terapia Floral

A Terapia Floral pode ser usada de forma única ou em conjunto com a Psicoterapia ou a Psiquiatria. Esta terapia trabalha o emocional da pessoa e pode ser usado em inúmeras situações e momentos da vida tais como:

*Situações extremas: Depressão profunda, tentativa de suicídio, compulsão por alimentos , doce, síndrome do pânico.

*Casos de emergência: após acidente, aborto, susto, antes de cirurgia.



Por: O Barriga Verde - G.Hoffmann

Publicado em: 19/12/2010

Fonte: http://www.adjorisc.com.br/jornais/obarrigaverde/colunistas/g-hoffmann/os-florais-de-bach-e-suas-aplicac-es-1.386189

Suco de romã pode frear metástase do câncer de próstata

Progressão do câncer de próstata

Pesquisadores da Universidade Riverside, da Califórnia, identificaram componentes no suco de romã que podem inibir os movimento de células cancerosas e a metástase do câncer de próstata.

A descoberta, diz Manuela Martins-Green, uma das pesquisadoras, pode ainda ter impacto no tratamento de outros tipos de câncer.

Quando o câncer de próstata reaparece no paciente depois de tratamentos como cirurgia e/ou radiação, geralmente o próximo passo é a supressão do hormônio masculino testosterona, um tratamento que inibe o crescimento das células cancerosas, pois elas precisam do hormônio para crescer.

Mas, com o tempo, o câncer desenvolve formas de resistir também a esse tratamento, se transforma em um câncer muito agressivo e sua metástase ataca a medula óssea, pulmões, nódulos linfáticos e geralmente resulta na morte do paciente.

Suco de romã contra o câncer

O laboratório americano aplicou o suco de romã em células de câncer de próstata cultivadas em laboratório que já eram resistentes à testosterona - quanto mais resistente à testosterona uma célula cancerosa é, maior é a sua tendência à metástase.

Os pesquisadores então descobriram que as células tratadas com o suco de romã que não morreram com o tratamento mostraram uma maior adesão, o que significa que menos células se separavam, e também queda na movimentação dessas células.

Em seguida os pesquisadores identificaram os grupos ativos de ingrediente no suco de romã que tiveram impacto molecular na adesão das células e na migração de células cancerosas no câncer de próstata já em estado de metástase.

"Depois de identificá-los, agora podemos modificar os componentes inibidores do câncer no suco de romã para melhorar suas funções e fazer com que eles sejam mais eficazes na prevenção da metástase do câncer de próstata, levando a terapias com remédios mais eficazes", disse Manuela Martins-Green.

Genes e proteínas

A pesquisadora afirma que a descoberta pode ter impacto no tratamento de outros tipos de câncer.

"Devido (ao fato de) os genes e proteínas envolvidas no movimento das células de câncer de próstata serem essencialmente os mesmos que os envolvidos no movimento de células em outros tipos de câncer, os mesmos componentes modificados do suco poderão ter um impacto muito mais amplo no tratamento do câncer", afirmou.

Manuela Martins-Green explicou ainda que uma proteína importante produzida na medula óssea leva as células cancerosas a se mover para a medula onde elas poderão formar novos tumores.

"Mostramos que o suco de romã inibe a função dessa proteína e, assim, esse suco tem o potencial de evitar a metástase das células do câncer de próstata para a medula", disse.

Os próximos planos da pesquisadora são fazer testes adicionais em um organismo vivo com câncer de próstata em fase de metástase para determinar se os mesmos componentes que foram eficazes nas células cultivadas em laboratório poderão evitar a metástase sem efeitos colaterais


Por: Diário da Saúde - BBC

Publicado em: 14/12/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=suco-roma-cancer-prostata&id=6028

Olheiras podem ser amenizadas com tratamentos como a acupuntura

Quem tem, disfarça. “Aparece muito mais em mulheres e morenas. Muito mais do que as muito clarinhas”, diz Jane Domingues Ohara, dermatologista.

Essa escuridão embaixo dos olhos não está só relacionada com o sono. O problema que atinge homens e mulheres, na maioria das vezes, é genético. “Muitas vezes a área é um pouquinho mais afundada. Agora, é lógico que a insônia ou uma pessoa que dorme mal, isso agrava o quadro. Na medida em que se envelhece também”, explica a dermatologista.

A pele próxima aos olhos é mais fina que a do resto do corpo. Os vasos sanguínios ficam mais expostos e a melanina, pigmento responsável pela cor da pele, tende a ficar acumulada dando uma tonalidade arroxeada na área dos olhos.

De acordo com os médicos, a olheira não tem cura, mas alguns tratamentos conseguem melhorar a circulação e amenizar o aspecto de cansaço. A acupuntura é uma das opções. “Em média são usadas dez seções para os resultados começarem a aparecer. As olheiras, elas vão amenizando. Elas vão de mais negras, elas vão ficando amarronzadas, avermelhadas”, garante Fernanda Mucci, acupunturista.

As agulhinhas são colocadas nos pés e no rosto. Segundo a acupunturista os pontos estão ligados com o fígado e estômago, que depois de estimulados podem garantir uma aparência mais saudável.

Bruna diz que com algumas seções, já conseguiu ver os resultados. “Só sente a picada, mas depois não dói. A olheira diminui”, garante.

Por: Jornal hoje

Publicado em: 16/12/2010

Fonte: http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2010/12/olheiras-podem-ser-amenizadas-com-tratamentos-como-acupuntura.html

Indicações do shiatsu

Saúde não é apenas a ausência de doença, mas o total bem-estar físico, mental e emocional, os orientais definem saúde como: união harmoniosa entre corpo, mente e espírito.

O Shiatsu é uma palavra de origem japonesa, apesar da técnica ser desenvolvida a partir dos conhecimentos milenares da Medicina Tradicional Chinesa que data há mais de 5000 anos, e significa pressão dos dedos (shi= dedo e atsu= pressão).

É uma forma de manipulação administrada pelos polegares, dedos e palmas, para aplicar pressão à pele humana e tem como objetivo corrigir disfunções internas, promover e manter a saúde e tratar doenças específicas.

No ser humano, a energia vital circula por canais chamados de Meridianos. Quando ocorre uma alteracão nesse fluxo, ocorre um desequilíbrio entre o Yin e o Yang, ocasionando excesso ou falta de energia em determinadas partes do corpo e sintomas de doenças são produzidas interna e externamente.

O Shiatsu é uma massagem extremamente agradável e relaxante, pois ao massagear pontos específicos do corpo seguindo o trajeto dos Meridianos, eles fluem harmoniosamente, conseguindo-se reestabelecer a homeostase energética, portanto a saúde.

O Shiatsu não é uma técnica de massagem simples, mas sim uma técnica que exige conhecimento de anatomia e principalmente do percurso exato dos Meridianos.

Indicações:

- Desequilíbrios emocionais (fobias, depressão, raiva, preocupação, estresse, TPM);

- Desequilíbrios sexuais (desinteresse sexual, impotência, ejaculação precoce);

- Insônia, Ansiedade;

- Melhorar a circulacão sanguínea;

- Aumentar a capacidade do corpo de eliminar toxinas;

- Equilibrar o sistema nervoso;

- Retardar o envelhecimento das células, contribuindo para a longevidade;

- Melhorar o tönus da pele;

- Reduzir a fadiga (física e mental);

- Aliviar a dor cansada por contratura e má postura
(dores nas costas e articulacões);

- Cólicas menstruais, Intestino preso, dor de cabeça
Aumentar os nivéis de energia;

- Promover a saúde e o bem-estar geral.

Além de trabalhar a massa muscular, os movimentos de pressão agem também sobre os sistemas reprodutivo, digestivo, respiratório, circulatório e nervoso, ativando os órgãos internos e a circulacão sanguínea.

O ideal para manter a saúde e retardar o envelhecimento é submeter-se a uma sessão de Shiatsu, feita por um profissional competente uma vez por semana.

Uma sessão de Shiatsu pode durar de 15 minutos ( a popular versão Express, que não tem efeito curativo ) a uma hora e meia ( a versão completa ).

O Shiatsu é recomendado para reequilibrar a energia do corpo, resolvendo uma infinidade de doenças, sentindo-se os resultados desde as primeiras sessões.



Por: Juliana Berti - Site Médico

Publicado em: 21/12/2010

Fonte: http://www.sitemedico.com.br/sm/materias/index.php?cat=75

Shiatsu - Alívio imediato

Inconscientemente, sempre que você sente rigidez ou dor no corpo, pressione a parte afetada com as mãos. Esse é um ato reflexo que explica parte da técnica utilizada numa massagem.

O Shiatsu é uma delas. "Shi" significa dedo, "atsu" significa pressão. Uma massagem oriental que consiste em pressionar determinadas áreas do corpo com os dedos e as palmas das mãos.

Ao longo do meridiano da bexiga (importante no diagnóstico e tratamento), localizado nas costas, existem pontos correspondentes a cada órgão. Corretamente pressionados podem dar alívio imediato. O toque desbloqueia energias estagnadas, que impedem o bom funcionamento do organismo.

Atua como prática preventiva, fortalecendo o sistema imunológico e como terapia, sanando dores musculares e na coluna, desequilíbrios do sistema nervoso, disfunções orgânicas e estresse. Além de equilibrar os meridianos. A prática esportiva faz bem aos músculos, mas em demasia pode levá-los a fadiga.

É importante que o esportista receba massagem para aliviar e prevenir distensões. Para isso, existem técnicas. Torna-se então importante saber qual tipo de técnica é mais aconselhável ser utilizada em cada caso.

Procure sempre orientação de um especialista. Nem toda técnica de massagem é aconselhada para recuperar alguma situação de dor ou stress.
O Shiatsu é parte do Anma, que em japonês significa massagem terapêutica. Apenas em 1964 foi reconhecido de forma distinta e independente.

O Anma é a forma mais antiga da Massagem Tradicional Asiática. Não usa óleo. Envolve alongamento e toque com as mãos, com o foco em melhorar o condicionamento muscular e a circulação do Ki, ou Energia Universal da Vida.

Enquanto as técnicas de massagem ocidentais focam o relaxamento do paciente, o objetivo do Anma é influenciar os órgãos internos. Manter em equilíbrio as funções físicas e psicológicas do corpo. Reduzir os sintomas e alinhar a estrutura física que pode ser necessária.


Por: Site Médico

Publicado em: 19/12/2010

Fonte: http://www.sitemedico.com.br/sm/materias/index.php?mat=71

Comer bem não é encher a pança

Geralmente a pessoa bate na barriga cheia, saindo pra fora da roupa, e diz: comi bem! No tempo dos nossos avós, quando não havia agrotóxicos, talvez isso não fizesse tanto mal. Mas, nos dias de hoje, com tanto alimento adulterado, as pressões do dia-a-dia, falta de sol, pouco sono, alimentos congelados, banhos de química para o vegetal ficar verde, muito trabalho e estresse, comer muito e sem saber a procedência dos alimentos é um problema sério. Além disso entra a questão da seleção dos alimentos graças aos novos conhecimentos sobre plantas medicinais, vegetais e a atuação deles na nossa saúde. Sim, mais do que nunca, o que você coloca na mesa para sua família comer precisa ser medicinal, preventivo, saudável, com qualidade e orgânico. Há muito conteúdo sobre o assunto, assim como há muita confusão.Por trás das confusões há o interesse na indústria da doença que hoje toma conta dos medicamentos feitos em laboratórios. Há também a ganância financeira que enche os alimentos de agrotóxicos e químicos, que a gente ingere sem muito questionamento. Já está provado que a saúde depende da sua alimentação. A sua dieta pode ser ótima mas não estar de acordo com o seu tipo biológico. Se você ganha peso ou perde peso, então algo precisa ser redirecionado e há nutricionistas para lhe orientar sobre isso. Mas, procure um profissional que não seja inimigo das coisas da natureza e do caminho holistico da vida feliz.

Nas vésperas de Natal, é preciso ter esse cuidado e comprar apenas alimentos frescos, orgânicos e da época. Nada de frutas fora da época ou importadas de outro país. Tem gente dando uvas para galinhas no Nordeste! Cada região do país pode encher a mesa com as próprias frutas. A diferença estará na introdução de ervas, cascas, sementes, poupas, frutos e folhas. Esses ingredientes estão bem documentados há mais de 3000 anos no livro indiano chamado “Charaka Samhita”. Em 1990, na China, minha primeira lição foi: tudo o que se come é medicamento.

A gente já conhece aqueles comentaristas daquela rede de televisão famosa que dá uma de moçinho que sabe tudo sobre alimentos e ervas mas na verdade o interesse dele é de manter a população longe daquilo que lhe é mais precioso, o conhecimento antigo, dos antepassados, que é basicamente holístico. Ele quer que você viva nas farmácias! A cada dia que passa se sabe da importância de uma vida saudável e holística, apesar da turma do contra.

A midia internacional fala dos alimentos funcionais, que são aqueles que provém benefícios para a saúde, isto é, vão além da função nutricional-alimentar, como vitaminas e minerais. Os alimentos funcionais são entregues pela natureza para o bem-estar da humanidade, independente da classe social. Por exemplo, alho, que já se usa cozinhar junto com o arroz para se comer a poupa. Alho tem mais de 300 propriedades curativas e preventivas da imunidade. Plateleiras de supermercados e lojas holísticas já exibem todo tipo de combinação de alimentos funcionais, muitos deles possíveis de serem plantados e colhidos em vasos caseiros ou em um quintal pequeno, uma horta, orgânicos. Por exemplo, cascas de manga não se joga fora, ensina minha sobrinha Grayce. Junto com a poupa, faz o suco ficar cremoso, verde-dourado, rico em fibras e bom para quem tem problemas musculares. A goiaba, também. Se você tem insegurança e medos, goiaba neles! As sementes de cajú, girassol, de abóbara podem ser utilizadas de várias formas, de aperitivos até cozinhar com arroz (se você tem pressão alta e facilidade para engordar, fique loge de arroz porque esse rico alimento vira açúcar no organismo).

Largue aquela pitada de sal sobre os alimentos cozidos porque você estará salvando anos de sua preciosa vida. O baço vai adorar e contar quantas sementes de abóbara você comeu. O Brasil é rico em poupas e os sucos não devem faltar à mesa, com uma pitada de farinha de jatobá. Qual a fruta que não pode se juntar a uma beleza salada de alface, couve, azeite de oliva? Na hora de cozinhar as carnes, troque o óleo que você usa por óleo de coco extra-virgem. A sua pele vai agradecer. Se você tem alguém com pressão alta, será uma ajudinha na saúde dela. Não esqueça do café forte com uma pitada de canela! Em 1980, o governo japonês baixou leis regulando o uso de alimentos funcionais na dieta. De lá para cá, mais de 10.000 produtos estão em uso naquele país, o que faz o povo japonês um dos mais saudáveis do mundo. Alho agora é utilizado para prevenir doenças cardíacas; grãos e legumes previnem câncer, assim como manga, cenoura, abricó, abóbaras, vegetais verdes. Comer bem não é encher a barriga de feijão, arroz e carne, nem é ir para restaurantes se encher de massas ou churrascos. Não é a quantidade quem faz a saúde, é a qualidade e a variedade. Soja previne osteoporosis, câncer e doenças cardíacas; Couve e brocolis estão na lista dos preventivos contra todo tipo de tumor e câncer; Uva, morango e groselha são antioxidante e contém substâncias anticâncer. Há também os alimentos funcionais vindo do mundo animal, como peixes (omega 3,6,9, que combate pressão alta e doenças cardíacas, mais saudável do que Peru). Cuidado com o bacalhau e o excesso de sal dele. Há um mundo inteiro a descobrir, mas tenho uma dica: tudo o que a sua região produz é o que você precisa comer, sempre com moderação, porque o que faz encher a barriga é o prazer de uma boa comida, feita com amor, pela pessoa amada ou por você mesmo, em sintonia com o universo. Se você acha que no Brasil se como mal, é porque você viaja pouco. O que a gente precisa é melhorar mais ainda e utilizar todos os recursos naturais que a gente tem. Neste Natal, diminua o açúcar e o sal em tudo o que você fizer para você e para os outros. Deixe que ervas, cascas, sementes, poupas, frutos e folhas povoem os seus pratos. Saúde!



Por: José Joacir dos Santos

Publicado em: 15/12/2010

Fonte: http://www.joacir.com/

Homeopatia faz você se sentir bem

Dois importantes jornais ingleses noticiaram, em 17/11/2010, artigos positivos sobre o uso da homeopatia. Um deles foi o importante jornal médico-científico “Rheumatolory”. Esse jornal reportou artigo segundo o qual a homeopatia está cientificamente provada como eficaz no tratamento das inflamações, dores de artrite reumática e das juntas. O estudo foi realizado pela Sarah Brien of Southampton University (Universidade Sarah Brien de Southampton) e acrescenta que os benefícios já aparecem após a primeira consulta. O outro jornal foi o “Telegraph”, que diz que os pacientes que utilizaram a homeopatia já haviam tentado remédios alopáticos, em vão. A curiosidade é que pacientes que receberam a mesma medicação mas não fizeram uma consulta não tiveram os mesmos resultados positivos. Talvez porque a consulta com um homeopata faça o cliente ter mais consciência da própria responsabilidade sobre a sua cura. O estudo enfatiza que a conversa pode ter pesado a favor do resultado positivo da homeopatia. Quantos de vocês viram algum artigo na imprensa brasileira neste final-de-semana sobre homeopatia? Por que você está respondendo que não viu nenhum? A India é o país onde há mais cursos superiores de homeopatia e hospitais públicos que utilizam só homeopatia, mas é o Brasil o mais avançado em homeopatia líquida, embora as secretarias de saúde ainda ignorem esse fato.

Por: José Joacir dos Santos

Publicado em: 15/11/2010

Fonte: http://www.joacir.com/

Cromoterapia: como usar as cores para o seu bem-estar

Autoconhecimento e equilíbrio do corpo são alguns dos benefícios

Azul, verde, amarelo, laranja... Você sabia que as cores podem interferir no seu dia a dia? Essa é a ideia da cromoterapia, uma terapia complementar e de autoconhecimento que utiliza a energia luminosa das cores para trabalhar a energia vital. Simone Arins, cromoterapeuta Aura-Soma e proprietária do Espaço Cores, conta que os antigos povos do Egito, Grécia e Roma já relatavam e aplicavam as influências das cores sobre os humanos. “Eles foram os primeiros a utilizar a cromoterapia”.

Para Simone, essa terapia vem ganhando cada vez mais adeptos porque todos estão em busca de equilíbrio.

— A maioria das doenças desenvolvem-se por maus hábitos. Principalmente, os mentais. E a cromoterapia atrai por ser a energia que nos falta para o nosso bem-estar. Na Aura-Soma, uma técnica inglesa que utiliza a energia das plantas, cores, cristais e luz, o paciente acaba sempre escolhendo a cor que está em desequilíbrio, que falta em seu campo energético.

A cromoterapeuta ainda comentou sobre a cor roxa.

— Várias pesquisas feitas por empresas sobre qual cor o consumidor identifica-se mais resultou na cor violeta ou roxa, que é a cor da cura na terapia holística, representada pelo cristal de ametista.

Saiba alguns benefícios da cromoterapia:

:: desobstrução dos pontos da energia vital

:: harmonização interior

:: regeneração e equilíbrio do corpo

:: desenvolvimento da consciência e sensibilização corporal

:: manutenção e prevenção da saúde

:: excelente ferramenta para o autoconhecimento

Simone fez uma relação das cores com as associações emocionais, segundo a Aura-Soma:

:: Vermelho: energia, calor e paixão

:: Laranja: coragem e sexualidade

:: Amarelo: confiança e alegria

:: Verde: liberdade e generosidade

:: Azul: paz e comunicação

:: Violeta: espiritualidade e cura



Por: ClicRBS - Seção: Notícias

Publicado em: 02/12/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/bem-estar/19,0,3127426,Cromoterapia-como-usar-as-cores-para-o-seu-bem-estar.html

Biocurativo usa própolis como cicatrizante e antimicrobiano

Regeneração da pele

Um dos desafios dos profissionais envolvidos com a recuperação de pacientes com queimaduras é abreviar o tempo de internação para evitar complicações infecciosas.

O uso de biocurativos, produzidos a partir de celulose bacteriana - que possibilita a regeneração mais rápida da pele -, é uma das alternativas promissoras.

Pesquisadores do Instituto de Química da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Araraquara, em parceria com a empresa Apis Flora, de Ribeirão Preto, desenvolveram um biocurativo cicatrizante e antimicrobiano à base de celulose bacteriana e extrato de própolis.

Própolis

O produto foi testado em laboratório com ótimos resultados. "O objetivo do biocurativo, feito em forma de película, é atenuar o tempo de tratamento e a dor de pacientes que sofreram queimaduras de primeiro e de segundo graus ou que possuam feridas crônicas", disse Hernane Barud, coordenador da pesquisa.

Os resultados obtidos até agora mostram alto grau de eficiência do produto, principalmente na prevenção do crescimento microbiano e na liberação sustentada de própolis.

De acordo com Barud, a novidade do produto é o aprimoramento da celulose bacteriana com a incorporação de extrato de própolis, insumo farmacêutico que já fora avaliado quanto à eficácia pré-clínica e clínica em queimados por Andresa Berretta, pesquisadora responsável da Apis Flora.

"A própolis é um material resinoso e balsâmico obtido pelas abelhas que, associada à membrana, produz uma ação cicatrizante e antimicrobiana. Além de regenerar a pele, o biocurativo consegue matar as bactérias que surgem junto com os ferimentos", explicou o pesquisador, que concluiu recentemente seu doutorado no Instituto de Química da Unesp de Araraquara sobre Materiais Multifuncionais Baseados em Celulose Bacteriana.

Natureza padronizada

A Apis Flora tem patente para o extrato padronizado de própolis e, atualmente, o grupo prepara nova solicitação para o biocurativo com própolis. "Não é qualquer extrato de própolis que apresenta os resultados, mas o que a empresa desenvolveu, avaliou e depositou o pedido de patente", ressaltou Barud.

Segundo Andresa, quando se trabalha com derivados naturais a reprodutibilidade de lote a lote é indispensável para se obter medicamentos. "Nosso grupo já avaliou essas características e tem condições de obter industrialmente lotes reprodutíveis a fim de se registrar um medicamento nos órgãos reguladores", disse.

A membrana de celulose é produzida pela bactéria Acetobacter xylinum, encontrada principalmente nas frutas em decomposição."A vantagem da celulose bacteriana, principalmente a produzida pela A. xylinum, é a elevada resistência mecânica conferida pela rede tridimensional formada por nanofibras de celulose", explicou.

Com o novo biocurativo o paciente em tratamento poderá desempenhar atividades corriqueiras como tomar banho ou ficar exposto ao sol. "Como o produto é impermeável, ele funciona como uma barreira bacteriológica, sem impedir que o ferimento respire", disse.

Monitoramento da cicatrização

Barud acrescenta ainda que, pela transparência e por aderir com facilidade ao leito da ferida, a película possibilitará o acompanhamento constante da cicatrização. Um dos problemas no tratamento de queimados é que o curativo convencional pode provocar lesões todas as vezes que é removido.

"O novo biocurativo poderá ser colocado diretamente na ferida sem necessidade de troca. Além disso, conseguimos desenvolvê-lo com liberação sustentada, ou seja, ele libera própolis lentamente", disse.

A próxima etapa da pesquisa será o teste em animais. Depois de superada essa fase, o biocurativo será testado em humanos. "A meta é produzir o produto em larga escala. A previsão é que dentro de dois a três anos ele seja comercializado", disse Barud.

Participam também da pesquisa os professores Younés Messaddeq e Sidney José Lima Ribeiro, do Instituto de Química da Unesp de Araraquara, além de Andresa Aparecida Berretta, coordenadora de pesquisa na empresa Apis Flora.



Por: Agência Fapesp - Diário da Saúde

Publicado em: 24/12/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=biocurativo-propolis-cicatrizante-antimicrobiano&id=6061

Amamentação por seis meses melhora inteligência das crianças

Alimentação primordial

Crianças de dez anos que haviam sido amamentadas por ao menos seis meses tiveram resultados melhores em testes-padrão de leitura, matemática e grafia, em comparação com crianças amamentadas por períodos mais curtos.

A conclusão é de um estudo australiano feito com mais de mil crianças e relatado nesta pelo site especializado MedPage Today.

Os efeitos benéficos da amamentação apareceram de forma mais relevante em meninos, possivelmente porque o leite compensa hormônios femininos que ajudam a proteger o cérebro das meninas.

Outra possibilidade é que a amamentação tem um efeito positivo nas relações entre mãe e filho, facilitando a interação e, de forma indireta, o desenvolvimento cognitivo, segundo o MedPage Today.

Como os meninos dependiam mais da atenção materna do que as meninas, os efeitos positivos dessa interação se fariam mais presente neles.

Efeitos da amamentação

O estudo, publicado na revista Pediatrics, foi coordenado por Wendy Oddy, do Instituto de Pesquisa de Saúde Infantil da Universidade do Oeste da Austrália.

"Nosso estudo adiciona provas crescentes de que a amamentação por ao menos seis meses tem efeitos benéficos para o melhor desenvolvimento da criança", escreveram Oddy e seus colegas.

A relação entre amamentação e desenvolvimento cognitivo é atribuída aos nutrientes presentes no leite materno - principalmente ácidos graxos poli-insaturados -, que ajudam no crescimento de membranas celulares do cérebro e de neurônios.

Desenvolvimento cognitivo

O estudo levou em consideração os outros fatores que também influenciam o desenvolvimento cognitivo infantil e disse ter tentado controlá-los entre as crianças estudadas.

Com isso, foi possível observar também que índices menores de educação materna e renda prejudicavam o desempenho das crianças.

Em contrapartida, as que liam mais durante a idade de três a cinco anos tiveram melhores resultados nos testes de leitura e escrita.



Por: BBC - Diário da Saúde

Publicado em: 23/12/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=amamentacao-melhora-inteligencia-criancas&id=6056

Tomar leite reduz risco de doenças cardíacas, diz estudo

Leite para o coração

Um estudo publicado na revista especializada American Journal of Clinical Nutrition revela que beber três copos de leite por dia pode diminuir em até 18% o risco de doenças cardiovasculares.

Mas o consumo de leite não é uma unanimidade entre os especialistas. Alguns estudos questionam até mesmo se adultos devem ou não tomar leite.

Um estudo nacional chegou à conclusão que os brasileiros tomam leite em excesso, e que o leite é importante na alimentação, mas não pode ser considerado essencial para uma saúde normal.

Estudos contraditórios

A professora Sabita Soedamah-Muthu, do Departamento de Nutrição Humana da Universidade de Wageningen, na Holanda, conduziu o estudo com a colaboração de pesquisadores da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

Ela analisou cerca de 5 mil estudos sobre o mesmo tema - relação entre tomar leite e doenças cardíacas - feitos na Europa, Estados Unidos e Japão durante um ano e meio e concluiu que o leite é realmente benéfico para a saúde do coração.

"Havia resultados muito contraditórios sobre a relação do consumo de leite com a saúde nos estudos. Às vezes concluía-se que há uma relação benéfica, às vezes maléfica e outras vezes, nenhuma", disse a professora.

Consumo de leite

Os resultados de várias das pesquisas analisadas foram combinados utilizando a quantidade de leite consumida diariamente por cada indivíduo.

Em uma análise final dos números, Soedamah-Muthu percebeu que um copo de leite ao dia parece ter relação com uma redução de 6% no risco de doenças cardiovasculares.

"Conseguimos demonstrar os efeitos positivos de consumir até três copos por dia, quando o risco de problemas no coração fica 18% menor."

Segundo a pesquisadora, não foi encontrada nenhuma relação entre o consumo de leite integral ou desnatado e o aumento do risco de doenças cardíacas, infarto ou mortalidade.



Por: BBC - Diário da Saúde

Publicado em: 17/12/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=consumo-leite-reduz-risco-doencas-cardiacas&id=6048

Alívio que vem das mãos

Criada há mais de um século, a quiropraxia ajuda no tratamento da dor.

Dores na lombar, no pescoço, nas articulações e até enxaqueca. São muitas as razões que levam pacientes a procurar um quiropraxista. A técnica, pouco conhecida no Brasil, mas muito comum nos Estados Unidos, ganha cada vez mais adeptos que buscam ajuda para problemas do sistema neuromusculoesquelético. O tratamento é feito por meio de ajustes, em que o profissional manipula as articulações com um movimento rápido e preciso, que restaura a função articular e, com isso, provoca um relaxamento da tensão muscular.

Mas os benefícios não param por aí. Segundo o quiropraxista Roger Dunn, muitas pessoas chegam ao consultório para tratar dores pontuais e relatam melhoras em outras áreas da saúde.

Para Dunn, isso ocorre porque, ao aliviar a pressão sobre os nervos comprimidos, é liberado um fluxo maior de sangue, que permite uma melhor irrigação dos órgãos.

A quiropraxista Janice Cavalcante explica que muitas situações podem gerar desvios na coluna: má postura, esforços repetitivos, sedentarismo, tombos, entre outros. Segundo ela, é importante procurar tratamento nos primeiros sintomas.

– A maioria das pessoas demora para procurar ajuda de um especialista – alerta.

Ela atribui isso à cultura.

– Quando uma criança cai, a mãe pega no colo e diz: “Vai passar, não foi nada.” E muita gente leva as dores achando que uma hora passa, quando o correto seria, além de tratar, sempre prevenir.

A consulta com um quiropraxista começa com um diagnóstico em que o profissional investiga o histórico do paciente, questiona em quais situações a dor piora ou melhora, faz um teste para avaliar as razões do desconforto e observa vícios de postura e hábitos. Após essa etapa, ele indica o tratamento e dá orientações para a recuperação e a prevenção de lesões.

O resultado do tratamento depende muito do estilo de vida que a pessoa leva. Segundo Janice, o paciente pode ser comparado a uma cartolina dobrada.

– Ele chega aqui e a gente desdobra a cartolina, mas se ele não rever os hábitos, as vértebras voltam para o mesmo lugar.

Ao procurar um quiropraxista, é importante verificar se ele é membro da Associação Brasileira de Quiropraxia. A profissão não é regulamentada no Brasil e existem muitos terapeutas sem formação atuando na área, o que pode representar um risco. Certifique-se de que o profissional tem formação em nível superior em quiropraxia. O curso é oferecido em duas universidades no país.

UM POUCO DE HISTÓRIA

* Daniel David Palmer desenvolveu a quiropraxia em 1895, nos EUA. Em 1897, fundou a Palmer School of Chiropractic, a primeira escola de quiropraxia do mundo.

* O termo quiropraxia é derivado de duas raízes gregas: quiro (mãos) e praxis (praticar).

* Nas décadas de 1980 e 1990, os primeiros brasileiros formados em faculdades internacionais iniciam o processo de estruturação da profissão no país.

* Em 16 de novembro de 1992, foi fundada, em São Paulo, a Associação Brasileira de Quiropraxia (ABQ).

* A partir de 2000, uma universidade particular em São Paulo e outra no Rio Grande do Sul passaram a oferecer graduação em quiropraxia. O curso foi reconhecido pelo Ministério da Educação em 2005.

* Em 2001, foi apresentado na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 4.199, que prevê a regulamentação da profissão.

* O projeto já tramitou em todas as comissões de mérito e aguarda a votação em plenário.

Queixas mais comuns

* LOMBALGIA: dores na região lombar.

* TORCICOLO: dores no pescoço.

* CITALGIA: dores no ciático.



Por: Diário Catarinense

Publicado em: 05/12/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a3129131.xml&template=3898.dwt&edition=16024§ion=1380

Medicamento homeopático é alternativa para evitar efeitos colaterais indesejáveis em crianças

Especialista explica cuidados no uso de medicamentos durante a infância.

Utilizar medicamentos homeopáticos é uma alternativa eficaz para evitar efeitos colaterais indesejáveis em crianças, segundo o médico pediatra e homeopata Yechiel Moises Chencinski. Durante a infância o organismo se encontra em constante desenvolvimento - neurológico, psicológico, endocrinológico e imunológico -, e alguns medicamentos podem alterar ou até mesmo prejudicar essa evolução.

"Os efeitos adversos de remédios podem ser agudos e causar vômitos, dores de cabeça, diarreia e tontura", explica o especialista. Segundo ele, reações indesejáveis geralmente são provocadas pelo uso contínuo ou repetido de algumas drogas e podem alterar funções mais nobres do organismo, como o crescimento e desenvolvimento ou prejudicar a atividade hepática e renal, por exemplo. "É preciso avaliar os riscos dessas ocorrências para se adequar ou até suspender e mudar o tratamento prescrito", afirma.

De acordo com o Dr. Chencinski, é muito importante que o médico esteja familiarizado com a medicação utilizada e que os pacientes tenham acesso facilitado aos profissionais de saúde. "Os medicamentos devem ser receitados corretamente e o uso deve contar com supervisão constante", salienta. "A qualquer sinal de prejuízo, esses tratamentos devem ser reavaliados e reorientados", aponta.

Crianças merecem atenção redobrada na administração de medicamentos - Algumas classes de medicamentos merecem atenção redobrada quando utilizados em crianças. Entre os mais comuns estão os antibióticos, corticoides, anti-inflamatórios, antidepressivos, quimioterápicos e até vacinas. "Isso não significa que esses medicamentos não tenham seus pontos positivos e suas indicações precisas no tratamento de muitas doenças", lembra o médico. "Algumas vezes essas medicações são fundamentais para salvar vidas humanas, independente de sua faixa etária", ressalta.

No caso dos medicamentos homeopáticos, eles podem ser utilizados em um grande número de pacientes para solucionar diversas doenças. "A homeopatia pode ser associada à alopatia, acupuntura, fitoterapia, entre outras, buscando o bem estar e o equilíbrio da saúde do paciente", lembra o Dr. Chencinski.

"Não existem efeitos adversos ou efeitos colaterais indesejáveis com o uso do medicamento homeopático agudamente ou de forma prolongada, nem a curto e nem a longo prazo", certifica. "É muito importante, no entanto, que sejam indicados por um profissional de saúde habilitado, o que é essencial para garantir a segurança do paciente de qualquer faixa etária", completa.



Por: Portal Fator Brasil

Publicado em: 28/12/2010

Fonte: http://www.revistafator.com.br/ver_noticia.php?not=141742

Contra resistência bacteriana, médico defende homeopáticos

Alternativa ajuda a reduzir os riscos decorrentes do uso indevido de antibióticos após ANVISA determinar maior controle na comercialização desses medicamentos.

O uso de medicamentos homeopáticos pode substituir tratamentos em que a utilização de antibióticos não é essencial, de acordo com o Dr. Levon Mekhitarian, médico otorrinolaringologista e mestre em Ciências da Saúde. A nova decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que estabelece maior controle na comercialização de antibióticos no Brasil, reacende a preocupação com um grave problema que atinge a saúde da população: a resistência bacteriana.

"Quando bactérias se reproduzem mesmo na presença de doses mais altas dos antibióticos usados nos tratamento convencionais, a situação é preocupante", explica o médico. "Com o uso da medicação homeopática temos outros mecanismos de estimulação da defesa do organismo, mais naturais e com ação direcionada, por isso nesses casos esses medicamentos apresentam vantagem terapêutica".

Segundo o Dr. Mekhitarian, estima-se que dois terços dos antibióticos são utilizados sem prescrição médica em muitos países. A resistência de bactérias é um problema que acontece onde não há fiscalização pelos órgãos competentes e uso de antibióticos de forma indiscriminada e incorreta. "O uso desses remédios deve ser reservado para os casos comprovados de ação bacteriana com poder maior de contaminação", acredita.

Infecções de vias aéreas superiores podem ser tratadas com medicação homeopática - Nos casos de infecções de vias aéreas superiores como, por exemplo, faringites, amidalites, otites, sinusites e laringites, 50% do uso de antibióticos acontece de maneira desnecessária, de acordo com o médico. "Essas afecções são perfeitamente tratáveis com o uso de medicamentos homeopáticos", esclarece o especialista.

"Sabemos que quase 90% das infecções das vias aéreas superiores são virais, portanto o uso de antibióticos é quase desnecessário. A medicação homeopática é uma excelente opção uma vez que estamos tratando causa e sintomas, encurtando a duração da doença e prevenindo as complicações principalmente em idosos", completa o Dr. Mekhitarian.

Entenda a restrição da Anvisa às vendas de antibióticos - No final de novembro, entraram em vigor as novas regras para comercialização de antibióticos em farmácias em todo o Brasil, seguindo determinação da ANVISA. Esses medicamentos agora são vendidos apenas com apresentação de receita médica - sendo que uma via fica retida no estabelecimento e outra deve ser carimbada para evitar reutilização. Além disso, as prescrições médicas terão validade de dez dias e ficarão registradas no Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC). Segundo a Organização Mundial de Saúde, mais da metade das prescrições de antibióticos em todo o mundo são desnecessárias ou inadequadas.



Por: Portal Fator Brasil

Publicado em: 21/12/2010

Fonte: http://www.revistafator.com.br/ver_noticia.php?not=141294

Laticínios podem diminuir risco de diabetes tipo 2

Gosta de saborear queijo, leite, iogurte, manteiga? Pois saiba que o hábito pode ser benéfico à sua saúde. De acordo com uma pesquisa americana, um componente dos laticínios, o ácido graxo trans-palmitoléico pode diminuir o risco de desenvolver diabetes tipo 2.

Cientistas da Escola de Saúde Pública de Harvard e colaboradores de outras instituições examinaram 3736 pessoas, acompanhadas ao longo de 20 anos. Amostras de sangue armazenadas em 1992 foram utilizadas nos testes, como informou a publicação Annals of Internal Medicine.

Em comparação com os participantes de níveis baixos do ácido, os com taxas elevadas apresentaram chance 60% menor de ter diabetes. Segundo o site Science Daily, o composto não é produzido pelo organismo. Por ser obtido justamente a partir da gordura do leite, melhor não exagerar no consumo de seus derivados. Mais estudos são necessários para comprovar seus benefícios.

Por: Portal Terra - Seção: Saúde - Patricia Zwipp

Publicado em: 27/12/2010

Fonte: http://saude.terra.com.br/noticias/0,,OI4856491-EI16560,00-Laticinios+podem+diminuir+risco+de+diabetes+tipo.html

Acupuntura pode ajudar correção de "olho preguiçoso", mostra estudo

A acupuntura pode ajudar no tratamento da ambliopia, problema que afeta a visão de crianças e é conhecido como “olho preguiçoso”, segundo revela uma pesquisa publicada no periódico "Archives of Ophtalmology". O distúrbio é caracterizado pela baixa visão em um dos olhos. O tratamento é feito normalmente com óculos, colírio ou tampão.

O levantamento foi feito na China com 88 crianças entre 7 e 12 anos. Durante 25 semanas, metade do grupo estudado usou tampão por duas horas ao dia. A outra parte fez cinco sessões semanais de acupuntura. De acordo com a pesquisa, esse grupo teve 42% de melhora, contra 17% no grupo que usou tampão.

Segundo os pesquisadores, a acupuntura ativa o sistema nervoso e libera endorfina, dopamina e serotonina, substâncias com efeito analgésico e anti-inflamatório. O relaxamento provocado pela liberação dessas substâncias reduziria, portanto, a tensão dos músculos dos olhos, responsável por causar a doença.

Por: EBAND - Seção: Saúde

Publicado em: 27/12/2010

Fonte: http://www.band.com.br/jornalismo/saude/conteudo.asp?ID=100000382978

Gordura na barriga pode causar doenças

Combinação de má alimentação e vida sedentária causa sérios problemas ao organismo

Uma das promessas mais comuns que as pessoas costumam fazer para o ano novo é perder peso. Essa tarefa, porém, nem sempre é fácil, sobretudo quando se trata de alguém que não pratica exercícios físicos e ainda abusa das comidas cheias de calorias.

Neste caso, o resultado pode ser a temida gordura abdominal, responsável pela barriga, problema que atinge tanto homens quanto mulheres e pode acarretar doenças perigosas, como a diabetes.

Para os homens, a circunferência da barriga não pode ser maior que 102 centímetros. Entre as mulheres, a medida máxima permitida é de 80 centímetros.

Parte da gordura que comemos é transformada em energia. O excesso fica depositado nos tecidos, nos órgãos e vai para o sistema sanguíneo. O acúmulo de gordura provoca inflamações e pode entupir vasos e artérias, como explica o nutrólogo Celso Cukier.

- A artéria do nosso coração, ela tem um calibre reduzido, e com isso os entupimentos são mais frequentes, as oclusões são mais frequentes, causando a deficiência de sangue no nosso coração e levando ao conhecido enfarto.

De acordo com o tomografista Giuseppe D’ippolito, o órgão que mais sofre com o acúmulo de gordura é o fígado.

- O fígado é o grande filtro de tudo que nós comemos. Você imagina um filtro de café: ele vai depurar, segurar a gordura e não vai permitir que essa gordura fique circulando e alcançando outros órgãos.

Os problemas, porém, não param por aí. Descobertas científicas recentes indicam que, entre os homens, a gordura abdominal afeta a produção da testosterona, hormônio responsável pela ereção.



Por: Portal R7 - Seção: Saúde

Publicado em: 26/12/2010

Fonte: http://noticias.r7.com/saude/noticias/gordura-na-barriga-pode-causar-doencas-como-diabetes-e-ate-mexer-com-os-hormonios-20101226.html

Pão integral com casca de cupuaçu tem mais fibras e menos carboidratos

Casca de cupuaçu

A casca de cupuaçu tem as melhores características para a elaboração de uma farinha para a fabricação de pães integrais.

A conclusão é resultado do trabalho do pesquisador Bruno Sanches Rodrigues, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP, em Piracicaba (SP).

Bruno trabalhou inicialmente com três culturas diferentes: açaí, buriti e cupuaçu, com o objetivo de caracterizar as polpas e as sobras do processamento.

Os testes mostraram que a farinha da casca de cupuaçu era a mais indicada para o projeto.

Mais fibras e menos carboidratos

Os alimentos foram desenvolvidos substituindo parcialmente a farinha de trigo pela farinha da casca de cupuaçu em 3%, 6% e 9% e, posteriormente, analisados quanto à composição centesimal, propriedades físicas e aceitabilidade pelos consumidores.

"Os pães integrais tiveram sua composição centesimal quase inalterada em função da substituição da farinha de trigo pela farinha de cupuaçu, exceto pelo aumento gradativo no teor de fibras alimentares em detrimento do teor de carboidrato. Dessa forma, os pães com 6% de farinha de cupuaçu, segundo a nossa legislação, podem ser considerados como 'fonte de fibras' e os pães com 9% com 'alto teor de fibras alimentares'", conta o pesquisador.

A análise sensorial foi feita numa padaria. "Tivemos que garantir aos provadores que mesmo não havendo na literatura um pão produzido com farinha de casca de cupuaçu, tratava-se de um alimento seguro e de acordo com as normas exigidas. Busquei sair um pouco do laboratório para ter uma extensão do projeto na comunidade. Nós queríamos testar as fibras para ver se eram realmente viáveis", destaca Bruno.

O teste de aceitação constatou que 72,5% dos voluntários consumiam pães diariamente; 67,5% consideraram pães importantes na alimentação e 65,0% declararam importante o consumo de fibras para a saúde.

Quanto à avaliação da qualidade, os pães com farinha de casca de cupuaçu obtiveram ótima aceitação e seriam consumidos por 92,5% dos provadores.

Pão com baixa caloria

Um dos pontos importantes da pesquisa indica que o aumento do teor de farinha de cupuaçu proporcionou diminuição no valor calórico dos pães em relação ao padrão. O valor de pH variou pouco nos pães.

A farinha de casca de cupuaçu causou uma diferença maior na cor dos miolos dos pães, e menos em sua casca - a aparência externa do pão muda com a adição de quantidades maiores da farinha, ficando mais escura.

Por outro lado, o volume dos pães diminuiu proporcionalmente em relação ao aumento da substituição da farinha branca pela de cupuaçu, quando comparados ao pão padrão.

Aproveitamento das cascas

A pesquisa teve o objetivo de verificar o aproveitamento de resíduos da agroindústria como fonte de fibras para a elaboração de pães integrais. "O aumento da produção pela agroindústria ao mesmo tempo em que proporciona benefícios, gera uma grande quantidade de resíduos que, se não tratados de forma adequada, trazem malefícios à sociedade e ao ambiente", aponta Bruno.

Foram utilizados resíduos de açaí, buriti e cupuaçu. "Os resíduos são gerados pela casca, semente, endocarpo e polpa que, após prensados, surgem no formato de torta desengordurada. Após análise dessa torta, tivemos que definir um produto final porque encontramos um leque muito grande de resultados. Enfim, encontramos a melhor fonte de fibras para a elaboração de pães integrais de acordo com expectativas de se produzir um alimento seguro que também gerasse renda", explica.


Por: Agência USP - Diário da Saúde

Publicado em: 22/12/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=pao-integral-casca-cupuacu&id=6044

Tratamento para Pressão Alta - Com Hortaliças

CEBOLA: Suco diluído em água. Tomar três xícaras ao dia Usa-la nas refeições em forma de saladas cruas.

ALHO: Tomar água de alho. Amassar três dentes de alho e coloca-los de molho em 400 ml de água durante seis horas. Coar e tomar uma xícara de chá a cada três horas. Tomar três cápsulas de óleo de alho ao dia, acompanhando as principais refeições.

BERINJELA: Corta-la em pedaços pequenos e deixa-los de molho durante quatro horas. Tomar cinco xícaras ao dia.

CEBOLA: Suco diluído em água. Tomar três xícaras ao dia Usa-la nas refeições em forma de saladas cruas.

CHUCHU: Chá das folhas e brotos (trinta gramas para 1 litro de água) Tomar cinco xícaras ao dia.

PEPINO: Suco Puro. Tomar 250 ml, duas vezes ao dia . Usa-lo nas refeições em forma de saladas cruas.

Por: Tribunas News - Fonte: Mileumsegredosdequimica

Publicado em: 16/12/2010

Fonte: http://www.atribunanews.com/exibe.php?id=70068

Dente-de-leão combate colesterol

A herbácea Taraxacum offidnale, ou dente-de-leão, é natural de Portugal ...

A herbácea Taraxacum offidnale, ou dente-de-leão, é natural de Portugal e chegou ao Brasil com os primeiros colonizadores.

Devido a sua vitalidade, adapta-se bem em qualquer solo. As raízes e as folhas novas podem ser consumidas cruas, em forma de salada.

Sua seiva branca e leitosa contém as vitaminas A, B1, B2, B3, C e potássio. As folhas têm poder diurético, estimulam o coração e combatem o colesterol.

Por: Tribuna News

Publicado em: 30/12/2010

Fonte: http://www.atribunanews.com/exibe.php?id=70275&cod_editorial=&url=exibe.php&pag=&busca=

Conheça 13 sucos poderosos para prevenir doenças

Na última semana, foi publicada uma pesquisa que revelou os benefícios do suco de beterraba no combate à progressão da demência.

Na última semana, foi publicada uma pesquisa que revelou os benefícios do suco de beterraba no combate à progressão da demência. Cientistas do mundo todo estão vasculhando os benefícios dos alimentos e realizando descobertas importantíssimas, pois muitas doenças podem ser amenizadas através de uma alimentação correta.

O jornal inglês Daily Mail publicou a lista de algumas frutas e sucos que projetam efeitos positivos para a saúde e, com a chegada do calor, nada melhor do que se hidratar com algo que realmente faça bem. Veja abaixo a lista de sucos à base de ingredientes poderosos que ajudam no combate de doenças:

1 - Suco de romã para câncer de próstata

O romã possui um coquetel de substâncias químicas que parecem reduzir os danos celulares e, potencialmente, matar as células canceríginas, de acordo com estudo realizado por cientistas da Universidade da Califórnia. Eles pediram a 50 homens com câncer de próstata que tomassem 240 ml de suco por dia. Em seguida, acompanharam os níveis de antígeno específico da próstata (PSA), uma proteína ligada ao câncer de próstata. Geralmente, em pacientes com a doença, a duplicação do PSA leva 15 meses, mas nos pacientes que beberam o suco de romã, esse processo levou, em média, 54 meses . O suco de romã também é bom para doença cardíaca e na redução do mau colesterol. Os antioxidantes no suco de romã podem ajudar a reduzir a formação de depósitos de gordura nas paredes das artérias.

2 - Suco de grapefruit para a perda de peso

A grapefruit é o resultado do cruzamento do pomelo com a laranja e também é conhecido pelos nomes de jamboa, toranja, laranja-melancia, laranja vermelha e laranja-romã. De acordo com um estudo realizado nos Estados Unidos, esta fruta possui propriedades que ajudam no emagrecimento.

Foram divididas 100 pessoas obesas em três grupos: um grupo recebeu metade de um grapefruit antes de cada refeição, outro ingeriu um copo de suco da fruta, enquanto o terceiro não ingeriu grapefruit. Após 12 semanas, os que comeram a fruta tinham perdido uma média de 1,6 Kg e aqueles que beberam o suco perderam uma média de 1,4 Kg. Porém, aqueles que não consumiram a grapefrit perderam uma média de apenas 0,22 Kg.

3 - Suco de cranberry contra infecções urinárias

Ainda pouco conhecida no Brasil, essa frutinha vermelha que parece uma cereja está despertando o interesse dos cientistas. Um estudo realizado em 2010 mostrou que o suco de cranberry impede o crescimento da bactéria Escherichia coli, a causa mais comum de infecções urinárias.

Os pesquisadores que apresentaram suas conclusões à Sociedade Americana de Química, apontaram que apenas oito horas após a ingestão, o suco pode ajudar a impedir que as bactérias se desenvolvam. No entanto, ao contrário da crença popular, o suco não irá tratar uma infecção existente, ele é apenas preventivo. Além disso, não é recomendada a ingestão excessiva da fruta, pois pode causar irritação no intestino e deve ser evitada por diabéticos, por conter frutose.

4 - Suco de Maçã para Alzheimer

Beber o suco de maçã mantém os níveis da acetilcolina, que é vital para a memória e à saúde do cérebro, já que os níveis baixos estão associados à doença de Alzheimer. De acordo com pesquisa realizada nos Estados Unidos, em camundongos, a ingestão de dois copos de suco de mação por dia pode trazer benefícios similares em humanos adultos.

5 - Suco de cereja para fadiga e gota

Estudos recentes da Universidade de Northumbria têm mostrado que os corredores que beberam suco das cerejas Montmorency duas vezes por dia durante cinco dias antes da Maratona de Londres, obtiveram uma recuperação muito mais rápida e não sofreram tanto com dores musculares. Além disso, o suco de cereja pode ajudar a aliviar a agonia da gota, ajudando o organismo a excretar o ácido úrico ligada à dor provocada pela doença.

6 - Suco de laranja para doença cardíaca

O suco de laranja contém um antioxidante chamado hesperidina, que melhora a função dos vasos sanguíneos, ajudando a reduzir o risco de doença cardíaca. De acordo com pesquisa realizada nos Estados Unidos, homens que bebearm 500 ml de suco de laranja por dia, apresentaram pressão arterial mais baixa do que aqueles que tomaram um suplemento antioxidante.

Sabe-se, também, que os suplementos de citrato, substância encontrada em sucos cítricos, podem ajudar a retardar a formação de pedras nos rins, mas algumas pessoas acham que a natureza ácida das pílulas é difícil de tolerar. Um copo diário de suco de laranja produz benefícios similares.

7 - Suco de abacaxi para artrite

A enzima bromelina, encontrada na carne e no suco de abacaxi, ajuda o organismo a digerir proteínas, mas também tem outros benefícios importantes. Quando tomada com o estômago vazio, a bromelina age como um agente anti-inflamatório que tem sido utilizado para reduzir a dor da artrite e inchaço nas articulações.

Um estudo mostrou que uma combinação de enzimas, incluindo a bromelina, pode ser uma alternativa segura aos medicamentos anti-inflamatórios para as pessoas com osteoartrite no joelho.

8 - Suco de açaí para câncer

O suco de açaí possui altos níveis de antioxidantes. Estudos realizados pela Universidade do Texas descobriram que beber o suco diariamente pode ajudar a prevenir o desenvolvimento e a disseminação de células cancerosas.

9 - Suco de uva roxa para perda de memória

Um estudo realizado por psiquiatras da Universidade de Cincinnati descobriu que uma bebida diária do suco melhorou a memória dos pacientes significativamente em comparação com um placebo. Os especialistas estimam que as uvas forneçam antioxidantes. A uva também atua para baixar o colesterol e pode ser tão eficaz quanto a aspirina diariamente para ajudar a prevenir coágulos sanguíneos.

10 - Água de coco para esgotamento

Madonna e Gwyneth Paltrow estão entre as celebridades que usam a água de coco para a recuperação após os treinos. A bebida tem líquido para reidratação, hidratos de carbono, e eletrólitos, para substituir o que foi perdido através do suor.

11 - Suco de cenoura para câncer do reto

Pesqusiadores da Universidade de Newcastle isolaram um composto de cenoura que promete combater o câncer e acabaram descobrindo que os ratos alimentados com tal composto, chamado falcarinol tinham um risco três vezes menor de desenvolver o cancro colorectal do que os ratos que não receberam o composto. Falcarinol é um pesticida natural encontrada na cenoura, que protege o vegetal contra doenças fúngicas.

12 - Suco de tomate para queimaduras solares

Cientistas descobriram que o licopeno, substância que faz com que o tomate seja vermelho, é um grande antioxidante. Está cientificamente provado que ele ajuda a proteger a pele dos danos do sol, talvez por neutralizar os efeitos nocivos dos raios UV. Nos testes, pessoas que comiam mais tomate, tiveram 33% mais proteção contra queimaduras solares.

13 - Suco de mirtilo para demência

Os componentes do mirtilos podem ajudar a manter o cérebro saudável, é o que sugere um pequeno estudo da Universidade de Cincinnati. Os pesquisadores analisaram o efeito do suco de mirtilo na memória em adultos de 70 anos que tinham o declínio da memória relacionada à idade. Aqueles que beberam meio litro de suco de mirtilo diariamente por 12 semanas apresentaram desempenho significativamente melhor em testes de memória.




Por: Tribuna News - Fonte: Terra

Publicado em: 17/11/2010

Fonte: http://www.atribunanews.com/exibe.php?id=69661&cod_editorial=&url=exibe.php&pag=&busca=

O que um meditador Zen não pensa seu corpo não sente

O que a mente não vê

A prática da meditação Zen traz muitos benefícios comprovados à saúde, entre os quais uma diminuição da sensibilidade à dor.

Mas o que cientistas da Universidade de Montreal agora descobriram é que o corpo dos meditadores "sente" a dor, mas sua mente simplesmente não liga tanto para ela quanto uma pessoa que não medita.

Os resultados, publicados na edição deste mês da revista Pain, podem ter implicações para pessoas que sofrem de dores crônicas, tais como aquelas com artrite, dores nas costas ou câncer.

Comandando o próprio cérebro

"Nossa pesquisa anterior descobriu que os praticantes da meditação Zen têm menor sensibilidade à dor," lembra o Dr. Pierre Rainville.

"O objetivo deste novo estudo foi determinar como eles conseguem isso. Usando ressonância magnética funcional, foi demonstrado que, embora os meditadores estejam conscientes da dor, essa sensação não foi processada na parte do cérebro responsável pelo raciocínio, avaliação e formação da memória," conta Rainville.

Os cientistas acreditam que os meditadores detectam a sensação de dor, mas cortam o processo rapidamente, evitando interpretar e rotular os estímulos como sendo dolorosos.

Conexão mente-cérebro

Os praticantes Zen mais experientes apresentaram as menores respostas à dor, com reduzida atividade nas áreas cerebrais responsáveis pela cognição, emoção e memória (córtex pré-frontal, amígdala e hipocampo).

Além disso, houve uma diminuição na comunicação entre a parte do cérebro que detecta a dor e o córtex pré-frontal.

"Nossos resultados levam a novos insights sobre a função mente/cérebro," diz Joshua Grant, que coordenou os experimentos. "Estes resultados desafiam os conceitos atuais de controle mental, que se acredita ser alcançado através do aumento da atividade cognitiva, com esforço. Em vez disso, nós sugerimos que é possível se auto-regular de forma mais passiva, 'desligando' certas áreas do cérebro, que, neste caso, são normalmente envolvidas no processamento da dor."

Treinando o cérebro

"Os resultados sugerem que praticantes de meditação Zen podem ter uma habilidade treinada para liberar alguns processos cerebrais de ordem superior, mesmo experimentando os estímulos," disse Raines.

"Essa possibilidade poderia acarretar consequências amplas e profundas para lidar com a dor, o controle das emoções e o controle cognitivo. Esse comportamento é coerente com a mentalidade do Zen e com a noção de mente alerta," conclui o pesquisador.



Por: Diário da Saúde

Publicado em: 06/01/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=meditacao-zen-nao-pensa-seu-corpo-nao-sente&id=6086

Estudo indica que dieta vegetariana é a melhor para pessoas com doença renal

Para pacientes com doenças renais, o melhor pode ser passar a ter uma alimentação vegetariana

É o que sugere um estudo da Universidade de Indiana, nos EUA, que mostra que, quando pacientes com esses problemas se alimentam apenas de vegetais, eles apresentam menores níveis de fósforo, o que ajuda a prevenir complicações graves, incluindo doenças cardiovasculares.

Avaliando nove pacientes com doença renal crônica, os pesquisadores observaram que, na semana em que tinham uma dieta vegetariana, os voluntários apresentavam menores níveis de fósforo no sangue e na urina, comparado à semana em que tinham uma alimentação que incluía carne. E isso ocorria mesmo com as duas dietas apresentando quantidades equivalentes de proteína e fósforo.


“Esses resultados, se confirmados em estudos mais longos, fornecem fundamentos para a recomendação de uma predominância de fontes vegetarianas de proteínas baseadas em grãos para pacientes com doença renal crônica”, escreveram os autores na última edição da revista científica Clinical Journal of the American Society Nephrology. “As descobertas sugerem que as fontes de proteínas podem ser mais importantes do que a quantidade, e permite aumentos na ingestão de proteínas”, concluíram.



Por: Expresso MT - On Line - Fonte: UOL

Publicado em: 02/01/2011

Fonte: http://www.expressomt.com.br/noticiaBusca.asp?cod=111638&codDep=3

Para engravidar de uma menina, aposte na dieta vegetariana

Pesquisadores afirmam que a alimentação pode fazer toda a diferença na concepção.

Mulheres que comem pouca carne e muitas frutas e verduras têm mais chances de ter filhas meninas. Pelo menos é o que afirmam pesquisadores dinamarqueses. Por outro lado, uma dieta rica em potássio e sódio, encontrado nas carnes, nas bananas e nas batatas, pode aumentar as chances de ter um menino. A equipe, que estudou 172 casais, afirma que a dieta certa pode fazer toda a diferença na hora da concepção.

Para provar a teoria, os pesquisadores prescreveram uma dieta com muitas folhas verdes (como espinafre, couve e rúcula), frutas secas e arroz integral. Segundo eles, estes alimentos são ricos em cálcio e magnésio, dois minerais que tornam o ambiente do útero mais propício para o cromossomo X. Para dar certo, o plano alimentar deve começar pelo menos nove semanas antes da primeira tentativa de concepção.

Após alguns meses de tentativas, 80% das participantes engravidaram de meninas. Além da alimentação, elas tomaram suplementos dos dois minerais e fizeram exames de sangue periódicos para determinar seus dias férteis.

O resultado, publicado no jornal científico Reproductive BioMedicine Online, deixou os médicos esperançosos.

– Se as mulheres fizerem tudo o que recomendamos, as chances de engravidar de uma menina aumentam drasticamente. O método é experimental, mas conseguimos provar que ele funciona – afirmou o pesquisador Annet Noorlander ao jornal britânico Daily Mail.


Por: ClickRBS - Fonte: Agência Globo

Publicado em: 05/01/2011

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/sc/donnadc/19,0,3165620,Para-engravidar-de-uma-menina-aposte-na-dieta-vegetariana.html

Dieta vegetariana ganha cada vez mais força no esporte

Apesar dos estudos científicos não comprovarem que a dieta vegetariana traz benefícios ao rendimento dos atletas em comparação aos não-vegetarianos, a procura por uma alimentação que dispense produtos de origem animal tem aumentado no mundo dos esportes. “É cada vez maior o número de atletas vegetarianos, devido aos costumes religiosos e culturais, crenças étnicas ou filosóficas, e devido à busca por uma vida mais saudável”, afirma Patrícia Bertolucci, uma das precursoras da nutrição esportiva no país. Como esse tipo de esportista não se alimenta de carnes e em alguns casos dispensa até de derivados do leite, caso dos veganos, uma série de cuidados devem ser tomados para que não faltem nutrientes e energia.

O escalador Plínio Bonfim adotou o vegetariaismo há cerca de 8 anos
Escalador e ex-capoeirista, Plínio Bonfim, 31 anos, formado em nutrição, começou a se tornar vegetariano há 8 anos, período em que iniciou a prática da escalada. “Fui abandonando a carne gradualmente e há uns 6 anos eu deixei de comer carne completamente”, recorda. Talvez por ser nutricionista, Plínio sabe bem a importância da reposição de algumas substâncias na dieta dos que não ingerem carnes. “Eu tenho que substituir a proteína por outras fontes que não sejam a carne. No meu caso, ainda como ovo. E uso também muito cereal integral, arroz com feijão, soja e quinua”, revela o escalador, que treina três vezes por semana na academia e uma vez por semana faz escalada ao ar livre.

A nutricionista Priscila Di Ciero é uma das que defende o vegetarianismo entre quem pratica atividades físicas. “As pesquisas mostram que não há diferença entre ser vegetariano ou onívoro (que se alimenta de animais e vegetais). O cardápio vegetariano, quando bem feito, é naturalmente rico em vitaminas, minerais, antioxidantes e carboidratos, que são a base da alimentação de qualquer atleta, e pode ser útil e mais saudável”, defende Priscila. “Isso não quer dizer que uma pessoa deva parar de comer carne e virar vegetariana achando que seu rendimento vai melhorar”, alerta.

Para suprir a deficiência de nutrientes fundamentais para qualquer pessoa como proteínas, zinco e ferro — todos fartamente encontrados em carnes, frangos e peixes — e evitar riscos à saúde, o atleta vegetariano deve compensar a diferença com alimentos nutritivos. “A base da alimentação tem que ter bastante frutas, verduras, legumes, arroz integral, grãos, lentilhas, feijão, soja e linhaça. E castanhas, de todos os tipos, que também são boas fontes de gordura, de vitaminas e minerais”, explica Priscila di Ciero. A nutricionista Serena Del Favero vai além: “Cereais ajudam, pois são fontes de carboidratos, que fornecem energia às células. Vale também o uso de suplementos, se for necessário.”

Curiosidade
Raridade no futebol
Encontrar um jogador de futebol que seja vegetariano é tarefa quase impossível, como garante a nutricionista Silvia Torres, no Flamengo desde 1984, e na Seleção Brasileira desde 2001. “No futebol é muito raro. Os hábitos são voltados principalmente para a proteína (encontrada nas carnes). Não conheço ninguém.”

Em defesa dos animais
Os veganos são pessoas que seguem uma filosofia de vida baseada em conceitos éticos que têm como base a proteção aos direitos dos animais. Eles pregam o fim da escravidão animal e buscam evitar a exploração e abusos por meio de boicotes a quaisquer produtos de origem animal (alimentar ou não). Os veganos também não consomem nada que tenha sido testados em animais ou que inclua qualquer forma de exploração animal nos seus ingredientes ou processos de fabricação.

À base de frutas e verduras

» Carl Lewis
Eleito o “Esportista do Século” pelo Comitê Olímpico Internacional, o velocista vegano, nascido nos Estados Unidos, colecionou 10 medalhas olímpicas em provas de velocidade, sendo nove delas de ouro. Em 1991, bateu o recorde de 9,86 segundos na prova dos 100 metros rasos.

» Dave Scott
Foi seis vezes campeão do Ironman no Hawaii, a principal competição de triatlon no mundo, chegando em primeiro lugar em 1980, 1982, 1983, 1984, 1986 e 1987. Apelidado de “The Man”, só teve seu recorde igualado por Mark Allen, que curiosamente venceu seis vezes logo após largar o vegetarianismo.

» Éder Jofre
O maior pugilista brasileiro de todos os tempos, vegetariano desde os 20 anos de idade, foi campeão mundial peso-galo em 1960 e do peso-pena em 1973 sem comer alimentos de espécie animal. Ele atribui a sua capacidade física, de resistência e força, à dieta vegetariana.

» Murray Rose
Considerado um dos maiores nadadores de todos os tempos, este escocês vegetariano conseguiu, logo aos 17 anos, três medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de 1956, em Melbourne, na Austrália. Nos 400m livre, 1500m livre e 4 x 200m livre. Em 1960, nas Olimpíadas de Roma, também ficou com o ouro, nos 400m livre.


Cuidado com as deficiências

Substâncias fundamentais presentes nas carnes devem ser buscadas pelos vegetarianos. A falta de vitamina B12, necessária para a boa manutenção do sistema nervoso, pode originar problemas cardiovasculares. E a isenção de creatina resulta em estoques musculares mais baixos.

Por outro lado, a dieta verde é rica em carboidratos, que fornecem energia às células, e antioxidantes, como vitamina C, E e beta-caroteno, que defendem o tecido muscular do estresse provocado pelos exercícios. “O mito de que ser vegetariano significa correr o risco de ficar doente ou sem músculos deve ser quebrado. Se a alimentação for balanceada, raramente haverá problemas de falta de nutrientes”, ressalta a nutricionista Patrícia Bertolucci. “A dieta vegetariana é capaz de suprir as necessidades do corpo para que a saúde continue perfeita, ou até melhor, sem prejudicar a performance do atleta”, garante.


Por: Super Esportes - Fonte: Felipe Seffrin (Correio Braziliense)

Publicado em: 04/01/2011

Fonte: http://www.superesportes.com.br/app/19,66/2011/01/04/noticia_maisesportes,11958/dieta-vegetariana-ganha-cada-vez-mais-forca-no-esporte.shtml

Pesquisa indica que chá verde protege contra Alzheimer e câncer

Estudo britânico afirma que compostos benéficos do chá são ativos mesmo depois da digestão.

Um estudo da Universidade de Newcastle, na Grã-Bretanha, indica que o chá verde pode proteger o cérebro de doenças como o Mal de Alzheimer e outros tipos de demência.

A pesquisa, divulgada na publicação especializada Phytomedicine, também sugere que o antigo remédio chinês que tem se popularizado no mundo todo também pode ter um papel muito importante na proteção do corpo contra o câncer.

No estudo, os cientistas investigaram se as propriedades benéficas do chá verde, que já tinham sido comprovadas no chá recém-preparado e não digerido, ainda se mantinham ativas uma vez que o chá fosse digerido.

De acordo com Ed Okello, professor da Escola de Agricultura, Alimento e Desenvolvimento da Universidade de Newcastle e que liderou o estudo, a digestão é um processo vital para conseguir os nutrientes necessários, mas também significa que nem sempre os compostos mais saudáveis dos alimentos serão absorvidos pelo corpo, podendo se perder ou modificar no processo.

"O que foi realmente animador neste estudo é que descobrimos que, quando o chá verde é digerido pelas enzimas do intestino, os compostos químicos resultantes são até mais eficazes contra gatilhos importantes do Alzheimer do que a forma não digerida do chá", disse.

"Além disso, também descobrimos que os compostos digeridos (do chá verde) tinham propriedades contra o câncer, desacelerando de forma significativa o crescimento de células do tumor que usamos em nossas experiências", acrescentou.

Na pesquisa, a equipe da Universidade de Newcastle trabalhou em conjunto com cientistas da Escócia, que desenvolveram uma tecnologia que simula o sistema digestivo humano. Graças a esta tecnologia, a equipe de Newcastle conseguiu analisar as propriedades protetoras dos produtos da digestão do chá.

Chás verde e preto

Dois compostos já são conhecidos por seu papel importante no desenvolvimento do Alzheimer, o peróxido de hidrogênio e uma proteína conhecida como beta-amilóide.

Pesquisas anteriores mostraram que compostos conhecidos como polifenóis, presentes nos chás verde e preto, tem propriedades neuroprotetoras, pois se ligam a compostos tóxicos e protegem as células do cérebro.

Quando ingeridos, os polifenóis são quebrados e produzem uma mistura de compostos. Foram estes compostos que os cientistas de Newcastle testaram.

"É uma das razões pela qual temos que ser tão cuidadosos quando fazemos afirmações a respeito dos benefícios para a saúde de vários alimentos e suplementos", disse Okello.

"Existem certos compostos químicos que sabemos que são benéficos e podemos identificar alimentos que são ricos nestes compostos, mas o que acontece durante o processo de digestão é crucial para saber se estes alimentos estão mesmo nos fazendo bem", afirmou.

Proteção de células

Os cientistas usaram modelos de células de tumor, expondo estas células a várias concentrações de diferentes toxinas e aos compostos do chá verde digerido.

"Os compostos químicos digeridos (do chá) protegeram as células (saudáveis), evitando que fossem destruídas pelas toxinas", disse Okello.

"Também observamos que eles afetaram células cancerosas, desacelerando de forma significativa seu crescimento."

"O chá verde é usado há séculos na medicina tradicional chinesa, e o que temos aqui dá provas científicas do porquê pode ser eficaz contra algumas das doenças mais importantes que enfrentamos hoje", acrescentou.

Por: Estadão - Seção: Saúde - BBC Brasil

Publicado em: 06/01/2011

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/geral,pesquisa-indica-que-cha-verde-protege-contra-alzheimer-e-cancer,662918,0.htm

Acupuntura restaura funcionamento do cérebro

Lidar com pressão por melhor desempenho profissional, prazos no trabalho e as contas a pagar, além da atenção que ainda precisa dar às questões familiares, pode mesmo tirar o sono de qualquer pessoa.
O resultado são crises de ansiedade, enxaquecas, irritabilidade, insônia e a piora de problemas, que podem se tornar crônicos, como hipertensão, perda de memória e concentração. Para quem procura terapias alternativas para solucionar esses males, a acupuntura estimula pontos específicos da pele, ativando regiões do sistema nervoso central que beneficiam a saúde.
A fisioterapeuta Nelbia Jerônimo Ribeiro explica que, para relaxar, dispersando a ansiedade e as tensões do dia a dia, é importante equilibrar as energias opostas que circulam pelo nosso corpo, conhecidas como Yin e Yang. “É o desequilíbrio dessas forças que causam dores. As agulhas usadas na acupuntura desobstruem os canais de energia, restabelecendo a distribuição adequada a cada indivíduo e sua atuação”.

Outra modalidade é a auriculoterapia, que, como a acupuntura, atua nas funções do corpo através de pontos da orelha, sem a utilização de agulhas. Estímulo em região da orelha correspondente ao pulmão também refletirá no tratamento de doenças respiratórias, por exemplo.

Sendo assim, as técnicas se tornaram eficazes no tratamento de doenças crônicas como lombalgias, dor cervical e dorsalgias (dores na coluna e nas costas), tendinites (inflamações em tendões), fibromialgia, artrites, como também doenças gastrointestinais, como constipação intestinal, esofagite, cólicas e gastrites. Problemas respiratórios, como sinusite, asma, bronquite, alergias, além dos desconfortos da menopausa, alterações menstruais, ansiedade e depressão, contra a perda da memória, sequelas de derrame e doenças renais. É utilizada ainda para reduzir implicações do tratamento contra câncer.

“A quimioterapia causa dores, náuseas, vômito e a terapia alivia os efeitos”, revela a fisioterapeuta.

Cada ponto do nosso corpo tem uma função local e outra sistêmica. A especialista destaca que a avaliação completa, buscando descobrir a causa da dor, revela a energia em desequilíbrio ou o canal obstruído e que pontos devem abordados. Os efeitos do tratamento aparecem nas primeiras sessões, com duração de 30 minutos cada, sendo possível perceber melhoras significativas em cerca cerca de três meses, dependendo do benefício almejado. “A agulha é mais fina que um fio de cabelo e descartável. De acordo com o objetivo, escolhemos até dez pontos e colocamos as agulhas no corpo para atuar em doenças respiratórias, circulatórias, do sistema nervoso, emocionais etc”, frisa Nelbia.


Por: JM On Line -Seção: Saúde

Publicado em: 06/01/2011

Fonte: http://www.jmonline.com.br/novo/?noticias,7,SA%DADE,39695

Pessoas vivem mais, mas passam mais anos doentes

Expectativa pouco saudável.

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos mostrou que, apenas de estarem vivendo mais, as pessoas estão passando um percentual maior de suas vidas doentes.

A nova pesquisa, publicada na edição de dezembro da revista Journal of Gerontology, revela que o aumento na expectativa de vida não tem sido acompanhado por mais anos de saúde perfeita.

Na verdade, uma pessoa com 20 anos de idade hoje pode esperar adoecer um ano a mais ao longo de sua vida do que uma pessoa com 20 anos de idade uma década atrás - mesmo com o aumento da expectativa de vida.

Segundo a pesquisa, não se trata apenas de viver mais anos doente em função de uma vida mais longa: o número médio de anos saudáveis vem diminuindo desde 1998. Mesmo vivendo mais tempo, contamos com um número menor de anos saudáveis no total.

Morbidade

De 1970 a 2005, a probabilidade de uma pessoa com 65 anos chegar aos 85 anos duplicou, passando de aproximadamente 20 por cento para 40 por cento de chance.

Muitos pesquisadores têm presumido que as mesmas forças que permitem às pessoas viverem mais tempo, incluindo os comportamentos mais saudáveis e os avanços da medicina, também retardariam o aparecimento de doenças e permitiriam que as pessoas passassem menos anos de suas vidas com doenças debilitantes.

Mas Eileen Crimmins e Beltrán Hiram-Sánchez, da Universidade do Sul da Califórnia, mostraram que não é bem assim.

Sua pesquisa revelou que a morbidade média - o período de vida gasto com doenças graves ou com a perda da mobilidade funcional - tem realmente aumentado nas últimas décadas.

Ilusão

"Nós temos assumido que cada geração será mais saudável e viverá mais do que a anterior", explica Crimmins. "No entanto, a compressão da morbidade pode ser tão ilusória quanto a imortalidade."

"Há provas substanciais de que nós temos feito muito pouco até agora para eliminar ou retardar as doenças; o que temos feito é evitar a morte pelas doenças," explicou Crimmins.

"O aumento da prevalência das doenças pode, em certa medida, refletir melhorias nos diagnósticos, mas o que isto reflete mais claramente é um aumento da sobrevida de pessoas com doenças," conclui o pesquisador.


Por: Diário da Saúde

Publicado em: 07/01/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=pessoas-vivem-mais-doentes&id=6085

Comer amêndoas pode prevenir diabetes e doenças cardiovasculares

Amêndoas propiciam melhorias na sensibilidade à insulina e reduções dos níveis do mau colesterol.

Aos que gostam de amêndoa, uma pesquisa da Universidade de Medicina e Odontologia de Nova Jersey, dos Estados Unidos, indica um motivo a mais para consumi-la. Os testes mostram que este fruto previne diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares em pessoas com pré-diabetes.

Para chegar a essa conclusão, a equipe analisou 65 adultos pré-diabéticos. Parte deles investiu em uma dieta com a iguaria (aproximadamente 62g por dia) ao longo de 16 semanas.

Exames constataram que o grupo com refeições enriquecidas apresentaram melhorias na sensibilidade à insulina e reduções significativas dos níveis do mau colesterol (LDL), em comparação com os que não saborearam amêndoas. A publicação Journal of American College of Nutrition divulgou os resultados.

Por: Terra - Seção: Saúde - Patricia Zwipp

Publicado em: 07/01/2011

Fonte: http://saude.terra.com.br/noticias/0,,OI4873401-EI1497,00-Comer+amendoas+pode+prevenir+diabetes+e+doencas+cardiovasculares.html

Hepatite A: é a pessoa que faz a diferença, não o vírus

Ao contrair o vírus da hepatite A, a maior parte das pessoas permanece ilesa e nem chega a apresentar sintomas.

Para alguns indivíduos, no entanto, a hepatite A desencadeia inflamação e necrose do fígado, levando à morte.

Por muitos anos, os cientistas procuraram nos vírus as diferenças - ainda que fossem minúsculas - que pudessem explicar tamanha variação de manifestações clínicas.

Mas não conseguiram encontrar uma resposta.

A comunidade científica agora tem uma nova convicção: o lugar certo para buscar uma resposta não é o vírus, e sim o hospedeiro, de acordo com o Sergio Rosenzweig, do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos.

"É no homem, e não no vírus, que se encontram as diferenças fundamentais que fazem com que alguns escapem ilesos e outros sejam levados à morte pelo vírus da hepatite A", disse o especialista argentino, que participou de um evento promovido pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) em parceria com o Instituto Gulbenkian de Ciência, de Portugal.

Os casos fatais de hepatite A, de acordo com Rosenzweig, podem ser controlados pela vacinação em massa.

Mas a característica da doença - que leva o sistema imunológico a atacar as células do fígado - fazem dela um modelo importante para ampliar o conhecimento sobre a imunologia.

A prevalência da hepatite A é alta em todo o mundo?

Sergio Rosenzweig - A hepatite A é muito prevalente em continentes como a África e Ásia e em países como o México, o Brasil e a Argentina. Provavelmente, a maior parte dos pacientes pediátricos se infecta com o vírus em um momento muito precoce da vida: são soropositivos antes dos 8 anos de idade. Quando chegam aos 10 anos, 80% já ficaram provavelmente expostas ao vírus nesses países, o que significa que se tratam de áreas de alta endemicidade em relação a essa infecção.

Por que essa prevalência apenas em determinadas áreas ?

Rosenzweig - O problema é que as hepatites A e B são transmitidas oralmente pelas fezes e, portanto, sua transmissão está associada à falta de higiene.

A rota de transmissão é fecal-oral: alguém faz suas necessidades, não lava as mãos e prepara a comida para outras pessoas, por exemplo.

Então, lugares no mundo em desenvolvimento onde se bebe água de poço, ou onde não há sistema de esgoto, são locais em que as hepatites A e a B são muito prevalentes.


A infecção é transmitida por um vírus. Por que estudá-la a partir do ponto de vista da imunologia e não da infectologia apenas? O que caracteriza a hepatite A como uma imunodeficiência?

Rosenzweig - Na realidade, o vírus propriamente não é agressivo. Ele ataca principalmente o fígado, mas não causa grandes problemas por si só. Ele infecta os hepatócitos - que são as principais células no fígado - e fica lá dentro até que o sistema imune limpe a infecção.

Há alguns vírus que são altamente citopáticos - o que quer dizer que matam as células infectadas por eles. Mas esse vírus da hepatite A entra no corpo e não provoca quase nada, até que o sistema imune resolve eliminá-lo. É principalmente o sistema imune o responsável pela manifestação clínica.


O vírus não provoca sintomas clínicos, mas desencadeia um ataque do próprio organismo?

Rosenzweig - Sim. A maior parte dos pacientes infectados com esse vírus não tem manifestações clínicas. Cerca de 70% dos que são infectados ficam com uma "cicatriz imunológica", isto é, adquirem anticorpos porque foram expostos.

Não se sabe quando foram expostos, porque não tiveram nenhuma manifestação clínica.

A questão é que o vírus se aloja no interior do hepatócito. O sistema imune, muito agressivo, eventualmente identifica a infecção no hepatócito e tenta matar o vírus no seu interior. O resultado é que ele acaba matando o próprio hepatócito, produzindo a hepatite.

Nesse tipo de infecção, o agente é um problema, mas o sistema imune é um problema muito maior, porque ele produz mais danos do que o agente infeccioso.

Quais são os principais desafios científicos envolvidos com essa doença?

Rosenzweig - Temos visto que pacientes infectados com o vírus da hepatite A, em sua grande maioria, não apresentam manifestações clínicas. Em aproximadamente 30% dos casos, há apenas um número de manifestações muito amenas e autolimitadas.

Mas um em cada mil ou 10 mil indivíduos infectados com esse mesmo vírus morre com a infecção.


O problema central, então, consiste em descobrir quais são os fatores que fazem com que o mesmo vírus possa produzir tamanha diversidade de manifestações clínicas?

Rosenzweig - Exato. Temos um vírus que não é mais ou menos agressivo - é o mesmo vírus - que pode produzir infecções assintomáticas, hepatite autolimitada, em cerca de um terço dos casos, mas também pode matar o indivíduo.

O mesmo vírus pode produzir essa imensa variedade de fenótipos clínicos. Então a questão é, se o mesmo vírus pode não produzir absolutamente nada, como é capaz de matar um indivíduo?

Não há mudanças no vírus. Então, não é um problema com ele, mas um problema com o hospedeiro infectado.

Essa é nossa questão. É fácil entender quando há vírus mais ou menos agressivos, causando manifestações mais ou menos graves. Mas é preciso entender como um mesmo vírus pode ser inofensivo para a maior parte dos pacientes enquanto um pequeno grupo é tão suscetível que pode morrer.

Por que até agora não foram encontradas essas respostas?

Rosenzweig - Não é que os cientistas não estavam procurando pelas respostas, mas, possivelmente, buscavam no lugar errado. Foram publicados muitos artigos sobre os diferentes genomas dos vírus, com análises sobre as mínimas variações entre eles.

Acreditava-se que a resposta deveria estar no vírus. Agora, sabemos que o vírus não é o problema. Temos que mudar o foco.

Alguma descoberta específica levou a essa mudança de perspectiva?

Rosenzweig - Não foi bem isso. A questão é que se você tem um martelo, tudo parece ser um prego. Então, para os infectologistas, as questões relacionadas a infecções desse tipo sempre pareceram, obviamente, obra de agentes infecciosos.

Mas também temos um martelo e, para nós, cada tipo diferente de manifestação clínica depende do hospedeiro e não do vírus.

A comunidade científica que se dedica às doenças infecciosas já forneceu toda informação possível sobre o vírus e vimos que agora temos pela frente o desafio de estudar o hospedeiro.

A investigação foi esgotada do ponto de vista dos infectologistas?

Rosenzweig - Eles já forneceram muita informação possível sobre o hospedeiro - até mesmo no sentido reverso -, tentando demonstrar que o vírus era o responsável. Mas não puderam provar isso.

Agora, então, sabemos que não é o vírus. Só pode ser o hospedeiro. Então, estamos tentando explorar quais fatores ligados ao hospedeiro podem estar envolvidos com essa diversidade da manifestação clínica.

As pesquisas na área de genética podem ajudar a fornecer pistas?

Rosenzweig - Até agora não temos nenhum tipo de achado científico que implique qualquer mudança clínica ou médica que possa ajudar a comunidade de pacientes. Se acontecer algum avanço a partir de uma descoberta, talvez isso nos ajude a entender um pouco mais a patofisiologia da doença.

Houve algum avanço notável recentemente?

Rosenzweig - Temos alguns bons exemplos clínicos. Nas comunidades onde foram introduzidas vacinações de hepatite, esses casos de falência hepática total desapareceram quase completamente.

Isso significa que provavelmente vacinar a população em massa para hepatite talvez possa superar qualquer tipo de imunodeficiência que causa a suscetibilidade para esse tipo de infecção.

A vacinação pode ser a saída para erradicar a doença?

Rosenzweig - O que quero dizer é que há diferentes caminhos. Temos problemas epidemiológicos, problemas de pacientes individuais e questões científicas. Às vezes esses problemas se combinam, às vezes não.

Acho que a abordagem epidemiológica é: se vacinarmos, provavelmente superaremos muitos dos tipos de suscetibilidades que podemos ter.

Mas, aí, passa-se para a questão científica: se encontrarmos qualquer coisa nova nessa via, isso nos ajudará a compreender como é que o sistema imunológico pode nos prejudicar quando tenta se livrar de algum agente infeccioso.

Então, os estudos devem ser feitos não apenas para controlar a hepatite A, mas para aprofundar o conhecimento sobre o sistema imunológico?

Rosenzweig - Sim, pois podemos extrapolar os dados para outras situações para tentar modular a resposta imune. Porque, às vezes, o sistema imune, mesmo se está "bem intencionado", a fim de controlar a infecção, acaba produzindo uma reação que pode ser mais problemática do que a própria infecção. É importante compreender essas vias.

A incidência da hepatite está crescendo de alguma maneira, ou se mantém sempre no mesmo patamar?

Rosenzweig - Tendo em mente que a maior parte dos casos é assintomática no início e lembrando que normalmente a notificação não é obrigatória, não temos dados muito bons sobre a prevalência ao longo do tempo - isto é, sobre a incidência: quantos casos novos temos por ano.

Estima-se que se trata de uma infecção muito prevalente e suspeita-se que há mais de 10 milhões de novos casos por ano. Mas achamos que isso ainda é um número muito subestimado, porque também se avalia que sete de cada dez casos não são relatados, por não terem manifestação clínica. Talvez a incidência real seja muito maior. Não sabemos.

Temos que levar em conta também que é uma doença muito orientada geograficamente. Se formos à Finlândia, a incidência será certamente muito menor do que em países como México, Brasil ou Argentina antes da vacinação da hepatite A.

Sabemos que, antes da vacinação, a prevalência era muito alta. Depois, a incidência caiu significativamente e não apenas em relação aos casos em geral, mas os casos fulminantes caem quase a zero. A vacinação foi uma intervenção muito boa em termos de política de saúde pública e individual.

Como é feito o diagnóstico?

Rosenzweig - O diagnóstico é sorológico, procura-se pela resposta imune. Sempre que vamos fazer microbiologia ou diagnóstico de infecção, há essas duas abordagens: o diagnóstico direto - quando procuramos o microrganismo ou algo que ele produza, como um antígeno - ou o diagnóstico indireto, que é a resposta imune.

Para hepatite, o diagnóstico é indireto, baseado em sorologia. Procuramos dois tipos de anticorpos para hepatite: o IGM e o IGG. Se encontramos o IGM, significa que o paciente foi exposto recentemente à infecção. Se encontramos o IGG, significa que foi exposto há algum tempo.

E o tratamento é muito difícil?

Rosenzweig - Na realidade, praticamente não há tratamento. Para os que não têm manifestação clínica, obviamente não há tratamento nenhum.

Para os que têm hepatite, não há tratamento específico também, apenas tentamos evitar os fatores que vão danificar o fígado ainda mais.

Mas, para os que têm a insuficiência fulminante do fígado, o que resta é o transplante de órgão. Esses são os que precisam de um tratamento específico.



Por: Diário da Saúde - Agência Fapesp

Publicado em: 10/01/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=hepatite-a-virus&id=6096

Muito sal na gravidez pode gerar adultos com hipertensão

Gerando hipertensão

Uma dieta com elevado consumo de sal durante a gestação poderá gerar indivíduos que, na idade adulta, terão hipertensão arterial.

Por outro lado, se o consumo de sal durante a gravidez for baixo, o problema pode ser o desenvolvimento de resistência à insulina.

Esses são alguns dos resultados obtidos em estudos feitos pela equipe do professor Joel Claudio Heimann, da Universidade de São Paulo (FMUSP), que investiga os efeitos das alterações no ambiente perinatal, que engloba o período gestacional até o final da lactação.

A pesquisa foi realizada em cobaias, exigindo estudos adicionais de validação para que os resultados sejam extrapolados para o homem.

Resistência à insulina e obesidade

O trabalho vem produzindo dados importantes sobre o papel do sal durante o período gestacional.

Por exemplo, a dieta hipossódica, com restrição de sal, levou à formação de animais que, na idade adulta, apresentaram excesso de colesterol (hipercolesterolemia).

Esses mesmos animais também apresentaram maior resistência à insulina. "Isso significa que eles precisam de mais insulina para manter os níveis normais de açúcar no sangue", explicou Heimann.

Outro efeito curioso observado é que as fêmeas - mas não os machos - das proles de mães que consumiram dieta com pouco sal durante a gestação e amamentação desenvolveram obesidade na idade adulta.

Os mecanismos responsáveis por qualquer caso de obesidade podem ser a maior ingestão de alimentos com conteúdo calórico elevado, o menor gasto energético decorrente de sedentarismo ou peculiaridades do metabolismo (como o hipotiroidismo) ou o conjunto dos mecanismos.

"No nosso estudo, o primeiro fator foi excluído. As fêmeas obesas não ingeriram mais ração do que o grupo controle - prole de mães alimentadas com ração com conteúdo normal de sal durante o período perinatal. Em conclusão, restou a hipótese do menor gasto energético", disse.

Fenótipo econômico

Outra linha do estudo analisa alterações na prole de mães com hiper ou hipotiroidismo durante a gestação.

Coordenado pela professora Maria Luiza Morais Barreto de Chaves, do Instituto de Ciências Biomédicas da USP, o estudo descobriu que filhotes de mães que sofrem de hipertiroidismo nascem com baixo peso.

Heimann lembra que o nascimento abaixo do peso pode ser indicativo de complicações na idade adulta.

Esse problema foi apontado pela primeira vez pelo epidemiologista inglês David J.P. Barker, criador da hipótese do fenótipo econômico segundo a qual mães que sofrem restrições na alimentação durante a gestação produzem filhos menores de forma a adaptá-los às condições de escassez do ambiente.

Poluição e gravidez

O grupo também está analisando os efeitos da poluição atmosférica na gestação.

Esse estudo é coordenado pelo professor Paulo Saldiva, do Departamento de Patologia da FMUSP, especialista na relação entre poluição atmosférica e saúde.

Baixo peso ao nascimento, diminuição da fertilidade e hipertensão arterial, como efeitos da poluição, também foram verificados em humanos.

Outro efeito observado, tanto em animais como em seres humanos cujas mães foram submetidas à poluição durante a gestação, é a geração de mais fêmeas do que a machos. "Essa é uma linha de investigação importante, especialmente para cidades com índices de poluição, como São Paulo," disse Heimann.

Fatores epigenéticos

Para o professor da USP, a maior contribuição desse projeto está em chamar a atenção para fatores capazes de alterar a programação do feto sem modificar a estrutura do DNA.

Fatores importantes, como a resistência à insulina surgem e são passados de uma geração para outra e dependem apenas das condições encontradas durante o período gestacional.

Chamados de mecanismos epigenéticos, por não serem localizados no genótipo, esses fatores têm demonstrado possuir um grande grau de influência sobre as características dos indivíduos. "Os estudos vêm mostrar que não é somente a genética, mas há estímulos que reprogramam o feto e causam alterações profundas no organismo", disse Heimann.

Com isso, o pesquisador já nota mudanças nos procedimentos médicos. "Os obstetras, por exemplo, que antes se preocupavam muito em manter o peso da gestante, hoje são mais flexíveis nesse ponto, uma vez que gestações com restrições calóricas extremas possuem efeitos negativos sobre a prole", afirmou.



Por: Diário da Saúde - Agência Fapesp

Publicado em: 10/01/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=sal-gravidez-hipertensao&id=6095

Prevenção do câncer de mama começa na alimentação

Dentre os cânceres, o de mama é o principal vilão das mulheres. Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) revelam que ele é responsável por 22% dos casos na população brasileira. No Brasil, o último levantamento realizado em 2008 aponta que mais de 11 mil mulheres sucumbiram à doença. A prevenção, de acordo com o mastologista do departamento de Mastologia do Hospital Amaral Carvalho, João Ricardo Auler Paloschi, começa pela boca e se constitui, principalmente, em cultivar bons hábitos de saúde.

--------------------------------------------------------------------------------


Apesar de só perder para o câncer de pele em incidência, a neoplasia nas mamas é a que ainda mais mata. Para 2010, a projeção do Inca é de quase 50 mil novos casos em todo país. Além da alta frequência, o câncer de mama é provavelmente o mais temido pelas mulheres: é capaz de deixar marca não só no corpo, mas na mente. Os efeitos psicológicos podem afetar percepção da sexualidade e a própria imagem pessoal, principalmente quando o diagnóstico se faz de forma tardia, seja pela falta da prevenção ou pelo medo, que muitas vezes faz a mulher esconder alguma anormalidade perceptível até não suportar mais. Esses problemas podem ser mínimos se a mulher se valorizar e fizer seus exames de rotina, o que pode permitir o diagnóstico em fase simples para se tratar e se alcançar a cura.

Relativamente raro antes dos 35 anos de idade, o câncer de mama incide sobre pessoas acima desta faixa de forma que a idade maior represente maiores probabilidades de se desenvolver a doença. Entre outros fatores de risco está o histórico familiar, especialmente se um ou mais parentes de primeiro grau (mãe ou irmã) forem acometidas antes dos 50 anos de idade. Entretanto, o câncer de mama de caráter familiar corresponde a menos de 10% do total de casos de cânceres de mama. A menarca precoce (idade da primeira menstruação), a menopausa tardia (após os 50 anos de idade), a ocorrência da primeira gravidez após os 30 anos e a nuliparidade (não ter tido filhos), constituem também fatores de risco para o câncer de mama.

Sintomas

Para o diagnóstico do câncer de mama, não se pode esperar pela ocorrência de sintomas para buscar auxílio médico. A prevenção deve ser realizada para que seja possível surpreender algo ainda impalpável nas mamas ou muito pequeno. Quanto menor a doença, melhores as condições de tratamento e cura. Nódulo, acompanhado ou não de dor mamária, é um dos sintomas.

Podem surgir alterações na pele que recobre a mama, como abaulamentos ou retrações ou um aspecto semelhante a casca de uma laranja. Podem também surgir nódulos palpáveis na axila ou ferimentos mamilares que não cicatrizam. A consulta com um mastologista deve ser sempre realizada quando for percebido algo que traga dúvida sobre a saúde das mamas, independente do que seja.

Prevenção

A mamografia é hoje e ainda será por muitos e muitos anos o melhor método de imagem para avaliar a saúde mamária, sendo considerada o "Padrão Ouro" para o fim a que se destina. Há ainda vários outros métodos complementares, como a ultrassonografia mamária, a termografia, a ressonância nuclear magnética e a tomossíntese, entre outros.

"Mas não podemos esquecer, entretanto, que os exames de imagem sozinhos não oferecem um diagnóstico e sim uma impressão diagnóstica, que dever ser confrontada com informações clínicas e de exame físico entre outras. Os estudos de imagem não são perfeitos e devem ser interpretados pelo médico-assistente. É possível ter exames de imagem normais ou com aspecto benigno e estarmos diante de um caso de câncer de mama, assim como termos imagens suspeitas e a investigação descartar essa doença", diz dr. João Ricardo.

O auto-exame também pode ajudar a perceber se existe alguma alteração (veja quadro). No entanto, o diagnóstico mais preciso e precoce só se dá com mamografia.

O poder do verde

Alguns estudos apontam várias formas de prevenir-se contra a doença. Ainda que sempre difundida (e nem sempre seguida), a mais famosa delas é manter uma vida regrada e saudável. Garantir a qualidade de vida pode ajudar a prevenir, além de inúmeras doenças, o câncer de mama. Dr. João Ricardo afirma que é possível agir a fim de reduzir os fatores de risco mutáveis. "Dietas saudáveis, ricas em frutas, legumes e verduras e pobres em gorduras animais parecem proteger em algum grau do risco de desenvolver o câncer de mama."

Ainda segundo o mastologista, atividade física regular também traria seus benefícios, assim como a redução da ingestão de álcool. "Livrar-se do tabagismo, evitar e reduzir a obesidade também são benefícios claros quanto à redução dos riscos. Não podemos esquecer ainda que a amamentação, além de trazer benefícios enormes para a criança, pode também reduzir os riscos para a mãe que amamenta. Para encerrar, o uso de anticoncepcional e a terapia de reposição hormonal devem ser realizadas sempre com o acompanhamento médico rigoroso".

A auto-medicação hormonal deve mesmo receber atenção redobrada. Segundo Dr. João Ricardo, a terapia de reposição traria consequências para o aumento do risco do câncer de mama, não sendo motivos para não usá-la quando necessária. Porém, a indicação deve seguir critérios precisos e controles rigorosos com o médico que o indicou, podendo também ser acompanhada pelo mastologista, o que pode trazer mais tranquilidade e conforto à paciente e ao médico assistente.

Homens têm câncer de mama?

Os homens também podem ter câncer de mama e todas as patologias mamárias assim como as das mulheres. Existem basicamente dois motivos que determinam que os riscos sejam menores nos homens. "O primeiro deles refere-se à quantidade de tecido mamário nos homens ser mínimo, quando comparado a quantidade de tecido mamário na mulher, já que ele é a sede do início do problema. O segundo diz respeito à quantidade de hormônios femininos circulantes na corrente sanguínea do homem, também infinitamente menor quando comparado à mulher. Sabemos que a atividade hormonal feminina é um fator estimulante. Assim sendo, estatisticamente, identificamos aproximadamente um caso de câncer em homem para cada 100 casos em mulheres."

A vida após o câncer

Detectar o câncer na fase inicial pode significar 100% chances de cura, com tratamentos muito simples, muitas vezes sem quimio e radioterapia, por exemplo. E ter as chances de ter uma vida normal após esse tipo de doença são totais. Para o médico, pode ser uma oportunidade para repensar valores, condutas, objetivos, relacionamentos. "Sou testemunha de muitas e muitas pacientes que, após terem o diagnóstico de câncer de mama e seu tratamento encerrado com sucesso, passaram a viver com muito mais alegria, intensidade e verdade, sabendo a importância real que tem a vida e que viver a felicidade pode ser muito mais simples do que se imaginava antes da doença", diz o médico.

Dr. João Ricardo vai ainda mais longe. "Já tive pacientes que agradeceram a Deus o câncer ter surgido, pois possibilitou rupturas importantes e crescimentos imensos, que, segundo relatos dessas pacientes, superaram em muito as dificuldades do diagnóstico e do tratamento. Obviamente que vamos poder esperar esses resultados em pacientes que conseguirem diagnósticos precoces, por motivos já esclarecidos e evidentes, afirma.

Então, lembre-se: pacientes que tiverem um diagnóstico tardio tem reduzidas as possibilidades de cura. A conscientização sobre a importância da prevenção, do auto-exame, das mamografias periódicas a partir dos 35-40 anos nas mulheres (mesmo sem sintomas) é a chave para alcançar cada vez mais diagnósticos precoces e todos os seus benefícios possíveis. Quanto mais cedo a doença for descoberta, mais chance de não sofrer mutilações físicas e emocionais. "Só depende de nós transformarmos o câncer de mama numa doença sem mitos e que pode sim ser vencida. Basta que valorizemos a nossa própria vida, a nossa saúde", conclui o mastologista.


Por: Portal Nacional Seguros - Seção: Saúde - Bruna Oliveira

Publicado em: 11/01/2011

Fonte: http://www.segs.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=27956:prevencao-do-cancer-de-mama-comeca-na-alimentacao-&catid=47:cat-saude&Itemid=328

Nova terapia reverte efeitos do derrame cerebral

Reversão do derrame

Uma nova técnica que impulsiona o crescimento de fibras nervosas pode reverter grande parte dos danos causados por acidentes vasculares cerebrais, ou derrames.

"Esta terapia poderá ser usada para restaurar funções mesmo quando aplicada muito tempo depois da lesão cerebral isquêmica ter acontecido," afirma Gwendolyn Kartje, da Universidade Loyola, em Chicago, nos Estados Unidos.

A descrição da nova terapia será publicada no exemplar de janeiro da revista Stroke.

Sem ação

Hoje, os médicos pouco podem fazer para limitar os danos depois do primeiro dia após a ocorrência de um acidente vascular cerebral.

A maioria dos derrames são isquêmicos, ou seja, causados por coágulos sanguíneos.

Um remédio chamado tPA pode limitar os danos, mas deve ser dado nas primeiras três horas após o evento para se alcançar o maior benefício - a maioria dos pacientes não recebe tratamento nesse tempo.

Terapia anti-Nogo

Kartje e seus colegas agora descreveram um novo tratamento, chamado terapia anti-Nogo-A.

Nogo-A é uma proteína que inibe o crescimento de fibras nervosas chamadas axônios. Ela serve como um indicador sobre o crescimento de nervos que podem tornar um paciente excessivamente sensível à dor ou experimentar movimentos involuntários.

O nome da proteína vem da expressão inglesa "No go", que significa "não vá", porque, na prática, ela diz: "Não vá" para os axônios.

Na terapia anti-Nogo, um anticorpo desativa a proteína Nogo. Isso permite o crescimento dos axônios no lado do corpo afetado pelo derrame, promovendo a restauração das funções perdidas devido ao acidente vascular cerebral.

Recuperação pós-derrame

Kartje e os colegas relatam resultados encorajadores da terapia anti-Nogo em camundongos que sofreram derrames medicamente induzidos.

Nove semanas após o derrame, seis animais receberam terapia anti-Nogo, quatro receberam um tratamento de controle, constituído por um anticorpo inativo, e cinco camundongos não receberam nenhum tratamento.

Nove semanas depois, os animais que receberam a terapia anti-Nogo recuperaram 78% da sua capacidade de movimentação anterior.

Em comparação, aqueles que não receberam tratamento recuperaram 47% da sua capacidade, e os que receberam o tratamento controle de anticorpos inativos recuperaram 33% do seu desempenho.

Exames posteriores do tecido cerebral das cobaias revelaram que os ratos que receberam a terapia anti-Nogo apresentaram desenvolvimento significativo de novos axônios.

O próximo passo da pesquisa será avaliar a terapia anti-Nogo em pacientes paralisados por lesões na coluna.



Por: Diário da Saúde - Jim Ritter

Publicado em: 11/01/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=terapia-reverte-efeitos-derrame-cerebral&id=6083

Acupuntura ajuda aliviar dores da fibromialgia

A acupuntura tem se mostrado muito eficaz para amenizar as dores e as limitações de pacientes que sofrem com a fibromialgia.

O tratamento da dor é uma das aplicações mais conhecidas da acupuntura no Ocidente. A técnica pode tratar os mais diversos tipos de dor, a partir de um diagnóstico preciso que identifique sua causa e garanta mais qualidade de vida às pessoas.

Nos últimos anos, explica Dirceu de Lavor Sales, presidente do Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura, a prática tem se mostrado muito eficaz para amenizar as dores e as limitações de pacientes que sofrem com a fibromialgia, dor crônica generalizada por todo o corpo, que atinge 2% da população, sendo oito mulheres para cada homem. "A idade do aparecimento da fibromialgia é geralmente entre 30 e 60 anos, porém há casos em pessoas mais velhas, crianças e adolescentes".

A fibromialgia já é conhecida há mais de 100 anos, mas se davam nomes diferentes para ela e não havia um consenso de como fazer o diagnóstico da doença. Hoje já possui características essenciais para o seu diagnóstico. "Dor, por mais de três meses, em todo o corpo e presença de pontos dolorosos na musculatura (11 pontos, de 18, que estão pré-estabelecidos) já indicam a doença.

A depressão está presente em 50% dos pacientes com fibromialgia, que por si só, piora o sono, aumenta a fadiga, diminui a disposição para o exercício e aumenta a sensibilidade do corpo.

Ainda como sintomas da fibromialgia identifica-se a rigidez matinal, dor abdominal, cefaléias, tonturas, amortecimentos, dor toráxica atípica, palpitação, sensação de aumento do volume articular, tensão pré-menstrual, incômodo psicológico como depressão e ansiedade, queixas cognitivas como problemas de memória e dificuldade de concentração. Em alguns pacientes, são encontrados pontos de intensa contração muscular, semelhantes a pequenos caroços: são os chamados "pontos-gatilho".

Tratamento constante

O tratamento para quem sofre de fibromialgia é constante, pois a doença ainda não tem cura, o mais importante é um tratamento eficaz para controlar os sintomas. Em um estado de dor crônica, os medicamentos utilizados com mais eficácia são os analgésicos e antidepressivos. Vários tipos de tratamento já foram testados para a fibromialgia, e muitos deles não ajudaram. Porém, com o melhor entendimento do problema, novas medidas estão por vir. Atividade física regular é o tratamento capaz de restaurar a pessoa para uma vida normal. A acupuntura também é um método que pode ajudar em casos de dor localizada e resistente, e é recomendada com certa frequência. Porém, a acupuntura funciona somente enquanto o paciente está sob tratamento, e não tem efeito duradouro.

Para Lavor Sales, a técnica além de exercer um potente efeito analgésico, tem ação anti-inflamatória e relaxante muscular. A sensação de alívio das dores e o desconforto têm feito com que cada vez mais pessoas busquem a técnica, pois sua ação terapêutica age diretamente nos músculos afetados.


Por: Bond News - Seção: Mulher - Boa Forma

Publicado em: 12/01/2011

Fonte: http://www.bonde.com.br/?id_bonde=1-34--31-20110112&tit=acupuntura+ajuda+aliviar+dores+da+fibromialgia

Tomate tem nutriente que evita doenças cardiovasculares

Fruto mundial

O tomate é o fruto mais produzido no mundo.

Agora, cientistas no Japão descobriram que, além do mundialmente conhecido sabor agradável, os tomates contêm nutrientes que podem evitar o surgimento de doenças vasculares.

A pesquisa, publicada na revista Molecular Nutrition & Food Research, revela que um composto extraído do tomate, chamado 9-oxo-octadecadienóico, tem efeitos anti-dislipidêmicos.

Dislipidemia

A equipe, liderada pelo Dr. Teruo Kawada, da Universidade de Quioto, concentrou suas pesquisas nos extratos que interferem com a dislipidemia, uma condição causada por uma quantidade anormal de lipídios, tais como o colesterol ou gordura, na corrente sanguínea.

"A dislipidemia em si normalmente não causa sintomas," disse Kawada "no entanto, ela pode levar a doenças vasculares sintomáticas, como arteriosclerose e cirrose. A fim de evitar essas doenças é importante evitar um maior acúmulo de lipídios."

O tomate já é conhecido por conter muitos compostos benéficos para a saúde, como o licopeno, capaz de prevenir o câncer.

Neste estudo, a equipe analisou somente o ácido 9-oxo-octadecadienóico, para testar as suas propriedades potenciais anti-dislipidemia.

Alimentos para o coração

Os cientistas descobriram que o composto melhora a oxidação dos ácidos graxos e contribui para a regulação do metabolismo lipídico hepático.

Isto sugere que o ácido tem efeitos anti-dislipidemia e pode, portanto, ajudar a prevenir as doenças vasculares.

"Encontrar um composto que ajuda na prevenção das doenças crônicas relacionadas à obesidade em produtos alimentícios é uma grande vantagem para a luta contra essas doenças," afirma Kawada. "Isso significa que o tomate permite que as pessoas podem evitar facilmente o início da dislipidemia através da sua dieta diária."


Por: Redação Diário Da Saúde

Publicado em: 17/01/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=tomate-nutriente-evita-doencas-cardiovasculares&id=6121

Homeopatia, a cura pelo semelhante

Cada um de nós desde que é concebido e se desenvolve no ventre materno já é diferente dos outros e a diferença também é observada na maneira como nos desenvolvemos e adoecemos.

A Homeopatia foi sistematizada nos séculos XVIII e XIX pelo médico alemão Cristiano Frederico Samuel Hahnemann (1755-1843) e deve ser compreendida como um sistema médico complexo que partilha a fisiologia (parte da biologia que investiga as funções orgânicas e processos ou atividades vitais) e anatomia (estudo da forma e estrutura dos seres), juntamente com a medicina alopática (sistema terapêutico que trata as doenças por meios contrários a elas) e demais linhas terapêuticas.

Cada um de nós desde que é concebido e se desenvolve no ventre materno já é diferente dos outros e a diferença também é observada na maneira como nos desenvolvemos e adoecemos.

O tratamento médico homeopático é baseado no estudo da totalidade da pessoa, considerando suas características e queixas, para a prescrição de um medicamento único, que estimulando as leis naturais de cura, auxilia não só na recuperação, mas também na preservação e promoção da saúde, auxiliando assim na manutenção do equilíbrio funcional do ser psicobioenergético que somos nós.

Por: JMNews - Seção: Saúde - Ana Claudia Krüger

Publicado em: 16/01/2011

Fonte: http://jmnews.com.br/noticias/urbe/23,5621,16,01,homeopatia-a-cura-pelo-semelhante-.shtml

Dicas de saúde: Transição para a menopausa

Roteiro para a menopausa

Embora muitas mulheres se preocupem com a menopausa, os médicos dizem que essa transição não precisa ser difícil.

A Dra. Karen Deighan, do Gottlieb Memorial Hospital, em Loyola, nos Estados Unidos, compilou uma série de dicas para ajudar as mulheres a desempenharem um papel ativo na manutenção da própria saúde, de forma a minimizar os efeitos colaterais da menopausa.

Vá para a academia já

Perder peso é mais difícil se uma mulher deixa de lado os exercícios até o início da menopausa.

Saia na frente criando um regime de exercícios para prevenir a aquisição de quilos extras antes do surgimento dos primeiros sinais da menopausa.

Levante pesos

Quando os níveis de estrogênio diminuem, os ossos tornam-se mais finos e mais frágeis.

Exercícios leves de levantamento de peso desenvolvem músculos que ajudam a suportar os ossos, reduzindo o risco de fraturas.

Flexione seu cérebro

Os músculos não são a única parte do corpo que precisa de treino.

Exercitar o cérebro também é essencial.

Fazer palavras cruzadas, Sudoku, montar quebra-cabeças ou fazer exercícios de memória vai manter o cérebro em forma e reduzir o risco de perda de memória durante a menopausa.

Isso pode ser tão simples de fazer quanto memorizar a lista de supermercado,

Adote um regime de sono

Muitos acreditam que os efeitos colaterais da menopausa estão vinculados a uma diminuição nos níveis do estrogênio, mas muitos dos sintomas são, na verdade, diretamente ligados à falta de sono.

Se as mulheres se concentrarem em melhorar seu regime de sono elas podem diminuir problemas como a perda de memória ou a diminuição da libido.

Anime sua libido

Relações sexuais regulares podem melhorar a movimentação sexual da mulher e aumentar a lubrificação, o que pode prevenir a dor durante o sexo.

Supositórios de estrogênio também podem tratar a secura vaginal.

Faça da sua higiene oral uma prioridade

Usar o fio dental e escovar os dentes pelo menos duas vezes por dia pode proteger o coração de uma mulher conforme ela entra na menopausa.

Bactérias encontradas na placa bacteriana podem causar coágulos que podem levar a ataques cardíacos quando entram na corrente sanguínea.

Estas bactérias também podem irritar as artérias da mesma maneira que fazem com as gengivas.

Faça exames

As mulheres devem ter seu colesterol e níveis de vitamina D e cálcio checados anualmente.

A mamografia anual e exames pélvicos também são importantes, juntamente com uma colonoscopia a partir dos 50 anos.

A frequência das colonoscopias subsequentes dependerá dos resultados do primeiro exame.

Desintoxique sua dieta

Cabelo e pele tornam-se secos e perdem elasticidade a partir da perimenopausa.

Alimentos com gorduras saudáveis, como salmão, abacate e azeite de oliva, vão tornar o cabelo e a pele mais macios.

Limitar os alimentos processados e aumentar o consumo de verduras também ajuda.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 19/01/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=dicas-saude-transicao-menopausa&id=6116

Massagem Shiatsu promete benefícios a atletas

Espécie de massagem, o shiatsu é uma técnica oriental que promete benefícios a atletas, como minimizar dores musculares, lesões e cansaço e melhorar o desempenho esportivo.

Lesões, dores musculares e cansaço fazem parte da rotina de todos os atletas devido à quantidade de treinos e competições. Entre os métodos utilizados por eles para tentar minimizar esses incômodos está o shiatsu, terapia oriental que tem os mesmos princípios da acupuntura. Uma espécie de massagem, a prática é feita por um profissional que usa basicamente os dedos para pressionar determinados pontos do corpo.

Essa técnica será ensinada em um curso de extensão da UnB que começa em 5 de fevereiro. A responsável pelas aulas será a professora de ioga e educação física Margot Shalders. Ex-nadadora, ela começou a estudar shiatsu na década de 1970 e usava o marido, tenista, como cobaia. “Comecei tratando dele. Aí, com o tempo, fui tendo cada vez mais clientes. A ideia do curso veio porque meus amigos terapeutas sempre me pediram para ensinar”, conta. “O shiatsu é ótimo para a recuperação muscular após os treinos. Aumenta a capacidade de performance, melhora a flexibilidade e, se for feito frequentemente, dá uma regularidade na atuação esportiva.”

Segundo Margot, a época para se aprender o shiatsu é a melhor possível. “Com a Copa do Mundo e as Olimpíadas no Brasil, teremos muitos atletas para tratar. No Japão, onde surgiu a técnica, eles a utilizam para minimizar lesões e ajudar na recuperação do corpo. Além disso, o atleta que faz shiatsu fortalece musculatura e tendões e ganha uma certa resistência ao cansaço”, garante. “É um relaxamento e terapia tanto para o reequilíbrio físico quanto energético.”

Adepto do shiatsu, o judoca Alfredo Arrais procura, pelo menos duas vezes por semana, aplicar a massagem em seus alunos. “Muitos dos meus atletas são faixas-pretas e têm um treinamento pesado, com uso de força. Então, faço para ajudar no relaxamento do músculo, para acabar com a dor. Funciona bastante. Eles sentem a diferença depois”, comenta ele, que aprendeu a técnica quando era jovem e já chegou a trabalhar com essa prática.

“Eu gosto bastante e acho muito importante na recuperação. Dá um sensação boa de relaxamento e diminui o cansaço. Além disso, sinto que fico mais disposta para um próximo treino”, afirma Isadora Pereira, 15 anos, judoca há cinco. “Quando eles chegam atrasados, digo que não vão ter massagem. É o castigo”, brinca Alfredo, mostrando que o shiatsu realmente é apreciado pelos atletas.

O princípio
A técnica tem os mesmos princípios da acupuntura. Acredita-se que o homem possua uma energia vital denominada KI, que é a energia básica da vida de todos os seres vivos. Ela flui pelo corpo formando canais que são chamados de meridianos. Sempre que há algum “problema” nesse fluxo de energia, essencial para a saúde física, mental e emocional, desenvolvem-se doenças. Os terapeutas e profissionais de shiatsu atuam nos meridianos com o objetivo de reequilibrar essa energia. Os toques do shiatsu nos chamados pontos de pressão — que são os que acumulam a KI — restabelecem o fluxo energético normal, regular.



Por: Superesportes - Correio Braziliense - Nádia Medeiros

Publicado em: 19/01/2011

Fonte: http://www.superesportes.com.br/app/19,66/2011/01/19/noticia_maisesportes,12650/massagem-shiatsu-promete-beneficios-a-atletas.shtml

As terapias complementares na qualidade de vida dos doentes hemato-oncológicos

A Associação de Apoio aos Doentes com Leucemia e Linfoma (ADL) promove no próximo dia 25 de Janeiro, pelas 16:00, uma Mesa Redonda, subordinada ao tema “Mente sã em corpo são: o Reiki como terapia complementar à qualidade de vida dos doentes hemato-oncológicos”.

O evento, organizado em parceria com a Novartis Oncology, decorre na Aula Magna da Faculdade Medicina da Universidade do Porto, sendo a entrada livre e gratuita, avança comunicado de imprensa.

Os doentes hemato-oncológicos, ou seja, doentes com patologias como as leucemias, linfomas e mielomas, enfrentam um grande desafio: sobreviver à doença com qualidade de vida. Ultrapassada a fase aguda, a grande maioria destes doentes consegue que a situação evolua para a cronicidade, passando a conviver com a doença durante um longo período de tempo.

Neste contexto, em que é cada vez mais elevada a esperança de vida do doente com cancro, há que destacar a importância da adesão à terapêutica, como forma de assegurar uma maior qualidade de vida. Para isso, é indispensável que todos os passos do tratamento decorram na altura certa e segundo a ordem adequada. E é do total interesse do doente a colaboração neste mesmo processo, empenhando-se para que decorra como previsto, já que, será ele próprio o beneficiário deste sucesso.

Terapias holísticas complementam qualidade de vida

E é aqui que surgem novas problemáticas para os doentes e para os profissionais de saúde que os assistem. Procuram-se formas e métodos que permitam complementar esta qualidade de vida com outro tipo de terapias que melhorem o bem-estar dos doentes, como por exemplo a medicina holística, nomeadamente o Reiki. O terapeuta, ao permitir que a energia flua no ser humano, possibilitará a diminuição da ansiedade, do sofrimento, da dor, da fadiga e de todos os estados de dependência física.

Complementarmente, são favorecidos os sentimentos positivos, o sono, o repouso, a concentração, a aprendizagem, com uma consequente valorização da auto-estima.

A introdução ao tema – “Mente sã em corpo são” – será feita por Maria de Fátima Ferreira, Hematologista do Hospital de São João, Porto, e Presidente da ADL. Seguir-se-á a intervenção da enfermeira e mestre em Reiki Maria Zilda Alarcão, que abordará “O impacto da terapia de Reiki na qualidade de vida dos doentes hemato-oncológicos”.

Este tema serviu de base a um projecto de investigação pioneiro em hospitais portugueses, o qual foi desenvolvido, de 2007 a 2009, em doentes hemato-oncológicos do Serviço de Hematologia do Hospital de São João.

Esta mesa redonda é aberta ao público que, no final, poderá ainda participar no espaço disponível para discussão.


Por: Portal de Oncologia Português

Publicado em: 18/01/2011

Fonte: http://www.pop.eu.com/news/3954/26/As-terapias-complementares-na-qualidade-de-vida-dos-doentes-hemato-oncologicos.html

Cancro: o êxito das terapias alternativas

Investigação demonstrou benefícios do Reiki em doentes oncológicos.

A maioria dos doentes internados na Unidade Hemato-oncologia do Hospital S. João que integraram um projecto de investigação sobre o impacto da terapia de Reiki demonstraram «uma diminuição do sofrimento associado à ansiedade e à dor», escreve a Lusa.

Em declarações à Lusa, Fátima Ferreira, hematologista no Hospital de S. João, Porto, e presidente da Associação de Apoio aos Doentes com Leucemia e Linfoma, explicou que os doentes que se submeteram a esta terapia complementar conseguiram «ultrapassar melhor do que os outros os aspectos quer fisiológicos, quer psíquicos da situação em si».

Fátima Ferreira falava à Lusa a propósito de uma mesa redonda que se realiza na terça-feira na Aula Magna da Faculdade de Medicina do Porto para analisar o «Contributo da medicina holística no tratamento dos doentes hemato-oncológicos Reiki, uma resposta credível».

A introdução ao tema «Mente sã em corpo são» será efetuada pela hematologista Fátima Ferreira, a que se seguirá a intervenção da enfermeira e Mestre Reiki Maria Zilda Alarcão que abordará «O Impacto da Terapia de Reiki na qualidade de vida dos Doentes hemato-oncológicos», que serviu de base ao projecto de investigação que liderou.

No estudo participaram 100 doentes, metade dos quais foram submetidos àquela terapia complementar.

«A minha vivência como terapeuta de Reiki permitiu alicerçar o desejo de que este projeto fosse dirigido a um grupo de doentes específico, representativo da minha experiência profissional, como enfermeira, pelo que optei pela Unidade de Hemato-Oncológica do Hospital de S.João», disse a responsável pela investigação.

A enfermeira pretendia perceber como o Reiki poderá ajudar, de forma holística, «a minorar o sofrimento destes doentes nas suas vertentes mais significativas».

Destas, salientou «o sofrimento, considerando o sentido mais amplo do termo, a ansiedade, a dor, as alterações da auto-imagem e os efeitos colaterais dos tratamentos como a quimioterapia».

A hematologista Fátima Ferreira referiu ainda estudos feitos em animais que mostram que «os ratos com cancro submetidos a Reiki também têm uma melhoria da imunidade celular».

«Há por isso algumas evidências científicas experimentais que nos dizem que o Reiki pode ser benéfico. Tudo isto ainda não está 100 por cento experimentado, mas há evidências nesse sentido e há o testemunho dos doentes», acrescentou.

Reiki é uma designação japonesa que significa «Energia Vital Universal» e que se caracteriza por ser um sistema natural de captação e transmissão dessa energia. O terapeuta, através das suas mãos, promove «uma limpeza profunda celular e restabelece - em cada ser humano - os seus níveis energéticos, em todas as vertentes», explicou Zilda Alarcão.

O terapeuta, ao permitir que a energia flua no ser humano irá permitir diminuir a ansiedade, o sofrimento, a dor, a fadiga e todos os estados de dependência física. Favorece os sentimentos positivos, o sono e repouso, a concentração e aprendizagem e valoriza a auto-estima, acrescentou.


Por: IOL - Portugal - Redação

Publicado em: 22/01/2011

Fonte: http://diario.iol.pt/sociedade/saude-cancro-reiki-doentes-dor-tvi24/1227742-4071.html

Yoga: Uma ciência da desagitação

Yoga é uma arte indiana que surgiu há cerca de 5 mil anos, mas somente em 200 a.C. foi criado um método didático para esta prática. Esse “decodificador” do Yoga chamava-se Patãnjali, e ele definiu os princípios que viriam a reger a prática do Yoga, bem como a definição do Yoga em si: Yoga Citta Vritti Nirodah (em sânscrito:“Yoga é a cessação dos turbilhões da mente”). Isto significa que o objetivo desta arte não está ligado à perda de calorias, ou ao ganho de massa muscular, mas sim cessar a agitação da mente.

A mente está constantemente agitada, abarrotada de pensamentos e estímulos externos, e isso muitas vezes não permite que lidemos com as situações da maneira adequada. Quem de nós já não fez uma barbeiragem no trânsito por pressa ou distração? Ou foi demasiado grosso com alguém que não merecia, por já estar irritado?Ou começou a esquecer coisas importantes por conta do cansaço mental? Pergunto ainda: quantos de nós adquirimos sintomas físicos como tensão muscular, fadiga, gastrite nervosa, dores de cabeça…? Amigos, não nos enganemos: não existe separação entre pensamento e sistema nervoso, portanto, não existe separação entre mente e corpo.

Já que o Yoga traz em sua filosofia essa consciência desde os tempos antigos, dois acadêmicos do curso de Fisioterapia do CEULP-ULBRA (Este que vos escreve, e Tamyris Fernandes Lima) se interessaram em investigar alguns resultados do trabalho corporal presente nesta prática, orientados pela professora Marta Lúcia Adorno, fisioterapeuta. Observou-se a execução e os conceitos das posturas (ou “asanas”, em sânscrito) e baseou-se em literatura de renome para fazer o estudo dos movimentos (Cinesiologia) presentes nestas posturas. O conceito de “Postura” se diferencia do conceito de “exercício”, pois quando se faz um exercício, existe uma meta de aquisição física (Ganho de força, massa muscular, velocidade, etc), coisa que no conceito de Postura não existe. O Objetivo da Postura de Yoga é relaxar o corpo, para que a mente possa diminuir seu estado de agitação, por isso Patãnjali diz que estas Posturas devem ser feita sem esforço, pois durante esforço físico se torna inviável relaxar a mente. O Instituto LUARE de Yoga apoiou a pesquisa disponibilizando sua professora (Márcia Ayroza) como modelo para análise de movimento.

Ao final do estudo foi concluído que as posturas do Yoga ajudam no resgate da consciência corporal, no desenvolvimento de flexibilidade e na manutenção de uma boa postura, contribuindo assim para uma melhor qualidade de vida, além de relaxar o corpo, contribuindo assim para uma mente mais estável e equilibrada. Apesar de não ser uma arte voltada para a terapia e sim para o autoconhecimento e autocontrole, o Yoga mostra-se bastante eficaz no combate a vários males, como o stress, a as dores crônicas, problemas respiratórios, problemas de circulação sanguínea, e mostrou-se eficaz também no controle da hipertensão e do diabetes, dentre outros males.



Por: Jornal O Girassol - On Line - Tiago Veloso Neves

Publicado em: 26/01/2011

Fonte: http://www.ogirassol.com.br/pagina.php?editoria=Opiniao&idnoticia=22380

Oito semanas de meditação provocam alterações cerebrais

Investigação sugere que a transformação é benéfica em saúde física e mental.

Uma equipe de psiquiatria do Hospital Geral de Massachusetts (EUA) realizou o primeiro estudo sobre como a meditação afecta o cérebro. As conclusões, recentemente publicadas no «Psychiatry Research», referem que a prática regular – até oito semanas – pode levar a alterações consideráveis em determinadas regiões cerebrais, relacionadas com a memória, a autoconsciência, a empatia e o stresse.

A investigação sugere que a transformação é benéfica para a saúde física e mental. Apesar de ser uma prática relacionada com a tranquilidade e o relaxamento, os médicos já confirmaram que “proporciona benefícios cognitivos e psicológicos persistentes durante um dia inteiro”, segundo referem os cientistas norte-americanos.

O trabalho mostra que as alterações presentes na estrutura cerebral podem estar relacionadas com esse rendimento. A autora da investigação, Sara Lazar, já tinha realizado estudos onde tinha encontrado diferenças estruturais no cérebro dos profissionais da meditação, ou seja, em pessoas com experiência neste tipo de práticas, em relação a outras pessoas sem antecedentes. As diferenças mais significativas verificaram-se na espessura do córtex cerebral, especialmente em áreas associadas à atenção e integração emocional.

Na investigação corrente, a equipa utilizou imagens por ressonância magnética da estrutura cerebral de 16 voluntários, durante duas semanas antes e depois de realizarem um curso de meditação de oito semanas – programa definido pela Universidade de Massachusetts, para reduzir o stresse.

O curso previa reuniões semanais, que incluíam a prática de meditação consciente, centrada na consciência e sem prejuízo de sensações e sentimentos, os voluntários receberam gravações áudio para continuarem o exercício em casa.

Alteração da massa cinzenta

Cada participante passou 27 minutos por dia a meditar, praticando os exercícios recomendados. Respostas a um questionário assinalavam melhorias significativas, comparativamente às semanas anteriores. A análise das imagens por ressonância magnética mostrou uma evolução na massa cinzenta, localizada no hipocampo – zona cerebral implicada na aprendizagem, memória, estruturas associadas à autoconsciência, compaixão e introspecção.

Verificaram ainda uma diminuição da massa cinzenta na amígdala cerebral, o conjunto de núcleos neuronais nos lobos temporais, relacionados com a diminuição do stresse. Contudo, nenhuma destas alterações foi observada no grupo de controlo dos restantes voluntários, ou seja, nos que não praticaram meditação.

Segundo o grupo de investigação, os resultados mostram a plasticidade do cérebro e como, mediante a meditação, este se molda e altera, de forma a aumentar o nosso bem-estar e a nossa qualidade de vida. Os avanços abrem portas para novas terapias para pacientes que sofram graves problemas de stresse e stresse pós-traumático, por exemplo.


Por: Ciência Hoje - Portugal

Publicado em: 27/01/2011

Fonte: http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=47128&op=all

Quinoa enriquece alimentos com fibras e vitaminas

Valor nutricional

O grão de quinoa pode ser usado para aumentar o valor nutricional dos alimentos.

Rico em minerais, vitaminas e fibras, o grão foi experimentado em formulações para bolos e recheio de bolos e bombons, em pesquisa realizada na Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP.

"O objetivo é desenvolver formulações que tenham valor nutricional agregado, também para dietas especiais, com características físicas melhoradas, tendo a quinoa como base", diz a professora Suzana Caetano da Silva Lannes, da FCF, que orientou o trabalho.

Quinoa

A quinoa, planta adaptada ao clima brasileiro, mas não cultivada comercialmente no País, não contém glúten e seus produtos poderão ser consumidos pelos portadores de doença celíaca, problema intestinal que ocorre em pessoas com predisposição genética para não tolerarem a ingestão de glúten.

A quinoa é uma planta originária da região montanhosa dos Andes, cultivada no Chile, Colômbia, Equador e Peru. Embora a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) tenha atestado a viabilidade do plantio no Piauí, a quinoa não é plantada comercialmente no Brasil.

A semente de quinoa é semelhante à do gergelim, mas possui um sabor amendoado. "Na pesquisa, utilizou-se suco de laranja para abrandar e emascarar o sabor, deixando-o semelhante ao de frutas", diz Adelaida. Para aumentar o valor nutricional agregado do produto, adicionou-se colágeno hidrolizado, que elevou o teor de proteínas.

"Os experimentos utilizaram a semente, que é rica em minerais, vitaminas e fibras, e não contém glúten", conta a nutricionista Adelaida Giovanna Viza Salas, que realizou a pesquisa.

Receita patenteada

Dois compostos hidrocoloides foram adicionados para dar estabilidade e consistência às formulações de bolos e recheios, a quitosana e a goma xantana. A quitosana, usada nos recheios, possui propriedades antimicrobianas e permite prolongar a vida de prateleira do produto.

De acordo com a professora, foram solicitadas patentes para seis formulações de recheio, para uso em bolos e bombons, e cinco de bolos, por meio da Agência USP de Inovação.

Os pedidos já estão registrados no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) e o processo de concessão se encontra em andamento. "A quitosana já foi testada em formulações de achocolatados, maionese e sorvetes, sempre para aumentar sua vida útil", acrescenta Suzana.

Entre as formulações de bolos, quatro delas não contém glúten e uma não utiliza açúcar, para que possam ser utilizadas em dietas especiais. "O bolo sem glúten é destinado a portadores de doença celíaca e o sem açúcar para diabéticos", explica a professora. "Outra diferença entre as formulações são os componentes usados para dar consistência ao bolo, como farinha de arroz, por exemplo".

A nutricionista aponta que nos testes realizados em laboratório, os produtos com quinoa tiveram boa aceitabilidade. "O suco de laranja cobriu totalmente o sabor da semente, que não é percebido pelo consumidor", afirma. "Novos testes de aceitação serão necessários para a quinoa ter utilização comercial, permitindo o cultivo em escala no Brasil". A professora Suzana acrescenta que o produto ainda não foi apresentado a empresas que possam fazer sua fabricação e comercialização.



Por: Diário da Saúde - Júlio Bernardes - Agência USP

Publicado em: 17/11/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=quinoa&id=5955

Má alimentação pode causar depressão, diz estudo

Ingerir alimentos ricos em gorduras trans e saturadas aumenta os riscos de depressão, segundo um estudo espanhol publicado nos Estados Unidos, confirmando os resultados de estudos anteriores que vinculavam o consumo de comida rápida a esta doença.

Os cientistas que participaram do estudo também demonstraram que alguns produtos, como o óleo de oliva, ricos em ácidos-graxos ômega 3, podem combater o risco de doença mental.

Autores do amplo estudo, realizado pelas universidades de Navarra e Las Palmas de Gran Canaria, acompanharam e analisaram a dieta e o estilo de vida de cerca de 12 mil voluntários ao longo de seis anos.

Quando o estudo começou, nenhum dos participantes havia sido diagnosticado com depressão. Ao final, 657 tinham desenvolvido a doença.

"Os participantes com um consumo elevado de gorduras trans (gorduras presentes em alimentos industrializados e na comida rápida) apresentaram até 48% de aumento no risco de depressão quando comparados com participantes que não consumiam estas gorduras", disse o chefe das pesquisas.

Almudena Sanchez-Villegas, professor associado de medicina preventiva da Universidade de Las Palmas de Gran Canaria, também observou que no evento "quantas mais gorduras trans eram consumidas, maiores os efeitos negativos produzidos nos voluntários".

A equipe de pesquisas descobriu, ao mesmo tempo, que depois de avaliar o impacto de gorduras poliinsaturadas - compostas de quantidades maiores de óleos de peixes e vegetais - , estes produtos "são associados a um risco menor de sofrer depressão".

O estudo, publicado na edição online do jornal PLoS ONE, destacou que a pesquisa foi realizada com uma população europeia que tem uma ingestão relativamente baixa de gorduras trans - compondo apenas 0,4% "do total de energia ingerida pelos voluntários".

"Apesar disso, observamos um aumento no risco de sofrer de depressão de cerca de 50%", disse o cientista Miguel Martinez.

"Com base nisto, deduzimos a importância de levar em conta este efeito em países como os Estados Unidos, onde o percentual de energia derivada destas gorduras é por volta de 2,5%", acrescentou.

O estudo indicou que o número atual de pessoas com depressão no mundo é de 150 milhões de pessoas, e aumentou nos últimos anos.

Este aumento é imputável, segundo os autores, "a mudanças radicais nas fontes de gorduras consumidas em dietas ocidentais, onde substituímos certos tipos de gorduras benéficas - como as poliinsaturadas e as monosaturadas encontradas em nozes, óleos vegetais e peixes - pelas gorduras saturadas e trans encontradas em carnes, na manteiga e em outros produtos, como massas de produção industrial e comida rápida".

Embora não seja um foco do estudo, os cientistas indicam que a doença cardiovascular fatal é "influenciada de forma similar pela dieta e pode partilhar de mecanismos similares em sua origem".


Por: AFP

Publicado em: 28/01/2011

Fonte: http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5gQmxfnUZ87kxYuIqy85w3673_tsQ?docId=CNG.0e461512b664ac0e60aed731381d5b67.871

A ciência se rende

Cientistas comprovam que a meditação desenvolve a memória e reduz o estresse A meditação, finalmente, encontrou apoio na comunidade científica. Um estudo, que será publicado no final do mês na revista Psychiatric Research comprovou que meditar provoca significativas mudanças em áreas do cérebro associadas à memória e ao estresse. O estudo, liderado pelo Hospital Geral de Massachusetts (MGH, na sigla em inglês), Estados Unidos, é o primeiro a atestar a relação.

– Embora a prática da meditação seja associada à sensação de paz e relaxamento físico, praticantes já alegavam, há muito tempo, que ela proporciona benefícios cognitivos e psicológicos – afirma Sara Lazar, principal autora do estudo. – Demonstramos que as pessoas não se sentem melhor apenas porque passam mais tempo relaxando, mas porque acontecem essas mudanças na estrutura cerebral.

Mas para Wilson Moura, professor de meditação e yoga tibetano, é importante ressaltar que a prática da meditação é voltada ao estado da mente, não do cérebro.

– A meditação não atua no cérebro, mas na mente.

Ela ativa o cérebro – esclarece. – Se a mente estiver tranqüila, a vibração cerebral será baixa, o que faz com que o corpo tenha saúde. Numa situação normal, por exemplo, a vibração cerebral gira, em média, 20 s 25 hertz (unidade de frequência). Já durante um ataque epilético, uma pessoa chega a 70 hertz, estado total de inconsciência.




Por: Jornal do Brasil

Publicado em: 31/01/2011

Fonte: http://www.jb.com.br/jb-premium/noticias/2011/01/31/a-ciencia-se-rende/

Meditação muda estrutura do cérebro, diz estudo

De olhos fechados, em silêncio e, de preferência, sentados, os praticantes da meditação de atenção plena devem se concentrar em apenas uma coisa: a respiração.

A técnica é antiga, da tradição budista, mas começou a ser mais difundida depois de ter sido usada em um curso não religioso de redução de estresse, criado em 1979 por Jon Kabat-Zinn, professor da Escola Médica da Universidade de Massachussets.

Os benefícios da técnica, conhecida também como "mindfulness", já foram relatados em vários estudos.

A lista vai da melhora de sintomas de esclerose múltipla (como diz estudo publicado na "Neurology") à prevenção de novos episódios de depressão (demonstrada em artigo na "Archives of General Psychiatry").

Mas, agora, um estudo mostra, pela primeira vez, os efeitos provocados por essa meditação no cérebro.

A pesquisa, publicada hoje na "Psychiatry Research: Neuroimaging", foi feita pela Harvard Medical School, nos EUA, em conjunto com um instituto de neuroimagem da Alemanha e a Universidade de Massachussets.

E o mais importante: as mudanças ocorreram em apenas oito semanas de meditação em praticantes adultos iniciantes.

As conclusões foram feitas após comparações entre as ressonâncias magnéticas dos que praticaram a meditação e de um grupo-controle que não fez as aulas.

Outros estudos já haviam sugerido que a meditação causa mudanças no cérebro. Mas eles não excluíam a possibilidade de haver diferenças preexistentes entre os grupos de meditadores experientes e não meditadores.

Ou seja, não era possível afirmar se os efeitos eram causados pela prática.

MENOS ESTRESSE

Todos os 16 participantes da pesquisa, com idades de 25 a 55 anos, deveriam obedecer a um critério: não ter feito nenhuma aula de meditação "mindfulness" nos últimos seis meses ou mais de dez aulas em toda a vida.

Eles frequentaram oito encontros semanais, com duração de duas horas e meia.

Também foram instruídos a fazer 45 minutos de exercícios diários e a praticar os ensinamentos da meditação em atividades do dia a dia, como andar, comer e tomar banho.

Para avaliar as mudanças, todos os participantes e o grupo-controle fizeram ressonâncias magnéticas antes e depois do período de aulas.

Os exames iniciais não indicaram diferenças entre grupos, mas as ressonâncias feitas após o curso mostraram um aumento na concentração de massa cinzenta no hipocampo esquerdo naqueles que haviam meditado.

Análises do cérebro todo revelaram mais quatro aumentos de massa cinzenta: no córtex cingulado posterior, na junção temporo-parietal e mais dois no cerebelo.

BENEFÍCIOS

Britta Hölzel, pesquisadora da Harvard Medical School e uma das autoras do estudo, disse à Folha que isso pode significar uma melhora em regiões envolvidas com aprendizagem, memória, emoções e estresse.

O aumento da massa cinzenta no hipocampo é benéfico porque ali há uma maior concentração de neurônios, afirma Sonia Brucki, do departamento científico de neurologia cognitiva e do envelhecimento da Academia Brasileira de Neurologia.

"Antes, acreditava-se que a pessoa só perdia neurônios durante a vida. Agora, vemos que podem brotar em qualquer fase da vida, e determinadas atividades fazem a estrutura do cérebro mudar."

Isso significa que o cérebro adulto também é plástico, capaz de ser moldado.

No ano passado, um estudo dos mesmos pesquisadores já mostrava redução da massa cinzenta na amígdala cerebral, uma região relacionada à ansiedade e ao estresse, em pessoas que fizeram meditação por oito semanas.

Mas qualquer um que começar a meditar amanhã terá esses mesmos efeitos benéficos em algumas semanas?

"Provavelmente sim", diz a neurologista Sonia Brucki.

Ela ressalta, no entanto, que a idade média dos participantes da pesquisa é baixa e, por isso, não dá para afirmar com certeza que isso acontecerá com pessoas de todas as idades.

Agora, a pesquisadora Britta Hölzel quer entender como essas mudanças no cérebro estão relacionadas diretamente à melhora da vidas das pessoas.

"Essa é uma área nova, e pouco se sabe sobre o cérebro e os mecanismos psicológicos relacionados a ele. Mas os resultados até agora são animadores."



Por: Click PB

Publicado em: 31/01/2011

Fonte: http://www.clickpb.com.br/artigo.php?id=20110131113214&cat=saude&keys=meditacao-muda-estrutura-cerebro-estudo

Técnica pode 'desligar' estresse no cérebro

Pesquisas recentes indicam que é possível modificar a estrutura cerebral de forma a reduzir os impactos do estresse a partir de técnicas de meditação.

Para verificar isso, a BBC convidou o britânico Todd German, funcionário de um parque temático de vida marina na Inglaterra, a participar de um curso sobre o estado de "atenção plena", alcançado por meio da meditação.

Quando o cérebro está preocupado, vê-se pontos vermelhos espalhados

Todd German afirmou que gostaria de tentar a meditação porque enfrenta dificuldades de sono.

Pessoas que meditam seriam capazes de "desligar" as preocupações ou pensamentos negativos.

Após uma semana de testes, German afirmou não ter se convencido totalmente, mas admite que a técnica permite se desligar um pouco, limpar a cabeça e também sentir a calma se transferir para o corpo.



Por: BBC Brasil

Publicado em: 27/01/2011

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/geral,tecnica-pode-desligar-estresse-no-cerebro,671947,0.htm

Respirar melhor ajuda a se livrar do estresse

É possível controlar esses sentimentos de uma maneira fácil e natural.

Quem passa pela agitada rua João Ramalho, em Perdizes, zona oeste de São Paulo, quase não nota o pequeno portão azul de ferro entre tantas casas e comércios. É difícil imaginar que por trás dele exista um grande centro onde se ensinam técnicas de meditação, respiração profunda e ioga. A única pista são os desenhos feitos com spray branco, que mostram posições dessa técnica milenar trazida pelos indianos ao Brasil.

Com pé-direito alto, cinco grandes salões, um jardim de inverno e lustres chineses feitos em bambu, o local abriga a sede da organização internacional Arte de Viver, cujo objetivo é disseminar práticas para redução do estresse e da violência, por meio de técnicas respiratórias, meditação e trabalho voluntário.

Na entrada, pufes baixos e um logo feito com pedaços de papel ocupam boa parte da parede. Diante dele, a foto do guru indiano Sri Sri Ravi Shankar, mentor e criador da ONG, presente em mais de 150 países.

Alexandre Lopes, 26 anos, fez seu primeiro curso há cinco anos, por indicação de um amigo. Um ano depois, o professor de educação física se rendeu às práticas de bem-estar e ioga e largou as aulas de personal trainer para se dedicar integralmente à organização. Passado por todos os cursos e formado instrutor, ele complementou seus estudos durante um ano, na Índia como voluntário.

"Cresci muito naquele país. Vi como as pessoas se ajudam, mesmo na pobreza. Aprendi outra forma de pensar, outra cultura e aprendi a ter mais respeito", relata.

Ao voltar ao Brasil, virou um dos responsáveis pelas atividades da "Arte de Viver" em São Paulo. E garante que quem o conhecia antes, muitas vezes estranha essa transformação.

"Eu era explosivo, agressivo. Hoje, é claro que eu fico bravo, fico nervoso, mas esses episódios são raros e, quando acontecem, duram pouco. Aprendi a lidar com esses sentimentos de outra forma, sem precisar brigar, gritar, xingar", atesta com voz e semblante tranquilos.

O truque para alcançar esse patamar - que parece uma missão quase impossível para quem mora nas grandes cidades - é simples: basta usar o nariz e a mente. O guru indiano Swami Paramtej, instrutor sênior da Fundação, esteve no Brasil para a realização de um curso sobre essas técnicas e falou com exclusividade ao iG Saúde.

"Há, definitivamente, um poder divino que está trabalhando para dar um sentido ao mundo, independentemente da sua religião, nacionalidade, classe social, cor, status social", afirma.

Swami ensina a Sudarshan Kriya, técnica de respiração que, segundo ele, reduz os níveis de cortisol (hormônio do estresse) no sangue, melhora o sistema imunológico, aumenta a concentração, a sensação de bem-estar, controla a ansiedade, restabelece o sono e ajuda a combater a depressão. Como isso é possível?

"Todo o nosso corpo tem um ritmo. Você come a uma certa hora, sente sono e a uma certa hora... respirar também tem seu ritmo. Se ele estiver desequilibrado, é aí que ficamos doentes, depressivos. Quando fazemos essa respiração, retomamos o ritmo normal do corpo e voltamos ao equilíbrio", ensina.

Parece difícil, mas o guru indiano atesta que é possível, e em apenas 20 horas. "É uma combinação: você aprende ioga e a meditação acontece, a respiração melhora. As pessoas tendem a achar que a ioga é uma coisa chata, que você se sente, fecha os olhos, por horas, mas não é. Você só precisa de algumas habilidades, afinal, segurar uma guitarra não faz de você um guitarrista", diz.

Em seu último livro antes de morrer, chamado "Respiração, angústia e renascimento" (Editora Ágora) o psiquiatra José Ângelo Gaiarsa diz que a prática inadequada da respiração é responsável também por muitos problemas emocionais.

"Se respiramos mal, alimentamos apenas os centros mais primitivos do cérebro. Ficamos reféns do medo e da agressividade e das emoções negativas, como inveja, medo, competição", escreveu.

A seguir, confira dois exercícios que podem ajudar a lidar melhor com o cotidiano.

- Segure completamente a respiração e aguarde com atenção a vontade ou a necessidade crescente de respirar. Aguente até o limite do tolerável e então solte a respiração. Imaginamos que, nessas condições, ao soltar a respiração a faremos muito ampla, mas isso não é verdade.

- Tape a narina direita com o polegar, coloque o indicador entre os olhos, e inspire profundamente. Em seguida, tape a narina esquerda, expire. Inspire novamente pela narina esquerda, feche-a e expire pela direita. Repita calmamente esse exercício por cinco minutos, pelo menos duas vezes ao dia.



Por: Midia News - Seção: Equilibrio e Bem-Estar

Publicado em: 03/02/2011

Fonte: http://www.midianews.com.br/?pg=noticias&cat=7&idnot=41172

Saiba as vantagens de incluir brotos na alimentação

Eles fazem sucesso na culinária oriental e já caíram no gosto do brasileiro.

Os brotos podem ser consumidos crus, em forma de salada; refogados com carne ou frango; ou até mesmo na culinária oriental, como, por exemplo, no macarrão japonês.

Para quem estiver de dieta, os brotos são uma ótima pedida, já que em sua composição possuem até 90% de água e, em uma média de 100 g, apenas 30 a 35 calorias.

Esses alimentos têm proteínas e fibras e fazem muito bem à saúde. Além disso, são ricos em vitamina C e ácido fólico, que são antioxidantes e previnem o envelhecimento precoce.

O broto de alfafa, por exemplo, tem vitamina A e magnésio, que regula a pressão arterial.

Trata-se de um alimento muito indicado para quem tem problemas cardíacos ou hipertensão.

Para não errar na hora de comprar, esteja atento à coloração do broto de alfafa. Deve ser bem clara. É recomendado o consumo imediato.

Já o broto de bambu pode ser vendido ao natural ou em conserva. Também deve ter uma coloração clara.

Em todos os casos, é importante estar de olho na data de validade.




Por: Portal R7

Publicado em: 05/02/2011

Fonte: http://entretenimento.r7.com/receitas-e-dietas/noticias/saiba-as-vantagens-de-incluir-brotos-na-alimentacao-20110205.html

Alimentos que parecem bons, mas são ‘bombas’

Muitos produtos apresentados como ‘saudáveis’ e emagrecedores são na verdade vilões para a saúde e a boa forma, como refrigerante sem açúcar e sopa industrializada.

Refrigerante light não engorda, sopa industrializada ajuda a emagrecer, e adoçante pode ser consumido à vontade, certo? Erradíssimo. Segundo especialistas, muitos alimentos tidos como “saudáveis” pela maioria das pessoas são verdadeiros vilões da alimentação. Por isso, antes de confiar em tudo que você ouve (e lê) por aí, fique atento para não cair em armadilhas e prejudicar a sua saúde.

“Muitos produtos prometem em seus rótulos funções que não cumprem. Por isso, é preciso que o consumidor aprenda a ler os rótulos”, afirma a nutricionista funcional Patrícia Davidson.

Segundo a profissional, uma das dicas é ler os primeiros três ingredientes do rótulo — são eles que estão em maior quantidade no produto. “Se lá constam açúcar e gordura, o produto deve ser evitado. Além disso, se a lista de ingredientes for muita extensa, com nomes difíceis de ler, isso quer dizer que aquele não é um alimento saudável”.

Segundo Patricia, também é preciso ficar atento para não cair na armadilha dos produtos ‘light’ — alimentos que contém 25% a menos de qualquer ingrediente em comparação com a versão original. De acordo com a nutricionista, mesmo que o produto tenha menos porcentagem de gordura ou sódio, isso não significa que seja saudável.

“Em alguns casos, por exemplo, retira-se o açúcar do alimento. Mas, para que ele não perca o sabor, o fabricante acrescenta outro ingrediente, como a gordura. Ou seja: o produto continua não tendo o consumo indicado”, afirma.

Também não adianta trocar de vez o açúcar pelo adoçante. Isso porque, de acordo com a nutricionista, o consumo excessivo dessa substância faz com que o corpo produza o hormônio insulina por meio do pâncreas, e o corpo reage como se estivesse recebendo um alimento rico em açúcares. Em outras palavras: adoçante em excesso engorda.

“Pessoas sadias e ativas podem consumir um pouco de açúcar, desde que não exagerem. É mais saudável do que ingerir altas doses de aspartame. A ideia inicial do adoçante é o não consumo do açúcar, indicado para diabéticos, por questões de saúde, e para quem quer perder peso, porque ajuda a diminuir as calorias”, conclui Patricia.

Vale a pena mudar hábitos

A aposentada Angela Maria Gerk, 58 anos, é a prova de que vale a pena manter alimentação equilibrada. Desde a adolescência, Angela evita frituras, doces e refrigerantes. No cardápio, investe em saladas e legumes. O maior benefício é o bem-estar.

“Confesso que de vez em quando tenho meus deslizes. Leite, por exemplo, bebo só no café da manhã, sei que deveria tentar beber mais, para evitar osteoporose. De resto, procuro fazer trocas saudáveis. Uso o forno ao invés da frigideira, por exemplo. Isso evita a gordura na refeição”, ensina. “Também prefiro bebidas ao natural. Não coloco adoçante no suco, por exemplo”, diz.

Aos 60 anos, o engenheiro André Cintra resolveu mudar de vida e emagrecer. Procurou uma nutricionista e descobriu seu principal problema: pensar que refrigerante ‘zero’ é água. Orientado pela profissional, parou com as bebidas e tirou de vez o adoçante da mesa. O resultado foi conferido na balança, 3 meses depois.

“Emagreci 12 quilos. Não imaginei que seria tão rápido. Isso só mostrou o quanto eu estava comendo mal, sem saber. Eu realmente achava que não tinha problema beber refrigerante light. Agora estou com mais disposição, minha autoestima melhorou. Passei a cuidar melhor da minha saúde, sou mais feliz”, comemorou.

Olho vivo

SOPA INDUSTRIALIZADA
Tem grande quantidade de sódio. Por isso, engorda e faz com que a pessoa retenha líquido.

REFRIGERANTE
Mesmo quando não tem açúcar, guarda grande quantidade de sódio, conservantes e adoçantes não recomendados ao consumo diário.

PÃO INTEGRAL
Fique atento à composição do produto. Ele deve ser feito de farinha 100% integral para que seja realmente benéfico.

FRUTAS
Por serem ricas em açúcares, o ideal é consumir uma por refeição, até quatro vezes ao dia.



Por: O Dia - On Line - Por Clarissa Mello

Publicado em: 05/02/2011

Fonte: http://odia.terra.com.br/portal/cienciaesaude/html/2011/2/alimentos_que_parecem_bons_mas_sao_bombas_142377.html

Turbinando as saladas

Há tempos a salada deixou de ser prato só para vegetarianos e gente em dieta. Além de alternativa saudável, é também oportunidade de saborear uma boa refeição. Para tornar essa degustação mais acessível e cômoda, surgiu há pouco mais de um ano a Saladona, empresa que produz saladas para consumo caseiro, com entregas em domicílio. Gourmets, adeptos de uma alimentação saudável, e nutricionistas já ergueram o polegar em aprovação. E os pedidos só crescem.

O delivery de saladas foi uma aposta ousada do casal Djan Daltio, carioca, e a natalense Danielle Lima. “Foi uma surpresa para nós. Descobrimos, sem querer, um mercado carente de opções. Há outros lugares que entregam salada em domicílio, mas não com o nosso foco”, afirma. No começo, conta Djan, as saladas eram feitas apenas para os amigos mais próximos. Com o tempo, os pedidos foram crescendo, recomendações feitas, o boca a boca se espalhando, e obrigando o negócio a se expandir. Foi preciso abrir um loja maior no Barro Vermelho – mesmo que só para entregas.

Djan, que era só um apreciador de saladas autodidata, teve que recorrer a um profissional para elaborar o cardápio. O chef Luciano Almeida cuidou do menu, que reúne nove opções, de ingredientes variados. A salada sai numa embalagem descartável de plástico, com um adesivo de identificação. O conteúdo de 1 litro é bem servido, com direito acompanhamentos à parte de molhos e complementos, à escolha do cliente. “Já nos pediram para criar embalagens menores, pois algumas pessoas não conseguem comer tudo; faremos uma de 750 ml”, diz.

As opções de salada são as seguintes: super chic (abacaxi, frango defumado, queijo branco, brócolos e folhas); gostosa (frango grelhado, queijo mussarela, maçã, tomate, cenoura e folhas); praiana (atum, queijo branco, ovo de codorna, tomate, folhas); voadora (bacon, frango, uvas passas); megamix (presunto, queijo mussarela, abacaxi, cenoura); saborosa (lombo canadense, queijo branco, cenoura, abacaxi); camarão (camarão, tomate seco, queijo branco, cenoura); filezinho (carne, queijo mussarela, palmito, cenoura), e a deliciosa (frango, mussarela, maçã, milho, cenoura). Acompanhamentos: molhos italiano, francês e queijo, e complementos de granola, batata palha ou croutons. Os preços variam de 6 a 9 reais.

A Saladona logo conquistou os paladares de diversos segmentos. “Já recebemos ligações de nutricionistas, pedindo permissão para prescrever nossas saladas a seus pacientes. Há também um grande público que não é vegetariano ou segue dieta, apenas quer uma boa refeição”, explica Djan. O proprietário só esclarece que não muda as receitas. “No máximo, retiramos algum ingrediente quando o cliente deseja, em caso de vegetarianismo, por exemplo. Mas não mudamos a receita”, conclui.



Por: Tribuna do Norte -

Publicado em: 28/01/2011

Fonte: http://tribunadonorte.com.br/noticia/turbinando-as-saladas/171258

Duas horas e meia de actividade física reduzem incidência de cancro

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a «actividade física desempenha um papel importante na redução da incidência de determinados cancros».
A Organização Mundial de Saúde recomenda a realização de duas horas e meia de actividade física moderada por semana como medida para reduzir o risco do cancro da mama e cólon, bem como a diabetes e doenças cardíacas.

A propósito do Dia Mundial do Cancro, o director-geral adjunto da OMS para as Doenças Não Transmissíveis e Saúde Mental indicou que a «actividade física desempenha um papel importante na redução da incidência de determinados cancros».

«A inactividade física é o quarto factor de risco principal para todas as globais, sendo que 31 por cento da população de todo o mundo não pratica actividade física», acrescentou Ala Alwan.

Nas idades entre os 5 e os 17 anos, a OMS recomenda, pelo menos 60 minutos de actividade física moderada a vigorosa para proteger a saúde e reduzir o risco destas doenças.

A inactividade física está associada a 3,2 milhões de mortes anuais, 2,6 milhões das quais em países mais pobres, a mais de 670 mil mortes de pessoas com idade inferior a 60 anos e a cerca de 30 por cento dos casos de diabetes e doença cardíaca isquémica.

Por: TSF - Rádio Notícias - Portugal

Publicado em: 03/02/2011

Fonte: http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Vida/Interior.aspx?content_id=1775532

Mais solidário, menos agressivo

É comemorado nessa segunda-feira (31) o Dia da Solidariedade. No entanto, você já parou para pensar na quantidade de estresse que passamos diariamente, ao invés de ajudarmos o próximo? Imagine esta situação: um carro lhe dá uma fechada em um sinal, seu sangue sobe e você tem vontade de brigar, agredir, bater na pessoa. A explicação para tanta agressividade pode estar na tensão constante vivida pelo ser humano, provocada por fatores como violência e insegurança.

Recebemos também, diariamente, uma carga de energia eletromagnética que interfere em nossos corpos, provenientes de computadores, micro-ondas, televisão, celular, etc. Tudo isso pode gerar atrofia e desequilíbrio no nosso cérebro reptiliano e na amigdala cerebral, responsáveis por nossa capacidade de reação e ação. O cérebro reptiliano é o primeiro a ser formado, no primeiro trimestre de gestação. Nele estão retidas funções animais como caçar, usada quando vamos ao supermercado comprar mantimentos e demarcar território, ao usar uma cadeira preferida ou ocupar um lugar específico à mesa. Já na amigdala cerebral está armazenada nossa capacidade de luta e fuga. Você pode optar por enfrentar uma situação, fugir dela ou ficar estagnado e estressado.

Atualmente o ser humano está em um limiar: de um lado temos a possibilidade de crescer em consciência e de outro podemos regredir e voltar à fase quase pré-histórica de perder a razão. E nos dias de hoje é impressionante como as pessoas perderam a capacidade de avaliar, julgar, ponderar ideias universais ou racionalizar.

Onde foi parar a nossa razão?

Atualmente jovens agridem e matam pessoas por puro preconceito, filhos matam seus pais por herança e juízes adotam crianças para torturá-las. São tantos exemplos de histórias sem razão que nos chocam, que parece que há uma acomodação geral. Nos acostumamos com absurdos e, assim, nos poluímos!

E por que estamos tão agressivos? Uma das explicações para esta pergunta é que o cérebro reptiliano e a amigdala cerebral estão ficando calibrados de maneira distorcida, já que ficamos sem paciência, irritados e com medo. Este último estimula um estado de extrema reatividade. "Com medo de ser atingido, ele atirou primeiro!", costumam dizer algumas pessoas. E a causa de toda a agressividade é o ambiente que vivemos, como nossa casa, trabalho, pessoas que interagem conosco, notícias de jornal e televisão, além da energia dos aparelhos eletroeletrônicos.

O biólogo celular e autor do livro "A Biologia da Crença", Bruce Lipton, diz que o nosso código genético é vulnerável ao ambiente que estamos. E ele chega a seguinte conclusão: "A membrana celular funciona como uma espécie de chip e é programável. O comportamento biológico e a atividade genética estão dinamicamente ligados às informações do ambiente, que podem ser descarregadas (como um download) no interior da célula, que funciona como um computador", explica o especialista. Então, vamos refletir: se o seu filho vê muitos filmes de violência, o que está sendo programado nas células dele?

Percebo, pela minha experiência de terapeuta, que o amor, a gratidão, o companheirismo e a educação estão dando espaço para a agressividade e a política do "eu primeiro", características claras do cérebro reptiliano. Por isso, precisamos sempre escolher em qual tipo de ambiente queremos produzir e nos inserir. Existem diversas técnicas terapêuticas que ajudam a nos equilibrar, como caminhada, yoga, meditação, reiki e bodytalk. Esta última tem um impacto importante na capacidade de recompor a dinâmica de equilíbrio do cérebro reptiliano e da amigdala cerebral.

Que tal começar o ano mudando o padrão da nossa mente para ficarmos menos agressivos e mais felizes e solidários?

Para continuar refletindo sobre o tema

No site http://www.lucianobodytalk.com é possível aprender uma técnica de BodyTalk, chamada "equilíbrio dos córtices", que é eficaz na reestruturação das ondas cerebrais e no equilíbrio da mente.



Por: Luciano Flehr - Cana MSN

Publicado em: 31/01/2011

Fonte: http://entretenimento.br.msn.com/astrologia/artigo.aspx?cp-documentid=27449139

Romã pode se tornar fonte de ingredientes antioxidantes

Antocianinas da romã

Considerada desde o império romano como um símbolo de riqueza, a romã contém, entre os diversos compostos bioativos, as antocianinas.

Assim como a vitamina C, vitamina E e o betacaroteno, por terem deficiência de elétrons, as antocianinas captam facilmente os radicais livres.

Esses radicais, se produzidos ou absorvidos em excesso, aumentam os riscos para doenças como hipertensão, cataratas, artrite e envelhecimento precoce.

Isso pode ocorrer principalmente quando há demasiada ingestão de bebidas alcoólicas, estresse intenso e muita exposição à poluição, ao tabaco e ao Sol, situações que danificam as células saudáveis.

De acordo com estudos da Universidade de Baroda, na Índia, o fruto tem três vezes mais capacidade antioxidante do que o vinho e o chá verde. Não é por acaso que os povos árabes acreditavam em suas propriedades para fins medicinais.

Compostos da romã

Agora, a Embrapa, juntamente com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), está tentando desenvolver novas técnicas para o aproveitamento desses elementos da fruta.

O mercado para a romã no Brasil tem crescido consistentemente, o que tem ampliado as áreas cultivadas com o fruto.

A pesquisadora Regina Isabel Nogueira, da Embrapa Agroindústria de Alimentos (Rio de Janeiro), espera obter a antocianina e outros compostos bioativos concentrando-os e estabilizando-os por microencapsulação por um processo chamado spray drier.

Nesse processo, pequenas gotas de material líquido são recobertas com um fino filme protetor.

Os materiais microencapsulados (material ativo ou núcleo) são envoltos num material formador de filme (material de parede ou agente encapsulante) onde cápsulas extremamente pequenas podem liberar o conteúdo de forma controlada e sob condições específicas.

Trata-se de uma tecnologia inovadora que tem sido empregada com êxito na indústria de cosméticos, farmacêutica e alimentícia.

Óleo de romã

Também será estudado o óleo obtido por prensagem das sementes da fruta com o objetivo de caracterizar o perfil dos ácidos graxos e as propriedades que possam interessar à indústria de alimentos.

A pesquisadora ainda prevê a opção de cristalizar a casca da romã, expondo-a em contato com a calda de açúcar para reduzir em até 50% o teor de água. Com isto, a fruta aumenta seu tempo de conservação e diminui seu peso e volume, gerando economia no custo de transporte, além de adocicar seu sabor levemente ácido.

Este processo, por ser muito simples, poderá despertar o interesse de produtores como uma forma de apresentar a fruta para consumo de forma semelhante à encontrada hoje por meio do gengibre cristalizado.



Por: Redação Diário Da Saúde

Publicado em: 04/02/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=antioxidantes-roma&id=6163

Coma frutas e vegetais, mas coma muito

Mais uma pesquisa ressalta os benefícios de comer frutas e vegetais, desta vez realizada por cientistas da Universidade de Oxford, no Reino Unido.

Os pesquisadores relatam que a ingestão de frutas e vegetais protege as pessoas da forma mais comum de doença cardíaca, e uma das principais causas de morte no mundo, o ataque cardíaco isquêmico.

Mas é bom prestar atenção não apenas na qualidade do cardápio, mas também nas quantidades, sobretudo nos benefícios de cada "refeição" adicional.

Porção de frutas e vegetais

Os cientistas verificaram que pessoas que comeram pelo menos oito porções de frutas e vegetais por dia, sim, oito porções, apresentaram um risco 22% menor de morrer de doença isquêmica cardíaca do que pessoas que consumiam menos de 3 porções por dia.

Uma porção pesa 80 gramas, o que equivale a uma banana pequena, ou uma cenoura pequena, ou uma maçã média.

O estudo mostrou "uma redução de 4% no risco de morrer por ataque cardíaco para cada porção adicional de frutas e hortaliças consumidas acima do consumo básico de duas porções diárias," afirma a Dra. Francesca Crowe, uma das autoras do estudo, publicado no European Heart Journal.

Assim, "o risco de isquemia fatal para alguém comendo cinco porções de frutas e verduras por dia seria de 4% menor em relação a alguém que consuma quatro porções por dia, e assim por diante, até oito parcelas ou mais," explica a pesquisadora.

Precauções

Os dados foram coletados de mais 300.000 pessoas, em oito países europeus, tendo ocorrido 1.636 óbitos por ataque cardíaco isquêmico durante o estudo.

Os pesquisadores levaram em conta influências de fatores como diferenças nos estilos de vida e hábitos alimentares.

No entanto, eles reconhecem que os resultados podem ter sido influenciados por erros na medição correta da ingestão de frutas, legumes e verduras.

Além disso, o estudo teve uma maior proporção de mulheres, o que pode não refletir com precisão o total da população.

Apenas 20% dos brasileiros consomem frutas, legumes e verduras suficientes


Por: Redação Diário da Saúde

Publicado em: 03/02/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=comer-frutas-vegetais&id=6159

Meditação ajuda a diminuir níveis de estresse

Atividade provoca alterações em área do cérebro ligada ao aprendizado e memória.

Meditar por cerca de 30 minutos por dia, durante oito semanas, pode diminuir os níveis de estresse, conforme estudo feito nos Estados Unidos, que será publicado na próxima edição do periódico Psychiatry Research: Neuroimaging.

Para chegar ao resultado, pesquisadores realizaram varreduras no cérebro de voluntários antes e depois de momentos de meditação, observando um aumento de massa cinzenta no hipocampo, área do cérebro ligada ao aprendizado e memória. A análise também mostrou uma redução da massa cinzenta na amígdala, região ligada à ansiedade e ao estresse. No grupo de voluntários que não pratica meditação, não foram observadas quaisquer alterações.

Segundo a psicóloga do Hospital de Massachusetts e da Escola de Medicina de Harvard, Britta Hölzel, principal autora do estudo, os participantes praticaram a meditação mindfulness, método introduzido nos Estados Unidos no final dos anos 1970, que tem raízes ligadas a antigas técnicas budistas. "A idéia principal é usar objetos diferentes para focar a atenção, e que poderia ser um foco nas sensações da respiração, ou emoções ou pensamentos, ou a observação de qualquer tipo de sensações do corpo", disse ela. "Mas trata-se de trazer a mente de volta para o aqui e agora, ao invés de deixar a mente vagar."

Ela lembra, no entanto, que o cérebro humano é complicado e é preciso muitos estudos para entender o aumento da densidade da massa cinzenta. "O campo é muito, muito jovem, e nós realmente não sabemos o suficiente sobre isso ainda", afirma Britta, caracterizando os resultados da pesquisa como preliminares

Um estudo feito em 2009 já sugeria que a meditação pode reduzir a pressão arterial em pacientes com doença coronariana. E outro feito em 2007 descobriu que os meditadores têm maior expectativa de atenção. Com informações de The New York Times.

Por: Diário de Canoas - Da Redação

Publicado em: 29/01/2011

Fonte: http://www.diariodecanoas.com.br/site/noticias/geral,canal-8,ed-60,ct-684,cd-303853.htm

Conheça os benefícios antioxidantes do chá verde

Tipo de chá feito a partir da infusão da erva Camellia sinensis. É chamado de verde porque as folhas da erva sofrem pouca oxidação durante o processamento. Esta erva milenar originária da China e Japão vem atraindo consumidores que buscam seus benefícios antioxidantes e de efeito emagrecedor. Ajuda na perda de peso por ser um ótimo diurético e um excelente laxante natural, que desintoxica e facilita a digestão. Atualmente, é consumido em todo mundo e é caracterizado pelos benefícios trazidos ao organismo, principalmente no quesito emagrecimento. O chá verde elimina até 2,5 quilos por semana e acelera em 25 vezes a queima dos pneuzinhos. As conclusões foram tiradas de um estudo feito nos Estados Unidos. Os autores descobriram uma verdadeira relação entre o chá verde e a perda de peso e gordura abdominal. No resultado da pesquisa as pessoas que tomaram seis xícaras de chá por dia eliminaram o dobro de quilos e 25 vezes mais gordura abdominal do que as pessoas que beberam só refrigerante diet. Outras substâncias presentes no chá, como as catequinas, contribuem para o equilíbrio dos níveis de insulina e cortisol. Esses hormônios estão envolvidos com a estocagem de gordura na barriga. Os benefícios à saúde não param por ai, além de combater doenças, o chá verde faz diminuir as taxas do LDL (colesterol ruim) e fortalece as artérias e veias favorecendo a prevenção de doenças cardíacas e circulatórias. Possui bioflavonoides e catequinas: substâncias que bloqueiam as alterações celulares que dão origem aos tumores. O chá verde também possui manganês, potássio, ácido fólico, vitamina C, vitamina K, vitamina B1 e a vitamina B2. Faz bem para a pele, pois tem altas concentrações de antioxidantes, substâncias que atuam contra as rugas precoces.


Por: Yasmin Barcellos

Publicado em: 01/02/2011

Fonte: http://www.dgabc.com.br/News/5863154/conheca-os-beneficios-antioxidantes-do-cha-verde.aspx

Chá verde pode ajudar a evitar Alzheimer e câncer, diz estudo

Erva também é muito utilizada por quem quer emagrecer.

O chá verde já teve o seu reinado quando o assunto era dietas emagrecedoras. Uma recente pesquisa da Universidade de Newscastle, no Reino Unido, mostra que essa bebida pode proteger o cérebro de doenças e até atuar na prevenção do câncer. Os pesquisadores avaliaram se as propriedades benéficas da bebida, que anteriormente já haviam sido comprovadas no chá recém-preparado, ainda permaneciam ativas uma vez que o chá fosse digerido.

A digestão acontece por um processo vital para conseguir os nutrientes necessários, porém, nem sempre os compostos mais saudáveis dos alimentos serão absorvidos pelo corpo, chegando, às vezes, a se perder ou se modificar no processo. Segundo os pesquisadores, quando o chá é digerido pelas enzimas do intestino, os compostos químicos resultantes são muito eficazes contra gatilhos importantes do Alzheimer. Também foram descobertos que os compostos digeridos possuíam propriedades contra o câncer.

— Constantes pesquisas são realizadas comprovando e descobrindo os efeitos benéficos do chá verde. Sabe-se que o consumo desta bebida deve ser feito com cautela. Recomenda-se cinco a seis xícaras de chá ao dia. Indivíduos que possuem problemas cardíacos ou digestivos devem restringir o uso do chá verde para evitar complicações para a saúde — alerta a nutricionista e tutora do Portal Educação, Ana Paula Leão Rossi.

Vale ressaltar que para a realização do estudo, a equipe de cientistas da Newcastle trabalhou em parceria com os pesquisadores da Escócia, que desenvolveram uma tecnologia que simula o sistema digestivo humano, e foi justamente com tais tecnologias que foram constatadas as propriedades de proteção dos produtos do chá.




Por: Zero Hora - Seção: Bem-Estar

Publicado em: 15/01/2011

Fonte: http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1§ion=Segundo%20Caderno&newsID=a3174563.xml

Descubra os benefícios da meditação em sua vida

Na lista de benefícios, encontramos a melhora dos sintomas da esclerose múltipla.

A ciência começa a comprovar o que nós, esotéricos, já sabemos pela nossa própria experiência há milhares de anos: a meditação promove melhorias efetivas das nossas funções cerebrais. Uma matéria, publicada na Folha de S. Paulo esta semana, falava de estudos feitos por uma grande universidade americana, que comprovam através de ressonâncias, que a meditação aumenta a massa cinzenta cerebral, assim como o número de neurônios que possuímos.

A descoberta vai além do que já conhecíamos e é sempre interessante ver que a ciência cada vez mais se abre para antigos recursos que até então eram negados. Nessa matéria eles citam a meditação budista, mas certamente através de todas as técnicas meditativas podemos alcançar os resultados apresentados.

Na lista de benefícios, encontramos a melhora dos sintomas da esclerose múltipla e de outros já conhecidos como a melhora da depressão, o equilíbrio da pressão arterial, a diminuição do estresse e do colesterol ruim, entre outras. O mais importante de tudo isso é que os resultados podem ser sentidos em apenas oito semanas de prática, com 45 minutos da mesma diariamente, mesmo que feitas por iniciantes. Os estudos comprovam que a meditação traz uma melhora significativa em regiões que envolvem a aprendizagem, memória e emoções.

Para os que praticam a meditação já há algum tempo, esses dados são interessantes, na medida em que entendemos os motivos do bem-estar e das mudanças que ocorrem em nossas vidas, em algumas semanas de prática. O que há de mais interessante em tudo isso é que com a comprovação científica muito mais pessoas poderão se beneficiar dessa milenar prática melhorando sua saúde e qualidade de vida. O que há de novo de fato na pesquisa e da maior importância para todos nós é o aumento do número de neurônios. Até então acreditávamos que apenas perdíamos neurônios durante a vida. Com essas novas e interessantes pesquisas podemos ver que eles podem nascer em qualquer fase da vida através de determinadas atividades que podem mudar nossa estrutura cerebral. Mais um passo dado em direção a Aquário. A promessa esotérica de que ciência e espiritualidade se uniriam definitivamente começa a ser cumprida.



Por: GazetaWeb

Publicado em: 06/02/2011

Fonte: http://gazetaweb.globo.com/v2/noticias/texto_completo.php?c=223708

Meditação - sintonia com a vida

A meditação tem despertado cada vez mais interesse no Ocidente, sendo, inclusive, objeto de estudos e pesquisas científicas na área da saúde. Contudo, ainda há muita falta de informação e são grandes os mal-entendidos que cercam esse ensinamento tão antigo quanto a própria humanidade, enraizado e disseminado no Oriente.

Embora seja um tema difícil de ser explicado, uma vez que se trata fundamentalmente de uma experiência interna, subjetiva, proponho-me a abordá-lo a partir da minha própria vivência.

Meditação é conexão com a vida, interna e externa. Meditação é silêncio interior. E o silêncio só se manifesta se a pessoa aceitar e acolher o momento presente tal como é, dentro e fora de si. Se isso não acontece, prevalecem os conflitos, as tensões, as divagações mentais e não o silêncio. A aceitação da natureza da vida com compreensão é transformadora, ajuda a descomplicar, a relaxar e a equilibrar o nosso viver, conectando-nos com o estado interior natural de harmonia.

E fazer meditação é diferente de estado meditativo, o qual é a nossa natureza. Kiran Kanakia nos explica melhor:

“Meditação é o conceito mais incompreendido. As pessoas estão perguntando a partir de uma compreensão equivocada, ou mal-entendido: concebem a palavra meditação como uma técnica, como algo para fazer.

Fazer meditação como uma técnica é uma coisa e meditação, em sentido real, é outra. São entendimentos diferentes. Quando usamos a palavra meditação, em sentido real, referimo-nos a um estado meditativo, que é o nosso estado natural, o qual não pode ser trazido através de nenhuma técnica, esforço ou qualquer coisa que se faça. Ele já está lá, mas tem sido escondido ou suprimido por causa de algo, e esse algo é a mente.

O estado de meditação é o estado de relaxamento. Ele o relaxa muito e lhe dá um silêncio interior profundo. E este silêncio é a expressão desse estado. Assim, você está absolutamente naquele estado além da dor, além do prazer. Esse é o estado de bem-aventurança”.

Os sábios dizem que, quando oramos, nós falamos com Deus. E, quando meditamos, nos silenciamos para ouvir a voz de Deus. Assim, não se trata de refletir, de rezar ou entoar mantras. Meditar não é concentrar, pois não é ação mental. É atenção sem esforço, o que é diferente de concentração. Meditar também não é pensar ou visualizar algo e, sim, ir além dos pensamentos e imagens. Simplesmente estar presente, consciente e testemunhar o que acontece internamente, mantendo um desprendimento do que quer que se perceba: sensações corporais, pensamentos, imagens, desejos, emoções, humores, sentimentos. Nessa observação silenciosa, sem apegos e julgamentos de qualquer natureza, corpo e mente se acalmam, aquietam-se e a paz se manifesta em nossos corações. A confusão desaparece e a ordem interna se instala.

Outro aspecto que vale a pena esclarecer é que meditação não é somente sentar-se em postura de lótus, fechar os olhos e assim ficar por um determinado tempo, sem proposição de metas a serem alcançadas. Se um indivíduo colocar a totalidade do seu ser em qualquer tarefa do cotidiano, entrará em estado meditativo. É uma consequência de estarmos inteiros, presentes, motivados e sem conflitos naquilo que fazemos.

Esse é um dos segredos para se atingir patamares de excelência em qualidade, seja na elaboração de produtos ou na prestação de serviços: gostar e estar presente, total naquilo que se faz. Nessas condições, o trabalho deixa de ser um fardo e pode transformar-se em meditação que acontece naturalmente, sem esforço. Dessa forma, a pessoa adquire mais e mais clareza mental, torna-se assertiva e também mais sensível, criativa, integrada ao seu entorno de maneira mais equilibrada e harmônica.

Porém, na loucura da pressa, na luta pela sobrevivência, do ter que fazer, envolvidas por um turbilhão de atividades, as pessoas se esquecem até da própria existência; rígidas e identificadas com a tensão do fazer, permanecem num movimento automático e mecânico, tenso e inconsciente, que lhes tira o sabor de estarem vivas.

Por outro lado, a sabedoria, a criatividade e o amor manifestam-se como uma dádiva para as pessoas que adquiriram qualidade e totalidade de presença em tudo o que fazem, seja riscando um palito de fósforo, seja acendendo o fogo de uma grande fornalha.


Por: Enildes Corrêa - O Documento - On line

Publicado em: 10/02/2011

Fonte: http://www.odocumento.com.br/artigo.php?id=2269

O desafio de dispensar a carne e se entregar ao vegetarianismo

Para aderir, o segredo está na disciplina e na busca dos nutrientes necessários.

Seja por motivos religiosos, pela busca de uma vida mais saudável ou pela preservação da fauna, muita gente tem deixado de se alimentar com produtos de origem animal – leia-se carne vermelha, de aves, peixes e seus derivados. Os vegetarianos se abstém apenas do consumo de carnes enquanto que os veganos são conhecidos por excluírem de sua rotina também os laticínios, ovos, mel, gelatinas e artigos feitos em couro.

Há casos como o do consultor Luiz Jacintho, que segue a dieta vegetariana há 50 anos, numa experiência que, segundo ele, tem dado certo. Mas para repetir esse exemplo bem sucedido é preciso tomar alguns cuidados. A nutricionista Mônica Schneider alerta sobre a necessidade de uma alimentação equilibrada. "O ser humano precisa de proteínas, carboidratos e gorduras na devida proporção à sua faixa etária", explica. Conforme Mônica, um adulto saudável que deseja adotar o vegetarianismo deve ser orientado sobre as substituições necessárias para suprir a ausência dos nutrientes contidos nos alimentos de origem animal.

NUTRIENTES
A nutricionista Ana Harb salienta que adeptos do vegetarianismo podem, de fato, conquistar benefícios para a saúde. "Eles têm menor nível de colesterol, menores taxas de mortalidade por doenças cardiovasculares, menor índice de obesidade, menor incidência de alcoolismo, constipação, câncer de pulmão e diabetes", afirma. E ela acrescenta que uma dieta bem planejada pode suprir a maioria dos minerais, vitaminas, carboidratos, lipídios e proteínas exigidos pelo organismo.

Porém, Ana também observa que é preciso tomar cuidado, pois os vegetarianos não abdicam apenas de comer carne. Eles também abrem mão de nutrientes importantes e, por este motivo, devem estar atentos à quantidade de proteínas e calorias ingeridas diariamente, evitando problemas como desnutrição e anemia. "Quando a dieta não é balanceada e a alimentação é muito restrita, pode ocorrer o surgimento de deficiências nutricionais", explica.
Antes das mudanças alimentares é preciso buscar orientação. A dieta vegetariana não é recomendada, por exemplo, para crianças e adolescentes, porque nessa idade a fisiologia encontra-se em desenvolvimento. "Se houver a real necessidade desta conduta alimentar, é interessante que a família seja acompanhada por um profissional competente, que irá indicar as devidas substituições e irá monitorar os níveis sanguíneos e a quantidade de ácido fólico e vitamina B12", conclui Mônica.

Cinco décadas

Há 55 anos, o consultor Luiz Jacintho (foto) pegou emprestado do amigo, o artista plástico Ernesto Frederico Scheffel, um livro sobre alimentação naturalista. Os argumentos do autor, um médico italiano, fizeram com que Jacintho refletisse sobre seus hábitos alimentares. "O doutor comparava carnívoros e herbívoros. Os carnívoros têm presas para rasgar a carne e começar a digestão, os herbívoros não", explica.

Conforme Scheffel, as leituras influenciaram Luiz Jacintho. "Eu entro como ponte, porque emprestei o livro ao Luiz. Como, na época, eu almoçava na casa do estudante do Rio de Janeiro, não tinha como seguir a dieta. Devo dizer que nós todos deveríamos ser preparados nesse campo", argumenta Scheffel que, mesmo não seguindo a dieta vegetariana, valoriza uma alimentação saudável.

Depois de ler a obra, Jacintho ficou predisposto a se tornar um vegetariano. "Todos me diziam que o médico italiano e eu estávamos loucos. Falavam que não era possível e que ninguém poderia viver sem carne", lembra. Mas foi nesse momento que Luiz Jacintho conheceu um vegetariano de Novo Hamburgo. "Conversei com esse senhor, que era funcionário dos Correios, e ele me disse que não ingeria carnes há anos", comenta.

Mas foi em um restaurante que o consultor decidiu abandonar de vez a carne. "Pedi um bife a pé. Quando trouxeram o prato, cortei a carne, olhei, coloquei de lado e disse para a minha esposa: a partir de agora, vou até o fim com a experiência", conta.

A decisão completará 50 anos na terça-feira, 15. Neste dia, Jacintho pretende reunir 50 amigos para homenageá-los e comemorar a data. Aos 83 anos de idade, o consultor afirma que a saúde está em dia. "Acredito que só tenha ganhado com essa decisão", diz.

Luiz Jacintho excluiu das refeições somente carnes. A alimentação balanceada faz parte da rotina de Jacintho. No café da manhã, ele ingere iogurtes, frutas e fibras. "Não como nada que voa, nada que nada e nada que anda", finaliza.

O segredo

O segredo dos vegetarianos está em alcançar a quantidade de nutrientes que o corpo exige, sem a ingestão de carnes, através de combinações de inúmeras fontes. Por isso, após a adoção da dieta, o ideal é fazer a compensação dos alimentos que foram excluídos das refeições. Essa substituição deve contemplar o equilíbrio do plano alimentar. Leguminosas, cereais, frutas, legumes e laticínios ajudam neste reparo.

"Caso a dieta não inclua leite e seus derivados, o ideal é ingerir vários tipos de legumes verdes, como brócolis, couves, espinafre, de modo a incluir alimentos que são fontes de cálcio e ferro na alimentação diária", explica a nutricionista Ana Harb.

Enquanto a dieta ovolactovegetariana, que permite a ingestão de ovos e derivados do leite, pode ser adotada sem risco significativo, uma dieta vegetariana radical apresenta ameaças de deficiência nutricional. "Torna-se essencial uma monitorização rigorosa e a correção de qualquer insuficiência, sempre com o acompanhamento de um especialista", conclui Ana.


Por: Daiane Pires/Da redação - Diário de Canoas

Publicado em: 13/02/2011

Fonte: http://www.diariodecanoas.c