Artigos & Informações
Acupuntura retarda a evolução dos sintomas do Mal de Alzheimer - Técnica ajuda pacientes a lutar contra o avanço da doença

SÃO PAULO [ ABN NEWS ] - Doença diagnosticada pela primeira vez em 1906, o mal de Alzheimer costuma afetar pessoas com mais de 65 anos, apesar de haver casos em mais jovens. Até o momento, apesar do avanço da medicina é incurável. Os sintomas iniciais da doença são irritabilidade, agressividade, alterações de humor, dificuldade na fala, perda da memória a longo prazo e degeneração do cérebro.

O diagnóstico precoce é muito importante para reduzir a evolução da doença e preservar a qualidade de vida do paciente. Apesar de não haver cura, se descoberta no início, é possível retardar os sintomas do Alzheimer. A acupuntura tem se mostrado muito eficiente em pacientes com o mal, permitindo que muitas pessoas vivam melhor, apesar da doença.

O tratamento começa após um diagnóstico preciso da doença e da fase em que ela se encontra, através da anamnese, leitura de pulso e língua, a partir daí são decididos os pontos principais a ser estimulados, afirma a Dra. Aparecida Enomoto, acupunturista com formação em Beijing. A acupuntura aumenta o fluxo sanguíneo no sistema nervoso central e periférico, estimula as áreas da coordenação motora e da fala, e todo músculo esquelético. Além disso, a técnica reduz o estresse, melhora o humor, a respiração e movimentos corporais, ativa a circulação sanguínea, alivia a fadiga, reduz dores e tremores musculares.

Por:

Publicado em: 23/04/2010

Fonte: http://www.abn.com.br/editorias1.php?id=59363

Acupuntura trata asma com sucesso

Asma é uma doença crônica dos pulmões que afeta cerca de 300 milhões de pessoas no mundo inteiro e tem fundo emocional. Embora seja considerada uma doença tratável, cerca de 3000 mortes são registradas por ano só nos Estados Unidos. É também uma das mais comuns doenças que pode ser tratada com acupuntura e fitoterapia. A acupuntura trata diretamente os canais de energia (Qi ou chi), invisíveis, que a Medicina Ocidental (alopática) não conhece. Quando esses canais estão bloqueados, por questões físicas e/ou emocionais, a doença se instala. Como todos os protocolos na Medicinal Oriental, na acupuntura é simples por natureza porque atua holisticamente, tratando o cliente como um todo, sem divisão ou separação entre o corpo, a mente e o espírito (alma e outros sinônimos que a Bíblia traz). Na Medicina Oriental, a asma é considerada apenas um desequilíbrio nos pulmões, rins e estômago porque esses órgãos trabalham em conjunto e dependem um do outro. Os pontos de acupuntura que correspondem ao tratamento da asma estão próximos aos que tratam rins e estômago. Acupuntura é também usada do mundo inteiro para a prevenção de doenças e é recomendável o tratamento nos primeiros sinais de qualquer manifestação dos pulmões, por exemplo. A Organização Mundial da Saúde aponta a acupuntura como tratamento eficaz e positivo para 40 tipos de doenças antes não comprovadas, entre elas a asma. O Departamento de Anestesia da Universidade de Viena conduziu um estudo e concluiu que 70% dos pacientes com asmas submetidos a intenso tratamento com acupuntura tiveram resultados positivos em 10 semanas. A Universidade de Henan, China, também registra estudos conclusivos e comprovativos da eficiência no tratamento de asma em 75% dos casos. Os estudos também apontam que a duração da inserção da agulha faz diferença, assim como o material empregado nas agulhas e o estilo de vida do paciente.

Por: José Joacir dos Santos

Publicado em: 04/06/2010

Fonte: http://www.joacir.com/acupuntura-trata-asma-com-sucesso

A dor na terapia oriental e suas múltiplas raízes

A dor é um dos mais importantes assuntos em qualquer medicina. Por isso, é extremamente importante que nós profissionais de qualquer terapêutica, compreendamos por completo o assunto da dor, assim como a conduta apropriada em relação a ela.

A 20 anos, mais de 6.000 profissionais de saúde de mais de 100 países se tornaram membros da International Association for the Study of Pain para explorar, compreender e examinar em profundidade o controle da dor , onde gerou-se fontes fiéis de tratamento e de certa forma até criou-se "jurisprudência" a nível mundial. Já se passaram 20 anos desde o início deste importante fato, porém o controle total controle da dor ainda é um desafio constante a qualquer prestador de cuidados primários e secundários da saúde.

Um célebre mestre em terapias chinesas Dr. Sun Peilin dedicou anos de sua vida ao estudo e a composição de toda a etiologia e diferenciação de síndromes dolorosas, no processo de conduzir tratamentos profundos e eficazes da dor por meio da TTC (Terapêutica Tradicional Chinesa), compilando trabalhos e experiências de milênios extraídas de manuscritos terapêuticos e práticas clínicas desde a era antiga até os dias de hoje.

Nos últimos 25 anos testemunhou-se um fenomenal crescimento do interesse pela TTC pelos países ocidentais em especial os Estados Unidos e França que despontaram como pioneiros da implantação destas terapias, fora dos limites asiáticos. Muitos fatores contribuíram para isso, mas um acontecimento em especial parece ter trazido a acupuntura de vez para o ocidente. Foi quando o presidente dos EUA Richard Nixon acompanhado pelo jornalista James Reston visitava à China. Reston escreveu um artigo no New York Times, na primeira página onde falava sobre a cirurgia de emergência que o presidente teria passado de apendicectomia e no controle pós-cirúrgico da dor onde foi utillizada a acupuntura, com uma melhora rápida e até então surpreendente e novo aos ocidentais. Intrigados pelo relato de Reston , os médicos de todo o mundo ocidental começaram a visitar os hospitais chineses para observar este e outros tratamentos orientais lá praticados. Este fato teria mostrado ao ocidente a capacidade da acupuntura para aliviar a dor. Por certo, este aspecto foi o que mais chamou a atenção para o seu estudo em profundidade por parte do ocidente. Talvez de forma não surpreendente tais fatores tenham contribuído para uma idéia errônea a respeito da técnica, a idéia que o tratamento da dor seria relativamente simples e empírico, já que a simples prática puntural local e com o uso da moderna teoria dos pontos–gatilhos parecia ser tudo que a terapêutica oriental chinesa milenar tinha a oferecer. Esqueceu-se porém, que esta prática tinha uma riqueza e profundidade tanto na teória quanto prática justamente pelo fator tempo, milênios de estudo e uso, comprovando sua eficácia, mas por motivos econômicos e políticos, apesar de ser uma das terapias de cura mais antigas do mundo,tenha ficado tanto tempo somente naquela região do mundo. A insersão das agulhas, ou o uso de determinadas ervas constitui um refinado processo de análise e diferenciação, sendo que o tratamento mais eficaz pode ser determinado apenas por meio desse processo. A base deste processo é a compreensão da teoria Ben Biao, ou seja ,( raiz, ramificação ou manifestação). Esta teoria ,aplicável inúmeras vezes na prática diz que a mesma manifestação (Biao) pode ter diferentes raízes( Ben), por exemplo uma lombalgia de acordo com este princípio,pode ser decorrente de Frio –Umidade, Estagnação, Excesso, Deficiência , fatores ambientais externos ou desequilíbrios internos. Caso o tratamento enfoque apenas o sintoma em si ou a causa aparente, seu efeito será reduzido, sendo menos eficaz e mais temporário, mesmo que se utilizem métodos cirúrgicos para a resolução da dor. Por meio de métodos de diferenciação de síndromes, se procura combinar o tratamento raiz com o tratamento dos sintomas aparentes, por meio do qual o tratamento será intensificado. Independente do quadro de dor, o objetivo sempre que possível é tratar distúrbios em todos os seus aspectos, para oferecer muito mais que um alívio. Há casos de dor que podem gerar até um desconforto psicoemocional ao passo que o contrário também é verdadeiro.

Atualmente estes métodos, antigos na sua natureza, mas modernos na sua atuação, tem beneficiado centenas de milhares de pessoas em todo o mundo no alívio da dor, em suas mais variadas manifestações. Este mal, um desafio contínuo para os meios que promovem a saúde que mostra-se em todo e qualquer ser humano em algum estágio da vida, seja ele rico ou pobre, culto e analfabeto, homem eu mulher.


Por: Lucas Fach - O Barriga Verde On Line - Seção Colunistas G. Hoffmann

Publicado em: 05/07/2010

Fonte: http://www.adjorisc.com.br/jornais/obarrigaverde/colunistas/g-hoffmann/a-dor-na-terapia-oriental-e-suas-multiplas-raizes-1.313209

Açúcar adicionado está associado a aumento de pressão

Um novo estudo sugere que alimentos com alto teor de açúcar adicionado pode aumentar o risco de pressão alta. Pesquisadores analisaram dados para 4,538 adultos sem histórico de hipertensão que participaram da Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição, de 2003 a 2006. Aqueles que consumiram pelo menos 73,7g por dia de frutose na forma de açúcar de mesa ou xarope de milho com alto teor de frutose tiveram o dobro do risco de apresentar pressão sistólica mais alta que 160 (o número que fica acima na medição, que significa a pressão sanguínea quando o coração está bombeando, não deve ficar acima dos 120).

"A pressão sistólica é o que realmente interessa aos médicos, porque está relacionada a resultados, e seu aumento pode ser dramático, disse o Dr. Michel Chonchol, professor associado de medicina do Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Colorado, em Denver, e principal autor do artigo, publicado no The Journal of the American Society of Nephrology.

Mas Chonchol alertou que mais pesquisas são necessárias para provar que a frutose adicionada desempenhou um papel causal sobre a hipertensão. "Isso precisa ser provado com o próximo passo, que é um teste controlado randomizado", ele disse.

A Associação Americana do Coração recomenda limitar a quantidade de alimentos e bebidas com açúcar adicionado. Numa declaração do ano passado, a associação disse que "evidências emergentes, porém inconclusivas" sugerem que "o aumento da ingestão de açúcar adicionado possa aumentar a pressão sanguínea".

Por: The New York Times

Publicado em: 13/07/2010

Fonte: http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI4563413-EI8147,00-Acucar+adicionado+esta+associado+a+aumento+de+pressao.html

Trigo integral é arma natural contra o diabetes

O combate ao diabetes tipo 2 pode estar ao alcance do seu prato. O consumo regular de grãos integrais reduz em 20% a 40% os riscos de se desenvolver a doença. Por conter fibras e magnésio, o trigo integral consegue baixar o nível de glicose no sangue e melhorar a produção de insulina pelo pâncreas.
O diabetes tipo 2 atinge aproximadamente 11 milhões de brasileiros, segundo dados do Ministério da Saúde. A doença é a quinta causa de hospitalização e está entre as dez maiores causas de mortalidade no Brasil. Um dos principais motivos do grande número de pessoas afetadas é o estilo de vida moderno.
— No pós-guerra, os alimentos passaram a ser industrializados. Fast food e comida instantânea se transformaram na principal refeição das pessoas que, com pressa, passaram a se alimentar de guloseimas — diz o médico Ivan Ferraz, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.
Ele explica que é preciso uma verdadeira mudança no estilo de vida para frear os casos de diabetes tipo 2:
— Um estudo americano comprovou que um grupo de pessoas tratado com reeducação alimentar e exercício físico regular teve incidência bem inferior da doença do que os que foram tratados com remédios — completa Ferraz.

Aprenda abaixo a fazer uma deliciosa receita utilizando o trigo integral.

Receita de Strudel de Maçã

Massa: 1 c.s. de óleo de canola; 1 c.s. de vinagre; 1 ovo pequeno; 1/2 xíc. de água; 1 pitada de sal; 1 xíc. de farinha de trigo integral; 1 xíc. de farinha de trigo comum; 2 c.s. de margarina light derretida; 4 c.s. de farinha de rosca.

Recheio: 6 maçãs médias; suco de 1/2 limão; 1/2 xíc. de adoçante em pó para forno; 1 c.s. de amido de milho; 4 c.s. de passa de uva preta.
Para polvilhar: 2 c.s. de leite em pó desnatado; 2 $.s. de adoçante em pó para forno; 1 c.c. de canela em pó.

Modo de preparo: numa tigela, misture o óleo, o vinagre, o ovo, a água, o sal. Adicione as farinhas aos poucos até ficar uma massa firme. Sove bem e deixe descansar numa tigela untada com óleo por 20 minutos. Descasque a maçã e corte em cubos pequenos. Misture com o suco de limão, o adoçante, o amido de milho e a $. Abra a massa numa superfície enfarinhada até que fique bem fina. Pincele com margarina derretida e polvilhe a farinha de rosca. Espalhe a mistura de maçã por cima e enrole como um rocambole. Transfira para uma assadeira e leve ao forno médio baixo (150º) e preaquecido por 30 minutos ou até dourar. Retire e polvilhe com a mistura do leite em pó, o adoçante e a canela.


Por: Caroline Barros

Publicado em: 25/07/2010

Fonte: http://extra.globo.com/saude/bemviver/posts/2010/07/25/trigo-integral-arma-natural-contra-diabetes-310656.asp

Pimenta pode reduzir pressão alta

A pimenta é a mais nova aliada no tratamento contra hipertensão. Um estudo chinês descobriu que a substância que torna a pimenta picante é responsável também por aumentar a produção de óxido nítrico - molécula que protege os vasos sanguíneos contra inflamação e disfunção.

O cientista Zhiming Zhu, chefe da pesquisa feita pela Terceira Universidade Militar Médica da China, alimentou ratos hipertensos com uma dieta rica nessa substância, a capsaicina, e verificou a redução da pressão arterial com o passar do tempo. Pesquisas anteriores já haviam relacionado a capsaicina à redução do quadro de hipertensão, mas a diferença da abordagem chinesa foi a avaliação a longo prazo.

Conforme os pesquisadores, ainda é cedo para afirmar se o tratamento em humanos será tão satisfatório quanto se observou em roedores. Também não se pode determinar, ainda, a quantidade de pimenta de deveria ser ingerida para um resultado positivo.

No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, pelo menos 17 milhões de brasileiros apresentam sintomas de pressão alta. O estudo chinês foi publicado na edição do mês de agosto do periódico americano Cell Metabolism.



Por: Revista Veja - Seção: Saúde

Publicado em: 04/08/2010

Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/saude/pimenta-pode-reduzir-pressao-alta

Aromaterapia ajuda a diminuir dores físicas e combater o estresse

Massagens com fragrâncias especiais trazem benefícios à saúde

Todo mundo sabe que uma boa massagem pode ser um "santo remédio" para acabar com desconfortos físicos ou para simplesmente relaxar depois de um dia cansativo de trabalho. E o que dizer, então, de aliar a tradicional massagem aos benefícios de certos aromas especiais que não são apenas relaxantes, mas, também, estimulam o sistema nervoso central? A técnica, conhecida como aromaterapia, tem mais de cinco mil anos, mas só agora começa a se tornar conhecida do grande público.

A massoterapeuta Rosane Santos, que trabalha com a técnica, explica os benefícios do tratamento com os aromas.

- Aplico a aromaterapia sempre aliada à massagem. Assim, os óleos trabalham em duas frentes: quando friccionados ao corpo estimulam o sistema circulatório, transferindo suas propriedades benéficas para o organismo; quando inalados pelo paciente, estimulam o sistema nervoso central, que relaxa e atende aos comandos que aquele aroma ordena, como relaxar ou ficar menos nervoso, por exemplo.

A especialista esclarece ainda que há diversas maneiras de se trabalhar com a aromaterapia. Ela pode ser desenvolvida aliada com a massagem, pode ser simplesmente inalada ou ainda podem ser feitos tratamentos com aromatizadores ambientais ou com gargarejos.

Esses óleos, explica a massoterapeuta, são obtidos através de diversas plantas como a laranja, a hortelã, o manjericão e a camomila, cada uma delas com as suas propriedades. Essas essenciais não são aplicadas no corpo em seu estado bruto: precisam ser diluídas em um número e quantidade que variam de acordo com cada caso.

- Não há um aroma específico que utilizo para diversos, pacientes. Primeiro converso com ele e traço um mapa com seus problemas queixas e necessidades, tanto físicas quanto psicológicas. A partir daí monto o tratamento. Uso um óleo base, que é igual para todos os pacientes, e nele vou adicionando outros óleos que farão bem exclusivamente àquela pessoa. Não é como uma aspirina que é medicada de forma igual para todos - compara.

Para a massoterapeuta, na aromaterapia é importante que o profissional consiga entender o que leva uma pessoa a ter queixas constantes, como sempre relatar fadiga excessiva ou dor de cabeça, por exemplo. Segundo ela, através dessa técnica é possível identificar os fatores emocionais que são somatizados pelo paciente se transformando em dores ou doenças.

No entanto, segundo ela, muitos buscam a aromaterapia não para tratamento físico ou mental, mas por razões estéticas.

- É possível usar os aromas para diminuir a retenção de líquidos, por exemplo, diminuindo o acúmulo de água no organismo o que acaba com aquela sensação incômoda de inchaço - destaca.

Rosane relata que a aromaterapia, apesar de ser uma técnica antiga mas pouco conhecida, é uma opção que vem sendo cada vez mais procurada e aceita pelo público.
- Vejo que os pacientes ficam felizes com os resultados alcançados e que muitos passam a dar mais importância aos aromas que nos cercam, tendo significativas melhoras nos seus quadros clínicos e psicológicos - destaca.


Por: Vander Correa - ClicRBS

Publicado em: 19/07/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/sc/donnadc/19,0,2976165,Aromaterapia-ajuda-a-diminuir-dores-fisicas-e-combater-o-estresse.html

Reflexologia

Reflexologia auxilia o organismo através de estímulos nos pés e também traz benefícios para o bem-estar.

A reflexologia é muito mais do que um simples carinho nos pés. Ela é uma terapia que trabalha com estímulos sensoriais mais de 70 mil terminações nervosas que existem nos pés e que correspondem a todos os órgãos e glândulas do corpo. As plantas dos pés formam um imenso mapa do corpo humano em que cada área corresponde a um órgão e tem uma função de tratamento.

Através do estímulo dos dedos é possível dar um basta à tristeza, um gás na criatividade, na alegria, trabalhar o apego ou o desapego, o medo e a insegurança. Os próprios pés denunciam problemas tanto de saúde quanto emocionais.

Calosidades, joanetes e outras alterações podem ser indício de que algo não vai bem no organismo. Diferentemente da acupuntura, a reflexologia não trabalha um único ponto. Ela atua num âmbito mais geral. Com uma massagem em certos lugares, os órgãos são estimulados e eliminam toxinas. A técnica reduz a tensão e melhora a irrigação sanguínea, o que estimula o funcionamento do sistema nervoso.

A reflexologia abrange 37 pontos ligados ao organismo. Ela não tem função medicinal e não substitui remédios prescritos, mas ajuda nos momentos mais difíceis. Uma pressão profunda e lenta entre o dedão e o segundo dedo ao deitar, relaxa e espanta a insônia e ansiedade. Já de manhã, quem não dormiu bem deve pressionar o mesmo ponto de forma rápida e superficial, para estimular. Quando o problema é dor de cabeça, experimente uma pressão lenta e profunda sobre a unha do dedo mindinho.

Por: Globo.com - Seção: Equipe Bem Star

Publicado em: 27/07/2010

Fonte: http://bemstar.globo.com/index.php?modulo=corpoevida_mat&type=5&url_id=3376

Aromaterapia

O uso dos óleos essenciais puros promove maior calma e relaxamento de pacientes e acompanhantes. Produtos também são usados na higienização do ar e de alguns equipamentos e utensílios

Os óleos essenciais puros já têm sua eficácia reconhecida em diversos segmentos da Beleza, Estética e Saúde. Como método complementar e alternativo de obter saúde e harmonia, os óleos essenciais devem sempre ser indicados por aromaterapeutas que os conheçam profundamente.

Samia Maluf, psicóloga e aromatóloga, observa que os óleos essenciais estão ganhando destaque junto a profissionais da Medicina tradicional.
“Já existem hospitais, clínicas e consultórios médicos e dentários que utilizam a aromaterapia em benefício do paciente, de seu familiar e até dispõem dos óleos essenciais para higienizar ambientes e aparelhos e utensílios que não necessitam de autoclave, por exemplo”, comenta.

Os óleos essenciais, nestes ambientes, têm três funções:

- Acalmar e harmonizar ambientes de sala de cirurgia ou consultório. Os óleos que acalmam, como Lavanda, Laranja e Palmarosa, por exemplo, são usados para que o paciente sinta-se melhor, principalmente quando há tensão ou medo do desconhecido.

- Acalmar e harmonizar a sala de espera – Familiares que esperam por notícias de pessoas internadas, pais que aguardam o nascimento de seus bebês, pacientes que aguardam para serem atendidos, todos podem ser beneficiados com a aromaterapia.

- Higienizar o ambiente e equipamentos / utensílios – O óleo de Tea Tree, conhecido como poderoso anti-séptico e bactericida, já é usado em aromatizadores, para livrar o ambiente de bactérias, e também em equipamentos e utensílios que dispensam o uso da autoclave. Alguns profissionais da Saúde usam este óleo ou a Água de Tea Tree para desinfetar as mãos.

Por que a Aromaterapia funciona?

A Aromaterapia não remete apenas a um cheiro gostoso no ambiente ou um perfume durante o banho. Trata-se, sim, de um verdadeiro e natural tratamento que serve para inúmeras situações. Os aromas agem nos centros cerebrais e provocam reações emocionais ou físicas, tratando o organismo de uma forma integral, considerando a mente e o corpo como um todo.

As aplicações desta terapia caminham desde o relaxamento e técnicas para amenizar o estresse até meios para estimular o organismo e combater problemas estéticos - como a pele ressecada ou maltratada.
Suas principais ferramentas são os óleos essenciais, extraídos de flores, folhas, cascas, raízes, frutos e sementes das plantas, como das perfumadas flores do jasmim, de onde se retira um óleo antidepressivo e afrodisíaco ou ainda o óleo extraído da limette – mais conhecida como lima – que combate a fadiga mental, além de ser também utilizado em tratamentos para a celulite.

Para entender como os óleos funcionam, devemos imaginar o caminho pelo qual percorrem em nosso corpo. Quando se aspira, por exemplo, um desses produtos, sua fragrância é captada pelas narinas, onde sensores nervosos decodificarão esta informação, transportando para o cérebro que estimulará determinadas partes do organismo. Dessa forma, atuam por todo o corpo e, de quebra, nas emoções e sentimentos do indivíduo.

Em tempos de estresse, correria e de falta de tempo para cuidarmos de nós mesmos, devemos separar alguns momentos e olhar para o nosso interior. Afinal, a beleza externa reflete, como bem sabemos, a saúde e harmonia interna.

Uma forma vantajosa de se aplicar a Aromaterapia na estética dá-se pela utilização destes óleos em forma de banhos ou massagens. Para conduzir os óleos essenciais e facilitar a sua absorção, existem os chamados óleos carreadores, que potencializam a aplicação graças à sua estrutura molecular. Quando estes produtos entram em contato com o corpo, nutrem a pele e entram na corrente sangüínea, que leva as informações ao cérebro. Trata-se, portanto, de um tratamento completo: o cliente se beneficia das essências tanto ao senti-las quanto ao recebê-las em sua pele.

Por: Cristina Thomaz e Simone Valente

Publicado em: 27/07/2010

Fonte: http://bemstar.globo.com/index.php?modulo=terapias_mat&type=4

Acupuntura ajuda também na cura de doenças em animais

A acupuntura veterinária é reconhecida como especialidade médica pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária desde 1995. O tratamento com agulhas que os homens conhecem como alternativo para casos em que a medicina tradicional não resolve pode ser encarado como único ou como terapia adicional quando se trata de animais.

Segundo o presidente da Associação Brasileira de Acupuntura Veterinária (Abravet), professor titular do Departamento de Cirurgia e Anestesiologia Veterinária da Unesp/Botucatu, Stelio Pacca Loureiro Luna, a aplicação da acupuntura no tratamento de algumas doenças de cães e gatos tem apresentado melhor resultado terapêutico que o do tratamento convencional feito com medicamentos.

O tratamento consiste na estimulação de pontos específicos na pele ou mais profundos, denominados meridianos, por onde circula a energia chi. Esta energia responsável pela vida e saúde do organismo é composta de duas forças antagonistas mas complementares, denominadas In e Iang.

“Essas duas energias ocorrem em exatas proporções, uma predominando sobre a outra em cada meridiano. A saúde é o equilíbrio desta energia e a totalidade das manifestações vitais, físicas e psíquicas no organismo são produtos simultâneos de sua atividade In e Iang.”

A acupuntura atua por mecanismos nervosos e hormonais, por ativação de receptores localizados na região cutânea. “Os estímulos são transmitidos ao sistema nervoso central. Normalmente os animais não apresentam reação de dor durante as sessões e inclusive é comum a ocorrência de sonolência, não havendo necessidade do uso de tranquilizantes para introdução das agulhas.”

Luna explica que em 60% dos casos de doenças neuromusculares, como nas sequelas nervosas de cinomose – síndrome que pode causar paralisia nos membros do animal –, a acupuntura consegue reverter o processo e fazer com que os cães voltem a andar sem sentir dor. “Em casos como estes, os médicos veterinários alopatas geralmente indicam o sacrifício do animal.”

Nos animais, assim como no homem, a acupuntura pode ser utilizada para o tratamento de várias enfermidades, substituindo a terapêutica convencional ou ainda auxiliando a mesma de acordo com a situação.

“Dentre as enfermidades que apresentam bons resultados estão as doenças neuromusculares, problemas de coluna, distúrbios respiratórios, digestivos e sequelas de cinomose, entre outros. Ela é particularmente útil para analgesia em dores agudas e crônicas e tratamento de paralisias. Nas doenças dermatológicas e como substituição ou complemento a anestesia convencional temos obtido sucesso. No Hospital Veterinário da FMVZ, pesquisas tem sido realizadas para controle da dor pós-operatória em cães e gatos. Em problemas digestivos, tanto em diarreia, como em casos de constipação, acupuntura tem mostrado excelentes resultados, sem o uso de antibióticos.”

Para quem pensa que a acupuntura é usada somente em animais de pequeno porte, o professor lembra que o emprego dela tem apresentado bons resultados para melhorar o condicionamento de equinos submetidos a diferentes provas de competição.

Por: Rita de Cássia Cornélio - Jcnet - Jornal da Cidade de Bauru

Publicado em: 08/08/2010

Fonte: http://www.jcnet.com.br/detalhe_regional.php?codigo=189003

Acupuntura protege o fígado do efeito de medicamentos, diz estudo da USP

Trabalho investigou a influência da técnica milenar chinesa no controle de lesões hepáticas em ratos.

SÃO PAULO - A acupuntura é uma boa alternativa para controlar os danos ao fígado causados pelo uso contínuo de alguns medicamentos. A constatação é do médico veterinário e acupunturista Alexandro dos Santos Rodrigues em sua tese de doutorado pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da USP. O trabalho investigou a influência da técnica milenar chinesa no controle de lesões hepáticas em ratos.

“O fígado é responsável pelo processo de metabolização de medicações. Algumas pessoas tomam medicamentos continuamente [como os usados para combater o colesterol] e isso causa danos ao funcionamento do órgão. Esse trabalho comprovou que a acupuntura pode ser usada para reduzir os prejuízos causados pelo uso contínuo de remédios agressivos ao fígado”, afirma Rodrigues.

Os animais que passaram por sessões de eletroacupuntura no ponto E36 (localizado na perna, próximo ao joelho) ou no BP6 (próximo ao calcanhar) apresentaram diminuição de lesões hepáticas. Na comparação entre esses dois grupos, a progressão das lesões foi menor nos ratos que receberam estímulo no ponto E36. “Na eletroacupuntura, as agulhas são conectadas a fios, que são ligados a uma máquina que envia um estímulo padronizado e contínuo às agulhas”, explica o pesquisador.

O veterinário induziu as lesões hepáticas por meio da tioacetamida, substância já usada no passado como agrotóxico em lavouras. Atualmente, ela é empregada nas indústrias têxtil, de couro e papel. No meio acadêmico, a droga é utilizada por pesquisadores em modelos científicos de indução de lesões no fígado.


O experimento

O veterinário explica que existem vários graus de lesões hepáticas: inicialmente, após repetidas agressões, ocorre uma fibrose que, se não tratada, evolui até chegar à cirrose. Esta pode originar neoplasias (câncer). “Sabemos que o fígado tem grande capacidade de recuperação, mas somente até um certo grau das lesões”, afirma.

Rodrigues trabalhou com 70 ratos wistar. Antes de iniciar o experimento, o médico colheu amostras de sangue para avaliar oito marcadores sanguíneos ligados a lesões hepáticas. A dose de tioacetamina aplicada variou de acordo com o peso de cada animal.

Para poder aplicar as sessões de eletroacupuntura, o veterinário optou por usar o anestésico isofluorano, por via inalatória. “A maioria dos anestésicos comuns interfere de forma significativa na função hepática, e isso poderia prejudicar os resultados”, conta. A dose empregada foi a necessária para manter os animais em estado de semiconsciência.

“Quando a agulha da acupuntura é inserida na pele, ela causa um estímulo que percorre as vias nervosas do corpo e chega até a medula óssea. Por meio da medula, a informação vai para o cérebro, onde neurotransmissores se encarregam de emitir respostas que são transmitidas e agem em um determinado local do corpo. Se os animais ficassem totalmente sedados, esse fato também poderia interferir nos resultados”, explica.

Os animais foram divididos em sete grupos: sadios (que não passaram por nenhum tipo de intervenção); controle para tioacetamida (aplicação apenas dessa droga); controle para isofluorano (aplicação apenas desse anestésico); com aplicação de eletroacupuntura no ponto E36 e outro no BP6. Os dois grupos restantes, E36s e BP6s, receberam aplicações em pontos “falsos”, ou seja, em lugares próximos aos pontos verdadeiros (E36 e BP6), mas que não resultariam em nenhum efeito ligado à proteção hepática.

Após a pesagem e a aplicação da tioacetamida, os animais foram sedados e, em seguida, receberam as aplicações de eletroacupuntura por 20 minutos. Na quarta semana do experimento, o pesquisador aumentou todas as doses de tioacetamida em 10%. Ao final das sete semanas, o médico colheu novas amostras sanguíneas para avaliar os oito marcadores.


Resultados

Todos os animais que receberam doses de tioacetamida apresentaram lesões no fígado. Mas, nos grupos sem uso de eletroacupuntura, as lesões hepáticas foram muito maiores. “Percebemos que, no grupo controle para tioacetamida, ocorreram danos consideráveis no fígado. Também encontramos muitas alterações ligadas aos oito marcadores de lesões hepáticas”, conta Rodrigues. “Já no grupo controle para isofluorano, também constatamos que o fígado apresentava lesões, apesar de esse anestésico ser considerado seguro contra danos hepaticos”, diz.

O pesquisador lembra que a hepatite C atinge de 2,5% a 4,9% da população brasileira. Já a cirrose hepática está entre as 10 maiores causas de morte no mundo ocidental. Não existe tratamento para esses casos, e a única opção é fazer um transplante de fígado. “Pense em alguém que precise tomar, diariamente, um medicamento que cause uma reação muito forte no fígado. O órgão seria afetado mesmo se estivesse em condições normais. Agora imagine se essa pessoa já estiver com o fígado comprometido por causa da hepatite C ou da cirrose”, questiona. “A acupuntura poderia ser usada como uma maneira de barrar grande parte dos danos ao fígado provocados pelo medicamento.”

A pesquisa de Rodrigues, "A influência dos pontos de acupuntura zusanli (E36) e sanyinjiao (BP6) no desenvolvimento de lesões hepáticas induzidas por tioacetamida em ratos wistar", foi apresentada em dezembro de 2009. O professor Francisco Javier Blazquez, da FMVZ, orientou o trabalho, que teve como co-orientadora a professora Ângela Tabosa, do setor de Medicina Chinesa e Acupuntura do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).




Por: Agência USP - Estadão

Publicado em: 11/08/2010

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,acupuntura-protege-o-figado-do-efeito-de-medicamentos-diz-estudo-da-usp,593644,0.htm

Drenagem linfática e reflexologia diminuem a celulite

Para emagrecer e eliminar as celulites é preciso ter uma alimentação
saudável e manter uma rotina regular de exercícios. Porém, há também
aqueles tratamentos que aceleram a luta contra a celulite. A drenagem
linfática somada a reflexologia tem sido uma arma eficaz em seu
combate, além de aliviar o estresse.

O tratamento consiste em aplicar a drenagem linfática por meia hora em
todo o corpo, usando cremes à base de cafeína, cânfora e outros
princípios ativos que combatem a gordura localizada. Em seguida, é
feito um escalda-pés com sais relaxantes. A reflexologia favorece a
eliminação de toxinas, além de reduzir a tensão muscular e diminuir a
ansiedade.


Por: Carolina Abranches - Seção Bem Estar - globo.com

Publicado em: 09/08/2010

Fonte: http://bemstar.globo.com/index.php?modulo=corpoevida_mat&type=5&url_id=3392

Cromoterapia equilibra corpo e mente através das cores

A Cromoterapia utiliza a cor para estabelecer a harmonia do corpo, da mente e das emoções. Se houver desequilíbrio, as doenças vão se refletir no nosso corpo físico e adoeceremos. Atualmente, estudos revelam qual a cor mais adequada para ambientes de estudo, de trabalho, ou hospitais. Até nas propagandas o uso de cores é estudado. Dependendo do objetivo a que se quer chegar, o público alvo é o produto. Mas muitos se perguntam, é verdade? A terapeuta alternativa Nilda Valeriano responde que sim.

Na técnica de aplicação de luz com lâmpadas coloridas, a cor é estabelecida de acordo com o tratamento buscado. Mas Nilda destaca que este é um tratamento complementar. “Percebemos a utilidade das cores, mas é bom saber que não podemos desacreditar da medicina terrestre. Esta é apenas uma terapia complementar, que favorece a ação do tratamento médico convencional”, afirma.

A terapeuta alternativa revela que, com o uso correto, as cores atuam no funcionamento da saúde física e mental, assim como o uso inadequado pode ter efeito inverso. “Pessoas usam determinada cor em casa, com luzes, pintam a parede do quarto ou da sala, mas sem ter conhecimento, o que é um risco.

O vermelho, por exemplo, nem é usado na cromoterapia, pois é abortivo”, alerta Nilda.

Entre as cores utilizadas na cromoterapia, a luz azul é a que atua mais especificamente em problemas musculares e de articulações. O azul, verde e rosa atuam no sistema nervoso central. A aplicação de luz amarela é fundamental para o tratamento do fígado, enquanto a verde é ideal para combater os sintomas de infecções. “Atua em todas as doenças, desde o diabetes até varizes, câncer, emagrecimento. Também é utilizada no tratamento de dependentes químicos, álcool e drogas, mas há um processo”, explica.

Para Nilda Valeriano, as cores somente atuam de forma positiva no corpo se a alimentação for balanceada e natural. “Como coadjuvante do tratamento, a alimentação natural tem sua devida importância na harmonização do nosso sistema”, frisa a terapeuta alternativa. Para isso, devemos selecionar alimentos que têm a cor relacionada com o nosso tratamento cromoterápico. Se estivermos tratando com a cor amarela, por exemplo, é indicado ingerir mais alimentos com essa tonalidade.

Por: Jornal da Manhã (Jm Online) - Uberaba - Seção: Saúde

Publicado em: 03/08/2010

Fonte: http://www.jmonline.com.br/novo/?noticias,7,SA%DADE,31865

Acupuntura é alternativa na luta contra a tendinite

Na luta contra a tendinite, a acupuntura vem se apresentando como uma alternativa eficaz para o alívio das dores provocadas por esse processo inflamatório. De acordo com o Acupuncture: Review And Analysis Of Reports On Controlled Clinical Trials, estudo feito Organização Mundial de Saúde, a proporção de dor crônica aliviada pela técnica está entre 55%-95%, resultado mais favorável que drogas potentes, como a morfina, que ajuda em até 70% dos casos.Para a OMS, os efeitos colaterais de terapias medicamentosas (grande risco de dependência, por exemplo) tornam a analgesia pela acupuntura – que não tem efeito colateral- a escolha para o tratamento de várias condições dolorosas crônicas. Além disso, a técnica traz alívio logo nas primeiras sessões e tem mecanismo de ação bem definido.“A acupuntura trabalha com a energia do corpo, buscando equilibrá-la. Não é colocada nenhuma substância química nas agulhas, elas estimulam as fibras nervosas do organismo, essas por sua vez liberam os neurotransmissores que vão até o sistema nervoso atuando na diminuição das dores”, explica a médica especialista em acupuntura, Graça Gomes. Ainda segundo a especialista, existem vários pontos de pressão no nosso corpo — onde são colocadas as agulhas — e cada um deles atua melhor para uma determinada patologia. Esses pontos são divididos em locais e à distância. Geralmente, a primeira sessão é feita nos pontos à distância, evitando assim mexer na região da dor, pois está inflamada. No decorrer do tratamento, faz-se também nos pontos locais.“Quando o paciente está no processo inflamatório recomendamos uma sessão a cada três dias, depois uma vez por semana. Recomendamos um tratamento com o mínimo de dez sessões, mas nos casos mais agudos podem ser mais. A duração varia de acordo com cada paciente”, diz a médica. Outra vantagem é que praticamente não existem restrições quanto a quem pode fazer ou que tipo de enfermidades são tratadas. Mas alguns médicos, como é o caso da Drª Graça Gomes, optam por não realizar sessões com gestantes até o terceiro mês, pois alguns especialistas acreditam que existem alguns pontos abortivos — embora não haja nenhuma comprovação na literatura médica.



Por: Carla França - Jornal Tribuna do Norte

Publicado em: 15/08/2010

Fonte: http://tribunadonorte.com.br/noticia/refens-da-dor/156917

Agulhas que ajudam a estudar melhor

Ansiedade, stress, tensão muscular, preocupação excessiva, cansaço são alguns dos sintomas que muitos estudantes apresentam antes, durante ou depois das provas de vestibular. A cobrança sobre si mesmo e de familiares, as incertezas na escolha do curso. Tudo isso faz com que muitos estudantes sofram de desordens emocionais e dolorosas durante este período da vida.

Por isto, a tranquilidade é fundamental. O stress pode comprometer o desempenho durante os exames mesmo que o vestibulando tenha se dedicado intensamente aos estudos. E uma alternativa para contornar esses problemas é a acupuntura.

A inserção de finíssimas agulhas em pontos estratégicos do corpo estimula o organismo a produzir substâncias naturais ligadas à sensação de bem-estar. Possui efeito analgésico, antiinflamatório e antidepressivo combatendo dores, ansiedade e estresse. Desta forma, a energia do sistema nervoso é gradativamente recuperada e a tranqüilidade e o bem estar restabelecidos.

Segundo a medicina tradicional chinesa, o organismo humano possui uma rede de canais, os meridianos, nos quais circulam energia. Nestes meridianos encontram-se os pontos trabalhados pela acupuntura.

“A acupuntura trabalha com a energia do corpo, buscando equilibrá-la. Não é colocada nenhuma substância química nas agulhas, elas estimulam as fibras nervosas do organismo, essas por sua vez liberam os neurotransmissores que vão até o sistema nervoso atuando na diminuição das dores”, explica a médica especialista em acupuntura, Graça Gomes.

A Acupuntura é uma excelente forma de relaxar pois dispersa a ansiedade e as tensões, através do equilíbrio de Yin e Yang, aumentando os hormônios da alegria e do bem estar (serotonina e endorfina) sem agredir o corpo e a mente.

Com algumas aplicações já é possível sentir o resultado. O sucesso do tratamento depende da continuidade. O ideal é que as consultas sejam iniciadas, pelo menos, um mês antes das provas, com sessões semanais, até o dia que antecede ao vestibular.

Cada sessão dura em torno de 20 minutos. Depois é feita a reavaliação para estabelecer em que periodicidade se fará o controle. Os pontos de acupuntura também podem ser estimulados com laser, adesivos, aplicação de calor (moxabustão) e sementes de mostarda aplicadas na orelha, entre outros.

Vantagens da Acupuntura

Inúmeras possibilidades de aplicação:

é útil em qualquer doença, oferecendo auxilio de uma maneira ou de outra em todas as faixas etárias e independente do sexo, podendo ainda ser facilmente associada a outras modalidades terapêuticas.

Diminuição do uso de medicamentos:

o uso de drogas está se tornando abusivo, com freqüentes intoxicações. A acupuntura regula o equilíbrio do organismo, elhorando a circulação sangüínea, aumentando a resistência corpórea e sendo capaz de mudar a constituição corporal, por isso, reduz ao mínimo a necessidade de drogas e aumenta a eficácia terapêutica. Além disso, constitui-se num tratamento mais econômico.

Segurança no tratamento:

é uma pratica extremamente segura exigindo, no entanto, um nível técnico do terapeuta.

Complementa as lacunas da medicina moderna:

a medicina moderna ainda não conseguiu resolver muito dos problemas que atingem o ser humano. A acupuntura, isoladamente ou associada a drogas, obtém melhores resultados.

Em algumas doenças a acupuntura mostra-se muito eficaz:

ansiedade, depressão, enxaquecas, tensão pré-menstrual, osteoporose, joelhos, dor cervical, dorsalgia, ciáticas, tendinites, gastrites e outras tantas, tratamento da dor.





Por: Tribuna do Norte - On Line

Publicado em: 18/08/2010

Fonte: http://tribunadonorte.com.br/vestibular/agulhas-que-ajudam-a-estudar-melhor/157202

O significado das cores

A nossa cor favorita, a cor com que nos gostamos de vestir em certas ocasiões, as cores com que decoramos a nossa casa ou até o facto de nos sentirmos mais atraídos por alguns alimentos não são fruto do acaso.

A simbologia das cores está estudada e a cromoterapia serve para tratar estados comportamentais. Muitas vezes é usada para tratar a agressividade, a depressão, a irritabilidade, etc.

Segundo o diagnóstico, os pacientes deverão ser expostos a diferentes cores: o vermelho é ideal para hipotensos e depressivos; o amarelo para pessoas com problemas de auto-estima, o azul para pessoas com palpitações cardíacas e inquietas.

Se pensarmos que grande parte das nossas vidas são passadas em espaços fechados devemos cuidar as cores das quais nos rodeamos. Em casa para termos uma sensação de paz deveremos sempre pintar as paredes de cores como o branco, o bege ou o rosa claro. Sobretudo nas divisões de descanso.

Nas roupas se há cores como o vermelho, o amarelo e o preto ideais para demonstrar poder e autoridade. Para quem quer passar despercebido os tons como o rosa claro ou o azul são os ideais, pela tranquilidade que despertam. Para quem quer demonstrar estabilidade o castanho é a melhor cor.



Por: Catarina Ferreira - Jornal de Notícias (PT) - Seção: Viva +

Publicado em: 23/08/2010

Fonte: http://jn.sapo.pt/VivaMais/Interior.aspx?content_id=1645822

Tai Chi e Chi Kung têm muitos efeitos benéficos para a saúde

Pesquisadores norte-americanos descobriram que os exercícios de Tai Chi e Chi Kung trazem benefícios significativos para a saúde física e mental.

Pesquisadores da Faculdade de Enfermagem e Inovação de Serviço de Saúde da Universidade Estadual do Arizona analisaram 77 testes sobre Tai Chi e Chi Kung realizados entre 1993 e 2007 com 6.410 pessoas.

O estudo fornece uma "base de dados mais forte" sobre os efeitos benéficos dessas práticas para a saúde óssea, a resistência cardio-respiratória, a função física, o equilíbrio, a qualidade de vida, a prevenção de quedas e a saúde mental, disseram os pesquisadores em nota à imprensa publicada quinta-feira no HealthDay News.

Por: "CRI" China Rádio Internácional - On line

Publicado em: 24/08/2010

Fonte: http://portuguese.cri.cn/721/2010/08/24/1s125872.htm

Acupuntura pode ajudar a combater a celulite e a gordura localizada

Em alguns casos, tratamento estético costuma ser sinônimo de sofrimento. Vermelhidão, descamação da pele, longos períodos de cicatrização e recuperação. O que poucas pessoas sabem é que a acupuntura estética pode fornecer o mesmo resultado que outros tratamentos de uma forma eficaz, praticamente indolor e livre de efeitos colaterais.

Técnica é uma das formas de tratamento da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) que vem se tornando forte aliada no tratamento de problemas como celulite, gordura localizada e até obesidade. A principal diferença dos tratamentos comuns, além de não necessitar de tempo de recuperação, é que a acupuntura trabalha com todo o corpo.

"Os problemas estéticos normalmente têm ligação com o desequilíbrio da energia de órgãos internos", afirma a dermatologista e acupunturista Miriam Sabino.

O tratamento contra a celulite e a gordura localizada consiste na aplicação de finíssimas e pequenas agulhas de metal em pontos específicos (chamados “acupontos”) na pele. Dessa forma é possível prevenir e tratar doenças, dores ou outras desordens do corpo atuando inclusive na causa e não somente nos sintomas do problema.

Existem outros recursos terapêuticos complementares no tratamento da acupuntura como: auriculoterapia (estimulação de pontos na orelha através de esferas, agulhas e sementes), laser, eletroacupuntura, talassoterapia (uso de algas), moxabustão (erva artemísia) e produtos naturais como pó de pérola e calêndula.

Os benefícios da acupuntura incluem melhora da circulação linfática e sanguínea, aumenta da oxigenação dos tecidos e diminuição da flacidez local. Os resultados são obtidos de um a dois meses e estão relacionados ao grau e extensão da celulite, sedentarismo, uso de medicamentos, obesidade, estresse e fatores hormonais.



Por: Abril On Line - Seção: Saúde

Publicado em: 31/08/2010

Fonte: http://www.abril.com.br/noticias/comportamento/acupuntura-pode-ajudar-combater-celulite-gordura-localizada-592560.shtml

Site facilita controle e pesquisa sobre diabetes

Quem tem diabetes sabe o quanto é importante controlar diariamente a variação da glicemia (concentração de açúcar no sangue), o que nem sempre é uma tarefa simples. Para facilitar a vida do paciente nesse sentido, está disponível na internet, desde março deste ano, o site Glicemias Online (www.glicemiasonline.com.br).

DIÁRIO VIRTUAL

O sistema on line é totalmente gratuito e permite que o diabético mantenha uma espécie de diário para acompanhar a doença. Lá, ele pode anotar todas as suas medições de glicemia, administrações de insulina ou hipoglicemiante oral, exames de hemoglobina glicada, entre outros. As informações podem ser visualizadas na forma tabelas, gráficos e estatísticas.

A ideia de criar a ferramenta, única no Brasil, partiu das necessidades sentidas na pele por um de seus fundadores, diabético tipo 1 há 10 anos. "Antes, precisava anotar tudo no papel para levar às consultas médicas. Vivia esquecendo, perdendo ou sujando as anotações", relata o idealizador do site, Rafael Apocalypse.

Para tornar o processo ainda mais fácil, o programa permite que as anotações sejam feitas através do próprio sistema on line, pelo navegador web de smartphones ou ainda por SMS, no qual basta o paciente enviar uma mensagem de seu celular com o valor de sua glicemia ou com a quantidade de medicamento para um dos números do Glicemias Online, e a anotação será cadastrada automaticamente.

No início deste mês, o site ganhou sua versão final e, com ela, algumas novidades. Ele passou a contar com um novo sistema de estatísticas e gráficos melhores, além de uma nova funcionalidade. "Agora existe também a possibilidade de o paciente cadastrar o consumo de carboidrato", explica Apocalypse.

Segundo o criador da proposta, além do armazenamento de informações, o sistema é uma forma de facilitar o entendimento do paciente sobre a doença e as reações do organismo através do material gráfico elaborado. No entanto, isso não significa que a ajuda especializada deva ser descartada. "A intenção não é que o paciente tenha autonomia sobre seu tratamento, ele não deve dispensar o médico", ressalva Apocalypse. "O que acontece é que, com o site, a pessoa dispõe de mais informações para fazer questionamentos na hora da consulta."

Hoje, estima-se que cerca de 170 pessoas estejam cadastradas no serviço. Os médicos ainda não contam com um acesso exclusivo, mas podem compartilhar a senha dos pacientes ou apenas visualizar as informações, tanto impressas como em arquivos PDFs enviados por e-mail.

De acordo com Apocalypse, os profissionais da saúde têm apoiado a iniciativa. "Temos conversado com alguns médicos, e o retorno é sempre positivo. Eles gostam e passam a usar e indicar o site", assegura.



Por: Marilia Montich - Diário do Grande ABC

Publicado em: 05/09/2010

Fonte: http://www.dgabc.com.br/News/5829303/site-facilita-controle-e-pesquisa-sobre-diabetes.aspx

Pacientes com fibromialgia desconhecem a doença e não buscam tratamento

Fibromialgia

Dores musculares difusas (pelo corpo todo) e crônicas (recorrente há mais de três meses), distúrbios do sono, fadiga, ansiedade, depressão e problemas gastrointestinais. Esses são alguns sintomas de uma doença que é pouco conhecida da população mas que pode acarretar graves conseqüências para a qualidade de vida do paciente: a fibromialgia.

Estudo da Faculdade de Medicina (FM), da USP realizado no município de Embu das Artes, em São Paulo, revelou que 24% da população estava propensa a desenvolver a fibromialgia mas nenhum paciente tinha conhecimento sobre a doença. "Essas pessoas vivem mal e existem em uma quantidade consideravelmente grande, sem saber procurar tratamento adequado", comenta uma das autoras da pesquisa, a fisioterapeuta Cristina Capela.

Dores difusas e crônicas

A pesquisadora ressalta que os "fibromiálgicos" e "pré-fibromiálgicos" (que podem desenvolver a doença) muitas vezes vêem seu quadro se agravar por falta de informação, ocasionando uma vida cada vez mais difícil devido às dores difusas e crônicas e ao freqüente quadro depressivo que normalmente é tratado com terapia medicamentosa. Apesar de ser uma doença cujas causas ainda são desconhecidas, é possível amenizar os sintomas com exercícios aeróbicos, alongamentos, massoterapia, acunpuntura, hidroterapia, laserterapia, entre outros recursos.

No entanto, o primeiro passo é identificar o problema. "As pessoas tendem a tratar cada problema de maneira isolada. Por exemplo, vão ao ortopedista dizer que têm dor na perna. Aí vão ao psicólogo tratar a depressão. Depois passam pelo cardiologista para falar que o coração não está bom. Cada queixa será tratada com um remédio diferente, sendo que todos esses sintomas juntos são facilmente identificados pelo reumatologista como um quadro de Síndrome da Fibromialgia e, dessa forma, o paciente poderia ser encaminhado para tratamentos que amenizem os sintomas", enfatiza Cristina.

A pesquisa

O estudo abordou nove Unidades Básicas de Saúde (UBS) +3 da cidade de Embu das Artes. Foram entrevistadas 768 pessoas cadastradas nos postos no ano de 2003. Os entrevistados foram questionados quanto à presença ou não de dor e à qualidade do sono. Todos foram convidados a participar de uma avaliação na UBS mais próxima de sua residência.

Destes, 304 compareceram ao exame físico e responderam também a um questionário para avaliar os sintomas que freqüentemente estão associados a esta síndrome. Foi então que chegou-se ao resultado de que 4,4% da população de Embu já tinha fibromialgia, mas 20% pode desenvolver a doença por apresentar dores difusas e crônicas e forte correlação com os sintomas associados.

Na primeira etapa da pesquisa, por telefone, os pacientes diziam onde sentiam dor, há quanto tempo isso os incomodava e respondiam sobre a presença dos sintomas da doença. Depois, no exame físico, foram testados os 18 "pontos dolorosos", ou seja, foi aplicada uma certa pressão sobre as regiões "com dor". Se existissem pelo menos 11 pontos específicos em que a pressão não fosse suportável e, além disso, se apresentassem fadiga, distúrbio do sono, ansiedade e depressão, então ele era diagnosticado como fibromiálgico.

Ansiedade e depressão

A dissertação Avaliação da dor, qualidade de vida e sintomas secundários da fibromialgia na população de Embu: ansiedade e depressão, de Cristina faz parte de um projeto chamado Prevalência de fibromialgia e sintomas associados na população de Embu, município da Grande São Paulo, de autoria da professora Amelia Pasqual Marques, que contou, ao todo, com duas dissertações e três iniciações científicas para ser concluído. É apenas o segundo grande estudo sobre esta síndrome no Brasil, o que remete à pouca popularidade da fibromialgia embora seja bastante incidente, especialmente em mulheres entre 45 e 60 anos.


Por: Naila Okita - Agência USP

Publicado em: 18/09/2008

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=pacientes-com-fibromialgia-desconhecem-a-doenca-e-nao-buscam-tratamento&id=3441

Menopausa masculina afeta mais de 5 milhões de homens

Menopausa do homem

"Meu corpo estava me dizendo que algo não estava certo. Eu estava sempre cansado, não importava o quanto eu dormisse, eu constantemente queria tirar uma soneca," conta Michael Andruzzi, um homem de 40 anos diagnosticado com hipogonadismo masculino, a tão mistificada menopausa do homem.

Especialistas do hospital onde Michael foi atendido estimam que mais de 5 milhões de homens são afetados pelo problema. No entanto, o número pode ser consideravelmente maior, já que os sintomas são frequentemente ignorados.

O dado questiona uma outra pesquisa recente, que afirma que a menopausa masculina não é mito, mas é rara.

"Esta é uma desordem altamente prevalente," disse Robert Brannigan, urologista no Northwestern Memorial Hospital, nos Estados Unidos. "Infelizmente, nós estimamos que 95 por cento dos casos não são diagnosticados e, portanto, não são tratados. Quando ignorados, os sintomas podem perturbar gravemente a qualidade de vida do homem."

Hipogonadismo masculino

Embora mais frequentemente associados com a saúde da mulher, alterações hormonais relacionadas com a idade - a conhecida menopausa - também podem ocorrer em homens.

Essa menopausa masculina também causa sintomas como fadiga, alterações de humor, diminuição do desejo sexual, perda de cabelo, falta de concentração e ganho de peso.

O hipogonadismo masculino, como é conhecida a menopausa masculina na comunidade médica, ocorre quando os testículos não produzem testosterona suficiente, o hormônio que desempenha um papel fundamental no crescimento e desenvolvimento masculino.

Quando os níveis hormonais caem, os homens podem experimentar mudanças mentais e físicas significativas.

"Nas mulheres, a ovulação chega ao fim e diminui a produção de hormônios em um período relativamente rápido de tempo, enquanto os homens experimentam mudanças hormonais mais lentamente, com os níveis de testosterona caindo cerca de um por cento ao ano a partir dos quarenta anos," explica o Dr. Brannigan.

Por volta dos setenta anos de idade, a produção de testosterona de um homem pode ser equivalente a 50% ou menos do nível verificado aos 40 anos.

Reposição hormonal

As opções de tratamento para o hipogonadismo masculino incluem a terapia de reposição hormonal, através de implantes absorvíveis, géis para aplicação tópica e injeções.

Através da reposição hormonal, os médicos podem restaurar a função sexual e a força muscular. Além disso, com o tratamento, os homens muitas vezes experimentam um aumento na energia e uma melhor sensação geral de bem-estar.

"Quando comecei o tratamento, eu me senti melhor muito rapidamente", disse o paciente do início da reportagem. "Meu nível de energia subiu novamente, eu recuperei força e senti que podia me concentrar muito mais."

"Nós estamos vendo mais homens afetados pelo hipogonadismo masculino do que víamos há dez anos," disse Brannigan. "No entanto, muitos homens continuam a sofrer em silêncio, devido à falta de conscientização em torno da doença. Como o hipogonadismo masculino pode ter um impacto significativo na qualidade da vida, é importante que os homens prestem atenção a seu corpo e discutam abertamente os sintomas com seu médico, evitando perder a oportunidade para adotar a terapia apropriada."



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 03/09/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=menopausa-masculina&id=5637

Alimentação correta e atividade física podem reduzir os sintomas da TPM

Azeite, banana e maçã têm propriedades que ajudam a aliviar aqueles sintomas chatos da TPM.

TPM, qual mulher nunca teve? “Eu sinto raiva de deus e o mundo. Não quero conversar com ninguém, não me provoca”, diz a mulher.

Segundo os médicos, os sintomas da TPM podem aparecer 15 dias antes da menstruação, mas o mais comum é uma semana antes.

A TPM tem a ver com as alterações hormonais. A produção de estrogênio diminui, levando à irritações, alterações de humor e à depressão. Nessa fase também a mulher começa a produzir progesterona, hormônio que pode provocar retenção de líquidos. Aparecem os inchaços, dores nos seios e na cabeça.

Até 80% das mulheres vão ter em algum momento, algum tipo de sintoma, mas sintomas mais graves, chegando a afetar a vida dela, o relacionamento dela na família, em torno de 10% das mulheres.

“É muito claro na literatura médica que o exercício físico ajuda demais a melhorar os sintomas de TPM, porque libera mais endorfina. A pessoa tendo atividade física regular, ela costuma ter uma tensão pré-menstrual muito mais branda, ou passa muito melhor por esse período”, explica Juraci Ghiarone, ginecologista.

Os nutricionais dizem que alguns alimentos podem aliviar esses sintomas: algumas frutas, cereais e grãos como a lentilha, a linhaça e a quinua podem ser poderosos contra a TPM. Para dar certo a dieta tem que começar pelo menos dez dias antes da menstruação.

Nesse período a nutricionista Carolina recomenda comer diariamente uma colher de sopa cheia de cereais e grãos e abusar do tofu, o queijo de soja. Alimentos que podem ajudar a diminuir a ansiedade e os sintomas da depressão.

Já o azeite é bom para combater os inchaços. O ideal é comer uma colher de sobremesa em cada refeição. O chá de cavalinha também evita a retenção de líquido. São três xícaras: de manhã, de tarde e de noite.

Duas bananas por dia podem ser um santo remédio para controlar aquela vontade de chorar sem motivo e duas maças podem tirar o desejo quase irresistível de comer doces. Mal que também atinge as mulheres com TPM. “Com certeza comendo direitinho, a gente vai ter menos mau humor e os homens vão ficar mais felizes com a gente também”, garante Carolina Ribeiro, nutricionista.



Por: Portal MS - Fonte: Jornal Hoje

Publicado em: 15/09/2010

Fonte: http://www.portalms.com.br/noticias/detalhe.asp?cod=959589826

Mudanças alimentares ajudam a combater a celulite: confira as dicas

Nutricionista Michelle Ferreira De Simone dá onze dicas para evitar a celulite
A maioria das mulheres têm, e todas odeiam. Os efeitos da celulite na pele são indesejáveis, mas poucas pessoas realmente evitam os hábitos que causam esses incômodos furinhos na pele.

Para a nutricionista Michelle Ferreira De Simone, pequenas mudanças na alimentação diária podem ajudar a diminuir as chances de aparecimento da celulite. Redução de açúcares, sal e gorduras, maior ingestão de água e alimentos ricos em fibra estão entre as orientações da especialista.

Confira as dicas:

:: Consuma alimentos isentos de açúcar refinado, ou seja, pão integral, arroz integral, batatas e frutas.

:: Devem ser consumidos alimentos fontes de proteínas magras, como clara de ovo , aves, peixes e carnes vermelhas magras.

:: A alta ingestão de água, no mínimo dois litros por dia, impede a retenção de líquidos na gordura localizada.

:: Evite alimentos ou preparações gordurosas, como feijoada, pizzas, molhos, queijos, pães, bolachas recheados, chantilly, biscoitos amanteigados, etc.

:: Evite colocar muito óleo durante a preparação dos alimentos.

:: Alimentos integrais são boas fontes de fibras e ajudam a diminuir a absorção das gorduras, além de contribuir para a regulação dos intestinos.

:: Prefira alimentos que não contêm sal como, margarina sem sal, vegetais em geral e temperos naturais. O sal ajuda a reter líquidos no seu organismo e consequentemente na gordura localizada.

:: Não adicione muito sal durante a preparação dos alimentos ou quando prontos. Uma dica é não colocar o saleiro na mesa.

:: Evite refrigerantes e bebidas alcoólicas, pois estes fornecem somente calorias e não possuem nenhum valor nutritivo. Prefira sucos naturais ou água.

:: Dê preferência aos alimentos assados, cozidos ou grelhados e evite as frituras e preparações à milanesa.

:: Faça exercício físico do tipo aeróbico para favorecer a queima de gorduras, como caminhadas, bicicleta, natação, etc.



Por: ClicRBS - Seção: Bem-estar

Publicado em: 27/09/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/bem-estar/19,0,3054279,Mudancas-alimentares-ajudam-a-combater-a-celulite-confira-as-dicas.html

Má escovação dos dentes aumenta chances de doenças cardíacas em 70%

Um sorriso bem cuidado pode ser sinônimo de coração saudável. Essa relação é pesquisada há mais de 20 anos, mas só agora foi possível medir os efeitos da escovação diária. Um estudo populacional feito na Escócia mostrou uma forte associação entre a pouca frequência da escovação e o aparecimento de doenças cardiovasculares. As pessoas que escovam os dentes menos de duas vezes por dia apresentam 70% mais chances de sofrer infarto do miocárdio, segundo pesquisadores da University College London (UCL), que analisaram o estilo de vida de mais de 11 mil pessoas — monitorando fatores como higiene, hábitos de
consumo (como tabagismo) e a prática ou não de exercícios físicos. A média de idade dos entrevistados era de 50 anos. A análise foi baseada na quantidade de visitas ao dentista, no número de escovações por dia, em detalhes sobre pressão arterial e sobre o histórico de doenças cardíacas nas famílias.

Com o cruzamento dos dados, descobriu-se que somente seis em cada 10 pessoas visitavam o dentista a cada seis meses e que apenas 71% escovavam os dentes ao menos duas vezes por dia. Em um período de oito anos, 555 participantes que mantinham piores hábitos de higiene bucal tiveram sérias doenças cardiovasculares. Desses, 170 morreram. O principal diagnóstico, em 74% dos casos, era de doença coronariana. Foi isso que fez os investigadores identificarem a associação entre a falta de escovação com os problemas cardíacos.

Um dos pesquisadores é o brasileiro César de Oliveira, que mora em Londres desde 1996. Lá, ele cursou mestrado, doutorado e pós-doutorado na University College London, onde realizou o estudo com Richard Watt e Mark Hammer. Em entrevista ao Correio, Oliveira explicou como a má escovação influencia no aparecimento de doenças do coração. “As pessoas que escovam os dentes com menos frequência apresentaram mais inflamação gengival, devido ao acúmulo de placa bacteriana, e, consequentemente, o desenvolvimento da doenca periodontal (infecção oral crônica)”, conta Oliveira.

O problema é que esse quadro inflamatório bucal crônico e prolongado muitas vezes não é tratado. Isso, então, contribui para um aumento da inflamação sistêmica e afeta a condição cardiovascular. De acordo com Oliveira, existem duas teorias sobre como uma inflamação localizada — no caso, a doença periodontal — afetaria a saude sistêmica. A primeira é “a entrada na corrente sanguínea das bactérias causadoras da doença periodontal e de seus produtos tóxicos através de áreas de ulceração do epitélio gengival”. O resultado é uma resposta do sistema imunológico que produz inflamação.

“A segunda teoria de como uma inflamação pode afetar a saúde sistêmica se trata da entrada na corrente sanguínea dos mediadores inflamatórios produzidos na bolsa periodontal (o espaço entre a gengiva e os dentes)”, afirma Oliveira.

O dentista Emílio Barbosa ressalta a importância da associação feita pelos pesquisadores. “O corpo é integrado, não dá para pensar que, se ocorrer algo na boca, isso vai ficar só lá. É necessário parar de agirmos setorialmente”, apregoa Barbosa. “A gente realmente tem que considerar a questão do fumo, do stress, da diabetes e da obesidade. Tudo está relacionado, com a saúde bucal de alguma forma.”

Para o médico cardiologista do Hospital do Coração do Brasil André Medina, porém, é importante que se leve em conta outros fatores, além da escovação dos dentes. “A gente também tem que considerar a pressão, o diabetes, o tabagismo, o nível de atividade física e o colesterol”, alerta.

Exemplo familiar
A saúde foi prioridade na criação do filho da dona de casa Mara Queiroz. “Sempre tive a preocupação com higiene e em levar uma vida saudável, fazer exercícios e comer algo mais natural”, diz. O estudante Flávio Silva, 22 anos, filho de Mara, acredita que aprendeu a levar uma vida saudável com o que via dentro de casa. “Estou acostumado a prestar atenção no cuidado com os dentes. Foi algo que meus pais passaram para mim e por isso criei a mania de escovar e de visitar o dentista regularmente”, destaca Flávio. Os cuidados redobraram quando ele descobriu a primeira e única cárie: “Foi quando comecei a faculdade e dei uma relaxada. Agora presto ainda mais atenção nisso”. Toda a família tem o costume de ir ao dentista pelo menos uma vez ao ano, além de praticar exercícios e caprichar na alimentação.

O médico André Medina avalia que ainda é cedo para confirmar o resultado da pesquisa e que mais estudos são necessários. “Apesar disso, pode-se olhar com mais carinho para essa nova descoberta e cuidar mais do paciente.”

O pesquisador brasileiro César Oliveira defende a realização de mais estudos. “A minha pesquisa foi capaz de consolidar uma associação. Ainda existe a necessidade de procedimentos como testes clínicos para se estabelecer definitivamente a causalidade: higiene oral precária/inflamação gengival e doença cardíaca. Entretanto, a associação é bastante forte e estudos anteriores confirmam os meus resultados.”

Por: Correio Braziliense - Seção: Ciência e Saúde

Publicado em: 28/09/2010

Fonte: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia182/2010/09/28/cienciaesaude,i=215147/MA+ESCOVACAO+DOS+DENTES+AUMENTA+CHANCES+DE+DOENCAS+CARDIACAS+EM+70.shtml

Alimentação no trabalho deve acompanhar atitudes saudáveis

Hábitos alimentares geralmente se perdem durante a correria do dia a dia

Atualmente, a correria e o estresse da vida atribulada que muitos trabalhadores levam fazem com que seja cada vez mais difícil adotar e manter hábitos alimentares saudáveis. Logo, é comum encontrar pessoas que não têm horários fixos para se alimentar e acabam por substituir as principais refeições por lanches rápidos do tipo fast food, ricos em calorias e gorduras, ou pelo consumo de guloseimas, refrigerantes e petiscos, durante todo o dia.

A glicose, que é formada a partir da digestão dos carboidratos, é utilizada como "alimento" para o cérebro. Quando os trabalhadores permanecem várias horas sem comer ocorre uma redução da taxa de glicose sanguínea (hipoglicemia), que pode causar perda ou diminuição da concentração e da atenção. Além disso, pode ocasionar irritabilidade, sonolência, sensação de fraqueza e tonturas.

É importante ainda ter cuidado com o consumo de café, pois em grande quantidade a cafeína pode tornar-se prejudicial e o açúcar que é adicionado aumenta bastante as calorias ingeridas.

O rendimento profissional está diretamente relacionado com a qualidade de vida. Uma alimentação equilibrada e uma boa noite de sono, associados à prática de exercícios físicos podem ajudar a melhorar a performance no trabalho. Os hábitos alimentares são de extrema importância, já que se a saúde não está bem, o desempenho no trabalho pode ser prejudicado.

Algumas orientações que podem auxiliar na busca por uma alimentação equilibrada na rotina de trabalho:

Fique atento já no café da manhã: Procure incluir alimentos como: pão integral, granola e mel que fornecem energia ao organismo e aumentam a disposição para realizar as atividades diárias. Inclua também frutas, pois são importantes fontes de fibras, vitaminas e minerais.

Leve pequenos lanches saudáveis para seu trabalho: Boas opções são: barras de cereais de sabores variados, biscoitos integrais doces ou salgados, sementes oleaginosas (nozes, castanha de cajú, castanha do Brasil, amêndoas, avelãs, amendoim e pistache) e frutas secas. Se tiver geladeira no seu local de trabalho, outras opções são: iogurtes de soja ou desnatados, frutas in natura, sucos, chás e sanduíches naturais.

Na hora do almoço: Procure evitar as frituras e alimentos gordurosos, prefira as preparações cozidas, assadas, grelhadas ou refogadas. Inicie as suas refeições por uma salada crua, temperada com azeite de oliva extra virgem, limão e uma erva de sua preferência, evitando os molhos à base de maionese que são mais calóricos.

Cuidado com a gordura: Comer grande quantidade de alimentos gordurosos torna o processo digestivo mais lento e pode prejudicar o desempenho no trabalho, especialmente se ficar muitas horas sentado em frente ao computador. Por isso, procure realizar refeições em pequenos volumes a cada três horas.

Pegue leve: Caso deseje perder peso, opte pela versão light dos alimentos, pois são reduzidos em calorias.

Coma com calma: Procure ter tempo para saborear a comida e mastigar bem os alimentos. Comer em frente ao computador enquanto trabalha, dificulta o estímulo à saciedade e faz com que você coma mais sem perceber.

Beba bastante líquido: Seja na forma de água, sucos e chás naturais para manter-se sempre hidratado. Busque uma melhor qualidade de vida, assim trabalhará com mais saúde e energia!


Por: Thais Souza - Nutricionista da Rede Mundo Verde

Publicado em: 05/10/2010

Fonte: http://www.zwelangola.com/ler.php?id=3414

Óleo de alho protege diabéticos contra doenças do coração

O alho tem um potencial "significativo" para a prevenção da cardiomiopatia, uma forma de doença cardíaca que é a principal causa de morte em pessoas com diabetes.

O estudo, publicado no Journal of Agricultural and Food Chemistry, também explica por que as pessoas com diabetes têm um risco mais elevado para a cardiomiopatia.

Wei-Wen Kuo e seus colegas afirmam que as pessoas com diabetes têm pelo menos duas vezes o risco de morrer por doenças do coração do que a população em geral, com as doenças cardíacas respondendo por 80 por cento de todas as mortes relacionadas ao diabetes.

Cardiomiopatia diabética

Os diabéticos são especialmente vulneráveis a uma forma de doença cardíaca chamada cardiomiopatia diabética, que inflama e enfraquece os tecidos do músculo do coração.

O grupo de Kuo usou resultados de estudos anteriores que mostraram que o alho pode proteger contra doenças cardíacas em geral e também ajuda a controlar os níveis anormalmente elevados de açúcar no sangue, que ocorrem no diabetes.

Mas os cientistas perceberam que poucos estudos analisaram especificamente os efeitos do alho na cardiomiopatia diabética.

Benefícios do óleo de alho

Para o estudo, animais de laboratório foram alimentados com óleo de alho ou com óleo de milho.

Os animais que receberam óleo de alho apresentaram mudanças fisiológicas benéficas associadas à proteção contra os danos cardíacos.

Segundo os cientistas, as alterações parecem estar associadas com as propriedades antioxidantes do óleo de alho, afirma os cientistas.

O grupo identificou mais de 20 substâncias presentes no óleo de alho que podem contribuir para o efeito.

"Em conclusão, o óleo de alho possui um potencial significativo para proteger o coração da cardiomiopatia induzida pela diabetes", conclui o artigo científico.



Por: Redação Diário da Saúde

Publicado em: 06/10/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=oleo-de-alho-protege-diabeticos-doencas-coracao&id=5803

Descobertas novas evidências dos efeitos da Homeopatia

Prática científica contestável

Dois novos estudos concluíram que existem falhas sérias em uma revisão das pesquisas anteriores publicada recentemente no jornal científico The Lancet, e que concluía que a homeopatia teria o mesmo efeito que o placebo.

George Lewith, da Universidade de Southampton, na Inglaterra, comenta: "A revisão não dá indicações de quais testes foram analisados e nem das várias suposições vitais feitas sobre os dados. Esta não é uma prática científica normal. Se nós presumimos que a homeopatia funciona para alguns casos, mas não para outros, ou mudamos a definição do que seja um 'teste em larga escala', então as conclusões mudam. Isto indica uma fraqueza fundamental nas conclusões: elas não são confiáveis."

Homeopatia versus placebo

Para entender o debate, é necessário conhecer um pouco do seu histórico.

Em Agosto de 2005, o jornal The Lancet publicou um editorial intitulado O Fim da Homeopatia, estimulado por um estudo de revisão de pesquisas anteriores que comparou testes clínicos de homeopatia com testes clínicos de medicamentos convencionais.

A afirmação de que os medicamentos homeopáticos são exatamente iguais ao placebo foi baseada nos testes clínicos de medicamentos alopáticos e 8 estudos de homeopatia - mas o estudo não revelava quais foram esses estudos. A revisão foi criticada por sua falta de transparência na medida que ela não dava indicações de quais testes foram analisados e nem das várias pressuposições feitas sobre os dados.

Detalhes suficientes para permitir a reconstrução da pesquisa foram eventualmente publicados.

Revisão da revisão

Agora, dois artigos científicos que acabam de ser publicados, aceitaram o desafio de reconstruir aquele estudo e chegaram a conclusões que contestam seus resultados, demonstrando que:

a análise de todos os testes de alta qualidade da homeopatia sustentam conclusões positivas;
os 8 grandes testes de alta qualidade da homeopatia foram todos para diferentes condições; se a homeopatia funciona para alguma dessas condições, mas não para outras, os resultados mudam, demonstrando que ela não é como o placebo;
a comparação com os medicamentos convencionais foi insignificante e sem sentido;
ainda restam dúvidas sobre os critérios não-transparentes e não publicados, utilizados na revisão, incluindo a definição de 'alta qualidade'.
Medicamentos homeopáticos versus convencionais

A revisão publicada no The Lancet, coordenada pelo professor Matthias Egger, da Universidade de Berna, na Suíça, começou com 110 testes clínicos equivalentes de medicamentos homeopáticos e convencionais, reduzidos estes a 'testes de alta qualidade' e então, para 8 e 6, respectivamente, 'testes de muito alta qualidade.'

Baseando-se nesses 14 estudos, a revisão concluiu que há "uma fraca evidência para um efeito específico dos medicamentos homeopáticos, mas fortes evidências para efeitos específicos das intervenções convencionais."

Manipulação dos dados

Há um número muito limitado de estudos homeopáticos, de forma que é perfeitamente possível interpretar esses dados seletivamente e de forma desfavorável, o que parece ter sido feito na pesquisa do The Lancet.

Se nós assumimos que a homeopatia não funciona para apenas uma condição (Arnica para rigidez muscular pós-exercício), ou alteramos a definição de 'grandes testes,' os resultados são positivos.

Julgamentos ocultos

A comparação com medicamentos convencionais foi sem sentido: os 110 testes originais foram compatibilizados, mas a compatibilidade foi perdida depois que eles foram reduzidos para 8 e 6. Mas a qualidade dos testes homeopáticos foi melhor do que os testes com medicamentos convencionais.

Esta reconstrução lança sérias dúvidas sobre a revisão, mostrando que ela foi baseada em uma série de julgamentos ocultos, desfavoráveis à homeopatia. Uma avaliação aberta das atuais evidências sugere que a homeopatia é provavelmente efetiva para um determinado número de condições, como alergias, infecções do trato respiratório superior e gripes, mas mais pesquisas são urgentemente necessárias.

O professor Egger não quis comentar as descobertas dos dois novos estudos.



Por: Peter W. Gold - Diário da Saúde

Publicado em: 24/11/2008

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=descobertas-novas-evidencias-dos-efeitos-da-homeopatia&id=3578

Medicamentos homeopáticos aliviam efeitos colaterais das terapias contra o câncer

Terapias complementares

Os medicamentos e as sessões de radioterapia usados no tratamento do câncer têm efeitos colaterais desagradáveis, incluindo náuseas, vômitos, aftas, dermatites, sintomas da menopausa, quedas de cabelos e uma série de outros.

Cerca de um terço dos pacientes de câncer usa terapias complementares, incluindo medicamentos homeopáticos, para tentar reduzir esses efeitos colaterais.

Para tentar descobrir os reais efeitos desses tratamentos homeopáticos, um grupo de pesquisadores vasculhou a biblioteca médica Cochrane para fazer uma revisão sistemática das pesquisas científicas que estudam diretamente as evidências sobre a segurança e a eficácia dos medicamentos homeopáticos utilizados com o fim específico de minimizar os efeitos colaterais dos tratamentos contra o câncer.

Calêndula e traumeel S

A revisão incluiu 8 estudos envolvendo um total de 664 participantes. Um estudo com 256 participantes descobriu que as irritações de pele causadas pela radioterapia foram menores em pacientes utilizando pomada de calêndula, quando comparados com um grupo que usou o medicamento alopático trolamina.

Em outro estudo que incluiu 32 participantes, aqueles que tomaram Traumeel S, uma combinação de 14 medicamentos homeopáticos, tiveram menos aftas causadas pela quimioterapia do que aqueles que tomaram placebo.

Dois pequenos estudos sobre os efeitos adversos da radioterapia foram positivos mas tinham problemas de metodologia, e dois pequenos estudos sobre os efeitos adversos da quimioterapia não mostraram quaisquer efeitos positivos.

Benefícios da homeopatia

"Nós encontramos dados preliminares que sugerem que há benefícios associados com dois medicamentos homeopáticos em circunstâncias específicas, embora esses resultados precisem ser replicados em estudos posteriores," diz a Dra. Sosie Kassab, coordenadora do estudo.

"Os efeitos da calêndula também podem depender da formulação, já que ela pode ser preparada utilizando-se uma grande variedade de técnicas," diz a médica.

Dois outros estudos testaram medicamentos homeopáticos para alívio de sintomas da menopausa causados por terapias para combate ao câncer de mama. Entretanto, os pesquisadores não encontraram evidências nesses estudos de qualquer benefício em relação ao uso do placebo.

Alternativa sem efeitos colaterais

Nenhum dos medicamentos homeopáticos estudados apresentou efeitos colaterais ou interações com os tratamentos convencionais.

"Até o momento, não há evidências convincentes para apoiar o uso de medicamentos homeopáticos para outros efeitos adversos dos tratamentos do câncer," diz Kassab. "Mas se fez muito pouca pesquisa [nessa área] e é necessário pesquisar mais."



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 29/04/2009

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=medicamentos-homeopaticos-aliviam-efeitos-colaterais-terapias-cancer&id=4051

Homeopatia deve permanecer independente da medicina tradicional

Homeopatia e medicina tradicional

A homeopatia corre o risco de ser incorporada pela medicina tradicional, alertou uma historiadora da ciência, que apresentou suas preocupações em uma palestra durante a reunião anual da Sociedade Britânica para a História da Ciência, no último fim de semana.

Isso não significaria apenas que os heróis da homeopatia se tornariam meras notas de rodapé na história, mas isto também poderia limitar o potencial da homeopatia para contribuir para o tratamento dos problemas médicos mais importantes da atualidade.

Heróis da homeopatia

Lyn Brierley-Jones, da Universidade de Durham, na Inglaterra, e especialista em história da Medicina, alerta para o quase esquecimento dos grandes responsáveis pela criação da homeopatia, incluindo o médico alemão Samuel Hahnemann, que fundou esse novo campo de pesquisas, e o prático inglês James Compton Burnett, que desenvolveu uma cura para a tuberculose em 1880.

Como resultado da contribuição desses personagens, a homeopatia se tornou proeminente, particularmente nos Estados Unidos. Lá, por volta do final do século 19, os homeopatas tinham suas próprias escolas de medicina, sociedades, revistas científicas, bibliotecas, hospitais e farmácias, publicando regularmente estatísticas demonstrando a superioridade das suas práticas sobre a medicina tradicional.

Incorporação da homeopatia pela medicina tradicional

Ironicamente, entretanto, a tradução das principais ideias homeopáticas para a literatura da medicina tradicional teve o efeito de minar a profissão, afirma Brierley-Jones. "No final dos anos 1920, a homeopatia entrou em declínio, um estado da qual só recentemente ela começou a se recuperar."

Segundo a pesquisadora, há benefícios significativos na manutenção da homeopatia como um campo de pesquisas separado da medicina tradicional.

"Ela tem o potencial para criar novos medicamentos e para resolver muitos problemas contemporâneos na medicina, como a individualização dos medicamentos, a redução dos seus efeitos colaterais e o tratamento de doenças crônicas. Qualquer futura integração da homeopatia com a medicina tradicional deve ser feita cuidadosamente para garantir a sobrevivência da homeopatia," conclui a pesquisadora.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 08/07/2009

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=homeopatia-deve-permanecer-independente-medicina-tradicional&id=4285

Composto homeopático previne e combate a dengue

Homeopatia contra a dengue

Um composto homeopático com princípios ativos que combatem febre, dores no corpo, mal-estar e inflamação pode ajudar evitar a dengue e a curar os sintomas da doença provocada pelo Aedes aegypti.

Segundo a farmacêutica homeopata Danyelle Perez, o composto não tem contra-indicação e "o tratamento preventivo deve ser feito durante todo o período de chuvas, quando o risco de epidemia é maior".

A fórmula do composto foi desenvolvida pela médica homeopata Ana Teresa Doria Dreux, do Rio de Janeiro, que divulgou-a na internet no ano passado por causa do surto de dengue na capital carioca.

Remédio manipulado

De acordo com Danyelle Perez, que atua em uma farmácia de manipulação em Brasília, o medicamento não garante que a pessoa nunca irá ter dengue, pois "há casos que, mesmo quando a pessoa utiliza a medicação, a doença é contraída, mas com sintomas mais leves".

A dosagem e a freqüência da medicação devem ser definidas por um médico de acordo com o estágio da doença. O tempo de recuperação também varia de acordo com o avanço do problema e o organismo do paciente.

Fortalecimento do sistema imunológico

O remédio pode ser adquirido em qualquer farmácia que trabalha com homeopatia. Cada embalagem do medicamento, que pode ser produzido na forma líquida, de cápsulas, ou de tabletes, custa em torno de R$ 14,00 e é suficiente, em média, para um mês de uso, no caso de prevenção, e para dez dias, para quem já está com a doença e precisa utilizar uma dosagem maior do composto.

O efeito preventivo e de tratamento se dá porque a substância fortalece o sistema imunológico. Como toda homeopatia, o medicamento é elaborado a partir de recursos naturais e "trata a doença pela lei dos semelhantes, estimulando o organismo a reagir contra a enfermidade", explica a farmacêutica.

Ela adverte, no entanto, que o remédio não é válido para a dengue hemorrágica, que exige internação e tratamento específico.



Por: Redação do Diário da Saúde, com informações da Agência Brasil

Publicado em: 26/11/2008

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=composto-homeopatico-previne-e-combate-a-dengue&id=3590

Gotas homeopáticas

Tratamento de toxoplasmose Médicos garantem que dois pacientes tiveram melhora com uso da homeopatia.

O tratamento homeopático tem se mostrado uma esperança para pacientes que buscam a solução ou o alívio a diversos problemas de saúde. Dois portadores de toxoplasmose, acompanhados por médicos oftalmologistas, apresentaram recuperação da visão, um dos órgãos mais afetados pela doença, depois do uso constante de homeopatia por dois anos.

A melhora foi apontada nos resultados do acompanhamento e dos exames feitos pelos oftalmologistas Amélia Gusikuda Murayama e Antonio Carlos Salgado e pelos homeopatas Carlos Eduardo Malagutti, Maurício Freire e Walter Osvaldo Salgado, que integram o Centro de Estudos Avançados em Homeopatia (Cesaho), em Piracicaba. Por questões médicas, os pacientes não podem ser identificados.

O primeiro caso, uma mulher de 31 anos, moradora em São Paulo, procurou tratamento homeopático para a ansiedade e teve resultado em outras áreas. Passou a enxergar com menos dificuldade, usando os dois olhos, após dois anos de uso desse tipo de medicamento. "Na primeira consulta, ela reclamava de baixa visão no olho esquerdo desde os sete anos de idade, devido à toxoplasmose ocular. Também tinha problemas de estrabismo, depressão, epilepsia, hipertensão arterial. Dois anos depois, além de melhorar a ansiedade, ela também recuperou a visão parcial do olho esquerdo, se livrou de problemas ginecológicos, a pressão arterial estabilizou e não teve mais crises convulsivas", comemora o diretor do Cesaho, Antonio de Oliveira Lobão.

O segundo paciente, de 20 anos, morador em Limeira (SP), estava perdendo totalmente a visão devido à toxoplasmose. Após dois anos de tratamento, o jovem apresentou, segundo os médicos, uma melhora de 80% da visão. "Fui promovido de cargo, vou tirar carta de motorista, minha autoestima está bem melhor", relatou o rapaz.

SINTOMAS. A toxoplasmose é uma doença causada de diversas formas em pessoas por animais, como pelo consumo de carne e derivados de animais que estejam contaminados ou pelo protozoário coccídio intracelular, próprio dos gatos.

Geralmente assintomática, nos quadros agudos pode apresentar febre, linfocitose e dores musculares que persistem durante dias a semanas, de acordo com Lobão. Nas grávidas, ocorre transmissão transplacentária, o feto apresentará lesão cerebral, deformidades físicas e convulsões.

Tratamento preventivo e curativo

Segundo Lobão, a homeopatia trata a pessoa como um todo, pois defende que o adoecimento e o surgimento de sintomas fisiológicos ocorrem por desequilíbrios emocionais. "O tratamento homeopático é como uma vacina preventiva e curativa. O medicamento é único, feito individualmente e estimula seu organismo a combater a doença."

Embora tenham apresentado melhora, o tratamento homeopático dos dois pacientes de toxoplasmose continua mantido. "A homeopatia não tem efeitos colaterais e complementa os tratamentos convencionais, que devem ser sempre acompanhados pelos especialistas em cada área", falou o diretor do Cesaho.

Lobão afirma que a finalidade de divulgar o tratamento é apresentar uma alternativa às pessoas que possuem deficiência visual causada pela toxoplasmose.

Outra finalidade importante é despertar o interesse de estudiosos para o tema, fornecendo subsídios para o desenvolvimento de pesquisas na área.

Lobão é médico veterinário, atua com homeopatia em animais e afirma que o Cesaho é um centro integrado, que conta com três equipes de especialistas nas áreas médica, veterinária e a agronômica.


Por: Daniele Ricci - Gazeta de Piracicaba

Publicado em: 26/09/2010

Fonte: http://www.gazetadepiracicaba.com.br/conteudo/mostra_noticia.asp?noticia=1708182&area=26050&authent=EF22702FE425139E63473BF75452A9

Dor de cabeça pode revelar doença grave na articulação da face

O problema é decorre do estresse e atinge mais as mulheres.

Sabe aquela dor de cabeça e no pescoço insistente? Ela pode ser sintoma de um problema sério que acomete a articulação temporomandibular (ATM) - região da mandíbula e crânio. Conhecida como Disfunção Temporomandibular (DTM), a patologia decorre, muitas vezes, do alto nível de estresse e de hábitos como bruxismo e má-postura.

"A pessoa sofre com dores de cabeça, pescoço, musculares, zumbidos no ouvido, limitação na abertura da boca, desgaste dos dentes e dificuldades na mastigação", explica o coordenador da Residência em Odontologia na área de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial do Hospital Meridional, Carlos Alberto Timóteo.

Segundo ele, o problema pode ser diagnosticado por meio de uma boa coleta de informação, exame físico-clínico e com auxílio de diagnóstico de imagem como radiografia ou ressonância magnética.

O tratamento vai desde uma simples orientação ao paciente, passando pela intervenção terapêutica medicamentosa, acupuntura, hipnose e, em casos mais graves, cirurgia para reconstrução total da articulação.

Entre as novidades para realização da cirurgia da articulação temporomandibular (ATM), o Hospital Meridional disponibiliza equipamento de última geração, como o vídeo-artroscópio específico. O equipamento permite visualização da articulação temporomandibular e auxilia tanto o diagnóstico quanto em intervenções.

Por: Redação Multimídia ES Hoje

Publicado em: 05/10/2010

Fonte: http://www.eshoje.com.br/portal/leitura-noticia,inoticia,6373,dor+de+cabeca+pode+revelar+doenca+grave+na+articulacao+da+face.aspx

Fruta do lobo pode ajudar a controlar a diabete

Nutróloga destaca as propriedades recém descobertas da fruta
Popularmente conhecida como fruta do lobo, a lobeira apresenta diversos benefícios à saúde. Encontrada no cerrado brasileiro, seu arbusto pode chegar a até 5 metros de copa e sua fruta aromática, muito apreciada pelo lobo guará. Segundo a nutróloga Sylvana Braga, a fruta possui propriedades calmantes, diuréticas e atiespasmódicas, auxiliando nas cólicas abdominais, renais e na excitação nervosa.

— Seu principal uso medicinal é no tratamento da diabetes. O polvilho extraído dos frutos verdes auxilia na regeneração das células beta do pâncreas, isto é, nas células responsáveis pela produção de insulina — explica.

Segundo uma pesquisa realizada pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ), a fruta demonstrou sua eficácia na regeneração pancreática de camundongos diabéticos. Constatou-se um aumento significativo das células beta do pâncreas do animal.

— Além disso, ela pode ser útil na redução de triglicérides, colesterol, no excesso de peso e no controle da pressão arterial — ressalta a nutróloga.

A especialista explica que, associada a uma dieta alimentar saudável, a fruta ajuda a reduzir os níveis de glicose.

Por: ClicRBS - Seção: Bem estar - Notícias

Publicado em: 04/10/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/bem-estar/19,0,3063061,Fruta-do-lobo-pode-ajudar-a-controlar-a-diabete.html

Nutrição & Saúde - Benefícios do Alecrim

O uso de plantas aromáticas é tão antigo quanto à história da humanidade, sendo empregadas na medicina, na cosmética e em cerimônias religiosas. Os relatos mais antigos encontram-se no sânscrito dos Ayurvedas (há mais de 2.000 a.C.), onde há descrições de técnicas rudimentares que os hindus utilizavam para a obtenção de produtos destilados, provavelmente alcoóis aromáticos de diferentes espécies de capins e mirra.

O alecrim (Rosmarinus officinalis L.) é um arbusto comum da região do Mediterrâneo que, devido ao seu aroma característico foi designado pelos romanos como "rosmarinus", que em latim significa orvalho do mar. Como toda erva aromática, o alecrim chegou no Brasil na época da colonização e recebeu diversos nomes populares como: rosmarinho, rosmaninho, alecrim comum, alecrim de cheiro, alecrim de jardim e alecrim de horta.

Apesar de seu aspecto rudimentar o seu cultivo requer muito cuidado. Ele prefere solos pedregosos e sol pleno. A sua colheita é uma arte, deve ser iniciada antes ou no início do estágio de floração intensa, no período da manhã, com tempo encoberto, a partir do segundo ou terceiro ano de vida da planta. Recomenda-se fazer a colheita antes do ápice solar, preferencialmente entre 6 e 10 horas da manhã.

Todos esses cuidados são fundamentais para preservar a qualidade do alecrim e principalmente de seus compostos bioativos como o ácido rosmarínico, ácido caféico, limoneno, pineno e a cânfora.

As folhas secas ou frescas do alecrim são utilizadas para a preparação de chás (infusos) e tinturas (extratos alcoólicos). As partes floridas são empregadas na produção de óleo essencial.

O uso popular do alecrim para o tratamento de diversas doenças despertou o interesse da comunidade científica para o estudo das substâncias bioativas.

De acordo com inúmeros estudos, o alecrim é um excelente fitoterápico, sendo indicado para controle da tosse e da gripe, combate das crises de asma e alivio de dores causadas por contusões. Esse arbusto também equilibra a pressão arterial, pode auxiliar no tratamento de dores reumáticas e gota, além de ser diurético e acelerar a digestão, ainda facilita a menstruação, combate a icterícia e tem ação sedativa.

Segundo a medicina popular do nordeste o consumo de doses de 5 a 10 ml, duas vezes ao dia, da tintura de alecrim misturada com água e açúcar em partes iguais é benéfico à saúde devido a sua ação carminativa. Para o tratamento via oral de hemorróidas inflamadas, o consumo das mesmas doses indicadas acima, por dez dias é eficaz. A tintura diluída em água (proporção de um para um) serve para bochechos contra o mau hálito, aftas, estomatites e gengivites.

Externamente, emprega-se a tintura ou óleo essencial de alecrim diluído em álcool a 70% na forma de compressas ou fricções no tratamento de entorses e contusões. Compressas frias com algumas gotas de óleo essencial também são empregadas para o alívio de enxaquecas na forma de compressas sob a testa. Por ter propriedades cicatrizantes, antimicrobianas e estimulantes, o óleo essencial do alecrim é incorporado na formulação de cremes e loções para o tratamento do couro cabeludo. A tintura do alecrim também é utilizada para a produção de loções que combatem a alopécia. Para sarna, usa-se uma infusão bem forte e aplica-se na pele. Como cicatrizante de feridas e tumores: usam-se folhas secas reduzidas a pó ou suco.

AROMATERAPIA. Na aromaterapia o alecrim é utilizado para estimular a memória. A pesquisa de Angioni e colaboradores (2004) comprovaram que o óleo essencial de alecrim aumenta o desempenho cognitivo de indivíduos. O estudo concluiu que o impacto olfatório causado pelo óleo essencial de alecrim realça significativamente a qualidade da memória. De acordo com alguns especialistas ramos de alecrim devem ser dependurados em oficinas e áreas onde crianças fazem tarefas escolares para aumentar o desempenho.

Segundo algumas pesquisas a inalação com óleo essencial de alecrim é indicada para o combate da depressão e a ansiedade por ter ação relaxante.

A pesquisa de Zeng e colaboradores (2001) demonstraram que o carnosol, rosmanol e epirorosmanol presentes no alecrim inibem a oxidação dos lipídeos da membrana celular e do LDL. Esses resultados indicam que o consumo dessa planta pode contribuir para a prevenção de doenças cardiovasculares.

O óleo essencial de alecrim também tem uma ação antiviral potente. Segundo estudos o óleo essencial de alecrim pode contribuir para o controle do vírus do herpes simples que é responsável por uma grande variedade de doenças que pode levar a morte.

O alecrim também pode ser consumido de várias formas não somente como infusões ou óleos. Segue abaixo algumas dicas para incluí-lo diariamente em sua alimentação.

O alecrim fresco, misturado às massas caseiras de pão, dá um gosto saboroso e exótico à massa, além de deixar o pão digestivo e energético. Ele também pode ser adicionado às manteigas e patês.

Você também pode fazer em casa uma conserva de alecrim para saladas: Em vidro esterilizado, coloque um galho de alecrim fresco, manjericão, alguns grãos de coentro e um grão de pimenta da Jamaica. Coloque ¼ de vinagre de maçã, água filtrada e sal. Deixe macerar durante 8 dias. A conserva deve ser usada como tempero junto com azeite.

O vinho de alecrim também é uma opção simples: coloque alguns galhinhos de alecrim fresco em um bom vinho tinto e deixe macerar durante 21 dias bem fechado com parafina na rolha. Guarde em lugar escuro, de preferência deitado. Quando passar esse tempo, coe e acrescente mel puro à gosto.Tome antes do jantar. É usado para a digestão, memória e tônico geral.

Apesar dos diversos benefícios do alecrim, seu consumo não deve ser exagerado, pois o uso excessivo pode causar gastroenterites e nefrites. O consumo de alecrim não é indicado para gestantes e indivíduos que apresentam quadro de eplepsia.

Drª Jocelem Salgado é profª. Titular de Nutrição - LAN/ESALQ/USP; autora dos livros: ‘Faça do Alimento o seu Medicamento’; ‘Pharmacia de Alimentos’; ‘Alimentos Inteligentes’ e ‘Guia dos Funcionais’.


Por: Jocelem Mastrodi Salgado - Gazeta de Piracicaba - On Line

Publicado em: 10/10/2010

Fonte: http://www.gazetadepiracicaba.com.br/conteudo/mostra_noticia.asp?noticia=1710469&area=26050&authent=041052B8CE9EA3755165ACDDEFE242

Medicina chinesa e reiki na cura da depressão

O Dia Europeu da Depressão foi assinalado no início do mês de Outubro. São várias as abordagens de uma doença que, segundo vários estudos, afecta cada vez mais pessoas.

Denis Alves é técnico de medicina chinesa e especializado em tratamentos de "distúrbios do foro psicológico". No seu trabalho com medicina chinesa encontra "seis em cada dez pacientes" em estados depressivos.

O terapeuta dá a conhecer os resultados obtidos da "combinação da medicina chinesa e reiki no tratamento da depressão sem ser necessário recorrer à medicação".

"Neste tratamento da depressão, que combina a medicina chinesa e o reiki, é apenas necessária uma sessão por semana", revela. Na primeira sessão o paciente "passa por um diagnóstico feito à luz da medicina chinesa e recebe tratamento de acupunctura, reiki e auriculoterapia".

Segundo o especialista "o nome dessa sessão terapêutica é Satori, termo do budismo japonês para iluminação". Uma sessão que engloba a medicina chinesa (acupunctura) e a medicina japonesa (reiki).

"O maior benefício obtido por associar o reiki à medicina chinesa é conseguir actuar com sucesso sobre o plano espiritual que está profundamente abalado, principalmente nos casos em que existe desejo de suicídio", explica Denis Alves referindo que "é um sinal de que a parte espiritual foi atingida e só com a acupunctura e auriculoterapia não se conseguem resultados".

"Genericamente, a depressão é causada pelo desequilíbrio de certas hormonas e neurotransmissores tais como a serotonina, a noradrenalina e a dopamina. A acupunctura estimula a produção de endorfinas, que são neurotransmissores responsáveis pela melhoria da memória e do humor, aumentam a resistência do organismo, aumentam a disposição física e mental e melhoram o sistema imunitário", indica o terapeuta.

"Através da acupunctura e da aurículoterapia, e sem recorrer a medicamentos, é possível recuperar a força de vontade, eliminar o medo, recuperar a energia, tratar a insónia, eliminar o pensamento negativo e a irritabilidade", frisa.

"Os pacientes melhoram sessão a sessão e a partir da primeira sentem melhorias significativas", refere. O objectivo é fazer com que se sintam, dia após dia, "mais tranquilos e comecem a encarar a vida a partir de um ponto de vista mais positivo. Passam a gostar mais de si próprios e recuperam a auto-estima".



Por: Susana Ribeiro - Jornal de Notícias - Portugal

Publicado em: 17/10/2010

Fonte: http://jn.sapo.pt/VivaMais/Interior.aspx?content_id=1687726

Meditação melhora o raciocínio em apenas quatro dias

Trocando o cafezinho pela meditação

Ao longo do dia, a maioria das pessoas toma um cafezinho, um chimarrão, ou alguma outra bebida que ajuda a "acordar" e fazer o cérebro funcionar melhor.

Mas uma nova pesquisa, publicada na revista científica Consciousness and Cognition, sugere que uma pequena pausa para meditação pode fazer o mesmo efeito, deixando-nos mais "cognitivamente afiados" sem colocar o estômago em risco.

Meditar sem virar monge

Embora várias pesquisas anteriores, utilizando neuroimagens cerebrais, tenham demonstrado que as técnicas de meditação podem promover mudanças significativas nas áreas do cérebro associadas com a concentração, é comum assumir que a meditação exige um treinamento contínuo e uma dedicação intensiva para alcançar esses efeitos.

Isso faz a maioria das pessoas desistirem antes de começar. Apesar de todos quererem aumentar suas capacidades cognitivas, acredita-se que a meditação exige uma disciplina monástica ou o tempo e o dinheiro que a maioria das pessoas não dispõe.

Surpreendentemente, todos os benefícios da meditação poderão ser alcançados sem essa trabalheira toda.

Mudando a mente pela meditação

Estudando uma técnica de meditação conhecida como meditação da mente alerta, os cientistas descobriram que os participantes no treinamento de meditação apresentaram uma melhoria significativa nas suas habilidades cognitivas críticas depois de apenas 4 dias de treinamento, em sessões diárias de 20 minutos.

Embora isso soe quase como um anúncio de algum produto "milagroso" para perder peso, a pesquisa realizada na Escola de Medicina da Universidade Wake Forest, nos Estados Unidos, sugere que a mente pode ser treinada no aspecto cognitivo de forma mais fácil do que a maioria das pessoas assume.

"Nos resultados dos testes comportamentais, nós estamos verificando algo que é comparável aos resultados que foram documentados depois de treinamentos muito mais longos," disse Fadel Zeidan, coordenador da pesquisa.

"Falando sinceramente, as melhorias profundas que nós verificamos depois de apenas 4 dias de treinamento de meditação são realmente surpreendentes," disse Zeidan. "Isso parece mostrar que a mente é, na verdade, muito fácil de mudar e facilmente influenciável, especialmente pela meditação."



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 20/05/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=meditacao-melhora-raciocinio&id=5220

Conselhos úteis para reduzir o Colesterol

A presença do colesterol no organismo humano é extremamente benéfica, mas apenas nas quantidades certas. Embora seja altamente recomendado possuir níveis de colesterol moderados, há uma condição fundamental: o controlo daquele tem de ser efectuado com rigor, pois caso contrário, ao invés de uma situação aconselhável passa a existir um cenário negro a evitar por todos os meios. O resultado da falta de cuidado com os níveis de colesterol é um dos factores que mais “ajuda” à obstrução das veias sanguíneas, cuja derradeira consequência é o temido e fatal Acidente Vascular Cerebral (AVC), a principal causa de morte em Portugal. De resto, o indicador de vítimas mortais provocadas por AVC revela algo “verdadeiramente assustador”, classifica a Ordem dos Médicos, segundo a qual morrem, em território luso, duas pessoas por hora. Se estes dados foram suficientes para alarmá-lo quanto aos efeitos nefastos do colesterol elevado, ficam agora algumas dicas que ajudam a prevenir esse cenário e manter o seu corpo saudável. Leia os próximos conselhos atentamente e fixe-os com o rigor que estes exigem, pois somente dessa forma poderá garantir estar cá para contar a história da sua vida aos seus entes queridos. 1. Coma peixe e carnes brancas em maiores quantidades do que a carne de suíno. Estas últimas, também denominadas de “carnes vermelhas” , são substancialmente mais prejudiciais para o organismo quando ingeridas regularmente, o que não acontece, por exemplo, com a carne de aves, bastante mais nutritiva e menos rica em gordura; 2. Prefira o assado ou cozido ao frito e fique a ganhar muito com essa troca. Ao serem confeccionados os alimentos daquela última forma, a concentração de gorduras saturadas será maior e aumentará (ainda) mais devido aos condimentos que se adicionam para cozinhar. Por isso, reduza ao mínimo o consumo de produtos fritos e diga não ao colesterol! 3. Limite a utilização de óleo na comida e sempre que for possível eliminá-lo por completo, faça-o, porque isso é uma mais-valia em prol da sua saúde. Se a receita que deseja cozinhar sugere óleo em abundância, não caia nesse erro e corrija-o, colocando apenas o necessário para lhe dar o gosto, mas sem abusar. Não comprometerá assim o sabor, ao mesmo tempo que assegura um prato bom e “limpo” para o organismo; 4. Evite os molhos e cremes, substituindo-os por opções bem mais saudáveis como os compostos de tomate, cebola, alho, aipo, soja e até mesmo iogurte, preferencialmente magro, nunca os rotulados de (falsos) light. Verá que a comida se torna bastante mais leve e mantém um sabor único, sem que tenha de lhe adicionar produtos altamente calóricos, e por isso, nocivos para o combate ao mau colesterol; 5. Beba leite e coma os seus derivados com contenção, uma vez que alimentos como o queijo ou a manteiga podem tornar-se em verdadeiras bombas-relógio para o descontrolo dos níveis de colesterol. Quem gosta destes produtos deve consumi-los regradamente e dar predilecção ao queijo fresco e alimentos menos ricos em gordura, tais como os criados a partir do leite de cabra. As cinco dicas enumeradas são apenas uma pequena parte das linhas de acção que devem ser seguidas para evitar o risco de colesterol elevado. É certo que são as mais importantes nessa luta para travar a ocorrência de um AVC, mas nunca é demais lembrar que outros conselhos devem ser considerados e respeitados.



Por: Nuno Ribeiro

Publicado em: 19/10/2010

Fonte: http://www.webartigos.com/articles/49876/1/Conselhos-uteis-para-reduzir-o-Colesterol/pagina1.html

No poupar pode estar uma boa alimentação

“No contexto actual de crise, será que está em risco a possibilidade de se ter uma alimentação saudável?”

A nutricionista Vanda Cristóvão responde sem qualquer hesitação: Não necessariamente. Podemos gastar muito dinheiro em comida e comer mal e isso infelizmente acontece muitas vezes e até pelas pessoas que menos podem..
Hoje, Dia Europeu da Alimentação e da Cozinha Saudáveis, esta profissional aproveita para sublinhar que a crise até pode ser um motivo para que as pessoas comecem a alimentar-se melhor.

Por isso deixa algumas recomendações.
A fruta ao natural é por norma mais económica e mais rica nutricionalmente. Para além disso,não polui o ambiente pois a melhor embalagem para qualquer fruta é a sua própria casca, refere Vanda Cristõvão. Esta profissional da área da nutrição recorda que todas as frutas são boas e são todas diferentes.
Por isso, poupa se não dispensar nenhuma, até mesmo as pitangas e os araçais que pode ter no seu quintal. Variar é ganhar. Fornecem vitaminas e outras substâncias que protegem e defendem o organismo de doenças. Ricas em fibras, regulam a função do intestino.

No que toca aos hortícolas, para poupar, a nutricionista recomenda que se opte pelos da época e que se aproveite as promoções comparando os preços entre as várias superfícies comerciais. Vanda Cristóvão realça também a necessidade de se verificar o estado de conservação dos hortícolas no acto de compra para evitar desperdícios (não adquirir os murchos, amarelados, com manchas ou com sinais de putrefacção ou de bolores).

Talos, caules e folhas normalmente metidas no caixote do lixo são muito ricas em fibras e sais minerais que podem ser aproveitadas,após serem trituradas, para enriquecer sopas», aconselha aquela profissional de Saúde.
Já no campo dos cereais e derivados (arroz e massa) utilizados normalmente não apresentam grandes variações de preços.

Ao contrário, verifica-se nos tipos de pão, cujos valores, em alguns, por norma, superam largamente as anunciadas virtudes. Ter em casa nozes, sementes e frutos secos e acrescentá-los (em pequena quantidade) a um simples pão de mistura ou escuro pode transformá-lo em estrela a um preço mais justo, considera a nutricionista numa altura em que muitas famílias portugueses estão cada vez mais aflitas para conseguir pôr à mesa o essencial para a alimentação dos seus.

Leite sem chocolate é o ideal

A nutricionista é de opinião de que as pessoas vão poupar se optarem por produtos da linha branca e fizerem comparações entre superfícies comerciais.

No caso concreto do leite e dos iogurtes, sai mais barato escolher um litro daquela bebida em detrimento destes últimos. A nutricionista explica que um litro de leite equivale e 8 iogurtes naturais.
Ainda no que se refere ao leite e aproveitando os comentários que têm sido feitos recentemente sobre o valor do achocolatado, esta especialista até diz que os portugueses não se deviam importar.

É que a adição de chocolate e açúcar ao leite em nada tem contribuído para a saúde das crianças.O mesmo se diz em relação ao açúcar adicionado aos iogurtes.
Passando ao peixe e à carne, a nutricionista Vanda Cristóvão realça que as pessoas devem “afastar-se” de determinadas coisas. Por exemplo, optar pelo peixe mais barato, em vez do peixe fino, que não acrescenta nada nutricionalmente. As carnes de bovino devem também ser evitadas. O peixe e a carne ultracongelados apresentam boa qualidade e têm preços aceitáveis, sublinha.

Poupe na água bebendo da torneira

A melhor forma de poupar na água é bebê-la da torneira, aconselha Vanda Cristóvão, a qual sugere que, como alternativa de sabores, aquele líquido seja aromatizado com rodelas de limão, ervas aromáticas ou outros.

Os alimentos constantes na Roda dos Alimentos devem ser a base da alimentação diária.
Muitas famílias gastam muito na alimentação e comem muito mal. Curiosamente por vezes são as que precisariam de gastar menos», adverte a nutricionista.
Açucares e alimentos açucarados, alguns cereais de pequeno almoço, salsichas, bebidas estimulantes, molhos e bebidas alcoólicas não precisam de ser consumidas ou então basta que existam só em épocas festivas.
A leitura dos rótulos dos produtos pode desencorajar à compra dos mesmos, afirma ainda a nutricionista Vanda Cristóvão, a qual defende que para as famílias pouparem e terem uma refeição saudável, devem planificar as refeições semanalmente.

Ultra-congelados são boa opção

Os legumes ultracongelados são, para além de práticos, uma possibilidade em especial se pretender consumir hortícolas fora da época de produção, conforme admite a nutricionista madeirense.
No entanto, a mesma não deixa de considerar que os hortícolas da época, comprados em bom estado de frescura são nutricionalmente mais ricos.
Quanto aos ultra-congelados, os preços variam entre marcas o que nem sempre corresponde a diferenças significativas de qualidade, mesmo assim são de um modo geral acessíveis»
São injustamente considerados de menor qualidade mas de facto podem ser mais ricos nutricionalmente do que alguns comprados como “frescos”, admite Vanda Cristóvão.

IASAÚDE insiste ainda este ano na restauração saudável

O Instituto de Administração da Saúde e Assuntos Sociais (IASAÚDE) vai fazer uma nova “pressão” para concluir com a iniciativa restauração saudável 2010-2011.
A garantia foi deixada ao nosso jornal pela vice-presidente daquele instituto. Ana Clara admitiu que o IASAÚDE queria o projecto no terreno no último trimestre do corrente ano. Assim, e em parceria com a Associação Comércio e Serviços da Região e ACIF, aquele instituto vai tentar que os restaurantes organizem a sua iniciativa do modelo saudável.

O que se pretende, segundo Ana Clara, é propiciar à população activa que recorre à restauração para a refeição do almoço, uma alimentação saudável.
Não temos ainda adesão completa. As pessoas receberam a matriz da iniciativa mas ainda não sabemos quantos restaurantes vão participar, explica Ana Clara.
Segundo o guia da alimentação saudável, o tema “comer fora de casa” tem despontado um especial interesse entre os profissionais da alimentação e nutrição pelas consequências que pode ter para a saúde individual e populacional.

Para além do guia da alimentação saudável, que o Instituto de Administração da Saúde lançou, há manuais subordinados ao tema “comer com saber...”. Manuais esses destinados a várias faixas etárias. O mais recente está vocacionado para o adulto.
É o último de oito manuais criados pelo IASAÚDE e Assuntos Sociais que completam o que foi feito na área da Educação para a Saúde, através da alimentação. Foram abrangidas todas as fases do ciclo vital, desde a gravidez até ao envelhecer. O manual “Comer com saber na vida adulta” responde a perguntas como “Os cereais de pequeno-almoço, as bolachas e as tostas são equivalentes ao pão?”. Já agora, e para quem desconhece, todos estes alimentos são equivalentes do pão mas com quantidades superiores de gordura e açúcar.

E já que estamos numa altura de crise, aqui fica outro alerta. O azeite, embora mais caro que outro tipo de gordura, rende mais porque o seu sabor e aroma são mais intensos. Por isso, pode ser utilizado em menor quantidade para temperar ou cozinhar. Este resiste a temperaturas mais elevadas o que o torna na gordura mais adequada para fritar.

O Instituto de Administração da Saúde e Assuntos Sociais quer sensibilizar a restauração para um cada vez maior e melhor menú saudável. Por isso está a fazer “pressão” por forma a que sejam cumpridas as recomendação emanadas pelo Conselho Nacional de Alimentação e Nutrição. O tema “comer fora de casa” tem despontado interesse junto dos profissionais.


Por: Jornal da Madeira - On Line - (Portugal)

Publicado em: 08/11/2010

Fonte: http://www.jornaldamadeira.pt/not2008.php?Seccao=14&id=166814&sdata=2010-11-08

Problemas cardiovasculares acompanham diabéticos em idades mais avançadas, diz estudo

Má circulação causada pelo aumento da glicose no sangue eleva risco de hipertensão.

Estudo feito com mais de 10 mil diabéticos identificou que 31% das pessoas que apresentam a doença também sofrem de problemas cardíacos. A diabetes é caracterizada pelo aumento dos índices de glicose no organismo. Como consequência, ocorre a má circulação, que obstrui os vasos sanguíneos e aumenta a chance do paciente desenvolver hipertensão arterial e doenças cardíacas.

Também foi identificado que, entre os diabéticos, dois dos principais fatores de risco estão entre os agravantes da doença: o sedentarismo, presente em 33% dos casos, e o índice de massa corpórea (IMC), que, neste grupo, é considerado inadequado para 71% dos participantes, sendo 39% com sobrepeso e 31% obesos.

— Os dados são preocupantes. É essencial que as pessoas com diabetes realizem algumas mudanças no hábito de vida. Os exercícios físicos podem melhorar a circulação sanguínea, ajudando a evitar as complicações decorrentes da doença, como problemas — explica o diretor de Prestadores e Serviços Médicos da SulAmérica, Roberto Galfi.

Os dados do estudo, realizado pela SulAmérica Saúde, foram analisados com base em um grupo de 65.700 que participaram do Saúde Ativa, programa de medicina preventiva e monitoramento da saúde.

Por: Zero Hora - On Line - Seção: Bem estar

Publicado em: 18/11/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1§ion=Segundo%20Caderno&newsID=a3113158.xml

Erva daninha pode ser esperança contra o câncer

Erva benéfica

Pesquisadores da Universidade do Vale do Itajaí (Univali) descobriram um princípio ativo em uma planta comum no Brasil, frequentemente descrita como erva daninha, que poderá se transformar em uma nova arma contra o câncer.

A erva-de-são-simão (Vernonia Scorpiodes) é uma espécie endêmica e pode ser encontrada em pastagens, terrenos baldios e beira de estradas.

Agentes antitumorais

Os pesquisadores da Univali descobriram que compostos químicos presentes na planta têm a capacidade de destruir células de melanoma e adenocarcioma.

"Os resultados são importantes na busca por agentes antitumorais que, somados ao estímulo ao sistema imune, auxiliam no combate à doença", afirma Tania Mari Belle Bresolin, coordenadora do Mestrado em Ciências Farmacêuticas da Univali.

Atividade seletiva

Os extratos e frações da planta demonstraram possuir atividade seletiva, sendo cicotóxicos apenas para células tumorais, apresentando, inclusive, efeito estimulador sobre as células de defesa do organismo. Os testes foram realizados em modelos animais.

Os pesquisadores, contudo, não recomendam o uso direto da planta, já que ela contém também compostos nocivos. "Alguns compostos isolados da planta afetam também as células não-tumorais. Os estudos são preliminares e ainda são necessários testes complementares para garantir a efetividade e segurança do uso da planta", diz Tania.

Próximos passos

Ainda não há previsão de testes em humanos. Os pesquisadores esperam que a divulgação dos resultados preliminares desperte o interesse na pesquisa por parte da indústria farmacêutica. "A planta estava sendo pesquisada há seis anos. É a continuidade dos estudos que permitirá a identificação dos agentes imunoestimuladores e quimioterápicos", completa a pesquisadora.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 26/03/2009

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=erva-daninha-pode-ser-esperanca-contra-o-cancer&id=3980

Meditação ajuda idosos a tratar doenças crônicas e a transformar suas vidas

Pesquisa da Unifesp mostra melhoras também na postura, disposição, sono, entre outros

Primeiro passo: recuperar a percepção sensorial. Não sinta apenas os pés sobre o chão, mas, sim, sinta os pés, perceba-os separadamente. Segundo passo: respirar profundamente. Leve o ar até o baixo-ventre, movimentando o músculo do diafragma. Valorize as pausas após a inspiração e a expiração, fazendo uma respiração em quatro tempos.

Essa receita fez com que idosos da periferia de São Paulo melhorassem a qualidade do sono e se curassem de problemas como hipertensão, diabetes, depressão, dores físicas, entre outras doenças crônicas. A prática da meditação interferiu não apenas na saúde, mas transformou a vida dessas pessoas, trazendo outro benefício: qualidade de vida.

Um projeto desenvolvido pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) no Hospital Geral de São Mateus, na zona leste da capital paulista, está acompanhando 140 idosos que adotaram técnicas de meditação para alterar o estilo de vida. Após dois meses de acompanhamento em um primeiro grupo de 70 pessoas, 59 deles (84%) afirmaram praticar meditação ao menos uma vez por dia. Os 11 restantes disseram meditar ao menos uma vez por semana.

Nesse grupo que manteve o hábito diário, resultados preliminares mostram que 71% melhoraram a postura e o humor (42 pessoas), 64% a respiração (38), 62% a disposição (37), 57% o sono e a alimentação (34) e 45% acusaram melhora em relação a suas doenças crônicas (27). Uma parte deles melhorou ainda o hábito intestinal, dores físicas e a memória.

Já no grupo que afirmou fazer meditação apenas uma vez por semana, houve melhora em relação à postura, alimentação, respiração, hábito intestinal, respiração, sono e humor – porém, em percentual mais baixo. Não houve alteração em relação a disposição, memória, dores físicas e doenças crônicas.

De acordo com os pesquisadores, coordenados por Fernando Bignardi, médico homeopata, geriatra, gerontólogo e coordenador do Centro de Estudos do Envelhecimento da Unifesp, “a meditação tem se mostrado um importante recurso de promoção de saúde e transformação de vida". Bignardi conta que, "com a prática da meditação, observou-se um resgate do sentido da vida e da libido, acarretando saúde e bem-estar”.

Quarto nível
Segundo Bignardi, a meditação é um recurso que permite ao ser humano atingir um quarto estágio de consciência, reconhecido pela neurociência. Os três primeiros níveis são: a vigília, o sono e o REM (sigla em inglês que significa movimento rápido dos olhos; é o sono dos sonhos).

Além da percepção sensorial e da respiração profunda, quem medita tem mais outros dois passos. O primeiro é reconhecer sua verticalidade. Ou seja, a prática é feita na postura vertical: sentado, em pé ou até andando, só não deitado (existem exceções). E, por último, diz Bignardi, a formação de uma âncora: toda vez que um pensamento roubar sua concentração, é preciso trazê-la de volta para o ato meditativo.

- Na meditação, o cérebro está funcionando em ondas cerebrais mais lentas, que normalmente se apresentam em sono profundo. Só que, na meditação, as pessoas têm essas ondas cerebrais em estado de alerta.

Nilda Maria de Jesus, de 64 anos, é uma das participantes do projeto no Hospital Geral de São Mateus. Ela pratica meditação uma vez por dia, pelas manhãs, desde abril deste ano. Nilda conta que o hábito fez com que ela diminuísse a quantidade de remédios que precisa. Ela continua tomando diariamente um remédio para diabetes, mas diminuiu de cinco para quatro o número de comprimidos para hipertensão, e de dois para um o recomendado para as dores.

- Eu fiquei mais ativa, mais disciplinada e mais criativa. Não tenho mais dores nas costas e nas pernas. Não sinto mais falta de ar por causa do diabetes. Hoje faço tudo com mais tranquilidade, sou mais firme nas minhas decisões.

Segundo Bignardi, a partir da meditação (que foi a única intervenção nos participantes), observou-se mudanças na atitude mental.

- Isso era seguido de alinhamento postural, mesmo sem prática de fisioterapia. Essas pessoas passaram a respirar conscientemente ao longo do dia. Passaram a ter um sono reparador. Houve grande resposta no ritmo da vida.

Nilda conta que a meditação também provocou mudanças nos hábitos alimentares. Sua dieta hoje se compõe de leite desnatado, arroz integral, frango, lentilha, grão de bico e frutas. Antes da meditação, ela já vinha fazendo uma dieta alimentar, mas, com a prática, ela conta que ficou mais rigorosa. Resultado: dona Nilda emagreceu oito quilos em dois anos.

- Agora tenho mais responsabilidade comigo mesma. Se não fizer direito, eu acabo doente.

Missão de vida
A explicação para o potencial da meditação, segundo o professor da Unifesp, tem a ver com a missão que cada um tem na vida. Desviar desse caminho, diz o médico, é abrir as portas para as doenças.

- Todos nós temos uma razão para nossa vida, uma razão essencial. E, muitas vezes, as intempéries do cotidiano nos desviam disso. Nesse processo, o organismo reage com uma doença, que é um mecanismo para alertar a pessoa que ela precisa voltar para seu caminho original. A meditação possibilita a reconexão com a sua dimensão essencial.

Bignardi explica que, ao se trabalhar o homem num modelo quântico, e não mecânico, o humano é compreendido em cinco dimensões: física (em que se manifestam as doenças crônicas e dores físicas); metabólica (alimentação); vital (hábito intestinal, respiração, sono e disposição); mental (memória e humor, além da postura, que está na transição com a dimensão vital); e a supra-mental (em que age a meditação).

O que o hábito meditativo faz, diz o médico, é agir na última dimensão, a supra-mental, e, com isso, passa a agir nas outras dimensões por efeito cascata, interferindo, portanto, na memória, humor, postura, respiração, sono, disposição e assim por diante, até chegar ao começo, onde se encontram as dores físicas e doenças crônicas.

É por esse motivo que, no projeto na zona leste de São Paulo, aqueles que praticaram meditação todos os dias conseguiram modificações nas doenças crônicas, enquanto que os que só praticaram uma vez na semana não foram tão longe. O efeito cascata não alcançou as doenças crônicas.

Dona Nilda diz que 2010 foi o ano de mudança em sua vida, quando aconteceu “muita coisa boa”.

- Antes eu era a coitadinha, queria que meus filhos tivessem dó de mim. Não de propósito, mas lá dentro, sabe?

A razão da mudança, diz, é a sua calma e tranquilidade para resolver os problemas. Ela afirma até que voltou a realizar atividades que antes não fazia. Há quatro meses, ela foi à praia e voltou com muitas conchinhas. Mas, ao chegar em casa, não sabia o que fazer com aquilo.

- Fazia dois anos que eu não trabalhava com artesanato. E, quando vi as conchinhas, comecei a pintar dentro delas. Já até comprei mais tinta. É uma criatividade que estava se apagando e que agora está florescendo. São coisas simples que estão reativando. Vontade de viver e coragem.


Por: Expresso MT - On line - Seção: Bem Estar

Publicado em: 12/06/2010

Fonte: http://www.expressomt.com.br/noticiaBusca.asp?cod=106501&codDep=3

Indicações do shiatsu

Saúde não é apenas a ausência de doença, mas o total bem-estar físico, mental e emocional, os orientais definem saúde como: união harmoniosa entre corpo, mente e espírito.

O Shiatsu é uma palavra de origem japonesa, apesar da técnica ser desenvolvida a partir dos conhecimentos milenares da Medicina Tradicional Chinesa que data há mais de 5000 anos, e significa pressão dos dedos (shi= dedo e atsu= pressão).

É uma forma de manipulação administrada pelos polegares, dedos e palmas, para aplicar pressão à pele humana e tem como objetivo corrigir disfunções internas, promover e manter a saúde e tratar doenças específicas.

No ser humano, a energia vital circula por canais chamados de Meridianos. Quando ocorre uma alteracão nesse fluxo, ocorre um desequilíbrio entre o Yin e o Yang, ocasionando excesso ou falta de energia em determinadas partes do corpo e sintomas de doenças são produzidas interna e externamente.

O Shiatsu é uma massagem extremamente agradável e relaxante, pois ao massagear pontos específicos do corpo seguindo o trajeto dos Meridianos, eles fluem harmoniosamente, conseguindo-se reestabelecer a homeostase energética, portanto a saúde.

O Shiatsu não é uma técnica de massagem simples, mas sim uma técnica que exige conhecimento de anatomia e principalmente do percurso exato dos Meridianos.

Indicações:

- Desequilíbrios emocionais (fobias, depressão, raiva, preocupação, estresse, TPM);

- Desequilíbrios sexuais (desinteresse sexual, impotência, ejaculação precoce);

- Insônia, Ansiedade;

- Melhorar a circulacão sanguínea;

- Aumentar a capacidade do corpo de eliminar toxinas;

- Equilibrar o sistema nervoso;

- Retardar o envelhecimento das células, contribuindo para a longevidade;

- Melhorar o tönus da pele;

- Reduzir a fadiga (física e mental);

- Aliviar a dor cansada por contratura e má postura
(dores nas costas e articulacões);

- Cólicas menstruais, Intestino preso, dor de cabeça
Aumentar os nivéis de energia;

- Promover a saúde e o bem-estar geral.

Além de trabalhar a massa muscular, os movimentos de pressão agem também sobre os sistemas reprodutivo, digestivo, respiratório, circulatório e nervoso, ativando os órgãos internos e a circulacão sanguínea.

O ideal para manter a saúde e retardar o envelhecimento é submeter-se a uma sessão de Shiatsu, feita por um profissional competente uma vez por semana.

Uma sessão de Shiatsu pode durar de 15 minutos ( a popular versão Express, que não tem efeito curativo ) a uma hora e meia ( a versão completa ).

O Shiatsu é recomendado para reequilibrar a energia do corpo, resolvendo uma infinidade de doenças, sentindo-se os resultados desde as primeiras sessões.



Por: Juliana Berti - Site Médico

Publicado em: 21/12/2010

Fonte: http://www.sitemedico.com.br/sm/materias/index.php?cat=75

Contra resistência bacteriana, médico defende homeopáticos

Alternativa ajuda a reduzir os riscos decorrentes do uso indevido de antibióticos após ANVISA determinar maior controle na comercialização desses medicamentos.

O uso de medicamentos homeopáticos pode substituir tratamentos em que a utilização de antibióticos não é essencial, de acordo com o Dr. Levon Mekhitarian, médico otorrinolaringologista e mestre em Ciências da Saúde. A nova decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que estabelece maior controle na comercialização de antibióticos no Brasil, reacende a preocupação com um grave problema que atinge a saúde da população: a resistência bacteriana.

"Quando bactérias se reproduzem mesmo na presença de doses mais altas dos antibióticos usados nos tratamento convencionais, a situação é preocupante", explica o médico. "Com o uso da medicação homeopática temos outros mecanismos de estimulação da defesa do organismo, mais naturais e com ação direcionada, por isso nesses casos esses medicamentos apresentam vantagem terapêutica".

Segundo o Dr. Mekhitarian, estima-se que dois terços dos antibióticos são utilizados sem prescrição médica em muitos países. A resistência de bactérias é um problema que acontece onde não há fiscalização pelos órgãos competentes e uso de antibióticos de forma indiscriminada e incorreta. "O uso desses remédios deve ser reservado para os casos comprovados de ação bacteriana com poder maior de contaminação", acredita.

Infecções de vias aéreas superiores podem ser tratadas com medicação homeopática - Nos casos de infecções de vias aéreas superiores como, por exemplo, faringites, amidalites, otites, sinusites e laringites, 50% do uso de antibióticos acontece de maneira desnecessária, de acordo com o médico. "Essas afecções são perfeitamente tratáveis com o uso de medicamentos homeopáticos", esclarece o especialista.

"Sabemos que quase 90% das infecções das vias aéreas superiores são virais, portanto o uso de antibióticos é quase desnecessário. A medicação homeopática é uma excelente opção uma vez que estamos tratando causa e sintomas, encurtando a duração da doença e prevenindo as complicações principalmente em idosos", completa o Dr. Mekhitarian.

Entenda a restrição da Anvisa às vendas de antibióticos - No final de novembro, entraram em vigor as novas regras para comercialização de antibióticos em farmácias em todo o Brasil, seguindo determinação da ANVISA. Esses medicamentos agora são vendidos apenas com apresentação de receita médica - sendo que uma via fica retida no estabelecimento e outra deve ser carimbada para evitar reutilização. Além disso, as prescrições médicas terão validade de dez dias e ficarão registradas no Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC). Segundo a Organização Mundial de Saúde, mais da metade das prescrições de antibióticos em todo o mundo são desnecessárias ou inadequadas.



Por: Portal Fator Brasil

Publicado em: 21/12/2010

Fonte: http://www.revistafator.com.br/ver_noticia.php?not=141294

Tratamento para Pressão Alta - Com Hortaliças

CEBOLA: Suco diluído em água. Tomar três xícaras ao dia Usa-la nas refeições em forma de saladas cruas.

ALHO: Tomar água de alho. Amassar três dentes de alho e coloca-los de molho em 400 ml de água durante seis horas. Coar e tomar uma xícara de chá a cada três horas. Tomar três cápsulas de óleo de alho ao dia, acompanhando as principais refeições.

BERINJELA: Corta-la em pedaços pequenos e deixa-los de molho durante quatro horas. Tomar cinco xícaras ao dia.

CEBOLA: Suco diluído em água. Tomar três xícaras ao dia Usa-la nas refeições em forma de saladas cruas.

CHUCHU: Chá das folhas e brotos (trinta gramas para 1 litro de água) Tomar cinco xícaras ao dia.

PEPINO: Suco Puro. Tomar 250 ml, duas vezes ao dia . Usa-lo nas refeições em forma de saladas cruas.

Por: Tribunas News - Fonte: Mileumsegredosdequimica

Publicado em: 16/12/2010

Fonte: http://www.atribunanews.com/exibe.php?id=70068

Dente-de-leão combate colesterol

A herbácea Taraxacum offidnale, ou dente-de-leão, é natural de Portugal ...

A herbácea Taraxacum offidnale, ou dente-de-leão, é natural de Portugal e chegou ao Brasil com os primeiros colonizadores.

Devido a sua vitalidade, adapta-se bem em qualquer solo. As raízes e as folhas novas podem ser consumidas cruas, em forma de salada.

Sua seiva branca e leitosa contém as vitaminas A, B1, B2, B3, C e potássio. As folhas têm poder diurético, estimulam o coração e combatem o colesterol.

Por: Tribuna News

Publicado em: 30/12/2010

Fonte: http://www.atribunanews.com/exibe.php?id=70275&cod_editorial=&url=exibe.php&pag=&busca=

Conheça 13 sucos poderosos para prevenir doenças

Na última semana, foi publicada uma pesquisa que revelou os benefícios do suco de beterraba no combate à progressão da demência.

Na última semana, foi publicada uma pesquisa que revelou os benefícios do suco de beterraba no combate à progressão da demência. Cientistas do mundo todo estão vasculhando os benefícios dos alimentos e realizando descobertas importantíssimas, pois muitas doenças podem ser amenizadas através de uma alimentação correta.

O jornal inglês Daily Mail publicou a lista de algumas frutas e sucos que projetam efeitos positivos para a saúde e, com a chegada do calor, nada melhor do que se hidratar com algo que realmente faça bem. Veja abaixo a lista de sucos à base de ingredientes poderosos que ajudam no combate de doenças:

1 - Suco de romã para câncer de próstata

O romã possui um coquetel de substâncias químicas que parecem reduzir os danos celulares e, potencialmente, matar as células canceríginas, de acordo com estudo realizado por cientistas da Universidade da Califórnia. Eles pediram a 50 homens com câncer de próstata que tomassem 240 ml de suco por dia. Em seguida, acompanharam os níveis de antígeno específico da próstata (PSA), uma proteína ligada ao câncer de próstata. Geralmente, em pacientes com a doença, a duplicação do PSA leva 15 meses, mas nos pacientes que beberam o suco de romã, esse processo levou, em média, 54 meses . O suco de romã também é bom para doença cardíaca e na redução do mau colesterol. Os antioxidantes no suco de romã podem ajudar a reduzir a formação de depósitos de gordura nas paredes das artérias.

2 - Suco de grapefruit para a perda de peso

A grapefruit é o resultado do cruzamento do pomelo com a laranja e também é conhecido pelos nomes de jamboa, toranja, laranja-melancia, laranja vermelha e laranja-romã. De acordo com um estudo realizado nos Estados Unidos, esta fruta possui propriedades que ajudam no emagrecimento.

Foram divididas 100 pessoas obesas em três grupos: um grupo recebeu metade de um grapefruit antes de cada refeição, outro ingeriu um copo de suco da fruta, enquanto o terceiro não ingeriu grapefruit. Após 12 semanas, os que comeram a fruta tinham perdido uma média de 1,6 Kg e aqueles que beberam o suco perderam uma média de 1,4 Kg. Porém, aqueles que não consumiram a grapefrit perderam uma média de apenas 0,22 Kg.

3 - Suco de cranberry contra infecções urinárias

Ainda pouco conhecida no Brasil, essa frutinha vermelha que parece uma cereja está despertando o interesse dos cientistas. Um estudo realizado em 2010 mostrou que o suco de cranberry impede o crescimento da bactéria Escherichia coli, a causa mais comum de infecções urinárias.

Os pesquisadores que apresentaram suas conclusões à Sociedade Americana de Química, apontaram que apenas oito horas após a ingestão, o suco pode ajudar a impedir que as bactérias se desenvolvam. No entanto, ao contrário da crença popular, o suco não irá tratar uma infecção existente, ele é apenas preventivo. Além disso, não é recomendada a ingestão excessiva da fruta, pois pode causar irritação no intestino e deve ser evitada por diabéticos, por conter frutose.

4 - Suco de Maçã para Alzheimer

Beber o suco de maçã mantém os níveis da acetilcolina, que é vital para a memória e à saúde do cérebro, já que os níveis baixos estão associados à doença de Alzheimer. De acordo com pesquisa realizada nos Estados Unidos, em camundongos, a ingestão de dois copos de suco de mação por dia pode trazer benefícios similares em humanos adultos.

5 - Suco de cereja para fadiga e gota

Estudos recentes da Universidade de Northumbria têm mostrado que os corredores que beberam suco das cerejas Montmorency duas vezes por dia durante cinco dias antes da Maratona de Londres, obtiveram uma recuperação muito mais rápida e não sofreram tanto com dores musculares. Além disso, o suco de cereja pode ajudar a aliviar a agonia da gota, ajudando o organismo a excretar o ácido úrico ligada à dor provocada pela doença.

6 - Suco de laranja para doença cardíaca

O suco de laranja contém um antioxidante chamado hesperidina, que melhora a função dos vasos sanguíneos, ajudando a reduzir o risco de doença cardíaca. De acordo com pesquisa realizada nos Estados Unidos, homens que bebearm 500 ml de suco de laranja por dia, apresentaram pressão arterial mais baixa do que aqueles que tomaram um suplemento antioxidante.

Sabe-se, também, que os suplementos de citrato, substância encontrada em sucos cítricos, podem ajudar a retardar a formação de pedras nos rins, mas algumas pessoas acham que a natureza ácida das pílulas é difícil de tolerar. Um copo diário de suco de laranja produz benefícios similares.

7 - Suco de abacaxi para artrite

A enzima bromelina, encontrada na carne e no suco de abacaxi, ajuda o organismo a digerir proteínas, mas também tem outros benefícios importantes. Quando tomada com o estômago vazio, a bromelina age como um agente anti-inflamatório que tem sido utilizado para reduzir a dor da artrite e inchaço nas articulações.

Um estudo mostrou que uma combinação de enzimas, incluindo a bromelina, pode ser uma alternativa segura aos medicamentos anti-inflamatórios para as pessoas com osteoartrite no joelho.

8 - Suco de açaí para câncer

O suco de açaí possui altos níveis de antioxidantes. Estudos realizados pela Universidade do Texas descobriram que beber o suco diariamente pode ajudar a prevenir o desenvolvimento e a disseminação de células cancerosas.

9 - Suco de uva roxa para perda de memória

Um estudo realizado por psiquiatras da Universidade de Cincinnati descobriu que uma bebida diária do suco melhorou a memória dos pacientes significativamente em comparação com um placebo. Os especialistas estimam que as uvas forneçam antioxidantes. A uva também atua para baixar o colesterol e pode ser tão eficaz quanto a aspirina diariamente para ajudar a prevenir coágulos sanguíneos.

10 - Água de coco para esgotamento

Madonna e Gwyneth Paltrow estão entre as celebridades que usam a água de coco para a recuperação após os treinos. A bebida tem líquido para reidratação, hidratos de carbono, e eletrólitos, para substituir o que foi perdido através do suor.

11 - Suco de cenoura para câncer do reto

Pesqusiadores da Universidade de Newcastle isolaram um composto de cenoura que promete combater o câncer e acabaram descobrindo que os ratos alimentados com tal composto, chamado falcarinol tinham um risco três vezes menor de desenvolver o cancro colorectal do que os ratos que não receberam o composto. Falcarinol é um pesticida natural encontrada na cenoura, que protege o vegetal contra doenças fúngicas.

12 - Suco de tomate para queimaduras solares

Cientistas descobriram que o licopeno, substância que faz com que o tomate seja vermelho, é um grande antioxidante. Está cientificamente provado que ele ajuda a proteger a pele dos danos do sol, talvez por neutralizar os efeitos nocivos dos raios UV. Nos testes, pessoas que comiam mais tomate, tiveram 33% mais proteção contra queimaduras solares.

13 - Suco de mirtilo para demência

Os componentes do mirtilos podem ajudar a manter o cérebro saudável, é o que sugere um pequeno estudo da Universidade de Cincinnati. Os pesquisadores analisaram o efeito do suco de mirtilo na memória em adultos de 70 anos que tinham o declínio da memória relacionada à idade. Aqueles que beberam meio litro de suco de mirtilo diariamente por 12 semanas apresentaram desempenho significativamente melhor em testes de memória.




Por: Tribuna News - Fonte: Terra

Publicado em: 17/11/2010

Fonte: http://www.atribunanews.com/exibe.php?id=69661&cod_editorial=&url=exibe.php&pag=&busca=

O que um meditador Zen não pensa seu corpo não sente

O que a mente não vê

A prática da meditação Zen traz muitos benefícios comprovados à saúde, entre os quais uma diminuição da sensibilidade à dor.

Mas o que cientistas da Universidade de Montreal agora descobriram é que o corpo dos meditadores "sente" a dor, mas sua mente simplesmente não liga tanto para ela quanto uma pessoa que não medita.

Os resultados, publicados na edição deste mês da revista Pain, podem ter implicações para pessoas que sofrem de dores crônicas, tais como aquelas com artrite, dores nas costas ou câncer.

Comandando o próprio cérebro

"Nossa pesquisa anterior descobriu que os praticantes da meditação Zen têm menor sensibilidade à dor," lembra o Dr. Pierre Rainville.

"O objetivo deste novo estudo foi determinar como eles conseguem isso. Usando ressonância magnética funcional, foi demonstrado que, embora os meditadores estejam conscientes da dor, essa sensação não foi processada na parte do cérebro responsável pelo raciocínio, avaliação e formação da memória," conta Rainville.

Os cientistas acreditam que os meditadores detectam a sensação de dor, mas cortam o processo rapidamente, evitando interpretar e rotular os estímulos como sendo dolorosos.

Conexão mente-cérebro

Os praticantes Zen mais experientes apresentaram as menores respostas à dor, com reduzida atividade nas áreas cerebrais responsáveis pela cognição, emoção e memória (córtex pré-frontal, amígdala e hipocampo).

Além disso, houve uma diminuição na comunicação entre a parte do cérebro que detecta a dor e o córtex pré-frontal.

"Nossos resultados levam a novos insights sobre a função mente/cérebro," diz Joshua Grant, que coordenou os experimentos. "Estes resultados desafiam os conceitos atuais de controle mental, que se acredita ser alcançado através do aumento da atividade cognitiva, com esforço. Em vez disso, nós sugerimos que é possível se auto-regular de forma mais passiva, 'desligando' certas áreas do cérebro, que, neste caso, são normalmente envolvidas no processamento da dor."

Treinando o cérebro

"Os resultados sugerem que praticantes de meditação Zen podem ter uma habilidade treinada para liberar alguns processos cerebrais de ordem superior, mesmo experimentando os estímulos," disse Raines.

"Essa possibilidade poderia acarretar consequências amplas e profundas para lidar com a dor, o controle das emoções e o controle cognitivo. Esse comportamento é coerente com a mentalidade do Zen e com a noção de mente alerta," conclui o pesquisador.



Por: Diário da Saúde

Publicado em: 06/01/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=meditacao-zen-nao-pensa-seu-corpo-nao-sente&id=6086

Estudo indica que dieta vegetariana é a melhor para pessoas com doença renal

Para pacientes com doenças renais, o melhor pode ser passar a ter uma alimentação vegetariana

É o que sugere um estudo da Universidade de Indiana, nos EUA, que mostra que, quando pacientes com esses problemas se alimentam apenas de vegetais, eles apresentam menores níveis de fósforo, o que ajuda a prevenir complicações graves, incluindo doenças cardiovasculares.

Avaliando nove pacientes com doença renal crônica, os pesquisadores observaram que, na semana em que tinham uma dieta vegetariana, os voluntários apresentavam menores níveis de fósforo no sangue e na urina, comparado à semana em que tinham uma alimentação que incluía carne. E isso ocorria mesmo com as duas dietas apresentando quantidades equivalentes de proteína e fósforo.


“Esses resultados, se confirmados em estudos mais longos, fornecem fundamentos para a recomendação de uma predominância de fontes vegetarianas de proteínas baseadas em grãos para pacientes com doença renal crônica”, escreveram os autores na última edição da revista científica Clinical Journal of the American Society Nephrology. “As descobertas sugerem que as fontes de proteínas podem ser mais importantes do que a quantidade, e permite aumentos na ingestão de proteínas”, concluíram.



Por: Expresso MT - On Line - Fonte: UOL

Publicado em: 02/01/2011

Fonte: http://www.expressomt.com.br/noticiaBusca.asp?cod=111638&codDep=3

Para engravidar de uma menina, aposte na dieta vegetariana

Pesquisadores afirmam que a alimentação pode fazer toda a diferença na concepção.

Mulheres que comem pouca carne e muitas frutas e verduras têm mais chances de ter filhas meninas. Pelo menos é o que afirmam pesquisadores dinamarqueses. Por outro lado, uma dieta rica em potássio e sódio, encontrado nas carnes, nas bananas e nas batatas, pode aumentar as chances de ter um menino. A equipe, que estudou 172 casais, afirma que a dieta certa pode fazer toda a diferença na hora da concepção.

Para provar a teoria, os pesquisadores prescreveram uma dieta com muitas folhas verdes (como espinafre, couve e rúcula), frutas secas e arroz integral. Segundo eles, estes alimentos são ricos em cálcio e magnésio, dois minerais que tornam o ambiente do útero mais propício para o cromossomo X. Para dar certo, o plano alimentar deve começar pelo menos nove semanas antes da primeira tentativa de concepção.

Após alguns meses de tentativas, 80% das participantes engravidaram de meninas. Além da alimentação, elas tomaram suplementos dos dois minerais e fizeram exames de sangue periódicos para determinar seus dias férteis.

O resultado, publicado no jornal científico Reproductive BioMedicine Online, deixou os médicos esperançosos.

– Se as mulheres fizerem tudo o que recomendamos, as chances de engravidar de uma menina aumentam drasticamente. O método é experimental, mas conseguimos provar que ele funciona – afirmou o pesquisador Annet Noorlander ao jornal britânico Daily Mail.


Por: ClickRBS - Fonte: Agência Globo

Publicado em: 05/01/2011

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/sc/donnadc/19,0,3165620,Para-engravidar-de-uma-menina-aposte-na-dieta-vegetariana.html

Dieta vegetariana ganha cada vez mais força no esporte

Apesar dos estudos científicos não comprovarem que a dieta vegetariana traz benefícios ao rendimento dos atletas em comparação aos não-vegetarianos, a procura por uma alimentação que dispense produtos de origem animal tem aumentado no mundo dos esportes. “É cada vez maior o número de atletas vegetarianos, devido aos costumes religiosos e culturais, crenças étnicas ou filosóficas, e devido à busca por uma vida mais saudável”, afirma Patrícia Bertolucci, uma das precursoras da nutrição esportiva no país. Como esse tipo de esportista não se alimenta de carnes e em alguns casos dispensa até de derivados do leite, caso dos veganos, uma série de cuidados devem ser tomados para que não faltem nutrientes e energia.

O escalador Plínio Bonfim adotou o vegetariaismo há cerca de 8 anos
Escalador e ex-capoeirista, Plínio Bonfim, 31 anos, formado em nutrição, começou a se tornar vegetariano há 8 anos, período em que iniciou a prática da escalada. “Fui abandonando a carne gradualmente e há uns 6 anos eu deixei de comer carne completamente”, recorda. Talvez por ser nutricionista, Plínio sabe bem a importância da reposição de algumas substâncias na dieta dos que não ingerem carnes. “Eu tenho que substituir a proteína por outras fontes que não sejam a carne. No meu caso, ainda como ovo. E uso também muito cereal integral, arroz com feijão, soja e quinua”, revela o escalador, que treina três vezes por semana na academia e uma vez por semana faz escalada ao ar livre.

A nutricionista Priscila Di Ciero é uma das que defende o vegetarianismo entre quem pratica atividades físicas. “As pesquisas mostram que não há diferença entre ser vegetariano ou onívoro (que se alimenta de animais e vegetais). O cardápio vegetariano, quando bem feito, é naturalmente rico em vitaminas, minerais, antioxidantes e carboidratos, que são a base da alimentação de qualquer atleta, e pode ser útil e mais saudável”, defende Priscila. “Isso não quer dizer que uma pessoa deva parar de comer carne e virar vegetariana achando que seu rendimento vai melhorar”, alerta.

Para suprir a deficiência de nutrientes fundamentais para qualquer pessoa como proteínas, zinco e ferro — todos fartamente encontrados em carnes, frangos e peixes — e evitar riscos à saúde, o atleta vegetariano deve compensar a diferença com alimentos nutritivos. “A base da alimentação tem que ter bastante frutas, verduras, legumes, arroz integral, grãos, lentilhas, feijão, soja e linhaça. E castanhas, de todos os tipos, que também são boas fontes de gordura, de vitaminas e minerais”, explica Priscila di Ciero. A nutricionista Serena Del Favero vai além: “Cereais ajudam, pois são fontes de carboidratos, que fornecem energia às células. Vale também o uso de suplementos, se for necessário.”

Curiosidade
Raridade no futebol
Encontrar um jogador de futebol que seja vegetariano é tarefa quase impossível, como garante a nutricionista Silvia Torres, no Flamengo desde 1984, e na Seleção Brasileira desde 2001. “No futebol é muito raro. Os hábitos são voltados principalmente para a proteína (encontrada nas carnes). Não conheço ninguém.”

Em defesa dos animais
Os veganos são pessoas que seguem uma filosofia de vida baseada em conceitos éticos que têm como base a proteção aos direitos dos animais. Eles pregam o fim da escravidão animal e buscam evitar a exploração e abusos por meio de boicotes a quaisquer produtos de origem animal (alimentar ou não). Os veganos também não consomem nada que tenha sido testados em animais ou que inclua qualquer forma de exploração animal nos seus ingredientes ou processos de fabricação.

À base de frutas e verduras

» Carl Lewis
Eleito o “Esportista do Século” pelo Comitê Olímpico Internacional, o velocista vegano, nascido nos Estados Unidos, colecionou 10 medalhas olímpicas em provas de velocidade, sendo nove delas de ouro. Em 1991, bateu o recorde de 9,86 segundos na prova dos 100 metros rasos.

» Dave Scott
Foi seis vezes campeão do Ironman no Hawaii, a principal competição de triatlon no mundo, chegando em primeiro lugar em 1980, 1982, 1983, 1984, 1986 e 1987. Apelidado de “The Man”, só teve seu recorde igualado por Mark Allen, que curiosamente venceu seis vezes logo após largar o vegetarianismo.

» Éder Jofre
O maior pugilista brasileiro de todos os tempos, vegetariano desde os 20 anos de idade, foi campeão mundial peso-galo em 1960 e do peso-pena em 1973 sem comer alimentos de espécie animal. Ele atribui a sua capacidade física, de resistência e força, à dieta vegetariana.

» Murray Rose
Considerado um dos maiores nadadores de todos os tempos, este escocês vegetariano conseguiu, logo aos 17 anos, três medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de 1956, em Melbourne, na Austrália. Nos 400m livre, 1500m livre e 4 x 200m livre. Em 1960, nas Olimpíadas de Roma, também ficou com o ouro, nos 400m livre.


Cuidado com as deficiências

Substâncias fundamentais presentes nas carnes devem ser buscadas pelos vegetarianos. A falta de vitamina B12, necessária para a boa manutenção do sistema nervoso, pode originar problemas cardiovasculares. E a isenção de creatina resulta em estoques musculares mais baixos.

Por outro lado, a dieta verde é rica em carboidratos, que fornecem energia às células, e antioxidantes, como vitamina C, E e beta-caroteno, que defendem o tecido muscular do estresse provocado pelos exercícios. “O mito de que ser vegetariano significa correr o risco de ficar doente ou sem músculos deve ser quebrado. Se a alimentação for balanceada, raramente haverá problemas de falta de nutrientes”, ressalta a nutricionista Patrícia Bertolucci. “A dieta vegetariana é capaz de suprir as necessidades do corpo para que a saúde continue perfeita, ou até melhor, sem prejudicar a performance do atleta”, garante.


Por: Super Esportes - Fonte: Felipe Seffrin (Correio Braziliense)

Publicado em: 04/01/2011

Fonte: http://www.superesportes.com.br/app/19,66/2011/01/04/noticia_maisesportes,11958/dieta-vegetariana-ganha-cada-vez-mais-forca-no-esporte.shtml

Pesquisa indica que chá verde protege contra Alzheimer e câncer

Estudo britânico afirma que compostos benéficos do chá são ativos mesmo depois da digestão.

Um estudo da Universidade de Newcastle, na Grã-Bretanha, indica que o chá verde pode proteger o cérebro de doenças como o Mal de Alzheimer e outros tipos de demência.

A pesquisa, divulgada na publicação especializada Phytomedicine, também sugere que o antigo remédio chinês que tem se popularizado no mundo todo também pode ter um papel muito importante na proteção do corpo contra o câncer.

No estudo, os cientistas investigaram se as propriedades benéficas do chá verde, que já tinham sido comprovadas no chá recém-preparado e não digerido, ainda se mantinham ativas uma vez que o chá fosse digerido.

De acordo com Ed Okello, professor da Escola de Agricultura, Alimento e Desenvolvimento da Universidade de Newcastle e que liderou o estudo, a digestão é um processo vital para conseguir os nutrientes necessários, mas também significa que nem sempre os compostos mais saudáveis dos alimentos serão absorvidos pelo corpo, podendo se perder ou modificar no processo.

"O que foi realmente animador neste estudo é que descobrimos que, quando o chá verde é digerido pelas enzimas do intestino, os compostos químicos resultantes são até mais eficazes contra gatilhos importantes do Alzheimer do que a forma não digerida do chá", disse.

"Além disso, também descobrimos que os compostos digeridos (do chá verde) tinham propriedades contra o câncer, desacelerando de forma significativa o crescimento de células do tumor que usamos em nossas experiências", acrescentou.

Na pesquisa, a equipe da Universidade de Newcastle trabalhou em conjunto com cientistas da Escócia, que desenvolveram uma tecnologia que simula o sistema digestivo humano. Graças a esta tecnologia, a equipe de Newcastle conseguiu analisar as propriedades protetoras dos produtos da digestão do chá.

Chás verde e preto

Dois compostos já são conhecidos por seu papel importante no desenvolvimento do Alzheimer, o peróxido de hidrogênio e uma proteína conhecida como beta-amilóide.

Pesquisas anteriores mostraram que compostos conhecidos como polifenóis, presentes nos chás verde e preto, tem propriedades neuroprotetoras, pois se ligam a compostos tóxicos e protegem as células do cérebro.

Quando ingeridos, os polifenóis são quebrados e produzem uma mistura de compostos. Foram estes compostos que os cientistas de Newcastle testaram.

"É uma das razões pela qual temos que ser tão cuidadosos quando fazemos afirmações a respeito dos benefícios para a saúde de vários alimentos e suplementos", disse Okello.

"Existem certos compostos químicos que sabemos que são benéficos e podemos identificar alimentos que são ricos nestes compostos, mas o que acontece durante o processo de digestão é crucial para saber se estes alimentos estão mesmo nos fazendo bem", afirmou.

Proteção de células

Os cientistas usaram modelos de células de tumor, expondo estas células a várias concentrações de diferentes toxinas e aos compostos do chá verde digerido.

"Os compostos químicos digeridos (do chá) protegeram as células (saudáveis), evitando que fossem destruídas pelas toxinas", disse Okello.

"Também observamos que eles afetaram células cancerosas, desacelerando de forma significativa seu crescimento."

"O chá verde é usado há séculos na medicina tradicional chinesa, e o que temos aqui dá provas científicas do porquê pode ser eficaz contra algumas das doenças mais importantes que enfrentamos hoje", acrescentou.

Por: Estadão - Seção: Saúde - BBC Brasil

Publicado em: 06/01/2011

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/geral,pesquisa-indica-que-cha-verde-protege-contra-alzheimer-e-cancer,662918,0.htm

Acupuntura restaura funcionamento do cérebro

Lidar com pressão por melhor desempenho profissional, prazos no trabalho e as contas a pagar, além da atenção que ainda precisa dar às questões familiares, pode mesmo tirar o sono de qualquer pessoa.
O resultado são crises de ansiedade, enxaquecas, irritabilidade, insônia e a piora de problemas, que podem se tornar crônicos, como hipertensão, perda de memória e concentração. Para quem procura terapias alternativas para solucionar esses males, a acupuntura estimula pontos específicos da pele, ativando regiões do sistema nervoso central que beneficiam a saúde.
A fisioterapeuta Nelbia Jerônimo Ribeiro explica que, para relaxar, dispersando a ansiedade e as tensões do dia a dia, é importante equilibrar as energias opostas que circulam pelo nosso corpo, conhecidas como Yin e Yang. “É o desequilíbrio dessas forças que causam dores. As agulhas usadas na acupuntura desobstruem os canais de energia, restabelecendo a distribuição adequada a cada indivíduo e sua atuação”.

Outra modalidade é a auriculoterapia, que, como a acupuntura, atua nas funções do corpo através de pontos da orelha, sem a utilização de agulhas. Estímulo em região da orelha correspondente ao pulmão também refletirá no tratamento de doenças respiratórias, por exemplo.

Sendo assim, as técnicas se tornaram eficazes no tratamento de doenças crônicas como lombalgias, dor cervical e dorsalgias (dores na coluna e nas costas), tendinites (inflamações em tendões), fibromialgia, artrites, como também doenças gastrointestinais, como constipação intestinal, esofagite, cólicas e gastrites. Problemas respiratórios, como sinusite, asma, bronquite, alergias, além dos desconfortos da menopausa, alterações menstruais, ansiedade e depressão, contra a perda da memória, sequelas de derrame e doenças renais. É utilizada ainda para reduzir implicações do tratamento contra câncer.

“A quimioterapia causa dores, náuseas, vômito e a terapia alivia os efeitos”, revela a fisioterapeuta.

Cada ponto do nosso corpo tem uma função local e outra sistêmica. A especialista destaca que a avaliação completa, buscando descobrir a causa da dor, revela a energia em desequilíbrio ou o canal obstruído e que pontos devem abordados. Os efeitos do tratamento aparecem nas primeiras sessões, com duração de 30 minutos cada, sendo possível perceber melhoras significativas em cerca cerca de três meses, dependendo do benefício almejado. “A agulha é mais fina que um fio de cabelo e descartável. De acordo com o objetivo, escolhemos até dez pontos e colocamos as agulhas no corpo para atuar em doenças respiratórias, circulatórias, do sistema nervoso, emocionais etc”, frisa Nelbia.


Por: JM On Line -Seção: Saúde

Publicado em: 06/01/2011

Fonte: http://www.jmonline.com.br/novo/?noticias,7,SA%DADE,39695

Pessoas vivem mais, mas passam mais anos doentes

Expectativa pouco saudável.

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos mostrou que, apenas de estarem vivendo mais, as pessoas estão passando um percentual maior de suas vidas doentes.

A nova pesquisa, publicada na edição de dezembro da revista Journal of Gerontology, revela que o aumento na expectativa de vida não tem sido acompanhado por mais anos de saúde perfeita.

Na verdade, uma pessoa com 20 anos de idade hoje pode esperar adoecer um ano a mais ao longo de sua vida do que uma pessoa com 20 anos de idade uma década atrás - mesmo com o aumento da expectativa de vida.

Segundo a pesquisa, não se trata apenas de viver mais anos doente em função de uma vida mais longa: o número médio de anos saudáveis vem diminuindo desde 1998. Mesmo vivendo mais tempo, contamos com um número menor de anos saudáveis no total.

Morbidade

De 1970 a 2005, a probabilidade de uma pessoa com 65 anos chegar aos 85 anos duplicou, passando de aproximadamente 20 por cento para 40 por cento de chance.

Muitos pesquisadores têm presumido que as mesmas forças que permitem às pessoas viverem mais tempo, incluindo os comportamentos mais saudáveis e os avanços da medicina, também retardariam o aparecimento de doenças e permitiriam que as pessoas passassem menos anos de suas vidas com doenças debilitantes.

Mas Eileen Crimmins e Beltrán Hiram-Sánchez, da Universidade do Sul da Califórnia, mostraram que não é bem assim.

Sua pesquisa revelou que a morbidade média - o período de vida gasto com doenças graves ou com a perda da mobilidade funcional - tem realmente aumentado nas últimas décadas.

Ilusão

"Nós temos assumido que cada geração será mais saudável e viverá mais do que a anterior", explica Crimmins. "No entanto, a compressão da morbidade pode ser tão ilusória quanto a imortalidade."

"Há provas substanciais de que nós temos feito muito pouco até agora para eliminar ou retardar as doenças; o que temos feito é evitar a morte pelas doenças," explicou Crimmins.

"O aumento da prevalência das doenças pode, em certa medida, refletir melhorias nos diagnósticos, mas o que isto reflete mais claramente é um aumento da sobrevida de pessoas com doenças," conclui o pesquisador.


Por: Diário da Saúde

Publicado em: 07/01/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=pessoas-vivem-mais-doentes&id=6085

Acupuntura ajuda aliviar dores da fibromialgia

A acupuntura tem se mostrado muito eficaz para amenizar as dores e as limitações de pacientes que sofrem com a fibromialgia.

O tratamento da dor é uma das aplicações mais conhecidas da acupuntura no Ocidente. A técnica pode tratar os mais diversos tipos de dor, a partir de um diagnóstico preciso que identifique sua causa e garanta mais qualidade de vida às pessoas.

Nos últimos anos, explica Dirceu de Lavor Sales, presidente do Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura, a prática tem se mostrado muito eficaz para amenizar as dores e as limitações de pacientes que sofrem com a fibromialgia, dor crônica generalizada por todo o corpo, que atinge 2% da população, sendo oito mulheres para cada homem. "A idade do aparecimento da fibromialgia é geralmente entre 30 e 60 anos, porém há casos em pessoas mais velhas, crianças e adolescentes".

A fibromialgia já é conhecida há mais de 100 anos, mas se davam nomes diferentes para ela e não havia um consenso de como fazer o diagnóstico da doença. Hoje já possui características essenciais para o seu diagnóstico. "Dor, por mais de três meses, em todo o corpo e presença de pontos dolorosos na musculatura (11 pontos, de 18, que estão pré-estabelecidos) já indicam a doença.

A depressão está presente em 50% dos pacientes com fibromialgia, que por si só, piora o sono, aumenta a fadiga, diminui a disposição para o exercício e aumenta a sensibilidade do corpo.

Ainda como sintomas da fibromialgia identifica-se a rigidez matinal, dor abdominal, cefaléias, tonturas, amortecimentos, dor toráxica atípica, palpitação, sensação de aumento do volume articular, tensão pré-menstrual, incômodo psicológico como depressão e ansiedade, queixas cognitivas como problemas de memória e dificuldade de concentração. Em alguns pacientes, são encontrados pontos de intensa contração muscular, semelhantes a pequenos caroços: são os chamados "pontos-gatilho".

Tratamento constante

O tratamento para quem sofre de fibromialgia é constante, pois a doença ainda não tem cura, o mais importante é um tratamento eficaz para controlar os sintomas. Em um estado de dor crônica, os medicamentos utilizados com mais eficácia são os analgésicos e antidepressivos. Vários tipos de tratamento já foram testados para a fibromialgia, e muitos deles não ajudaram. Porém, com o melhor entendimento do problema, novas medidas estão por vir. Atividade física regular é o tratamento capaz de restaurar a pessoa para uma vida normal. A acupuntura também é um método que pode ajudar em casos de dor localizada e resistente, e é recomendada com certa frequência. Porém, a acupuntura funciona somente enquanto o paciente está sob tratamento, e não tem efeito duradouro.

Para Lavor Sales, a técnica além de exercer um potente efeito analgésico, tem ação anti-inflamatória e relaxante muscular. A sensação de alívio das dores e o desconforto têm feito com que cada vez mais pessoas busquem a técnica, pois sua ação terapêutica age diretamente nos músculos afetados.


Por: Bond News - Seção: Mulher - Boa Forma

Publicado em: 12/01/2011

Fonte: http://www.bonde.com.br/?id_bonde=1-34--31-20110112&tit=acupuntura+ajuda+aliviar+dores+da+fibromialgia

Duas horas e meia de actividade física reduzem incidência de cancro

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a «actividade física desempenha um papel importante na redução da incidência de determinados cancros».
A Organização Mundial de Saúde recomenda a realização de duas horas e meia de actividade física moderada por semana como medida para reduzir o risco do cancro da mama e cólon, bem como a diabetes e doenças cardíacas.

A propósito do Dia Mundial do Cancro, o director-geral adjunto da OMS para as Doenças Não Transmissíveis e Saúde Mental indicou que a «actividade física desempenha um papel importante na redução da incidência de determinados cancros».

«A inactividade física é o quarto factor de risco principal para todas as globais, sendo que 31 por cento da população de todo o mundo não pratica actividade física», acrescentou Ala Alwan.

Nas idades entre os 5 e os 17 anos, a OMS recomenda, pelo menos 60 minutos de actividade física moderada a vigorosa para proteger a saúde e reduzir o risco destas doenças.

A inactividade física está associada a 3,2 milhões de mortes anuais, 2,6 milhões das quais em países mais pobres, a mais de 670 mil mortes de pessoas com idade inferior a 60 anos e a cerca de 30 por cento dos casos de diabetes e doença cardíaca isquémica.

Por: TSF - Rádio Notícias - Portugal

Publicado em: 03/02/2011

Fonte: http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Vida/Interior.aspx?content_id=1775532

Refrigerante diet também aumenta risco cardiovascular

Ruim para o coração

Trocar o refrigerante por uma versão diet pode ajudar no controle do peso, mas não vai refrescar a saúde cardiovascular.

Segundo uma nova pesquisa, quem consome refrigerante com frequência, mesmo que diet, tem risco muito maior de desenvolver problemas cardiovasculares do que aqueles que não ingerem a bebida.

O estudo apresentado na quarta-feira (9/2) na International Stroke Conference 2011, em Los Angeles, Estados Unidos, foi feito com 2.564 pessoas com mais de 40 anos, de diferentes etnias, em Nova York, acompanhadas por uma média de 9,3 anos.

Sal no refrigerante

Os resultados mostraram que aqueles que consumiram refrigerante diet diariamente tiveram risco 61% maior de desenvolver problemas cardiovasculares do que os que não beberam refrigerante com a mesma frequência.

O motivo é o sal presente em tais bebidas, seja na versão com açúcar ou com adoçante.

O consumo elevado de sal, além de poder causar hipertensão, mostrou-se relacionado com um grande aumento no risco de manifestar acidentes vasculares cerebrais (AVC) isquêmicos, que interrompem o fluxo de sangue para o cérebro.

O estudo verificou que os participantes que consumiram mais de 4 gramas de sódio por dia apresentaram risco duas vezes maior de desenvolver AVC do que aqueles que ingeriram menos de 1,5 grama por dia.

"Se os resultados forem confirmados em estudos futuros, poderemos dizer que os refrigerantes diet podem não ser os substitutos ideais para as bebidas açucaradas, com relação à proteção contra eventos vasculares", disse Hannah Gardener, da Universidade de Miami, líder da pesquisa.

Diferença entre marcas

Dos participantes, apenas um terço se mostrou no limite recomendado pelas U.S. Dietary Guidelines de consumir até 2,3 gramas de sódio por dia, o equivalente a uma colher de chá de sal. A recomendação da American Heart Association é de um consumo diário de até 1,5 grama de sódio e a média do estudo ficou em 3 gramas.

"A ingestão elevada de sódio é um fator de risco para AVC isquêmico em pessoas com hipertensão ou não, o que destaca a importância de limitar o consumo de alimentos com muito sal", disse Hannah.

A cientista destaca que nos resultados do estudo devem ser levados em consideração os poucos dados sobre tipos de bebidas consumidas, e que a variação entre marcas ou no uso de adoçantes pelas mesmas pode ter influído nos resultados.



Por: Agência Fapesp - Diário da Saúde

Publicado em: 10/02/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=refrigerante-diet-aumenta-risco-cardiovascular&id=6183

Alho controla a pressão alta

Que o alho é excelente para diversos problemas de saúde, isso não é novidade. Recentemente, um estudo a Universidade de Adelaide, na Austrália, constatou outro benefício da planta. Constatou-se que ele também é bom para controlar a pressão alta. Porém, o alho ideal para evitar a hipertensão é o extrato de alho envelhecido, encontrado em cápsulas. O que diferencia o alho convencional do extrato para este caso é a forma de preparo. Ao cozinhar o alho fresco, o ingrediente responsável pela redução da pressão arterial desaparece, disseram os cientistas australianos. Os pesquisadores ressaltaram, no entanto, que o extrato de alho envelhecido não deve ser a única maneira para controlar a doença e sim, mais uma dela, associado aos medicamentos prescritos pelos médicos. Há mais de 7 mil anos a medicina tradicional da Índia, a Ayurveda, usa o alho no tratamento da pressão alta. O bulbo é um agente antiespasmódico. Por isso, ele reduz a pressão nas artérias, causada com a ação do bombeamento do coração durante a circulação sanguínea, criando um ritmo no bombeamento do coração. A pressão arterial elevada é um dos principais responsáveis pelas doenças cardíacas. Ela também causa doenças cardíacas, derrames e insuficiência cardíaca. A doença também afeta os vasos sanguíneos, coração, cérebro, olhos e rins. Os sintomas da pressão alta são dores no peito, fraqueza, dor de cabeça, tontura, zumbido no ouvido e perda de sangue nasal. Para evitá-la, os médicos recomendam uma vida saudável: atividade física diária, bons hábitos alimentares e evitar gordura na alimentação.


Por: Carolina Abranches - Diário do Grande ABC - Seção: Bem Estar

Publicado em: 24/02/2011

Fonte: http://www.dgabc.com.br/News/5868663/alho-controla-a-pressao-alta.aspx

Massagem rejuvenescedora e revigorante

Considerada uma plástica natural, a massagem ayurvédica facial é uma ótima alternativa para mulheres que desejam evitar rugas e marcas de expressão. Além disso, a técnica traz bem-estar emocional, ajudando a tratar males como depressão e estresse.

Surgida na Índia há mais de sete mil anos e considerada a “mãe” de todas as técnicas massageadoras, a chamada massagem ayurvédica atua nos níveis físico, emocional e espiritual. O método ajuda a modelar o corpo e atua de forma a auxiliar a drenagem linfática, realinhar toda a estrutura ósseo-muscular, aliviar as tensões, fortalecer o sistema imunológico e desintoxicar o organismo, além de ter efeito contra o estresse e a depressão.
O procedimento pode ser realizado em todo o corpo, mas é na face, pescoço e colo que são sentidos de forma mais evidente os efeitos embelezadores e rejuvenescedores. Trata-se, portanto, de uma ótima opção para quem se preocupa com o surgimento de rugas precoces e marcas de expressão, em especial as mulheres.
“Na massagem facial é feita uma drenagem, que leva a energia presa para um ponto chamado ‘lixeira’, próximo ao ouvido. Usamos pontos específicos que, quando tocados, promovem a harmonização das energias em todo o rosto. Esse processo permite a tonificação e reconstrução da pele por si mesma, e é a forma natural mais efetiva para prevenir e tratar rugas”, explica o massoterapeuta Bento de Albuquerque.

Harmonia
Por meio do toque e da reorganização do fluxo energético no organismo, a técnica libera e cura os bloqueios, possibilitando uma vida mais harmoniosa e feliz. “A massagem faz a energia circular e limpa os canais. Assim como existem rios que precisam ser limpos, a mesma coisa é o corpo humano, que possui canais internos e precisam diariamente de automassagem para harmonizar, relaxar e desintoxicar. Depois de terminada a sessão, a pessoa está tranquila e percebe a diferença entre o antes e o depois. Fica mais jovem, renova sua energia e se sente melhor, bem disposta, com vontade de viver, independentemente da idade.

Essa massagem trabalha muito a depressão, melancolia e tristeza decorrentes da pressão da vida. É uma plástica natural, onde não se usa o bisturi, e sim, as mãos. Ela mexe no externo e toca no interno, onde está a essência divina”, garante Bento.

Marcas de expressão acentuadas, manchas, sinusite, expressão de tristeza e acne podem ser amenizadas com o tratamento facial ayurveda, que é fundamentado nos doshas. De acordo com o ayurveda, eles caracterizam o perfil biológico de cada um e são divididos em vata (pessoas com esse dosha possuem pele seca, áspera ou rachada), pitta (pele olesa, facilmente irritável, com sardas ou verrugas) e kapha (pele suave, muito oleosa, fria e úmida). Independentemente do dosha predominante, a massagem torna a pele sedosa, normaliza a temperatura e promove saúde e relaxamento.
Mente em equilíbrio



A proprietária do Nuwa Spa, Estela Boner, fala sobre a finalidade da técnica: “O acúmulo de toxinas acaba por se transformar em doenças. Por isso, o objetivo principal do procedimento é a promoção da saúde, evitando que a pessoa adoeça e, caso esteja doente, auxilia no tratamento. O método contempla também o aspecto emocional. Pessoas com males como síndrome do pânico, ansiedade e má qualidade do sono sentem bastante diferença após passarem pela massagem”, diz.
Segundo ela, a ausência de hábitos saudáveis causa impactos físicos e psicológicos, trazendo aspecto envelhecido e semblante carregado. “À medida que a pessoa se submete à massagem facial essa fisionomia é transformada automaticamente”, frisa Estela.
Uma das vertentes da terapia ayurvédica facial é a Shirodhara, que consiste em aplicação terapêutica de um fluxo contínuo de óleo aquecido na testa. Esse procedimento proporciona inúmeros benefícios, ajudando a tratar distúrbios relacionados à cabeça, como insônia, enxaqueca e falta de concentração. Também auxilia na manutenção do equilíbrio do corpo e da mente, fortalecendo o metabolismo e melhorando a digestão.

Estela afirma ser essencial o uso do calor para aplicar o método. “Toda a vida funciona com calor e isso é ensinado na medicina chinesa. Você cria essa condição para promover a desintoxicação e estimular a circulação”, esclarece. Para ela, a massagem é tão importante quanto outras necessidades básicas do ser humano. “Na Índia, da mesma forma que se come e dorme diariamente, você deve fazer massagem todos os dias. Graças a Deus, as pessoas do Ocidente estão descobrindo aos poucos essa realidade. É um procedimento muito completo, transformador mesmo”, afirma.

Vale destacar que a ayurveda facial é um técnica indolor e extremamente relaxante. Algumas celebridades são adeptas dessa prática milenar, como a atriz Demi Moore, a cantora Madonna e a atriz Maitê Proença, que inclusive viajou para a Índia para conhecer de perto a técnica oriental.



Por: Comunidade VIP - Seção: Viver Melhor

Publicado em: 05/03/2011

Fonte: http://comunidadevip.maiscomunidade.com/conteudo/2011-03-05/vivamelhor/1904

Homeopatia pode facilitar a hora do parto

Como garantir um parto tranquilo e que seu filho venha ao mundo com saúde? A resposta pode estar na homeopatia. O ideal é começar o tratamento ainda nos primeiros meses de gestação, como prevenção, para que os efeitos sejam os melhores possíveis para a mãe e o bebê. De acordo com a professora e coordenadora do curso de extensão em homeopatia da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Eliete Fagundes, a homeopatia facilita a hora do parto. “Nesse momento, a mulher geralmente tem medo de falhar, é como se fosse um grande teste na vida dela, com toda a expectativa familiar em cima. Com isso, muitas vezes, ela bloqueia inconscientemente a musculatura e dificulta o parto, sendo necessária a cesariana.”

Eliete explica que a homeopatia atua em nível mental, provocando relaxamento e confiança para que a mulher possa contribuir serenamente para o nascimento de seu filho. Mas os benefícios não são só para facilitar o momento do parto. O tratamento também contribui para que a mulher durma melhor, se alimente bem e tenha as contrações necessárias para que seu bebê nasça com saúde, contribuindo para evitar doenças na infância.

“Quanto mais saudáveis são os pais, mais saudáveis serão os filhos.” Com base nessa observação, Eliete garante que a homeopatia tem tratamentos preventivos para evitar a transmissão de doenças herdadas pelos familiares. Mães que fizeram uso de remédios homeopáticos antes da gestação têm chance maior de dar à luz crianças com saúde, equilíbrio e felizes.

Segundo a professora da UFV, os medicamentos homeopáticos evitam sintomas comuns na gravidez, como azia, mal-estar, náuseas, vômitos, insônia, varizes, intestino preso, infecção urinária, depressão ou mesmo a tradicional insegurança que domina as mulheres durante toda a gestação. Preocupadas com o sucesso do parto e a saúde do bebê, muitas vezes a mulher acaba contribuindo inconscientemente para um parto difícil. Nesse sentido, a homeopatia, explica Eliete, é uma grande aliada dos pais.

E mesmo depois do parto, o tratamento com medicamentos homeopáticos pode atuar no processo pós-operatório da mãe, facilitando a cicatrização e diminuindo o sangramento, além de contribuir para uma rápida recuperação.
A homeopatia pode seguir em várias direções, dependendo do paciente, da história pessoal e familiar de cada um. Segundo a especialista, ela se divide por grandes grupos de pessoas que têm pré-disposição para certos tipos de adoecimento. O papel dessa ciência é justamente equilibrar o emocional, mental e físico do paciente para que ele adoeça menos. “A função é estimular o sistema imunológico para que a própria pessoa se cure.” Mas como há também a questão da influência do ambiente, da alimentação e do emocional, que provoca uma desestabilização e consequente queda da resistência física, Eliete ressalta que a homeopatia busca esse equilíbrio.

Muitas vezes, ela trabalha com produtos tóxicos, mas como são bem diluídos, não apresentam contraindicação. Diferentemente do que se pensa, o tratamento é extremamente rápido. “Casos de dengue, por exemplo, em que a pessoa sente muita dor no corpo, cinco minutos depois de ministrado o remédio a melhora é incrível. Atua rapidamente no sistema imunológico”, afirma Eliete, acrescentando que o resultado pode ser mais lento quando vai tratar algo que está lá atrás, encoberto pelo emocional da pessoa. Em casos mais agudos, o efeito é mais rápido.

Leis universais

Se a homeopatia consegue equilibrar o sistema imunológico e promover curas, por que ela é tão criticada? Segundo Eliete, isso se deve ao fato de que seus paradigmas e não dogmas se baseiam em leis universais que estão sendo descortinadas pela física quântica, a exemplo de estudos divulgados recentemente comprovando a memória da água. “É uma ciência que trata integralmente o ser humano e todo o contexto que o rodeia. Não se consegue dissociar o físico do espiritual.”

Para a professora da UFV, a homeopatia incomoda porque exige uma mudança de paradigma. “Exige que façamos uma análise profunda de nossa vida e que tomemos uma postura ética em relação não somente aos humanos, mas também a todo o ecossistema vigente”, afirma.

Ela lembra que, para atingir um equilíbrio rápido e permanente, é indispensável estar predisposto à harmonização. Cada um deve perceber hábitos nocivos à sua saúde física, mental, psicológica, emocional e energética e tentar modificá-los, procurando manter essa saúde em todos os níveis da vida, com o maior grau de consciência possível. “O uso da homeopatia, aliado a mudanças no estilo de vida, ajuda a equilibrar e reestruturar o ser humano, tornando-o cada vez mais harmônico e feliz.”



Por: Diário de Pernanbuco

Publicado em: 14/03/2011

Fonte: http://www.pernambuco.com/ultimas/nota.asp?materia=20110314120210&assunto=31&onde=Brasil

Tratamento elimina sensibilidade de crianças com alergia ao leite

Alergia ao leite

A alergia ao leite é o tipo mais comum de alergia alimentar entre as crianças, afetando 2,5 por cento daquelas menores de 3 anos de idade.

Essas alergias variam largamente em gravidade, indo de sintomas leves até o risco de vida no caso da ingestão do alimento desencadeador da reação.

Agora parece haver uma esperança para as indesejáveis reações, graças a uma pesquisa de imunologistas e alergistas no Hospital Infantil de Boston e da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos.

Tratamento para alergias alimentares

Os cientistas conseguiram efetivamente eliminar a sensibilidade ao leite de um pequeno grupo de crianças aumentando sua exposição ao leite em conjunto com a aplicação de um antialérgico chamado omalizumab.

Segundo eles, o tratamento permitiu que as crianças desenvolvessem rapidamente a resistência ao leite com reações alérgicas muito limitadas.

Apesar de a alergia alimentar ser um problema de saúde pública, atualmente não existe um tratamento eficaz e seguro, exceto evitar os alimentos que desencadeiam a reação anafilática, e tratar precocemente as reações quando elas ocorrem.

Mas a necessidade de novas opções parece fundamental uma vez que o número de crianças diagnosticadas com alergias alimentares está aumentando consideravelmente.

Dessensibilização

Quase todas as crianças que passaram pelo tratamento cumpriram uma dieta duplo-cego - nem elas e nem quem as alimentava sabia o teor ou se havia leite nos alimentos - e depois foram capazes de ingerir o equivalente a um copo de leite por dia ou mais.

Embora estudos anteriores já tivessem demonstrado que a dessensibilização oral ao leite pode aumentar a quantidade de leite tolerada, os pesquisadores afirmam que a administração da omalizumab permitiu que essa dessensibilização ocorresse em um período de tempo menor.

Depois de um pré-tratamento das crianças com o antialérgico, os pesquisadores introduziram o leite na dieta em quantidades cada vez maiores ao longo das próximas sete a 10 semanas, um período de dessensibilização relativamente rápido.

A droga desempenha um efeito protetor, minimizando as reações alérgicas que ainda surgem em alguns pacientes.

Com base nesses resultados, os cientistas agora vão aplicar o mesmo protocolo para pacientes com alergia a amendoim.

Twitter Facebook Orkut MySpace Digg Blogger Mais...

Por: Redação Diário da Saúde

Publicado em: 24/03/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=tratamento-elimina-sensibilidade-criancas-alergia-leite&id=6302

Dor da rejeição e dor física ativam mesma região do cérebro

Rejeição machuca

A dor da rejeição não é apenas uma figura de expressão ou de linguagem, mas algo tão real como a dor física.

Experiências intensas de rejeição social ativam as mesmas áreas no cérebro que atuam na resposta a experiências sensoriais dolorosas.

"Os resultados dão novo sentido à ideia de que a rejeição social 'machuca'", disse Ethan Kross, da Universidade de Michigan, que coordenou a pesquisa.

Os resultados do estudo serão publicados esta semana no site e em breve na edição impressa da revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

Dores semelhantes

"A princípio, derramar uma xícara de café quente em você mesmo ou pensar em uma pessoa com quem experimentou recentemente um rompimento inesperado parece que provocam tipos diferentes de dor, mas nosso estudo mostra que são mais semelhantes do que se pensava", disse Kross.

Estudos anteriores indicaram que as mesmas regiões no cérebro apoiam os sentimentos emocionalmente estressantes que acompanham a experiência tanto da dor física como da rejeição social.

A nova pesquisa destaca que há uma interrelação neural entre esses dois tipos de experiências em áreas do cérebro, uma parte em comum que se torna ativa quando uma pessoa experimenta sensações dolorosas, físicas ou não. Kross e colegas identificaram essas regiões: o córtex somatossensorial e a ínsula dorsal posterior.

Fim do relacionamento

Participaram do estudo 40 voluntários que haviam passado por um fim inesperado de relacionamento amoroso nos últimos seis meses e que disseram se sentir rejeitados por causa do ocorrido.

Cada participante completou duas tarefas, uma relacionada à sensação de rejeição e outra com respostas à dor física, enquanto tinham seus cérebros examinados por ressonância magnética funcional.

"Verificamos que fortes sensações induzidas de rejeição social ativam as mesmas regiões cerebrais envolvidas com a sensação de dor física, áreas que são raramente ativadas em estudos de neuroimagens de emoções", disse Kross.



Por: Diário da Saúde - Agência Fapesp

Publicado em: 29/03/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=dor-rejeicao-dor-fisica-cerebro&id=6328

Excesso de preocupação atrapalha tratamento do câncer de mama

Preocupação prejudicial

Algumas mulheres com câncer de mama em estágio inicial são vulneráveis ao excesso de preocupação com a recorrência do câncer.

O estudo indica que se preocupar com a recorrência do câncer pode comprometer o tratamento e a qualidade de vida da paciente.

Graças aos recentes avanços da medicina, a maioria das mulheres que são diagnosticadas com câncer de mama em estágio inicial têm um baixo risco de recorrência do câncer.

Apesar de um futuro otimista, muitas dessas mulheres manifestam o temor de que o câncer volte no futuro, mesmo antes de iniciar os tratamentos.

Informações claras

Embora alguma preocupação com a recorrência do câncer seja compreensível, para algumas mulheres essas preocupações podem ser tão fortes que acabam tendo um impacto sobre a escolha dos tratamentos, sobre a frequência com que procuram atendimento e sobre sua qualidade de vida depois que o câncer está curado.

A equipe da Dra. Nancy Janz, da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, descobriu que as mulheres com maior facilidade de compreender a informação clínica que lhes foi apresentada tiveram menos sintomas da preocupação excessiva.

Aquelas que receberam cuidados mais coordenados também relataram menos preocupação com o retorno do câncer.

Pacientes menos aculturadas - como migrantes com menor capacidade de entendimento do idioma - mostraram-se particularmente vulneráveis aos altos níveis de preocupação, mostrando, segundo os pesquisadores, que o perfeito entendimento das explicações dadas pelo médico é essencial para a tranquilidade das pacientes.

Outros fatores que foram associados com mais preocupação com a volta da doença foram menor idade, maior intensidade de dor e cansaço, e pacientes submetidas a tratamento com radiação.

Excesso de preocupação

"O nível de preocupação com a volta da doença muitas vezes não é alinhado com o risco real de recorrência do câncer," disse a Dra. Janz. "Nós precisamos compreender melhor os fatores que aumentam a probabilidade de que as mulheres se preocupem e desenvolver estratégias e encaminhamentos adequados para ajudar as mulheres com excesso de preocupação."

A médica destaca que os programas para ajudar as mulheres devem ser culturalmente sensíveis e adaptados às diferenças das doentes quanto ao estilo de comunicação, apoio social e estratégias de enfrentamento.

Ela também enfatizou a importância da adequada apresentação das informações sobre riscos para as mulheres com câncer de mama, para que elas possam compreender seus próprios riscos e participar efetivamente nas decisões de tratamento.


Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 31/03/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=excesso-preocupacao-atrapalha-tratamento-cancer-mama&id=6321

Cogumelo do sol é eficaz contra leishmaniose

Leishmanioses

Formulações farmacêuticas produzidas com substâncias do extrato purificado do cogumelo do sol poderão tornar-se um recurso diferenciado no tratamento das leishmanioses.

A informação vem de pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e da cooperativa Minasfungi do Brasil que, em parceria, estão testando as novas formulações in vitro e em camundongos infectados pela doença.

"Após o tratamento por via oral, animais infectados com a espécie Leishmania amazonensis apresentaram, em vários órgãos, redução mais acentuada do número de parasitas do que quando receberam medicamentos convencionais, como a anfotericina B", diz o professor Eduardo Antonio Ferraz Coelho, um dos responsáveis pela pesquisa.

Sem efeitos colaterais

Além da eficácia verificada nos experimentos iniciais, as substâncias demonstraram benefício adicional em relação aos fármacos disponíveis no mercado: a ausência de efeitos colaterais.

"Os testes indicam que não há prejuízos para células de mamíferos", revela o professor. O resultado já era esperado, uma vez que a formulação é extraída de fungo aprovado pelo Ministério da Saúde como complemento alimentar humano.

Como explica o professor Carlos Alberto Pereira Tavares, coautor da pesquisa, outra particularidade observada nos testes in vitro é que a medicação à base do cogumelo preserva o macrófago - a principal célula parasitada pela leishmânia no hospedeiro mamífero.

"O produto consegue agir diretamente sobre os parasitas dentro da célula hospedeira, sem que ocorra a ativação dos macrófagos parasitados", diz.

Tratamento das leishmanioses

De modo geral, o tratamento das leishmanioses é feito com os chamados antimoniais pentavalentes, que causam toxicidade cardíaca, renal e hepática.

"É um protocolo doloroso para o paciente", esclarece Eduardo Coelho. As aplicações do medicamento são feitas por via endovenosa ou intramuscular. "O tratamento é longo, durante o qual tem sido constatado aumento no número de casos de recidiva (recaída). O paciente pode até apresentar cura clínica, porém, após algum tempo, volta a desenvolver a doença", relata.

As formulações em teste na UFMG pelo pesquisador Diogo Valadares não apresentam essa toxicidade e destinam-se ao uso oral, menos traumático para quem deve lidar com o problema.

A estratégia também pode reduzir os níveis de abandono do tratamento, causa importante do aumento da resistência do parasito a fármacos em uso. O objetivo do grupo é desenvolver produtos para humanos e, sobretudo, cães, importante fonte de transmissão da doença - as estatísticas mostram que, para cada caso de infecção sistêmica entre pessoas, há dez mil ocorrências entre cães.

Cogumelo do sol

O cogumelo do sol, antigo Agaricus blazei, atual Agaricus brasiliensis, é um fungo típico da biodiversidade brasileira. Diz a tradição que foi descoberto por uma comunidade japonesa na década de 1970, em São Paulo, que vivia na Serra da Piedade e apresentava maior longevidade e baixo índice de doenças crônico-degenerativas, em decorrência de seu consumo.

Estudos sobre seu potencial biológico foram iniciados na UFMG em 2008, pelo então aluno de pós-doutorado do ICB Wiliam César Bento Régis, atual diretor científico da Minasfungi do Brasil, cooperativa de produtores mineiros que realiza bioprospecção para comprovar efeitos fisiológicos do fungo que comercializa.

Em convênio com a UFMG, o grupo promove a purificação de extratos, que são testados posteriormente em laboratórios da instituição.

"Já obtivemos diferentes purificações e caracterizamos muitas moléculas do cogumelo do sol, mostrando que ele é uma verdadeira farmácia viva", sintetiza Wiliam Régis.

Conhecido do público brasileiro, o produto disponível comercialmente tem consumo autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) apenas como alimento. A parceria com a Minasfungi levou à criação de grupo de pesquisa no CNPq destinado à investigação de princípios ativos do fungo com finalidades farmacêuticas.

Leishmânia

Causada pelo protozoário leishmânia, a doença circula principalmente na tríade inseto-cão-homem e se manifesta nas formas cutânea (tegumentar) e visceral (sistêmica).

"Na leishmaniose visceral, há infiltração do parasito em diversos órgãos; eles se reproduzem e aumentam numericamente até causar falência no funcionamento desses órgãos", explica Eduardo Coelho.

O tratamento no Brasil privilegia a manifestação visceral, devido à capacidade do parasito de migrar para diversos órgãos do corpo. Casos da doença na forma cutânea estariam, assim, abarcados pelo protocolo. Rude e silencioso

Em seu ciclo de vida, a leishmânia apresenta forma flagelada (espécie de cauda) ou não - os termos técnicos são promastigota e amastigota, respectivamente. A forma sem o flagelo se multiplica dentro das células de defesa - macrófagos do organismo animal - que funcionam como reservatórios da leishmânia.

A transmissão ocorre por meio do mosquito palha, que suga o sangue do animal infectado e posteriormente transmite o parasito ao homem. No inseto, o protozoário assume a forma flagelada.

Organismo bastante rudimentar, ele obtém sucesso em sua infestação também porque atua em espécie de silêncio. "Como tem duas formas morfológicas bem distintas, postula-se que a amastigota, que vive no homem e no cão, lhe permite manter-se silencioso, exatamente para não perturbar nem ser perturbado", observa Eduardo Coelho.

Decorre daí a dificuldade em se obter o diagnóstico rápido da leishmaniose humana. "Os casos humanos são poucos, proporcionalmente, em relação a outras doenças mais comuns em nosso meio, porém mais fatais. Isso ocorre porque, quando se descobre a doença, ela já está em fase avançada, comprometendo o funcionamento de diversos órgãos do corpo", acrescenta o professor. Os principais sintomas são febre, emagrecimento, palidez e aumento do volume do fígado e do baço.

Incidência da leishmaniose

A leishmaniose é endêmica em 88 países, de acordo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Distintas espécies do parasito predominam nos países afetados. Na UFMG, os testes para a formulação farmacêutica foram feitos até o momento para a L. amazonensis - considerada bastante agressiva - e a L. chagasi, principal causadora da doença no país.

Segundo dados do Ministério da Saúde, Minas Gerais ocupa o segundo lugar no ranking do número de casos no Brasil. Entre 2009 e 2010, foram 1.232 ocorrências em humanos, com 132 mortes - 41%, ou 55 delas, registradas em Belo Horizonte e Região Metropolitana. Farmácia viva Manuscrito

Um pedido de patente para a nova formulação foi depositado pela UFMG. Não há previsão, no entanto, para o início de sua comercialização. Atualmente, os pesquisadores estão finalizando acordos para a realização de testes clínicos em cães.



Por: Diário da Saúde - Com informações da UFMG

Publicado em: 01/04/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=cogumelo-sol-leishmaniose&id=6332

O tipo sanguíneo deve determinar a dieta do vegetariano

Hábitos alimentares têm que ser compatíveis à individualidade biológica
O vegetarianismo cresce em todo o mundo, despontando não só como dieta, mas como um estilo de vida. Contudo, conforme atenta a terapeuta ortomolecular Emília Pinheiro, as pessoas que desejam fazer parte dessa filosofia devem tomar cuidado ao modificar seus hábitos alimentares, tendo em vista sempre as necessidades demandadas pelo seu tipo sanguíneo.

De acordo com Emília, que também é autora do livro "Dieta pelo tipo metabólico e sanguíneo", indivíduos do grupo O e B necessitam mais de carne para ter a saúde ideal. Apesar dos males alardeados à carne vermelha, as pessoas desses grupos produzem uma enzima importante, a fosfatase alcalina intestinal, cujo papel, entre outros, é o de facilitar a digestão das proteínas e gorduras de origem animal. Essa enzima tem a função de eliminar os efeitos danosos de uma alimentação com alto teor protéico.

— Se o indivíduo sofre esse tipo de restrição, da carne, isso pode interferir seriamente na sua capacidade de metabolizar gorduras e vir a provocar-lhes diabetes e doenças cardiovasculares. Especialmente no tipo O, a ingestão de proteína animal constitui-se numa excelente medida preventiva contra a obesidade — explica.

A esse grupo de pessoas vegetarianas, carnívoras por natureza genética, Emília aconselha a adaptar suas condições dietéticas através de suplementação adequada, vitaminas, minerais, ácidos graxos, aminoácidos, entre outros, que minimizarão os efeitos de suas escolhas alimentares.

— Indivíduos vegetarianos do tipo O e B necessitam de suplementação específica e muito bem orientada capaz de perfazer quaisquer falhas produzidas pela alimentação incompatível à sua individualidade biológica — enfatiza.

Nas pessoas do tipo A e AB, a enzima é praticamente inexistente e, até mesmo as pequenas porções secretadas, ainda assim tornam-se ineficientes, já que são desativadas pelos seus próprios antígenos A.

— Esta conduta dietética, devido à sua predisposição genética, quando não somada ao histórico familiar, sem dúvida, colaborará para mantê-los afastados dos três males que, atualmente, mais matam no planeta: doenças cardiovasculares, diabetes e câncer — diz.

As pessoas do tipo A e AB, diferentemente das de O e B, funcionam muito melhor com menos gordura ou proteínas de origem animal.





Por: Zero Hora - Seção: Bem-Estar

Publicado em: 25/03/2011

Fonte: http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1§ion=Segundo%20Caderno&newsID=a3251645.xml

Que tal pratica a Meditação?

Iniciar uma dieta e praticar uma atividade física estão entre os projetos mais cobiçados para o início de um novo ano. Mas, que tal incluir também a prática da meditação. Motivos não faltam para você experimentar esse exercício para a mente. Inúmeras pesquisas indicam que essa prática milenar abaixa a pressão arterial, controla o estresse, diminui sensação de mal estar e alivia dores. É que o metabolismo do corpo se torna mais lento quando em repouso, o que ajuda a aliviar as dores. Muitos acreditam que meditar é esvaziar a mente. Fisiologicamente, isso é impossível porque o cérebro não para de funcionar. A meditação provoca, sim, um melhor direcionamento dos pensamentos. Uma referência é a meditação zen, ou zazen, como os zen-budistas a denominam. Consiste em simplesmente sentar, inspirar e expirar. Os pensamentos vão fazer o movimento de ir e vir, de acordo com a respiração. Não os julgue. Simplesmente deixe-os ir. Algumas práticas hinduístas e budistas usam como ponto de referência os mantras, espécies de frases em sânscrito. Pode-se repetir, por exemplo, OMMMMM. Ou repetir uma oração várias vezes seguidas. Uma maneira simples de meditar é também focar o pensamento na reflexão dos problemas, inserindo questões como o perdão, a compaixão e paz.

Por: Yasmin Barcellos - Diário do Grande ABC - Seção: Bem-Estar

Publicado em: 29/03/2011

Fonte: http://www.dgabc.com.br/News/5875635/que-tal-praticar-a-meditacao.aspx

Componente de embalagens plásticas pode aumentar risco de diabetes tipo 2

Substância química utilizada em certas embalagens de plástico, inclusive mamadeiras, o bisfenol-A (BPA) já foi acusado de elevar o risco de doenças cardíacas, câncer e problemas de fertilidade. Agora, um novo estudo associa o componente ao diabetes tipo 2.

A conclusão, publicada na “Nature Reviews Endocrinology”, partiu da revisão de mais de 90 estudos que envolvem o BPA e outros componentes químicos tóxicos ao organismo.

Roedores alimentados com uma dieta acrescida de BPA desenvolveram resistência à insulina e perderam a capacidade de manter níveis normais de glicose – um sinal de alerta para o desenvolvimento do diabetes tipo 2. E um estudo feito em 2010 indicou que ratas prenhas transmitiram esse risco aos filhotes.

Pesquisas similares envolvendo seres humanos apresentaram poucos resultados consistentes. Porém, uma análise feita nos EUA entre 2003 e 2004 com quase 1.500 pessoas mostrou que indivíduos com presença de BPA na urina tinham cerca de três vezes mais risco de ter diabetes tipo 2.

Embora os autores digam que são necessários estudos epidemiológicos mais amplos para estabelecer a conexão entre o BPA e a doença, eles argumentam que já existe evidência suficiente para recomendar que a substância seja evitada.



Por: UOL - Seção: Ciência e Saúde

Publicado em: 05/04/2011

Fonte: http://noticias.uol.com.br/ultnot/cienciaesaude/ultimas-noticias/2011/04/05/componente-de-embalagens-plasticas-pode-aumentar-risco-de-diabetes-tipo-2.jhtm

Abacate: uma fruta popular que não pode faltar na sua mesa

Por ser um alimento que apresenta propriedades funcionais, o abacate tem se tornado cada vez mais popular

Mas o que o abacate realmente tem de bom? A nutricionista Camila Lemos explica os prós e os (poucos) contras do consumo da fruta.

“O abacate é uma das frutas mais gordurosas, porém são gorduras saudáveis, como a gordura monoinsaturada (ácido oleico) – a mesma gordura do azeite de oliva – que é anti-inflamatória, responsável pelo aumento do HDL (colesterol bom) no sangue e também bloqueia a ação do LDL (colesterol ruim), responsável pela adesão das placas de gordura nas artérias”, explica Camila Lemos, nutricionista especializada em Nutrição Esportiva.

Lemos explica que a fruta não possui gorduras saturadas – provenientes de fonte animal – e os óleos encontrados no alimento fazem muito bem para o trato digestório. “Além disso, é uma das frutas com maior teor proteico e muito rica em açúcares e vitaminas (A, C, E, B1, B2, B6 e folato). Essas vitaminas são responsáveis em prevenir problemas de visão, combater os radicais livres e ainda atuam no processo de renovação da pele”, diz.

E entre os minerais que estão presentes no abacate estão potássio, ferro, magnésio, cálcio e fósforo, que combatem a anemia, auxiliam na formação das células sanguíneas, auxiliam no metabolismo da glicose, combatem a osteoporose e melhoram o raciocínio, evitando a fadiga mental.

“O abacate também possui substâncias funcionais como lecitina, fitosterol, tanino e glutationa, que atuam na emulsificação de gorduras, combatem radicais livres e principalmente agentes cancerígenos”, diz Lemos.

Mas a especialista avisa: apesar de todos os benefícios, o abacate tem um valor calórico elevado. Em 100 g há 175 kcal, e por isso deve ser ingerido com moderação.

Outro ponto positivo, aponta Lemos, é que o abacate pode ser conservado em geladeira por 2 a 4 semanas. A nutricionista lembra também que o período da safra é de fevereiro a agosto, quando se encontram as melhores frutas. Ou seja, é possível aproveitar os benefícios do abacate praticamente o ano inteiro.



Por: Expresso MT

Publicado em: 22/03/2011

Fonte: http://www.expressomt.com.br/noticiaBusca.asp?cod=127448&codDep=3

Conheça 16 maneiras simples para envelhecer com beleza

É indispensável dizer que, ultimamente, o tempo corre muito mais rápido do que conseguimos pensar. São inúmeras atividades profissionais, responsabilidades com a família ou com a vida a sós, planos futuros, pagamentos... Quase não sobre tempo para pensarmos em uma forma de mantermos a beleza e a disposição para um envelhecimento saudável. Foi pensando em melhorar o astral da mulher moderna que a equipe do Bonde selecionou 16 dicas do livro "Beleza sem idade: um guia feminino para manter a beleza e o bem-estar por toda a vida", de Dayle Haddon. Confira!

1. Limpe a pele duas vezes por dia com produtos sem detergente, sabão e perfume (esses produtos irritam a pele seca), hidratando-a bem e realizando esfoliação uma ou duas vezes por semana;

2. Não demore mais que 15 minutos no chuveiro ou na banheira, utilizando água morna (a água quente retira os óleos naturais e proteínas que protegem a pele);

3. Para hidratar o cabelo, coloque algumas gotas de óleo de oliva ou de amêndoas e deixe durante algum tempo. Para as mãos e os pés, passe um creme emoliente e denso (encontrado nas farmácias, ou use algum gel derivado do petróleo), cobrindo-os com meias grossas e luvas de algodão durante algum tempo;

4. Evite a exposição à radiação solar, mesmo durante o inverno;

5. Beba de seis a oito copos de água por dia;

6. Pare de fazer dietas e comece a comer refeições nutritivas que oferecem benefícios a longo prazo. Dê preferência a produtos orgânicos frescos, coma regularmente, retire a gordura e escolha alimentos de todos os grupos alimentares;

7. Corte a cafeína (encontrada em bebidas, chocolates e algumas medicações para dor e sinusite) após 3 horas da tarde;

8. Pare de fumar!

9. Encontre maneiras divertidas de praticar exercícios, realizando-os três vezes por semana. Comece a caminhar com os amigos, ande de bicicleta, caiaque, ou faça qualquer coisa de que você goste e que a mantenha em movimento;

10. Durma bem, regularmente;

11. Durante os banhos procure relaxar os músculos. Esse é um momento no qual você pode organizar as suas idéias e sensações do dia;

12. Desligue a televisão e escute música;

13. Participe de programas voluntários. Ajudar a comunidade dá uma sensação de integração e bem-estar;

14. Medite, ore ou contemple;

15. Crie um grupo de amigas que estimulem umas às outras;

16. Continue aprendendo; entre no curso com o qual você sempre sonhou, volte à escola!

Por: Bonde News

Publicado em: 30/03/2011

Fonte: http://www.bonde.com.br/?id_bonde=1-34--67-20110330&tit=conheca+16+maneiras+simples+para+envelhecer+com+beleza

Dieta mediterrânea faz bem à saúde

Dieta mediterrânea reduz riscos de síndrome metabólica Rica em alimentos antioxidantes e antiinflamatórios, ela aumenta o "bom" colesterol.

A dieta mediterrânea já é conhecida por ajudar a prevenir doenças cardíacas. Agora, uma nova pesquisa da Universidade de Atenas, na Grécia, publicada no Journal of The American College of Cardiology, estende estes benefícios à síndrome metabólica, um conjunto de fatores de risco que inclui hipertensão arterial, obesidade abdominal, níveis elevados de colesterol e resistência à insulina, que aumentam o risco para diabetes e doença cardíaca.

Os pesquisadores analisaram os resultados de 50 estudos envolvendo mais de 500 mil pessoas para mostrar que a dieta mediterrânea pode reduzir o risco de síndrome metabólica. Esse quadro é caracterizado por um grupo de problemas de saúde, como o acúmulo de gordura na cintura (periférica) e na barriga (viceral), pressão alta, aumento nos níveis de triglicérides, do açúcar no sangue (glicemia), e do mau colesterol (LDL) e ainda a diminuição do bom colesterol (HDL). Todos esses fatores colaboram para o risco de doenças cardiovasculares, como infarto ou derrame e diabetes tipo 2.

Por ser rica em gorduras boas e aumentar o "bom" colesterol, diminuir inflamações e ajudar na perda de peso, a dieta mediterrânea é a ideal para pessoas que apresentam esse quadro.

A dieta mediterrânea é rica em gorduras benéficas para o coração (as poli-insaturadas), frutas e vegetais coloridos, grãos integrais, laticínios com baixo teor de gordura, e quantidades moderadas de álcool. Essa dieta também incorpora proteínas magras como aves e peixes, em vez de carne vermelha. Além disso, esta alimentação tem várias fontes de antioxidantes e de substâncias anti-inflamatórias como os ácidos graxos ômega 3, presente nos peixes e oleaginosas. A inflamação das artérias e vasos é um dos fatores de risco conhecidos para doença cardíaca e derrame.

Além de efeitos sobre os marcadores da síndrome metabólica, o estudo revelou que a dieta mediterrânea também aumenta os níveis do "bom" colesterol, o HDL.

Incorpore a dieta mediterrânea a sua alimentação!

A alimentação mediterrânea é rica em alimentos de gordura monoinsaturada (dos óleos) e poli-insaturada (dos peixes e oleaginosas) que, ao contrário da saturada, reduzem os níveis de colesterol ruim, o LDL. Além disso, este tipo de culinária preza pelo consumo de pães integrais com massas de grão duro, vegetais crus, peixes de águas frias com alto teor de ômega-3 (como salmão, atum e bacalhau), azeitonas, amêndoas, nozes, avelãs e de azeite de oliva extra virgem.

Azeite
Pesquisadores atribuem todos os benefícios do azeite ao extraído de olivas de tipo extravirgem, que é o mais nobre, obtido na primeira prensagem das azeitonas. Ele é o campeão em gorduras monoinsaturadas que protegem o coração. Mas, nem por isso, óleos de canola, de milho, girassol ou soja são considerados vilões. Eles também garantem a sua porcentagem de defesa contra os níveis de mau colesterol.

Ômega 3
Também é um tipo de gordura boa - um ácido graxo presente na sardinha, atum, cavalinha, salmão, bacalhau, albacora e cação - que no corpo humano minimiza a ação nociva de compostos inflamatórios. A ingestão de doses elevadas deste ácido graxo é amplamente indicada para reduzir depressão, melhorar a parte cardiovascular e prevenir doenças do coração, intestino e articulações.

Cogumelos
Fungi é excelente fonte de antioxidantes, vitaminas e minerais. Os do tipo shiitake, são uma variedade cheia de betaglicanas (carboidrato presente na parede celular dos cogumelos) que contribuem para afastar duas ameaças que rondam o coração: taxas de colesterol ruim e níveis de açúcar no sangue.

Oleaginosas
Uma porção diária de nozes, amêndoas ou castanhas garante a proteção do coração e combate o envelhecimento. As gorduras monoinsaturadas que estes alimentos fornecem reduzem os níveis do mau colesterol, que faz entupir as artérias e causa infarto.


Por: Yahoo (Zmela Angola Notícias)

Publicado em: 17/03/2011

Fonte: http://www.zwelangola.com/saude/index-lr.php?id=5350

Saiba como manter uma alimentação saudável comendo fora de casa

É possível obter todos os nutrientes e controlar a ingestão de gorduras, sal e açúcar se alimentando na rua.

De acordo com pesquisa da GFK Brasil, mais da metade dos brasileiros (51%) fazem pelo menos uma refeição fora de casa todos os dias. Por mais prático que seja, manter uma alimentação balanceada comendo na rua não é tarefa fácil. Para não prejudicar a saúde, a dica dos especialistas é seguir algumas regras básicas, como evitar consumo em excesso de sal, gorduras trans, saturadas e açúcar. Tais nutrientes, quando consumidos com frequência, podem causar uma série de problemas, entre eles as doenças cardiovasculares — que são a maior causa de morte no mundo.

"Montar um prato equilibrado e seguir uma alimentação saudável durante a semana não tem nada a ver com fazer dieta, deve ser um estilo de vida. Escolher frutas frescas, optar por alimentos que contenham gorduras boas - óleos vegetais, maionese e creme vegetal, por exemplo — ao invés das saturadas e evitar o consumo de sal e açúcar em excesso são mudanças pequenas que fazem muita diferença a longo prazo", explica a coordenadora de nutrição do Instituto Minha Escolha, Carolina Godoy.

Carolina também recomenda proteínas leves, ou seja, que não venham acompanhadas de muita gordura: carnes magras, vermelha, peixes, aves, leites, queijos, iogurtes desnatados e proteínas vegetais (soja, feijão, tofu, entre outros). Verduras e legumes também fazem parte da dieta ideal, como alface, agrião, alcachofra, acelga, brócolis, cenoura, beterraba e abóbora. Na hora da sobremesa, a nutricionista sugere investir em frutas como banana, laranja e kiwi para obter vitaminas e sais minerais.

Confira abaixo 5 dicas para montar um prato saudável sem ter medo da balança ou prejudicar a saúde no futuro:

Escolhas
Seu prato sempre deve conter uma porção de proteína, uma de carboidratos e uma de hortaliças (folhas, legumes). "Misturar" dois tipos de carboidratos, por exemplo, não é o mais indicado, mas caso faça, reduza as quantidades de ambos.

Quantidades
Um desafio, principalmente para quem deseja perder peso, são os restaurantes por quilo. Uma boa dica é comer em um prato menor: você vai ter a impressão que está comendo mais comida.

Outra dica que pode ajudar é usar seu próprio corpo. Uma mão bem aberta para quantidade de salada, uma mão um pouco aberta para a quantidade de proteína e uma mão fechada para quantidade de carboidrato.

Temperos
Você adora comer salada, mas cada vez que vai temperar despeja grande quantidade de azeite? É preciso estar atento, pois mesmo sendo rico em gordura "boa" — monoinsaturada —, o azeite tem muitas calorias, assim como os molhos à base de queijos e outros sabores. Além disso, a quantidade de sal adicionado deve ser muito controlada: o brasileiro consome o dobro de sal que deveria.

Repetições
Geralmente quem repete abusa das quantidades, porque a pessoa perde a referência de quanto comeu. Tente montar seu prato uma única vez.

Sobremesas
Na maioria das vezes, são riquíssimas em açúcares e gorduras. Tente não se render a elas optando por uma fruta, que, além do sabor doce, fornece vitaminas e fibras.



Por: Zero - ClicRBS

Publicado em: 04/04/2011

Fonte: http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1§ion=Segundo%20Caderno&newsID=a3261806.xml

Uma mãozinha contra o estresse: saiba os benefícios da massoterapia

Cerca de 20% da população mundial faz uso das terapias holísticas

Se sensação ao deitar na cama é a mesma de ter sido atropelada por uma manada de elefantes, você definitivamente está precisando de uma boa massagem.

Para relaxar ou manter o corpo em dia, as clínicas de estética e salões de beleza oferecem shiatsu, reflexologia, drenagem linfática, entre uma gama gigante de práticas que proporcionam bem-estar.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), aproximadamente 20% da população mundial faz uso das terapias holísticas (dados do início da década de 2000).

A massoterapia, massagem feita com as mãos ou com auxilio de aparelhos, tem poder terapêutico, anti-estresse, relaxante, estético e esportivo.

As primeiras técnicas foram desenvolvidas pelos chineses, cerca de 3 mil anos antes de Cristo. Além de trabalhar com a saúde corporal — para aliviar a dor ou para previnir — a massoterapia pode ajudar a lidar com emoções e a energia corporal.

Confira os 7 benefícios da massoterapia

1. Aumenta a percepção e o relaxamento;

2. Aumenta a circulação sanguínea;

3. É anti-estresse;

4. Ajuda a modelar o corpo;

5. Estímula músculos e sentidos;

6. Melhora a elasticidade e aparência da pele;

7. Alivia as dores e diminui a fadiga muscular.



Por: Zero Hora

Publicado em: 31/03/2011

Fonte: http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1§ion=Segundo%20Caderno&newsID=a3257627.xml

Ioga integral dissemina nova consciência em busca da paz interior

Para professora Wal Nunes, o estilo é mais do que uma filosofia de vida.

O ioga integral é um estilo ainda pouco conhecido no Brasil e, por isso, a professora Wal Nunes foi a Londres, estudar o trabalho de seu criador, o guru Sri Aurobindo. O polêmico mestre espiritual dedicou sua vida a transmitir suas experiências no ioga, trazendo para a realidade seus insights durante a meditação, capazes de atingir o grau de consciência supramental, que seria a consciência-verdade, na qual se integram o corpo e o espírito.

A dedicação de Sri resultou na criação do ioga integral, que se trata do estudo e prática aprofundados da unificação dos princípios das diversas linhas de ioga. A supramente, segundo ele, se daria quando o objetivo final do ioga deixa de ser idealizado e passa a ser consciente.

— Muitos iogues se dedicam à prática excessiva do badalado hot ioga ou no fanatismo com a prática excessiva de bakti yoga, que é pura devoção e espiritualidade — diz Wal, defendendo a medida entre esses universos para integrar o ioga na vida diária.

— Alguns tentam explicar o estado meditativo: filósofos, religiosos, iogues e iluminados. Na verdade, um número muito pequeno de pessoas consegue entender realmente o assunto e raros são os que vivenciam esse estado verdadeiramente. Meditar é um momento único de você consigo mesmo, com seu caos inicial. Uma busca pela paz interior, o cessar da mente. Muitos chamam esse estado de Deus, de ser divino. Eu o chamo, simplesmente, de estado de presença — afirma.

Através de seu trabalho, Wal mostra que o ioga integral vai além de filosofia de vida. De acordo com ela, ele pode ser definido como olhar para si mesmo e enxergar o que incomoda para, a partir daí, buscar um meio que traga paz interior e felicidade, respeitando a harmonia do ser, sem querer moldá-lo. Seria ver a a suposta "divindade" em todas as atividades diárias, viver a entrega com entendimento, deixar a vida fluir.

As aulas de professores que defendem o ioga integral respeitam o todo, adaptando as técnicas de forma sutil e personalizada. Os movimentos têm o objetivo de colocar o aluno à frente dos problemas ou situações do passado que são inconscientemente carregados pela vida toda.

— Ser feliz vai além de se libertar dos problemas, mas encará-los como um desafio e uma chave para a nossa evolução. Para mim isso é ioga integral, isso é viver em harmonia e felicidade — completa Wal.

É por isso que a professora defende que o ioga deve fazer parte da vida de todo ser humano, não como um estilo de vida radical, mas como um meio de viver o aqui e agora.

— Somente assim é possível encontrar essa paz interior, essa combinação de emoções que traz conforto e bem-estar a nossa alma, isso é felicidade. Isso é ioga — finaliza.


Por: Click RBS - Zero Hora - Seção: Bem estar

Publicado em: 14/04/2011

Fonte: http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1§ion=Segundo%20Caderno&newsID=a3273563.xml

Ômega-3 em excesso eleva risco de câncer de próstata agressivo

Coração e próstata

Um estudo que procurava examinar a associação entre gorduras na dieta e o risco de câncer de próstata concluiu que o que é bom para o coração pode não ser bom para a próstata.

Homens com as maiores porcentagens de ácido docosahexanoico, ou DHA, um ácido graxo ômega-3 redutor de inflamações, comumente encontrado em peixes, têm duas vezes e meia mais risco de desenvolverem câncer de próstata agressivo de alto grau, em comparação com homens com níveis mais baixos de DHA.

Não foi encontrada conexão quando o foco é o câncer de próstata de baixo risco, menos agressivo.

A conclusão é dos pesquisadores do Centro de Estudos do Câncer Fred Hutchinson, nos Estados Unidos, depois de analisarem dados de um estudo nacional envolvendo mais de 3.400 homens.

De cabeça para baixo

Inversamente, homens com maiores índices de ácidos graxos trans no sangue - que estão ligados à inflamação e doenças do coração e abundante em alimentos industrializados que contêm óleos vegetais parcialmente hidrogenados - apresentaram uma redução de 50 por cento no risco de contrair câncer da próstata agressivo.

Por outro lado, nenhuma destas gorduras foi associada com um risco de câncer de próstata de baixo grau, menos severo.

Os pesquisadores também concluíram que os ácidos graxos ômega-6, que são encontrados na maioria dos óleos vegetais e estão ligados à inflamação e às doenças cardíacas, não têm conexão com o risco de câncer de próstata.

"Ficamos surpresos ao ver esses resultados e gastamos muito tempo para garantir que as análises estavam corretas," disse o Dr. Theodore Brasky, coordenador da pesquisa.

"Nossos resultados colocam de cabeça para baixo o que sabemos - ou melhor, o que nós pensamos que sabemos - sobre a dieta, a inflamação e o desenvolvimento do câncer de próstata, e mostra a complexidade de se estudar a associação entre a nutrição e o risco de várias doenças crônicas," diz ele.

Ácidos graxos e câncer de próstata

Os pesquisadores realizaram o estudo porque sabe-se que a inflamação crônica aumenta o risco de vários cânceres, e os ácidos graxos ômega-3, encontrados principalmente no óleo de peixe, têm efeitos anti-inflamatórios.

Em contrapartida, outras gorduras, como o ômega-6, dos óleos vegetais, e as gorduras trans encontrados em fast foods, podem promover a inflamação.

"Queríamos testar a hipótese de que as concentrações dessas gorduras no sangue estariam associadas com o risco de câncer de próstata," disse Brasky. "Nós pensávamos que os ácidos graxos ômega-3 poderiam reduzir e o ômega-6 e os ácidos gordos trans aumentarem o risco de câncer de próstata."

Mas não foi isto o que os dados mostraram - embora um estudo com 3.400 casos seja considerado pequeno para fundamentar qualquer recomendação a respeito, ou mesmo ser considerado conclusivo.

Mais pesquisas

Os mecanismos por trás do impacto do ômega-3 no risco do câncer de próstata de alto grau são desconhecidos.

"Além da inflamação, as gorduras ômega-3 afetam outros processos biológicos. Pode ser que esses mecanismos desempenhem um papel no desenvolvimento de certos cânceres da próstata", disse Brasky. "Esta é certamente uma área que necessita de mais pesquisas."



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 29/04/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=omega-3-risco-cancer-prostata-agressivo&id=6423

Alterações do sono têm forte impacto no desempenho cognitivo

Sono e envelhecimento

Alterações do sono que ocorrem durante um período de cinco anos na idade adulta afetam fortemente a função cognitiva na terceira idade.

Homens e mulheres que tiveram variações no seu tempo de sono, passando a dormir menos do que 6 e mais do que 8 horas por noite, estão sujeitos a um declínio cognitivo acelerado.

Os efeitos verificados são equivalentes a um período de 4 a 7 anos de envelhecimento.

Dormir mais e dormir menos

As pessoas que passaram a dormir um adicional de 7 a 8 horas por semana tiveram menor pontuação em cinco de seis testes de função cognitiva, com a única exceção sendo o teste de memória verbal de curto prazo.

As pessoas que tiveram uma redução de 6 a 8 horas de sono por semana tiveram uma menor pontuação em três dos seis testes cognitivos - raciocínio, vocabulário e estado cognitivo global.

"O principal resultado do nosso estudo é que mudanças adversas na duração do sono parecem estar associadas com uma piora na função cognitiva em idade mais avançada," afirma a Dra. Jane Ferrie, da Universidade College London, no Reino Unido.

Sono de homens e mulheres

Os pesquisadores também descobriram que, nas mulheres, um sono de 7 horas de duração por noite esteve associado com a maior pontuação para cada teste cognitivo, seguido de perto por seis horas de sono noturno.

Entre os homens, a função cognitiva foi igual para aqueles que relataram dormir 6, 7 ou 8 horas por noite - somente durações menores do que 6 horas ou maiores do que 8 horas parecem estar associadas com menores notas nos testes cognitivos.

Embora os participantes em sua maioria fossem trabalhadores de escritório, o grupo de estudo abrangeu um amplo leque socioeconômico, com uma diferença de 10 vezes no salário.

Os pesquisadores ajustaram os efeitos da educação e da posição ocupacional devido à sua conhecida associação com o desempenho cognitivo.

O nível socioeconômico não responde por todas as associações observadas, indicando ou uma associação direta entre as alterações no sono e a função cognitiva, ou a uma associação mediada ou confundida por outros fatores além da educação e da posição ocupacional.

Importância do sono

Segundo os autores, um sono adequado e de boa qualidade é fundamental para a fisiologia humana e o bem-estar.

A privação do sono e a sonolência têm efeitos adversos sobre o desempenho, os tempos de reação, e problemas de atenção e concentração.

Além disso, a duração do sono está associada com uma vasta gama de medidas de qualidade de vida, tais como o relacionamento social, a saúde mental e física, e a morte precoce.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 10/05/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=alteracoes-sono-desempenho-cognitivo&id=6457

Cominho combate radicais livres e protege o DNA

Cominho
O cominho é usado extensivamente na medicina tradicional para tratar uma variedade de doenças, do vitiligo à hiperglicemia.

A planta é considerada como antiparasitária e antimicrobiana e a ciência tem repetidamente verificado sua eficácia para reduzir a febre, ou como um analgésico.

Agora, uma nova pesquisa mostra que a humilde especiaria também contém altos níveis de antioxidantes.

Radicais livres
As chamadas espécies reativas de oxigênio, mais conhecidas como radicais livres, são produzidas naturalmente, como parte dos processos metabólicos necessários à vida.

O estresse oxidativo, no entanto, é causado por uma superprodução ou sub-remoção desses radicais livres.

O estresse oxidativo está ele próprio envolvido em uma série de doenças, incluindo aterosclerose, doença degenerativa neural, inflamação, câncer e envelhecimento precoce.

Antioxidantes
Acredita-se que os antioxidantes eliminem os radicais livres, reduzam o estresse oxidativo e previnam doenças.

Os compostos fenólicos das plantas, especialmente os compostos polifenólicos, são muitas vezes considerados antioxidantes.

Um grupo de pesquisadores agora usou técnicas bioquímicas e biológicas para mostrar que as sementes do cominho (Centratherum anthelminticum (L.) Kuntze), um membro da família da margarida, representam uma rica fonte de antioxidantes fenólicos.

"Os extratos de cominho mostraram-se fortes antioxidantes nos sistemas testados. Os extratos também mostraram-se grandes doadores de elétrons e, portanto, agentes redutores, outro marcador da antioxidação," afirmam os cientistas do Central Food Technological Research Institute, na Índia.

Proteção do DNA
Nos testes biológicos, o cominho inibiu a oxidação dos lipossomas usados como modelo para a oxidação da membrana celular e ofereceu proteção total contra danos ao DNA, segundo os cientistas.

"A quantidade de fenóis que conseguimos extrair e a atividade antioxidante do cominho dependeu do método utilizado. No entanto, a atividade antioxidante do cominho está correlacionado com o teor de fenóis totais.

Por isso, uma série de compostos fenólicos dentro das sementes de cominho devem ser os responsáveis pela atividade antioxidante verificada," concluíram os cientistas.


Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 24/05/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=cominho-radicais-livres-protege-dna&id=6520

Pencas diárias para ficar bela

Conheça os benefícios da banana e da linhaça para manter a saúde em dia. Siga as dicas da nutricionista para não consumir os alimentos em excesso.

"Linhaça previne o câncer de mama e ajuda a emagrecer. A banana ajuda a combater a depressão e funciona como aliada nos exercícios."

Muito se fala sobre a necessidade de ter uma alimentação saudável e balanceada para manter a saúde em dia e o corpo ideal. E no meio da grande oferta de frutas, legumes, grãos e hortaliças no mercado, dois alimentos se destacam pela quantidade de benefícios que trazem para o dia a dia, contudo, desde que sejam consumidos regularmente: banana e linhaça. "A banana é muito rica em vitaminas e potássio. Então, para quem faz exercício físico, ela é uma excelente aliada, pois aumenta a energia e evita câimbras. Existem também estudos que afirmam que nela há características para auxiliar nos tratamentos de hipertensão e depressão", explica a nutricionista Andréa Uzêda.

Já a linhaça tem várias propriedades benéficas à saúde, comenta a nutricionista: Ela é rica em proteínas, fibras, vitaminas, minerais, ômega 3 e ômega 6, que auxiliam na prevenção de doenças cardiovasculares, reduzindo o LDL, chamado de colesterol ruim. A linhaça ainda ajuda no emagrecimento, pois aumenta a saciedade". Além disso, de acordo com a nutricionista, a linhaça tem uma substância chamada lignana, que atua na prevenção do câncer de mama e diminui os sintomas da menopausa.
Unidas, então, a banana e a linhaça são ainda mais poderosas, segundo explica Andréa: "Como a fruta tem muita fibra, consumida com a linhaça diminui a glicose e o colesterol, e melhora, ainda, o funcionamento intestinal. Você pode adicioná-la na vitamina, por exemplo".
Mas não adianta sair por aí ingerindo pencas de bananas e quilos de linhaça todos os dias.
Neste caso, deve-se evitar o alto consumo, devido ao conteúdo calórico de ambos os alimentos. "Em excesso, os dois juntos podem diminuir a absorção de nutrientes pelo corpo. A porção recomendada é de uma banana diária e até duas colheres de chá de linhaça por dia. Diabéticos devem tomar cuidado com a banana, pois ela tem a frutose como o seu açúcar natural", recomenda Andréa.


Por: MogiNews

Publicado em: 15/05/2011

Fonte: http://www.moginews.com.br/materias/?ided=1200&idedito=82&idmat=92974

Alimentos tonificantes

Anda se sentindo sem energia para praticar atividades físicas? Pode ser que você não esteja se alimentando adequadamente. Existem vários alimentos que ajudam a melhorar o rendimento nos exercícios e funcionam como um suplemento alimentar natural. Incluindo-os em sua alimentação você terá muito mais energia para malhar e praticar esportes.

Água Hidrata e ajuda a eliminar toxinas.

Amêndoas Ajudam a reduzir os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento precoce e ajudam a diminuir o LDL (colesterol ruim).
Azeite de Oliva Seus antioxidantes e gorduras saudáveis auxiliam na manutenção da massa muscular e no sistema vascular.

Café Por ser neuroestimulante ajuda a turbinar seu treino.

Carne vermelha Possui creatina, nutriente do sistema imunológico que ajuda no processo de recuperar músculos.

Chocolate amargo Suas substâncias antioxidantes ajudam na vasodilatação, o que facilita a passagem do sangue.
Colabora com os exercícios que necessitam do uso da força.

Gengibre Aliviam as dores musculares devido ao seu pode anti-inflamatório.

Iogurte É fonte de proteína e cálcio, importante na manutenção dos ossos.

Leite Esvaziam pneus e tonificam músculos.

Ovo O alto índice de proteína ajuda o organismo a se recuperar do esforço físico.

Salmão Ajuda a produzir hormônios, a prevenir doenças inflamatórias e a proteína presente no peixe colabora na reconstrução muscular.


Por: Diário do Grande ABC - Seção: Saúde - Por Yasmin Barcellos

Publicado em: 13/06/2011

Fonte: http://www.dgabc.com.br/News/5892481/alimentos-tonificantes.aspx

A energia das massagens orientais

China, Índia e Japão desenvolveram técnicas que trabalham em pontos de energia do corpo. Através delas, seria possível promover bem-estar.

Nas técnicas orientais de massagem, os profissionais e adeptos acreditam que quando determinados pontos de energia do corpo humano são manipulados, é possível promover a melhoria ou a cura de problemas na saúde. Esses pontos formam meridianos de energia, que se interligam com outras partes do corpo.

Essa é uma teoria desenvolvida pela medicina tradicional chinesa. Por exemplo, um ponto de energia existente no pé, quando massageado e pressionado, poderia promover o melhor funcionamento do estômago. A base dessas técnicas está na acupressão, que trabalha os mesmos pontos da acupuntura. Só que não utiliza agulhas. Apenas é feita a massagem ou a pressão desses pontos de energia com os dedos.

A massagem ayurvédica é feita em uma sala com luz baixa, música de fundo suave, decoração oriental e temperatura em torno de 27ºC. Tudo para proporcionar ao corpo um ambiente relaxante. A massagem é feita com óleo morno, através de movimentos de pressão e circulares. O cheiro de óleo, que pode ser de coco, gergelim ou girassol, é sentido em todo o ambiente. Além deles, são utilizados óleos medicados vindos da Índia.

Mas o ayurveda não se restringe só a massagem. “Ele é um sistema milenar de cura e busca a melhoria da qualidade de vida. E tem várias ferramentas para te trazer o bem-estar, como os óleos terapêuticos, dieta, rotina, meditação e ioga”, explica a massoterapeuta Cacilda Patrício, professora de ioga e especialista em ayurveda.

A massagem começa com a pessoa sentada, levando óleo na cabeça, na palma das mãos e no umbigo. Depois, ela deita na maca e a massagem começa pelos pés e vai subindo, até chegar a cabeça. Todo o corpo recebe o óleo. São realizados movimentos grandes e pequenos e, também, é realizada a acupressão para liberar toxinas e a energia estagnada.

Circulação
Na massagem ayurvédica, é trabalhada a circulação linfática, sanguínea e energética. “Ayur significa vida. Veda, conhecimento. Os vedas são os grandes textos indianos que retratam o conhecimento. Essa busca do homem de se entender e procurar na natureza os elementos que trazem bem-estar é o ayurveda”, afirma Cacilda.

Segundo a crença, tudo o que existe no universo é formado por ar, espaço (éter), fogo, água e terra. E a constituição dos organismos seria formado por combinações de dois a dois desses elementos. Dependendo da proporção de cada um, haverá diferentes doshas. Por isso, o tratamento é individualizado.

A artesã e recepcionista Simone Vasconcelos conta que não há palavras para descrever a sensação que sente após a massagem ayurvédica. “É maravilhoso. Não dá vontade nem de levantar. Saio levitando. Não tem nem como se estressar após uma massagem dessa”, diz.

A fisioterapeuta e professora da Faculdade Integrada do Ceará (FIC), Anna Christina Henriques, afirma que nós, seres vivos, somos energia e isso já é comprovado cientificamente. “Existe esse campo energético no ser e, por isso, trabalhamos com estimulação elétrica e eletromagnética. Os tratamentos mais modernos estão evoluindo para isso”, informa. A fisioterapeuta afirma que a medicina tradicional chinesa já possui reconhecimento científico. (Geimison Maia, especial para O POVO)


Por: O Povo On Line

Publicado em: 02/07/2011

Fonte: http://www.opovo.com.br/app/opovo/cienciaesaude/2011/07/02/noticiacienciaesaudejornal,2262441/a-energia-das-massagens-orientais.shtml

Álcool pode danificar memória de meninas adolescentes

Cérebro feminino

Adolescentes, especialmente do sexo feminino, que bebem grandes quantidades de álcool de uma só vez podem danificar a parte do cérebro que controla a memória e a percepção espacial, de acordo com um estudo americano.

Os cérebros de mulheres jovens são mais vulneráveis aos danos causados pelo álcool porque se desenvolvem mais cedo que os dos homens.

Por isso, segundo a pesquisa publicada na revista Alcoholism: Clinical and Experimental Research, aquelas que bebem demais em um curto espaço de tempo podem acabar tendo problemas ao dirigir, jogar esportes com movimentos complexos, usar mapas e ao tentar lembrar o caminho para os lugares.

Memória espacial

Os pesquisadores de diversas universidades dos Estados Unidos fizeram testes neuropsicológicos e de memória espacial com 95 adolescentes entre 16 e 19 anos de idade.

Entre eles, 40 (27 do sexo masculino e 13 do sexo feminino) bebiam muito de uma só vez (Mais de 1,5 litro de cerveja ou quatro taças de vinho para mulheres ou mais de 2 litros de cerveja ou uma garrafa de vinho para os homens).

Os mesmos testes foram repetidos com 31 rapazes e 24 moças que não bebiam em grandes quantidades e os resultados foram então comparados.

Cérebro entorpecido

Usando aparelhos de ressonância magnética, os pesquisadores descobriram que as adolescentes que bebiam muito tinham menos atividade em várias áreas do cérebro que as que não bebiam, durante o mesmo teste de percepção espacial.

Segundo Susan Tapert, professora de psiquiatria na Universidade da Califórnia e autora do estudo, estas diferenças na atividade cerebral podem afetar negativamente outras funções, como concentração e o tipo de memória usado na hora de fazer cálculos, o que também seria fundamental para o pensamento lógico e capacidade de raciocínio.

Já os rapazes jovens não teriam sido afetados da mesma forma, de acordo com Tapert.

"Os adolescentes que bebiam demais mostraram alguma anormalidade, mas menos, na comparação com os rapazes que não bebiam. Isso indica que as jovens do sexo feminino são particularmente vulneráveis aos efeitos negativos do excesso de álcool."



Por: Diário da Saúde - Com informações da BBC

Publicado em: 18/07/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=alcool-danifica-memoria-meninas-adolescentes&id=6717

10 passos para evitar o câncer

Atitudes pela vida

O Instituto do Câncer de São Paulo (ICESP) divulgou uma série de dicas para prevenir o surgimento do câncer.

São atitudes simples, passíveis de serem incorporadas ao dia-a-dia, mas que são fundamentais para prevenir o câncer, que atualmente é a segunda maior causa de morte entre a população.

A primeira, e uma das principais recomendações, é não fumar. O tabagismo é responsável por 30% das mortes de pacientes oncológicos e um ponto desencadeante de diversas outras doenças.

Outro fator importante é não consumir bebidas alcoólicas em excesso, pois o álcool potencializa significativamente os efeitos do tabaco.

"Evitar o tabagismo e a ingestão de bebidas alcoólicas já vai ajudar, e muito, na manutenção da saúde das pessoas, já que ambos estão associados ao aparecimento de inúmeros tipos de tumores," disse o Dr. Gilberto de Castro Jr., oncologista do Icesp.

10 principais passos para prevenir o câncer:

Não fume. Mesmo uma pequena quantidade de tabaco pode fazer um grande estrago.
Não abuse de bebidas alcoólicas, principalmente se estiver violando a regra número um.
Mantenha hábitos de sexo seguro. Use camisinha. O contato com alguns vírus transmitidos sexualmente, como o papiloma vírus humano (HPV), pode desencadear alguns tipos de câncer.
O sexo seguro é o caminho para evitar os vírus da hepatite B (para a qual há vacina) e da hepatite C, ambos com potencial para levar ao câncer de fígado.
Evite o consumo excessivo de açúcares, de gorduras, de carne vermelha, de porco e das processadas. Invista em uma dieta saudável, rica em verduras, legumes e frutas.
Na mesma linha da dieta saudável, vale reforçar a importância de evitar o consumo de alimentos com muito sódio e conservantes, como é o caso dos enlatados, embutidos e fast foods em geral.
Cuidado com o sol. Use filtro solar diariamente e evite a exposição entre 10h e 16h. Na praia ou na piscina, lance mão, também, de barreiras físicas, como chapéu, camiseta e guarda-sol. Mas seja ponderado, e lembre-se que seu corpo precisa de vitamina D.
Pratique atividades físicas todos os dias. A recomendação é de que o exercício tenha duração mínima de 30 minutos.
Mantenha-se atento à sua saúde. Procure assistência especializada caso note qualquer anormalidade em seu corpo.
Faça um check-up anual e realize todos os exames de diagnóstico precoce indicados pelo seu médico. Esta também é uma atitude fundamental.

E, se você conseguir dar todos esses 10 passos, dê mais um, e lembre-se que a hipocondria também é uma patologia - viva mais leve.

Por: Diário da Saúde - Com informações do Icesp

Publicado em: 15/08/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=10-passos-evitar-cancer&id=6821

Yoga – ciência da interiorização

Pratico Yoga há muitos anos, porém, até encontrar o Yogacharya dr. Mukund Bhole, não havia descoberto a parte mais profunda desse sistema da filosofia indiana. Dr. Bhole é médico, mestre em fisiologia e renomado pesquisador da ciência do Yoga na Índia. Seu trabalho é reconhecido pela União Europeia de Yoga como uma nova expressão.

Encontrei-o na Índia, em janeiro de 2007, e comecei a estudar diretamente com ele. A abordagem do Dr. Bhole tem como prioridade a experiência da própria respiração, compreender a mecânica da respiração normal e da voluntária, corrigir o mecanismo de ambas, caso estejam perturbadas ou erradas. Só, então, os estudantes começam a trabalhar com técnicas de Yoga.

A respiração está lá, desde que nascemos, porém muitos sequer experienciam a própria respiração. Quantos de nós percebemos o toque do ar entrando e saindo do nosso corpo? Pelo menos em um único dia da nossa existência...

A grande maioria respira de forma tensa e incorreta, acarretando inúmeros e graves distúrbios físicos, mentais e energéticos. Nós não permanecemos conectados conosco, com as nossas atividades vitais. Desde a infância, somos ensinados a permanecer conectados com o 'não-self', com objetos materiais, eventos e acontecimentos. Distanciamo-nos do nosso Ser, da riqueza da vida interna.

Em nenhum lugar, aprendemos a lidar com as nossas emoções e a compreendê-las. A Educação é voltada quase tão-somente para a parte intelectual. Quando alguém se desliga do contato interno, perde a referência de si mesmo, desloca-se do ser saudável e do estado de felicidade. O abandono da vida interna faz muitos estragos, dentro de nós e ao nosso redor. Como afirma Dr. Bhole, às vezes, a pessoa não consegue ficar dentro de si porque não há casa interior. Não há lar nesse espaço interno; tornou-se um hospital.

É aí que o Yoga tem lugar, como ciência da interiorização. O termo Yoga é derivado de Yuj, em sânscrito, que significa unir, juntar, integrar. Constitui uma rica herança cultural indiana para a humanidade. É um caminho em direção à saúde integral e à expansão da consciência.

Há vários tipos de Yoga. Ao longo de anos de prática, tive experiência com diversas linhas, no Brasil e na Índia, porém a abordagem do Dr. Bhole – Yoga Experiencial (Anubhava) – é totalmente diferenciada e resgata a essência dos ensinamentos originais dos textos clássicos do Yoga.

Observamo-nos através do corpo, da respiração. Movemo-nos do espaço exterior para o espaço interior. Onde estão os nossos bloqueios? Ao nos conectarmos internamente, somos capazes de perceber quais são os nossos desajustes e intervir na direção correta. O problema pode estar em alguma atividade vital fundamental do nosso corpo, como a respiração, que, em distúrbio, interfere em todas as demais.

Dr. Bhole enfatiza: “Yoga vai além do que os olhos veem, além daquela posição que estamos acostumados a ver. Ou seja, Yoga não é para o corpo, mas para a entidade que respira dentro do corpo”.

Tensões antigas instaladas em níveis muito profundos, que causam sérios desequilíbrios, são dissolvidas e acontece um relaxamento físico, mental e energético. Com certeza, sua abordagem – Anubhava Yoga – é uma das respostas altamente eficazes a um dos maiores males do homem moderno: o estresse.

À medida que prosseguimos nessa prática, a consciência de nós mesmos amplia-se e a respiração relaxa e se expande. Torna-se mais e mais agradável permanecermos conectados com a nossa casa interna. E a Grande Vida secreta que respira dentro de nós é intensamente dinamizada.

Namastê.

*BENEDITA ENILDES DE CAMPOS CORRÊA – administradora e terapeuta corporal Ayurveda e prof. de Anubhava Yoga

omsaraas@terra.com.br



Por: Diário de Cuibá - Por Enildes Corrêa

Publicado em: 05/09/2011

Fonte: http://www.diariodecuiaba.com.br/detalhe.php?cod=398585

Brasileiros criam curativo de óleo de açaí para problemas da pele

Queimaduras e dermatites

Pesquisadores do IPEN (Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares) criaram um novo curativo para tratar e curar queimaduras e doenças da pele. como as dermatites.

O curativo alia as propriedades regenerativas do óleo de açaí com os hidrogéis de polivinilpirrolidona (PVP), específicos para lesões de pele.

"A ideia inicial era unir os benefícios do óleo de açaí, que é rico em ácidos graxos essenciais e com um grande poder de regeneração do tecido epitelial, com os hidrogéis PVP, que são os curativos que apresentam bons resultados em casos como queimaduras", relata Ana Carolina Henriques Ribeiro Machado, pesquisadora responsável pela pesquisa.

Regeneração da pele

O dispositivo, que ainda está em fase de testes, irá prevenir e tratar condições anormais da pele, como dermatites, escamações e ressecamento, e auxiliará no processo de regeneração.

Entre os ácidos graxos essenciais presentes no açaí estão os ômega 3, 6 e 9, além de uma grande quantidade de antioxidantes, todos fundamentais para acelerar o processo de regeneração da pele.


Açaí tem antioxidantes naturais benéficos à saúde

Por outro lado, o hidrogel de PVP funciona como uma espécie de curativo rico em água, que hidrata e não gruda no ferimento. Devido a essas características, o PVP é amplamente utilizado em tecidos ressecados ou que sofreram queimaduras.

Misturando água com óleo

O principal desafio da pesquisa foi unir elementos que não se misturam, como a água e o óleo.

"Pelo PVP ser formado por 90% de água em forma gelatinosa, tivemos dificuldade em misturar a solução de óleo de açaí no dispositivo," conta Ana.

Por meio de radiação controlada, tornou-se possível unir as moléculas e, com isso, formar uma rede que conecta a água ao óleo.

"Os resultados foram animadores, principalmente depois que constatamos que os antioxidantes presentes protegeram a composição de ácidos graxos do óleo de açaí, o que certamente também acontecerá na pele ressaltando os benefícios do açaí ", afirma Ana.

Resultados animadores

Após a inserção do óleo de açaí no dispositivo, foram realizados testes em dois dispositivos diferentes de hidrogel de PVP para verificar a irritação cutânea em animais e a liberação durante 24 horas do óleo sobre o ferimento.

"Os resultados dos testes foram animadores. Eles demonstraram que o sistema foi eficiente na liberação do ativo de açaí e que o produto tem grande potencial de mercado e custo reduzido", conclui Ana.

Serão necessários mais testes in vitro e em animais antes que se iniciem os testes em humanos.


Por: Diário da Saúde - Com informações da Agência USP

Publicado em: 05/09/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=curativo-oleo-acai-problemas-pele&id=6894

Flavonoides regridem tumores e melhoram qualidade de vida

Mais vida

Estudos experimentais realizados por cientistas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) mostram fortes efeitos dos flavonoides no combate ao câncer.

Flavonoides são compostos químicos encontrados em diversos vegetais, tendo-se destacado nos anos recentes estudos com flavonoides extraídos das uvas (presente no vinho) e nas cebolas.

Camila de Andrade Camargo e Hiroshi Aoyama testaram os flavonoides quercetina, narigina e morina, além do acetoxi DMU, que se mostraram promissores na regressão do câncer e no aumento da sobrevida, em experimentos com animais.

Embora os resultados sejam ainda preliminares, o tratamento terapêutico com todos os quatro compostos foi capaz de inibir em até 50% o crescimento tumoral do carcinossarcoma de Walker 256, com um aumento médio na sobrevida de 60% dos animais na vigência de tratamento.

Caquexia

Outro avanço comemorado pelos pesquisadores foi a diminuição da caquexia provocada pelo câncer em estágios avançados, além de resultados enzimáticos substantivos.

A síndrome da caquexia representa um estado metabólico complexo no organismo do paciente.

Ela é geralmente caracterizada pela perda de peso progressiva, que ocorre devido ao uso das reservas de gorduras e também dos músculos do corpo do paciente para o suprimento do tumor.

Portanto, esta síndrome está diretamente ligada à baixa qualidade de vida, sendo responsável por uma diminuição significativa no tempo de vida dos pacientes com câncer. No trabalho de Camila e de Hiroshi Aoyama, foi possível abrandar essa caquexia.

Resveratrol

O antioxidante mais conhecido é o resveratrol, presente no vinho e muito estudado por causa do chamado "paradoxo francês", uma expressão adotada pelos nutricionistas para se referir ao notório paradoxo entre a alimentação dos franceses e a sua saúde que, dentre os seus hábitos mais comuns, está a ingestão de um cálice de vinho por dia.

"Alguns estudos relacionados ao consumo de vinho deixaram claro que as pessoas que o consomem moderadamente podem ter menos doenças cardíacas que as pessoas que não o ingerem", assegura Camila de Andrade.

Alguns estudos, menciona Hiroshi Aoyama, apontam que o consumo de alimentos ricos nesses compostos está associado a uma redução no risco de desenvolvimento de certas doenças, provavelmente por sua ação antioxidante, que protege as células contra os danos causados pelos ataques dos radicais livres.

O principal mecanismo protetor se dá através da diminuição na oxidação das moléculas de LDL (o "colesterol ruim") e do aumento do HDL (o "bom colesterol"), melhorando o perfil de gorduras que circulam no sangue.

Além disso, eles demonstram ação anti-inflamatória, o que reduziria os riscos cardiovasculares. Muitos deles foram descritos também como potentes anti-hemorrágicos, antialérgicos e anti-hipertensivos, dentre outras atividades.

Sem excessos

Hiroshi adverte que os flavonoides, não obstante a sua ação antioxidante, dependendo de sua concentração, podem atuar também como pró-oxidantes, levando ao aparecimento de radicais livres, espécies reativas de oxigênio que podem causar danos ao organismo.

No caso do experimento agora realizado, uma certa dose de cada composto mostrou-se benéfica. Mas, aumentando-a, o animal não apresentou melhora nenhuma.

"Por isso deve-se ter cuidado para que as pessoas não se adiantem querendo aplicar os nossos conhecimentos, ainda básicos. Ao invés de terem um efeito benéfico, poderão ter prejuízos se os utilizarem em grandes quantidades," afirmou o pesquisador.


Por: Diário da Saúde - Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 13/09/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=flavonoides-regridem-tumores&id=6928

Chá verde ajuda na perda de peso e traz outros benefícios

Aliado saudável

O chá verde pode ser um aliado alimentar para a perda de peso e a diminuição da gordura corporal.

A conclusão é da pesquisadora Gabrielle Aparecida Cardoso, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP.

Gabrielle comparou a taxa metabólica de mulheres com sobrepeso e obesidade grau I, pré e pós consumo de chá verde, aliado ou não à prática de exercício físico.

Ao mesmo tempo, o estudo avaliou a aceitabilidade da bebida, bem como possíveis reações adversas causadas pelo seu consumo.

Dietas com chá verde

O estudo avaliou os efeitos do consumo de chá verde e da prática ou não de exercício físico resistido sobre a Taxa Metabólica de Repouso (TMR) e a composição corporal em mulheres com índice de massa corporal entre 25 quilos por metro (kg/m) a 35 kg/m.

As voluntárias foram divididas em quatro grupos e seguiram a dieta durante dois meses.

As voluntárias do grupo 1 tomaram chá verde, enquanto as do grupo 2 tomaram placebo. As do grupo 3 tomaram chá verde e exercitaram-se, enquanto as do grupo 4 tomaram placebo e exercitaram-se.

Os resultados mostraram que o grupo 1 perdeu uma quantidade de peso relevante para o período de estudo (- 5,7 kg em média), com manutenção da massa magra.

O grupo 2, utilizando placebo, não perdeu peso, ganhou massa gorda e perdeu massa magra.

As participantes do grupo 3 (chá verde + exercício físico de resistência) tiveram sua composição corporal modificada, apresentando maior perda de gordura, maior ganho de massa muscular, maior aumento da força muscular e redução dos níveis de triglicérides superiores aos apresentados pelo grupo 4 (placebo + exercícios físicos de resistência).

Chá verde com exercício

"O consumo de chá verde aliado à prática de exercício físico auxilia na redução do triglicérides, ganho de força muscular, ganho de massa magra e na redução da massa gorda", explica Gabrielle.

Além de proporcionar uma mudança na composição corporal, o consumo do produto, aliado aos exercícios, auxilia na utilização da gordura corporal como fonte de energia e no aumento da massa magra.

"O aumento da força muscular é maior quando o chá verde é consumido antes da prática dos exercícios propostos," afirma a pesquisadora.

Benefícios do chá verde

O chá verde é a segunda bebida mais consumida no mundo e contém grande quantidade de compostos que proporcionam uma série de benefícios à saúde.

Dentre seus benefícios estão a redução do risco de doenças cardiovasculares e de alguns tipos de câncer, melhoria das funções fisiológicas, efeito anti-hipertensivo, proteção ultravioleta, aumento da densidade mineral óssea, entre outras.

A pesquisa ainda reforça que a ingestão do extrato também suprime a utilização de carboidrato, que gera aumento na quantidade de glicogênio no músculo, auxiliando o aumento da resistência na corrida, e por se ter menos lactato, há uma maior disposição física para continuar o exercício físico.


Por: Redação Diário da Saúde

Publicado em: 13/09/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=cha-verde-perda-peso&id=6937

Chá verde protege os olhos contra o glaucoma e outras doenças

Olho no chá

Cientistas confirmaram que as substâncias saudáveis encontradas no chá verde - famoso por suas propriedades antioxidantes e de combate a diversas doenças - podem penetrar nos tecidos do olho.

O novo estudo, o primeiro a documentar como o cristalino, a retina e outros tecidos oculares absorvem essas substâncias, levanta a possibilidade de que o chá verde possa proteger contra o glaucoma e outras doenças oculares.

Catequinas

Chi Pui Pang e seus colegas da Universidade de Hong Kong destacam que as chamadas catequinas do chá verde estão entre um grupo de antioxidantes que se acredita serem capazes de proteger os olhos.

Catequinas são polifenóis, normalmente chamadas de "flavonoides do chá" devido à sua potente ação antioxidante.

No mesmo grupo de antioxidantes com indícios de proteger os olhos estão a vitamina C, a vitamina E, a luteína e a zeaxantina.

Chá verde para os olhos

Até agora, porém, ninguém sabia se as catequinas do chá verde realmente passavam incólumes pelo estômago e pelo trato gastrointestinal para circularem pelo organismo até atingir os tecidos do olho.

Pang e seus colegas eliminaram essa incerteza em experimentos com ratos de laboratório que ingeriam chá verde.

A análise dos tecidos oculares dos animais mostrou, acima de qualquer dúvida, que as estruturas do olho absorveram grandes quantidades de catequinas individuais.

A retina, por exemplo, absorveu os mais altos níveis de galocatequina, enquanto o humor aquoso tendeu a absorver a epigalocatequina.

Proteção contra o estresse oxidativo

Os efeitos das catequinas do chá verde na redução do estresse oxidativo prejudicial nos olhos duraram até 20 horas.

"Nossos resultados indicam que consumo de chá verde pode beneficiar o olho contra o estresse oxidativo", conclui, taxativo, o estudo.



Por: Redação Diário da Saúde

Publicado em: 03/05/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=cha-verde-protege-olhos-catequinas&id=5218

Iogurte light na gravidez aumenta risco de alergias no bebê

Ácidos graxos

Grávidas que comem iogurtes com baixo teor de gordura aumentam o risco de que seu bebê venha a sofrer de asma e rinite alérgica, afirmam pesquisadores dinamarqueses e norte-americanos.

Esses iogurtes normalmente são comercializados com as indicações light ou diet.

O estudo tinha como objetivo avaliar se os ácidos graxos encontrados em produtos lácteos poderiam proteger contra o desenvolvimento de doenças alérgicas em crianças.

Os iogurtes com baixo teor de gordura geralmente não contêm esses ácidos graxos.

Efeito protetor do leite

Os pesquisadores avaliaram a ingestão de leite e laticínios durante a gravidez e monitoraram a ocorrência de asma e rinite alérgica mais tarde nas crianças nascidas dessas gravidezes.

Os cientistas descartaram a hipótese de que o problema possa ser causado pelo leite.

Os resultados mostraram que a ingestão de leite durante a gravidez não foi associada com maior risco de desenvolver asma - na verdade, foi verificado um efeito protetor do leite contra o desenvolvimento de asma.

Iogurte light e alergias nos bebês

Ao contrário do leite, porém, as crianças nascidas de mães que comeram iogurte com baixos teores de gordura uma vez por dia apresentaram 1,6 vez mais probabilidade de desenvolver asma até os 7 anos.

Elas também se mostraram mais propensas a ter rinite alérgica e apresentar os sintomas da asma.

Causas incertas

Os pesquisadores não sabem exatamente qual é o mecanismo responsável por essa maior ocorrência de asma e rinite alérgica.

Uma das possibilidades é a falta do efeito protetor dos ácidos graxos que estão ausentes nos iogurtes light.

Os cientistas também sugerem que os componentes nutricionais não relacionados diretamente com a gordura, mas que entram na composição desse tipo específico de iogurte, podem ser os causadores do aumento no risco.

Eles pretendem estudar ainda a possibilidade de que o consumo de iogurte com baixo teor de gordura possa servir como um sinalizador para outros fatores do estilo de vida ou da dieta, que possam ser os responsáveis pelo problema.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 17/09/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=iogurte-light-gravidez-alergias-bebe&id=6957

Comer frutas e vegetais crus protege contra derrame

"Mas tem que ser cru"

Comer grandes quantidades de frutas e verduras cruas todos os dias pode diminuir o risco de sofrer um derrame.

Por outro lado, os pesquisadores não encontraram nenhuma evidência para sugerir que o mesmo efeito protetor ocorra quando se come frutas e legumes cozidos.

Linda Oude Griep e seus colegas da Universidade de Wageningen, na Holanda, realizaram uma pesquisa com 20.069 homens e mulheres com idades entre 20 e 65 anos.

Nenhum dos participantes tinha sofrido uma doença cardiovascular no início do período de pesquisa.

Peras e maçãs

Os hábitos alimentares habituais dos participantes foram coletados usando um questionário com informações sobre 178 tipos de alimentos.

Das frutas e legumes mais consumidos, mais da metade eram peras e maçãs.

Os participantes foram então monitorados durante dez anos.

No decorrer da pesquisa, 233 dos participantes sofreram derrame.

O risco de um acidente vascular cerebral foi 36% mais baixo para as pessoas que consumiam grandes quantidades de frutas e vegetais não transformados (mais de 262 gramas por dia) do que para as pessoas que comiam pouco destes produtos (menos de 92 gramas por dia) - uma maçã, por exemplo, pesa 120 gramas.

Mecanismo desconhecido

Não foi encontrada relação entre os derrames e a ingestão de frutas e vegetais processados ou cozidos.

Que comia grandes quantidades deste tipo de alimentos processado (233 gramas) não sofreu menos derrames que aqueles que comiam pouco vegetais processados (menos de 113 gramas por dia).

Como o estudo foi estatístico, os cientistas não sabem explicar o mecanismo que as frutas e verduras cruas exercem sobre o organismo para proteger contra o derrame - eles apenas verificaram que isso ocorre de fato.


Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 16/09/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=frutas-vegetais-crus-protegem-contra-derrame&id=6948

Bolsas de colesterol nas pálpebras elevam risco cardíaco

Xantelasma

Xantelasma, ou xanteloma, é uma doença da pele que se manifesta na forma de pequenas erupções amareladas nas pálpebras.

Essas bolsas são essencialmente pequenos depósitos de colesterol.

Agora, cientistas dinamarqueses afirmam que o surgimento das erupções do xantelasma são um indicador importante para um maior risco de ataque cardíaco e outras doenças cardiovasculares.

O estudo, publicado no British Medical Journal, afirma que as pessoas com xantelasmas têm um risco 48% maior do que a população em geral de ter um infarto.

Acúmulo de colesterol no corpo

Como são bolsas de colesterol, as erupções na pálpebra podem ser um indicativo de acúmulo de colesterol em outras partes do corpo, o que explicaria o maior risco das doenças cardiovasculares.

Os cardiologistas do Hospital Herlev, na Dinamarca, acompanharam mais de 12.000 pessoas ao longo de mais de 30 anos.

Das que apresentavam xantelasmas (4,4%) 39% tiveram mais propensão a apresentar doenças cardíacas. Especificamente no caso de ataques cardíacos, o risco foi maior para 48%.

Normalmente as pessoas que apresentam as erupções procuram auxílio médico apenas por razões estéticas.

O novo estudo alerta para a necessidade também de um acompanhamento cardiovascular - para isso, a melhor ação é a mudança para um estilo de vida mais saudável.



Por: Bolsas de colesterol nas pálpebras elevam risco cardíaco

Publicado em: 16/09/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=xantelasmas-bolsas-palpebras&id=6955

Como diagnosticar o Transtorno Bipolar em crianças e adolescentes

ALERTA

O documento abaixo é de autoria do Colégio Europeu de Neuropsicofarmacologia, uma entidade de pesquisas pan-europeia, sem fins lucrativos.

O objetivo da publicação é orientar médicos e profissionais de saúde quanto aos estudos mais recentes no diagnóstico e tratamento de transtornos de humor, sobretudo o chamado transtorno bipolar, em crianças e adolescentes.

Seu conteúdo não deve ser usado por leigos em substituição ao parecer médico. O diagnóstico e o tratamento de qualquer condição só podem ser feitos e recomendados por profissionais médicos especializados.

O Cérebro Emocional na Juventude
Como diagnosticar e tratar transtornos de humor em crianças e adolescentes

Diagnosticar o transtorno bipolar em adolescentes já se estabeleceu como prática médica, apesar das muitas vozes contra uma eventual "medicalização" de situações que não deveriam ser sujeitas a tratamentos.

Com isto, se a bipolaridade existe realmente em crianças é um assunto que permanece controverso entre os cientistas, apesar de numerosos estudos que têm sido realizados sobre este tema nos últimos 15 anos.

Como o diagnóstico de transtorno bipolar em crianças vem aumentando ao longo dos últimos dez anos, clínicos, pesquisadores, pais e outras pessoas que cuidam de crianças ficam se perguntando ao que se deve este aumento dramático no diagnóstico de transtorno bipolar pediátrico (Dickstein, 2010):

Trata-se de um melhor reconhecimento de um distúrbio psiquiátrico importante, ou deve-se a um excesso de diagnósticos, diagnósticos equivocados, ou uma moda?

Em resposta a este aumento, tem crescido também o interesse tanto clínico quanto de pesquisa nas doenças bipolares pediátricas, incluindo um re-exame dos critérios para o diagnóstico desta condição com base nas melhores descobertas científicas da neurobiologia.

Transtorno bipolar

Clinicamente, o transtorno bipolar é uma desordem afetiva grave, na qual o humor tipicamente oscila do pólo maníaco da euforia e/ou da irritabilidade extrema, à depressão e perda de interesse ou prazer.

Episódios mistos são caracterizados pela apresentação simultânea de sintomas maníacos e depressivos.

O transtorno bipolar pode ser dividido em dois subtipos principais - transtorno bipolar tipo I e transtorno bipolar tipo II -, embora a expansão do espectro bipolar possa ser de relevância clínica.

O transtorno bipolar tipo I é caracterizado por um histórico de pelo menos um episódio maníaco, com ou sem sintomas depressivos.

O transtorno bipolar tipo II é caracterizado pela presença tanto de sintomas depressivos quanto de uma forma menos grave de mania ("hipomania").

Os períodos entre os episódios agudos podem durar meses, ou mesmo anos, no início do curso da doença, mas depois os períodos livres de sintomas tendem a diminuir. O chamado "ciclo rápido" é uma variante específica no seguimento da doença que é definida pela ocorrência de quatro ou mais episódios por ano.

O transtorno bipolar em crianças e adolescentes

O transtorno bipolar é um problema de saúde significativo devido ao seu início precoce e sua evolução crônica, podendo durar por toda a vida, com recaídas e forte incapacitação.

Em crianças e adolescentes, a doença resulta em consideráveis limitações funcionais e altas taxas de internação psiquiátrica (Axelson et al., 2006).

De acordo com estudos retrospectivos, 20% dos adultos com transtorno bipolar tiveram seus primeiros sintomas antes da idade de 20 anos (Lish et al, 1994; Perlis et al, 2004).

Diagnóstico do transtorno bipolar

Para diagnosticar o transtorno bipolar I em adolescentes, são usados critérios para adultos (DSM-IV), exceto que (Diretrizes NICE, 2006):

Mania deve estar presente.
Euforia deve estar presente na maioria das vezes (no decurso dos últimos 7 dias).
Irritabilidade deve ser observada se é episódica, grave, se resulta em disfunção e se não é de caráter ou está fora de sintonia com o contexto.

A fenomenologia específica do transtorno bipolar em adolescentes é caracterizada por (Birmaher et al, 2006; Carlson et al, 1994..):

Episódios mais heterogêneos do que os puramente maníacos.
Irritabilidade frequente e comportamento agressivo
Características psicóticas em 30% dos episódios agudos (os quais podem levar a erros de diagnóstico em 50% dos casos).
Perfil de ciclagem rápida observada mais frequentemente.
Desinibição sexual.
Altas taxas de comorbidades com o Transtorno de Déficit Atenção/Hiperatividade (TDAH), abuso de substâncias e transtornos de ansiedade e conduta.

Características clínicas, tais como euforia, grandiosidade, hipersexualidade, pensamentos competitivos e diminuição da necessidade de sono são típicos de manias associadas com transtorno bipolar primário, a fim de distingui-lo de pacientes com TDAH primária (Birmaher et al., 2006).

Quanto mais jovem for a criança, mais rara é a [ocorrência da] condição de transtorno bipolar.

No entanto, não há dúvida de que um número substancial de pré-adolescentes tem sintomas de mania, geralmente sobrepostos a uma série de diferentes condições psiquiátricas e desenvolvimentais (Carlson, 2005).

Estudos recentes têm mostrado que "sintomas maníacos" em crianças podem ser mais comuns do que se pensava. A necessidade de evitar confusão terminológica com o transtorno bipolar é agora consensual (Dickstein, 2010).

Se os sintomas maníacos crônicos em crianças representam (1) um distúrbio de desenvolvimento que vai mudar durante a vida adulta; (2) o surgimento precoce do transtorno bipolar I; (3) um novo subtipo do transtorno bipolar (por exemplo, crônico com ciclagem rápida); ou (4) um risco de desenvolvimento posterior do transtorno bipolar I (fenótipo estreito) ainda precisa de mais investigação (Carlson, 2005).

Uma visão desenvolvimental é crucial para entender o complexo de sintomas maníacos em crianças e adolescentes.

Existe um continuum entre transtorno bipolar pediátrico e bipolar tipo I em adolescentes?

Há muito poucos argumentos para apoiar a hipótese de que o transtorno bipolar em adolescentes (episódios de doença claramente definidos e os chamados períodos eutímicos, sem sintomas) e o chamado "transtorno bipolar pediátrico" são a mesma doença ou dois transtornos relacionados em um continuum comum.

Além disso, os jovens com transtorno bipolar e TDAH comórbido tendem a ser menos sensíveis às drogas usadas no transtorno bipolar, sugerindo que sintomas maníacos crônicos comórbidos com TDAH em jovens podem não ser a mesma condição ou um continuum em vez de um transtorno bipolar ciclóide típico (Consoli et al ., 2007).

Uma nova abordagem sugere um sistema fenotípico de mania juvenil consistindo de um fenótipo restrito, dois fenótipos intermediários e um fenótipo amplo (Leibenluft et al., 2003). O fenótipo estreito de mania inclui principalmente adolescentes com episódios claros de mania eufórica.

Por outro lado, o fenótipo amplo, chamado "Desregulação Grave do Humor" é apresentado por pacientes mais jovens que têm um curso crônico, não-episódico da doença, que não inclui os sintomas característicos da mania, mas compartilha com os fenótipos mais estreitos os sintomas de irritabilidade severa e hiperatividade tipo TDAH.

De fato, estes pacientes parecem responder melhor a tratamento farmacológicos e não-farmacológicos tipo ADHD (Waxmonsky et al., 2008).

Esta abordagem e pesquisas posteriores deram origem ao novo diagnóstico de Transtorno do Temperamento Irregular com Disforia (TTID), o que significa uma mudança potencial no sistema de classificação de diagnóstico do DSM-V agendado para publicação em maio de 2013.

No entanto, um diagnóstico de TTID exclui o sintoma tipo ADHD de hiperexcitabilidade devido a preocupações de que isto poderia potencialmente levar a um aumento nos diagnósticos de TDAH.

Em geral, tais critérios induziram o surgimento de uma linha incrivelmente produtiva de pesquisas demonstrando diferenças fenomenológicas (curso episódico vs crônico, eufórico vs humor irritável) e iniciando discussões que são relevantes para clínicos e pesquisadores (Dickstein, 2010; Leibenluft, 2011; Masi et al., 2008).

Tratamento do transtorno bipolar na juventude

Terapia farmacológica

O tratamento adequado para crianças e adolescentes com transtorno bipolar tem benefícios essenciais com relação ao desempenho escolar, comprometimento escolar ou profissional, estresse no relacionamento, uso comórbido de substâncias e prevenção de suicídios.

A farmacoterapia da mania compreende os chamados estabilizadores de humor (lítio, por exemplo), os antipsicóticos atípicos ou de segunda geração (ASGs) e antipsicóticos típicos (clorpromazina).

O uso de estabilizadores do humor ou antipsicóticos no tratamento de crianças e adolescentes parece ter valor limitado quando ocorre uma condição de comorbidade como a TDAH, a menos que o comportamento agressivo seja o sintoma-alvo (Consoli et al., 2007).

Efeitos subjetivos adversos desempenham um papel central na experiência de tomar drogas antipsicóticas (Moncrieff et al., 2009).

Em adultos, os antipsicóticos de segunda geração (ASGs) têm mostrado uma boa relação benefício/risco no transtorno bipolar, com uma baixa frequência de síndrome motora extrapiramidal (SME) e uma frequência moderada de efeitos metabólicos adversos, como a síndrome metabólica e diabetes.

Ainda assim, o conhecimento disponível sobre o uso de ASGs em crianças e adolescentes é limitado.

Para avaliar a relação benefício/risco de ASGs em crianças e adolescentes, uma meta-análise bayesiana com um total de 4.015 pacientes analisou recentemente 41 estudos controlados de curto prazo (3 semanas) que avaliaram os efeitos adversos dos ASGs em jovens, incluindo 12 em jovens com transtorno bipolar (Cohen et al., submetido para publicação).

Em comparação com adultos, descobriu-se que os jovens são mais vulneráveis aos efeitos adversos dos ASGs. Todos os ASGs aumentaram o risco de sonolência/sedação.

Além disso, em comparação com o placebo, foram observados significativas alterações relacionadas com o tratamento com substâncias específicas sobre o ganho de peso, variáveis metabólicas (incluindo prolactina) e sintomas motores-extrapiramidais.

Os antipsicóticos de segunda geração (ASGs) representam um tratamento eficaz para crianças e adolescentes com transtorno bipolar, de acordo com o que diferentes perfis de tolerabilidade devem ser considerados na tomada de decisão de tratamento (Cohen et al., submetido para publicação).

Terapias não-farmacológicas

Além do tratamento farmacológico, estratégias educacionais e psicossociais, incluindo a psicoterapia, a promoção da adesão ao tratamento e a educação dos pacientes e suas famílias são essenciais no tratamento do transtorno bipolar na juventude, a fim de melhorar o resultado do tratamento.

Em caso de não-resposta ao tratamento farmacológico, a eletroconvulsoterapia (ECT) tem-se mostrado um tratamento seguro e eficaz tanto para os episódios maníacos quanto para os depressivos em adolescentes com doença grave (Cohen et al., 1997).

Com relação ao resultado a longo prazo de adolescentes que recebem ECT, os resultados sugerem que os adolescentes submetidos à ECT para o transtorno bipolar não diferem no funcionamento social e escolar subsequente de controles cuidadosamente combinados (Taieb et al., 2002), e adolescentes tratados com a ECT não sofrem danos cognitivos mensuráveis em um acompanhamento de longo prazo (Cohen et al., 2000).

Além disso, uma avaliação das experiências e atitudes de pacientes e pais em relação ao uso da ECT na adolescência indica que, apesar das visões negativas sobre a ECT na opinião pública, os adolescentes submetidos ao tratamento e seus pais compartilham atitudes globais positivas em relação à ECT (Taieb et al., 2001).

Perspectivas para o futuro

Na última década, estudos de imageamento estrutural e funcional através de ressonância magnética (MRI, fMRI) geraram uma maior compreensão da neurobiologia do transtorno bipolar em crianças e adolescentes.

Uma vez que as descobertas atuais indicam que os jovens com transtorno bipolar têm alterações fundamentais nas interações cérebro/comportamento que estão na base do processamento emocional, estudos futuros poderiam avaliar como medicamentos ou psicoterapias podem melhorar essas interações cérebro/comportamento (Dickstein, 2010).

O Colégio Europeu de Neuropsicofarmacologia (ECNP) dá suporte a redes de clínicos que buscam melhorar o tratamento em crianças com transtorno bipolar. Como a intervenção precoce pode melhorar o diagnóstico, estudos de tratamento são um objetivo importante para futuras pesquisas (Goodwin et al., 2008).

Conclusão

Nos anos recentes, tem sido observado um aumento considerável no número de crianças e adolescentes avaliados, diagnosticados e tratados para a doença bipolar.

Sintomas tipo bipolar são bastante frequentes em crianças pré-púberes, mas a idade a partir da qual o transtorno bipolar pode ser diagnosticado permanece controversa.

Descobertas neurobiológicas recentes têm avançado nossa compreensão das funções e disfunções emocionais na juventude.

Aspectos desenvolvimentais e fatores ambientais são cruciais com relação ao surgimento e progressão do transtorno bipolar em crianças e adolescentes. Do ponto de vista do desenvolvimento, o transtorno bipolar em adolescentes e o chamado "transtorno bipolar pediátrico" não são a mesma doença, ou dois transtornos relacionados em um continuum comum.

O diagnóstico diferencial é importante para distinguir o transtorno bipolar do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) ou transtornos de conduta em crianças e adolescentes.

O tratamento do transtorno bipolar em jovens compreende estratégias farmacológicas e não-farmacológicas. Diferenças no perfil de tolerabilidade à medicação devem ser consideradas na tomada de decisões sobre o tratamento e na otimização da relação benefício/risco.

Nos próximos anos, o reconhecimento e o diagnóstico do transtorno bipolar em crianças deverá ser mais fortemente baseado em marcadores biológicos, tais como a estrutura do cérebro e os circuitos neurais. Combinada com o histórico clínico, esta abordagem deverá resultar em diagnósticos e tratamentos melhores, mais específicos e mais precisos.



Por: Diário da Saúde - European College of Neuropsychopharmacology

Publicado em: 21/09/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=transtorno-bipolar-criancas-adolescentes&id=6914

Como tornar-se mais sábio: use a dialética e a humildade

Estudos sobre a sabedoria

Tornar-se mais sábio pode ser uma questão de adotar uma perspectiva psicologicamente distanciada dos acontecimentos do dia-a-dia.

Esta é a conclusão de Igor Grossmann e Ethan Kross, da Universidade de Michigan (EUA), que acabam de publicar um estudo sobre a sabedoria no Journal of Experimental Psychology.

"Embora os humanos esforcem-se para se tornar mais sábios, eles frequentemente não alcançam seu objetivo quando lidam com questões que têm implicações pessoais mais profundas," disse Kross.

"Estes experimentos sugerem uma forma promissora para as pessoas ponderarem sabiamente a respeito dessas questões," afirma ele, referindo-se aos experimentos realizados no estudo.

Dialética e humildade

Pesquisas anteriores já documentaram dois aspectos comuns do chamado "raciocínio sábio".

O primeiro é o pensar de forma dialética, percebendo que o mundo é um fluxo e que as coisas tendem a mudar com o tempo.

O segundo é a humildade intelectual, que envolve a compreensão dos limites do próprio raciocínio.

Em um trabalho recente, Kross já havia demonstrado que a adoção de uma perspectiva egocêntrica - imaginar que os eventos estão se desdobrando imediatamente à sua frente - faz com que processemos a informação de forma diferente do que quando adotamos uma perspectiva distanciada - ver-se como um observador distante dos acontecimentos.

Perspectiva distanciada

Agora, ele e Grossmann queriam saber como o pensar dialético e a humildade intelectual variam dependendo de qual dessas perspectivas as pessoas adotam em situações de grande importância pessoal.

Primeiro eles estudaram 57 recém-graduados que não conseguiram emprego.

"Nós descobrimos que os participantes que adotaram uma perspectiva distanciada tinham uma probabilidade muito maior de reconhecer os limites do seu conhecimento e se dar conta de que as coisas muito provavelmente vão mudar no futuro," conta Grossmann.

A seguir, eles entrevistaram participantes fortemente conservadores ou fortemente liberais, com relação às últimas e às próximas eleições.

Como no primeiro estudo, os participantes que adotaram uma perspectiva mais distante dos eventos conseguiram argumentar de forma muito mais sábia em suas discussões.

Eles também se tornaram mais cooperativos, apegando-se menos fortemente às ideologias políticas, e se mostraram mais propensos a reconhecer a importância da convivência partidária.

Cultivar a sabedoria na vida diária

Nos dois casos, foram os mesmos participantes que se comportaram das duas maneiras diferentes.

Isso foi possível por uma "manipulação" que os cientistas fizeram na forma como os problemas lhes foram apresentados: como algo urgente para eles mesmos ou como um fato distante a ser observado.

"É importante notar que essas alterações na reflexão mais sábia e no comportamento ocorreram em resposta a manipulações relativamente simples," disse Kross. "Isto sugere que as pessoas não precisam ficar percorrendo grandes distâncias em seus próprios raciocínios para refletir sabiamente na vida diária."

Ou seja, basta que a própria pessoa adote uma perspectiva distanciada de cada evento com o qual se depara no dia-a-dia.

"[As conclusões] contribuem para um entendimento de como o distanciamento estimula a sabedoria, e melhoram o conhecimento sobre como a sabedoria funciona, e como ela pode ser cultivada na vida diária," completa Grossmann.


Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 21/09/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=cultivar-sabedoria-dialetica-humildade&id=6956

Yoga trabalha força e equilíbrio

Unir a yoga com a prática de esportes como a corrida melhora a desempenho do atleta. O objetivo da união da yoga com a atividade física é criar uma unidade no corpo, integrá-lo em sua potência. Os especialistas em yoga explicam que o corpo se divide em cinco. Primeiro existe o corpo denso, material. Em seguida vem o corpo energético, em terceiro o mental; em quarto o corpo de consciência, o criativo e, por fim, o quinto, é o espiritual. Juntos, esses cinco corpos formam uma trama e quando um deles é desenvolvido, um repercute no outro. A execução de posturas, chamadas asanas, unidas as técnicas de respiração, pranayamas, faz com que o atleta desenvolva alongamento e força, além da capacidade energética. Por evitar o risco de lesões por impacto e estresse muscular, ela torna a recuperação do atleta mais rápida após o exercício. Os movimentos da yoga que trabalham a força e sustentação do corpo gera equilíbrio interno. Sua musculatura não fica encurtada, mas sim, forte e alongada. A consciência corporal proporcionada por ela melhora a técnica de corrida. Por Carolina Abranches


Por: Diário do Grande ABC - Seção: Bem-Estar/Saúde

Publicado em: 28/09/2011

Fonte: http://www.dgabc.com.br/News/5916267/yoga-trabalha-forca-e-equilibrio.aspx

Conheça a respiração que alivia angústias

Confira o passo a passo do Dr. Filippo Pedrinolla, autor do livro "Um Convite à Saúde" (Ed. Abril), para aliviar o estresse com a respiração correta.

1. Busque um ambiente tranquilo e silencioso, onde não seja interrompida.

2. Sente-se em posição confortável.

3. Foque o pensamento numa palavra, frase, imagem ou apenas no ritmo de sua respiração.

4. Feche os olhos bem de leve, procurando relaxar todos os músculos.

5. Inspire lenta e naturalmente. Ao expirar, lembre a palavra ou concentre-se no foco escolhido no terceiro item desta lista.

6. Caso se distraia ou note pensamentos ocupando a mente, respire fundo e volte a se concentrar.

7. Repita o processo entre cinco e dez minutos, sempre que se sentir estressada ou antes de dormir.

Por: MdeMulher - Conteúdo do site Mais Feliz

Publicado em: 03/10/2011

Fonte: http://mdemulher.abril.com.br/bem-estar/reportagem/viver-bem/conheca-respiracao-alivia-angustias-641902.shtml

Cafeína no café expresso pode ser demais para pessoas sensíveis

Alerta demais

Os níveis de cafeína em algumas doses de café expresso podem estar acima do recomendado para ingestão diária do estimulante para alguns consumidores mais sensíveis.

Foi o que revelou uma pesquisa feita no Reino Unido.

Normalmente, a ingestão do café causa apenas uma elevação do nível de alerta da pessoa.

Contudo, para algumas delas, cafeína demais pode aumentar a ansiedade e levar a outros problemas de saúde.

Grávidas e crianças

A cafeína fica no corpo de um adulto por cerca de 5 horas.

Mas esse período pode chegar a até 30 horas para mulheres que tomam anticoncepcionais, mulheres grávidas, crianças e pessoas com problemas no fígado.

É recomendado que as mulheres grávidas mantenham a ingestão de cafeína abaixo dos 200 miligramas (mg) por dia.

Normalmente, um copo de café instantâneo com 225 mililitros (ml) contém entre 60 e 85 mg de cafeína, enquanto uma xícara pequena de café expresso, com 28 ml, contém de 30 a 50 mg de cafeína.

Só para os sensíveis

O sinal de alerta se acendeu quando Alan Crozier e seus colegas da Universidade de Glasgow, na Escócia, encontraram conteúdos de cafeína que variaram de 51 a 322 mg por dose de café expresso - as doses variaram entre 23 e 70 ml.

Isto significa que uma única dose grande - do tipo "para viagem" - pode conter mais cafeína do que o recomendado para os consumidores mais sensíveis.

O pesquisador ressalta que o alerta vale apenas nesses casos mais sensíveis.

"Contanto que você tolere bem a cafeína, e não sofra nenhum efeito colateral adverso, e nem está grávida, seja criança ou tenha doença do fígado, divirta-se tomando seu café totalmente encorpado," disse ele.

Os resultados do estudo foram publicados na revista Food & Function.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 06/12/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=cafeina-cafe-expresso&id=7203

Calêndula protege a pele contra o sol e o envelhecimento

Calêndula para a pele

Testes realizados na Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP), da USP, revelaram que o extrato da calêndula (Calendula officinalis), planta originária da região mediterrânea entre Europa, África e Ásia, é eficaz para proteger a pele contra os efeitos da radiação ultravioleta emitida pelo Sol.

Experiências realizadas com animais mostraram que as formulações contendo o extrato de calêndula reduzem o estresse oxidativo causado pelos raios solares, promovendo efeito fotoprotetor e retardando o envelhecimento da pele.

Proteção contra radiação solar

A calêndula foi adaptada às condições climáticas do Brasil e, segundo a farmacêutica Yris Maria Fonseca, é usada popularmente como agente anti-inflamatório tópico contra queimaduras, especialmente as provocadas pelo Sol.

"O estudo verificou se o extrato de calêndula também seria eficaz contra os danos causados pela radiação solar, comprovando cientificamente um de seus usos populares", conta Yris, que é uma das responsáveis pelo estudo.

Os experimentos foram realizados com camundongos de laboratório geneticamente modificados, sem pelo, que tiveram lesões induzidas por luz ultravioleta. "Verificou-se o estresse oxidativo, alterações na morfologia do tecido e das células e a presença de inflamação da pele", aponta Yris. "As análises mostram que o extrato de calêndula, administrado por via oral ou tópica, foi eficaz para prevenir o estresse oxidativo causado pela radiação solar."

Na pesquisa, foi possível inibir totalmente o estresse oxidativo, deixando a pele dos ratos semelhante à de animais que não receberam radiação."O extrato também estimulou a síntese de colágeno, o que pode evitar o aparecimento de sinais característicos de pele envelhecida, como rugas e perda de elasticidade", acrescenta a farmacêutica.

Extrato de calêndula

De acordo com Yris, o extrato de calêndula apresenta uma grande quantidade de flavonoides e polifenóis, substâncias com reconhecido potencial antioxidante. "Acredita-se que a redução do estresse oxidativo aconteça não por causa de um composto isolado, mas devido ao efeito sinérgico entre as substâncias presentes no extrato de calêndula", explica.

No estudo, a calêndula foi testada em três formulações diferentes, sendo que uma formulação do tipo gel apresentou melhor desempenho para fotoquimioproteção. "Para que o produto seja disponibilizado comercialmente, serão necessários novos testes, relacionados à segurança e toxicidade, entre outros aspectos", observa a farmacêutica.

Calêndula contra o câncer

O extrato também passou por testes de citotoxicidade, realizados em duas linhagens de células tumorais e uma de células normais. "O maior efeito tóxico foi registrado nas linhagens tumorais, preservando a normal, o que demonstra o potencial para o tratamento de câncer", aponta Yris. "Entretanto, este é um resultado preliminar, que precisará ser confirmado em estudos específicos".

A pesquisa sobre os efeitos da calêndula em lesões agudas provocadas pela radiação solar faz parte da tese de doutorado de Yris, realizada no Laboratório de Controle de Qualidade de Medicamentos e Cosméticos da FCFRP.

O trabalho teve a orientação da professora Maria José Vieira Fonseca, da FCFRP. Em sua pesquisa de pós-doutoramento, a farmacêutica irá investigar o efeito fotoquimioprotetor da calêndula sob a radiação exposta cronicamente, em longo prazo.



Por: Júlio Bernardes - Agência USP

Publicado em: 22/04/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=calendula&id=5199

Componente do chá-mate destrói células de câncer

Câncer e inflamação

Cientistas descobriram que as células do câncer de cólon humano morrem quando são expostas aos compostos bioativos presentes na erva-mate.

As células morreram quando receberam os compostos em uma quantidade equivalente à presente em uma xícara de chá-mate.

"Os derivativos da cafeína no chá-mate não apenas induziram a morte das células do câncer de cólon humano, como também reduziram marcadores importantes da inflamação," conta a Dra. Elvira de Mejia, da Universidade de Illinois (EUA).

Isto é importante porque a inflamação pode disparar os mecanismos da progressão do câncer.

Morte celular programada

No estudo in vitro, Mejia e seu colega Sirima Puangpraphant isolaram e purificaram os derivados do ácido cafeoilquínico, ou cafeoleoquínico, presentes na erva-mate.

Conforme os cientistas aumentaram a concentração do ácido, as células de câncer começaram a disparar seu mecanismo de morte programada, conhecida como apoptose.

"Simplificando, as células do câncer se autodestruíram porque seu DNA foi danificado," explica a pesquisadora.

A capacidade para induzir a morte celular programada é uma tática promissora para intervenções terapêuticas para todos os tipos de câncer.

Intestino

Segundo a pesquisadora, os resultados do estudo sugerem fortemente que os derivativos da cafeína presentes no chá-mate têm potencial como agentes anti-câncer.

Esses derivativos também poderão ser usados em outras doenças associadas com a inflamação.

Mas como o intestino e sua microflora têm um papel importante na absorção e no metabolismo dos componentes derivados da cafeína, os efeitos anti-inflamatórios e anti-câncer do chá-mate deverá ser mais úteis nas doenças do cólon.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 25/01/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=cha-mate-destroi-celulas-cancer&id=7368

Efeitos do Tamiflu continuam incertos

Dois anos após a gigante farmacêutica Roche prometer à revista científica British Medical Journal (BMJ) que liberaria dados dos testes com o Tamiflu para uma avaliação independente, a segurança e a eficácia desse medicamento anti-influenza continua incerto.

Um novo relatório, lançado pela Colaboração Cochrane, afirma que a recusa da Roche em fornecer acesso a todos os seus dados deixa sem solução questões críticas sobre a eficácia da droga.

Uma investigação feita pelo BMJ, publicado para coincidir com o relatório divulgado agora pela Cochrane, também levanta sérias preocupações sobre o acesso a dados sobre medicamentos, o uso dos chamados escritores-fantasma (ghost writers) nos testes de medicamentos, e sobre o processo de aprovação de medicamentos.

Enquanto isso, o Tamiflu se tornou o tratamento básico para a influenza. Ele também entrou para a lista de Medicamentos Essenciais da Organização Mundial da Saúde, e as alegações da Roche [sobre a eficácia do Tamiflu] continuam sendo apoiadas por agências de saúde influentes.

Os pesquisadores da Cochrane queriam testar a alegação da Roche de que o Tamiflu previne complicações e reduz o número de pessoas que exigem tratamento hospitalar.

Mas a investigação foi tolhida pela recusa da Roche em fornecer todos os dados de seus estudos clínicos para análise.

A equipe obteve alguns relatórios de estudos clínicos da Agência Europeia de Medicamentos (EMA: European Medicines Agency), mas encontrou inconsistências com os relatórios publicados e uma possível sub-publicação de efeitos colaterais.

Quando questionada anteriormente pelo BMJ, a Roche também admitiu que alguns dos artigos publicados tinham usado escritores-fantasma.

A investigação do BMJ revelou como diferentes agentes regulamentadores abordam os dados que lhes são submetidos, levando a mensagens conflitantes sobre sua eficácia.

Por exemplo, a EMA liberou uma parte dos relatórios de estudos relativos aos testes clínicos do Tamiflu para a Cochrane, mas o órgão admite que não solicitou o restante dos dados ao fabricante, embora ela seja legalmente autorizada a fazer isto.

Na ocasião, a EMA afirmou ao BMJ que planeja começar a publicar relatórios para todas as drogas submetidas para aprovação nos próximos anos.

"Nós esperamos muito que a EMA de fato adote essa providência importante, tornando públicos os estudos completos. Mas nós continuamos muito longe de ter um histórico completo dos testes para todas as drogas em uso clínico. A segurança pública e o uso adequado do dinheiro público exigem que nós não admitamos nada menos do que isso," disse a Dra. Fiona Godlee, editora do BMJ.

Enquanto isso, a FDA (Food and Drug Administration) dos Estados Unidos, que provavelmente revisou o programa de testes do Tamiflu em mais detalhes do que nenhum outro fora da Roche, optou por não revisar o maior teste clínico do Tamiflu já feito quando analisou a droga com vistas à sua aprovação.

A agência norte-americana afirmou que o "Tamiflu parece não prevenir tais complicações [infecções bacterianas graves]."

Entretanto, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDCs) dos Estados Unidos continuam a citar testes publicados do Tamiflu, alegando uma redução no risco de complicações da influenza, mesmo depois que a Roche admitiu que alguns desses testes foram escritos por escritores-fantasmas [um escritor cujo trabalho é comprado].

"As discrepâncias entre as conclusões tiradas por diferentes órgãos de regulamentação ao redor do mundo salientam a situação absurda em que nos encontramos. Em um mundo globalizado, os reguladores devem cooperar e congregar seus recursos limitados. De outra forma, nós continuaremos a desperdiçar dinheiro e colocar em risco a saúde das pessoas usando drogas que não funcionam," diz a Dra Godlee.

A investigação também levantou questões sobre os efeitos clínicos do Tamiflu.

Depois de uma avaliação cuidadosa dos dados dos testes, o grupo Cochrane afirma que o Tamiflu parece afetar a produção de anticorpos - uma alegação que a Roche não aceita.

Isto é importante, afirmam os pesquisadores da Cochrane, porque a vacinação contra a influenza depende de uma resposta de anticorpos para ser efetiva.

Mas, quando questionada pela Cochrane, a Roche se recusou a explicar como a droga funciona.

Desta forma, o grupo da Cochrane afirma que, "até que se saiba mais sobre o modo de ação dos inibidores de neuramidase, os profissionais de saúde, os pacientes e outros tomadores de decisão precisam refletir sobre as descobertas desta revisão antes de tomar qualquer decisão sobre o uso dessa droga."

O grupo da Cochrane também argumenta que a capacidade do Tamiflu para evitar a disseminação da influenza não foi demonstrada nos testes.

Ainda assim, esta é uma das principais razões pelas quais os governos ao redor do mundo têm gasto bilhões de dólares fazendo estoques de Tamiflu para o caso de uma pandemia.

A Roche afirma que forneceu à equipe Cochrane informações suficientes para a realização de sua avaliação, mas a equipe Cochrane afirma que isto não ocorreu.

"No exemplar de Dezembro de 2009 do BMJ, a Roche prometeu relatórios completos para quaisquer pesquisadores legítimos. Eles não forneceram um único relatório à Cochrane, apesar de nossas repetidas solicitações," afirma o Dr. Peter Doshi, da Escola de Medicina da Universidade Johns Hopkins.



Por: Diário da Saúde - Deborah Cohen - BMJ

Publicado em: 25/01/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=efeitos-tamiflu-incertos&id=7364

Consumo de açúcar deve ser controlado como cigarro e álcool

Doce demais

Se os governos querem cuidar da saúde pública, então as autoridades deveriam controlar o consumo de açúcar da mesma forma que controlam o consumo de cigarro e de álcool.

A afirmativa contundente é de um grupo de três cientistas da Universidade da Califórnia (EUA), em um artigo publicado nesta quinta-feira na conceituada revista Nature.

Segundo as Nações Unidas, as doenças infecciosas foram superadas no mundo, pela primeira vez na história, pelas doenças não-transmissíveis.

E, segundo os cientistas, o açúcar está alimentando uma epidemia global de obesidade e contribuindo para 35 milhões de mortes todos os anos, causadas por doenças não-transmissíveis, como diabetes, doenças do coração e câncer.

Controle brando

Robert Lustig, Laura Schmidt e Claire Brindis afirmam que os efeitos danosos do açúcar no organismo humano são semelhantes aos promovidos pelo álcool e que, por isso, seu consumo também deveria ser regulamentado pelas autoridades de saúde.

"Nós não estamos falando sobre proibição. Estamos falando sobre formas brandas de tornar o consumo de açúcar ligeiramente menos conveniente, mantendo assim as pessoas longe de doses excessivas," disse Schmidt.

Segundo o trio, o consumo mundial de açúcar triplicou nos últimos 50 anos.

"Todo país que adotou uma dieta ocidental, dominada por alimentos de baixo custo e altamente processados, teve um aumento em suas taxas de obesidade e de doenças relacionadas a esse problema. Há hoje 30% mais pessoas obesas do que desnutridas", destacaram eles.

Disfunção metabólica

Mas o artigo destaca que a obesidade não é o principal problema do consumo excessivo de açúcar.

"Muitos acham que a obesidade está na raiz de todas essas doenças, mas 20% das pessoas obesas têm metabolismo normal e terão uma expectativa de vida também normal.

"Ao mesmo tempo, cerca de 40% das pessoas com pesos considerados normais desenvolverão doenças no coração e no fígado, diabetes e hipertensão", explicam eles.

Além disso, a disfunção metabólica é mais prevalente do que a obesidade.

Controle do consumo de açúcar

De acordo com os autores do artigo, o cenário chegou a tal ponto que os países deveriam começar a controlar o consumo de açúcar.

A regulação poderia incluir, sugerem, a taxação de produtos industrializados açucarados, a limitação da venda de tais produtos em escolas e a definição de uma idade mínima para a compra de refrigerantes.

Mas, diferentemente do álcool ou do cigarro, que são produtos consumíveis não essenciais, o açúcar está em alimentos, o que dificulta a sua regulação.

"Regular o consumo de açúcar não será fácil, especialmente nos 'mercados emergentes' de países em desenvolvimento, nos quais refrigerantes são frequentemente mais baratos do que leite ou mesmo água," destacaram.



Por: Diário da Saúde - Com informações da UCSF e Agência Fapesp

Publicado em: 02/02/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=consumo-acucar-deve-controlado-como-cigarro-alcool&id=7394

Coesão social das células pode ser arma definitiva contra o câncer

Nobel das pesquisas sobre o câncer

Na Universidade de Berna, na Suíça uma equipe de pesquisadores está tentando responder uma questão fundamental: descobrir como o câncer rompe a coesão social entre as células.

A resposta oferece possibilidades de frear esse processo.

O diretor do projeto, o espanhol Eduardo Moreno, é o último ganhador do Prêmio Josef Steiner, uma espécie de "Nobel" das pesquisas sobre o câncer.

A razão fundamental para o prêmio é que as pesquisas de Moreno permitem entender o que ocorre nos estágios iniciais da alteração celular para formar um tumor.

O próximo passo é descobrir quais genes ou quais moléculas estão envolvidas nessas alterações. Assim seria possível desenvolver a tecnologia adequada para detectar e tratar os tumores o mais cedo possível.

Para o doutor em biologia celular, talvez estejamos no início de uma série de descobertas para compreender melhor as relações sociais das células humanas e como o câncer as afeta.

A coesão social não é apenas um assunto político, mas também um fator de grande importância no início de um tumor, como o foi demonstrado pela sua equipe?

Eduardo Moreno: Efetivamente, as células dos nossos corpos devem ter uma certa interação social e o câncer a rompe.

O que me interessa é saber como os trilhões de células que compõem nosso corpo formam uma coesão social que colabora de forma muito efetiva. Como esse trilhão de indivíduos - já que cada célula pode viver por sua conta - decidem cooperar e formar um novo organismo?

Ao aprofundar essa questão, minha equipe começou a observar como essa coesão social às vezes se quebrava, pois os genes que as mantinham sofrem mutações, deixam de funcionar de forma adequada, o que leva finalmente ao câncer e outras modificações.

Você não é um pesquisador dedicado ao câncer, mas sim um biólogo celular. Por que o atual "Nobel" nessa área de pesquisa sobre o câncer?

Eduardo Moreno: Meu interesse é básico: saber como o corpo humano mantém essa sociedade celular com essas implicações em doenças como o câncer.

O motivo do prêmio é a descoberta de que os estágios iniciais do câncer podem ser explicados por essa ruptura da cooperação entre as células.

É uma pesquisa tão básica como fundamental...

Eduardo Moreno: Certo. Trata-se de compreender como as células se comunicam entre si. Conosco, para cooperar entre indivíduos nós utilizamos a linguagem, a nossa forma de comunicação. A comunicação das células se dá através dos genes, das moléculas e das proteínas.

E se a comunicação falhar, se essas células se tornam aberrantes e passam a ignorar o que as outras estão pedindo, então temos uma patologia.

Você poderia explicar em termos simples a sua descoberta sobre a concorrência celular?

Eduardo Moreno: Nós ajudamos a descobrir como as células normais reconhecem que a vizinha é uma célula rara ou perigosa e como essa célula é eliminada pelas células ao redor. Esse sistema de coesão social, de monitoramento das células vizinhas, foi denominado por nós de "código flor", que tem origem na analogia com as "guerras de flores" entre os Astecas e seus vizinhos, em um período anterior à chegada dos espanhóis na região do atual México.

Esses confrontos tinham a particularidade de que ganhadores e perdedores não se matavam entre si no campo de batalha, mas sim que o perdedor era capturado e pintado de azul. Posteriormente - dada uma série de circunstâncias durante o ritual - eles eram sacrificados para apaziguar os deuses.

De modo semelhante, as células sãs nessas batalhas para eliminar as células perigosas - ou que não estão fazendo o que deveriam - usam esse código que lembra as guerras floridas, pois os perdedores são "pintados" por uma molécula.

Se a molécula marca a célula como problemática, de menor qualidade, entra em um processo de comunicação com outras células para determinar se essa célula deverá ser eliminada ou se mantém com essa etiqueta, pois o dano seria transitório e é dado tempo para que ela se recupere. Trata-se de um sistema de morte "social": a célula marcada não chegará a ser destruída se está rodeada de outras com sua mesma marca.

O conceito de destruição das células mais fracas a favor das mais fortes é o fundamento da competição celular.

O que isso tem a ver com o início do câncer?

Eduardo Moreno: Esse código social, geralmente benéfico, pois permite selecionar as melhores células da população, pode ser mal-empregado pelas células pré-cancerosas.

Essas células mutantes, hiperativas e muito individualistas, que batizamos de "supercompetidoras", utilizam o código flor para fazer as células sãs acreditarem que são elas as perdedoras e as convencem a desaparecer. Assim elas matam as células sãs e invadem o tecido normal, destruindo os órgãos do corpo.

Sua equipe, ao descobrir esse código, imergiu em um microcosmo desconhecido. O que vem agora?

Eduardo Moreno: Queremos tentar modificar essa comunicação ou guerra molecular mal empregada, de forma que seja possível parar a batalha entre o tumor e o tecido normal. Queremos descobrir se, ao degradar ou bloquear essas moléculas do código flor, seria possível impedir o crescimento de um tumor.

Além disso, estamos muito interessados em descobrir como as células leem o código flor das suas vizinhas. Nós já descobrimos essa molécula que marca as células como perdedoras ou ganhadoras, mas ainda não sabemos qual seria a molécula que reconhece essas marcas. Em termos visuais, sabemos qual é a pintura, mas não qual é o olho molecular que as vê.

Então ainda prevalece um grande desconhecimento em relação ao início das modificações celulares que provocam o câncer?

Eduardo Moreno: No caso do câncer, quando um médico o detecta com as técnicas atuais, já existem centenas de milhares de células que estão afetadas. Mas a maioria dos cânceres começa com uma única célula que acumula mutações, mas é uma célula muito pequena. Nossos corpos são compostos de trilhões delas.

Qual é o tamanho de um "pequeno tumor" detectado pelo médico no olhar de um biólogo celular?

Eduardo Moreno: O que os médicos identificam como um "pequeno tumor" compromete bilhões de células, o mínimo detectável atualmente.

Falamos de um processo depois que a primeira célula maligna ou pré-maligna começa a se dividir e formar um câncer e que só podemos detectar quando este alcança um tamanho grande o suficiente.

Setenta e cinco por cento desse crescimento prévio, das duplicações da população de células pré-tumorais ou tumorais, ocorre antes que se possa ter um tamanho detectável.

Essa janela inicial não conhecemos e, infelizmente, isso leva a casos em que a detecção ocorre de forma muito tardia. Um tumor pode levar vários anos ou dezenas de anos de crescimento antes de poder ser descoberto.

Assim existe sempre um grande atraso na detecção de um tumor?

Eduardo Moreno: Sim. É um atraso grave. A esperança é que, a longo prazo, nosso trabalho de pesquisa básica tenha um impacto clínico. Que dentro de dez ou vinte anos, nossos filhos possam se beneficiar desses avanços.

A ciência deve avançar ainda mais do que já o fez, porém não devemos esquecer que existem cada vez mais cânceres que podem ser curados e que há cada vez mais pacientes que sobrevivem à enfermidade.



Por: Diário da Saúde - Patricia Islas, da Swissinfo

Publicado em: 09/02/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=coesao-social-celulas-arma-definitiva-contra-cancer&id=7407

Nova técnica dissolve coágulos produzidos por derrame

Menos invasiva

Neurologistas desenvolveram uma técnica capaz de dissolver coágulos sanguíneos no cérebro de forma minimamente invasiva.

Hoje, a remoção desses coágulos, produzidos sobretudo durante derrames, exige uma cirurgia com exposição do cérebro, chamada craniotomia, com risco de danificar outras áreas sensíveis.

A nova técnica minimamente invasiva elevou em até 15% a quantidade de pacientes que reconquistam a autonomia depois do tratamento.

"A última forma de acidente vascular cerebral ainda não tratável pode agora ter um tratamento," afirmou o Dr. Daniel Hanley, da Universidade Johns Hopkins (EUA), um dos membros da equipe que desenvolveu a técnica.

Sem craniotomia

O tratamento significa que o paciente poderá ter menos sequelas, ou mesmo nenhuma, reconquistando os movimentos e a fala, por exemplo.

A técnica consiste basicamente em permitir que os coágulos, produzidos por hemorragia intracerebral, dissolvam-se por si próprios.

Em vez de retirar a cobertura óssea do cérebro para a craniotomia, os médicos furam um pequeno buraco no crânio, próximo à formação do coágulo.

A seguir, um catéter é inserido no cérebro, guiado por um exame de tomografia computadorizada, levando a droga t-PA até o coágulo, que contrai a uma taxa de até 20% ao dia.

Segundo Hanley, os pacientes que já passaram pela técnica minimamente invasiva não tiveram os efeitos colaterais comumente associados com a craniotomia.

Hemorragia intracerebral

A hemorragia intracerebral é uma perda de sangue no cérebro que produz um coágulo.

Esse coágulo aumenta a pressão e causa a liberação de químicos inflamatórios que causam danos irreversíveis ao cérebro, podendo levar à morte (50% dos casos) ou à incapacitação física extrema.

Apenas cerca de 15% dos pacientes que sofrem derrame têm uma hemorragia intracerebral.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 10/02/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=dissolve-coagulos-derrame-cerebro&id=7420

Medicamento reverte rapidamente efeitos do Mal de Alzheimer

Reversão do Mal de Alzheimer

Cientistas norte-americanos estão festejando uma descoberta que parece ser um dos mais importantes avanços no campo das neurociências nos últimos anos.

Usando um medicamento já aprovado, Paige Cramer e uma equipe coordenada a partir da Universidade Case Western (EUA) conseguiram reverter os danos patológicos, cognitivos e de memória causados pelo surgimento do Mal de Alzheimer.

Eles usaram um medicamento chamado bexaroteno, usado há mais de 10 anos no tratamento de alguns tipos de câncer, sobretudo no câncer do sistema linfático.

E os resultados de seu uso contra o Mal de Alzheimer foram muito além do esperado.

Bexaroteno

Camundongos que receberam o bexaroteno apresentaram uma rápida reversão no quadro clínico com relação aos efeitos gerados pelo Alzheimer.

O Mal de Alzheimer surge em grande parte pela incapacidade do corpo em eliminar do cérebro fragmentos de proteínas naturais, conhecidas como beta-amiloide.

Em 2008, o professor Landreth Gary, coordenador deste estudo, descobriu que o principal carreador de colesterol para o cérebro, a abolipoproteína (ApoE), facilita a remoção das proteínas beta-amiloide.

O grupo agora decidiu verificar se o bexaroteno era capaz de aumentar a expressão da ApoE. A elevação dos níveis da ApoE, por sua vez, acelera o processo de remoção das proteínas beta-amiloides do cérebro.

O bexaroteno atua estimulando receptores conhecidos como RXR, que controlam quanta beta-amiloide é produzida.

Ação rápida

Os cientistas ficaram particularmente surpresos com a velocidade com que o bexaroteno reverteu as perdas de memória e os problemas de comportamento.

Apenas seis horas após a administração da droga, os níveis de beta-amiloides solúveis, que se acredita serem as causadoras dos danos na memória no Alzheimer, caíram em 25%.

Mais da metade das placas foi eliminada em até 72 horas, e a redução final do tratamento chegou a 75%.

"Esta é uma descoberta sem precedentes," disse Cramer. O melhor tratamento disponível até agora para tratar o Alzheimer em camundongos exige vários meses para reduzir as placas no cérebro."

O próximo objetivo da pesquisa é verificar como será o funcionamento do medicamento em humanos.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 10/02/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=medicamento-cancer-reverte-mal-alzheimer&id=7425

Cuidados podem evitar a gastroenterite no verão

Gastroenterite

Cuidados com a higiene e a alimentação nunca são demais na época do verão e podem afastar problemas digestivos sérios, como a gastroenterite.

O alerta é do professor de infectologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Edmilson Migowski.

A gastroenterite é uma infecção aguda que atinge o estômago e o intestino.

A doença é provocada por bactérias, protozoários ou vírus encontrados na água, em alimentos contaminados ou pelo contato com pessoas que já apresentam o problema.

Seus sintomas mais comuns são náuseas, vômito, dor de cabeça ou na barriga, fadiga, diarreia, dores musculares e febre.

Pessoas infectadas eliminam o vírus pela saliva e podem contaminar outras, inclusive por via respiratória, advertiu o professor.

Transmissão

No caso de ambientes confinados, como cruzeiros marítimos, a transmissão do vírus pode ser barrada evitando-se o contato com quem está doente.

É preciso ter em mente, disse o médico, que as pessoas infectadas eliminam o vírus até três semanas depois do processo infeccioso aparente: "E essa pessoa pode ainda estar em fase de contágio, até por duas ou três semanas da fase aguda da doença".

Ele destacou a importância de as pessoas lavarem as mãos antes e depois de ir ao banheiro e antes das refeições: "É sempre bom para evitar que a transmissão ocorra de forma mais fácil".

Migowski informou que existem hoje medicamentos que podem ser utilizados para diminuir a infestação por esses vírus.

Desidratação

Atenção especial deve ser dada aos bebês e idosos. "O problema principal que ocorre com a gastroenterite viral é a possibilidade de a pessoa se desidratar", lembrou o infectologista.

"Bebês, crianças em idade escolar e idosos são considerados os grupos de maior risco para desidratar e, até mesmo, morrer em decorrência de uma gastroenterite viral. Portanto, acredito que é muito importante hidratar bem esse paciente, oferecer bastante líquido.

"Mas não é dar refrigerante, suco ou isotônico. É dar soro oral mesmo. E, na eventualidade de o soro oral não ser suficiente, deve-se internar o paciente para fazer medicação pela veia", acrescentou.

Alimentos estragados

Migowski advertiu que nesta época do ano, os alimentos se estragam mais facilmente.

Entre eles, citou alimentos feitos à base de maionese e carnes malpassadas. A recomendação é que sejam evitados alimentos sem refrigeração adequada.

"Aquilo que não se pode descascar, lavar ou ferver, o melhor é não comer", explicou.

Isso se aplica, em especial, a alimentos feitos na rua ou que tenham sido manipulados ou conservados de forma inadequada.

"São fatores de risco. A segurança alimentar é fundamental para evitar esses quadros de gastroenterite, seja por vírus ou por outros agentes", disse o infectologista.



Por: Diário da Saúde - Alana Gandra - Agência Brasil

Publicado em: 07/02/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=gastroenterite&id=7415

Criada carne vegetal com textura e suculência de carne animal

Carne vegetal

Pode ser mais fácil fabricar "carne vegetal" do que "carne artificial".

O Dr. Mark Post ganhou renome internacional graças à tenacidade com que se dedica à sintetização de carne em laboratório, o que permitiria produzir bifes de carne verdadeira sem sacrificar animais.

Mas um outro grupo, formado por cientistas da Alemanha, Áustria e da Holanda, acredita que os mesmos nutrientes podem ser fornecidos aos humanos usando unicamente plantas, criando verdadeiros bifes vegetais.

E eles não estão falando de nada parecido com um "hambúrguer vegetal" que se pode comprar hoje nos supermercados, mas um alimento com textura e sabor de carne, mas feito unicamente de vegetais.

Parece fazer muito sentido: cada boi consome cerca de oito quilogramas de vegetais para gerar um único quilograma de carne.

A ideia do projeto LikeMeat (parecido com carne, em tradução livre) é eliminar esse longo caminho pelo organismo dos animais e criar pedaços de carne diretamente dos vegetais.

Réplica vegetal da carne

Os carnívoros não precisam se preocupar, porque a ideia não é transformar toda a população em vegetarianos.

Os cientistas já sabem que há várias plantas adequadas para a produção de produtos substitutos da carne em termos nutricionais.

Eles estão trabalhando agora em fazer com que esses produtos se pareçam e tenham textura e sabor de carne.

"Nosso objetivo é desenvolver uma réplica vegetal para a carne que seja fibrosa e suculenta, mas que também tenha um sabor agradável. O produto deverá ter uma durabilidade de prateleira longa, não poderá ser mais caro do que a carne e deverá ser adequado para vegetarianos e para pessoas alérgicas," resume o Dr. Florian Wild, coordenador da pesquisa.

Além dos cientistas acadêmicos, pesquisadores de 11 empresas fabricantes de produtos alimentícios já se juntaram ao projeto, com interesse em comercializar as carnes vegetais desenvolvidas.

Transformando vegetais em carne

Mas como você transforma plantas em carne?

"A tecnologia de processamento foi o maior desafio," lembra Wild.

As técnicas tradicionais de misturar proteínas vegetais com um pouco de água e aquecer sob pressão não se mostrou útil, porque o material estufa, como as proteínas de soja vendidas hoje no comércio.

Eles tiveram então que desenvolver uma nova técnica: os principais ingredientes - que continuam sendo a água e as proteínas das plantas - são fervidos e esfriados lentamente.

Esse resfriamento lento faz com que as proteínas formem cadeias, gerando uma estrutura fibrosa que é muito parecida com a da carne.

O equipamento protótipo já está em funcionamento, produzindo entre 60 e 70 quilogramas de carne vegetal por hora - 300 a 500 quilos por dia.

"A consistência e a textura estão perfeitas," comemora o cientista, ressaltando que ainda é preciso otimizar o sabor, para que ele fique mais parecido com o da carne.

Ingredientes da carne vegetal

Os principais ingredientes usados na carne vegetal são trigo, ervilha, tremoço e soja.

"Não estamos nos atendo intencionalmente a um tipo específico de planta porque muitas pessoas têm alergias a uma ou outra delas," diz o pesquisador.

"No processo, nós já desenvolvemos uma grande variedade de receitas. Elas são a base de uma linha de produtos que oferecerá uma grande possibilidade de seleção para as pessoas que possam ter intolerância alimentar ou alergias," completa.

A expectativa é ter um produto totalmente pronto dentro de um ano.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 12/03/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=carne-vegetal&id=7526

Substituto da manteiga reduz pressão arterial e colesterol

Peptídeos e esteróis

Cientistas finlandeses constataram que uma pasta alimentar - uma espécie de margarina - contendo peptídeos do leite e esteróis de plantas consegue baixar a pressão sanguínea e os níveis do colesterol ruim, o LDL.

Os peptídeos do leite - compostos formados por dois ou mais aminoácidos - têm um efeito anti-hipertensivo ao inibir um regulador da pressão sanguínea chamado angiotensina.

Já os esteróis dos vegetais - uma espécie de álcool - são conhecidos por seus efeitos de baixar os níveis do LDL (Low Density Lipoprotein, lipoproteína de baixa densidade).

Jeito fácil

Anu Turpeinen e seus colegas da Universidade de Helsinque afirmam que a diluição desses compostos - em margarinas ou "pastas" destinadas a substituir a manteiga - oferece uma opção mais econômica e de mais fácil adoção para melhorar a saúde, sem grandes alterações de estilo de vida e hábitos de consumo.

"Os resultados sugerem que os peptídeos do leite IPP e VPP, e os esteróis de plantas, em uma matriz de baixo teor de gordura, induz uma redução clinicamente significativa na pressão arterial sistólica, bem como no soro total e no colesterol LDL, sem efeitos adversos," escrevem eles.

Alerta

O grande alerta, na verdade, está na expressão "matriz de baixo teor de gordura".

Ou seja, se os peptídeos e os esteróis forem incluídos e incentivarem o uso excessivo de margarinas ou outros produtos que contenham gordura, os "efeitos adversos" poderão vir na forma de ganho de peso.

O estudo foi publicado na revista científica Food & Function.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 12/03/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=substituto-manteira-reduz-pressao-arterial-colesterol&id=7521

Planta tem ação anti-inflamatória em peles sensíveis

Medicamento natural

Velha conhecida da medicina popular, a planta Physalis angulata demonstrou em testes clínicos potencial para se tornar uma grande aliada de pessoas com pele sensível ou intolerante a cosméticos, que podem desenvolver dermatites.

Em pesquisa realizada pela empresa Chemyunion Química - fabricante de matérias-primas para a indústria cosmética e farmacêutica - o extrato concentrado do vegetal mostrou ação anti-inflamatória equivalente à da hidrocortisona, mas sem os efeitos adversos dessa última.

Enquanto o uso prolongado de corticoides tópicos prejudica a formação de colágeno e torna a pele mais fina e suscetível a lesões, os ativos da P. angulata estimulam a produção dessa proteína e a regeneração celular.

"Mesmo pessoas com pele normal podem se beneficiar do efeito antienvelhecimento do extrato", disse Márcio Antônio Polezel, diretor industrial da Chemyunion.

Fisalinas, fitoesterois e flavonoides

Também conhecida como camapu, juá, balãozinho ou saco de bode, a P. angulata está presente no Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste brasileiro, mas se concentra principalmente na Amazônia.

Há muito tempo a planta medicinal é usada em chás e infusões no combate à asma, hepatite, malária, reumatismo e também como diurético e analgésico.

Nos anos 1970, cientistas descobriram que substâncias existentes na planta, batizadas de fisalinas, possuíam ação anti-inflamatória. Estudos posteriores sugeriram que as fisalinas poderiam também ser uma arma contra o câncer, a tuberculose e a doença de Chagas.

"No início achávamos que a ação anti-inflamatória vinha somente das fisalinas, mas descobrimos que no caule e nas folhas da planta - partes usadas na pesquisa - a quantidade dessa substância é pequena. O benefício é proporcionado por fitoesterois, flavonoides e diversas outras substâncias presentes no vegetal", disse Polezel.

CO2 supercrítico

Para extrair os princípios ativos das plantas, a indústria cosmética geralmente recorre a solventes como água, álcool etílico, propilenoglicol ou butilenoglicol. "O problema é que essas substâncias permanecem no extrato final e podem causar efeitos indesejados. O álcool, por exemplo, resseca a pele", disse.

Na tentativa de obter uma matéria-prima pura e com concentração até 10 mil vezes maior de substâncias ativas, os pesquisadores recorreram a um método pouco comum no meio cosmético: a extração com dióxido de carbono (CO2) supercrítico.

"Nós submetemos o CO2 a uma pressão 500 vezes maior que a da atmosfera. O gás entra em um estado chamado supercrítico, intermediário entre o líquido e o gasoso. É então injetado nos reatores de extração, penetra nas células do vegetal e retira os ativos. Quando a pressão é reduzida a 70 atmosferas, o CO2 retorna ao estado gasoso e se separa do extrato, que cai em um coletor", explicou Polezel.

O processo não ultrapassa a temperatura de 50 ºC, o que garante a integridade das moléculas. Além disso, pode ser considerado ecologicamente correto, uma vez que o CO2 é utilizado em ciclo fechado dentro do extrator.

O problema é o preço. Enquanto um extrato vegetal pode custar apenas R$ 4 o quilo, cada grama da matéria-prima superconcentrada pode chegar a R$ 170 reais ou até mais, dependendo dos ativos que se busca.

"É no mínimo dez vezes mais cara, levando-se em conta a diferença de concentração. Mas não tem o efeito indesejável do solvente e permite dosar com precisão a concentração desejada dos ativos, de forma a se conseguir a eficácia que se busca, o que garante a eficácia", explicou Polezel.

Superconcentrado

A empresa também desenvolveu um extrato hidroglicólico comum de P. angulata para comparar com o superconcentrado e com a hidrocortisona durante as pesquisas.

Os primeiros testes de eficácia e segurança foram feitos in vitro com culturas de células humanas. Em seguida, o efeito dos dois extratos vegetais e da hidrocortisona foi comparado em 33 voluntários entre 18 e 60 anos.

"Comprovamos que a P. angulata tem ação equivalente à de corticoides e demonstramos que o extrato superconcentrado é no mínimo 25% mais eficaz no combate à inflamação que a versão hidroglicólica, tendo-se como base o mesmo teor de ativos", disse Gustavo Facchini, pesquisador do projeto.

Os dois tipos de extrato de P. angulata já foram lançados no mercado. O superconcentrado ganhou o nome de Physavie, e o hidroglicólico, de EcoPhysalis. Segundo a gerente de pesquisa e desenvolvimento da Chemyunion, Cecília Nogueira, cerca de dez empresas brasileiras e estrangeiras estão testando ou lançando cosméticos com esse ativo.

"O Physavie é um produto premium, para a indústria cosmética de primeira linha. É mais caro, mas vai resolver o problema de quem tem pele sensível em menos tempo, com menor quantidade e sem o risco de efeitos colaterais causados pelos extratos comuns contendo solventes", disse Nogueira.



Por: Karina Toledo - Agência Fapesp - Diário da Saúde

Publicado em: 13/03/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=planta-tem-acao-anti-inflamatoria-peles-sensiveis&id=7533

Coca e Pepsi alteram receita para evitar rótulo sobre câncer

Pressão pública

As fabricantes de refrigerantes Coca-Cola e Pepsi anunciaram que irão mudar suas receitas para eliminar o 4-metil-imidazol (4-MI).

Estudos em animais mostraram que a substância, usada na obtenção do corante caramelo, tem efeitos cancerígenos.

O alerta foi dado pelo CSPI (Centro para uma Ciência no Interesse Público, na sigla em inglês).

Segundo o órgão, "novas análises químicas descobriram que Coca-Cola, Pepsi-Cola, Diet Coke e Diet Pepsi contêm altos níveis de 4-metil-imidazol (4-MI), um conhecido carcinogênico animal."

A CSPI havia pedido ao órgão norte-americano de saúde e alimentação, a FDA, para banir o uso da substância nos refrigerantes em Fevereiro de 2011, mas só agora o assunto chegou a ter um impacto público.

Pressão legal

A reação das empresas veio depois que o estado da Califórnia incluiu o 4-MI na lista de substâncias carcinogênicas.

Para continuar a usar o 4-MI, as empresas teriam que adicionar ao rótulo um alerta de que continham uma substância potencialmente cancerígena.

As análises indicam que as latas de de Coca-Cola contêm entre 142 e 146 microgramas de 4-metil-imidazol, enquanto as de Pepsi contêm entre 145 e 153 microgramas, tanto nas versões normais como nas diet.

Os estudos em camundongos e ratos associaram a substância aos cânceres de pulmão, fígado, tireóide e leucemia.

Para evitar o rótulo, ambas anunciaram que vão mudar suas fórmulas para se adequar à leis da Califórnia, mas que também deverão estender a nova fórmula para outros estados dos Estados Unidos.

Ainda não está claro como seguirá o processo produtivo dos refrigerantes em outros países, uma vez que a substância ainda não é listada como cancerígena na quase totalidade deles.

4-metil-imidazol

O 4-metil-imidazol se forma quando a amônia, ou a amônia e sulfetos são usados para fabricar o corante caramelo, que dá a coloração aos refrigerantes.

"A coloração é totalmente cosmética, não adicionando nada ao sabor do produto. Se as companhias puderam fabricar um corante livre de carcinogênico, então elas devem fazê-lo. E a indústria parece estar se movendo nessa direção. Se não o fizeram, a FDA precisa proteger os consumidores desse risco banindo o corante," afirmou a CSPI.

Um ano depois do alerta inicial, parece que agora o pedido será atendido.

Ainda não há informações sobre se a adoção do novo corante será feita aqui no Brasil.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 09/03/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=coca-pepsi-alteram-receita-evitar-rotulo-sobre-cancer&id=7518

Pipoca tem mais antioxidantes que frutas e verduras

Polifenóis na pipoca

A pipoca é um aperitivo largamente apreciado, mas talvez seja hora de levá-la um pouco mais a sério.

Novas pesquisas indicam que a pipoca contém uma quantidade maior de substâncias antioxidantes, conhecidas como polifenóis, do que as frutas e verduras.

Outra surpresa, esta talvez não tão saborosa, é que as casquinhas da pipoca - aquela parte que adora entrar entre os dentes - contém a maior concentração de polifenóis e de fibras.

Grão inteiro não processado

Segundo o Dr. Joe Vinson, da Universidade da Pensilvânia (EUA), os polifenóis são mais concentrados na pipoca.

Isso porque o aperitivo preferido nos cinemas tem apenas 4% de água, enquanto os polifenóis estão diluídos em até 90% de água em muitas frutas e verduras.

O trabalho do Dr. Vinson com as pipocas já vem de alguns anos.

Agora ele demonstrou que uma porção de pipoca chega a ter 300 mg de polifenóis, contra 114 mg no milho cozido e 160 mg nas frutas.

"A pipoca pode ser o aperitivo perfeito. Ela é o único aperitivo que é 100% grão inteiro não processado. Todos os outros cereais são processados e diluídos com outros ingredientes. Embora outros cereais se autodenominem 'grão inteiro', isto simplesmente significa que mais de 51% do peso do produto consiste em grãos," explica ele.

Receita de pipoca

O pesquisador alerta, entretanto, que a forma como as pessoas preparam e servem a pipoca pode rapidamente eliminar seu papel saudável.

Por exemplo, prepará-la com excesso de óleo, lambuzá-la com alguma "manteiga" de identidade não declarada, e completar com "um quilo" de sal, como geralmente se faz nos cinemas, e ainda achar que isso vai fazer bem à saúde, é pura ilusão, como as que se vê nos filmes.

As pipocas doces, devidamente recobertas com uma camada de açúcar, também podem se tornar um pesadelo nutricional.

A melhor receita de pipoca é: compre o milho e estoure em uma panela com um mínimo de óleo, e use um mínimo de sal para temperar.

O Dr. Vinson também alerta para não substituir vegetais e frutas por pipocas, porque os "verdinhos" possuem vitaminas e outros nutrientes essenciais.

Mas substituir outros aperitivos, os agora chamados snacks (aperitivo, em inglês) pode ser uma ideia muito saudável.



Por: Redação Diário da Saúde

Publicado em: 27/03/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=pipoca-antioxidantes&id=7577

Pesquisa da USP demonstra riscos de corantes à saúde

Riscos dos corantes

Pesquisadores da USP estão jogando por terra o mito de que corantes não fazem mal à saúde.

Os estudos, coordenados pela professora Danielle Palma de Oliveira, têm chegado a resultados preocupantes sobre a ação destes componentes.

O grupo está estudando o uso de corantes na indústria têxtil, que entram em contato com a pele humana, na indústria de cosméticos, sobretudo tinturas para cabelos, e na indústria alimentícia.

Os principais riscos verificados estão ligados a danos genéticos, com a quebra das moléculas de DNA na células.

Em princípio, esse comportamento mutagênico pode levar ao desenvolvimento do câncer, embora esta associação não tenha sido pesquisada pelo grupo.

Corantes têxteis

As pesquisas começaram observando a presença de corantes químicos ligados à indústria têxtil, em um rio próximo à região metropolitana de São Paulo.

O grupo detectou que a exposição aos corantes provocava ações mutagênicas, como a quebra do DNA de células.

Os estudos agora já envolvem mais de 10 corantes da classe química AZO, e todos tiveram seus riscos à saúde comprovados: "Eles apresentaram danos ao material genético, com quebra de DNA ou de cromossomos," diz a pesquisadora.

Segundo Danielle, tais corantes são utilizados principalmente pela indústria têxtil, para o tingimento de fibras.

O risco para a saúde está no contato do corante com o suor, que pode fazer com que ele seja transferido para a pele. Visando comprovar estes efeitos, o grupo está desenvolvendo culturas de células de pele humana para realização de testes.

Corantes para cabelos

Com os avanços na questão dos corantes têxteis, Danielle iniciou o estudo de corantes ligados a outras indústrias, como os utilizados para mudança de coloração dos cabelos.

A pesquisa ainda está em fase inicial, mas já revelou alguns efeitos da utilização do produto.

"Já foi identificado que esses corantes são tóxicos, mas ainda não conseguimos verificar se eles também causam lesões ao DNA", declara.

Segundo Danielle, pesquisas sobre a ação destes componentes crescem principalmente nos Estados Unidos e na Comunidade Europeia, que não têm legislações específicas sobre as questões da utilização de corantes.

Corantes em alimentos

Um dos motivos do alerta se deu por conta de resultados em pesquisas europeias relacionadas às ações de corantes em alimentos infantis.

"Foi demonstrado que algumas papinhas podem levar as crianças a sofrerem alteração de comportamento e alergias, mas em pouco tempo [as substâncias prejudiciais] já estarão fora de circulação", conta a professora.

Legislação sobre corantes

A questão do risco dos corantes nunca foi estudada do modo devido por conta da suposição de que estes eram componentes inofensivos.

Porém, em virtude das descobertas recentes, a situação pode ser mais complexa. "Os corantes são substâncias perigosas e merecem mais atenção", declara Danielle.

No Brasil a legislação acerca do uso de corantes para a indústria têxtil também é inexistente, havendo regulação somente para o setor alimentício.

A professora, a partir dos resultados de suas pesquisas, propõe uma mudança na questão. "Nós procuramos utilizar os resultados de nossas pesquisas para embasar uma proposta de mudança na legislação", conta.

Porém, com os estudos em fase inicial, ela admite que esta mudança pode ser lenta. "Seria necessária uma reunião técnica com os legisladores para mostrar nossos resultados, mas isso ainda vai demorar um pouco", conclui.



Por: Diári da Saúde - Com informações da USP

Publicado em: 27/03/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=riscos-corantes-saude&id=7579

Hortelã, babosa e salgueiro entram na relação de Medicamentos do SUS

Alopáticos e fitoterápicos

O Ministério da Saúde divulgou a nova versão da Relação Nacional de Medicamentos (Rename).

A lista oficial de medicamentos do Sistema Único de Saúde (SUS) agora conta com 810 itens.

Entre as novidades estão a inclusão de cinco novos medicamentos alopáticos, que passam a ser fornecidos gratuitamente nas unidades básicas de saúde, e de três fitoterápicos de largo uso pela medicina popular.

Os medicamentos alopáticos Finasterida e a Doxasozina, indicados para o tratamento da hiperplasia prostática benigna (crescimento anormal da próstata), integram a lista.

Estão incluídos também os fitoterápicos: hortelã, para tratamento da síndrome do cólon irritável, babosa, para queimaduras e psoríase, e salgueiro, para dores lombares.

Conceito de medicamentos essenciais

A Relação Nacional de Medicamentos é atualizada a cada dois anos, mas, agora em 2012, a Rename ganhou outro conceito.

Até o ano passado só constavam desta relação medicamentos da atenção básica, considerados itens "essenciais" para a população brasileira; isto é, voltados para as condições mais recorrentes.

Até então, não estavam incluídos os medicamentos que tratam doenças raras e complexas, nem vacinas ou insumos.

"Este ano, a Rename foi elaborada a partir de um conceito mais amplo do que é essencial para a população. Todos os medicamentos de uso ambulatorial foram incluídos - entre eles, insumos e vacinas. Por isso, a lista mais do que dobrou de tamanho, ganhando 260 itens", explica o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Carlos Gadelha.

Só não constam da Rename/2012 os medicamentos oncológicos, oftalmológicos e aqueles usados em Urgências e Emergências. Esses produtos estão contemplados na Relação Nacional de Ações e Serviços de Saúde (Renases).

Fitoterápicos

O Ministério da Saúde passou a financiar fitoterápicos na rede pública de saúde a partir de 2007.

Inicialmente, apenas dois produtos constavam da lista do SUS. Atualmente, são 11 medicamentos.

Todos eles são fitoterápicos industrializados, ou seja, registrados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); portanto, com eficácia e segurança comprovadas.

Esses produtos, assim com os medicamentos tradicionais, passam por controle de qualidade e as empresas seguem as mesmas regras de boas práticas de fabricação utilizadas pelas fábricas dos alopáticos.

Listas municipais de medicamentos

Nome popular
Nome científico
Indicação

Nome Popular: Espinheira-santa
Nome Científico: Maytenus ilicifolia
Indicação: Dispepsias, coadjuvante no tratamento de gastrite e úlcera duodenal

Nome Popular: Guaco
Nome Científico: Mikania glomerata
Indicação:Expectorante e broncodilatador

Nome Popular:Alcachofra
Nome Científico: Cynara scolymus
Indicação:Colagogos e coleréticos em dispepsias associadas a disfunções hepatobiliares.

Nome Popular: Aroeira
Nome Científico: Schinus terebenthifolius
Indicação: Produtos ginecológicos antiinfecciosos tópicos simples

Nome Popular: Cáscara-sagrada
Nome Centífico: Rhamnus purshiana
Indicação: Constipação ocasional

Nome Popular: Garra-do-diabo
Nome Científico: Harpagophytum procumbens
Indicação: Antiinflamatório (oral) em dores lombares, osteoartrite

Nome Popular: Isoflavona-de-soja
Nome Científico: Glycine max
Indicação: Climatério (Coadjuvante no alívio dos sintomas)

Nome Popular: Unha-de-gato
Nome Científico: Uncaria tomentosa
Indicação: Antiinflamatório (oral e tópico) nos casos de artrite reumatóide, osteoartrite e como imunoestimulante

Nome Popular:Hortelã
Nome Científico: Mentha x piperita
Indicação: Síndrome do cólon irritável

Nome Popular: Babosa
Nome Científico: Aloe vera
Indicação: Queimaduras e psoríase

Nome Popular: Salgueiro
Nome Científico: Salix alba
Indicação: Dor lombar

Para obter (gratuitamente) os cinco novos e outros produtos incluídos no Sistema Único de Saúde a partir da Rename/2012, o usuário precisa apresentar receita médica às unidades do SUS.

Os municípios e estados têm autonomia para disponibilizar esses medicamentos conforme a demanda da população local.

Cada município faz sua própria lista - a Relação Municipal de Medicamentos (Remume). Esses itens são adquiridos com recursos próprios dos estados e dos municípios, complementados por recursos do Ministério da Saúde.


Por: Redação Diário da Saúde

Publicado em: 30/03/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=hortela-babosa-salgueiro-medicamentos-sua&id=7594

Orégano destrói células do câncer de próstata

Tempero da saúde

O conhecido tempero orégano, muito usado em pizzas e massas, tem efeitos benéficos à saúde conhecidos há muito tempo.

Entre esses benefícios estão os efeitos antioxidantes, a redução do risco de doenças crônicas, mas, mais particularmente, o combate aos fortes efeitos colaterais da quimioterapia.

Agora, em uma pesquisa ainda com cultura de células em laboratório, cientistas descobriram que o orégano consegue destruir células do câncer de próstata.

Supertempero

A Dra. Supriya Bavadekar e seus colegas da Universidade Long Island (EUA) isolaram um composto do orégano, chamado carvacrol, e testaram seus efeitos contra as células tumorais.

Os estudos demonstraram que o constituinte do orégano dispara o fenômeno de apoptose, a morte programada das células.

"Nós sabemos que o orégano possui propriedades antibacterianas e anti-inflamatórias, mas seus efeitos sobre as células do câncer realmente elevam o tempero ao nível dos supertemperos, como o açafrão," disse a pesquisadora, citando outro vegetal com largos benefícios à saúde.

Licopeno e carvacrol

Embora o estudo esteja em estado inicial, a pesquisadora acredita que os resultados são suficientes para apostar no uso do carvacrol como um fármaco anticâncer.

"Alguns pesquisadores já demonstraram que a ingestão de pizza pode reduzir o risco de câncer. Esse efeito tem sido atribuído ao licopeno, um composto presente no molho de tomate, mas agora acreditamos que o orégano possa ter sua participação nesse benefício," disse ela.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 26/04/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=oregano-destroi-celulas-cancer-prostata&id=7689

Aspirina reduz risco de morte por câncer de intestino

Tomar ou não tomar aspirina

Tomar ou não tomar aspirina de forma preventiva?

Eis a questão, para a qual a resposta ainda é cuidadosa pela maioria dos especialistas.

Um estudo recente mostrou que a aspirina pode reduzir risco de metástase e morte por câncer, enquanto outro descobriu novos efeitos do medicamento que começam a esclarecer sua forma de atuação no organismo.

O assunto volta à imprensa hoje, com a publicação de um novo estudo no British Journal of Cancer, realizado pela equipe do Dr. Gerrit-Jan Liefers, da Universidade de Leiden, na Holanda.

Resultados e críticas

No estudo, que levou quase uma década, um quarto dos pacientes não usou aspirina, um quarto apenas usou aspirina depois de ser diagnosticado com câncer e a metade restante tomou aspirina antes e depois do diagnóstico.

A maior parte dos pacientes que tomaram aspirina o fizeram para evitar doenças cardiovasculares, como enfarte e acidentes vasculares - a recomendação da ingestão de aspirina por pacientes em risco de doenças cardiovasculares tem maior concordância entre os especialistas.

Tomar aspirina por qualquer período depois do diagnóstico de câncer de intestino reduziu a chance de morte por câncer em 23%.

Os pacientes que tomaram doses diárias do medicamento por pelo menos nove meses depois do diagnóstico tiveram a chance de morrer por câncer reduzida em 30%.

Nos pacientes que tomaram a aspirina antes e depois do diagnóstico, a redução do risco de morte foi de apenas 12%.

As críticas ao estudo são duas: o câncer de intestino ocorre sobretudo em pessoas mais idosas, o que pode dificultar a extensão dos resultados para outras faixas etárias.

E a ingestão de aspirina não foi comparada com a ingestão de um placebo.

Cuidados

O Dr. Liefers salienta que a aspirina não deve ser vista como alternativa a outros tratamentos, como a quimioterapia, mas poderia ser útil como tratamento adicional.

Já Sarah Lyness, da entidade Cancer Research UK ressalta que isso é diferente de recomendar que as pessoas sem qualquer diagnóstico passem a tomar aspirina continuamente para se prevenir do câncer.


Uso regular de aspirina pode fazer mais mal do que bem

"É possível que pessoas mais velhas tenham outros problemas de saúde que não permitam a quimioterapia. Câncer de intestino é mais comum em pessoas mais velhas, então esses resultados poderiam ser um grande avanço no tratamento da doença, particularmente para este grupo. Mas precisamos de pesquisa adicional para confirmar isso," afirmou.

"Qualquer um pensando em tomar aspirina para reduzir o risco de câncer deveria conversar com seu médico primeiro. Pessoas com câncer devem estar cientes de que a aspirina pode aumentar as chances de complicações antes de cirurgia ou outros tipos de tratamento, e devem discutir isso com o especialista," concluiu.



Por: Diário da Saúde - Com informações da BBC

Publicado em: 25/04/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=aspirina-reduz-risco-morte-cancer-intestino&id=7685

Vitamina E protege contra o câncer, mas não em suplementos

Tipos de vitamina E

Cientistas norte-americanos e chineses recolheram evidências científicas de que a vitamina E tem forte efeito protetor contra várias formas de câncer.

Sobretudo duas formas da vitamina E - tocoferóis gama e delta - mostraram-se altamente eficazes na prevenção dos cânceres de cólon, pulmão, mama e próstata.

Esses dois tipos de vitamina E são encontrados nos óleos de soja, canola e milho, e em castanhas.

"Nossa mensagem é que a forma tocoferol gama da vitamina E, a forma mais abundante dessa vitamina na alimentação, e o tocoferol delta, encontrado em óleos vegetais, são benéficos na prevenção do câncer," afirmou o Dr. Chung S. Yang, da Universidade de Rutgers.

Veja o conteúdo dos suplementos

Contudo, há um grande porém na pesquisa realizada pela equipe do Dr. Yang.

"A forma alfa-tocoferol, a mais comum em suplementos de vitamina E, não mostrou qualquer benefício [na prevenção do câncer]," salientou o pesquisador.

As constatações foram feitas a partir tanto de estudos com animais de laboratório quanto de dados epidemiológicos humanos.

Na realidade, outros estudos já mostraram que os suplementos de vitamina E podem ter efeito oposto ao desejado:

Suplementos de vitamina E aumentam risco de câncer de próstata

Olhe o rótulo, ou coma melhor

É por isso, salienta o pesquisador, que é importante identificar as diferentes formas de vitamina E, o que exigirá pesquisas mais detalhadas sobre o efeito preventivo contra o câncer e outros efeitos biológicos de cada um dos tipos de vitamina E.

"Para as pessoas que acreditam que precisam tomar suplementos de vitamina E," diz Yang, "o mais prudente é tomar uma mistura de [tipos de] vitamina E que melhor imite aquela presente em uma dieta saudável."

Ou, como alternativa, ingerir uma dieta mais saudável e dispensar qualquer controvérsia.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 25/04/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=vitamina-protege-contra-cancer-mas-nao-suplementos&id=7682

Acupuntura evita perda de músculos esqueléticos

Músculos esqueléticos

Pesquisadores japoneses descobriram que a acupuntura tem efeitos ainda mais amplos do que se previa.

Akiko Onda e sua equipe da Universidade Waseda descobriram não apenas que acupuntura protege contra a atrofia muscular, mas também como a milenar técnica chinesa atua no organismo que atingir esse resultado.

"Nossos resultados identificaram a acupuntura como um tratamento primário, não-farmacológico, para prevenir a atrofia muscular-esquelética," disse Onda, que pesquisou o tema durante quatro anos.

Os músculos esqueléticos, ou músculos estriados, são responsáveis por todos os movimentos voluntários. Eles se inserem sobre os ossos e sobre as cartilagens, e juntamente com a pele e o esqueleto, formam todo o invólucro exterior do nosso corpo.

Perda de massa muscular

Segundo o pesquisador, os beneficiários imediatos da nova terapia são os idosos e os pacientes longamente acamados.

A perda de massa muscular esquelética tem um efeito profundo sobre a capacidade dos idosos e dos doentes de se envolverem em atividades físicas.

Como essa musculatura de sustentação tem alta plasticidade, intervenções como treinamentos físicos, melhor nutrição e estimulação mecânica são frequentemente recomendados para prevenir a atrofia.

Infelizmente, esses podem ser objetivos difíceis demais para as pessoas já muito frágeis ou sob condições médicas graves.

O Dr. Onda insiste que é urgentemente necessária uma intervenção alternativa não-farmacológica: e a acupuntura mostrou ser essa solução.

Fundamentos fisiológicos da acupuntura

Insatisfeitos apenas com a mensuração dos resultados nos pacientes, os pesquisadores partiram então para descobrir como a acupuntura afeta os músculos esqueléticos em nível molecular.

"O foco principal do nosso estudo era a mudança nos níveis da expressão do mRNA de genes especificamente ligados à atrofia músculo-esquelética, como o atrogina-1," explica o pesquisador. "A massa muscular e a estrutura são determinados pelo equilíbrio entre a degradação e a síntese de proteínas."

A equipe comprovou que a perda de massa muscular e a diminuição do nível de expressão de mRNA do atrogina-1 (proteína ligase E3 ubiquitina) podem ser significativamente revertidas pela acupuntura.

Apesar de ser recomendada pela Organização Mundial da Saúde, ainda há poucos estudos, como este, sobre os fundamentos fisiológicos das ações benéficas da acupuntura.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 27/04/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=acupuntura-evita-perda-musculos-esqueleticos&id=7681

Cor dos olhos pode indicar risco de doenças da pele

Olhos e pele

A cor dos olhos pode ser um indicador do risco que uma pessoa tem para algumas doenças da pele.

Pesquisadores demonstraram que pessoas com olhos azuis são menos propensas a ter vitiligo.

Vitiligo é uma doença autoimune que resulta na perda de pigmentação, formando manchas irregulares brancas, tanto na pele quanto nos cabelos.

Do lado oposto, segundo os cientistas, pessoas com olhos castanhos podem ser menos propensas a ter melanoma.

O melanoma é o tipo mais perigoso de câncer de pele.

"Geneticamente, em alguns aspectos o vitiligo e o melanoma são pólos opostos. Algumas das mesmas variações genéticas que tornam as pessoas mais propensas a ter vitiligo faz com que elas sejam menos propensas a ter melanoma, e vice-versa," disse Richard Spritz, da Universidade do Colorado, um dos autores do estudo.

Genes e fatores ambientais

A equipe estudou quase 3.000 pessoas com vitiligo, todas de ascendência europeia "não-hispânica", o que torna questionável a extensão dos resultados à população brasileira.

Eles identificaram 13 novos genes que predispõem ao vitiligo.

Pessoas com vitiligo têm maior risco de várias outras doenças auto-imunes, como doenças da tireoide, diabetes tipo 1, artrite reumatoide e lúpus.

Parentes próximos de um paciente com vitiligo também têm maior risco para essas doenças, mesmo se elas próprias não tiverem vitiligo.

Spritz afirma que isso significa que deve haver alguns genes que aumentam a probabilidade das doenças autoimunes em geral, enquanto outros genes e gatilhos ambientais determinam qual doença auto-imune ocorre e quando.

O estudo foi publicado pela revista Nature Genetics.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 08/05/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=cor-dos-olhos-indica-risco-doencas-pele&id=7732

Extrato de própolis inibe crescimento do câncer de próstata

Éster fenetil do ácido cafeico

Um medicamento natural, sem contra-indicações, extraído da própolis das abelhas inibe o crescimento do câncer de próstata, tanto em cultura de laboratório, quanto em tumores reais em cobaias.

Seu nome é "éster fenetil do ácido cafeico", ou CAPE (Caffeic acid phenethyl ester).

É um composto isolado da própolis, a resina utilizada pelas abelhas para remendar buracos em suas colmeias.

A própolis tem sido usada há séculos como remédio natural para as mais variadas condições, de dores de garganta e alergias a queimaduras e câncer.


Própolis brasileira é a melhor e a mais rica do mundo

Interrupção do câncer por tempo indeterminado

Agora, pesquisadores combinaram métodos tradicionais de pesquisa do câncer com técnicas de ponta de uma área conhecida como proteômica para estudar a ação da própolis diretamente nas células.

Eles descobriram que a CAPE impede o crescimento do câncer de próstata em estágio inicial impedindo que o aglomerado de células tumorais detecte de fontes de alimentação.

"Quando você alimenta os camundongos diariamente com CAPE, os tumores param de crescer. Depois de várias semanas, se você parar o tratamento, os tumores começam a crescer novamente no seu ritmo original," disse o Dr. Richard Jones, da Universidade de Chicago (EUA).

"Ou seja, o composto não mata o câncer, mas basicamente vai parar por tempo indeterminado a proliferação do câncer de próstata," esclarece ele.

Inibição da alimentação

Os resultados sugerem que o composto da própolis interrompe a divisão celular, em vez de matar as células cancerosas.

"Parece que o CAPE basicamente inibe a capacidade das células do câncer da próstata para perceber que há alimentação disponível," disse Jones. "Elas param todas as assinaturas moleculares que sugerem a presença da nutrição, e as células deixam de ter a resposta proliferativa normal à nutrição."

A capacidade do composto para congelar a proliferação das células de câncer tornam-no um promissor co-tratamento, juntamente com as quimioterapias destinadas a matar as células tumorais.

O pesquisador alerta que serão necessários ensaios clínicos em humanos antes que o composto de própolis possa ser usado como medicamento receitado clinicamente.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 04/05/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=extrato-propolis-inibe-crescimento-cancer-prostata&id=7722

Composto de açafrão começa a ser testado contra câncer

Tempero saudável

Médicos do Instituto Nacional do Câncer do Reino Unido estão lançando um estudo clínico - em pacientes humanos - para analisar os efeitos de um composto do açafrão para combater o câncer de intestino.

O estudo vai se concentrar na curcumina, um composto que pesquisadores brasileiros estão testando contra o câncer de pele.

O objetivo é avaliar o resultado da adição do medicamento natural ao tratamento tradicional do câncer.

Estudos anteriores, em laboratório e em animais, já demonstraram que a curcumina melhora a capacidade da quimioterapia em destruir as células do câncer.

Agora vem o próximo passo natural, do teste em humanos em condições reais.

Curcumina contra o câncer

Pacientes com câncer de intestino em estado avançado normalmente recebem um tratamento chamado FOLFOX, resultado da combinação de três drogas quimioterápicas.

O problema é que entre 40 e 60% dos pacientes não têm nenhum benefício com o tratamento, ainda que sofram todos os seus efeitos colaterais, incluindo formigamentos e dores intensas.

"A perspectiva de que a curcumina possa aumentar a sensibilidade das células cancerosas à quimioterapia é entusiasmante, porque isso poderá significar a administração de doses mais baixas [da quimioterapia], assim os pacientes terão menos efeitos colaterais e poderão continuar a receber o tratamento por mais tempo," disse o Dra William Steward, da Universidade de Leicester.

"Esta pesquisa está em um estágio muito inicial, mas estudar o potencial de compostos de plantas para tratar o câncer é uma área fascinante, que esperamos que poderá fornecer pistas para o desenvolvimento de novos medicamentos no futuro," completou o médico.



Por: Composto de açafrão começa a ser testado contra câncer

Publicado em: 08/05/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=curcumina-acafrao-contra-cancer&id=7734

Horário das refeições é tão importante quanto o que você come

Comer em horários demarcados

Quando se trata de engordar, quando você come pode ser pelo menos tão importante quanto o que você come.

Um estudo com animais de laboratório mostrou que aqueles cuja alimentação ficou circunscrita a um período de oito horas por dia comem tanto quanto aqueles que podem comer o tempo todo.

A diferença é que, no primeiro caso, os animais mostraram-se protegidos contra a obesidade e outros males metabólicos.

Todos os grupos de animais foram submetidos a uma dieta rica em gordura.

Ciclos metabólicos

A descoberta sugere que as consequências de uma dieta ruim para a saúde podem resultar em parte de uma incompatibilidade entre os relógios do nosso corpo e nossos horários alimentares.

"Cada órgão tem um relógio," disse o principal autor do estudo, Satchidananda Panda, do Instituto Salk para Estudos Biológicos (EUA).

Isso significa que há momentos em que nossos fígados, intestinos, músculos e outros órgãos vão trabalhar com a máxima eficiência, e outros momentos nos quais eles estão, por assim dizer, mais ou menos dormindo.

Esses ciclos metabólicos são críticos para os processos de quebra do colesterol para a produção de glicose. E eles devem ser preparados para ligar quando nós comemos e desligar quando não comemos, ou vice-versa.

Quando se come frequentemente durante todo o dia e a noite, esses ciclos metabólicos normais podem entrar em descompasso.

"Quando comemos aleatoriamente, os genes não estão completamente ligados ou desligados," disse Panda.

Controlar o horário das refeições

O princípio é o mesmo de dormir e ficar acordado. Se não dormimos bem à noite, não ficamos completamente acordados durante o dia, e, por consequência, trabalhamos de forma menos eficiente.

"O foco tem sido o que as pessoas comem," disse Panda. "Nós não recolhemos dados sobre quando as pessoas comem."

As descobertas sugerem controlar o horário das refeições pode ser uma mudança de estilo de vida capaz de ajudar as pessoas a controlarem o próprio peso.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 21/05/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=importancia-horario-refeicoes&id=7780

Raiva nas discussões é sinal de problemas mais duradouros

Emoção guardada

Os casais conseguem realmente reconhecer as emoções um do outro durante as discussões?

Depende de quais sejam as emoções envolvidas, afirma o neurocientista e psicólogo Keith Sanford, da Universidade de Baylor (EUA).

Se o seu parceiro está com raiva, por exemplo, a mensagem que é passada geralmente tem pouco a ver com o momento e com o motivo específico da briga.

Em vez disso, afirma o pesquisador, a raiva fala mais sobre o clima geral do relacionamento.

Armadilha da raiva

Mas, quando a raiva está presente, algo há algo mais importante que pode passar despercebido.

"Se seu parceiro está com raiva, você provavelmente não conseguirá detectar que ele também está se sentindo triste", disse Keith.

"Eu descobri que as pessoas têm maior probabilidade de expressar raiva, não nos momentos em que sentem mais raiva, mas sim nas situações em que os dois parceiros vêm sentindo raiva durante um período de tempo," disse ele.

"Isso significa que, se um casal entra em um clima de raiva, eles tendem a continuar manifestando raiva, independentemente de como eles realmente se sentem naquele momento... Vira uma espécie de armadilha da qual eles não conseguem escapar."

Revele sua tristeza

Os experimentos e as observações mostraram que, quando as pessoas expressam raiva, é frequente que elas também estejam sentindo tristeza.

O problema é que o parceiro identificará a raiva, mas não a tristeza. "Quando se trata de perceber as emoções de alguém, a raiva eclipsa a tristeza," diz o pesquisador.

Pesquisas anteriores já haviam mostrado que as expressões genuínas de tristeza durante um conflito por vezes podem reaproximar os parceiros, o que pode permitir que os casais escapem da armadilha da raiva.

"A mensagem para levar para casa é que pode haver momentos em que é benéfico expressar sentimentos de tristeza durante a briga, mas o outro irá perceber melhor sua tristeza se você não estiver ao mesmo tempo expressando raiva," concluiu Keith.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 04/06/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=raiva-discussao-atrapalhar-reconciliacao&id=7825

Dieta mediterrânea tem benefícios físicos e mentais

Mais saúde

Há anos a dieta mediterrânea tem sido associada com uma menor probabilidade de doenças, sobretudo com menores riscos cardiovasculares.

Mas será que esse jeito de se alimentar poderia não apenas evitar males, mas também reforçar a saúde e gerar benefícios físicos e mentais?

É justamente isso o que demonstrou agora um estudo conduzido por pesquisadores das universidades de Las Palmas e Navarra, na Espanha.

"O envelhecimento progressivo da população torna ainda mais interessante descobrir fatores que possam aumentar a qualidade de vida e a saúde da população," justifica Patricia Sánchez Henríquez, coordenadora do estudo.

Influências da dieta mediterrânea

O estudo analisou a influência da dieta mediterrânica na qualidade de vida de uma amostra de mais de 11.000 estudantes universitários, durante um período de quatro anos.

A fim de verificar se a dieta mediterrânea era mesmo seguida, o consumo de vegetais, leguminosas, frutas, cereais e peixe recebia notas positivas pelos estudantes, enquanto o consumo de carne, produtos lácteos e álcool era desvalorizado.

Os resultados revelam que aqueles que ficaram mais tempo com uma pontuação mais elevada apresentaram igualmente resultados mais altos nas avaliações de qualidade de vida em termos de bem-estar mental e físico.

A ligação é ainda mais forte em termos de qualidade de vida física, relata o artigo, publicado no European Journal of Clinical Nutrition.

Pirâmide da dieta do Mediterrâneo

A dieta mediterrânea se caracteriza pelo consumo de frutas, verduras, legumes, peixes, azeite e nozes.

As refeições principais sempre contam com três elementos básicos: cereais, frutas e legumes, e produtos lácteos.

As carnes são preteridas em relação aos peixes e frutos do mar. Quando ingeridas, devem se restringir a carnes magras. Ovos são outra fonte importante de proteínas.

Além disso, deve-se incluir uma ingestão diária de 1,5 e 2 litros de água.

O azeite de oliva constitui a principal fonte de gordura na dieta mediterrânea.

Também é recomendado um consumo moderado de vinho ou outras bebidas fermentadas.

Açúcar, doces, bolos, doces e bebidas açucaradas estão no topo da pirâmide da alimentação mediterrânea, a parte menor da pirâmide, o que significa que devem ser consumidos ocasionalmente e em pequenas quantidades.





Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 05/06/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=dieta-mediterranea-beneficios-fisicos-mentais&id=7833

Açafrão reforça sistema imunológico

Açafrão contra infecções

Nem bem um composto de açafrão começou a ser testado contra o câncer e os cientistas já descobriram um novo benefício do tempero.

A curcumina vem sendo alvo crescente de pesquisas em todo o mundo.

O Ministério da Saúde já incluiu o composto do açafrão na lista de plantas com interesse terapêutico.

Os cientistas agora descobriram que a curcumina causa um aumento modesto, mas mensurável, nos níveis de uma proteína que é conhecida por reforçar o sistema imunológico, ajudando a impedir infecções.

Medicina Ayurveda

O açafrão é um tempero amarelo-alaranjado muito comum no interior do Brasil, embora seja oriundo da cozinha oriental, onde está presente nos chamados curries.

No oriente, contudo ele não é apenas um tempero.

O açafrão (ou cúrcuma) tem sido usado há pelo menos 2.500 anos como um composto medicinal no sistema de medicina Ayurveda, da Índia.

Pesquisadores da Universidade do Estado do Oregon (EUA) e da Universidade de Copenhague (Dinamarca), descobriram que uma das razões para esse uso tão duradouro está em uma proteína presente no açafrão.

O peptídeo antimicrobiano catelicidina - conhecido como CAMP (Cathelicidin AntiMicrobial Pptide) - é um elemento importante do nosso sistema imunológico no combate a várias bactérias, vírus e fungos.

Valor fisiológico

O impacto da curcumina neste papel não é tão potente quanto o da vitamina D, mas é forte o suficiente para ter um valor fisiológico.

"A curcumina, como parte do açafrão, é geralmente consumida na dieta em níveis bastante baixos," disse Adrian Gombart, membro da equipe.

"No entanto, é possível que o consumo sustentado ao longo do tempo possa ser saudável e ajude a proteger contra a infecção, especialmente no estômago e no trato intestinal."

A curcumina também tem sido estudada por sua propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 29/05/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=acafrao-reforca-sistema-imunologico&id=7807

Óleo de abacate: o "óleo de oliva das Américas"?

Radicais livres nas mitocôndrias

Uma série de fatores ambientais - como poluição, fumaça de cigarro e radiação - podem transformar as moléculas de oxigênio encontrados nas mitocôndrias, as fontes de energia das células, em radicais livres.

Essas moléculas instáveis destroem moléculas importantes para a formação das células, tais como lipídeos, proteínas e até mesmo o DNA, transformando-as também em radicais livres.

Este fenômeno destrutivo está associado com o envelhecimento, mas ocorre também em uma variedade de doenças, incluindo a hipertensão e o diabetes.

Em busca dos antioxidantes

Isso tem motivado cientistas em todo o mundo a procurar substâncias que reforcem a resistência das células aos efeitos nocivos dos radicais livres.

Muitos estudos de antioxidantes - moléculas que combatem os radicais livres - presentes em frutas e legumes, como cenouras e tomates, têm sido concluídos com resultados pouco encorajadores.

"O problema é que os antioxidantes nessas substâncias não conseguem entrar nas mitocôndrias. Com isso, os radicais livres danificam as mitocôndrias, fazendo a produção de energia da célula parar, e ela entra em colapso e morre," explica Christian Cortés-Rojo, da Universidade de Michoacán (México).

Mas o próprio Cortés-Rojo tem as primeiras boas notícias na área.

Seus estudos revelaram que o óleo de abacate tem efeitos protetores contra os radicais livres nas mitocôndrias.

Os resultados reforçam conclusões de outro estudo realizado recentemente no Brasil:

Óleo de abacate substitui óleo de oliva e controla gordura no sangue

Óleo de abacate

Segundo o pesquisador, o óleo de abacate permitiu que células de levedura sobrevivessem à exposição a altas concentrações de ferro, que produz uma enorme quantidade de radicais livres, "mesmo em níveis mais elevados do que os encontrados em algumas doenças humanas."

"Esses resultados podem ser atribuídos ao fato de que o óleo de abacate acelera a respiração da mitocôndria, o que indica que o uso de nutrientes para a produção de energia para as funções celulares continua a ser eficaz, mesmo em células atacadas pelos radicais livres," explica o pesquisador.

"Em alguns países do Mediterrâneo, a pequena ocorrência dessas doenças, ou mesmo a inexistência delas, têm sido associadas com o alto consumo de óleo de oliva," explica ele.


Cientista destaca ingredientes sagrados da alimentação mediterrânea

"O azeite tem uma composição de gordura similar à encontrada no óleo de abacate. Portanto, o óleo de abacate poderia eventualmente ser chamado de azeite de oliva das Américas," concluiu.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 22/05/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=oleo-de-abacate&id=7787

Meditação melhora capacidade de ver os próprios erros

Inteligência emocional

Pessoas que fazem meditação saem-se melhor em tarefas que requerem autocontrole.

Isso acontece porque elas são mais abertas a suas próprias emoções.

Esta é a conclusão de Michael Inzlicht e seus colegas da Universidade de Toronto (Canadá).

Para os psicólogos, o autocontrole - que eles também chamam de "controle executivo" - é a capacidade de prestar atenção aos estímulos apropriados e iniciar comportamentos apropriados, ao mesmo tempo inibindo os comportamentos inapropriados.

É o autocontrole que o mantém estudando quando você gostaria de ir assistir TV, ou o faz levantar-se de manhã para ir caminhar, mesmo que você preferisse continuar dormindo.

"Nossos resultados sugerem que a força de vontade ou o autocontrole podem ser mais apurados em pessoas que são sensíveis e abertas às suas próprias experiência emocionais. A força de vontade, em outras palavras, está relacionada com a inteligência emocional," disse Inzlicht.

Emoções e autocontrole

A maioria das técnicas de meditação enfatiza duas práticas principais: consciência do momento presente - a chamada meditação da mente alerta - , e aceitação dos estados emocionais - o autodistanciamento emocional.

É sabido que a prática em manter a atenção no agora reforça o controle executivo, mas os pesquisadores queriam aferir a influência da aceitação emocional sobre o controle de si mesmo.

Eles analisaram a chamada "Negatividade Relacionada ao Erro", um sinal elétrico que surge no cérebro 100 milissegundos depois que uma pessoa comete um erro, o que é bem antes que ela possa estar consciente do erro.

"É uma espécie de 'ops' cerebral, um sinal de alarme cortical," explicam os pesquisadores.

Aceitação e bola para a frente

Os resultados mostraram que o cérebro dos participantes do estudo que praticavam meditação toca esse alarme cerebral muito mais fortemente do que os demais.

Mas o resultado foi ainda melhor entre aqueles que praticam técnicas de meditação voltadas à aceitação de suas emoções do que entre praticantes daquelas voltadas para a atenção, que privilegiam aspectos mais cognitivos do que emocionais.

O sinal da Negatividade Relacionada ao Erro possui um componente motivacional ou afetivo, dizem os pesquisadores. Em outras palavras, ele traz uma sensação ruim quando cometemos uma falha, e essa sensação pode motivar a pessoa a fazer melhor as coisas.

Desde, é claro, que a pessoa esteja consciente de suas emoções, para conseguir detectar essa sensação sutil.

Como as pessoas que fazem meditação estão mais conscientes de suas emoções, elas capturam a sensação mais rapidamente, aceitam-na sem se culpar, e partem para fazer melhor, concluem eles.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 09/06/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=meditacao-melhora-capacidade-ver-proprios-erros&id=7848

Por que a meditação tem tantos efeitos positivos?

Atenção no agora

Em tempos de estresse, muitas vezes somos incentivados a fazer uma pausa por um momento e simplesmente ficar no "agora".

Este tipo de consciência, ou "mente alerta", uma parte essencial das tradições budista e da ioga indiana, transformou-se em um comportamento predominante conforme as pessoas tentam encontrar formas de combater o estresse e melhorar sua qualidade de vida.

E as pesquisas sugerem que a meditação da mente alerta pode ter benefícios para a saúde e o desempenho individual, incluindo melhorias na função imunológica, redução da pressão sanguínea e melhorias nas funções cognitivas.

Mas como é que uma única prática pode ter efeitos tão amplos sobre o bem-estar?

Prática multifacetada

Um novo artigo, publicado na última edição da revista Perspectivas sobre as Ciências Psicológicas, varreu a literatura científica para elaborar uma estrutura capaz de explicar estes efeitos positivos da meditação.

O objetivo deste trabalho foi "proporcionar 'um quadro geral', organizando muitas descobertas, como as peças de um mosaico," afirma Britta Hölzel, da Universidade Harvard, uma das autoras do estudo.

A conclusão dos pesquisadores é que aquilo que chamamos de meditação da mente alerta não é uma habilidade única.

Pelo contrário, é uma prática mental multifacetada que engloba vários mecanismos.

Efeitos positivos da meditação

Os autores identificaram especificamente quatro componentes-chave de atenção que podem ser responsáveis pelos efeitos da meditação:

a regulação da atenção
a consciência corporal
a regulação da emoção
e o sentido do self

Juntos, esses componentes nos ajudam a lidar com os efeitos mentais e fisiológicas do estresse por métodos que não envolvem julgamentos.

Embora estes componentes sejam teoricamente distintos, eles estão intimamente entrelaçados.

A melhoria na regulação da atenção, por exemplo, pode facilitar diretamente a consciência do nosso estado fisiológico.

A consciência corporal, por sua vez, nos ajuda a reconhecer as emoções que estamos experimentando.

Compreender as relações entre esses componentes e os mecanismos cerebrais subjacentes a eles vai permitir aos médicos adequar melhor as intervenções da meditação da mente alerta para seus pacientes, diz Hölzel.

Treinamento e prática

No nível mais fundamental, o trabalho reforça a visão de que a meditação da atenção plena não é uma panaceia, capaz de curar qualquer coisa.

Uma meditação da mente alerta eficaz requer treinamento e prática, e tem diferentes efeitos mensuráveis sobre nossas experiências subjetivas, nosso comportamento e nossas funções cerebrais.

Os autores esperam que a pesquisa "permita que um conjunto muito mais amplo de indivíduos utilize a meditação da atenção plena como uma ferramenta versátil para facilitar mudanças - tanto na psicoterapia quanto na vida cotidiana."



Por: Diário da Saúde - Anna Mikulak

Publicado em: 07/11/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=meditacao-efeitos-positivos&id=7110

Comer depressa aumenta risco de diabetes

Comer mais devagar

Você deve ter ouvido sua mãe falar milhares de vezes: "Não coma tão rápido, mastigue direito".

Nesses tempos em que cada afirmação parece exigir o complemento "comprovado pela ciência", você poderá então dizer aos seus próprios filhos: "Não coma tão rápido, dizem os cientistas".

Uma pesquisa apresentada no Congresso Internacional de Endocrinologia, em Florença, na Itália, mostrou que pessoas que comem rápido demais têm 2,5 mais probabilidade de sofrer de diabetes tipo 2.

Falta de educação

O estudo comparou pacientes que eram diagnosticados com diabetes tipo 2 com um grupo de controle de pessoas que não sofriam da doença.

Foram identificados e isolados diversos outros riscos, incluindo histórico familiar de diabetes, educação, atividades físicas, índice de massa corporal, circunferência da cintura, tabagismo e níveis de triglicérides.

Tudo isso à parte, os pacientes com mania de comer rápido demais apresentaram uma chance significativamente mais elevada de adquirirem o diabetes tipo 2 - uma chance 2,52 vezes maior.

Os dados também mostraram que essas pessoas tinham um maior índice de massa corporal e um menor nível educacional do que a média do grupo controle.

Riscos para o diabetes

"A prevalência do diabetes tipo 2 parece envolver uma interação entre fatores genéticos e ambientais. É importante identificar fatores de risco que podem ser modificados, que possam ajudar as pessoas a reduzir suas chances de desenvolver a doença," disse a Dra. Lina Radzeviciene, da Universidade de Lituânia.

De posse desses resultados, a pesquisadora afirmou que agora irá tentar avaliar o tipo de alimento, a quantidade de calorias e fatores psicológicos e emocionais que possam afetar o risco do diabetes.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 25/06/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=comer-depressa-aumenta-risco-diabetes&id=7900

Poluição aumenta risco de aterosclerose mesmo com dieta saudável

Poluição na veia

A exposição à poluição atmosférica nos grandes centros urbanos durante a gestação e logo após o nascimento aumenta o risco de desenvolvimento de aterosclerose em indivíduos predispostos à doença.

Isso ocorre mesmo que esses indivíduos adotem uma dieta saudável, com baixos teores de gordura.

A aterosclerose é uma doença inflamatória, caracterizada pelo enrijecimento e obstrução dos vasos sanguíneos devido à formação de placas de gordura.

Seu agravamento ao longo dos anos pode causar problemas como infarto, acidente vascular cerebral e trombose.

Predisposição genética

"Diversos estudos apontam a poluição como fator de risco para a doença, mas, de acordo com a literatura científica, animais predispostos só desenvolveriam a placa aterosclerótica caso recebessem uma dieta rica em gorduras. Por isso os resultados que obtivemos surpreenderam", disse Mariana Matera Veras, a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, responsável pelo estudo.

Mariana trabalhou com camundongos geneticamente modificados para desenvolvimento de aterosclerose - o que ressalta que as conclusões se aplicam a indivíduos com predisposição para a doença.

"Nos animais que receberam a dieta rica em gordura o efeito da poluição foi menos importante e obscurecido pela alimentação", disse a pesquisadora, confirmando o forte impacto da alimentação sobre a doença.

Poluição durante a gravidez

Já entre os camundongos com dieta balanceada, aqueles expostos à poluição durante a gestação apresentaram placa aterosclerótica três vezes maior que a observada no grupo controle.

Nos camundongos expostos aos poluentes apenas após o nascimento, a placa foi sete vezes maior e, quando somadas a exposição gestacional e a pós-natal, o aumento foi de 13 vezes.

"Os dados sugerem que a poluição funciona como um fator de modificação do ambiente uterino. A poluição pode programar esses animais, fazendo com que tenham maior risco de desenvolver aterosclerose mesmo que após o nascimento adotem dieta balanceada e vivam em um local com ar puro", disse Veras.

Outros estudos já demonstraram que a poluição atmosférica gera problemas na gravidez e que a poluição é causa do nascimento de crianças com peso baixo.



Por: Diário da Saúde - Com informações da Agência Fapesp

Publicado em: 17/07/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=poluicao-aterosclerose&id=7978

Altruísmo aumenta massa cinzenta do cérebro

Altruísmo no cérebro

Cientistas descobriram que pessoas altruístas apresentam um significativo incremento na massa cinzenta do cérebro.

"Este é o primeiro estudo a relacionar a anatomia do cérebro e a ativação do cérebro humano para o altruísmo," disse Ernst Fehr, da Universidade de Zurique.

"Os resultados sugerem que o desenvolvimento do altruísmo através de um treinamento adequado ou práticas sociais pode ocorrer através de mudanças na estrutura cerebral e das ativações neurais que identificamos em nosso estudo," prevê ele.

Holismo científico

Descobertas recentes das neurociências têm revolucionado o conhecimento que temos do cérebro.

Mas, depois de décadas de determinismo biológico - a crença de que somos o que somos devido unicamente à nossa biologia - a ciência tem timidamente começado a ceder espaço para percepções mais integrais do ser humano.

A descoberta de que o cérebro é altamente adaptável levou a descobertas como a de que as mudanças no cérebro podem ser induzidas voluntariamente, dando sustentação a novas pesquisas na área de psicoterapia e meditação, entre outras, abrindo caminho para terapias não-medicamentosas de alta eficácia.


Cérebro é mais do que uma máquina e se "liberta do corpo", diz cientista

O presente estudo não se insere diretamente nessa linha, mas lhe dá um forte suporte experimental.

Empatia e altruísmo

Pessoas com elevada empatia e capacidade de compreensão dos outros são mais altruístas.

Por sua vez, a capacidade de compreender as perspectivas dos outros já havia sido previamente associada com a maior atividade em uma região do cérebro conhecida como a junção temporoparietal.


Sentimento da empatia é detectado no cérebro

Com base nestes resultados passados, Fehr e sua equipe levantaram a hipótese de que o tamanho da junção temporoparietal e seus níveis de ativação poderiam dar pistas sobre diferenças individuais quanto ao altruísmo.

A interpretação subjacente é de que o altruísmo é a empatia posta em ação, assim como a caridade é o amor em movimento.

As imagens de tomografia cerebral não deixaram dúvidas: quanto mais difícil é o ato altruístico - o experimento envolvia dar até todo o seu dinheiro para os outros - maior é a ativação da junção temporoparietal, algo não percebido naqueles que simplesmente preferem ficar com seu próprio dinheiro.

Além disso, essa maior ativação é suportada por uma junção temporoparietal fisicamente maior.

Treinando o altruísmo

"Nós elucidamos a relação entre o hardware e o software do comportamento altruístico humano," comemora Yosuke Morishima, coautor do estudo.

"Esses resultados são muito entusiasmantes para nós. Entretanto, ninguém deve ir logo tirando a conclusão de que o comportamento altruístico é determinado apenas pelos fatores biológicos," alerta o Dr. Fehr.

Segundo ele, os resultados levantam a questão fascinante de se é possível promover o desenvolvimento de regiões cerebrais que deem suporte ao comportamento altruístico.

A meditação parece ser um bom ponto de partida para tentar responder essa questão:



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 13/07/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=altruismo-aumenta-massa-cinzenta-cerebro&id=7966

Meditação altera estrutura do cérebro em oito semanas

Massa cinzenta

Dois meses de prática de meditação são suficientes para gerar mudanças mensuráveis nas regiões do cérebro associadas à memória, ao sentido de si mesmo, à empatia e ao estresse.

Em um estudo que será publicado na revista Psychiatry Research, uma equipe liderada por cientistas do Hospital Geral de Massachusetts (MGH) relata os resultados deste que é o primeiro estudo a documentar alterações na massa cinzenta do cérebro produzidas pela meditação.

Os praticantes de meditação sempre afirmaram que, além da sensação de relaxamento e tranquilidade física, eles experimentam benefícios cognitivos e psicológicos de longa duração.

Os cientistas agora confirmaram essas alegações e demonstraram que elas estão associadas a alterações físicas reais no cérebro.

Meditação que altera o cérebro

Estudos anteriores de vários grupos encontraram diferenças estruturais entre os cérebros de praticantes de meditação experientes e de indivíduos sem história de meditação, sendo observado um espessamento do córtex cerebral em áreas associadas com a atenção e a integração emocional.

Este estudo reforça essas conclusões ao eliminar outros efeitos e documentar que tais diferenças foram efetivamente produzidas pela meditação.

O estudo usou imagens de ressonância magnética do cérebro dos participantes.

Os participantes relataram também redução do nível de estresse, que foram correlacionados com a diminuição da densidade da massa cinzenta na amígdala, que é conhecida por desempenhar um papel importante na ansiedade e no estresse, mas também na sociabilidade.

Plasticidade do cérebro

Por muito tempo os cientistas acreditaram ter "evidências" de que o cérebro era uma estrutura fixa, com um número de neurônios que só fazer decrescer ao longo da vida.

Hoje já é reconhecido não apenas que o cérebro é dotado de uma incrível plasticidade, mas também que mudanças no cérebro podem ser induzidas voluntariamente.

"É fascinante ver a plasticidade do cérebro e que, praticando a meditação, podemos desempenhar um papel ativo para mudar nosso cérebro e aumentar o nosso bem-estar e nossa qualidade de vida," diz Britta Hölzel, da Universidade de Giessen, na Alemanha, coautora do estudo.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 27/01/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=meditacao-altera-estrutura-cerebro&id=6138

Meditação da ioga reduz estresse severo em 12 minutos

Meditação Kirtan Kriya

Seis meses atrás, pesquisadores da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, publicaram um estudo mostrando que uma técnica simples de ioga reduz os níveis de estresse de pessoas envolvidas com tipos de demência, incluindo o Alzheimer.

A prática consiste em uma técnica meditativa baseada na recitação de um mantra simples, praticada durante 12 minutos por dia, ao longo de oito semanas - a técnica chama-se Meditação Kirtan Kriya.

Os resultados mostraram efeitos fisiológicos claros - e não apenas psicológicos - incluindo um reforço na resposta do sistema imunológico às inflamações.

Se ativada constantemente, a inflamação pode contribuir para uma multiplicidade de problemas crônicos de saúde.

Heróis desconhecidos

Mas a Dra. Helen Lavretsky e seus colegas não se deram por satisfeitos com a explicação, e queriam saber mais sobre os efeitos moleculares de uma prática tão simples sobre o organismo.

O trabalho da equipe é voltado não propriamente para os doentes, mas para os cuidadores, chamados por eles de "heróis desconhecidos".

"Em média, a incidência e prevalência de depressão em familiares que cuidam de portadores de demência chega a 50%," disse a pesquisadora. Além disso, os próprios cuidadores tendem a ser igualmente idosos, o que os deixa mais suscetíveis ao risco do estresse e da ansiedade.

Práticas psico-espirituais

Há muito se sabe que intervenções psicossociais, como a meditação, reduzem os efeitos adversos que a doença causa nos cuidadores.

Mas só mais recentemente os cientistas têm-se preocupado em associar os benefícios das práticas psico-espirituais com efeitos fisiológicos no corpo.

"O objetivo do nosso estudo era determinar se a meditação pode alterar a atividade de proteínas inflamatórias e antivirais que moldam a expressão genética das células imunológicas," resume a Dra. Lavretsky.

O resultado foi positivo, mostrando que essas proteínas apresentam uma redução em sua atividade, diminuindo a resposta inflamatória, conforme as pessoas se engajam na prática da meditação.

Eles descobriram que a prática da meditação Kirtan Kriya altera a resposta de 68 genes no corpo, todos associados com a resposta inflamatória.

"Esta é uma notícia muito encorajadora. Os cuidadores geralmente não têm tempo, energia ou contatos pessoais que possam trazer-lhes um pouco de alívio do estresse de cuidar de um ente querido com demência. Assim, praticar uma forma rápida de meditação de ioga, que é fácil de aprender, é muito útil," conclui a cientista.

Como praticar a Meditação Kirtan Kriya

Existem CDs à venda que auxiliam e guiam a prática da técnica Kirtan Kriya de ioga. Contudo, nem eles são necessários.

Escolha um lugar calmo e silencioso, onde você possa ficar só, e sente-se de uma maneira que se sinta confortável. Pode ser sobre uma almofada no chão, ou em uma cadeira - não é necessário fazer qualquer exercício de contorcionismo dolorido.

Estenda sobre as pernas as mãos abertas - naturalmente, sem forçar - com as palmas viradas para cima.

Cante as sílabas Sa, Ta, Na, Ma, espichando o "a": Saaaaaaaa.....

Quando cantar Sa, toque a ponta do indicador na ponta do polegar. Quando cantar Ta, toque a ponta do dedo médio na ponta do polegar, e assim por diante.


Cante de forma audível por 2 minutos
Cante apenas sussurrando durante 2 minutos
Apenas vocalize mentalmente durante 4 minutos, sem emitir sons, mas movimentando os dedos
Cante apenas sussurrando durante 2 minutos
Cante de forma audível por 2 minutos

Marque um horário e procure respeitá-lo todos os dias. E tenha persistência.

As sílabas são palavras em sânscrito, que significam, respectivamente, nascimento, vida, desligamento e renascimento.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 27/07/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=meditacao-ioga-estresse-kirtan-kriya&id=8001

Ioga para grávidas reduz depressão e reforça laços com o bebê

Depressão na gravidez

Não é nenhum segredo que os hormônios ativados durante a gravidez podem mexer com o humor da mulher.

Mas o problema é pior para algumas mulheres: 1 em cada 5 delas atingirá o nível de depressão.

Felizmente, com variações de humor graves ou não, todos os casos parecem poder ser tratados de forma totalmente benigna, sem usar medicamentos.

E a terapia é simples: aulas de ioga.

Ioga na gravidez

O estudo concentrou-se em mulheres avaliadas como estando em elevado risco de depressão durante a gravidez.

Elas participaram de um programa de 10 semanas de meditação da mente alerta, baseada na ioga.

Além de apresentarem significativas reduções nos sintomas depressivos, as mulheres também relataram uma ligação mais forte com os bebês ainda em seus úteros.

"Nosso trabalho fornece evidências iniciais promissoras de que a ioga da mente alerta pode ser uma alternativa eficaz aos tratamentos farmacológicos para as mulheres grávidas mostrando sinais de depressão," disse a Dra. Maria Muzik, da Universidade de Michigan (EUA), responsável pelo estudo.

Segundo ela, embora se concentrasse apenas na depressão, foi uma surpresa agradável ver que a prática também melhora o bem-estar do bebê e a relação entre mãe e filho.

Ansiedade e depressão na gravidez

Distúrbios mentais durante a gravidez, incluindo depressão e ansiedade, têm-se tornado um problema de saúde sério.

As alterações hormonais, a predisposição genética e fatores sociais levam algumas grávidas a apresentar irritabilidade persistente, sentimentos de estarem oprimidas e incapacidade de lidar com o estresse.

Se não forem tratados, estes sintomas podem apresentar riscos tanto para a mãe quanto para o bebê - as consequências geralmente incluem ganho de peso, pré-eclâmpsia, parto prematuro e problemas de relacionamento com o bebê.

Ioga

A ioga tem-se tornado cada vez mais popular em todo o mundo, embora a maioria das escolas aborde a prática apenas como exercício físico.

A prática de estar totalmente presente no momento, consciente de si mesmo e do seu entorno, tem sido deixada de lado por mestres menos preparados, que não transmitem a ideia central de que a ioga é um prática profunda de transformação emocional e espiritual.

Diferentemente da prática da meditação derivada do budismo, a medição da ioga geralmente envolve posturas físicas específicas, com o corpo todo, ou apenas com as mãos, conhecidas como mudrás.

Além de comparecer às sessões de ioga, é recomendável que a aluna procure livros de boa qualidade para compreender a totalidade da ioga, tirando o máximo de proveito da prática.

Veja outras pesquisas demonstrando os benefícios da ioga:

Meditação da ioga reduz estresse severo em 12 minutos
Ioga reabilita pacientes com sequelas pós-AVC
Ioga reduz sensação de dor liberando hormônio que lida com estresse
Ioga é eficaz contra a fibromialgia
Ioga é mais eficaz para ansiedade que outros exercícios
Técnica de meditação da ioga amplia habilidades visoespaciais


Por: Redação Diário da Saúde

Publicado em: 14/08/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=ioga-gravidas&id=8057

Ioga reabilita pacientes com sequelas pós-AVC

Ioga adaptada

Um programa de oito semanas de exercícios de ioga adaptados foi suficiente para uma melhoria significativa de pacientes em processo de reabilitação após um acidente vascular cerebral.

Os voluntários, homens e mulheres, já haviam completado seu tratamento pós-AVC antes do estudo, mas continuavam a apresentar déficits motores.

Após as seções de ioga, os participantes apresentaram melhor equilíbrio e flexibilidade, uma marcha mais forte e mais rápida, e aumento da força e resistência musculares.

Melhoria da reabilitação

Arlene Schmid, especialista em reabilitação da Universidade de Indiana (EUA), explica que a perda de força funcional, flexibilidade e resistência é comum depois de um acidente vascular cerebral, o que pode levar à incapacidade a longo prazo.

Milhões de pessoas sobrevivem com as sequelas dos derrames, que podem alterar o estilo de vida, com perda da independência, diminuição das atividades diárias e limitação na mobilidade.

"Os médicos precisam de técnicas para administrar e melhorar essas deficiências físicas pós-AVC," disse ela.

As atividades de ioga, adaptadas pela pesquisadora para aplicação aos pacientes pós-AVC, resultaram em "melhor controle neuromuscular, permitindo melhorias de força nos membros afetados, lados ou áreas em desuso."

Terapeuta de ioga

Após o programa de ioga, os participantes apresentaram melhoria no equilíbrio e maiores velocidades de marcha, com passos mais longos, ainda que o treinamento não tenha sido pensado para otimizar especificamente o ritmo do andar.

Com base em seus resultados animadores, os pesquisadores recomendam a inclusão da ioga na reabilitação de pacientes depois de um acidente vascular cerebral.

Segundo eles, o mais adequado é que esses pacientes sejam acompanhados por um terapeuta de ioga com um treinamento adicional em anatomia e fisiologia e em lidar com pessoas com deficiência.



Por: Redação Diário da Saúde

Publicado em: 06/06/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=ioga-reabilita-pacientes-sequelas-pos-avc&id=7832

Extrato de chá verde destrói diretamente tumores na pele

Aplicação direta

Uma equipe de pesquisadores da Escócia usou um composto químico extraído do chá verde para tratar com sucesso dois tipos de câncer de pele.

Os pesquisadores, das universidades de Glasgow e Strathclyde, desenvolveram uma técnica para a aplicação do extrato, conhecido como epigalocatequina galato (EGCG), diretamente nos tumores.

Apesar de o chá verde estar associado com o combate ao câncer há muito tempo, aplicar compostos extraídos do chá diretamente no tumor, através da administração intravenosa convencional, não é muito eficaz, uma vez que uma quantidade pequena demais do extrato atinge o alvo.

Nanocarreadores

Agora, a equipe conseguiu tornar o extrato eficaz por meio de um sistema de entrega direcionada, usando os chamados nanocarreadores.

A técnica funciona através da fusão do extrato de chá verde com proteínas que transportam moléculas de ferro, as quais são por sua vez absorvidas pelo tumor.

Em um estudo de laboratório em dois tipos diferentes de câncer de pele, dois terços dos tumores diminuíram ou desapareceram dentro de um mês.

Além disso, não foram detectados efeitos colaterais para os tecidos normais associados com o tratamento.

Portas abertas

Um total de 40% dos dois tipos de tumores desapareceram, enquanto 30% de um e 20% de um outro tipo encolheram. Outros 10% de um dos tipos se estabilizaram.

"Estes resultados são muito encorajadores. Quando usamos o nosso método, o extrato de chá verde reduziu o tamanho de vários dos tumores dia a dia, em alguns casos, removendo-os por completo. Esta pesquisa pode abrir portas para novos tratamentos para aquela que ainda é uma das doenças que mais mata em muitos países," disse a Dra Christine Dufès, coordenadora do estudo.



Por: Diário da Saúde - Com informações da CORDIS

Publicado em: 31/08/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=extrato-cha-verde-destroi-diretamente-tumores-pele&id=8116

Meditação reduz solidão e doenças em idosos

Tratamentos contra solidão

Os filhos seguem sua própria vida, os companheiros morrem.

O resultado é que muitos idosos passam seus últimos anos isolados da família, ou mesmo sozinhos.

Mas estar sozinho é muito mais do que uma casa em silêncio e a falta de companheirismo.

Ao longo do tempo, a solidão não impacta negativamente apenas a psique, ela pode ter sérios efeitos físicos.

Sentir-se solitário tem sido associado a um maior risco de doenças cardíacas, doença de Alzheimer, depressão, e até mesmo morte prematura.

Por isso, o desenvolvimento de tratamentos eficazes para reduzir a solidão dos idosos é essencial, embora os esforços até agora tenham tido sucesso limitado.

Agora, a esperança vem de uma prática milenar: a meditação.

Meditação contra solidão e contra inflamação

Cientistas da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, demonstraram que os efeitos positivos da meditação contra a solidão na velhice podem ser sentidos em meras 8 semanas.

Além disso, sabendo que a solidão está associada a um aumento da atividade dos genes relacionados com a inflamação, que podem ocasionar uma grande variedade de doenças, os cientistas examinaram também a expressão desses genes antes e depois do programa experimental.

Eles descobriram que a meditação reduziu significativamente a expressão dos genes inflamatórios.

Não é a primeira vez que pesquisas mostram que a meditação tem efeitos fisiológicos:

Meditação melhora respostas físicas e emocionais ao estresse

A inflamação é um processo natural do sistema imunológico, usado para contra-atacar ameaças ao corpo. Mas a inflamação crônica - a persistência do processo ao longo do tempo - pode levar e inúmeras condições fisiológicas e psicológicas.

Meditação da mente alerta

Steve Cole e seus colegas afirmam ter usado uma técnica conhecida como meditação da mente alerta, uma prática de origem budista, adaptada para redução do estresse.

O objetivo da prática é ensinar a mente a ficar simplesmente atenta ao presente, sem viajar ao passado ou fazer projetos para o futuro.

"Embora tenhamos trabalhado com poucos indivíduos, os resultados foram muito encorajadores", disse o Dr. Michael Irwin, coautor da pesquisa. "Eles vêm se somar a um corpo crescente de pesquisa que mostra os benefícios positivos de uma variedade de técnicas de meditação, incluindo tai chi e ioga."



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 04/09/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=meditacao-reduz-solidao-doencas-idosos&id=8107

Acupuntura supera placebo e remédios contra dor crônica

Agulhas contra a dor

A acupuntura é um tratamento efetivo contra a dor crônica, segundo um novo estudo que comparou a acupuntura com um placebo e com os cuidados farmacológicos tradicionais para a condição.

Pesquisadores britânicos e norte-americanos analisaram dados de pacientes individualmente.

Esta técnica permite aferir resultados estatisticamente mais significativos.

Eles mediram a eficácia da acupuntura para aliviar a dor crônica associada com dor lombar crônica, dor no pescoço, osteoartrite, dor nos ombros e dor de cabeça crônica.

Melhor que placebo e tratamento farmacológico

Os estudos compararam o benefício no alívio da dor da acupuntura em relação ao tratamento usual sozinho e à acupuntura simulada (placebo), em que as agulhas são postas levemente sobre a pele ou em pontos não ligados à dor.

Em todos os casos, a redução da dor pela acupuntura foi significativamente superior aos demais métodos.

De acordo com Andrew Vickers, do Centro Memorial de Câncer Sloan-Kettering, muitos dos cerca de três milhões de norte-americanos adultos que recebem tratamentos com acupuntura todos os anos usam-no para aliviar a dor crônica, mas o impacto clínico dessa terapia nunca havia sido convincentemente demonstrada.

"Há poucos tratamentos para a dor crônica sustentados por dados de pacientes individuais, resultados de uma meta-análise como a nossa, que usou um grande número de doentes que participaram de estudos randomizados de alta qualidade, e esperamos que estes resultados fundamentem futuras decisões clínicas e políticas para a acupuntura," disse Vickers.

Recomendações da acupuntura

George Lewith, coautor do estudo, acredita que essas "conclusões definitivas" trarão reconhecimento para a acupuntura como um tratamento, e incentivem os médicos a recomendá-la como um tratamento seguro e eficaz.

"A acupuntura é um tratamento que não é prontamente recomendado pelos clínicos mas estes resultados confirmam que os efeitos da acupuntura são benéficos para os doentes," avalia ele.


Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 21/09/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=acupuntura-supera-placebo-remedios-contra-dor-cronica&id=8166

Tomate diminui risco de derrame

Licopeno

Comer tomates ou alimentos à base de tomate está associado com um menor risco de sofrer um acidente vascular cerebral, ou derrame.

Os tomates são ricos no antioxidante licopeno.

Pessoas com maiores quantidades de licopeno no sangue apresentaram uma probabilidade 55% menor de ter um acidente vascular cerebral do que as pessoas com as menores quantidades de licopeno no sangue.

A conclusão é de um estudo realizado na Universidade Leste da Finlândia, pela equipe do Dr. Jouni Karppi, e publicado no jornal médico Neurology.

Licopeno e derrame

O estudo envolveu 1.031 homens com idades entre 46 e 65 anos.

O nível de licopeno no sangue foi testado no início do estudo, e os voluntários foram monitorados durante uma média de 12 anos.

Durante esse tempo, 67 homens tiveram um derrame.

Entre os homens com os níveis mais baixos de licopeno, 25 de 258 homens tiveram um acidente vascular cerebral.

Entre aqueles com os mais altos níveis de licopeno, 11 de 259 homens tiveram um acidente vascular cerebral.

Dieta rica em frutas e verduras

Quando os pesquisadores focaram apenas nos derrames devido a coágulos sanguíneos, os resultados foram ainda mais fortes.

Aqueles com os mais altos níveis de licopeno apresentaram uma probabilidade 59% menor de ter um acidente vascular cerebral do que aqueles com níveis mais baixos.

"Este estudo traz mais evidências de que uma dieta rica em frutas e vegetais está associada com um menor risco de AVC," disse Karppi.

O estudo também analisou os níveis sanguíneos dos antioxidantes alfa-caroteno, beta-caroteno, alfa-tocoferol e retinol, mas não encontrou nenhuma associação entre os níveis desses compostos e o risco de acidente vascular cerebral.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 09/10/2012

Fonte: http://diariodasaude.com.br/news.php?article=tomate-diminui-risco-derrame&id=8237

Componente do açafrão evita metástase

Curcumina

O açafrão em pó tem sido usado durante séculos na culinária e como medicamento natural para o tratamento de osteoartrite e outras doenças.

Seu ingrediente ativo, a curcumina, ou cúrcuma, inibe reações inflamatórias.

Um novo estudo conduzido por uma equipe da Universidade Ludwig-Maximilians (Alemanha) mostrou agora que a curcumina também pode inibir a formação de metástases, o processo de espalhamento do câncer.

Açafrão contra metástase

O câncer de próstata é um dos tumores malignos mais comuns no mundo ocidental, e muitas vezes é diagnosticado apenas depois que tumores metastáticos se formaram em outros órgãos.

A Dra Beatrice Bachmeier verificou que o composto natural derivado do açafrão inibe a formação de metástases.

A curcumina é um polifenol, responsável pela cor característica do curry.

Como é bem tolerada pelo organismo, a curcumina é, em princípio, adequada tanto para uso profilático (prevenção primária) como para a supressão de metástases no caso de um tumor já presente (prevenção secundária).

Testes da curcumina

Em um estudo anterior, Bachmeier e seus colegas demonstraram que a substância retirada do açafrão reduz de forma estatisticamente significativa a formação de metástases pulmonares no câncer de mama avançado.

Já existem testes em andamento com a substância contra cânceres de pele e de intestino:

Composto de açafrão começa a ser testado contra câncer
Açafrão é utilizado para tratamento do câncer de pele

Os pesquisadores queriam saber a eficácia da curcumina na prevenção de metástases do câncer da próstata, assim como determinar o mecanismo de ação do composto.

Citocinas

As células tumorais produzem imunomoduladores pró-inflamatórias, incluindo as citocinas CXCL1 e CXCL2.

Os pesquisadores demonstraram que a curcumina diminui a expressão destas duas proteínas, e que este efeito se correlaciona com uma diminuição na incidência das metástases pulmonares dos cânceres de próstata e mama - os testes foram feitos em animais.

"Graças à ação da curcumina, as células tumorais sintetizam pequenas quantidades das citocinas que promovem a metástase" diz Bachmeier. "Como consequência, a frequência da formação de metástases é significativamente reduzida."



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 24/10/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=acafrao-evita-metastase&id=8250

Nova teoria explica benefícios da meditação

Mente alerta

Alcançar o estado conhecido como mente alerta, ou atenção plena, através da meditação tem ajudado as pessoas a manterem uma mente saudável ensinando-lhes como enfrentar as emoções e os pensamentos negativos.

Isso inclui minimizar os efeitos da raiva, dos anseios e da ansiedade, e incentivar disposições mais positivas, como empatia, compaixão e perdão.

Aqueles que já colheram os benefícios da atenção plena sabem que ela funciona.

E estudos científicos, um após o outro, têm documentado os benefícios da meditação.

Mas como exatamente a meditação funciona?

Teoria sobre a meditação

Cientistas acabam de propor um novo modelo que muda a forma como o mundo ocidental tem pensado sobre a atenção.

Em vez de descrever a atenção plena como uma única dimensão da cognição, os pesquisadores demonstraram que a mente alerta na verdade envolve um amplo quadro de mecanismos complexos no cérebro.

Este novo modelo de atenção foi publicado no exemplar mais recente da revista científica Frontiers in Human Neuroscience por uma equipe do Brigham and Women's Hospital (EUA).

Teoria S-ART

Os pesquisadores identificaram várias funções cognitivas que ficam ativas no cérebro durante a prática da meditação da atenção plena.

Essas funções cognitivas ajudam o praticante a desenvolver a autoconsciência, o autocontrole e a autotranscendência, que compõem o quadro transformativo para o processo de autoconscientização, levando ao estágio de mente alerta, ou atenção plena.

Os cientistas batizaram sua teoria de S-ART, pelas iniciais em inglês das três funções cognitivas envolvidas - Self-Awareness, self-Regulation, and self-Transcendence.

Mente saudável sustentável

A S-ART explica os mecanismos neurobiológicos subjacentes pelos quais a meditação da mente alerta pode facilitar a autoconsciência; reduzir os preconceitos e os pensamentos negativos; melhorar a capacidade de regular o próprio comportamento; e aumentar as relações positivas e pró-sociais consigo mesmo e com os outros - enfim, criando uma mente saudável sustentável.

Os pesquisadores destacam seis processos neuropsicológicos que são mecanismos ativos no cérebro durante a prática da meditação e que são suporte à S-ART.

Estes processos incluem:

intenção e motivação;
regulação da atenção;
regulação emocional;
extinção e reconsolidação;
comportamento pró-social, e
não-apego e de-centragem (desligamento do ego).

Em outras palavras, esses processos começam com uma intenção e como motivação para querer atingir a plena consciência, seguidos por uma consciência dos maus hábitos da pessoa.

Uma vez que estes maus hábitos são identificados, a pessoa pode começar a domar a si mesma para se tornar menos emocionalmente reativa e para se recuperar mais rapidamente de emoções perturbadoras.

"Através da prática contínua, a pessoa pode desenvolver uma distância psicológica de todos os pensamentos negativos e pode inibir os impulsos naturais que constantemente alimentam os maus hábitos," disse David Vago, primeiro autor do estudo.

Um novo Você

O Dr. Vago afirma que a prática continuada da meditação também pode aumentar a empatia e eliminar nossos apegos às coisas de que gostamos, e as aversões às coisas de que não gostamos.

"O resultado da prática é um novo Você, com um novo conjunto de habilidades multidimensionais para reduzir os preconceitos que cercam a própria experiência interna e externa, e para manter uma mente saudável," disse Vago.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 12/11/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=teoria-meditacao&id=8319

Equilíbrio que vem do reiki

Técnica melhora a qualidade de vida por minimizar tensões do dia a dia, fadiga e ansiedade. Benefícios se confirmam em jovens e idosos.

Técnica de imposição das mãos em pontos específicos do corpo usada para reequilibrar a energia do universo que atinge o ser humano, o reiki passa a ser ainda mais apreciado pela capacidade de promover benefícios para a qualidade de vida, por contribuir para minimizar tensões, fadiga, ansiedade e estresse. A prática, que passou a ser usada no Japão no início do século 20 pelo reikiano Mikao Usui, desperta a atenção de estudiosos que pretendem comprovar como sessões de reiki promovem bem-estar.

No Brasil, o pesquisador Ricardo Monezi, do Instituto de Medicina Comportamental da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), acaba de concluir um estudo que revela o potencial do reiki para melhorar a qualidade de vida e reduzir o estresse em idosos.

"Ao investigar 44 pessoas dessa faixa etária, após oito semanas de tratamento com reiki, concluímos que houve melhora da tensão muscular e da ansiedade dos participantes da nossa investigação”, diz Monezi, que apresenta esse resultado no início de 2013, como parte de seu doutorado na Unifesp. Embora o estudo tenha como base a população idosa, ele diz que os benefícios do reiki também podem ser observados em outras faixas etárias.

Quem concorda com essa premissa é a arquiteta e reikiana Juliana Mergulhão, mestre na técnica. Há sete anos, ele teve um problema renal que a estimulou a procurar o reiki como prática complementar a um tratamento convencional. “Além de vencer a doença, passei a ver o mundo com mais tranquilidade, pois a prática nos ajuda a lidar com impaciência, medos e emoções”, explica Juliana, que ministra cursos no espaço Terapias Orientais, em Boa Viagem. O nível 1, que será realizado nos próximos dias 8 e 9, custa R$ 400.

“Esse módulo nos ensina a lidar com situações corriqueiras que exigem controle emocional, como participar de reuniões e ministrar palestras. Dá para aprender a autoadministrar reiki e a ser um canal de energia para beneficiar outras pessoas”, diz Juliana. Ela informa que a aplicação de reiki dura cerca de 30 minutos. O intervalo de tempo entre uma sessão e outra depende da necessidade de cada indivíduo.


Por: JC Online - Seção Bem Estar

Publicado em: 01/12/2012

Fonte: http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/suplementos/arrecifes/noticia/2012/12/01/equilibrio-que-vem-do-reiki-65427.php

Como descartar pensamentos ruins e guardar pensamentos bons

Manipulando pensamentos

Se você quiser realmente se livrar de pensamentos negativos e indesejáveis, simplesmente rasgue-os e jogue-os no lixo.

Pesquisadores descobriram que, quando as pessoas escrevem seus pensamentos em um pedaço de papel e, em seguida, jogam o papel fora, elas mentalmente descartam também os pensamentos.

Por outro lado, as pessoas são mais propensas a usar seus pensamentos ao fazer julgamentos posteriores se primeiro elas escrevem o pensamento em um pedaço de papel e colocam o papel no bolso para protegê-lo.

"De certa forma pode parecer bobagem, mas nós descobrimos que realmente funciona. Fisicamente jogando fora ou protegendo seus pensamentos, você influencia o modo como acaba usando esses pensamentos. Simplesmente imaginar essas ações não tem efeito," disse o Dr. Richard Petty, da Universidade do Estado de Ohio (EUA), coautor do estudo.

Pensamentos materializados

Como você rotula seus pensamentos - como lixo ou como merecedor de proteção - parece fazer a diferença na forma como você usa esses pensamentos.

Os resultados do novo estudo sugerem que as pessoas tratam seus pensamentos como algo material, como objetos concretos.

Segundo Petty, isso é evidente na linguagem que usamos.

"Nós falamos sobre os nossos pensamentos como se pudéssemos visualizá-los. Nós alimentamos nossos pensamentos. Tomamos posição sobre as questões, apoiamos este ou aquele caminho. Isso tudo torna nossos pensamentos mais reais para nós," afirma.

Importância da ação

Os participantes que jogaram os pensamentos no lixo - escrevendo-os e arrastando-os para a lixeira - fizeram menos uso dos pensamentos negativos do que aqueles que salvaram os pensamentos em um arquivo.

Em outro experimento, os participantes foram instruídos a simplesmente imaginar que estavam arrastando seus pensamentos negativos para a lixeira, ou que os estavam salvando-os em um arquivo no disco.

Mas isso não teve efeito sobre seus julgamentos posteriores.

"Quanto mais convencida a pessoa está de que os pensamentos realmente foram embora, melhor," disse Petty. "Só imaginar que você os jogou fora não funciona."

Os resultados foram publicados online na revista Psychological Science.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 19/12/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=como-descartar-pensamentos-ruins-guardar-pensamentos-bons&id=8437

Azeite de oliva aumenta sensação de saciedade

Muitas pessoas adotam dietas de baixa caloria, mas acabam "compensando" - elas comem mais porque não se sentem saciadas, ou "cheias", como estavam acostumadas.

Um novo estudo mostrou que essas pessoas podem ter um aliado importante: os óleos naturais, com baixos teores de gordura.

Esses óleos, liderado pelo azeite de oliva, regulam a sensação de saciedade, fazendo com que a pessoas sinta-se cheia mesmo ingerindo menos calorias.

A equipe do Dr. Peter Schieberle, da Universidade Técnica de Munique (Alemanha), descobriu agora como é que os óleos naturais podem ajudar a comer menos e perder peso.

Durante três meses, os participantes tomaram 500 gramas de iogurte enriquecido com um de quatro tipos de gordura, dois animais e dois vegetais (oliva e canola).

"O azeite de oliva teve o maior efeito na saciedade. O grupo que ingeriu azeite de oliva apresentou uma alta concentração do hormônio da saciedade (serotonina) no sangue. Também no aspecto subjetivo, esses participantes relataram achar que o iogurte saciava mais," diz o Dr. Schieberle.

Durante o estudo, nenhum dos participantes apresentou ganho de peso.

Cheiro do azeite

"Os resultados nos surpreenderam,", admite Schieberle, "porque o óleo de canola e o azeite de oliva contêm ácidos graxos similares".

Então eles se voltaram para os compostos presentes no aroma do azeite de oliva.

Bingo! Os participantes que tomaram iogurte contendo apenas o aroma do azeite de oliva continuaram sentindo-se saciados, enquanto os demais consumiram quase 200 calorias a mais por dia.

A duração da sensação da saciedade depende de uma série de fatores, mas o nível de açúcar no sangue é especialmente significativo. Quanto mais rápido ele cai, mais rapidamente as células somáticas absorvem a glicose do sangue, e mais cedo a pessoa vai começar a sentir fome novamente.

Na próxima parte do estudo, os pesquisadores pretendem investigar quais das substâncias aromáticas presentes no azeite de oliva são mais eficazes na inibição da absorção de glicose.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 20/03/2013

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=azeite-oliva-aumenta-sensacao-saciedade&id=8669

Mulheres praticam mais violência doméstica que homens

Sempre que se fala em violência doméstica, a imagem criada no imaginário e na mídia envolve o homem agredindo a mulher.

A violência praticada contra o homem, por outro lado, é considerada uma exceção à regra.

Mas esses preconceitos precisam mudar rapidamente, sob pena do problema da violência doméstica não ser solucionado.

Foi o que apontaram os resultados surpreendentes do estudo realizado por Fernanda Bhona, na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), em Minas Gerais.

Violência da mulher contra o homem

Com um total de 480 participantes, a pesquisa apontou que 77% de um grupo de 292 mulheres com relação conjugal afirmam ter xingado, humilhado ou intimidado o parceiro, contra 71% das mesmas ações tomadas por eles.

A agressão física do companheiro - tapas, socos ou chutes - foi assumida por 24% das mulheres. E, segundo as próprias mulheres, apenas 20% dos parceiros cometeram o mesmo tipo de agressão contra elas.

Quando o ato violento deixa lesões, hematomas ou causa desmaio após a pancada, cerca de 13% delas são responsáveis pela ação, contra 9,5% das agressões masculinas infligindo danos às parceiras.

O quadro típico da violência doméstica só se confirmou nos casos de agressão sexual leve - a pesquisa revelou que 16% das mulheres foram forçadas a fazerem sexo com o parceiro, enquanto 14% dos homens foram obrigados a praticar o ato por suas companheiras contra a sua vontade.

Violência contra a família

As agressões podem se agravar ainda mais se existir consumo excessivo de álcool pelas mulheres.

Segundo a pesquisa, 54% de um grupo de 252 mulheres, que tinham filhos de até 18 anos, cometeram algum tipo de ato classificado como maus-tratos aos filhos, como bater com a mão fechada ou chutar com força, após a ingestão de bebida alcoólica.

A pesquisa não revelou nenhuma associação significativa entre o consumo de cerveja acima do permitido e a violência praticada pelas mulheres contra os homens.

No entanto, 26% das entrevistadas relataram brigas entre o casal após a ingestão de álcool, que deixaram lesões nas mulheres e 35,6% delas sofreram algum tipo de agressão física.

Há dez anos, outra pesquisa realizada em 16 capitais brasileiras apresentou resultados semelhantes à pesquisa de Fernanda Bhona. O nível de agressão psicológica entre os casais ficou em 78,3% e o de abuso físico, 21,5%, apresentando um cenário contrário ao que se atribui normalmente ao homem, o de agressor.



Por: Diário da Saúde - Com informações da Fapemig

Publicado em: 01/08/2013

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=mulheres-praticam-mais-violencia-domestica-homens&id=9004

Ômega-3 em suplementos pode aumentar risco de câncer de próstata

Mais um indício está depondo contra o uso de suplementos alimentares e vitamínicos.

Já se sabia que tomar suplementos alimentares pode ser uma faca de dois gumes.

O que os estudos estão mostrando é que nutrientes importantes para a saúde não trazem o mesmo benefício se forem ingeridos na forma de concentrados em cápsulas.

Por exemplo, a vitamina E protege contra o câncer, mas não em suplementos, e os suplementos de cálcio e vitamina D podem piorar a situação de homens com câncer de próstata, em vez do contrário, como seria de se supor.

Agora foi a vez de se lançar questionamentos sobre os benéficos de ingerir ácidos graxos ômega-3 preparados sinteticamente - os benefícios desses compostos quando contidos em alimentos são atestados e reconhecidos mundialmente.

Contudo, o ômega-3 na forma de cápsulas - e não em peixes, brócolis, rúcula, nozes e outros alimentos - pode estar associado ao aumento do risco do tipo mais letal de câncer de próstata.

Câncer de próstata e suplementos de ômega-3

Uma equipe de várias universidades norte-americanas constatou uma ligação entre altas concentrações sanguíneas de ômega-3 e o câncer de próstata mais agressivo.

"A consistência destes resultados sugere que estes ácidos graxos estão envolvidos na gênese do tumor, e recomendações para aumentar a ingestão de ômega-3, principalmente através de suplementos, devem considerar seus riscos potenciais", escreveram os autores do estudo, publicado no Journal of the National Cancer Institute.

De acordo com o estudo, o risco de homens que tomam suplementos de ômega-3 desenvolverem o tipo mais agressivo de câncer é até 71% maior do que entre os que não usam a substância.

No caso do tipo menos letal, o risco é até 44% mais alto entre os que consomem suplementos, em comparação a pessoas que não usam as cápsulas.

Em geral, ácidos gordurosos estão associados a um risco até 44% maior de câncer de próstata, dizem os pesquisadores.

O estudo não analisou casos de ingestão dos ácidos graxos através de alimentos, impedindo uma comparação direta entre as duas formas de ingestão. Inúmeros estudos comprovam os benefícios da ingestão de ômega-3 na dieta alimentar, e este estudo não altera em nada aquelas conclusões.



Por: Diário da Saude - Com informações da BBC

Publicado em: 17/07/2013

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=omega-3-suplementos-aumenta-risco-cancer-prostata&id=8999

[ - ] Voltar

Terapias Curitiba

Av. Visconde de Guarapuava, 3.444 - Conj. 606 - 6º Andar - CEP 80.250-220 - Bairro Centro - Curitiba - PR